Anda di halaman 1dari 16

PLANO

PCMSO
MABE – Porto de Itaqui

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida
ÍNDICE
1. OBJETIVO

2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

3. ELABORAÇÃO DO CRONOGRAMA PARA IMPLEMENTAÇÃO DO


PROGRAMA

4. EXAMES SOLICITADOS

5. PROCEDIMENTOS

6. PRIMEIROS SOCORROS

7. PROTOCOLO DE CONDUTA ADOTADA NA EMPRESA

8. CONSIDERAÇÕES FINAIS

9. RATIFICAÇÃO DO PROGRAMA

10. RESPONSABILIDADES

11. ELABRAÇÃO APROVAÇÃO

12. HISTÓRICO

13. PERFIL DE EXAMES COMPLEMENTARES POR SETORES E POR FUNÇÃO

14. MÉDICOS EXAMINADORES AUTORIZADOS

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
3 /16

1 OBJETIVO

1.1 OBJETIVO

Este programa visa estabelecer as diretrizes básicas de procedimentos para a realização do


CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL, com a finalidade de zelar pela saúde do
trabalhador, promovendo o seu bem estar físico, mental e social, e paralelamente, a continuidade
operacional e aumento da produtividade da Empresa. Visa, também, promover em caráter
preventivo, rastreamento e diagnóstico precoce dos agravos à saúde do trabalhador, relacionando
ao tipo de natureza das atividades exercidas na empresa, além da constatação da existência de
casos de doenças ocupacionais ou danos à saúde dos trabalhadores.

2 IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

Empresa: MCE Engenharia:


Endereço: Unidade de Apoio Camaçari - Avenida Leste, S/N Lote 12 – Quadra 06 - Pólo de Apoio –
Camaçari/BA Brasil - CEP: 42.801-170.
CNPJ: 63.263.289/0001-51
CNAE: 41.20.4-00
Ramo de Atividade: Manutenção e montagem industrial
Grau de Risco: 04
Número de Funcionários (Médio): 890

Empresa: MABE Construção e Administração de Projetos


Endereço: Rua: Desembargador Leite de Albuquerque n° 635, sala 403 – Aldeota – Fortaleza/CE
Brasil – CEP: 60150-150
CNPJ: 09.320.689/0001-06
CNAE: 42.21.9-02
Ramo de Atividade: Construção de Estações e Redes de Distribuição de Energia Elétrica
Grau de Risco: 04
3 ELABORAÇÃO DO CRONOGRAMA PARA IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA

Anualmente, será elaborado o cronograma de trabalho, no qual deverá ser indicado claramente as
etapas e os prazos para o seu desenvolvimento.

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
4 /16

4 EXAMES SOLICITADOS

Todos os funcionários serão submetidos a exames clínicos, abrangendo anamnese ocupacional,


exame físico e mental, além dos exames complementares.

Exame médico faz parte da integração médico-trabalhador-empresa. O objetivo do exame de saúde


é:

a) Permitir a colocação dos trabalhadores em atividades adequadas as suas condições físicas


e psíquicas;

b) Permitir que o trabalhador tenha conhecimento do estado real de sua saúde e noções sobre
saúde ocupacional.

c) Promover a racionalização da mão de obra disponível, para que a produção atinja os


resultados esperados;

d) Cumprir as determinações legais;

e) Salvaguardar a empresa de ações fiscais, cíveis e trabalhistas;

1.2 OS TIPOS DE EXAMES MÉDICOS A QUE SÃO SUBMETIDOS OS


TRABALHADORES

4.1 EXAME ADMISSIONAL

Antes de iniciar suas atividades na empresa, o candidato a vaga, após aprovado nos critérios de
seleção, deverá realizar o exame médico para verificar se esta apto para o desempenho de suas
funções, através da realização do exame clínico e dos exames complementares, de acordo com a
função que irá exercer e o setor de trabalho.

4.2 EXAME PERIÓDICO

Todos os funcionários deverão ser submetidos aos exames clínicos e complementares


periodicamente, com o objetivo de confirmar sua aptidão no desempenho das atividades na empresa
e verificar eventuais danos à saúde.

Os exames periódicos serão realizados nos seguintes intervalos de tempo:

Anualmente: serão submetidos aos exames clínicos e complementares anuais todos os funcionários
da área de produção e setor administrativo.

4.3 EXAME DE RETORNO AO TRABALHO

Todos os funcionários que permaneceram afastados da empresa, por período igual ou superior a 15
dias, por motivo de doença, acidentes de trabalho e parto, serão submetidos a exames clínicos e
complementares a critério do médico, antes do retorno as atividades.

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
5 /16

4.4 EXAME DE MUDANÇA DE FUNÇÃO

Todo o funcionário que pro qualquer motivo, for transferido de setor ou de função, e para exercer
esta nova atividade, estiver exposto a risco diferente do anterior, deverá ser submetido a exame
clinico e exames complementares que o novo posto exigir.

4.5 EXAME DEMISSIONAL

Todo funcionário que estiver em vias de desligamento da empresa, seja por iniciativa do
empregador ou do próprio empregado, deverá ser submetido a exame médico, independente da data
do último exame periódico.

1.3 A COMPOSIÇÃO BÁSICA DOS EXAMES DE SAÚDE CONSTITUI EM:

4.6 ANAMNESE OCUPACIONAL

Consiste em entrevista, baseada em questionário pré elaborado, com perguntas relativas as


atividades exercidas pelo candidato ao longo de sua vida profissional e pessoal, sendo seu
preenchimento iniciado pelo próprio candidato, por ocasião de sua admissão na empresa e
complementada pelo médico.

4.7 EXAME CLÍNICO MÉDICO

Será realizado pelo Médico do Trabalho, após a realização dos exames complementares solicitados,
sendo baseado nas atividades exercidas na empresa.

4.8 EXAMES LABORATORIAIS ESPECÍFICOS

Serão solicitados aos funcionários que desempenham suas atividades em locais onde existem riscos
específicos.

1.4 EXAMES COMLEMENTARES ESPECÍFICOS

a) Audiometria
b) Hemograma e Plaquetas
c) Eletrocardiograma
d) Espirometria
e) RX- Tórax
f) Acuidade Visual
A avaliação da acuidade visual será realizada pelo médico do trabalho da empresa que, se o seu
resultado não for normal o funcionário deverá ser encaminhado ao oftalmologista, sendo sua
conclusão apresentada ao médico.
g) Outras Avaliações

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
6 /16

Para melhor avaliação do funcionamento dos órgãos e sistemas orgânicos dos funcionários, a
critério do Médico Coordenador, poderão ser solicitados outros exames complementares, usados
normalmente em patologia clínica e toxicologia.
5 PROCEDIMENTOS

1.5 PRONTUÁRIO

Todos os dados obtidos no exame médico, incluindo avaliação clínica e exames complementares, as
conclusões e as medidas aplicadas deverão ser registradas em prontuário clínico individual, que
ficará sob a responsabilidade do Médico Coordenador do PCMSO.

Os registros a que se refere o parágrafo anterior deverão ser mantidos arquivados por período
mínimo de 20 anos, após o desligamento do funcionário.

1.6 ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL

Após a realização do exame clínico e dos exames complementares, será expedido o Atestado de
Saúde Ocupacional – ASO em duas vias sendo que:

a) A primeira via ficará arquivada na Empresa;

b) A segunda via será entregue ao funcionário, mediante recibo na primeira via;

c) O Atestado de Saúde Ocupacional deverá conter no mínimo:

I) Nome completo do funcionário;

II) Número de registro na empresa;

III) Função atual;

IV) Riscos ocupacionais específicos existentes, ou ausência deles, conforme


instruções técnicas expedidas pela Secretaria de Segurança e Saúde do Trabalhador;

V) Indicações dos procedimentos médicos a que foi submetido o funcionário,


inclusive os exames complementares e a data em foram realizados;

VI) O nome, assinatura e número do CRM do Médico Coordenador;

VII) Definição de apto ou inapto para a função específica na empresa que irá exercer
estiver exercendo ou exerceu.
1.7 RELATÓRIO ANUAL

Anualmente deverá ser emitido relatório descriminando por setor, o número e a natureza dos
exames médicos realizados, incluindo avaliações clínicas e exames complementares, estatísticas de
resultados considerados normais, assim como o planejamento para o próximo ano.

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
7 /16

Que será entregue no mês de dezembro de cada ano.

1.8 CONTROLE DOS EXAMES PERIÓDICOS

O controle da realização dos exames clínicos e complementares será feito pelo Médico
Coordenador, através de planilha de Controle de Exames Médicos Periódicos, que será arquivada
em pasta separada, a fim de propiciar melhor controle sobre a realização dos exames e facilitar a
tomada de dados estatísticos.

Garantir cumprimento ao cronograma anual de realização dos exames.

As fichas dos funcionários demitidos durante o ano corrente serão separadas e arquivadas, para
posterior coleta de dados, a fim de possibilitar a elaboração do Relatório Anual.

SERÁ EXIGIDO DAS EMPRESAS TERCEIRIZADAS CÓPIAS DO PCMSO E OS


ATESTADOS DE SAÚDE DOS FUNCIONÁRIOS

6 PRIMEIROS SOCORROS

1) Aos funcionários acometidos de doença ou acidente de trabalho, a empresa manterá a


disposição do ambulatório médico material, medicamentos e instrumentos para o atendimento
de Primeiros Socorros, que ficará sob responsabilidade de uma pessoa habilitada e capacitada para
atender a esses casos;

2) Durante o expediente da empresa, deverá ser colocado a disposição dos funcionários,


sistema, que garanta o transporte eficiente, rápido e seguro para o atendimento médico-hospitalar de
urgência;

7 PROTOCOLO DE CONDUTA ADOTADA NA EMPRESA

1.9 QUANTO AO RUÍDO

Os trabalhadores expostos a ruído serão avaliados através de Audiometria.

Para a audiometria recomenda-se que sejam seguidos parâmetros e diretrizes mínimas:

1) Repouso auditivo de pelo menos 14 horas antes do exame;

2) Otoscopia prévia no momento do exame;

3) Nas funções indicadas, seja feita:

I) No exame admissional

II) Após 6 meses da admissão

III) A cada exame periódico

IV) No exame demissional


CÓPIA NÃO CONTROLADA
Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
8 /16

1.10 PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA

As medidas de controle de ruído devem ser implantadas sempre de forma a diminuir o ruído em sua
fonte de emissão, em sua propagação, e em último caso usando-se E.P.I.s.

O seguimento dos profissionais envolvidos através de exames periódicos anuais, e de audiometria,


servirá para avaliar a eficácia das medidas implantadas, protegendo o trabalhador de danos
irreversíveis à sua saúde.

1.11 QUANTO A L.E.R. (LESÕES POR ESFORÇOS REPETITIVOS/DORT (DOENÇAS


OSTEOARTICULARES RELACIONADAS AO TRABALHO)

A L.E.R./D.O.R.T. engloba sob seu significado uma série de alterações do aparelho osteomuscular,
que se caracterizam por manifestações diversas, de cunho muitas vezes subjetivo, mas que não
podem ser negligenciadas. Assim, aquelas funções sujeitas a movimentos repetitivos de qualquer
espécie, mesmo que não habitualmente descritos em literatura especifica devem ser avaliadas, para
investigação quanto ao nexo casual e posterior acompanhamento.

Recomenda-se a adoção de medidas de cunho administrativo, definindo pausas, exercícios de


relaxamento e outras sempre que houver possibilidade de determinada função predispor ao
surgimento de L.E.R./D.O.R.T..

1.12 QUANTO A ACUIDADE VISUAL

Nos exames clínicos deverá ser dada especial atenção à acuidade visual, principalmente quando a
função exercida pelo empregado estiver relacionada ao contínuo esforço visual.

Destaque-se que as deficiências diagnosticadas, sempre que não incapacitantes, não implicarão em
inaptidão para a função, mas determinarão encaminhamento para adequado tratamento e correção.

1.13 QUANTO AOS PRODUTOS QUÍMICOS

Os trabalhadores devem ser orientados quanto à forma correta para manipulação, e serão avaliados
clinicamente no PCMSO, especialmente quanto à prevenção de exposição excessiva.

Nas diferentes funções que se manipulam produtos químicos, recomendam:

a) Sempre que possível, substituir agentes nocivo por outros que não ofereçam risco.

b) Manter condições de ventilação e exaustão eficientes.

c) Quando necessário, usar E.P.I.s (equipamento de proteção individual), principalmente


máscaras adequadas, óculos e luvas.

1.14 QUANTO A POSTOS DE SEGURANÇA

Postos de segurança são aqueles nos quais o funcionário pode colocar em risco, direta ou
indiretamente, tanto a si próprio, quanto outras pessoas. Considerando especialmente os
funcionários que operam empilhadeira, como aqueles que se enquadram na categoria.
CÓPIA NÃO CONTROLADA
Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
9 /16

Recomendamos especial atenção a este funcionário, não apenas quanto ao aspecto médico, mas
quanto a aspecto psicossociais. Quaisquer alterações de comportamento, mesmo consideradas leves,
devem ser levadas a conhecimento do seu superior imediato, e do médico coordenador do PCMSO.

8 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Este Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional faz parte de um conjunto de Normas
Regulamentadoras do Ministério do Trabalho. Deve ser considerado de forma dinâmica, podendo e
devendo ser alvo de atualização sempre que houver alterações nos processos envolvidos, ou ainda
quando forem detectados riscos previamente não contemplados.

Para seu efeito pleno é conveniente que não seja tratado ou executado isoladamente, e sim
implantado e desenvolvido de maneira articulada com outras normas e em especial com a NR-9
(Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA).

9 RATIFICAÇÃO DO PROGRAMA

Estando em pleno acordo com o programa, este é ratificado pelos responsáveis diretos por sua
implementação.

10 RESPONSABILIDADES E AUTORIDADES

Responsabilidade pela implementação do PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE


OCUPACIONAL, bem como a elaboração do cronograma de trabalho, MÉDICO
COORDENADOR, Dr. Décio Batista de Castro CRM SP 49115, com auxílio e apoio dos ocupantes
dos cargos abaixo relacionados, os quais terão as seguintes atribuições:

Diretoria da empresa

 Determinar as responsabilidades a serem assumidas pelos diversos setores da empresa, e


titulares dos cargos e funções, de modo a ficarem conscientes de suas responsabilidades no
programa;

 Examinar e apoiar as solicitações feitas pelo Médico Coordenador para a implementação do


programa;

 Incentivar a implementação das medidas de proteção coletiva;

 Proporcionar condições financeiras para a implementação do programa;

Gerência de Manufatura

 Providenciar para que todos os funcionários realizem os exames previstos, neste programa,
conforme cronograma anual e solicitação do Médico Coordenador.

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
10 /16

 Informar ao Médico Coordenador, antecipadamente, à alteração no método de trabalho,


instalação de novas máquinas, equipamentos e emprego de novas matérias primas a serem
utilizadas na empresa que possam interferir na execução do PCMSO.

Coordenação de RH

 Providenciar a liberação e o encaminhamento dos funcionários para a realização dos exames


complementares previstos no programa;

 Comunicar e encaminhar ao Médico Coordenador para exame médico todos os candidatos a


uma vaga, aprovados no processo de seleção, antes do inicio de suas atividades na empresa;

 Comunicar e encaminhar ao Médico Coordenador para exame médico os funcionários que


mudarem de função, retornarem ao trabalho por motivo de doença.

 Comunicar e encaminhar ao Médico Coordenador para exame médico os funcionários que


forem demitidos antes de realizar a homologação.

Engenharia de Segurança do Trabalho

Comunicar ao Médico Coordenador:

 Todos os acidentes e incidentes ocorridos na Empresa;

 Novos riscos de acidentes e doença ocupacionais detectadas nas inspeções;

 Informar ao Médico Coordenador, antecipadamente, à alteração no método de trabalho,


instalação de novas máquinas, equipamentos e emprego de novas matérias primas a serem
utilizadas na empresa que possam interferir na execução do PCMSO.

Médico do Trabalho Coordenador

 Cabe ao Médico realizar a avaliação clínica e análise dos exames complementares conforme
indicados neste programa;

 Orientar o empregador quanto à necessidade da adoção das medidas de controle no ambiente de


trabalho;

 Solicitar a mudança de função do funcionário incapacitado por doença ou acidente de trabalho;

 Informar a empresa a necessidade de emissão de CAT, quando necessário.

 Responsabilizar-se tecnicamente e legalmente pelo adequado desenvolvimento do PCMSO.

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
11 /16

11 ELABORAÇÃO / APROVAÇÃO

DADOS BÁSICOS DA MCE

MCE Engenharia Ltda


Avenida Leste S/N Lote 12, Camaçari (BA) Brasil
CEP: 42801-170
Tele fax: 0(71) 3183-8800
E-mail: mceengenharia@mce.com.br
CNPJ: 63.263.289/0001-51

Código da Atividade CNAE – 41.20.4-00 Grau de Risco 4


PRINCIPAIS CONTATOS DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL DA MCE

Engº José Fernando Cirne Silva


Dr. Décio Batista Castro
Engenheiro de Segurança do Trabalho
Médico do Trabalho
CREA RJ 1990100565
CRM 49115
Telefax.: (21) 8890-6301
Tel.: 011-4586-5710
e-mail : j o s e . c i r n e @ m c e . c o m . b r

IDENTIFICAÇÃO / ASSINATURA DO RESPONSÁVEL PELO PCMSO

_________________________________
Dr. Décio Batista Castro
Médico Coordenador do PCMSO
CRM 49115

12 HISTÓRICO

Rev. Item Histórico da Revisão Data Aprovado por


0 Todos Emissão inicial 21/06/2010 Fernando Cirne

13 PERFIL DE EXAMES COMPLEMENTATARES POR SETOR E FUNÇÃO

TIPOS DE EXAMES
CARGOS/GHE RISCOS
ADM. PER. DEM.
01
CÓPIA NÃO CONTROLADA
Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
12 /16

Ruído ,
Ajudante de Elétrica Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Eletricista de Manutenção Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Eletricista Força e Controle Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Eletricista Montador Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Encarregado de Elétrica Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Encarregado de Instrumentação Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Instrumentista Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Instrumentista de Controle Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Instrumentista Pneumático Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Técnico de Intrumentação Vibrações,Radiação
não ionizante
02
Ruído ,
Ajudante Geral Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Caldeireiro Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Encanador Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Encarregado de Tubulação Vibrações,Radiação
não ionizante
03
Encarregado de Mecânica Ruído ,
Vibrações,Radiação

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
13 /16

não ionizante
Ruído ,
Montador Hidráulico Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Regulador de Montagem Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Montador Vibrações,Radiação
não ionizante
04
Ruído ,
Pedreiro Vibrações,Radiação
não ionizante
05
Ruído ,
Montador de Andaime Vibrações,Radiação
não ionizante
Ruído ,
Encarregado de Montagem de Andaime Vibrações,Radiação
não ionizante
06
Ruído, Radiação não
Encarregado de Solda ionizante, Fumos
Metálicos
Ruído, Radiação não
Soldador RX ionizante, Fumos
Metálicos
Ruído, Radiação não
Soldador TIG ionizante, Fumos
Metálicos
07
Ruídos, Tintas e
Encarregado de Pintura
Solventes
Ruídos, Tintas e
Pintor
Solventes
08
Ruídos, Líquido
Auxiliar de Inspeção Penetrante Visível,
Revelador
Ruídos, Líquido
Inspetor Dimensional Penetrante Visível,
Revelador
Ruídos, Líquido
Penetrante Visível,
Inspetor de Recebimento Revelador

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
14 /16

Ruídos, Líquido
Penetrante Visível,
Inspetor de Solda Revelador
Ruídos, Líquido
Penetrante Visível,
Inspetor de Solda Nível 1 Revelador
09
Gerente de Projeto Ruídos
Chefe Gerente de Projeto Ruídos
Engenheiro de Montagem Ruídos
Supervisor de Controle de Qualidade Ruídos
Supervisor de Elétrica Ruídos
Supervisor de Estruturas Ruídos
Supervisor de Instrumentação Ruídos
Supervisor de Mecânica Ruídos
Supervisor de Solda Ruídos
Supervisor de Tubulação Ruídos
10
Administrativo Ruídos
Almoxarife Ruídos
Técnico em TI Ruídos
Auxiliar Administrativo Ruídos
Auxiliar de Almoxarife Ruídos
Auxiliar de Documentação Ruídos
Auxiliar Técnico de Materiais Ruídos
Auxiliar Técnico de Planejamento Ruídos
Encarregado Administrativo Ruídos
Encarregado de Almoxarifado Ruídos
Encarregado de Logística Ruídos
Engenheiro de Planejamento Ruídos
Ferramenteiro Ruídos
Supervisor de Suprimentos Ruídos
Supervisor de Materiais Ruídos
Técnico de Documentação Ruídos
Técnico de Materiais Ruídos
Técnico em Controle de Materiais Ruídos
Técnico de Controle de Fornecimento Ruídos
Técnico de Planejamento Ruídos
Técnico de Planejamento (invoicer) Ruídos
Topógrafo Ruídos
Tradutor Ruídos
Guarda Ruídos
11
Auxiliar Geral Ruídos
12

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
15 /16

Motoristas para Serviços Gerais Ruídos


Motoristas de Ambulância Ruídos
13
Auxiliar Técnico em SMS Ruídos
Engenheiro de SMS Ruídos
Técnico em SMS Ruídos
Motorista de Caminhão Munk Ruídos
14
Médico do Trabalho Ruídos, Bactérias, Vírus
Auxiliar de Enfermagem Ruídos, Bactérias, Vírus

OBS: A audiometria deverá ser repetida de 6 meses da admissão e posteriormente conforme


periodicidade acima. No exame admissional a audiometria deverá ser obrigatoriamente realizada
após repouso acústico de 14 horas.

Para os funcionários expostos a trabalho em altura deverão realizar: Eletroencefalograma na


admissão e bienal e Eletrocardiograma na admissão e anual.

LEGENDA
Tipos de Exames: Periocidade: Riscos Ocupacionais:

1- Exame Clinico S.R.O.E. (Sem Risco


2- Audiometria Ocupacional Especifico)
3- Hemograma Completo e A- Anual
plaquetas B- Bienal Físico: Ruído, radiação não
4- RX Tórax S- Semestral ionizante, vibrações
5- Espirometria
6- Acuidade Visual Químico: Funos metálicos,
7- Eletroencefalograma líquido penetrante visível,
8- Eletrocardiograma revelador, tintas e solventes
9- RX Coluna Lombo Sacra
Biológico: Vírus e bactérias

14 MÉDICOS EXAMINADORES AUTORIZADOS

Como médico coordenador da empresa, segue relação de médicos autorizados a realizarem exames
médicos como examinadores.

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida
PL-SAO-SEG-026.01.01-101
PCMSO
MABE – Porto de Itaqui Data
21/06/10
Revisão
00
Página:
16 /16

Clínica DLC Saúde e Segurança Ocupacional


Rua Anchieta, 647 – Centro – Jundiaí/SP – CEP: 13.201-804
Tel.: (011) 4526-5710
Dra. Amanda M. Valadares CRM 122.608
Dra. Ana Paula Nunes Milano CRM 87.658
Dr. Daniel G. A. da Costa CRM 135.759
Dr. Valter D. Oliveira Jr. CRM 69.846
Dr. Luiz Ricardo Hamer CRM 63.093

CÓPIA NÃO CONTROLADA


Somente para Informação
Reprodução Proibida