Anda di halaman 1dari 4

A V ALIAR

GRUPO I

Leia o poema de Camões a seguir transcrito.

Quando o Sol encoberto vai mostrando Aqui esteve sentada, ali me viu,
ao mundo a luz quieta e duvidosa, 10 erguendo aqueles olhos tão isentos;

ao longo d’ ũa praia deleitosa, aqui movida um pouco, ali segura;


vou na minha inimiga imaginando.
aqui se entristeceu, ali se riu;
5 Aqui a vi, os cabelos concertando; enfim, nestes cansados pensamentos
ali, co a mão na face tão fermosa; passo esta vida vã, que sempre dura.
aqui, falando alegre, ali cuidosa;
agora estando queda, agora andando.
Luís de Camões, Rimas. Texto estabelecido
por A. J. Costa Pimpão, Coimbra, Almedina, 2005 [1994], p. 125.

1. Na primeira estrofe, o sujeito poético faz a descrição do ambiente físico que o


rodeia. Caracterize-o e relacione-o com o estado de espírito do “eu”. [20 pontos]

2. Divida as três últimas estrofes, de acordo com o seu conteúdo. [20 pontos]

3. Comprove, comentando o seu valor expressivo, o recurso à: [20 pontos]

a. construção paralelística; b. antítese.

4. Defina a relação entre o “eu” e a figura feminina apresentada. [20 pontos]

5. Identifique o recurso expressivo presente em “vida vã” (v. 14) e explicite o seu valor.
[20 pontos]

GRUPO II

Leia o texto com atenção.

Banalidades criativas
Por Hélder Macedo

Entenda-se: não tenho nada contra interpretações modernas e inovadoras. Pelo


con- trário, considero que só a partir do aqui e agora de cada tempo e de cada cultura
se pode chegar à intemporal universalidade das grandes obras dos grandes autores.
Mas o trân- sito tem de ser nessa direção e não na direção oposta. Ou seja,
procurarmos entender
5 com os instrumentos de que dispomos um Shakespeare ou um Camões, ou Mozart,
ou Verdi, ou Wagner, em vez de os banalizar à imagem das nossas contemporâneas
banali- dades. Afinal também havia banalidades no tempo deles, e eles
transformaram-nas em significação intemporal. Uma das interpretações mais
fidedignas que tive o privilégio de ver foi também a mais moderna e inovadora, o Sonho
de uma Noite de Verão encenada por
10 Peter Brook.
Um renomado camoniano disse-me há tempos, em resposta às minhas
perplexidades sobre as contradições de Baco n’Os Lusíadas, que não me devia esforçar
demais a querer entender as “incoerências” de Camões, afinal ele tinha escrito o poema
aos bochechos e
214
se calhar já não se lembrava do que tinha dito quando disse uma coisa diferente. Talvez.
15 Tudo é possível. Mas, até prova em contrário, a significação das coisas está sempre
na diferença.
Jornal de Letras, Artes e Ideias, n.o 1142 – de 9 a 22 de julho de 2014, p. 35 (com supressões).

1. Selecione a opção correta. [10 pontos]

1.1 Trata-se de um texto de apreciação crítica que defende a seguinte posição:

[A] os grandes autores devem ser analisados à luz da época em que vivemos.

[B] os grandes autores distinguem-se pela banalidade das obras que produziram.

[C] os grandes autores distinguem-se pela novidade das obras que criaram.

[D] os grandes autores devem ser analisados à luz da época em que


viveram.

2. Aponte o comentário crítico feito pelo autor aos “leitores” dos clássicos e refira
a posição que, segundo ele, deve ser adotada. [5
pontos]

3. Explique a intenção do autor ao afirmar “Mas, até prova em contrário, a


significa- ção das coisas está sempre na diferença”, relacionando-a com o
episódio por ele relatado.
[5 pontos]

4. Identifique as afirmações verdadeiras e as falsas. [8 pontos – 4 itens x 2 pontos]

a. O segmento “das grandes obras dos grandes autores” (l. 3) corresponde a um


com- plemento do nome.
b. Na frase “afinal ele tinha escrito o poema aos bochechos” (l. 13), o autor serve-se
de uma anáfora.
c. A palavra “sempre” (l. 15) deriva da forma latina SEMPER. O processo fonológico
que ocorre nessa passagem designa-se de dissimilação.
d. O enunciado “procurarmos entender com os instrumentos de que dispomos um
Shakespeare ou um Camões, ou Mozart, ou Verdi, ou Wagner” (ll. 5-6) contém
um complemento direto.

5. Classifique a oração “que só a partir do aqui e agora de cada tempo e de cada


cul- tura se pode chegar à intemporal universalidade das grandes obras dos
grandes autores.” (ll. 2-3)
[7 pontos]

6. Considerando que a palavra "inovadoras" (l. 1) integra um elemento de origem


latina que igualmente surge no adjetivo "novo", indique dois outros vocábulos do
portu- guês onde esse mesmo elemento esteja presente.
[5 pontos]

7. Identifique o referente de “os”. (l. 6) [5 pontos]

8. Indique a função sintática da palavra sublinhada em “disse-me”. (l. 11) [5 pontos]

GRUPO III

Redija uma apreciação crítica, entre 120 e 150 palavras, sobre um filme ou uma peça
de teatro a que tivesse assistido. [50 pontos]
Nota: Não se esqueça de, antes de redigir o seu texto, elaborar um plano organizador
das ideias. No final da sua redação, deverá ler o que redigiu para corrigir eventuais
incorreções.

215

Minat Terkait