Anda di halaman 1dari 7

Linhas Paralelas

Personagem principal é um órfão, Thomas Velasques, que após muito se


dedicar é formado em física quântica e tem em mente apenas um objetivo, entender
o passado e descobrir o porquê não tem família.

A história se passa em um período de tempo que o conhecimento está na palma


das mãos, mas a aplicação e desenvolvimento tecnológico está apenas à dispor de
pessoas com alto poder aquisitivo.

O personagem principal por mais que bem sucedido em seus estudos não se
enquadra na faixa da população com fácil acesso à tecnologia que necessita para
desenvolver seu projeto.

Após algumas desventuras, Thomas consegue finalmente as peças


necessárias para que possa concluir sua façanha e após muito trabalhar em um
programa que o leve para o passado, em uma data antes de seu nascimento, no
momento em que seus pais se conheceram, Thomas tem como objetivo entender
melhor seus pais, como nasceu e o motivo de ter sido abandonado.

Quando põe sua invenção para funcionar Thomas consegue voltar ao passado,
porém ao analisar o ambiente ele descobre que não apenas voltou para o passado
mas que também foi para em um mundo diferente do seu, um mundo novo e estranho.
Epilogo

Thomas Velasques é um rapaz de 21 anos, formado em física quântica. Órfão


e deixado na porta de um orfanato quando bebê numa cidade pequena do interior.

Foi deixado algumas horas após o nascimento, era uma noite chuvosa de
primavera, estava enrolado em um cobertor azul dentro de uma caixa de papelão, em
seu pescoço estava um relógio de bolso e na parte interna da tampa estava escrito:

O tempo entrega a todos o mesmo fim.


Viva cada minuto como se fosse o último.
Seu sonho sempre foi saber sobre sua família e o porque o abandonara, sua
única pista era o relógio, única herança e possível ligação com sua família.

A infância inteira foi no orfanato, nunca foi adotado, mas por escolha, não queria
ter um família nova, gostava do orfanato e tinha em mente que uma nova família iria
tirar o objetivo de descobrir seu passado.

Conforme cresceu fez muitos amigos, muitos destes foram adotados, todos
gostavam muito de Thomas, era um menino adorável e muito simpático, mas ao
mesmo tempo era muito tímido, quando chegava alguma criança no orfanato se
escondia em seu quarto e ficava lá durante dias, tinha apenas como companhia um
gato preto. Apelidou o gato de Sulpher, seu melhor amigo e companheiro para suas
aventuras, seu pelo era brilhoso e tinha um olho verde e outro azul. Thomas
conversava com Sulpher da mesma maneira que falava com seus colegas do
orfanato, o gato entendia tudo e Thomas sempre disse que Sulpher falava igual
humanos, mas isso acontecia apenas com ele, seus colegas sempre achavam
Thomas louco, porque para eles Sulpher apenas miava como qualquer gato, mas algo
que nunca incomodou Thomas, era a energia que Sulpher tinha nas brincadeiras e
até hoje Supher está ao lado de Thomas com toda a energia que sempre demonstrou.
Capitulo 1 – Onde vim parar?

Thomas está em seu apartamento, são 3 da manhã e não consegue dormir,


sua mente não para e sempre volta no mesmo pensamento:

“Falta tão pouco para terminar, acho que mais algumas horas e pronto.”

Depois de um tempo se decidiu, não tinha como dormir, tinha que terminar seu
projeto. Se levantou e saiu para o laboratório, desceu os 14 andares do prédio e saiu
correndo rua abaixo o mais rápido que podia, além do mais estava cansado de um dia
de trabalho no centro de pesquisas.

Chegando no laboratório colocou seu jaleco e sussurrou – Agora mãos à obra.

Thomas iniciou seu projeto durante a faculdade, foi tema do trabalho de


conclusão de curso, a teoria apresentada foi motivo de piadas, apenas um professor
sempre apoiou Thomas, Dr. William Silverscale.

Desde então, vem trabalhando todas as noites para concluir a parte prática e
após 2 anos finalmente está terminado, ou pelo menos se espera.

Após horas de trabalho finalmente está completo, o dia já está claro, agora falta
apenas a chave, para ser dada a partida na viagem da sua vida.

Thomas se sentou na cadeira que fica no centro da máquina e colocou o cinto,


ao fechar a porta Sulpher pulou dentro da máquina e deitou no colo de seu dono, não
o abandonaria no momento mais importante de sua vida. Então olhou para o buraco
em forma redonda que estava na sua frente.

“Espero que funcione desta vez”

Tirou o relógio do bolso interno o jaleco e colocou no buraco, a máquina


acendeu as luzes d painel sem fazer qualquer barulho e tudo que se ouvia era seu
coração batendo forte, as emoções eram tantas que palavras não podem descrever e
pensou:

“Desta vez vai dar certo”

O relógio era a chave da máquina, não tinha vidro na parte da frente, sempre
foi assim, Thomas girou o ponteiro para as horas que queria e no painel ele informou
a data que queria, o dia de seu nascimento.
Então puxou a alavanca para iniciar a partida, neste momento seu gato
começou a ronronar, parecia contente que nada de ruim acontecera até o momento.

“É Sulpher, vamos conhecer meu passado, também estou feliz de não ter
explodido”

E com essa última frase um túnel de luz envolve a máquina do tempo e de


repente não há mais nada no laboratório, apenas a sombra de um homem que estava
vendo Thomas, um homem que sempre o apoiou e que agora volta para seu próprio
tempo.

Em instantes a máquina do tempo aparece em um lugar desértico, apenas sol


e areia, Thomas e Slpher descem da máquina e sentem o calor do sol em suas peles
queimando. Thomas olha ao redor e pergunta para Sulpher – Onde foi que vim parar?

Sulpher fareja o ar e diz, não estamos mais nosso planeta. Neste momento
uma sombra enorme cobre os dois e ao olhar para cima se deparam com uma criatura
enorme em forma de baleia, porém ela está voando, ela abre a boca para engoli-los e
não resta opção a não ser correr.

Por pouco a criatura os pegava, ela desapareceu no chão do deserto, e junto


com ela a máquina do tempo, Thomas e Sulpher continuam a correr até que
encontram uma caverna e ficam nela até sentir que o perigo de fora passou.

Thomas senta no chão e encosta na parede úmida da caverna, Sulpher pula


em seu colo e diz:

Foi por pouco, mas agora não temos como voltar para casa.

E agora também não posso continuar, temos que achar um jeito de pegar a
máquina novamente.

Sim humano, mas você está cansado e precisa dormir, descanse, vou sair e
procurar comida para nós.

Mas como você vai fazer isso, você é apenas um gato.

Nesse momento Sulpher olhou para Thomas com um olhar de dar medo e
eriçou os pelos e Thomas não acreditava no que estava vendo, seu gato se
transformou em uma pantera, seus pelos todos pretos e brilhosos e disse a Thomas.
Humano, não sou apenas um gato, nunca achou estranho falar comigo e eu te
responder? Descanse, retorno antes que anoiteça.

E Sulpher saiu em disparada e sumiu, Thomas estava zonzo com tanta


informação, então seguiu o conselho de seu amigo e dormiu e teve os mais estranhos
sonhos de sua vida.
Capitulo 2 – E agora?

Tomas acordou com um susto, sonhara com o que aconteceu. Tentava se


recordar ao que aconteceu, se viu em uma caverna e na entrada um geopardo
enorme, a cabeça doía, então lembrou que havia conseguido fazer a máquina do
tempo funcionar e que Sulpher o acompanhara e que aquele animal era seu gato de
estimação , ou era seu gato.

Se aproximou com receio, não sabia se estava delirando ou se ainda estava


dormindo, o felino levantou as orelhas quando Tomas pisou em um graveto, vendo
quem era disse:

- Sabia que iria pisar no gravtto, vcs sempre são desatentos ao ambiente que
estão , principalmente ao acordar - adicionou um tom irônico disse - e como esta a
estadia em nosso hotel 5 estrelas?esperamos que esteja aproveitando!

Tomas estava pasmo, não sabia como reagir, sabia que era seu gato, mas seus
olhos não passavam isso a ele e então apos olhar o felino que distraidamente lambia
a pata disse:

- Suulpher? É vc mesmo? O que aconteceu? Vc esta grande!

- claro que sou eu, oras! Quem mais se preocuparia em cuidar de vc? E como
assim o que aconteceu? Não se lembra do monstro que fugimos?

Tomas balançou a cabeça tentando assimilar tudo, então entendeu que o


sonho não foi apenas um sonho, era seu cérebro recordando pelo que passara, estava
tão perdido em pensamentos que esqueceu de respo der seu companheiro e apenas
voltou quando Sulpher rugiu exigindo a atençao.

- vai me responder ou ficar olhando a pedra p sempre? VcS humanos, sempre


lentos, tenho certeza que esta se recordando sobre o que aconteceu! Igual a vez que
me levou ao parque mas estava tão distraido que bateu de frente com a arvore e ficou
com essa cara de quem não sabe o que aconteceu

Tomas ficou furioso com o comentário, mas riu de leve ao lembrar da situação
e correu para o amigo e o abraçou pelo pescoço, sentindo o pelo macio e exclamando
- É vc mesmo! Mas como? Desde qdo vc faz nisso?! Vc é um super gato!
Com este comentário apoiou a pata no peito do amigo o empurrando p o chão
e pressionando de leve p que não levantasse respondeu:

- vc é mgo lento! E não sou um supergato!