Anda di halaman 1dari 4

FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE TEOFILO OTONI

NOME: GENEROSO ANTONIO BASTOS JUNIOR


PERIODO:3

A cessão de crédito é um negócio jurídico bilateral, gratuito ou


oneroso, pelo qual o credor de uma obrigação – cedente,
transfere, no todo ou em parte, a terceiro - cessionário,
independentemente do consentimento do devedor - cedido, sua
posição na relação obrigacional, com todos os acessórios e
garantias, salvo disposição em contrário, sem que se opere a
extinção do vínculo obrigacional, discorre com muita propriedade
DINIZ (2004:p.433).

Por via de regra, todos os créditos podem ser cedidos. Contudo, o


Código Civil, em seu art.286, estabeleceu três requisitos para que
a cessão de créditos aconteça. São eles:
Natureza da obrigação-Não podem ser objeto de cessão, créditos
obtidos de relações jurídicas de caráter personalíssimo (créditos
personalíssimos). Por exemplo, o credor de uma ação de
alimentos, não poderá ceder seu crédito, pois tal crédito é
personalíssimo.

Relações jurídicas compreendidas no direito de família também


não podem compor a cessão ativa. Por exemplo, o crédito em uma
ação de Inventário não poderá ser cedido a outrem.

O crédito que seja em favor de uma pessoa em específico também


não poderá ser cedido. Por exemplo, o crédito adquirido de um
músico para tocar em uma determinada orquestra.
A Lei- Os créditos definidos por lei como sendo incessíveis (não
suscetíveis à cessão) também não poderão comportar
transmissibilidade.
Convenção entre as Partes- Quando as partes acordarem a
impossibilidade de cessão (ativa ou passiva, ou ambas), esta
também não poderá ocorrer.
GONÇALVES ainda aponta demais requisitos para a cessão de
créditos: Capacidade, legitimidade e Responsabilidade na Cessão
de crédito.

A cessão de crédito poderá ser gratuita ou onerosa, total ou


parcial, convencional, legal ou judicial, pro soluto ou pro
solvendo.

Na cessão gratuita, o cedente não exige uma contra-prestação do


cessionário, enquanto que na cessão onerosa há exigência da
contra-prestação.

Em relação à cessão total, o cedente fará a transferência da


totalidade do crédito. Nosso Código Civil é omisso em relação à
cessão parcial, não significando sua inadmissibilidade.

Pode, ainda, a cessão de crédito ser legal e judicial. Em muitos


casos, com efeito, a transmissão do crédito, do lado ativo da
relação obrigacional, opera-se não por convenção entre as partes,
como na cessão, mas ipso jure, ou seja, por força de lei, ou por
meio de decisão judicial.

Poderá o cedido opor, a qualquer tempo, as exceções que


competirem contra o cessionário, no entanto contra o cedente,
somente no momento da notificação da cessão, sendo que depois
estas restarão sem função as exceções que tiver contra o cedente ,
por estar saindo da relação jurídica obrigacional ; logo ,
determina se um momento e limita se a oposição de exceções
contra o cedente apenas ao momento da cientificação do devedor
sobre a cessão.
Ficará ainda responsável o cedente perante o cessionário pela
existência do crédito nas cessões onerosas, ainda que não se
responsabilize , no momento que lhe cedeu. Também ficará
responsável perante o cessionário ; Cessão de credito pro
solvendo- cedente se responsabiliza pela solvência do devedor
perante o cessionário.