Anda di halaman 1dari 7

732-738 INTEGRATIVA DOI: 10,9789 / 2175-5361.2019.v11i3.

732-738

Repercussões de Acidentes de Trânsito: uma revisão integrativa

Repercussões dois Acidentes de trânsito: Uma Revisão Integrativa Impacto do

acidente de trânsito: uma revisão integrativa


Erica Assunção Carmo 1 *; Adriana Alves Nery 2; Roseanne Montargil Rocha 3

Como citar este artigo:


Carmo EA, AA Nery, Rocha RM, et al. Repercussões de Acidentes de Trânsito: uma Revisão Integrativa. Fundo Cuidados Online.2019 rev.
Apr./Jul.; 11 (3): 732-738. DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2019.v11i3.732-738

RESUMO
objectivo: O objetivo desta revisão é mapear a pesquisa sobre as principais repercussões de acidentes de trânsito no Brasil. métodos: Esta é uma
revisão integrativa da literatura. LILACS e SciELO procurou usando o descritor eram "acidente de trânsito" combinado com "reabilitação",
"deficiência", "efeitos colaterais", e "qualidade de vida". resultados: 12 artigos corresponde aos critérios de inclusão produzindo quatro categorias:
"morbimortalidade por acidentes de trânsito no Brasil; "Os acidentes de trânsito e o retorno ao trabalho; "Impactos de acidentes de trânsito na
qualidade de vida"; "Repercussions de acidentes de trânsito em para a família e a sociedade"; "As medidas sugeridas e / ou adotado".

conclusão: Os acidentes de trânsito no Brasil impactar negativamente o bem-estar físico e psicológico das vítimas e suas famílias, sua
qualidade de vida e piora o desempenho do trabalho, com repercussões para a sociedade e economia.

descritores: Acidentes de trânsito, estatísticas sobre efeitos secundários e incapacidade, qualidade de vida.

1 Enfermagem graduação pela UESB, Mestrado em Ciências da Saúde pela UESB, estudante de doutoramento na UESB. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

(UESB).
2 Enfermagem graduação pela UESB, Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UFRJ) Doutora em Enfermagem pela

Universidade de São Paulo (USP) Professor na UESB. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).
3 Enfermagem graduação pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Doutora em Enfermagem Fundamental pela USP, Professor na UESC e UESB. Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)

DOI: 10,9789 / 2175-5361.2019.v11i3.732-738 | Carmo EA, AA Nery, Rocha RM, et ai. | Repercussões de Acidentes de Trânsito: ...

J. res:. Fundam. importo. 2019. Apr./Jul online. 11 (3): revisão da literatura 732
DOI: 10,9789 / 2175-5361.2019.v11i2.732-738
Carmo EA, AA Nery, Rocha RM, et ai. Repercussões dois Acidentes de ...

problemas econômicos. 4 Além disso, o aumento do número de acidentes


RESUMO
Tais sobrecarregar o sistema de saúde, as internações prolongadas ou
objetivo: Analisar ou Versam como você Acidentes Produções científicas sobre o trânsito no Brasil,
seja com os altos custos de Com reabilitação. 5
não como principais repercussões SUAS Tange. métodos:

Integrative Revisão da literatura, cujos dados coletados were NAS bases de dados de Rev e

SCIELO por Meio Acidente descritor de tráfego inter-relacionados descritores com OS Neste contexto, percebe-se que TAs causar sérios problemas para
Reabilitação, invalidez e vida sequelas Qualidade. resultados: 12 anos atenderam critérios as pessoas e seus familiares, bem como para o sistema de saúde e da
ARTICLES Desta Inclusão Revisão duas Quais emergiram cinco categorias: sociedade. Portanto, estudos sobre TAs são de vital importância, uma
morbimortalidade por Acidentes TRÂNSITO no Brasil; trânsito Acidente Trabalho AO e vez que pode fornecer informações para Eles elaboração e
retornar; impactos TRÂNSITO dois Acidentes na Qualidade de vida; Implicações dois implementação de políticas públicas, a fim de promover a prevenção TA
TRÂNSITO na Acidentes familiar e social e Estrutura; As medidas sugeridas e / ou adotadas. Conclusões:
e reabilitação das vítimas.
I Acidentes TRÂNSITO no Brasil não repercutem negativamente bem-estar das vitimas e

SEUS família física e psicológica, Redução com Qualidade na na vida CAPACIDADE e


Assim, este estudo teve a seguinte questão norteadora: "O que é o
aparelhos Desses favor ou Trabalho, nós Setores com reflexed Econômico e Social.
conhecimento científico sobre as repercussões da TAS no Brasil" A fim de
responder a esta pergunta, nós mapeamos a pesquisa sobre as principais
repercussões da TAS no Brasil.
Descritores: TRÂNSITO Acidentes, Estatísticas de secá-las e Incapacidade, Qualidade de

Vida.

RESUMO MÉTODOS
objetivo: Analise o que produções científicas negociar por acidentes de trânsito no Esta é uma revisão integrativa da literatura, o que torna possível conhecer e

Brasil, no que diz respeito as suas principais implicações. métodos: revisão analisar criticamente a evidência de um tópico, a fim de Dado Identificar lacunas e

integrativa da literatura, cujos dados foram coletados nos dados Lilacs e Scielo, proporcionar um conhecimento aprofundado sobre um tema de pesquisa. 6

através da inter descritor de acidentes de trânsito descritores de reabilitação,


incapacidade e qualidade de vida consequências. resultados: 12 itens atenderam Esta avaliação foi conduzida os seguintes passos seguintes: (1) a seleção
aos critérios de inclusão desta revisão, dos quais emergiram cinco categorias: A do tema de pesquisa ou questão de pesquisa e hipóteses; (2) o estabelecimento
morbidade e mortalidade por acidentes de trânsito no Brasil; Acidente e retorno ao dos critérios de inclusão e de exclusão; (3) seleção de quais informações serão
trabalho; Impactos de acidentes de trânsito na qualidade de vida; Implicações de
recuperadas a partir dos estudos / categorização dos estudos; (4) de avaliação
acidentes rodoviários na estrutura familiar e social; sugeriu e / ou adoptadas
dos estudos seleccionados; interpretação dos resultados; e apresentação da
medidas. conclusões: Os acidentes de trânsito no Brasil afetar negativamente o
revisão / síntese do conhecimento. 6
bem-estar físico e psicológico das vítimas e suas famílias, com redução da
qualidade de vida e a capacidade dessas pessoas para trabalhar com reflexos nos
sectores económicos e sociais. A revisão bibliográfica foi realizada na Biblioteca Virtual em Saúde
utilizando SciELO (Scientific Electronic Library Online) e LILACS (Sistema
Latino-Americano e do Caribe em Ciências da Saúde), em junho de 2017. O

descritores: Acidentes, estatísticas e ecuelas Incapacidade, Qualidade de Vida. descritor de bancos de dados "acidente de trânsito" foram usadas em
combinação com os descritores "reabilitação", "deficiência", "efeitos
colaterais", e "qualidade de vida".

INTRODUÇÃO A fim de selecionar os estudos, os seguintes critérios de inclusão foram


Acidentes de Trânsito (TAS) correspondem a uma fonte importante de considerados: full-text, livre e os artigos científicos originais sobre TAs
morbidade e mortalidade no mundo, social e econômico, com implicações desenvolvidos no Brasil, publicado entre 2007 e
porque afetam o economicamente ativa em sua maioria jovens. 1 2017, e escrito em Português, Inglês ou Espanhol. Teses, e artigos em
outros indivíduos ou em mais do que uma base de dados, foram

Fica a cerca de 1,2 milhões estimados que as pessoas morrem a cada excluídos.

ano como resultado de TAs em rodovias, sendo o segundo reportado como Inicialmente, 9.727 publicações foram recuperadas através da procura de

causa de morte entre os jovens com idades entre 5 e 29 anos e a terceira publicações utilizando os descritores e combinações dos mesmos. Dos 17

Entre pessoas com idade entre 30 e 44 anos. 2 Mais de um milhão de artigos que preenchiam os critérios de inclusão e exclusão 12 nesta revisão

hospitalizações e cerca de 200.000 mortes ocorreram entre 2010 e 2015. foram usados.

No Brasil. Motociclistas, que representaram mais de 40% das vítimas, tem Cada artigo foi lido na íntegra, observando se ele realmente combinou o
cada vez mais recebeu atenção. 3 objetivo deste estudo. Depois disso, a roteiro formado pelas características dos
artigos e outras variáveis ​de interesse foi desenvolvido. Finalmente, os textos
foram analisados ​e ler criticamente para extrair os resultados e características
Para aqueles que sobrevivem ao acidente, as repercussões são
relevantes.
amplas e incluem físico, cognitivo, psicológico, comportamental e
Para a análise de dados e resumos dos artigos, um quadro sinóptico
emocional deficiência, incluindo danos graves para a qualidade de vida
foi usado formalmente seguintes aspectos: autoria / ano, jornal, título,
e produtividade. Estas repercussões psicossociais produz
meta e conclusões. Em seguida, o
frequentemente caro e

J. res:. Fundam. importo. 2019. Apr./Jul online. 11 (3): 732-738 ISSN 2.175-5.361. 733
DOI: 10,9789 / 2175-5361.2019.v11i2.732-738
Carmo EA, AA Nery, Rocha RM, et ai. Repercussões dois Acidentes de ...

Discussões sobre os resultados foram realizados, que foram baseados em outros


estudos sobre o assunto desta revisão.

RESULTADOS E DISCUSSÃO
Doze artigos corresponde aos critérios de inclusão que foram analisados ​e
suas características estão descritas na Tabela 1.
Eram sete artigos encontrados na SciELO e cinco na LILACS. A maioria dos
artigos publicados em 2016 foram (4), mas nenhum em 2007 e 2017.

No que respeita ao método de pesquisa, dez artigos foram ped develo-


usando métodos quantitativos: nove estudos transversais e uma coorte
longitudinal. Abordagens qualitativos foram utilizados em dois artigos.

Com base nos resultados dos artigos, Surgiu quatro categorias:

"morbimortalidade por acidentes de trânsito no Brasil; "Os acidentes de trânsito e o

retorno ao trabalho; "Impactos de acidentes de trânsito na qualidade de vida"; Através da análise dos artigos, foi possível perceber que TAs é um grave
"Repercussions de acidentes de trânsito para a família ea sociedade"; "As medidas problema de saúde pública no Brasil, com repercussões desastrosas para a
sugeridas e / ou adotado". vítima, seus familiares ea sociedade em geral. Foi também o vement impro-
observou que da condição de saúde das vítimas Ta depende de grandes
Muitas vezes períodos de reabilitação, eo esforço em ações preventivas
Continua a ser a melhor maneira de lidar com o problema.

Assim, surgiu a partir de quatro categorias destes resultados, que serão discutidos

separadamente.

Morbimortalidade por acidentes de trânsito no Brasil

De acordo com dados da Pesquisa Nacional de Saúde


(PNS) [Inquérito Nacional de Saúde], 3,1% dos brasileiros com 18 anos ou mais
(4,4 milhões de pessoas) Envolvimento em TAs ter relatado. 7 Esses dados
corroboram os resultados de outros estudos analisados, que mostram a
predominância de motociclistas do sexo masculino economicamente ativas entre
os feridos.
De acordo com um estudo, a maior vulnerabilidade da população jovem
pode ser atribuída aos comportamentos culturais desses indivíduos, social e
como menor utilização de equipamento de protecção, aumento do consumo de
álcool, excesso de velocidade e falta de habilidades de condução. 8 A maior
frequência de motociclistas entre as vítimas pode ser explicado pelo aumento da
frota de motocicletas, motivado pelas dificuldades e mobilidade urbana Rural, a
precariedade do ção de transporte coletivo, e as vantagens de motocicletas,
como agilidade, economia de combustível, e baixos custos de reparação. 9-10

Entre as regiões brasileiras, a fragilidade das regiões Norte, Nordeste e

Centro-Oeste foi verificada taxas TA Em relação, o uso de equipamento de

protecção, bem como o acesso rápido aos cuidados hospitalares. 7 Estes resultados

podem ser influenciados pelo pequeno número de municípios nessas regiões

registrado com o

Sistema Nacional de Trânsito [ Sistema Nacional de Trânsito], com a gestão do


tráfego municipal pode monitorar o tráfego que executar ações e segurança. 7 Além
disso, uma grande parte dos municípios não apresentam uma rede de serviço
pré-hospitalar e um hospital qualificado para responder ao rápido aumento da

J. res:. Fundam. importo. 2019. Apr./Jul online. 11 (3): 732-738 ISSN 2.175-5.361. 734
DOI: 10,9789 / 2175-5361.2019.v11i2.732-738
Carmo EA, AA Nery, Rocha RM, et ai. Repercussões dois Acidentes de ...

da frota de veículos, ações de planejamento urbano e suficiente estrada para lidar Isso mostra 48% das vítimas não retornou ao trabalho após seis meses da alta
com esses acidentes norte. 11 hospitalar, e entre aqueles que retornaram ao trabalho, 4,9%, devido à mudança

Em 2013, 52,4% das vítimas de AT brasileiros receberam alguns cuidados de de emprego As condições matic pós-trau-. 5 No estudo realizado com vítimas de
saúde e 7,7% (345.000 pessoas) necessitaram de internação. 7 acidentes de moto atendidas em um centro de reabilitação, observou-se que 86%

Também, os dados da Sistema de Vigilância de Violência e mossas ACI ( VIVA) dos entrevistados não foram capazes de retornar ao trabalho após o acidente, e

[Violência e Sistema de Vigilância de Acidentes], em 2011, indicam que 79,6% eram à procura de algum tipo de benefício de segurança social, dos quais

aproximadamente 30% do TA pacientes atendidos serviços de urgência e 4% emplo- yed auto-Estar, com o objectivo de aumento de aumentar a renda

emergência em 23 capitais brasileiras e Distrito Federal foram hospitalizados ou familiar. 19

transferido para outro serviço de saúde Dentro das primeiras 24 horas, o que
mostra a gravidade dos ferimentos causados ​por TAs. 12 Além disso, um estudo sobre o uso de menor prótese de membro eo retorno

ao trabalho em amputados TA encontrou todos os indivíduos que seus empregos

Membros eram a parte mais danificada das vítimas de AT, especialmente os esquerda após o acidente, e 66,7% em licença médica fosse pelo Instituto
membros inferiores. Além disso, lesão cerebral traumática (TBI) foi a principal causa Nacional do Seguro social
de morte por TA. 13-14 Lesão por esmagamento, amputações e lesões da medula (INSS) [Instituto Nacional de Segurança Social], 25% aposentados por invalidez
espinal, menos frequente, Embora, são de grande importância devido a gravidade foram e 8,3% devido à idade. Cinco pessoas em licença médica voltou a trabalhar, e
dos seus efeitos colaterais. 13-15 quatro pessoas aposentadas que trabalham ao lado relatou ter recebido a bordo.

Além disso, TAS e suas complicações sobrecarregar as taxas de Analisados ​nos estudos, a redução na renda familiar após o acidente foi

re-hospitalização sistema de saúde, reabilitação e tratamento a longo prazo. evidenciado, o que pode estar relacionado com a vítima ou membro da família

Em um estudo que analisou as causas de readmissão hospitalar em vítimas deixando seus empregos não pagos, para os desempregados, ou para o valor das

de AT um ano após a alta hospitalar, foi observado que 17,4% dos pacientes pensões sendo menor do que os salários médicos. 5

necessitaram de readmissão, com uma taxa de 174 / 1.000 pessoas por ano,
sendo infecção de sítio cirúrgico a principal causa 16. Uma verificou os fatores de publicação selecionado retorno associadas ao

trabalho após Com TAs, em signifi- estatisticamente signifi- que não foram

Além disso, a incapacidade temporária ou permanente contribuir para o aumento encontrados resultados. 5 No entanto, vários fatores relacionados ao trauma são ligados

dessas taxas, bem como à diminuição da capacidade fun- cional e força a retornar ao trabalho, digite: como a lesão inicial, a gravidade da lesão e presença de
muscular, instabilidade postural e as taxas de queda vítimas superiores. 16 lesões crânio-encefálico. Além disso, fatores preditivos relacionadas com o regresso

ao trabalho após seis meses foram relatados a partir do acidente, a presença de: tais

Em relação à mortalidade, um estudo mostrou que foram 42.266 mortes como efeitos colaterais físicos ou neuropsicológicos e dor persistente. 21

registradas por TAs Em todo o país em 2013, com uma taxa projetada de
mortalidade 21,0 mortes por 100.000 habitantes, sendo os jovens adultos,
machos e motociclistas as principais vítimas. 17 No mesmo ano, mais de um milhão Na avaliação da qualidade de vida das vítimas Ta Quanto retorno ao trabalho,
de anos potenciais de vida foram perdidos devido a acidentes no Brasil Estas, ao estudo mostrou que as pessoas que retornaram ao trabalho Golos de melhor
especialmente na faixa etária de 20 a 29 anos, não só o que representa um avaliação no resultado Medical Levantamento 36-item questionário curto (SF-36),
impacto pessoal ou familiar, mas um coletivo devido à população Com elevado enquanto naqueles que não retornou ao trabalho, observou-se a mais afetados
potencial económico e intelectual que está sendo prejudicada. 17 que foram domínios capacidade funcional, aspectos físicos e aspectos emocionais. 5
Além disso, quando os grupos de pacientes comparando com os valores médios
de acordo encontrada em cada instrumento de domínio, verificou-se que o grupo

Para os sobreviventes TA, as estatísticas indicam que cerca de 2 milhões de voltou a trabalhar marcou aquele valores mais elevados em todos os domínios e

brasileiros com 18 anos e mais deixou como resultado Sua obra de TAs, em 2013, e apenas a vitalidade não foi estatisticamente significativa. 5

aproximadamente 670.000 Tinha algum lado-

- efeitos e / ou incapacidade devido ao acidente. 7 Corroborando esses resultados, um


estudo sobre a prevalência de efeitos colaterais físicos Entre as pessoas Assim, o retorno ao trabalho após um TA depende condi- ções
hospitalizadas no país TA 2000 e 2013, contra 23,5% mostraram que (cerca de relacionadas com a patologia individual ou lesão, o processo de
400.000) dos pacientes hospitalizados apresentaram diagnóstico sugestivo de reabilitação eo ambiente socioeconômico em que se insere a vítima. 5 Este
efeitos colaterais. 18
é um problema complexo, com repercussões na qualidade de vida e
Os principais impactos da TAS, como resultado desta revisão foram: custos sociais graves.
sobrecarga dos serviços de saúde; anos potenciais de vida perdidos;
absentismo; reforma antecipada; vítimas limitações físicas e emocionais; e Impactos de acidentes de trânsito na qualidade de vida

danos à família e à sociedade.


Os estudos selecionados indicam que traumas reduzir a saúde relacionados
com qualidade de vida no médio e longo prazo. 22
Os acidentes de trânsito e o retorno ao trabalho

Muitos fatores podem influenciar a qualidade de vida após um trauma, a qualidade de:

Três artigos selecionados ADH objetivo como o retorno ao trabalho como pelo sistema de cuidados de saúde oferecidos, o tipo ea gravidade das lesões,

Avaliando em vítimas de AT. Em um desses estudos, foi número de intervenções cirúrgicas,

J. res:. Fundam. importo. 2019. Apr./Jul online. 11 (3): 732-738 ISSN 2.175-5.361. 735
DOI: 10,9789 / 2175-5361.2019.v11i2.732-738
Carmo EA, AA Nery, Rocha RM, et ai. Repercussões dois Acidentes de ...

grau de efeitos colaterais, dor, acesso a reabilitação, condições socioeconômicas, a necessidade de se conhecer o impacto das TAs sobre a saúde ea vida das vítimas
entre outros. 22 direta ou indiretamente envolvidos nesses acidentes, como membros da família,

Entre os artigos incluídos na revisão, dois avaliou a qualidade de vida equipes de resgate, e equipes de saúde, que são diretamente afetados pelo estresse,

dos indivíduos sob TA efeitos colaterais. Em um estudo, a qualidade de uma vez que lidar com o lado de Desastres -Efeitos, Riscos e mortes por

vida foi medida usando a Qualidade Organização Mundial da Saúde de circunstâncias trágicas em uma base diária-ameaçadora vida. 26

Life-100 (WHOQOL-100) e do SF-36; enquanto no outro, um questionário


foi criado pelos pesquisadores usaram. Vítimas e suas famílias enfrentam problemas que causaram pelo TAs são,
aparentemente, escondido, mudanças no estilo de vida: tais como, SAD-ness, e

A análise WHOQOL-100 mostrou que os indivíduos que sofrem de TA efeitos desânimo, que são intensificadas por Severed física ferimentos, deficiência e morte

colaterais relataram ter um valor médio de qualidade de vida (não tão bom / não é de uma pessoa amada. 27

tão ruim) Considerando o nível de independência nas atividades da vida diária, De acordo com um estudo que analisou o contexto da hospitalização devido a
dependência de medicamentos ou tratamentos, e capacidade de fazer o trabalho, zações TAs de acordo com a pessoa ferida e seu / sua família membro /
além de aspectos relacionados com a segurança física e ção de proteção, ambiente companheiro, os contextos mais relevantes são os emocionais, familiares,

doméstico, recursos financeiros, cuidados de saúde e aspectos sociais. 23 Foi económicas e sociais. 27

observado também que o domínio Crenças aspectos espirituais / Religião / Personal Os participantes relataram ter momentos de ansiedade, especialmente
apresentou a maior pontuação, que pode significar que a equipe de unders- tand devido à paralisação das cirurgias, a cirurgia adiada sche- Duling, tratamento
Contribuir crenças e enfrentam dificuldades, ou seja, a espiritualidade Promove hospitalar prolongado e recuperação da saúde adiada. Eles também relataram
esperança, segurança e perseverança, colaborando para os pacientes TA sentir-se triste / deprimido, que é intensificado pela morte de uma pessoa
'bem-estar psicológico e melhor qualidade de vida. 23 amada; distância da família, amigos e trabalho; Sobre o futuro e incerteza. 27

Impotência e falta de habilidade para cuidar de crianças e amputação ber mem-

Os resultados obtidos a partir do SF-36 mostrou que duos duos com pelo também foram relatados como motivos que contribuem para a instabilidade emocional

efeitos colaterais presente físicas, emocionais e comprometimento funcional. 23 De desses indivíduos. 27

acordo com os autores, estes resultados podem estar relacionados com longos , Além disso, era a preocupação observou que com o hos- pitalized
períodos de limitação física, dificultando o trabalho por causa das dificuldades e pessoa, saudade e falta de apoio financeiro e / ou emocional Aumentar
interferências no desempenho de atividades diárias, bem como as consequências as insatisfações tanto da pessoa ferida e seu / sua família
da condição psicológica para o bem-estar do paciente, que pode ser causada por membro-companheiro. 27
mudanças de estilo de vida abruptas, causada principalmente por lesões. 23 Por outro lado, um estudo mostra que quando as pessoas feridas receber
apoio da família, família Eles vêem o como uma fonte de apoio e de segurança,
que é a chave para sua recuperação. 28 Para esses pacientes, a família representa

Esse estudo avaliou Considerando a qualidade de vida dos TA secundárias a possibilidade de nização auto-reorga-. É fundamental de importância que os

vítimas de lesões da coluna vertebral com cordão, uma forte associação foi profissionais de saúde e outros participantes conhecer as características da

encontrada entre as complicações do trauma e o meio e altos níveis de vítima e sua / seu cuidador familiar, bem como as suas necessidades pessoais, a

comprometimento da qualidade de vida. Como resultado, aspectos emocionais, fim de promover o apoio adequado para os cuidadores e vítimas. 29

Disreflexia autônomo e distúrbios intestinais intimamente relacionado com o Were


alto nível de comprometimento. Por outro lado, úlceras de pressão e urinárias
relacionadas com o nível de meio foram insuficiência. 24

Medidas sugeridas e / ou adoptadas


Um estudo realizado com as vítimas que sofrem de lesão medular
secundária indica que os domínios de aspectos emocionais e saúde mental estão Devido à relevância e magnitude das lesões e mortes causadas por
prejudicando eles, sugerindo um desequilíbrio entre corpo e mente com uma TAs no Brasil, alguns foram medidas para lidar com o problema
qualidade Diminuição da vida, o que se reflete em todos os domínios, APROVARAM. Entre eles, a criação do Código de Trânsito Brasileiro, em
especialmente em termos sociais aspectos. 25 1998, e iniciativas de fiscalização integradas ,: tais como a implementação
do " Lei Seca "Em junho de 2008 ea sua revisão em dezembro de 2012, ea

Assim, pode-se inferir que TAs e suas complicações causam limitações às criação do Rodovida projeto da Polícia Rodoviária Federal, que contribuem

vítimas, prejudicando básico e mais importante de suas ações, a mobilidade: significativamente para a redução da morbimortalidade relacionada ao

como, trabalho, saúde e autonomia para as atividades diárias, quais seus tráfego no país. 10

impactos na qualidade de vida.


Além disso, a criação de VIVA em 2006 pelo Ministério da Saúde do
Brasil também foi um initiative12 para tificando quan- Relevante,
Repercussões de acidentes de trânsito para a família ea sociedade caracterização e monitoramento de casos de vítimas de urgência e
emergência serviços de AT presentes no país; eo Projeto Vida no Trânsito [ Life
Em um estudo quantificado que os custos dos acidentes nas rodovias Brazi- in Projeto Tráfego] no
lian, a Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada 2010, inicialmente implementado em cinco capitais brasileiras, e mais tarde

(IPEA) [Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada], apontou expandido para as outras capitais e no Distrito Federal,

J. res:. Fundam. importo. 2019. Apr./Jul online. 11 (3): 732-738 ISSN 2.175-5.361. 736
DOI: 10,9789 / 2175-5361.2019.v11i2.732-738
Carmo EA, AA Nery, Rocha RM, et ai. Repercussões dois Acidentes de ...

6. Mendes KSS, Silveira CDGP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de triagem
Com o objetivo de atuar sobre os principais fatores de risco para TAs qualificando para a evidência de incorporação na na Saúde e Enfermagem. texto Contexto
informações e pelo planejamento, monitoramento e avaliação de intervenções. 30 Enferm. 2008; 17 (4): 758-64.
7. Malta DC et al. Lesões sem trânsito e utilização de equipamentos de Proteção
Brasileira na População, Estudo da segunda base populacional. Cien Saude
Em termos de políticas públicas, é a criação do Destaque política Colet. 2016; 21 (2): 399-409.
8. Abreu MVA, Jomar RT, Thomaz RGF, Guimarães RM, Lima JMB, Figueiro RFS. Lei
nacional de Redução da morbimortalidade por Acidentes e violência [ Política
da nd Impacto Mortalidade seco pelo tráfego Acidentes. Rev. Enferm. UERJ. 2012;
Nacional de Redução dity morbi e mortalidade por acidentes e violência], 20 (1): 21-6.
em 2002, de acordo com esta política, o Ministério da Saúde reconhece 9. Silva PHNV, MLC Lima, Moreira RS, Souza WV, Cabral, APS. Estudo dá espaço para a
motocicleta veículo Mortalidade Acidentes em Pernambuco. Rev Saúde Pública.
TAs como um problema de saúde pública no Brasil e definir ações de 2011; 45 (2): 409-15.
prevenção, promoção e recuperação da saúde. 31 10. Bacchieri G, Barros AJD. TRÂNSITO Acidentes no Brasil 1998-2010: Mudanças e
poucos MUITAS resultados. Rev Saúde Pública. 2011; 45 (5): 949-63.

Além disso, o política nacional de Atenção como ER [ Política Nacional sobre 11. Machado CV, Salvador FGF, O'Dwyer Serviço de Atendimento Móvel G. URGENTE:
Análise Brasileira da política. Rev Saúde Pública. 2011; 45 (3): 519-528.
Cuidados de Emergência nal] foi implementado em 2003. Um dos seus objectivos
que estabelecem a pré-hospitalar móvel foi através da criação de componente do 12. Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Vigilância em Saúde Em. Vigilância

Serviço de Assistência Móvel como emergências ( SAMU-192) [Serviço Móvel de Departamento de Doenças e Agravos Transmissíveis e Promoção da Saúde Não. Viva:
violências Monitoramento e Acidentes, 2009, 2010 e 2011. Brasília: Ministério da Saúde
Emergência] em municípios e regiões em todo o país. 32 de 2013.
13. Santos SOU MM, BM Nunes, Leal CF, Teles JB. Pro¬file de vítimas de acidentes de moto
atendidas em um público departamento de emergência do hospital. Cad Saude Publica. 2008;
Além disso, os estudos selecionados enfatizou a obsoletas que 24 (8): 1927-1938.

tríade-veículo humano-estrada deve estar em ordem para aproximar superar 14. Macedo FPAs; Oliveira LR; Buchalla CM; Scatena JHG. Características e
deficiências físicas vitimas de Acidentes TRÂNSITO servido sem Reabilitação
TAs. 33 Assim, as intervenções devem ser ligada e integrada para os Serviço de referência do Estado de Mato Grosso, Brasil, 2010. Revista Espaço
departamentos governamentais e não-governamentais, que são responsáveis para Saúde. 2014 fora-Dez; 15 (4): 21-33.

​por promover o transporte seguro e sustentável dos ambientes populacionais


15. Brito JMPX. Incapacidade secundária à lesão medular traumática, acidente de
e seguros para a Promoção Dentro da perspectiva da mobilidade humana e trânsito. Coluna / coluna. 2011; 10 (3): 175-8.
qualidade de vida. 34 Além disso, quando se considera o multi-causalidade
16. L Paiva Monteiro DAT, Pompeo DA, Ciol MA, Dantas RAS, Rossi LA. Readmissões por
destes eventos, ações de comunicação e educação devem ser Acidentes TRÂNSITO Geral em hum hospitalar. Rev. Latino-Am. Enfermagem. Julho
implementados também de forma contínua e sistematizada. 34 2015 agosto; 23 (4): 693-9.
17. SSCA Andrade, Jorge Mello-MHP. Mortalidade e potenciais anos de vida perdidos
devido a Acidentes de transporte no Brasil, 2013. Rev Saúde Pública. 2016; 50:59.

18. SSCA Andrade, Jorge Mello-MHP. Estimativa de físicos vitimas sequelas EM de


transporte terrestre Acidentes Hospitais internados em Saúde do Sistema Único.
Brasil Rev Epidemiol. 2016 Jan-Mar; 19 (1): 100-11.

CONCLUSÕES 19. Jácomo EPA; Garcia ACF. Análise dois Acidentes de motocicleta veículo não
Nesta revisão, observou-se que TAs no Brasil têm um impacto negativo Reabilitação Centro e Dr. Henrique Santillo Readaptação (Crer). Acta Fisiatria. 2011;
18 (3): 124-29.
sobre o bem-estar físico e psicológico das vítimas e suas famílias, sua
20. Dornelas LF. Use da prótese e voltar AO Trabalho em amputados por transportes
qualidade de vida piora e capacidade para trabalhar, produzindo repercussões Acidentes. Acta Ortop Bras. 2010; 18 (4): 204-6.
21. Fort E, E Bouffard, Charnay P, Bernard M, D Boisson, Laumon B et al. Retorno ao trabalho
também para a economia ea sociedade. A necessidade de investigações mais
após acidentes rodoviários: fatores associados ao trabalho Reinício atrasado. J Med
aprofundadas sobre a ocorrência de efeitos colaterais devido a acidentes Estes, Rehabil 2011 .; 43 (4): 283-91.

seus fatores de risco e seu impacto na qualidade de vida das vítimas foi 22. Alves ALA, Salim FM, Martinez EZ, Passos ADC, Carlo MMRP, Scarpelini S.
Qualidade de vida de vítimas de trauma seis meses após a alta hospitalar. Rev
evidenciado também. Saúde Pública. 2009; 43 (1): 154-60.
23. Silveira JZM. seqüelas Acidentes de tráfego e impactos na Qualidade de vida. Rev
Saúde e Pesquisa. Mai 2016 agosto; 9 (2): 373.
Acredita-se que podem contribuir para esta revisão broade- ning as
80.
discussões sobre repercussões TA, bem como informações para a criação 24. Diniz IV; Soares RAS; Nascimento JA; Soares MJGO. das Caracterização
Vítimas de Acidente de trânsito apresentaram trauma espinhal. Rev Bras
Fornecer políticas de saúde pública relevantes para a prevenção e tratamento de
Cien Saude. 2012; 16 (3): 371-8.
reabilitação.
25. Vall J, Braga VAB, Almeida PC. Estudo da qualidade de vida em pessoas com lesão traumática
da medula espinhal Neuropsiquiatr Arq. 2006; 64 (2): 451-5.

Referências Instituto 26. de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Departamento Nacional de


1. Magalhães AF, Lopes CM, Koifman RJ, Muniz PT. Prevalência de acidentes de trânsito Transportes. Sociais e Econômicos Impactos dois TRÂNSITO Acidentes NAS
auto-referido em Rio Branco, Norte do Brasil. Rev Saude Publ. 2011; 45 (4): 738-44. Rodovias Brasileiras. Brasília: IPEA / Denatran / Antp; 2006.

2. Mundial Organização de Saúde (OMS). Faces trás figuras: vozes de vítimas de 27. Sousa Filho AO; EP Xavier; Vieira LJES. Na Hospitalização acidentado óptico fazer
acidentes de viação e suas famílias. Genebra: OMS trânsito e family-Acompanhante Seu. Rer Esca Enferm USP. 2008; 42 (3): 539-46.
De 2007.
3. Ministério da Saúde (Brasil). Departamento de Informação do SUS (DATASUS). Informações 28. Lopez CCG; Gamba MA; Matheus MCC. Significado do Conviver com Fixação
de Saúde. As mortes por causas externas. [Citado 2017 08 de julho] Disponível em: externa por fratura exposta Grau III em Membros inferiores: ou Olhar fazer paciente.
http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/ deftohtm.exe sim / NVC / ext10ba.def ?. Rev Gaúcha Enferm. 2013; 34 (2): 148-53.

4. KSG Chua, et al. Uma breve revisão da reabilitação de lesões cerebrais trau¬matic. 29. Tempo CE, Sousa RMC, Alvares REC. Caracterização vitimas cuidadores de
Ann Med Acad Sin¬gapore. 2007; 36 (1): 31-42. trauma cerebral cranio-em seguimento ambulatorial. Rev Lat Am Enferm. 2005;
5. Paiva L, et al. Estado Saúde e Trabalho Ao voltará Acidentes APOS tráfego. Rev 39 (3): 343-9.
Bras Enferm. Mai-Jun 2016; 69 (3): 443-50.

J. res:. Fundam. importo. 2019. Apr./Jul online. 11 (3): 732-738 ISSN 2.175-5.361. 737
DOI: 10,9789 / 2175-5361.2019.v11i2.732-738
Carmo EA, AA Nery, Rocha RM, et ai. Repercussões dois Acidentes de ...

30. Silva MMA, Morais Neto OL, CM Lima, Malta DC, JB Silva Junior. Projeto Vida no
Trânsito - 2010-2012: Uma contribuição para uma Década de Ações para a Segurança
no Trânsito nenhum Brasil 2011-2020. Rev Saude Epidemio Serv. 2013; 22 (3): 531-6.

31. Ministério da Saúde (Brasil). política nacional de Redução da morbimortalidade por


Acidentes e violência. Brasília: Ministério da Saúde de 2003.

32. Ministério da Saúde (Brasil). política nacional como Atenção urgências.


Brasília: Ministério da Saúde de 2003.
33. Souza MFM, Malta DC, Conceição GMS, Silva MMA, Carvalho CG, Morais Neto OL.
Análise descritiva Acidentes política de tendência e transporte terrestre para o
Sociais no Brasil. Epidemiol Serv Saúde. 2007; 16 (1): 33-44.

34. Malta DC, Silva MMA, GM Albuquerque, Lima CMD, Cavalcante


T, Jaime PC, Silva Júnior JB. A Implementação das prioridades da Política Nacional de
Promoção da Saúde, um Balanço de 2006 Cien Saude Colet 2014 .. 2014; 19 (11):
4301-12.

Recebido em: 08/21/2017

Comentários obrigatórios: 2017/11/14

Aprovado em: 2017/11/16


Publicado em: 2019/02/04

* Endereço para correspondência:

Erica Assunção José


Moreira Sobrinho Av Carmo, S / N
Jequiezinho, Jequié, Bahia, Brasil E-mail
:. Eacarmo20@gmail.com Telefone: +55
73 3528-9738
CEP: 45206-190

Os autores afirmam ter nenhum conflito de interesse.

J. res:. Fundam. importo. 2019. Apr./Jul online. 11 (3): 732-738 ISSN 2.175-5.361. 738