Anda di halaman 1dari 5

NÚMEROS COMPLEXOS

1. DEFINIÇÃO

No conjunto dos números reais R, temos que a2 = a . a é sempre um número não negativo para
todo a. Ou seja, não é possível extrair a raiz quadrada de um número negativo em R. Dessa
impossibilidade surge o conjunto dos números complexos C.

Para definirmos tal conjunto inicialmente, assumimos a existência de um número complexo i tal
que i2 = - 1. Assumimos também que as operações de adição (+) e multiplicação estão definidas em
C, e que essas operações satisfazem as mesmas propriedades fundamentais no conjunto dos
números reais (falaremos sobre essas operações mais adiante). Podemos agora definir o conjunto
dos números complexos como sendo o conjunto dos números escritos na forma:

z = a + bi,

onde a e b são reais, sendo a chamado de parte real e b de parte imaginária. Simbolizamos as partes
real e a imaginária com a seguinte notação: a = Re(z) e b = Im(z). Desta forma:
z = Re( z ) + Im( z ) i
Definimos ainda que dois números complexos z1 = a + bi e z2 = c + di, serão iguais quando a=c
e b = d.

2. OPERAÇÕES ELEMENTARES

As operações de adição, subtração e multiplicação são feitas de maneira natural, considerando-se o


número complexo como um binômio.

Exemplo 1. Sejam z1 = 3 + 2i e z2 = 1 + 5i. Então,


z1+ z2 = (3 + 2i) + (1 + 5i) = 4 + 7i
z1- z2 = (3 + 2i) - (1 + 5i) = 2 – 3i
z1.z2 = (3 + 2i) . (1 + 5i) = 6 +15i +2i + 10i2 = 6 + 17i – 10 = - 4 + 17i

Chamamos de conjugado de um número complexo z = a + bi ao número z = a −bi . Desta forma,


para efetuar a divisão basta multiplicarmos os membros da fração pelo conjugado do denominador.
Por exemplo, usando z1 e z2 dados acima, temos:
z1 3 + 2i (1 − 5i ) 13 − 13i 1 1
= = = − i
z 2 1 + 5i (1 − 5i ) 26 2 2
3. PLANO DE ARGAND-GAUSS

Gauss associou a cada número complexo a+bi um par ordenado (a,b) com a,b∈R e representou
cada número como um ponto no plano. Essa representação recebe o nome de “Plano de Argand-
Gauss” ou “Plano Complexo”:
Im
b P(a,b)

a Re

Exercício 1. Utilizando as idéias de Gauss represente os seguintes números no plano:


a) P1 = 2+3i b) P2 = 4-i c) P3 = -3-4i d) P4 = -1+2i e) P5 = -2i

1
Im

Re

Obs.: Simbolizamos por Re o eixo dos reais, por Im o eixo dos imaginários e chamamos de afixo o
ponto que representa o número.

Chamamos de módulo do complexo z a distância do afixo de z até a origem e o representamos por


z ou ρ. Chamamos de argumento do número complexo z = a + bi, com z ≠ 0, ao ângulo θ,
0 ≤ θ < 2π , que o eixo real forma uma semi-reta de origem O e que contém P.

Im
P
ρ
θ
Re
O

Exercício 2. Determine o módulo e o argumento dos seguintes complexos:


a) 4+3i b) 2-2i c) 3+i d) 3 e)2i f) a+bi

4. POTENCIAÇÃO

Recordemos as fórmulas de adição e subtração de arcos trigonométricos:


cos( a ± b) = cos a cos b sen a sen b
sen( a ± b) = sen a cos b ± sen b cos a

Tendo em mãos estas fórmulas, as operações de multiplicação, divisão, potenciação e radiciação de


números complexos na forma trigonométrica são facilmente efetuadas. Em primeiro lugar,
consideremos os números complexos

z1 = r1(cos a + isen a) e z2 = r2(cos b + isen b)

Calcule z1.z2, colocando r1.r2 em evidência e agrupando os termos semelhantes (lembre-se que
i 2 = −1 ).

Agora, utilizando as fórmulas de soma e subtração de arcos dadas acima, observe que podemos
escrever z1.z2 de uma forma mais sucinta:

z1.z2 = r1r2[cos(a+b) + isen(a+b)]

Note que o módulo do produto é o produto dos módulos dos fatores e o argumento é a soma dos
argumentos dos fatores.

2
Utilizando um processo chamado Indução Matemática podemos provar que, se
z = r (cos θ + i sen θ) , então, para todo n ∈ Ν ,

z n = ρ n [ cos ( nθ ) + i.sen ( nθ ) ] , onde 0 ≤ nθ < 2π

Esta fórmula é conhecida como Fórmula de Moivre.

5. RADICIAÇÃO

Chamamos de raiz n-ésima de um número complexo z o número complexo z k tal que ( z k ) = z .


n

Por exemplo,
• i é raiz quadrada de −1 pois i 2 = −1 .
• i é raiz cúbica de − i pois i 3 = −i .
• 2i é raiz quarta de 16 pois ( 2i ) 4 = 16 .

A operação de radiciação é uma forma de potenciação, onde os expoentes são números racionais
não inteiros. Desta forma, podemos utilizar a fórmula de Moivre para calcular também as raízes
enésimas de um número complexo:
1 1
  θ + 2kπ   θ + 2kπ  θ + 2kπ
z n = r n cos  + i.sen  , onde 0 ≤ < 2π e 0 ≤ k < n
  n   n  n

Exemplo 2. Encontre as raízes quadradas de z = 4 + 4 3i

1º. Passo: calcular o módulo de z: z = (


42 + 4 3 ) 2
=8

 43 23
 s θe = n = π
2º. Passo: determinar o argumento de z : 
8 2 ⇒ θ = + 2 kπ
 c θ o= 4s= 1 3
 8 2
3º. Passo: usar a Fórmula de Moivre:
 π  π 
1 1  3 + 2kπ   + 2kπ 
3
z 2
= 8 cos 
2  + i.sen  
  2 



2 

    
 π π
1
 
= 8 2 cos  + kπ  + i.sen  + kπ 
 6  6 
1
 π π
Ou seja, para k = 0, z 2 = 2 2  cos + isen  = 6 + i 2
 6 6
1
 7π 7π 
e para k = 1, z 2 = 2 2  cos + isen  = 6 −i 2
 6 6 

3
6. EXERCÍCIOS

1. Obtenha o produto w = z1 . z 2 .z 3 onde


0 0
z1 = 3(cos 14  + i sen 14  )
z1 = 2 (cos 45 + i sen 45 )
a) b) z 2 = 4(cos 31 + i sen 31 )
z2 = 3(cos150 + i sen 150 )
z 3 = 6(cos 43  + i sen 43  )
z1 = 16 (cos 160  + i sen 160  )
c) z2 = 5(cos 325  + i sen 325  )
z3 = cos 308  + i sen 308 

R. a) w= 3 2 (cos 60 0 + sen 60 0 ) b) w = 72(cos88°+ isen88°) c) w = 80(cos73º + isen73º)

π π
2. Sendo z= 2 (cos +i sen ) e utilizando a multiplicação definida acima, detemine z2, z3 e z4.
4 4
3. Determine o módulo e o argumento do número z 4 para os complexos
a) z = 3(cos125°+isen125°) b) z = 2(cos300º + isen300º)

R. a) ρ = 81 e θ = 140  b) ρ = 16 e θ = 120 °

4. Calcule as potências, dando a resposta na forma algébrica


a) (1 −i 3 ) 8 b) ( 3 +i ) 6

R. a) -128 - 128 3 i b) -64

5. Dado o número complexo z = cos 45° + isen 45° , calcule


w = z + z2 + z3 + z4 + z5 + z6
2 2
R. w = (-1 - )+ i
2 2

6. Escreva as expressões abaixo na forma a + bi :


− + − +
( 2 − i) 2 3 −i
a) ( 4 i ) i ( 6 3i ) i b) c) (4 −i ).(1 −4i ) d)
(3 + i) 2 4 + 5i
i 7 −19 i
R. a) 7 − 6i b) − c) 17 i d)
2 41
7. Calcule i 2 , i 3 , i 4 , i 5 e observe que as potências começam a se repetir depois de i 4 . Comprove
este fato, mostrando que i 4 n +r = i r e aplique este resultado para calcular:
10
1 + i 
a) i 20
b) (1 + i ) 12
c)   d) 1 + i + i 2 +  + i 1992
1 − i 
R. a) 1 b) -64 c) -1 d) 1
8. Sendo n um inteiro, que valores podem ter i n + i −n ?

R. 0, 2 ou -2
a +i
9. Determine a real para que seja real.
1 + ai
R. ±1
2 + ai
10. Determine a real para que seja um imaginário puro.
1 −i
R. 2
11. Resolva em C as seguintes equações:

4
1 1 1 z2 z 2
a) z 2 = 2i b) z 2 − 2 z = −1 + i c) = + d) = −
z +3 z 3 6 2 3

2 + 2 + 2i 2 − 2 − 2i −3 ±3 3i 3 ± 7i
R. a) {1 +i, −1 −i} b) { , } c) d)
2 2 2 2
12. Representar na forma trigonométrica:
a) 1 + 3i b) −1 + i c) 5 d) sen θ − i cos θ

 π π  3π 3π 
R.a) 2 cos + i sin  b) 2  cos + i sin  c) 2( cos 0 + i sin 0 ) d)
 3 3  4 4 
 3π   3π 
cos θ +  + i sin θ + 
 2   2 
13. Para que valores de n inteiro positivo (1 + i ) n é real?

R. n múltiplo de 4.

14. Qual é a forma algébrica do número complexo z representado na figura abaixo?

R. −3 +i 3

15. A figura abaixo representa um octógono regular inscrito numa circunferência. Sabendo-se que
BF = 8 , determine as formas algébrica e trigononétrica dos números complexos cujos afixos
são os pontos B e D .

R. B : 2 2 +i 2 2 ; D : −2 2 +i 2 2

16. Calcule, dando a resposta na forma algébrica:


−12 100
 5 3 5   1 3
a) ( −1 + i ) 6
b) ( 2 +i 2 ) 8
c) −
 2
+ i
2 
d) − + i
 2

2 
   
1 3
R. a) 8i b) 256 c) 5 −12 d) − +i
2 2

17. Encontre as raízes sextas de 8. Represente seus afixos no plano. Qual a medida de cada um dos
arcos determinados pelos afixos? Qual é a conclusão?