Anda di halaman 1dari 4

27/12/2017 Revoluções de 1830 – Wikipédia, a enciclopédia livre

Revoluções de 1830
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Revoluções de 1830 é a designação dada na historiografia europeia ao conjunto de movimentos revolucionários que
abalaram o continente europeu no início da década de 1830. O movimento iniciou-se em 1830 em França, com o
levantamento que ficou conhecido como a Revolução dos Três Dias Gloriosos, as Revoluções liberais alastraram-se
pela Europa: a Bélgica se libertou da Holanda e houve tentativas (fracassadas) de unificação da Alemanha e da Itália e
de libertação da Polónia. O movimento teve também posteriores repercussões em Portugal e Espanha. No Brasil, no
dia 7 de Abril de 1831, um forte movimento de oposição popular levou o Imperador Dom Pedro I à abdicação. Em
1829, a Grécia já se libertara da dominação turca.

O pano de fundo foi comum: propagação do liberalismo e nacionalismo como ideologias; a subprodução agrícola
(acarretando alta de preços de géneros alimentícios) e o subconsumo industrial (provocando falência de fábricas e o
desemprego do proletariado); descontentamento do proletariado urbano, devido ao desemprego, a salários baixos e à
alta do custo de vida; descontentamento da burguesia, excluída do poder político e atingida pela crise econômica.

Índice
Revolução de 1830 na França
Ascensão de Carlos X
Câmara X Poder Real
Revolução de Julho de 1830
Expansão da Revolução
Revolução de 1830 na Bélgica
Revolução de 1830 na Polônia
Revolução de 1830 nos Estados Italianos
Revolução de 1830 nos Estados Alemães
Revolução de 1830 em Portugal
Revolução de 1830 na Espanha
Resultados

Revolução de 1830 na França


Na França, o Congresso de Viena trouxe de volta os Bourbons. As potências reunidas em Viena impuseram à França o
Segundo Tratado de Paris, cujas condições eram mais drásticas que as do Primeiro: ela ficou reduzida às suas
fronteiras de 1789, teve de pagar uma indenização de guerra de 700 milhões de francos, foi obrigada a restituir os
tesouros artísticos confiscados dos povos conquistados e aceitar a ocupação do norte do país, durante cinco anos, por
tropas das potências vencedoras.

Ascensão de Carlos X
Nos últimos cinco anos do reinado de Luís XVIII (1815-1824) e por todo o reinado de Carlos X, o conde de Artois
(1824-1830), sucederam-se perturbações internas graves. Se o governo de Luís XVIII foi marcado pela moderação , a
ascensão de Carlos X reviveu o absolutismo de direito divino, o favorecimento à nobreza e a sufocação da burguesia.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%B5es_de_1830 1/4
27/12/2017 Revoluções de 1830 – Wikipédia, a enciclopédia livre

Este monarca decidiu confiar


a chefia do governo ao
príncipe de Polignac. Longe
de resolver os problemas o
novo estadista preocupou-se
com uma bem sucedida
expedição à Argélia. Dessa
maneira, podemos dizer que a
principal causa da Revolução
de 1830 na França foi o Léon Cogniet, Cenas de Julho de
absolutismo exacerbado de 1830, uma pintura que alude à
Revolução de Julho de 1830.
Carlos X, indo
completamente contra os
ideais vistos desde a Revolução Francesa de 1789, que expressava o
Carlos X. liberalismo e a tentativa da burguesia de fim da centralização real.

Câmara X Poder Real


No ano de 1827, as oposições, formadas por constitucionalistas e independentes, venceram as eleições legislativas e a
nova Câmara dos Deputados, dominada por liberais, entrou em conflito com o rei. Em 1830, o rei dissolveu a Câmara
e convocou novas eleições, também vencidas pela oposição. Então, o monarca reagiu em 25 de Julho de 1830, com a
publicação das Ordenanças ou Ordenações de Julho: suprimia a liberdade de imprensa (impunha a censura
total); anulava as últimas eleições e dissolvia a câmara recém-eleita e de maioria liberal; modificava os critérios para a
fixação do censo eleitoral, favorecendo uma minoria (reduzia o eleitorado); e permitia ao rei governar através de
decretos. Essas "Ordenações de Julho" coincidiram com grave crise econômica e precipitaram a Revolução.

Revolução de Julho de 1830


Nos dias 27, 28 e 29 de julho de 1830, conhecidos como os três dias
gloriosos, o povo de Paris e as sociedades secretas republicanas,
liderados pela burguesia liberal, fizeram uma série de levantes contra
Carlos X. Levantaram-se barricadas na capital francesa e generalizou-se
da luta civil. As revoltas populares sucediam-se a tal ponto que a própria
Guarda Nacional acabou por as apoiar, aderindo à sedição. Após lutas nas
ruas parisienses (as Três Gloriosas), o último Bourbon teve de partir para
o exílio no começo de agosto. O clima da revolução perpassa pelas páginas
de Os Miseráveis, de Victor Hugo.
A Liberdade Guiando o Povo,
Temerosa do radicalismo das classes que haviam feito a revolução quadro no qual Delacroix mostra a
(pequena burguesia e proletariado urbano), a alta burguesia instalou no revolta da população parisiense,
poder o primo do rei, Luís Filipe de Orleans, o "Rei Burguês", monarca que, mobilizada pelas idéias
liberais, em 1830, sai às ruas para
constitucional e liberal de outro ramo da nobreza francesa. "De agora em
pôr fim ao absolutismo.
diante, os banqueiros reinarão na França", como afirmou Jacques
Lafitte[carece de fontes?], banqueiro e político que participou das manobras
para colocar Luís Filipe no trono. Ele tinha razão. Todas as facções da burguesia, como industriais e comerciantes,
haviam participado da luta contra o poder real e a velha aristocracia, mas quem assumiu o poder foi apenas uma
parcela da burguesia - a do capital financeiro[carece de fontes?].

Apoiado por banqueiros como Casimire Pérere e contando com ministros como Thiers ou Guizot, a Monarquia de
Julho vem assim conseguir impor um clima de paz e prosperidade[carece de fontes?].

https://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%B5es_de_1830 2/4
27/12/2017 Revoluções de 1830 – Wikipédia, a enciclopédia livre

Expansão da Revolução
A Revolução de 1830, na França, teve um caráter apenas liberal, isto é,
antiabsolutista. Sua expansão para outras regiões da Europa, porém,
assumiu também um caráter nacional, opondo-se às diretrizes do
Congresso de Viena, que havia colocado várias nacionalidades sob o
domínio de algumas potências européias.

Revolução de 1830 na Bélgica


Os acontecimentos parisienses repercutiram na Bélgica que, pelo
Congresso de Viena, fora submetida à Holanda no artificial Reino dos
Países Baixos. Havia profundas diferenças entre os dois povos: os belgas
eram católicos, de idioma valão (próximo ao francês), industriais e
partidários do protecionismo alfandegário a fim de favorecer suas
nascentes indústrias contra a concorrência estrangeira; os holandeses
seguiam o protestantismo, sua língua é semelhante ao alemão, viviam do
Luís Filipe I, o rei burguês. comércio e eram adeptos do livre-cambismo.

A monarquia, adotando
diretrizes políticas
beneficiando os holandeses,
como a imposição por
Guilherme I de Orange do
holandês como língua oficial,
provocou a Revolução de
matrizes fortemente
nacionais: luta pela
Episódio da revolução de 1830 na
independência. A Holanda
Bélgica.
pediu ajuda à Santa Aliança
para reprimir os rebeldes.

O sucesso belga foi facilitado


pela conjuntura
internacional. França e
Inglaterra, governos liberais,
Mapa mostrando a Bélgica e a auxiliaram a causa belga e
Holanda entre 1815 e 1830.
não permitiram a intervenção
da Santa Aliança; Áustria,
Tropas holandesas na Bélgica.
Prússia e Rússia, de governos conservadores e favoráveis à política de
intervenção, viram-se paralisadas por outras revoluções.

A independência belga só foi reconhecida pela Holanda em 1839. A Revolução da Bélgica acarretou dupla alteração no
sistema estabelecido em Viena: o surgimento de novo Estado Nacional e a organização de uma monarquia liberal e
constitucional.

Revolução de 1830 na Polônia


Na Polônia, a Revolução também assumiu o caráter de movimento pela independência. Após o Congresso de Viena, a
maior parte do país ficara submetida à Rússia. Aproveitando-se da organização de um exército para intervir na
Bélgica, a Varsóvia, com auxílio de franceses, se rebelou contra a dominação russa. Em pouco tempo, o movimento
https://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%B5es_de_1830 3/4
27/12/2017 Revoluções de 1830 – Wikipédia, a enciclopédia livre

liberal e nacionalista atingiu todo o país. Tropas do czar da Rússia Nicolau I esmagaram os patriotas poloneses. A
derrota, seguida de violenta repressão, decorreu também pela falta de ajuda externa e pela cisão entre revolucionários,
divididos em republicanos (burgueses) e monarquistas (pequena nobreza).

Revolução de 1830 nos Estados Italianos


Nos Estados italianos, as agitações tiveram um caráter liberal em regiões aristocráticas, nacional nas áreas sob
domínio austríaco e antipapal nos Estados papais. As conquistas foram efêmeras, pois a intervenção austríaca
restaurou a ordem absolutista anterior.

Revolução de 1830 nos Estados Alemães


Na atual Alemanha, verificou-se uma série de revoltas (Hanôver, Saxe, etc.), logo abafadas pela intervenção austríaca.
Na Prússia, ocorreram movimentos liberais que procuravam submeter o poder real a uma Constituição.

Pretendendo reforçar o sistema repressivo, para o que se impunha contar com a colaboração da Prússia, o governo
austríaco admitiu a criação do Zollverein (união aduaneira), concretizada por iniciativa prussiana, e conduzindo à
união econômica dos Estados alemães. O Zollverein representava a união econômica, precedendo a unificação política
e tornando-a imprescindível para assegurar a continuidade dos progressos econômicos; além do mais, acentuava a
projeção da Prússia como núcleo posterior da unificação política, ao mesmo tempo que conduzia à marginalização da
Áustria.

Revolução de 1830 em Portugal


Em Portugal, D. Pedro IV (Pedro I do Brasil) derrotou as forças absolutistas de seu irmão D. Miguel, assegurando
direitos de D. Maria da Glória e garantindo a vigência de uma Constituição liberal (1834). A Santa aliança não
interveio em Portugal devido a objeções do governo inglês.

Revolução de 1830 na Espanha


Na Espanha, a sucessão de Isabel, herdeira de Fernando VII, foi contestada por D. Carlos, apoiado em forças
absolutistas; graças à ação do General Spatero, de tendências liberais, os Carlistas foram derrotados e uma
Constituição liberal promulgada.

Resultados
Fora da França, portanto, atingiu êxito a revolução liberal na Bélgica, que se tornou independente, e em Espanha e em
Portugal, esta última que não foi invadida pela Santa Aliança devido a intervenção inglesa. Todas as demais revoltas
que adquiriram caráter nacional foram massacradas por tropas da Santa Aliança. O fermento revolucionário, no
entanto, continuou por toda a Europa, tornando a restauração imaginada por Metternich, pelo czar Alexandre I e por
outros uma obra falida: o liberalismo e, mais tarde, o nacionalismo triunfariam em quase toda a Europa.

Obtida de "https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Revoluções_de_1830&oldid=49513349"

Esta página foi editada pela última vez à(s) 19h38min de 6 de agosto de 2017.

Este texto é disponibilizado nos termos da licença Creative Commons - Atribuição - Compartilha Igual 3.0 Não
Adaptada (CC BY-SA 3.0); pode estar sujeito a condições adicionais. Para mais detalhes, consulte as condições de
uso.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%B5es_de_1830 4/4