Anda di halaman 1dari 11
A NOVA ORDEM INTERNACIONAL Adriano Moreira A NOVA ORDEM INTERNACIONAL (*) 1. As supreendentes revolugGes de 1989 puseram os 169 Estados soberanos do planeta perante a evidéncia de que a nica coisa cetta, a res- peito da Nova Ordem Mundial, € que ruiu a antiga, sem que os anclistas, s institutos de previsio, os servigos estaduais, ou os governos, tivessem pressentido aquilo por que lutavam no Ocidente havia meio século. Ao redor da Terra, o florescimento dos desafios que eram relegados pare a penumbra pelo conflito central da guerra fria, no anuncia sempre fa esperanga de que a paz pata os nossos dias seja necessariamente 0 ponto mega do proceso em curso. Para além da crise chinesa, da queda do muro, da revolugéo romena, da invasio do Koweit, da Tempestade do Deserto, do golpe de Estado na URSS, pontos criticos que concentraram 2 informagao e as inquietagdes dos povos, 0 fogo Iento © persistente das ameagas menores continuow alimen- tado, com explosies ameagadoras como a guerra da secesséo na Jugoslévia, ou o desmoronamento da URSS, esta por agora sem nome que se entenda (URS), nem contetido que se perceba. Devem mencionar-se outras crises internas, internacionalmente rele- vantes, como a liquidagéo do «apartheid» na Africa do Sul, 0 estado de sitio na Argélia, a desordem na Argentina, o desastre no Brasil, a crise federa- lista no Canada, a agonia teimosa em Cuba, a instabilidade na Unio Indiana 6 alerta em Israel, @ incerteza em Marrocos, os limites de sobrevivéncia em Africa, a desorientagao na Polénia, Talvez a percep¢o mais realista, © resguardada dos excessos incvité- veis da competisfo pelo dominio da informagio © das imagens com peso seja a que reconhece nesta longa teoria de conflitos (() Liclo inzugural proferida no Instituto da Defesa Nacional, em 20 de Novembro de 1991 29 NAGAO E DEFESA menores a teia, que 0 conflito bipolar ou estimulava ou continha, cuja expansio em grande medida controlava, ‘A primeira evidéncia que emergiu no novo quadro resultante da im- plosio soviética foi a da urgéneia de um plano de contingéncia, que nao existia, para a stibita transformacdo da estrutura mundial. Mudanga carre- gada de pormenores de uma nova justica internacional, mas privada dos termos de referéncia respeitantes a identificagio e hierarquia dos poderes politicos. Talvez, no processo em curso, seja portanto util distinguir o plano de contingéncia do projecto da Nova Ordem, no sentido de racionalizar com alguma credibilidade a questo dos EUA como Gnica superpoténcia em exercicio, ¢ 0 convivio das grandes e médias poténcias em face de desafios graves, De facto, a primeira importante decisio dos EUA, depois de a URSS ter arriado a bandeira em cima do muro de Berlim, foi a de acrescentar, a lideranga da defese ocidental, a responsabilidade de preencher 0 vazio estra- tégico mundial. Admitindo que 2 revisio da logistica do império que os factos impu- seram aos soviéticos tem equivalente nas circunsténcias especificamente americanas, todavia afastaram a tentagGo isolacionista em favor do envol- vimento no processo da inesperada mudanga, responsabilizande-se pela ela- boragdo ¢ execugio de um plano de contingéncia Aré a Cimeira da OTAN, realizada em Londres, em 6 de Junho de 1990, na qual a URSS deixou de ser considerada 0 inimigo e foi proclamada a necessidade de um «novo atlantismo», os EUA asseguraram uma lideranga que petmitiu 0 acordo final entre Moscovo ¢ Bona, ¢ imprimiu a confianca que Ihes consentiu organizar © executar, com legitimidade adquirida no Consetho de Seguranga, a intervengio contra o Traque agressor. ‘Nio faltam comentétios no sentido de concluir que destes factos decorre © projecto de uma Nova Ordem Mundial traduzida numa Pax Americana, herdeira nacional do extinto condominio bipolar. Algumas expresses, fundadamente euféricas, do Presidente Bush, sdo invocades para abonar o entendimento, designadamente a declaracio feita no Congresso, em 11 de Setembro de 1990, no sentido de que a crise «oferecia uma rara oportunidade de avango para uma Nova Ordem Mundial». 30