Anda di halaman 1dari 155

Avaliação da Atenção no contexto do

Trânsito
Hugo Ferrari Cardoso
Aspectos teóricos da Atenção

Vídeo 1
Reflexão
• Conceituar atenção não é uma tarefa tão simples,

• Pois esse é um conceito muito pautado em aspectos


que envolvem situações do cotidiano

Ex. Preste atenção no trânsito!!!!!!

Estamos pensando propriamente na ATENÇÃO (falta) ou


isso seria muito mais uma ORIENTAÇÃO DE COMO SE
COMPORTAR SOCIALMENTE?
DEFINIÇÃO DE ATENÇÃO
Definição
• Capacidade de se organizar e processar
ativamente uma quantidade limitada de
informações, dentre as diversas disponíveis aos
sentidos.
Várias definições e teorias sem um consenso sobre qual seria a
melhor ou mais adequada, sendo aplicadas muitas definições
operacionais.

Sternberg (2000, p. 78) definiu a atenção como sendo o


“fenômeno pelo qual o ser humano processa ativamente uma
quantidade limitada de informações do enorme montante de
informações disponíveis através dos órgãos dos sentidos”.

Capacidade de uma pessoa para focalizar e selecionar um ou


vários estímulos, dentre vários disponíveis, processar esses
estímulos, e responder a determinados aspectos do ambiente
que ele julgue importantes de uma ou outra maneira.
Definição

• Habilidade de responder
insistentemente aos
estímulos significativos,
em detrimento de outros,
que podem interferir na
realização de uma tarefa
específica
PRIMEIROS ESTUDOS SOBRE ATENÇÃO
Primeiros Estudos
• Num primeiro momento foram utilizadas duas
tarefas auditivas para investigá-la
– Tarefa biauricular
– Escuta dicótica

• Nas duas tarefas eram utilizados fones de


ouvido para transmissão das mensagens.

• Buscaram captar atenção por meio de recurso


auditivo
Primeiros Estudos
• Na tarefa biauricular era apresentada a
mesma mensagem simultaneamente a
ambos os ouvidos.
Primeiros Estudos
• A outra, escuta dicótica, duas mensagens
diferentes eram apresentadas cada uma
num ouvido.
TEÓRICOS QUE CONTRIBUÍRAM PARA O
ESTUDO DA ATENÇÃO
1890 - William James (1842-1910)

• Duas classificações:

– Reflexa

– Voluntária
1890 - William James (1842-1910)

• Atenção Reflexa

– Não requer controle consciente do indivíduo

– Mediada pelas atividades de processamento


automático da informação.
1890 - William James (1842-1910)

• Atenção voluntária

– Contempla as atividades conscientes

– Mediadas pelas atividades de


processamento controlado de informação
1890 - William James (1842-1910)
• Atenção voluntária

– Focalização e Concentração da consciência


são suas essências.

– Implica a abstenção de algumas coisas para


poder lidar eficazmente com outras
1890 - William James (1842-1910)

• Atenção voluntária – 3 importantes características

• Possibilidade de se exercer um controle voluntário da


atenção;

• Inabilidade em atender diversos estímulos ao mesmo


tempo, ou seja, o caráter seletivo focalização;

• Capacidade limitada do processamento da informação


O estudo da
atenção caiu no
ostracismo com o
Foi somente na
advento do
década de 1950,
Behaviorismo na
com o advento da
década de 1920
Psicologia
Cognitiva, que o
estudo sobre a
Para essa corrente
atenção retoma ao
de pensamento,
campo de
não era possível
interesse da
realizar o estudo
Psicologia
cientifico sobre os
fenômenos
subjetivos.
Broadbent: Teoria do Filtro

considerava –se a atenção como um


mecanismo de filtragem de informações
relevantes para o alcance de objetivos

Décadas de 1950 e
1960
Década de 1960

• Deutsch e Deutsch : Teoria


de Seleção de Resposta

• Atenção também se situa


como um filtro ou
facilitador
A maior preocupação nas teorias existentes
até então eram relativas a criar um
modelo que recriasse tanto a forma como
a atenção é processada quanto as
possibilidades de desempenho das pessoas.
• Percebe-se que esses modelos tratam de uma
importante característica, que é a capacidade
limitada de atenção.

• E vale lembrar que no trânsito temos uma infinidade


de estímulos
• Entretanto, este
modelo simplifica o
mecanismo atencional
de seleção de
informações relevantes

• Não é capaz de explicar


com exatidão a
manutenção de
desempenho na
realização de tarefas
simultâneas
• Não abrange a
possibilidade de
aprendizado ao longo da
realização das tarefas, o
que auxilia na
automatização

• Para tentar não


sobrecarregar o uso do
processamento, fazendo
assim com que o
desempenho diminua,
utiliza-se tanto quanto
possível os processos não
conscientes
“automáticos”.
Automatização da Atenção

Vídeo 2
Automatização: toda atenção é
consciente?

• Atenção e consciência já foram consideradas


como sendo o mesmo fenômeno

• Contudo, atualmente, é consenso que algum


processamento prossegue sem o conhecimento
consciente do sujeito.
Automatização: toda atenção é
consciente?
• Assim, atividades
automáticas, como
escrever o próprio
nome, no caso de um
leitor experiente,
requer pouco
conhecimento
consciente,

• O que lhe permite


executar essa tarefa
concomitantemente à
outra (cuja exigência no
nível de consciência
seja maior).
• Com a evolução
conceitual, a
atenção deixou
de ser uma
estrutura
puramente de
filtragem de
informações

• Passou a ser
considerada
como parte
integrante de
processamento
da informação
Modelo Atencional de Posner
• Permitiu as classificações que temos
atualmente:

• Involuntária
• Voluntária
• Seletiva
• Concentrada
• Sustentada
• Alternada
• Dividida
CLASSIFICAÇÃO ATUAL DA ATENÇÃO
Atenção Involuntária
• Um estímulo que atrai a
atenção para si sem esforço
consciente e voluntário

• Normalmente ocorre com


estímulos inesperados ou
surpreendentes

• Exemplo: você está no


aeroporto, lendo. Eis que
você escuta seu nome.
Atenção Voluntária
• Envolve a seleção ativa
e deliberada do
indivíduo, sendo
controlada pela
consciência,
normalmente
determinada pela
relevância
momentânea do
estímulo

• No exemplo dado
anteriormente:
– É a leitura do livro no
aeroporto.
Atenção Seletiva
• É a forma mais “básica” de
atenção.

• Capacidade de perceber as
informações provindas do
ambiente e filtrar quais delas
serão necessárias para a
execução de uma tarefa
específica e dirigindo, assim,
o foco para um ponto
específico no ambiente.
Atenção Seletiva
• Pela atenção seletiva, o ser humano é capaz de
ignorar estímulos que podem causar distração
ou interferência.

• A atenção seletiva, está presente em todos os


demais tipos de atenção
– Por esta razão, pode-se dizer que toda atenção é
primordialmente seletiva
Atenção Concentrada

• Envolve a capacidade de,


durante a realização de uma
tarefa, manter a seleção de
um novo estímulo específico
diante de outros,
conseguindo posteriormente
retornar e manter o foco em
um estímulo selecionado, a
fim de que o prejuízo na
tarefa seja o mínimo possível
Atenção Sustentada

• Capacidade para focar a


atenção em um
determinado estímulo,
competindo com outros e
manter a atenção por um
determinado período de
tempo.

• Durante muito tempo


houve uma controvérsia
conceitual entre atenção
sustentada e concentrada.
Sustentada Versus Concentrada
• Atenção Sustentada
– Mantém a atenção em estímulo durante uma
tarefa

• Atenção Concentrada:
– Reconhecimento de objetos
– Categoriza-los
Atenção Alternada

• Capacidade de mudar repetidamente de


foco da atenção entre uma tarefa e outra

• Modificando periodicamente a
organização de qual a primária e qual a
secundária, desengajando de uma tarefa
e focalizando em outra
Atenção Dividida

• O indivíduo localiza duas fontes de


informação simultaneamente

• Enquanto mantém o foco de atenção na


tarefa principal, ele se organiza em relação
às secundárias, com o mínimo prejuízo
possível
Alternada versus Dividida
• Atenção Alternada
– Reconhecimento ora de um estímulo, ora de
outro

• A Atenção Dividida envolve a capacidade


manter o foco em estímulos diferentes na
realização de tarefas simultâneas.
Brickenkamp (2004):

Na Alemanha o termo mais utilizado é atenção


seletiva

Nos Estados Unidos  tanto a atenção seletiva


quanto a sustentada.
Lezak (1995): afirmou que testes como o d2, que
se propõe avaliar a atenção concentrada,

Na Alemanha são conhecidos como testes de


concentração ou testes de atenção seletiva,

Nos Estados Unidos recebem o nome de testes


de amplitude atencional, testes de atenção
seletiva ou testes de atenção sustentada.
Zillmer e Spiers (1998) apontaram que muitas
vezes a atenção seletiva é definida como atenção
concentrada.
DESENVOLVIMENTO DA ATENÇÃO NO
CURSO DE VIDA
A perspectiva desenvolvimentista estabelece o aumento da
capacidade atentiva no decorrer da infância e adolescência, com
perdas significativas durante o processo de envelhecimento.

Situação de Testagem
Terminei! É só Nossa, como está
difícil de encontrar Fia, você poderia explicar de novo ?
isso? Não entendi nada o que é para fazer.
esses estímulos
O QUE DIZ A RESOLUÇÃO EM PSICOLOGIA DO TRÂNSITO?

COMO AVALIAR A ATENÇÃO EM UMA SITUAÇÃO DE EXAME PERICIAL?


• O candidato, independente da atividade, deverá ser capaz
de apresentar:

• 1. TOMADA DE INFORMAÇÃO

• 1.1. Atenção em seus diferentes tipos, como: atenção difusa


/ vigilância / atenção sustentada; atenção concentrada;
atenção distribuída / dividida; atenção alternada, conforme
definidas pela literatura e pelos manuais de instrumentos
padronizados.

• Critérios utilizados para escolha de testes na área do trânsito


(AC, BFM, AS e AD). Validade específica para o contexto...
• 1. TOMADA DE INFORMAÇÃO

• 1.2. Detecção, discriminação e identificação: estes


aspectos fazem parte e são recursos utilizados
quando se responde a um instrumento para avaliar
a atenção. Porém, eles também devem ser aferidos
por meio da entrevista, criando situações
hipotéticas vivenciadas no ambiente do trânsito
com a finalidade de identificar a capacidade de
perceber e interpretar sinais específicos do
ambiente/contexto do trânsito.
A capacidade da atenção pode ser
influenciada por estados emocionais.
Fatores externos e internos podem
interferir no processo de atenção
Vídeo 3
Parte Prática
• Testes

• Atenção Concentrada (AC)


• Teste de Atenção Concentrada (TEACO-FF)
AC
AC

• Objetivo:
– Avalia a atenção concentrada
AC
• População

• Os estudos apresentados no manual apresentam normas em relação à


escolaridade

• Há várias aplicações do AC ao longo dos tempos, porém é recomendado a


utilização de estudos de normatização mais atuais (nesse caso, os estudos
realizados em 2001)

• 1318 candidatos a CNH-SP


• 413 pessoas que se submeteram a processo de seleção de pessoas – SP
(17 a 52 anos)
• 1213 do Espírito Santo
• 928 candidatos a CNH- Rio Grande do Norte (18 a 64 anos)
• 2085 candidatos a CNH-Paraná (18 a 64 anos)
AC
• Material
– Manual
– Folha de resposta
– Lápis ou Caneta para anotação da resposta
– Cronômetro ou relógio
– Crivo de correção

• Aplicação
– Individual ou coletiva.
– Tempo do exercício: 5 minutos
AC
• Qualidades Psicométricas

• Validade convergente com o Teste Toulouse-Piéron (r=0,93)


• Validade convergente com o Teste TACOM-A (r=0,63)
• Validade convergente com o Teste TACOM-B (r=0,66)
• Validade convergente com o Teste D2 (r=0,46)
• Precisão por meio de teste e reteste (amostra 62 sujeitos
r=0,73)
AC
• Instruções da aplicação

• Antes da aplicação, seja individual ou coletiva, sugere-se que aplicado


realize um bom rapport com os examinandos, com a função de
estabelecer um vínculo de confiança.

• O teste deve ser preenchido pelo próprio candidato, tanto no que se


refere às informações de identificação quanto às respostas do
instrumento.

• É importante que seja dada uma explicação geral sobre o motivo e o


objetivo da realização do teste.

• No caso da aplicação coletiva é recomendado que a quantidade de


pessoas não seja excessiva, sempre levando-se em consideração o
tamanho do local de aplicação
AC
• APLICAÇÃO

• Tempo do exercício: 5 minutos


TEACO-FF
CONSTRUÇÃO

•Estímulos abstratos.
• Estímulos distratores semelhantes aos estímulos alvo.
• Ao todo, 500 estímulos distribuídos em 20 colunas com 25
estímulos cada.
• 180 estímulos alvo (9 em cada coluna). Pontuação máxima.
• 320 estímulos distratores (16 em cada coluna).
• A localização dos estímulos foi sorteada ao acaso, evitando dessa
forma a repetição de linhas.
• Tempo de aplicação: 4 minutos.
PARTICIPANTES
 1058 sujeitos dos estados da Bahia e de Sergipe.

 Bahia: 367 indivíduos que passaram pelo processo de avaliação psicológica pericial
para obtenção, renovação ou mudança da CNH.

 Sergipe: 184 candidatos à obtenção da CNH e 507 eram estudantes universitários


de vários cursos das áreas de humanas, biológicas e exatas de uma instituição
particular, sendo que a maior parte deles já possuía CNH.

 Do total de pessoas que procuraram avaliação psicológica pericial, 161 exerciam


algum tipo de atividade remunerada relacionado ao ato de dirigir veículos
automotores e 299 já possuíam CNH nas categorias A, AB, B, C, D ou E. O restante foi
para obtenção da CNH.

Idade: M=25,21 anos, variando de 18 a 61 anos.

 Sexo: 512 HOMENS e 546 MULHERES.


PARTICIPANTES
400

 Até 25 anos (67,1% dos


300
participantes)

200  A partir dos 31 anos:


marcada redução do
100
número de participantes

0
 Depois dos 41 anos:
18
21
24
28
31
34
38
41
45
48
51
55
58
61

Idade
redução ainda maior

Sendo assim, não se pôde obter um número razoável de sujeitos que fosse
representativo de cada uma das idades encontradas
TEACO-FF

• Objetivo:
– Avalia a capacidade de uma pessoa em selecionar apenas uma
fonte de informação diante de vários estímulos distratores num
tempo pré-determinado, denominado atenção concentrada.

• Amostra
– Os estudos apresentados no manual foram realizados com
adultos de 18 a 61 anos, que procuraram a avaliação psicológica
pericial para obtenção, renovação ou mudança de categoria da
Carteira Nacional de Habilitação, assim como também em
estudantes universitários.
TEACO-FF
• Material
– Manual
– Folha de resposta
– Caneta azul ou preta
– Cronômetro ou relógio
– Crivo de correção
– Caneta vermelha (correção do instrumento).

• Aplicação
– Individual ou coletiva.
– Tempo do exercício: 4 minutos
TEACO-FF
• Qualidades Psicométricas

• Validade de construto pela diferenciação das idades


• Validade relativa à estrutura interna dos itens: funcionamento
diferencial dos itens (DIF)
• Validade de critério em relação à variável escolaridade
• Validade de critério em relação à variável tipo de avaliação
psicológica pericial
• Validade de critério em relação à variável categoria de CNH
• Validade de critério em relação à variável exercer ou não atividade
remunerada
• Validade convergente com o Teste de Atenção Concentrada – AC
• Validade concorrente com o Teste de Atenção Sustentada – AS
• Validade concorrente com o Teste de Atenção Dividida – AD
TEACO-FF
• Qualidades Psicométricas

• Validade concorrente com o Teste Conciso de Raciocínio – TCR


• Validade concorrente com o Teste Pictório de Memória – TEPIC-M
• Validade concorrente com a Escala de Vulnerabilidade ao Estresse no Trabalho –
EVENT
• Análise dos itens pelo modelo Rasch
• Precisão por meio do coeficiente alfa de Cronbach
• Precisão por meio do método das duas metades
• Precisão por meio do método Spearman-Brown
• Precisão por meio do método de Guttman
• Precisão por meio do modelo de Rasch
Evidência de validade pela diferenciação das idades
300

Freqüência 200

100

0
-1
-1 5
-8 5
-6
-4
-2

11
13
15
17
16
37
57
77
97
-4
2
0
5
4
4
4

7
8
8
8
 Pontuação média: 105,51 pontos.Pontos no TEACO-FF
 A pontuação máxima foi 178 e a mínima -125.
 Apenas 1% das pessoas teve pontuações negativas.
 Entre 0 e 100 pontos (39,9% das pessoas).
 Nenhum indivíduo atingiu a pontuação máxima possível.
 TEACO-FF e Idade: r = -0,17; p = 0,000

120

110

100

90
Médias

80

70

60

50

40
18 21 24 27 30 33 36 39 42 45 48 52 55 58

Idade
 ESTUDO DE FAIXAS ETÁRIAS

 Até 27 anos / de 28 a 35 anos / 36 anos ou mais

 ANOVA: [F (2,1057)=17,80, p=0,000]

Faixas etáriasN Subgrupo para alfa = 0,05


1 2 3
36 anos ou mais 30 89,03
28 a 35 anos 20 100,25
Até 27 anos 61 109,04
p 1,000 1,000 1,000
120

Média 110

100

90

80
até 27 anos 28 a 35 anos 36 anos ou mais

Faixas etárias
Evidência de validade relativa à estrutura interna dos itens:
funcionamento diferencial dos itens (DIF)

Por sexo

• Os estímulos-alvo, até a coluna 8 favoreceram os homens e nas


últimas 7 as mulheres.

As mulheres conseguem chegar mais perto do final no tempo


determinado, marcando mais estímulos-alvo e menos estímulos
distratores.

Média masculina=102,36
Média feminina=108,46
(p=0,006)
Por estado

• Nos estímulos-alvo, até a coluna 11 favoreceram Bahia e nas


últimas 7 Sergipe.

As pessoas de Sergipe mostraram chegar mais perto do final no


tempo determinado, marcando mais estímulos-alvo e menos
estímulos distratores.

Média Bahia=102,08
Média Sergipe=107,33
(p=0,024)
Evidência de validade em relação à Escolaridade
Participantes
• 698 pessoas, sendo 351 do estado de Sergipe e 347 da Bahia. A idade variou de 18
a 58 anos, 374 (53,6%) eram homens e 324 (46,4%) mulheres.
400

300
Freqüência

200

100

0
1 2 3 4 5 6

Escolaridade

1=Ensino Fundamental incompleto (14,8%) / 2=Ensino Fundamental Completo (4,0%) / 3=Ensino Médio
incompleto (3,2%) / 4=Ensino Médio completo (22,1%) / 5=Ensino Superior incompleto (52,1%) /
6=Ensino Superior completo e/ou Pós-Graduação (3,9%)
• ANOVA = [F (5,697)=35,93, p<0,001]

Escolaridade N Subgrupo para alfa = 0,05


1 2
Ensino Fundamental completo 28 79,36
Ensino Fundamental incompleto 103 82,14
Ensino Médio completo 154 109,51
Ensino Médio incompleto 22 111,36
Ensino Superior incompleto 364 120,51
Ensino Superior completo e/ou Pós-Graduação 27 124,26
p 0,998 0,167
• ANOVA = [F (2,697)=85,77, p<0,001]

Escolaridade N Subgrupo para alfa = 0,05


1 2 3
Ensino Fundamental 131 81,54
Ensino Médio 176 109,74
Ensino Superior 391 120,76
p 1,000 1,000 1,000
Evidência de validade em relação à variável tipo de Avaliação Psicológica
Pericial

Participantes

• 455 pessoas, sendo 154 do estado de Sergipe e 301 da Bahia. A idade variou de 18 a
59 anos, 300 (65,9%) eram homens e 155 (34,1%) mulheres.
• 292 pessoas (64,2%) para obtenção da CNH.
• 59 (13,0%) para mudança de categoria da CNH.
• 104 (22,9%) para renovação da CNH.
• ANOVA = F (2,454)=24,30, p<0,001

Tipo de Avaliação N
Subgrupo para alfa = 0,05
1 2 3
Renovação 104 88,25
Mudança de categoria 59 98,53
Inicial 292 110,53
p 1,000 1,000 1,000
Participantes
• 299 pessoas que já possuíam CNH. A idade variou de 19 a 59 anos, 208
(69,6%) eram homens e 91 (30,4%) mulheres.
(p=0,004)
140

120

100
Freqüência

80

60

40

20

0
1 2 3 4 5 6

Categoría da CNH

1=Categoria A (7,4%) / 2= Categoria AB (39,5%) / 3= Categoria B (33,8%) / 4= Categoria C


(2,3%) / 5= Categoria D (13,7%) / 6= Categoria E (3,3%)
• ANOVA = [F (5,298)=3,78, p<0,002]

Tipo de CNH N Subgrupo para alfa = 0,05


1
Categoria C 7 81,86
Categoria E 10 89,20
Categoria D 41 91,59
Categoria B 101 109,37
Categoria A 22 110,05
Categoria AB 118 110,10
p 0,081

M DP t p
Cat. A, B e AB 109,79 32,67 4,30 0,000
Cat. C, D e E 90,00 25,76
Evidência de validade em relação à variável exercer ou não atividade
remunerada

Participantes

• 326 pessoas, sendo 108 do estado de Sergipe e 218 da Bahia. A idade variou de 19 a
59 anos, 222 (68,1%) eram homens e 104 (31,9%) mulheres.

• 150 exerciam atividade remunerada (motoristas de taxi, ônibus, particulares).

• 176 possuíam CNH para ir ao trabalho, passear, sem fins comerciais.

Média at. remunerada=95,35


Média não remunerados=105,92
(p=0,004)
COM O AC (CAMBRAIA, 2003)
Participantes

 340 indivíduos do estado da Bahia que passaram pelo processo para obtenção,
renovação ou mudança de categoria da CNH, sendo 253 (74,4%) homens e 87 (25,6%)
mulheres. A média de idade foi 28,98 anos, variando de 18 a 59 anos.

TEACO-FF
Masculino Feminino Total
AC r 0,52 0,51 0,51
p 0,000 0,000 0,000
COM O TCR (SISTO, 2006)
Participantes

• 78 estudantes de uma universidade da cidade de Aracaju, estado de Sergipe. Em


relação ao sexo 26 (33,3%) eram homens e 50 (64,1%) mulheres. Duas pessoas não
informaram o sexo. Quanto à idade, a média foi 23,96, sendo a idade mínima 18 e a
máxima 43.

TEACO-FF
Masculino Feminino Total
TCR r 0,21 0,30 0,27
p 0,278 0,035 0,018
COM O TEPIC-M (RUEDA & SISTO, 2007)
Participantes

• 207 pessoas do estado de Sergipe, sendo 118 (57%) estudantes de uma universidade
particular e 89 (43%) indivíduos que passaram pelo processo de renovação, mudança
ou adição da CNH. A idade variou de 18 a 58 anos (M=23,08). 66 (31,9%) eram homens
e 141 (68,1%) mulheres.

TEPIC-M
Água Terra Céu Total
r p r p r p r p
Masculino 0,24 0,050 0,30 0,014 0,40 <0,001 0,49 <0,001
Feminino 0,27 <0,001 0,15 0,071 0,26 0,002 0,34 <0,001
TEACO- Com CNH 0,30 0,004 0,37 <0,001 0,42 <0,001 0,53 <0,001
FF Sem CNH 0,22 0,018 0,07 0,429 0,22 0,015 0,26 0,004
Total 0,27 <0,001 0,16 0,021 0,29 <0,001 0,36 <0,001
PRECISÃO
 Foi estudada a precisão em relação às faixas etárias e sexo por meio do
coeficiente alfa de Cronbach, as duas metades de Spearman-Brown e Guttman e
pelo modelo Rasch.
Masculino Feminino Geral
Até 27 anos 0,92 0,94 0,93
alfa 28 a 35 anos 0,93 0,90 0,91
36 anos ou mais 0,97 0,95 0,97
Total 0,94 0,93 0,93
Até 27 anos 0,93 0,95 0,93
Spearman-Brown 28 a 35 anos 0,95 0,90 0,91
36 anos ou mais 0,98 0,97 0,96
Total 0,93 0,94 0,93
Até 27 anos 0,92 0,95 0,93
Guttman 28 a 35 anos 0,94 0,90 0,91
36 anos ou mais 0,98 0,95 0,96
Total 0,93 0,94 0,93
Até 27 anos 0,92 0,95 0,94
Rasch 28 a 35 anos 0,92 0,89 0,89
36 anos ou mais 0,97 0,95 0,97
Total 0,93 0,95 0,99

1. Índices excelentes
2. Alfa de Cronbach: variando de 0,90 a 0,97
3. Método das duas metades Spearman-Brown e de Guttman: variando de 0,90 a
0,98
4. Modelo Rasch: variando de 0,89 a 0,99
TEACO-FF
• Instruções da aplicação

• Antes da aplicação, seja individual ou coletiva, sugere-se que aplicado


realize um bom rapport com os examinandos, com a função de
estabelecer um vínculo de confiança.

• O teste deve ser preenchido pelo próprio candidato, tanto no que se


refere às informações de identificação quanto às respostas do
instrumento.

• É importante que seja dada uma explicação geral sobre o motivo e o


objetivo da realização do teste.

• No caso da aplicação coletiva é recomendado que a quantidade de


pessoas não seja excessiva, sempre levando-se em consideração o
tamanho do local de aplicação
TEACO-FF
• APLICAÇÃO

• Tempo do exercício: 4 minutos


CORREÇÃO

Teste de Atenção Concentrada – TEACO-FF

Pontos = Acertos – (Erros + Omissões)


TEACO-FF -
CORREÇÃO
Este protocolo se refere a um sujeito do sexo masculino com escolaridade
superior incompleta e de 28 anos. O mesmo participou de uma avaliação
psicológica pericial para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação pela
primeira vez, pretendendo obter a categoria B. Em relação ao trabalho, o mesmo
não pretendia exercer atividade remunerada como motorista. Para atribuição de
um percentil e sua respectiva classificação foi consultada a Tabela 24, referente à
amostra normativa de forma geral. Como pode ser percebido, o examinando teve
136 acertos e cometeu 3 erros e 2 omissões. Com base na fórmula de correção
do teste [AC = A – (E + O)] chegou-se ao total de pontos do sujeito [AC = 136 – (3
+ 2)], ou seja, AC = 131. O percentil obtido pela pessoa foi 75, o qual é
classificado como Médio Superior.
Quando realizada uma análise mais aprofundada do protocolo puderam se
obter informações adicionais do examinando em comparação à amostra
normativa. Em relação a sua faixa etária encontra-se no percentil 80 (Tabela 25).
Já em comparação às pessoas com escolaridade superior completa ou
incompleta o seu percentil caiu para 60 (Tabela 26).
Com base no até aqui descrito, conclui-se que I.L.C. possui uma capacidade de
atenção concentrada que pode ser classificada como Média Superior. Apenas
quando foi comparado com pessoas da mesma escolaridade é que o sujeito foi
classificado como Médio. Por esses resultados I.L.C. estaria apto a conduzir
veículos automotores na categoria pretendida.
TEADI
CONSTRUÇÃO

• Estímulos do TEACO-FF, operacionalizados de acordo com o


conceito de atenção dividida.
• Estímulos abstratos.
• Estímulos distratores semelhantes aos estímulos alvo.
• Ao todo, 450 estímulos distribuídos em 30 linhas com 15
estímulos cada.
• 180 estímulos alvo (6 em cada linha). Pontuação máxima.
• 270 estímulos distratores (9 em cada linha).
• A localização dos estímulos foi sorteada ao acaso, evitando dessa
forma a repetição de linhas.
• Tempo de aplicação: 5 minutos.
TEADI
• Objetivo:
– Avalia a capacidade de uma pessoa em dividir a
atenção, ou seja, procurar mais de 2 estímulos
simultaneamente.

• População
– Os estudos apresentados no manual foram realizados
com adultos de 18 a 72 anos, que procuraram a
avaliação psicológica pericial para obtenção,
renovação ou mudança de categoria da Carteira
Nacional de Habilitação, assim como também em
estudantes universitários.
PARTICIPANTES
 878 sujeitos dos estados da Bahia e de Sergipe.

 Bahia: 488 indivíduos que passaram pelo processo de avaliação


psicológica pericial para obtenção, renovação ou mudança da
CNH.

 Sergipe: 390 estudantes universitários de vários cursos das


áreas de humanas, biológicas e exatas de uma instituição
particular.

 Idade: M=26,74 anos, variando de 18 a 72 anos.

 Sexo: 455 HOMENS e 423 MULHERES.


PARTICIPANTES
300

 Entre 20 e 27 anos ficou a


maior concentração de
200 pessoas (53,3% dos
participantes).
100

 A partir dos 30 anos:


marcada redução do
0 número de participantes.
18
21
24
27
30
33
36
39
42
45
48
51
54
57
60
63
66
69
72

Idade

Sendo assim, não se pôde obter um número razoável de sujeitos que fosse
representativo de cada uma das idades encontradas
TEADI
• Material
– Manual do teste
– Folha de resposta
– Caneta azul ou preta (responder o instrumento)
– Cronômetro ou relógio
– Crivo de correção
– Caneta vermelha (correção do instrumento).

• Aplicação
– Individual ou coletiva.
– Tempo de resolução do exercício: 5 minutos.
TEADI
• Qualidades Psicométricas

• Evidência de validade de construto pela diferenciação das idades


• Evidência de validade de critério em relação à variável escolaridade
• Evidência de validade convergente com o Teste de Atenção Concentrada –
AC
• Evidência de validade concorrente com o Teste de Atenção Sustentada - AS
• Evidência de validade concorrente com o Teste de Atenção Dividida – AD
• Evidência de validade concorrente com o Teste não Verbal de Inteligência
– R1
• Evidência de validade concorrente com o Teste não Verbal de Inteligência
– R1-Forma B
• Precisão por meio do coeficiente alfa de Cronbach
• Precisão por meio do método Spearman-Brown
• Precisão por meio do método de Guttman
Evidência de validade pela diferenciação das idades
200

Frequência

100

0
-1
-1 6
-8 5
-6
-4
-2

11
13
15
18
17
37
58
78
98
-4
2
0
5
5
4
4

9
9
9
0
 Pontuação média: 108,61 pontos. Pontos no TEADI
 A pontuação máxima foi 180 e a mínima -126.
 Apenas 1,6% das pessoas teve pontuações negativas.
 Entre 80 e 140 pontos (52,83% das pessoas).
 8 pessoas atingiram a pontuação máxima possível (0,9%).
 TEADI e Idade: r = -0,37; p = 0,000

140

120

100
Mádias de pontos

80

60

40

20

0
18 22 26 30 34 38 42 46 50 60
20 24 28 32 36 40 44 48 53 65

Idade
ESTUDO DE FAIXAS ETÁRIAS

 Até 25 anos / de 26 a 35 anos / 36 anos ou mais

 ANOVA: [F (2, 864)=53,57, p=0,000]

Faixas etárias N Subgrupo para alfa = 0,05


1 2 3
36 anos ou mais 115 77,17
26 a 35 anos 253 101,92
Até 25 anos 497 119,29
p 1,000 1,000 1,000
130

120
Média de pontos

110

100

90

80

70
até 25 anos de 26 a 35 anos 36 anos ou mais

Faixas etárias
 COMPARAÇÃO ENTRE SEXOS

Sexo M DP t p
Amostra total Masculino 105,72 43,57
-1,73 0,053
Feminino 111,73 43,50
até 25 anos Masculino 120,87 35,42
0,84 0,403
Feminino 117,96 41,20
de 26 a 35 anos Masculino 99,00 42,67
-1,42 0,156
Feminino 106,71 40,32
36 anos ou mais Masculino 69,03 46,13
-1,74 0,054
Feminino 87,74 52,03
Evidência de validade em relação à Escolaridade
Participantes
• 478 pessoas, sendo 323 homens (67,6%) e 155 (32,4%) mulheres. A idade variou
de 18 a 72 anos (M=27,91 anos).
300

200
Frequência

100

0
1 2 3 4 5 6 7

Escolaridade

1=Ensino Fundamental incompleto (17,4%) / 2=Ensino Fundamental Completo (7,9%) / 3=Ensino Médio incompleto
(8,4%) / 4=Ensino Médio completo (48,5%) / 5=Ensino Superior incompleto (10,3%) / 6=Ensino Superior completo
(7,1%) / 7=Pós-Graduação (0,4%)
• ANOVA = [F (6, 477)=17,16, p<0,001]

Escolaridade N Subgrupo para alfa = 0,05


1 2
Ensino Fundamental incompleto 83 70,45
Ensino Fundamental completo 38 92,76 92,76
Ensino Médio incompleto 40 106,68 106,68
Ensino Médio completo 232 106,94 106,94
Ensino Superior incompleto 49 129,49
Ensino Superior completo 34 131,97
Pós-Graduação 2 134,50
p 0,298 0,156
• ANOVA = [F (2, 477)=46,83, p<0,001]

Escolaridade N Subgrupo para alfa = 0,05


1 2 3
Ensino Fundamental 121 77,45
Ensino Médio 272 106,90
Ensino Superior 85 130,60
p 1,000 1,000 1,000
Com o TEACO-FF (Rueda & Sisto, 2009)

Participantes

 137 estudantes universitários do estado de Sergipe, sendo 32,6% homens e 67,4%


mulheres. A média de idade foi 24,86 anos, variando de 18 a 60 anos.

TEACO-FF
Correlação de Pearson
N r p
Até 25 anos 103 0,47 <0,001
TEADI 26 a 35 anos 20 0,45 0,055
36 anos ou mais 15 0,45 0,096
Amostra total 138 0,50 <0,001
COM O AC (CAMBRAIA, 2003)
Participantes

 122 indivíduos do estado da Bahia que passaram pelo processo para obtenção,
renovação ou mudança de categoria da CNH, sendo 82 (67,2%) homens e 40 (32,86%)
mulheres. A média de idade foi 28,18 anos, variando de 18 a 52 anos.

AC
Correlação de Pearson
N r p
Até 25 anos 54 0,70 <0,001
TEADI 26 a 35 anos 43 0,64 <0,001
36 anos ou mais 25 0,63 <0,001
Amostra total 122 0,69 <0,001
Com o Teste Não Verbal de Inteligência – R-1 (Alves, 2002)

Participantes

 116 indivíduos do estado da Bahia que passaram pelo processo para obtenção da
CNH, sendo 82 (70,7%) homens e 34 (29,3%) mulheres. A média de idade foi 27,78
anos, variando de 18 a 52 anos.

R-1
Correlação de Pearson
N r p
Até 25 anos 52 0,46 <0,001
TEADI 26 a 35 anos 43 0,38 0,011
36 anos ou mais 21 0,43 0,050
Amostra total 116 0,46 <0,001
Com o Teste Não Verbal de Inteligência – R-1-Forma B

Participantes

 97 indivíduos do estado da Bahia que passaram pelo processo para obtenção da


CNH. 61,9% eram homens e 38,1% mulheres, sendo 27,66 a idade média.

R-1 Forma B
Correlação de Pearson
N r p
Até 25 anos 43 0,53 <0,001
TEADI 26 a 35 anos 37 0,26 0,122
36 anos ou mais 17 0,41 0,104
Amostra total 97 0,44 <0,001
PRECISÃO
 Foi estudada a precisão pelo alfa de Cronbach, pelo método das duas metades
de Guttman e Spearman-Brown e pelo teste-reteste.
alfa Guttman Spearman-Brown
Até 25 anos 0,88 0,88 0,87
26 a 35 anos 0,89 0,89 0,87
36 anos ou mais 0,84 0,83 0,84
Geral 0,87 0,86 0,86
 Índices excelentes.
1. Alfa de Cronbach: variando de 0,84 a 0,89.
2. Método das duas metades Spearman-Brown e de Guttman: variando de 0,83 a
0,89.

TESTE-RETESTE
Participaram 69 estudantes universitários do curso de Psicologia do interior de SP. A idade
média foi de 24,24 anos, sendo 11,6% homens e 88,4% mulheres.
O intervalo entre as aplicações foi de 14 dias, sendo que o coeficiente de correlação obtido
foi de 0,78 (p=<0,001). Dessa forma, verificou-se que a estabilidade temporal do
instrumento é adequada.
TEADI
• Instruções da aplicação

– Rapport

– Teste deve ser preenchido pelo próprio candidato

– Aplicação coletiva é recomendado que a


quantidade de pessoas não seja excessiva
TEADI
• Aplicação

• Tempo de resolução do exercício: 5 minutos.


CORREÇÃO

Teste de Atenção Dividida– TEADI

Pontos = Acertos – (Erros + Omissões)


TEADI -
CORREÇÃO
TEALT
CONSTRUÇÃO

• Estímulos do TEACO-FF, operacionalizados de acordo com o conceito


de atenção alternada.
• Estímulos abstratos.
• Estímulos distratores semelhantes aos estímulos alvo.
• Ao todo, 352 estímulos distribuídos em 16 linhas com 22 estímulos
cada.
• 128 estímulos alvo (8 em cada linha). Pontuação máxima.
• 224 estímulos distratores (14 em cada linha).
• A localização dos estímulos foi sorteada ao acaso, evitando dessa
forma a repetição de linhas.
• Tempo de aplicação: 2 minutos e 30 segundos.
TEALT

• Objetivo:
– Avalia a capacidade de uma pessoa em focar a atenção,
ora em um estímulo, ora em outro, ou seja, capacidade de
alternar a atenção

• População
– Os estudos apresentados no manual foram realizados com
adultos de 18 a 72 anos, que procuraram a avaliação
psicológica pericial para obtenção, renovação ou mudança
de categoria da Carteira Nacional de Habilitação, assim
como também em estudantes universitários.
PARTICIPANTES
 853 sujeitos dos estados da Bahia e de Sergipe.

 Bahia: 466 indivíduos que passaram pelo processo de


avaliação psicológica pericial para obtenção, renovação ou
mudança da CNH.

 Sergipe: 387 estudantes universitários de vários cursos


das áreas de humanas, biológicas e exatas de uma
instituição particular.

 Idade: M=27,62 anos, variando de 18 a 72 anos.

 Sexo: 312 HOMENS e 154 MULHERES.


PARTICIPANTES
300

 Entre 19 e 25 anos ficou


a maior concentração de
200 pessoas (54,5% dos
participantes).

100
 Marcada redução do
número de participantes a
0
partir dos 28 anos.
18
21
24
27
30
33
36
39
42
45
48
51
54
57
60
63
66
69
72

Idade

Sendo assim, não se pôde obter um número razoável de sujeitos que fosse
representativo de cada uma das idades encontradas
TEALT
• Material
– Manual do teste
– Folha de resposta
– Caneta azul ou preta (responder o instrumento)
– Cronômetro ou relógio
– Crivo de correção
– Caneta vermelha (correção do instrumento).

• Aplicação
– Individual ou coletiva.
– Tempo de resolução do exercício: 2 minutos e 30 segundos
TEALT
• Qualidades Psicométricas

• Evidência de validade de construto pela diferenciação das idades


• Evidência de validade de critério em relação à variável escolaridade
• Evidência de validade convergente com o Teste de Atenção Concentrada –
TEACO-FF
• Evidência de validade concorrente com o Teste de Atenção Sustentada - AS
• Evidência de validade concorrente com o Teste de Atenção Dividida – AD
• Evidência de validade concorrente com o Teste não Verbal de Inteligência
– R1
• Evidência de validade concorrente com o Teste Conciso de Raciocínio - TCR
• Precisão por meio do coeficiente alfa de Cronbach
• Precisão por meio do método Spearman-Brown
• Precisão por meio do método de Guttman
• Precisão por meio do método das duas metades
Evidência de validade pela diferenciação das idades
200

Frequência

100

0
-1
-1
-9
-7
-5
-3
-1

10
12
26
47
67
87
6
36
16
5
5
5
4
4

8
8
Pontos no TEALT

 Pontuação média: 92,52 pontos.


 A pontuação máxima foi 128 e a mínima -136.
 3,1% (25 pessoas) teve pontuações negativas.
 Entre 100 e 128 pontos (53,8% das pessoas).
 6% das pessoas atingiram a pontuação máxima possível.
 TEALT e Idade: r = -0,36; p = 0,000

140
120
100
80
60
Médias de Pontos

40
20
0
-20
-40
-60
-80
-100
-120
-140
18 21 24 27 30 33 36 39 42 45 48 51 57 61 64

Idade
 ESTUDO DE FAIXAS ETÁRIAS

 Até 22 anos / de 23 a 32 anos / 33 anos ou mais

 ANOVA: [F (2, 797)=60,01, p=0,000]

Faixas etárias N Subgrupo para alfa = 0,05


1 2 3
33 anos ou mais 159 66,60
23 a 32 anos 320 90,45
Até 22 anos 319 107,52
p 1,000 1,000 1,000
110

100
Média de Pontos

90

80

70

60
até 22 anos de 23 a 32 anos 33 anos ou mais

Faixas etárias
 COMPARAÇÃO ENTRE SEXOS

Sexo M DP t p
Amostra total Masculino 106,83 26,18
-0,35 0,728
Feminino 107,75 21,55
até 22 anos Masculino 117,27 15,27
1,39 0,167
Feminino 112,96 18,79
de 23 a 32 anos Masculino 104,32 20,43
0,32 0,747
Feminino 103,16 19,13
33 anos ou mais Masculino 90,10 42,55
-0,72 0,475
Feminino 97,53 31,29
Evidência de validade em relação à Escolaridade
Participantes
• 476 pessoas, sendo 320 homens (67,2%) e 156 (32,8%) mulheres. A idade variou de
18 a 72 anos (M=27,58 anos).

Escolaridade N %
Ensino Fundamental incompleto 71 14,9
Ensino Fundamental completo 47 9,9
Ensino Médio incompleto 42 8,8
Ensino Médio completo 220 46,2
Ensino Superior incompleto 57 12,0
Ensino Superior completo 39 8,2
Total 476 100,0
• ANOVA = [F (5, 475)=19,09, p<0,001]

Escolaridade N Subgrupo para alfa = 0,05


1 2 3
Ensino Fundamental incompleto 71 38,01
Ensino Fundamental completo 47 69,98
Ensino Médio incompleto 220 85,63 85,63
Ensino Médio completo 42 89,76 89,76
Ensino Superior incompleto 39 102,38
Ensino Superior completo 57 106,74
p 1,000 0,201 0,145
• ANOVA = [F (2, 475)=39,64, p<0,001]

Escolaridade N Subgrupo para alfa = 0,05


1 2 3
Ensino Fundamental 118 50,75
Ensino Médio 262 86,29
Ensino Superior 96 104,97
p 1,000 1,000 1,000
Com o TEACO-FF (Rueda & Sisto, 2009)

Participantes

 127 estudantes universitários do estado de Sergipe, sendo 31,3% homens e 68,5%


mulheres. A média de idade foi 25,53 anos, variando de 18 a 60 anos.

TEACO-FF
Correlação de Pearson
N r p
Até 22 anos 63 0,35 0,005
TEALT 23 a 32 anos 43 0,68 <0,001
33 anos ou mais 21 0,55 0,010
Amostra total 127 0,55 <0,001
Com o Teste Não Verbal de Inteligência – R-1
(Alves, 2002)
Participantes

 259 indivíduos do estado da Bahia que passaram pelo processo para obtenção,
renovação, adição ou mudança de categoria da CNH, sendo 175 (67,6%) homens e 84
(32,4%) mulheres. A média de idade foi 27,51 anos, variando de 18 a 64 anos.

R-1
Correlação de Pearson
N r p
Até 22 anos 77 0,14 0,213
TEALT 23 a 32 anos 123 0,36 <0,001
33 anos ou mais 59 0,41 0,001
Amostra total 259 0,38 <0,001
PRECISÃO
 Foi estudada a precisão pelo alfa de Cronbach, pelo método das duas metades
de Guttman e Spearman-Brown e pelo teste-reteste.
alfa Guttman Spearman-Brown
Até 22 anos 0,86 0,85 0,85
23 a 32 anos 0,87 0,86 0,85
33 anos ou mais 0,85 0,81 0,84
Geral 0,83 0,82 0,86
1. Índices excelentes.
2. Alfa de Cronbach: variando de 0,83 a 0,87.
3. Método das duas metades Spearman-Brown e de Guttman: variando de 0,81 a
0,86.

TESTE-RETESTE
Participaram 62 estudantes universitários do curso de Psicologia do interior de SP. A idade
média foi de 23,68 anos, sendo 12,9% homens e 87,1% mulheres.
O intervalo entre as aplicações foi de 16 dias, sendo que o coeficiente de correlação obtido foi
de 0,66 (p=<0,001). Dessa forma, verificou-se que a estabilidade temporal do
instrumento é adequada.
TEALT
• Instruções da aplicação

– Rapport

– Teste deve ser preenchido pelo próprio candidato

– Aplicação coletiva é recomendado que a


quantidade de pessoas não seja excessiva
TEALT
• APLICAÇÃO

• Tempo de resolução do exercício: 2 minutos e 30


segundos
CORREÇÃO

Teste de Atenção Alternada– TEALT

Pontos = Acertos – (Erros + Omissões)


TEALT -
CORREÇÃO
BATERIA DE FUNÇÕES MENTAIS PARA
MOTORISTAS – BFM-1
Manual

Confuso

Repetitivo

Cópia e Cola

Embasamento teórico confuso

Erros de português

* Porém, mesmo com tudo isso,


é um dos instrumentos mais
utilizados no Brasil
TACOM A e B
TACOM A e B

• Objetivo:
– Avaliar a atenção concentrada do motorista, podendo ser
incluído na avaliação psicológica dos candidatos à CNH

• População
– Os estudos apresentados (normas) se referem a pessoas com
idade entre 18 e 59 anos (Universitários, adultos que
procuraram a avaliação psicológica pericial para obtenção,
renovação ou mudança de categoria da Carteira Nacional de
Habilitação e funcionários de uma empresa multinacional)
TACOM A e B
• Material
– Manual do teste (BFM1 – Teste de Atenção)
– Folha de resposta
– Cronômetro ou relógio
– Crivo de correção
– Caneta esferográfica

• Aplicação
– Individual ou coletiva (até 15 candidatos).
– Tempo de resolução: 1 minuto e 30 segundos
TACOM A e B
• Qualidades Psicométricas

• Evidência de validade de conteúdo


• Evidência de validade convergente com o Teste de Atenção
Concentrada – AC
• Evidência de validade concorrente com o Teste de de Inteligência
não verbal – R1
• Evidência de validade concorrente com o Teste TACOM C
• Evidência de validade concorrente com o Teste TACOM D
• Evidência de validade concorrente com entre TACOM A e TACOM B
• Precisão por meio do método das formas paralelas (TACOM A e
TACOM B)
TACOM A e B
• Instruções da aplicação

– Rapport

– Teste deve ser preenchido pelo próprio candidato

– Aplicação coletiva é recomendado que a


quantidade de pessoas não seja excessiva
TACOM A e B
• APLICAÇÃO

• Tempo de resolução: 1 minuto e 30 segundos


“O TADIM emprega apenas um tipo de símbolo que é
justamente a placa de demarcação quilométrica, que
faz parte da demarcação vertical das rodovias federais
e em especial da Rodovia Presidente Dutra”

“O TADIM é um teste que prima pela objetividade e ao


utilizar símbolos com cores e formatos bem próximos
das placas originais pode despertar o interesse e a
motivação dos candidatos para a sua realização”

TADIM 1 e 2

“O TADIM emprega apenas um tipo de símbolo que é justamente a placa


de demarcação quilométrica, que faz parte da demarcação vertical das
rodovias federais e em especial da Rodovia Ayrton Senna”

“O TADIM é um teste que prima pela objetividade e ao utilizar símbolos


com cores e formatos bem próximos das placas originais pode despertar
o interesse e a motivação dos candidatos para a sua realização”
TADIM 1 e 2

• Objetivo:
– Avaliar a atenção difusa do motorista, podendo ser
incluído na avaliação psicológica dos candidatos à CNH

• População
– Os estudos apresentados (normas) se referem a pessoas
com idade entre 18 e 59 anos (Universitários, adultos que
procuraram a avaliação psicológica pericial para obtenção,
renovação ou mudança de categoria da Carteira Nacional
de Habilitação)
TADIM 1 e 2
• Material
– Manual do teste (BFM1 – Teste de Atenção)
– Folha de resposta
– Cronômetro ou relógio
– Crivo de correção
– Caneta esferográfica

• Aplicação
– Individual ou coletiva (até 10 candidatos).
– Tempo de resolução: 4 minutos
CURIOSIDADES SOBRE O TADIM
Tipos de Tempos Valores
Menor tempo de Realização 2 minutos e 27 segundos
Maior tempo de Realização 8 minutos e 50 segundos
MÉDIA de tempo gasto 5 minutos e 23 segundos

“Foi obtido um tempo médio de 5´23´´, o que permitiu que o tempo de


aplicação fosse fixado em 4´ (quatro minutos) o tempo de aplicação”
TADIM 1 e 2
• Qualidades Psicométricas

• Evidência de validade de conteúdo


• Evidência de validade convergente com o Teste de Atenção
Concentrada – AC
• Evidência de validade concorrente com o Teste de
Inteligência não verbal – R1
• Evidência de validade concorrente com o Teste TEDIF
• Evidência de validade concorrente com entre TADIM1 e
TADIM2
• Precisão por meio do método das formas paralelas (TADIM
1 e TADIM 2)
TADIM 1 e 2
• Instruções da aplicação

– Rapport

– Teste deve ser preenchido pelo próprio candidato

– Aplicação coletiva é recomendado que a


quantidade de pessoas não seja excessiva
TADIM 1 e 2
• APLICAÇÃO

• Tempo de resolução: 4 minutos


TADIS 1 e 2
TADIS 1 e 2

• Objetivo
– Avalia a atenção discriminativa do motorista

• População
– Os estudos apresentados no manual foram realizados com
adultos de 18 a 59 anos, que procuraram a avaliação
psicológica pericial para obtenção, renovação ou mudança
de categoria da Carteira Nacional de Habilitação, assim
como também em estudantes universitários.
TADIS 1 e 2
• Material
– Manual do teste (BFM1 – Teste de Atenção)
– Folha de resposta
– Cronômetro ou relógio
– Crivo de correção
– Caneta esferográfica

• Aplicação
– Individual ou coletiva (até 15 candidatos).
– Tempo de resolução: 3 minutos
TADIS 1 e 2
• Qualidades Psicométricas

• Evidência de validade de conteúdo


• Evidência de validade convergente com o Teste de Atenção
Concentrada – AC
• Evidência de validade concorrente com o Teste de de
Inteligência não verbal – R1
• Evidência de validade concorrente com o Teste TEDIS
• Evidência de validade concorrente com entre TADIS1 e
TADIS2
• Precisão por meio do método das formas paralelas (TADIS 1
e TADIS 2)
TADIS 1 e 2
• Instruções da aplicação

– Rapport

– Teste deve ser preenchido pelo próprio candidato

– Aplicação coletiva é recomendado que a


quantidade de pessoas não seja excessiva
TADIS 1 e 2
• APLICAÇÃO

• Tempo de resolução: 3 minutos


Referências
• ANDRADE, M. O. P. E. M. Nível de atenção e sinais e sintomas de estresse em motoristas com e/ou sem infrações e acidentes.
2007. 127 f. Dissertação de Mestrado – Universidade Católica Dom Bosco – UCDB, Campo Grande, 2007.

• ARRUDA, J. R. F. S. Avaliação da atenção: estudo de validade no contexto do trânsito. 2008. 85 f. Dissertação de Mestrado –
Universidade São Francisco, Itatiba, 2008.

• BRAGA, J. L. Atenção concentrada e atenção difusa: elaboração de instrumentos de medida. 2007. 74 f. Dissertação de
Mestrado – Universidade de Brasília, 2007.

• CASTRO, N. R. (2008). Construção de um teste de atenção seletiva visual. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-
Graduação Stricto Sensu em Psicologia, Universidade São Francisco, Itatiba. Disponível em
http://www.usf.edu.br/itatiba/mestrado/psicologia/uploadAddress/DISSERTA%C3%87%C3%83O-
NELIMAR%20RIBEIRO%20DE%20CASTRO[10989].pdf

• GOMES, J. O. (2009). Capítulo 2: Atenção. Em: Escala de Depressão (EDEP) e medidas de Atenção e Transtornos de sono.
Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia, Universidade São Francisco, Itatiba, 96p.
Disponível online: http://www.usf.edu.br/itatiba/mestrado/psicologia/uploadAddress/JULIANA_GOMES[11862].pdf

• NORONHA A. P. P.; SISTO, F. F.; RUEDA, F. J. M.; BARTHOLOMEU, D. Evidência de validade desenvolvimental para o Teste de
Atenção Dividida. Psico, Porto Alegre, PUCRS, v. 39, n. 4, p. 492-499, out./dez. 2008

• RUEDA, F. J. M. Evidências de validade para o teste de atenção concentrada – TEACO-FF. 2009. 152 f. Tese de Doutorado –
Universidade São Francisco – USF, Itatiba, 2009.

• RUEDA, F. J. M. Atenção concentrada e memória: evidências de validade entre instrumentos no contexto da psicologia do
trânsito. Psicologia: Teoria e Prática, v. 11, n. 2, p. 182-195, 2009

• SISTO, F. F.; RUEDA, F. J. M.; NORONHA, A. P. P.; BARTHOLOMEU, D. Atenção dividida e inteligência: evidências de validade.
Encontro: Revista de Psicologia, v. 11, n. 16, p. 117-131, 2007.
Vídeo 4