Anda di halaman 1dari 2

Guia para fichar textos

Referência Bibliográfica conforme os modelos:

Livro:
SOBRENOME, Nome. Título do livro. Cidade: Editora, ano.

Capítulo de livro:
SOBRENOME, Nome. “Título do capítulo” in SOBRENOME, Nome. (não precisa se o
for o mesmo do início) Título do livro. Cidade: Editora, ano. p. xx-xx.

Artigo de periódico:
SOBRENOME, Nome. “Título do artigo” in Título do periódico. vol x, nº x, ano. p. xx-xx.

Introdução: Um parágrafo explicando quem é o autor, do que trata o texto, em que


contexto foi escrito, etc. Se possível situar dentro do pensamento geral do autor ou dentro
de uma discussão geral do assunto ou da área teórica em que se insere.

Desenvolvimento: Um parágrafo apresentando a ideia principal ou tese central do texto.


Mais parágrafos se for necessário analisar as ideias secundárias e a argumentação do
autor. Importante descobrir e explicitar qual foi a metodologia que o autor usou para
chegar às suas conclusões, que tipo de documentação usou ou se fez pesquisa de
campo. Também é importante indicar quais autores ele usou como base, e se ele se
contrapõe a algum outro autor para apresentar suas ideias. Muito importante perceber
que essa leitura é subjetiva: você encontra ideias importantes conforme o interesse que o
texto tem para você e sua pesquisa. Cada leitor produz um fichamento diferente porque o
mesmo texto tem diferentes leituras.

Conclusão: Um parágrafo dando uma opinião pessoal sobre o texto – qual sua
importância para a área do conhecimento, ideias inovadoras, abordagens que sugerem
desenvolvimentos posteriores, coisas do texto que instigam a tua própria pesquisa, coisas
do texto que necessitam mais investigação, etc.

Muito importante: escrever tudo com as próprias palavras, revelando a própria


compreensão dos conceitos e ideias do autor. Não reproduzir conceitos que não entendeu
(se forem muito importantes, é melhor pesquisar sobre eles em outras fontes). Não
mencionar os autores que são citados no texto, a não ser no caso em que você saiba do
que se trata.

Outra dica: a pior coisa que pode acontecer num fichamento é tentar reproduzir o texto
em excesso de detalhes, e na mesma ordem em que eles aparecem. No fichamento você
apresenta primeiro o que é mais importante pra você, e depois vai trazendo as questões
secundárias. Ou seja, para fazer o fichamento, primeiro é preciso ter lido o texto inteiro, e
ser capaz de ter uma ideia geral dele. Depois, se necessário, voltar ao texto (ou
anotações, ou marcações feitas nele) para retrabalhar ideias secundárias e argumentos
do autor.

Citações textuais: um fichamento pode conter apenas síntese das ideias do autor. Mas
também pode ser útil fazer citações textuais, quando o que está dito ali não pode ser dito
de maneira mais sintetizada ou, principalmente, quando quer se usar a autoridade do
autor para reforçar argumentos que serão usados positivamente no próprio trabalho.
Também é útil fazer citação literal quando se quer provar um erro do autor ou discordar
dele, ou demonstrar que sua própria pesquisa está avançando em questões que ainda
eram incipientes para o autor.

No caso de livros ou teses inteiras, os fichamentos podem ficar um pouco mais longos. No
caso de artigos ou capítulos, dá para fazer fichamentos muito bons com duas ou três
páginas. Às vezes só uma página também fica bom, para quem tem muito poder de
síntese. No caso de fichamentos maiores, de textos longos, é muito importante anotar e
indicar a página (ou sequência de páginas) onde determinada ideia aparece.