Anda di halaman 1dari 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA
Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica-PIBIC/EM

PLANO DE TRABALHO INDIVIDUAL DO (A) ALUNO (A)

Título do Projeto Piloto:


ESPAÇOS EDUCADORES SUSTENTÁVEIS: APROXIMAÇÕES DA EDUCAÇÃO
SUPERIOR COM A EDUCAÇÃO BÁSICA

Subprojeto: ARBORIZAÇÃO ESCOLAR


Aluno: À definir

1- Objetivo do plano de trabalho que será desenvolvido pelo aluno:


 Estudar Arborização Escolar no processo de Educação Ambiental;
 Identificar e representar cartograficamente as espécies vegetais arbóreas da área
escolar e seu entorno;
 Atuar junto com os alunos da EEAAR no conhecimento sobre a Arborização Escolar.

2- Justificativa:

3- Metodologia:
A pesquisa utilizará o método de abordagem quali-quantitativa, do tipo pesquisa-ação, com
estudos sobre escolas sustentáveis. O referido aluno irá desenvolver leituras sobre escolas
sustentáveis, educação ambiental e arborização escolar. Levantará dados quali-quantitativos
sobre a Arborização Escolar e seu entorno. Ao final, apresentará proposta de ação para
revitalização do ambiente escolar no processo de arborização.

4- Atividades que serão desenvolvidas pelo aluno:


1- Apresentação na escola com encontro da comunidade escolar;
2-Levantamento conceitual relacionada construção teórica-conceitual do aluno/pesquisador;
3- Aplicação de questionário com os alunos, tabulação dos dados coletados;
4- Análise dos dados coletados e elaboração de resultados preliminares;
5-Levantamento de dados sobre Arborização Escolar e trabalho de campo;
6- Tabulação e análise dos dados coletados sobre Arborização do espaço escolar e seu
entorno;
7- Elaboração de relatórios Parciais e Final;
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO
PRÓ-REITORIA DE PESQUISA
Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica-PIBIC/EM

PLANO DE TRABALHO INDIVIDUAL DO (A) ALUNO (A)

8- Apresentação dos resultados.

5- Cronogramas de execução com detalhamento das atividades a serem desenvolvidas:

Atividades Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul
2017 2017 2017 2017 2017 2018 2018 2018 2018 2018 2018 2018
1 X
2 X X X X X X X X X
3 X X X X X X X
4 X X X
5 X X X
6 X X X X X X X
7 X X
8 X

6- Referências Bibliográficas
ANDRÉ, M. (org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores.
Campinas: Papirus, 2005.
BOFF, L. Saber cuidar: ética do humano – compaixão pela Terra. Petrópolis, RJ: Ed.
Vozes, 1999.
BRASIL. Lei nº 9.795 de 27 de abril de 1.999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a
Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da União,
Brasília, DF, 28.04.1999.
CACETE, N.H; PAGANELLI, T.I; PONTUSCHKA, N.N; Para ensinar e aprender
Geografia. São Paulo: Cortez, 2007.
CALLAI, H. C. Estudar o lugar para compreender o mundo. In: CASTROGIOVANNI , A. C.
(Org.). Ensino de Geografia: práticas e textualizações no cotidiano. Porto Alegre: Mediação,
2000. (p. 83-92).
CORBELLINE, L. M. Uma Abordagem sobre ensino de ciências e educação ambiental
através do manejo participativo como processo de transformação do espaço comunitário e
escolar. Revista eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande RS, v. 12, p.
107-122, jan./jun. 2004.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO
PRÓ-REITORIA DE PESQUISA
Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica-PIBIC/EM

PLANO DE TRABALHO INDIVIDUAL DO (A) ALUNO (A)

DIAS, G. F. Atividades Interdisciplinares de Educação Ambiental. 2° ed. São Paulo: Gaia,


2006.
FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.
GAMBOA, S. S. (Org.). Pesquisa educacional: quantidade-qualidade. São Paulo: Cortez,
1995.
GONÇALVES, C. W. P. Possibilidades e limites da ciência e da técnica diante da questão
ambiental. Geosul, Florianópolis, v. 3, n. 5, p. 7-40, jan. 1988. Disponível em:
<https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/view/12681/11841>. Acesso em: 10 jul.
2018.
KIMURA, S. Geografia no ensino básico: questões e propostas. São Paulo: Contexto, 2008.
LACET, A. N. O. Arborização urbana como ferramenta de educação ambiental na
Escola Municipal Roberto Simonsen-Campina Grande-PB. 2014. 55f. Trabalho de
Conclusão de Curso (Engenharia Ambiental e Sanitária) – Universidade Estadual da Paraíba,
Campina Grande/PB, 2014.
LEGAN, L. A escola sustentável - Ecoalfabetizando pelo meio ambiente. São Paulo, 2004.
Editora oficial.
LEGAN, L. Criando habitats na escola sustentável: Livro do educador. São Paulo:
Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Pirenópolis, GO: Ecocentro IPEC, 2009.
MATO GROSSO. Orientações curriculares da Educação Básica. SEDUC MT. Cuiabá.
Gráfica DEFANTI. 2010.
RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: método e técnicas. São Paulo, Atlas, 1989.
SATO, M. (Org.) Educação em ciências e as questões ambientais. Cuiabá: NEAD/UFMT
(fascículo n. 6 e CD-ROM – Ciências Naturais), 2001.
THIOLLENT, M. Metodologia da pesquis-ação. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2000.
TOZONI-REIS, M. F. C. (Org.) A pesquisaação-participativa em educação ambiental:
reflexões teóricas. São Paulo: Annablume; FAPESP. Botucatu: Fundibio, 2007.
TRAJBER, R.; SATO, M. Escolas sustentáveis: incubadoras de transformações nas
comunidades. Rev. Eletrônica Mestrado Educação Ambiental. 1517-1256, v. especial, Rio
Grande – RS, setembro de 2010.