Anda di halaman 1dari 4

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA


PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS
DIVISÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA
LAUDO DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL

AVICULTURA

➢ Identificação
Interessado Universidade Federal Rural da Amazônia
Setor Avicultura (Aviário de Desempenho/metabolismo/ Postura/Didático)
Campus Belém - Avenida Presidente Tancredo Neves, 2501 - Terra
Localização
Firme, Belém - PA, 66077-830 – Prédio Zootecnia
Data da Inspeção 16/10/14

➢ Descrição do Ambiente
Área do ambiente de aproximadamente 282m², pé-direito de 2,60 m, tela e lona, paredes de
alvenaria, piso de cimento. A ventilação é natural/artificial através de exaustores, A iluminação é
natural/artificial composta por lâmpadas fluorescentes.
➢ Registro Fotográfico

Identificação do Local Ambiente interno

Fiação eletrica exposta e painel eletrico sem sinalização Atividades no aviário

Produtos utilizados Aves do aviário

1
Laudo nº 132/2018-BEL – Universidade Federal Rural da Amazônia
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA
PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS
DIVISÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA
LAUDO DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL

➢ Tipo de trabalho realizado /Atividades desenvolvidas


Compõem este ambiente as áreas de avicultura de corte, equipado com galpão de produção de
frangos, e avicultura de postura (produção de ovos vermelhos e brancos em sistema de gaiolas). No
setor são desenvolvidas práticas de avicultura, nutrição, sanidade e bem-estar animal.
Neste local são desenvolvidas atividades típicas como acompanhamento e orientação sobre o
manejo dos frangos e galinhas. Há aviários de desempenho, metabolismo, postura e didático e como
atividades ocorrem a pesagem dos animais, a vacinação dos animais contra NEWCASTLE,
GUMBORO, MAREK, BOUBA AVIÁRIA.
No geral são realizadas atividades práticas de cuidados das aves, limpeza e lavagem do galpão
com água, preparo e retirada da cama, aplicação de medicamentos como antibióticos, aplicação de
cal, desinfecção do galpão e debicagem.

➢ Mobiliário/Equipamentos
No ambiente há prateleiras, gaiolas, exaustor, bebedouro de aves, comedouros, etc.

➢ Agentes nocivos à saúde ou Identificador do risco e Grau de agressividade ao Homem


Avaliação qualitativa dos riscos ambientais e operacionais
Risco Químico: Poeiras incomodas e manipulação de produtos químicos como: Ortozool, Biocid,
Obanol, Cypermil, Poliforte, Enrotec. Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho,
constatou-se que não existem agentes químicos relacionados com a natureza e o tempo de exposição
ao agente, que cause dano à saúde do trabalhador, durante sua jornada de trabalho.
Risco Físico: Ruído proveniente dos exaustores. Conforme avaliação realizada no ambiente de
trabalho, constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição.
Risco Biológico: Proveniente do contato com vírus, bactérias e secreções de animal.
Risco de Acidentes: Picada por Animais peçonhentos; Incêndio; escoriações por aves.
Risco Ergonômico: Não evidenciado.

➢ Conclusão
Fundamento científico: As Zoonoses são doenças que podem ser transmitidas entre os animais
vertebrados e os seres humanos. Os agentes que desencadeiam essas afecções podem
ser microorganismos diversos, como bactérias, fungos, vírus, etc. Em ambientes como aviários há
um grande número de microorganismos que se proliferam a partir das fezes, secreções e pelos das
aves e podem causar doenças.
Fundamento Legal: Após avaliação no local de trabalho, dos processos das atividades
desenvolvidas: posto de trabalho, função do trabalhador, tempo de exposição, forma de contato com
o agente nocivo à saúde, tipo de proteção utilizada e do fundamento legal sobre o assunto,
concluímos que:
1- Os servidores que executam trabalhos e operações em contato permanente com material
infecto-contagiante de aves (fezes, secreções e pelos), no setor de AVICULTURA (aplica-se apenas
ao pessoal que tenha contato permanente com tais animais) fazem jus ao adicional de
insalubridade de grau médio (10% sobre o vencimento do cargo efetivo), conforme preconiza o

2
Laudo nº 132/2018-BEL – Universidade Federal Rural da Amazônia
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA
PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS
DIVISÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA
LAUDO DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL

Anexo 14 (riscos biológicos) da NR-15 (Portaria nº 3.214/78- MTE) e como estabelece a


Orientação Normativa SEGRT/MPDG nº 04, de 14 de fevereiro de 2017, o artigo 12 da Lei nº
8.270/1991 e os Artigos 68 a 72 da Lei nº 8.112, de 11/12/90.

2-Não fazem jus ao adicional de insalubridade, conforme disposto no art. 11° I, II e III da
Orientação Normativa n°4, de 14 de fevereiro de 2017, os servidores que desenvolvem atividades
cuja exposição seja eventual ou esporádica ao risco; que exerçam atividades-meio ou de suporte, em
que não há obrigatoriedade e habitualidade do contato; que sejam realizadas em local inadequado,
em virtude de questões gerenciais ou por problemas organizacionais de outra ordem; e em que o
servidor ocupe função de chefia ou direção, com atribuição de comando administrativo, exceto
quando respaldado por laudo/parecer técnico individual que comprove a exposição em caráter
habitual ou permanente, quando da solicitação do pedido do adicional.

3 - A atividade exercida no ambiente avaliado é considerada insalubre conforme enquadramento


acima, mas o servidor para fazer jus ao adicional de insalubridade, deverá atender ao disposto no
Art. 9° I, II e III da Orientação Normativa n°4, de 14 de fevereiro de 2017, que tratam de exposição
eventual ou esporádica, habitual e permanente, respectivamente, informando a carga horária
mensal/semanal da sua atividade quando da solicitação do seu pedido.

4 - No ambiente periciado não foram encontradas atividades para a caracterização e justificativa


para a concessão de periculosidade, irradiação ionizante e gratificação por trabalhos com raios-x ou
substâncias radioativas, conforme determinação expressa na Orientação Normativa nº 4 de
14/02/2017 SEGRT/MPDG, e nas demais legislações vigentes.
Portanto, os percentuais aplicáveis para o ambiente periciado são:
• Grau de Insalubridade: Grau Médio 10% - Biológico
• Grau de Periculosidade: Grau 0%
• Grau de Irradiação Ionizante: Grau 0%
• Trabalhos com Raios-X ou Substâncias Radioativas: Grau 0%

➢ Medidas Corretivas e Preventivas


Administrativa
1- Providenciar a aquisição de soro antiofídico, devido a presença de animais peçonhentos no
campus.
2- Realizar manutenção periódica da instalação elétrica, conforme determina NR 10 – Segurança
em Instalações e Serviços em Eletricidade – (item 10.4.4. As instalações elétricas devem ser
mantidas em condições’ seguras de funcionamento e seus sistemas de proteção devem ser
inspecionados e controlados periodicamente, de acordo com as regulamentações existentes e
definições de projetos).
3- Realização de exames médicos periódicos para os servidores expostos aos riscos;
4- Devem ser mantidas no ambiente as FISPQ’s (Ficha de Informação de Segurança de Produtos
Químicos) de todos os produtos manuseados.
5- Instalação/Sinalização nos ambientes ou nas proximidades pelo menos 01 extintor de 6kg do

3
Laudo nº 132/2018-BEL – Universidade Federal Rural da Amazônia
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA
PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS
DIVISÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA
LAUDO DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL

Tipo CO2, Classe BC e um extintor de incêndio de Água, 10 l, Classe A, conforme normas


técnicas (NBR 12693 – Sistemas e Proteção por Extintores de Incêndio e NBR 13434-2 –
Sinalização de Segurança contra incêndio e Pânico) e Adequação à NR-23 – Proteção Contra
Incêndio - da portaria 3.214/78 do MTE;
6-Todo local onde exista possibilidade de exposição ao agente biológico deve ter lavatório
exclusivo para higiene das mãos provido de água corrente, sabonete líquido, toalha descartável e
lixeira provida de sistema de abertura sem contato manual.

Equipamentos de Proteção Individual – EPI


Em atividade utilizar os seguintes EPI’s /Acessórios de segurança:
1- Óculos de segurança tipo ampla visão para produtos químicos, lente incolor em policarbonato,
antiembaçante e ventilação indireta;
2- Máscara respirador purificador de ar não motorizado, peça semifacial filtrante (PFF2) com
válvula para proteção das vias respiratórias contra poeiras e névoas;
3- Máscara peça semifacial com filtros químicos e/ou combinados para proteção das vias
respiratórias contra gases e vapores e/ou material particulado;
4- Camisa e calça em brim para proteção do tronco e membros superiores e inferiores contra
agentes térmicos;
5- Jaleco para proteção de todo o corpo contra agentes biológicos;
6- Avental em PVC para proteção do tronco contra agentes biológicos;
7-Luvas nitrílicas cano longo para proteção das mãos contra agentes químicos e biológicos;
8-Luvas de algodão (malha) pigmentada para proteção das mãos contra agentes abrasivos e
escoriantes;
9- Calçado de PVC para proteção dos pés e pernas contra umidade proveniente de operações com
uso de água.

Nota: Este laudo poderá ser modificado em função de:


✓ Mudança no ambiente de trabalho que venha a interferir no local/atividade periciado;
✓ Modificações consideráveis nas estruturas físicas avaliada;
✓ Qualquer mudança que venha neutralizar ou diminuir os efeitos dos agentes ambientais
avaliados neste laudo;
✓ Aparecimento de legislação que por ventura venha influir no setor periciado;
✓ Ocorrendo quaisquer das situações acima citadas, deverá ser feita nova avaliação.

Belém (Pa), 19 de novembro de 2018.

Anderson dos Santos Vieira


Eng. de Segurança do Trabalho
CREA nº 16.154 D-PA
SIAPE - 1967955
4
Laudo nº 132/2018-BEL – Universidade Federal Rural da Amazônia