Anda di halaman 1dari 9

11/02/2019 A derivada e as funções marginais

+
A derivada e as funções marginais

Vamos começar esta aula propondo um desafio.

Desafio:

Você é o gerente de uma empresa que fabrica um determinado produto.


O número de unidades produzidas (x) e o seu custo de produção (C)
foram registrados na tabela abaixo:

Número de unidades vendidas (x) Preço unitário de venda em reais (C)

0 5.000

10 9.000

30 35.000

40 57.000

60 119.000

Com base nas informações acima, você precisa avaliar a taxa de variação
média do custo de produção quando o número de unidades produzidas
varia de 50 a 60 unidades e estimar o custo de produção da sexagésima
primeira unidade antes de autorizar essa operação.

Resposta ao Desafio

Taxa de variação média


Dada uma função y = f(x), dizemos que a sua taxa de variação média,
quando x varia de até , é dada pela seguinte razão:

f(x2) - f(x1)
x2 - x1

Agora, retornemos com a função anterior: C(x) = 30 x2 + 100x + 5.000

Observe os exemplos:

Exemplo 1

http://ead.uva.br///recurso/JLM/MAA/u4_c1_r1/index.htm 1/9
11/02/2019 A derivada e as funções marginais

A partir da função, determine a taxa de variação média de produção


quando esta varia de 50 para 60 unidades produzidas e interprete o
+
resultado obtido. A derivada e as funções marginais
    1º A taxa de variação média do custo de produção quando x varia de
x1 = 50 unidades produzidas para x2 = 60 unidades produzidas será
obtida pela razão C(60) - C(50) .
                                                        60 - 50

    2º Calcule o custo de produção de 60 unidades, C(60):

C(60) = 30 . (60)2 + 100 . (60) + 5.000 = 119.000

    3º Calcule o custo de produção de 50 unidades, C(50):

C(50) = 30 . (50)2 + 100 . (50) + 5.000 = 85.000

Assim, temos que a taxa de variação média solicitada é:

C(60) - C(50) = 119.000 - 85.000 = 34.000 = 3.400 reais/unidade


 60 - 50                   10                 10                                  

Isso significa que, quando aumentamos a produção de 50 para 60


unidades, cada uma das 10 unidades acrescentadas custará, em
média, para a empresa, R$ 3.400,00.

Exemplo 2

Determine a taxa de variação média de produção quando esta variar de


60 unidades para 61 unidades e interprete o resultado obtido.

    1º A taxa de variação média do custo de produção quando x varia de


60 para 61 unidades produzidas é:

C(61) - C(60) = 122.730 - 119.000 = 3.730 reais/unidade


 61 - 60                   1                                            

    2º Observe que o valor encontrado corresponde ao custo específico da


61ª (sexagésima primeira) unidade.

Algumas vezes não podemos prever o custo de produção de uma


determinada quantidade; somente após a sua efetiva produção
podemos dimensionar o valor real desse custo. Nesse caso, aparece

http://ead.uva.br///recurso/JLM/MAA/u4_c1_r1/index.htm 2/9
11/02/2019 A derivada e as funções marginais

a necessidade de se projetar um valor para o custo de produção de


uma unidade específica, antes de dispormos do custo total,
+
incluindo tal unidade.
A derivada e as funções marginais
    3º Temos que calcular o valor da taxa de variação solicitada sem
utilizar o custo de fabricação de 61 unidades, cuja representação é C
(61). Para isso, consideremos h como sendo o acréscimo a ser dado na
quantidade já conhecida, nesse caso, x = 60.

    4º Assim, passaremos a produzir x = 60 + h. A taxa de variação média,


então, será dada por:

C(60 + h) - C(60) = C(60 + h) - C(60)


 60 + h - 60                   h        

A seguir, vamos desenvolver C(60 + h).

    5º Na função C(x) = 30x2 + 100x + 5.000 (custo de produção de x


máquinas), substituímos x por (60 + h), conforme o cálculo abaixo:

C(60 + h) = 30(60 + h)2 + 100(60 + h) + 5.000 =

= 30 . (602 + 2 . 60 . h + h2) + 6.000 + 100h + 5.000 =

= 30 . (3.600 + 120h + h2) + 100h + 11.000 =

= 108.000 + 3.600h + 30h2 + 100h + 11.000 =

= 119.000 + 3.700h + 30h2 =

C(60) = 30. (60)2 + 100 . (60) + 5.000 = 119.000

    6º Fazendo C(60 + h) - C(60) obtemos:

119.000 + 3.700h + 30h2 – 119.000 = 3.700h + 30h2

Retomando a taxa de variação, temos:

3700h + 30h2 = h(3700 + 30h) = 3700 + 30h


 h                     h                     

Considerando que, no momento em que estamos avaliando esae nível de


produção, ou seja, 60 unidades, não existe variação no número de

http://ead.uva.br///recurso/JLM/MAA/u4_c1_r1/index.htm 3/9
11/02/2019 A derivada e as funções marginais

unidades produzidas, portanto podemos dizer que o parâmetro h tende a


ser igual a zero.
+
A derivada
Se substituirmos h por zero em 3.700 + e asobtemos
30h, funções marginais
R$ 3.700,00 por
unidade, o que, inicialmente, parece não ser uma boa aproximação para
o valor encontrado no item (a), que foi de R$ 3.730,00 reais por
unidade (custo real).

Lembre-se de que estamos fazendo uma estimativa para o custo da


61ª (sexagésima primeira) unidade a ser produzida.

Cálculo do valor limite da razão


O procedimento descrito anteriormente corresponde ao cálculo do valor

limite da razão quando h tende a zero (h => 0).

Uma notação matemática para esse cálculo é dada da seguinte forma:

lim C(60 + h) - C(60)


       h ➝ 0        h                

O cálculo é descrito como a derivada ou taxa de variação instantânea da


função C(x) = 30x2 + 100x + 5.000 no ponto x = 60 e corresponde a
uma estimativa para o custo de produção da 61ª unidade a ser produzida.

De um modo geral, ao calcularmos , estamos fazendo


uma projeção para o custo de produção da (x+1) - sexagésima unidade,
ou seja:

lim C(x + h) - C(x) ≅ C(x + 1) - C(x)


h ➝ 0        h                                        

Resumindo, podemos dizer que essa ferramenta, aliada a outras


informações técnicas referentes a questões sociais e econômicas,
permite que o gerente tenha condições de decidir pela produção ou não
da unidade em questão.

Custo marginal
Se C(x) é a função custo total de produção de x unidades de um produto,
então a derivada C'(x) é dada por:

C'(x) = lim C(x + h) - C(x)


http://ead.uva.br///recurso/JLM/MAA/u4_c1_r1/index.htm 4/9
11/02/2019 A derivada e as funções marginais

                             h ➝ 0        h                            
+
A derivada e as funções marginais
C’(x) representa uma estimativa para o custo de produção da
(x+1) - sexagésima unidade. A derivada da função custo no ponto
x = 60 corresponde a uma estimativa para o custo de produção da
sexagésima primeira unidade.

Em economia, a derivada da função custo total C’(x) ou dc é


denominada custo marginal.
                                                                                    dx
Todas as ideias abordadas sobre a função custo podem ser
estendidas para as funções receita total e lucro total no intuito de
se estudar as funções receita marginal e lucro marginal,
respectivamente.

Cálculo de derivadas
Considere a definição da derivada da função y = C(x):

C'(x) = lim C(x + h) - C(x)


                             h ➝ 0        h                            

Para obtermos a derivada de uma função em um ponto x, devemos,


então, resolver esse limite. Entretanto, temos condições de analisar
técnicas que facilitam a obtenção da derivada.

Vamos, inicialmente, considerar uma função:

C(x) = x3

Temos que:

C(x + h) = (x + h)3 =
= (x + h).(x + h)2 =
= (x + h).(x2 + 2xh + h2) =
x(x2 + 2xh + h2) + h(x2 + 2xh + h2)
= x3 + 2x2h + xh2 + x2h + 2xh2 + h3
= x3 + 3x2h + 3xh2 + h3

http://ead.uva.br///recurso/JLM/MAA/u4_c1_r1/index.htm 5/9
11/02/2019 A derivada e as funções marginais

C'(x) = F(x + h) - F(x)


                                    h                             +
A
= xderivada
3 + 3x2h + 3xhe
2 +as
h3 -funções
x3 marginais
                                    h                            

3x2h + 3xh2 + h3
                          h                            

Colocando o h em evidência, teremos:

h(3x2 + 3xh + h2)


                          h                            

Podemos simplificar o h do numerador com o h do denominador, obtendo


assim:

(3x2 + 3xh + h2)

Considerando h = 0, na expressão acima, temos:

C'(x) = 3x2

Observe que, sendo C(x) = x3, obtemos C'(x) = 3x2.

Note que o expoente 3 da função desce como um fator multiplicativo na


derivada, enquanto o expoente de x diminui uma unidade.

C'(x) = x3 ➝ C'(x) = 3x2

Assim sendo, é razoável, fazendo-se uma analogia com o exemplo acima,


que:

C(x) = x2 ➝ C'(x) = 2x1 =2x


C(x) = x4 ➝ C'(x) = 4x3
C(x) = x5 ➝ C'(x) = 5x4

Logo, de um modo geral, temos:

http://ead.uva.br///recurso/JLM/MAA/u4_c1_r1/index.htm 6/9
11/02/2019 A derivada e as funções marginais

C(x) = xn ➝ C'(x) = n.xn - 1 +


A derivada e as funções marginais
Aqui, n representa qualquer número real.

Clique aqui e saiba mais sobre outros resultados relevantes para o nosso
estudo. Esses resultados podem ser demonstrados de forma científica, e
você, caso deseje, poderá fazê-lo consultando a bibliografia indicada ao
final da unidade.

Aplicação na resolução de problemas de otimização

Apresentaremos um problema de otimização que será resolvido com o


cálculo de derivadas.

Vamos considerar a seguinte situação: o setor financeiro de uma empresa


realiza a modelagem matemática relacionando o lucro (L) (em milhares
de reais) com o número de unidades vendidas (x).

A função obtida consiste em um modelo quadrático dado por L = - x2 +


40x.

Graficamente, temos:

Os valores de x estão dispostos no eixo horizontal, e os valores de L, no


eixo vertical.

Podemos observar que:

http://ead.uva.br///recurso/JLM/MAA/u4_c1_r1/index.htm 7/9
11/02/2019 A derivada e as funções marginais

2 +
3
A derivada e as funções marginais

Cálculo da função lucro marginal (ou derivada da função lucro)


Considere:

L = - x2 + 40x

Temos que:

L' = -2x + 40

Agora, observe os cálculos:

Escolha um valor para x Quando substituímos x = 10 na derivada L’ =


situado entre 0 e 20. -2x+ 40,
Por exemplo: x = 10. obtemos L’ = -2 . (10) + 40 = -20 + 40 => L’
= 20 (derivada positiva) => lucro crescente.

Escolha um valor para x Quando substituímos x = 35 na derivada L’ =


situado entre 20 e 40. -2x + 40,
Por exemplo: x = 35. obtemos:
L’ = -2 . (35) + 40 = -70 + 40 => L’ = -30
(derivada negativa) => lucro decrescente.

Iguale a derivada obtida a zero L’ = -2x + 40 => 0 = -2x + 40 => 2x = 40 => x


(ou seja, fazemos L’ = 0). = 40/2 => x = 20.
Obtemos o valor de x => lucro máximo.
Nota: Esse cálculo contempla o fato de a
parábola representativa do
gráfico acima (função lucro) ter a concavidade
voltada para baixo.

Graficamente, temos:

http://ead.uva.br///recurso/JLM/MAA/u4_c1_r1/index.htm 8/9
11/02/2019 A derivada e as funções marginais

+
A derivada e as funções marginais

Observe que:

A função lucro marginal ou função derivada do lucro é positiva para


os valores de x entre 0 e 20 (lucro crescente).
A função lucro marginal ou função derivada do lucro é negativa
para os valores de x entre 20 e 40 (lucro decrescente).
A raiz da função lucro marginal ou função derivada do lucro (x = 20)
aponta o valor máximo da função (lucro máximo).

Podemos afirmar, de um modo geral, que a derivada positiva aponta um


estágio de crescimento da função, assim como a derivada negativa, um
estágio de decrescimento dessa função.

Quando resolvemos a equação em que a função derivada ou a marginal


está igualada a zero, encontramos como raiz (solução da referida
equação) um valor (ou mais) que pode ser o indicador de um ponto de
máximo ou mínimo.

Clique aqui e veja um exemplo.

Vídeo da Unidade

Clique aqui e assista à videoaula com o resumo do conteúdo.

http://ead.uva.br///recurso/JLM/MAA/u4_c1_r1/index.htm 9/9