Anda di halaman 1dari 6

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE DO ESPÍRITO SANTO

CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA

IGHOR DE SOUSA MOROZESKI LIMA

JOÃO VITOR TEIXEIRA FERRETI

PHELLIPE MENDES PENA LOBO

RAFAEL TREVIZANI

Trabalho final – Projeto de processos I

SÃO MATEUS

2018
RESULTADOS

1- PFD do processo

FIGURA 01- Esquema PFD para o processo de hidroalquilação do tolueno com


reciclo.

No fluxograma do processo, o destilador possui 3 saídas: a saída de


Hidrogênio/Metano, a saída do Benzeno, e por último a saída do Tolueno que
não reagiu durante o processo e passará pelo reciclo retornando ao misturador.
O PFD foi desenvolvido com o auxílio do software COCO, e em alguns
equipamentos não eram permitidos a entrada ou saída de um número de
correntes iguais aos dos equipamentos do HYSYS. Por isso, algumas correntes
estão sem conexão (de energias, por exemplo), e a saída do Hidrogênio/Metano
no destilador é a mesma que a saída de Benzeno.

Para auxiliar na compreensão do PFD, tem-se as tabelas de correntes:


Tabela 01- Correntes materiais e suas composições

Corrente 1 2 3 4 5 6 7

Molar flow (kMol/h) 124.31 168,16 857,44 168,16 1025,6 1025,6 0,000

Mass flow (kg/h) 1.145x104 15652 4653,5 15652 20306 20306 0,000
Comp Mole Flow
124,31 165,35 0,30302 165,35 165.65 165.65 0,000
(Toluene) (kMol/h)
Comp Mole Flow
0,000 8,00e-13 662,62 8,00e-13 662,62 662,62 0,000
(Hydrogen) (kMol/h)
Comp Mole Flow
0,000 0,21924 2,7235 0,21924 2,9428 2,9428 0,000
(Benzene) (kMol/h)
Comp Mole Flow
0,000 2,5e-14 191,80 2,5e-14 191,80 191,80 0,000
(methane) (kMol/h)
Comp Mole Flow
0,000 2,5905 1,7e-5 2,5905 2,5905 2,5905 0,000
(BiPhenyl) (kMol/h)

Tabela 01 - Continuação

Corrente 8 9 10 11 12 13 14

Molar flow (kMol/h) 1025,6 1025,6 851,63 173,97 6,2860 123,86 43,829

Mass flow (kg/h) 20305 20305 6369,0 13936 88,859 9651,2 4196,1
Comp Mole Flow
41,414 41,414 0,380 3780,8 0,000001 0,012 41,020
(Toluene) (kMol/h)
Comp Mole Flow
538,37 538,37 537,24 2,2922 1,1327 0,0043 4,74e-65
(Hydrogen) (kMol/h)
Comp Mole Flow
127,19 127,19 3,4353 9666,1 0,063 123,47 0,21916
(Benzene) (kMol/h)
Comp Mole Flow
316,04 316,04 310,58 87,632 5,0904 0,37191 4,4e-29
(methane) (kMol/h)
Comp Mole Flow
2,5895 2,5895 0,00005 399,92 2,1e-26 6,08e-19 2,5895
(BiPhenyl) (kMol/h)

Tabela 02 – Correntes de energia

Corrente E1 E2 E3 E4 E5 E6
Heat flow (Kj/h) 8,0899e4 8,0899e4 4,1498e7 4,6797e7 6,4059e7 6,4034e7

2- Etapas de construção do fluxograma.

2.1- Determinação do pacote de fluidos e componentes.


Por ser um modelo com componentes reais e não polares, optou-se por usar o
pacote de fluidos Peng-Robinson. Apesar do modelo Soave-Redlich-Kwong
(SRK) apresentar resultados comparáveis à PR em muitos casos, sua faixa de
aplicação é significativamente limitada comparada com PR. Também foram
selecionados todos os componentes das reações fornecidas no presente
trabalho.

2.2- Dimensionamento dos reatores

Reator de conversão (CRV-100): Esse reator é necessário para reagir o tolueno


com o hidrogênio para formar benzeno e metano. Antes de inserir o reator, foi
necessário definir nossa reação em “Simulation Basis Manager”, que na aba
“Reactions”, a reação de interesse desse reator foi nomeada como conv.
Associado ao nosso pacote de fluido, a reação foi posta no reator, com condição
de variação de pressão sendo igual a zero. Será usada a corrente de vapor
desse reator justamente por possuir a maior quantidade de produto de interesse
nas condições de temperatura e pressão. A corrente de saída do vapor está a
1268°F, que é a temperatura em condições típicas de reação.

Reator de equilíbrio (ERV-100): Como não é possível realizar as reações de


equilíbrio e de conversão no mesmo reator, foi necessário a inserção de um
segundo reator para a reação do bifenil. Semelhante ao reator de conversão, foi
necessário definir nossa reação em “Simulation Basis Manager”, que na aba
“Reactions”, a reação de interesse desse reator foi nomeada como Eq.
Associado ao nosso pacote de fluido, a reação foi posta no reator, com condição
de variação de pressão sendo igual a zero. Também, de forma semelhante ao
reator de conversão, não foi usado a corrente de produto líquida desse reator
pois a mesma não possui quantidades significativas do nosso produto de
interesse.

2.3- Correntes de entrada / alimentação dos reatores

Tem-se a corrente de entrada de tolueno líquido (tolueno alimentação) no nosso


sistema com especificações cedidas pelo problema. A segunda corrente de
entrada (gases alimentação) é dimensionada de acordo com a função balanço,
que mantém a proporção de 1 Tolueno : 4 Hidrogênio na corrente mistura 2. Por
ser um processo de reação em duas fases distintas, observou-se na literatura
que em casos como esse geralmente são utilizadas bombas na planta, com o
intuito de aumentar a pressão da fase liquida, e com o auxílio de um misturador,
as correntes de entrada foram misturadas formando a corrente mistura 1, que
com o auxílio de um resfriador (E-102) foi resfriada antes de entrar no reator. No
mesmo trocador de calor foi adicionado uma corrente de energia onde a mesma
calculou o heat flow de acordo com nossas especificações de mudanças de
temperatura e pressão. O trocador de calor é útil nesse ponto para colocar a
corrente de alimentação do reator nos parâmetros ideais para que a reação
ocorra, onde os mesmos são dados do problema.

2.4- Correntes de saída / processos de separação

Viu-se necessário condensar parte da corrente que saiu do reator de equilíbrio.


Com isso, prepara-se a corrente para separar os componentes gasosos na
próxima operação que é o separador. Tal operação é necessária, visto que: “O
modelo de coluna short-cut do Hysys não produz vapor e líquido como produto
de topo (o que é possível no modelo rigoroso). Por isso, caso decida pela
separação do H2 e CH4 por destilação, primeiramente será necessário utilizar
um separador de componente (componente splitter) para remover esses dois
componentes antes da coluna short-cut.” Com isso, no final do separador, temos
uma corrente líquida rica em benzeno, porém, com quantidades significativas de
tolueno não reagido e traços de bifenil, metano e hidrogênio. A condição de
trabalho tanto para o separador quanto para o resfriador foi apenas a de variação
de temperatura sendo zero em ambos os casos.

É importante mencionar, que colocamos um valor de variação de pressão igual


a 5 psia, que foi o valor sugerido pela questão. Também foi inserido na corrente
seguido um valor de 25 graus para temperatura, pois é a temperatura de entrada
do tolueno, onde o benzeno fica no estado predominantemente líquido. Para
separar os componentes finais, foi utilizado uma coluna de destilação fracionada.

2.5- Reciclo

Nota-se também a necessidade de um reciclo no sistema, pois tem-se uma


quantidade significativa de tolueno que não foi convertido a benzeno de forma
eficiente. Logo, industrialmente falando, é economicamente viável aproveitar o
tolueno que não foi convertido a benzeno que temos de produto na saída do
nosso destilador. Foi adicionado um outro misturador (MIX-101) para misturar o
tolueno oriundo da destilação com o tolueno da entrada do processo.