Anda di halaman 1dari 11

MISHNE TORÁ

‫משנה תורה‬
(Repetição da Torá)
HILCHOT MELACHIM
‫הלכות מלכים‬
(Leis dos Reis)

PRINCÍPIOS NOÉTICOS
(Comentados pelo Rambam)
CAPÍTULO IX

Halachá 1

Seis preceitos foram ordenados a Adão: a) a proibição contra a adoração de falsos


deuses; b) a proibição contra a amaldiçoar a Deus; c) a proibição contra o
assassinato; d) a proibição do incesto e adultério; e) a proibição contra o roubo; f) o
comando de estabelecer leis e tribunais de justiça.

Mesmo que nós tenhamos recebido todos esses mandamentos de Moisés e, ainda
que sejam conceitos que o intelecto em si tende a aceitar, inferimos das palavras da
Torá que Adão recebeu ordens acerca deles.

A proibição de comer carne de um animal vivo foi adicionado para Noach,


como Gênesis 9: 4 afirma: '. No entanto, vocês não devem comer a carne com a sua
vida, que é o seu sangue " Assim, há sete mitzvot.

Estas questões permaneceram as mesmas em todo o mundo, até Abraão. Quando


Abraão levantou-se, além destas mitzvot, ele foi instruído acerca da circuncisão. Ele
também ordenou as orações da manhã.

Isaac separou dízimos e ordenou um serviço de oração adicional antes do por do


sol. Jacó acrescentou a proibição de comer o nervo ciático. Ele também ordenou as
orações da noite. No Egito, Amram foi ordenado sobre outras mitzvot. Em última
análise, veio Moisés, e a Torá foi concluída por ele.

Halachá 2
Um gentio que adora falsos deuses é responsável por isso desde que ele os adore de
uma maneira como normalmente se faz.

O gentio deve ser executado para cada tipo de culto estrangeiro que um tribunal
judaico considere digno de pena capital. No entanto, um gentio não é executado por
um tipo de culto estrangeiro que um tribunal judaico não considere digno de pena
capital. No entanto, apesar de um gentio não ser executado por essas formas de
adoração, ele é proibido de se envolver com todos eles.

Não devemos permitir que eles ergam um monumento, ou que plantem


uma Asherah, ou ainda que façam imagens e similares, ainda que sejam só por uma
questão de beleza.
Halachá 3
Um gentio que amaldiçoa o nome de Deus, se ele usa o nome original de Deus ou
de um dos seus outros nomes, em qualquer idioma, é responsável. Esta lei não se
aplica em relação aos judeus.

Halachá 4
Um gentio que mata qualquer alma, mesmo um feto no ventre de sua mãe, deve ser
executado em retribuição pela morte que causou. Da mesma forma, se ele matou
uma pessoa que de outra forma teria morrido em um futuro próximo, colocou uma
pessoa diante de um leão, ou pela fome levou uma pessoa à morte, ele deve ser
executado, pois de uma maneira ou de outra, ele matou.

Da mesma forma, deve ser executado se ele matou um perseguidor quando poderia
ter salvado a potencial vítima deste último por mutilar um dos membros do
perseguidor. Essas leis não se aplicam em relação aos judeus.

Halachá 5
Há seis relações sexuais ilícitas proibidas a um gentio:

a) a sua mãe;

b) a mulher de seu pai;

c) uma mulher casada;

d) sua irmã materna;

e) um outro homem;

f) um animal.

Estas proibições são derivadas do versículo Gênesis 2:24: ". Por isso, o homem
deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher e serão uma só carne '

'Seu pai' - faz alusão a mulher de seu pai;

'sua mãe' - deve ser entendido tal como é;

"agarrar-se a sua esposa '- e não a mulher de seu colega;

'sua mulher' - e não um homem;


"Eles serão uma só carne '- isso exclui animal domesticado, besta, ou ave pois o
homem nunca poderá tornar-se " uma só carne " com eles.

A proibição de relações com a irmã materna é derivado do verso Gênesis 20:13: "Ela
é minha irmã, filha de meu pai, mas não o da minha mãe. Assim, ela se tornou
minha esposa. "

Halachá 6
Um gentio é responsável por relações com sua mãe, ainda que ela tenha sido
seduzida e violada por seu pai, sem que este nunca tenha se casado com ela. Ela é,
no entanto, sua mãe.

Ele é responsável pelas relações com a mulher de seu pai, mesmo após a morte de
seu pai.

Ele é responsável por relações com um outro homem, seja menor ou um adulto e
com um animal, seja jovem ou velho. No último caso, só o gentio será executado e
não o animal. Nós só somos ordenados a matar um animal com o qual um judeu
tenha-se envolvido em relações.

Halacha 7
Um gentio não é executado por adultério com a esposa de seu colega, a menos que
eles tenham se envolvido em relações nos trâmites normais depois dela já ter
mantido relações com seu marido, por pelo menos uma vez. No entanto, se ela
estava apenas consagrada ou tinham sido submetidos a uma cerimônia de
casamento, mas nunca havia se envolvido em relações com seu marido, não se
responsabiliza quem quer que tenha-se engajado em relações com ela, como Gênesis
20: 3 afirma: 'Por que ela foi possuída por seu marido.

Quando é que as leis acima se aplicam? Quando um gentio se envolve em relações


com uma mulher gentia. No entanto, um gentio que se envolve em relações com
uma judia casada, é responsável se suas relações foram realizadas de uma forma
normal ou anormal.

Da mesma forma, um gentio que se envolve em relações com uma jovem judia que
foi consagrada é apedrejado até a morte por causa dela como é a lei a respeito de
judeus. Se ele se envolve em relações com ela depois que ela passou pela cerimônia
de casamento, mas não se envolveu nas relações com seu marido, ele é estrangulado
até a morte, como é a lei judaica. No entanto, se ele se envolve em relações com uma
mulher judia depois que ela já tenha se envolvido em relações com seu marido
mesmo uma única vez, ele está condenado a ser executado por decapitação como se
ele tivesse se envolvido em relações com uma mulher gentia.

Halachá 8
Um gentio que dá uma de suas servas para um de seus escravos e, depois, se envolve
em relações com ela é executado por causa dela, por violação da proibição contra o
adultério. No entanto, ele não é responsável por relações com ela até que o assunto
torne-se de conhecimento público e todos se referiram a ela como "a esposa de X, o
escravo."

Quando relações com ela se tornam permitidas de novo? Quando ela se separa de
seu escravo e descobre seu cabelo no mercado local.

Quando é que uma gentia é considerado divorciada? Quando seu marido remove-a
de sua casa e quando a envia por conta própria ou quando ela deixa o seu domínio
e segue seu próprio caminho. Eles não têm por escrito o processo de divórcio.

O assunto não é dependente apenas da vontade do homem. Sempre que ele ou ela
decidirem se separar, eles podem e, em seguida, já não são considerados casados.

Halachá 9
Um gentio é responsável por violar a proibição contra o roubo se ele roubou de um
outro gentio ou de um judeu.

Isso se aplica a quem rouba um indivíduo ou rouba dinheiro, um seqüestrador, um


empregador que detém o salário de seu trabalhador e semelhantes, até mesmo um
trabalhador que come a partir de produtos do seu empregador quando não está
trabalhando. Em todos esses casos, ele é responsável e é considerado como um
ladrão. No que diz respeito aos judeus, a lei é diferente.

Da mesma forma, um gentio é responsável por roubar um objeto de valor inferior a


um p'rutah. Assim, se um gentio roubou um objeto de valor inferior a um p'rutah e
outro gentio roubou dele, ambos são executados por causa disso.

Halachá 10
Da mesma forma, um gentio é responsável por violar a proibição de comer carne um
membro ou de uma criatura viva. Isto aplica-se independentemente do valor
envolvido, para a especificação de montantes mínimos aplica-se somente aos
judeus.

A um gentio é permitido o sangue de uma criatura viva.


Halachá 11
A proibição aplica-se a um membro ou a carne que é separada de um animal
domesticado ou de uma besta. No entanto, parece-me que um gentio não é
executado por comer um membro retirado de uma ave viva.

Halachá 12
Ainda que se abata um animal, mesmo que se separem os dois sinais que o
distinguem como tendo sido abatido de forma kosher, enquanto o animal ainda se
mova convulsivamente, os membros e carnes que são separados a partir dele estão
proibidos a um gentio por causa da proibição contra ingerir carne de uma criatura
viva.

Halachá 13
Todas as proibições que se aplicam a um judeu a respeito de um membro de uma
criatura viva também se aplicam aos gentios. Além disso, há casos em que um gentio
poderia ser responsabilizado e um judeu não, pois um gentio é responsável por um
membro ou [pelo consumo de] carne de uma criatura viva seja a partir de um animal
domesticado ou de uma fera, seja de uma espécie kasher ou não-kasher.

Da mesma forma, um gentio é proibido de participar de um membro de uma criatura


viva, por um membro ou carne que é separada de um animal que se move
convulsivamente, mesmo que um judeu já tenha cortado os dois sinais.

Halachá 14
Como devem os gentios cumprir o mandamento de estabelecer leis e tribunais? Eles
são obrigados a estabelecer juízes e magistrados em cada grande cidade a fim de
prestarem julgamento sobre estas seis mitzvot e advertir as pessoas sobre a sua
observância.

Um gentio que transgride esses sete mandamentos deve ser executado por
decapitação. Por esta razão, todos os habitantes de Siquém foram mortos. O povo
de Siquém praticou o seqüestro. Eles observaram e estavam conscientes de seus
atos, mas não julgaram-no.

Um gentio é executado com base no depoimento de uma testemunha e o veredicto


de um único juiz. Não é necessário qualquer aviso. Parentes podem servir como
testemunhas. No entanto, uma mulher não pode servir como uma testemunha ou
como juiz entre eles.
-

CAPÍTULO X

Halachá 1
Um gentio que inadvertidamente viola um dos seus mandamentos é isento de
qualquer punição com a exceção de uma pessoa que mata acidentalmente. Em tal
caso, o redentor do sangue não é executado por ter matado o assassino, nem pode
este último procurar asilo na cidade de refúgio. No entanto, o tribunal não vai
executá-lo.

Quando é que as leis acima se aplicam? Quando ele inadvertidamente viola um


comando sem intenção pecaminosa; por exemplo, uma pessoa que se envolve em
relações com a mulher de seu colega sob a impressão de que ela é sua própria
mulher ou solteira.

Se, no entanto, se sabia que ela era a mulher de seu colega, mas não sabia que ela
estava proibida para ele ou lhe ocorreu que esse ato fosse permitido ou se mata
alguém sem saber que é proibido matar, ele é considerado próximo a ter pecado
intencionalmente e é executado. Isto não é considerado como uma violação
involuntária, pois ele deveria ter aprendido as obrigações que lhe são incumbentes
e não as aprendeu.

Halachá 2
Um gentio que é forçado por outra pessoa a violar um dos seus mandamentos é
permitido transgredir. Mesmo que ele seja forçado a adorar falsos deuses, ele pode
adorá-los, pois os gentios não são ordenados a santificar o nome de Deus.

Um menor gentio, surdo-mudo, ou com problemas mentais nunca pode receber


punição pois eles não estão vinculados a quaisquer mandamentos.

Halachá 3
Um gentio que se converteu, foi circuncidado, e imerso no mikveh, e,
posteriormente, decidiu abandonar a Deus e reverter a seu status anterior como um
estrangeiro residente não tem permissão para assim proceder. Em vez disso, ele
deve permanecer como um israelita em todos os assuntos ou ser executado.

Se ele era menor de idade e foi imerso pelo tribunal, ele pode rejeitar sua conversão,
quando alcançar a maioridade e assume o status de um estrangeiro residente
apenas. No entanto, se ele não se opõe, assim que alcançar a maioridade, já não é
mais dada a oportunidade de se opor a seu status que é de um convertido justo.
Portanto, se um judeu tem relações com uma menina de menor idade que foi imersa
na mikveh por um tribunal, o dinheiro devido a ela como forma de pagamento de
sua ketubah ou como multa por ter sido forçada ou seduzida é colocado sob a
custódia do o tribunal até que ela alcance a maioridade, desde que não repudie sua
conversão. Este passo é dado para que ela não pegue o dinheiro, atinja a maioridade,
e então, repudie sua conversão. Assim, ela iria se beneficiar como uma gentia de
verbas pelas quais só lhe assiste o direito de acordo com a lei judaica.

Halachá 4
Um gentio que se converte depois de amaldiçoar o nome de Deus, de ter adorado
falsos deuses, de engajar-se em relações com a esposa de um colega, ou de matar
um outro gentio é isento de pena.

Em contrapartida, se ele se converteu depois de matar um judeu ou ter relações


com a esposa de um judeu, ele é responsável. Ele é decapitado por matar judeus ou
enforcado por se engajar em relações com a esposa de um judeu. Ele recebe a última
punição, porque as leis que regem sua vida mudaram.

Halachá 5
Já foi explicado que os gentios são sempre executados por decapitação, exceto nos
casos em que se envolve em relações com a esposa de um judeu ou de uma donzela
consagrada. Neste último caso, ele será apedrejado até a morte.

Se ele se envolve em relações com a esposa de um judeu depois que eles se casaram,
mas antes que tenham se engajado em relações, ele é executado por
estrangulamento.

Halachá 6
De acordo com a tradição oral, os gentios são proibidos de cruzar animais de
diferentes raças e de enxertar diferentes espécies de plantas. No entanto, eles não
são executados por violar esta proibição.

Um gentio que desfere um golpe contra um judeu é susceptível de morrer ainda que
cause danos mínimos. No entanto, ele não é executado.

Halachá 7
Apenas Abraão e seus descendentes foram ordenados a respeito da circuncisão
como Gênesis 17: 9 -10 afirma: '. Guardardes a minha aliança, você e sua prole ...
circuncidem todos os homens'

Os descendentes de Ismael são excluídos como implica Gênesis 21:12: ". Por meio
de Isaque é que a tua descendência será chamada ' Os descendentes de Esaú,
também estão excluídos, pois Isaac disse a Jacó Gênesis 28: 4: "Que Deus conceda
a bênção de Abraão para você e seus descendentes", o que implica que só ele é a
verdadeira descendência de Abraão, que mantém a sua fé e seu comportamento de
forma íntegra. Assim, só eles são obrigados quanto à circuncisão.

Halachá 8
Nossos sábios afirmam que os descendentes de Quetura que eram descendentes de
Abraão depois de Isaac e Ismael, também são obrigados à circuncisão. Uma vez que,
atualmente, os descendentes de Ismael tornaram-se misturaram com os
descendentes de Quetura, todos eles são obrigados a serem circuncidados no oitavo
dia. No entanto, eles não são executados pela impossibilidade de cumprir esta
mitzvá.

Halachá 9
Um gentio que estuda a Torah deve morrer. Eles só devem ser envolvidos no estudo
de suas sete mitzvot.

Da mesma forma, um gentio que descansa, mesmo num dia de semana, observando
esse dia como o shabat, deve morrer. Não é nem necessário dizer que ele deve ser
punido caso crie um festival para si mesmo.

O princípio geral que rege estas questões é: Eles não estão autorizados a originar
uma nova religião ou criar mitzvot para si com base em suas próprias decisões. Eles
podem tornar-se convertidos íntegros, aceitando todas as mitsvot ou manter os seus
estatutos, sem acrescentar ou diminui-los.

Se um gentio estuda a Torah, faz para si um sábado, ou cria uma prática religiosa,
um tribunal judaico deve convence-lo do erro, puni-lo e informá-lo que ele deve
morrer. No entanto, ele não será executado.

Halachá 10
Nós não devemos impedir um gentio que deseja executar uma das mitzvot da Torá
a fim de receber a recompensa de fazê-lo, desde que ele as execute conforme
necessário. Se ele traz um animal para ser sacrificado em holocausto, devemos
recebê-lo.

Se um gentio que observa as sete mitzvot dá caridade, devemos aceitá-la


dele. Parece-me que deve ser dado aos pobres judeus pois os gentios podem derivar
seu sustento dos judeus e eles são ordenados a apoiá-lo, se necessário. Em
contrapartida, se um idólatra dá caridade, devemos aceitá-la dele e dá-la ao gentio
pobre.
Halachá 11
O tribunal judeu é obrigado a nomear juízes para estrangeiros residentes a fim de
julgá-los de acordo com estes estatutos para que o mundo não se torne decadente.

Se o tribunal considerar conveniente designar os juízes dentre os próprios


estrangeiros residentes, isso é permitido. Se assim entender que devem nomeá-los
entre os judeus, eles podem.

Halachá 12
No caso de dois idólatras que venham para serem julgados de acordo com a lei
judaica: Se ambos desejam ser julgados de acordo com a lei da Torá, eles devem ser
julgados em conformidade. Se um deseja ser julgado de acordo com a lei da Torá e
o outro não, eles só podem ser obrigados a serem julgados de acordo com suas
próprias leis.

Se há uma disputa entre um judeu e um idólatra: Se o judeu possa se sair melhor


de acordo com suas leis, eles são julgados de acordo com suas leis. Quando o
julgamento é processado, os juízes explicam: "Tua lei obriga esse julgamento." Se o
judeu possa se sair melhor de acordo com nossas leis, eles são julgados de acordo
com a lei da Torá. Quando o julgamento é processado, os juízes explicam: "Nossa lei
obriga esse julgamento." Parece-me que esta abordagem não é seguida em relação
a um estrangeiro residente. Em vez disso, ele será sempre julgado de acordo com
suas leis.

Da mesma forma, parece-me que, em matéria de respeito e honra, e também, no


que diz respeito a instituições de caridade, um estrangeiro residente deve ser tratado
como um judeu pois eis que somos ordenados a sustentá-los como Deuteronômio
14:21 afirma: 'Você pode não comer qualquer animal que não tenha sido
devidamente abatido ... dê ao estrangeiro residente nas vossas portas para que ele
possa comê-lo. " Embora nossos sábios aconselhem contra saudá-los, essa
afirmação se aplica a idólatras e não a residentes estrangeiros.

No entanto, nossos Sábios nos mandam visitar os gentios quando estiverem


doentes, enterrar seus mortos, além de mortos judeus, e apoiar os seus pobres,
além dos pobres judeus, para o bem da paz. Eis que o Salmo 145: 9 declara: 'Deus
é bom para todos, e Suas misericórdias se estendem por todas as suas obras
"e Provérbios 3:17 declara: “Os caminhos da Torá são agradáveis e todas as suas
veredas são de paz”