Anda di halaman 1dari 3

O post é um recadinho direto para os “técnicos”

que me mandam e-mails pedindo para eu resolver


os problemas deles e, sinceramente, fico muito
irritado com estes pedidos porque o objetivo
deste blog não é servir de “consultório
sentimental” do tipo destes anunciados pelos
postes e muros da cidade.

Mas se você é TÉCNICO realmente e quer algumas


dicas para VOCÊ MESMO encontrar o substituto ou
equivalente de um diodo, transistor seja bipolar
ou mosfet, então continue a ler porque a ideias
aqui apresentadas poderão ser úteis sem precisar
me mandar e-mails ou recorrer a bruxarias do
tipo anunciado no cartaz.

Substituto versus equivalente

Antes de prosseguir vale uma reflexão sobre a


diferença entre substituto e equivalente.

Quando os semicondutores entraram na Eletrônica


lá pelo idos dos anos 60 do século passado os
chineses só faziam pastel!

Naquela época tínhamos poucos fabricantes de


diodos e transistores que ficavam entre
americanos (do norte) e japoneses.

As exigências dos circuitos ainda eram


relativamente pequenas e a preocupação com os
parâmetros dos componentes ficavam basicamente
entre tensão e corrente.

Surgiram os “manuais de equivalência” que podiam


ser encontrados na maioria das lojas de
componentes eletrônicos para consulta dos
compradores e comparavam estes poucos parâmetros
e ofereciam um “substituto ou equivalente” que,
às vezes, funcionava, às vezes, não.

O substituto, replacement em inglês, é um


componente que apresenta
características/parâmetros iguais ao original,
geralmente, fabricado por um competidor. Mal
comparando o replacement seria o remédio
genérico.

Já o equivalente ou nearest preferred é um


componente que como a expressão em inglês indica
numa tradução livre “é o preferido mais
próximo”.

Em outras palavras, talvez possamos usá-lo para


“substituir” o original, mas precisamos comparar
os parâmetros cuidadosamente examinando os
respectivos data sheets do original e do nearest
preferred.

Pode ser que tenha algum parâmetro que não “se


encaixe” e a substituição venha a trazer
problemas, pois como eu disse os circuitos se
tornaram mais sofisticados.

Os chineses mudaram o mundo da eletrônica

Nos últimos 20 ou 30 anos surgiu uma quantidade


avassaladora de fabricantes de componentes
eletrônicos, principalmente na China embora os
coreanos também tenham entrado com força neste
lucrativo mercado.

Parece que todos chineses que não vieram para o


Brasil montar uma pastelaria ou uma loja para
vender quinquilharias, ficaram por lá e montaram
sua “fábrica de semicondutores” na cozinha ou no
quintal da casa.

Uns se dedicam a falsificação de qualquer jeito


(e vendem para os brasileiros que querem comprar
mais barato).

Outros, mais sofisticados “clonam” os originais


e como não podem colocar o código do original
“inventam” seus próprios códigos.

Já deu para perceber a confusão que ficou e


talvez você nunca encontre o data sheet de um
componente destes, por razões óbvias.

Aí vai ficar realmente difícil e, por favor, não


me peça para resolver para você. Melhor procurar
quem “traz seu amor em três dias”!

Artigo completo https://www.paulobrites.com.br/encontro-o-seu-transistor-em-tres-dias/