Anda di halaman 1dari 4

FUNDAÇÃO EDSON QUEIROZ

UNIVERSIDADE DE FORTALEZA – UNIFOR


CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS – CCJ
Curso de Direito

FAMÍLIA BÉLIER E A IDENTIDADE SURDA

Nome: Vitória Ingreed Damasceno Martins.

Matrícula:1414849/3

Disciplina: Libras - EAD

Turma:30

Fortaleza–CE
Abril, 2019
1 Família Bélier e a Identidade Surda

No filme A família Bélier do diretor Eric Lartigau, lançado em 2014, relata a história de
uma família de pecuaristas que vivem no interior da França, onde sua principal forma de
subsistência é a produção e venda de queijo, o grande diferencial do filme é que este retrata o
dia a dia de uma família que em sua maior parte é surda, exceto pela filha mais velha.

Diversas vezes, o filme demonstra como é difícil para o núcleo familiar surdo ter uma
inclusão na sociedade ouvinte, sua principal forma de interação com os ouvintes é por meio da
sua filha Paula, que entende a linguagem de sinais e a interpreta para os ouvintes da cidade, isso
porque quase ninguém teve o interesse de aprender o tentar se comunicar por meio da
linguagem de sinais.

Por muitas vezes é retratado, como os ouvintes da cidade, olham estranho para a Família
Bélier, suas concepções de surdez é como se fosse algo de outro planeta e que de alguma forma
os Bélier não se encaixassem naquela sociedade ouvinte. Mesmo sendo uma cidade pequena e
a família Bélier ser moradora antiga desta, nenhum tipo de ação foi feita para a inclusão destes
ou o ensino da linguagem de sinais para os ouvintes.

Quanto a concepção surda dos próprios surdos no filme, esta é de empoderamento, tem
orgulho de serem surdo e a forma como são e pensam, momento que pode ser identificado
quando relatam a filha Paula que quando descobriram que a mesma era ouvinte, decidiriam
cria-la como se surda fosse, ela seria ouvinte mas surda de coração. O surdo não se identifica
como deficiente, tendo plena consciência da sua identidade surda, inclusive quando o prefeito
chega na barraca de vendas dos Bélier e promete um projeto de inclusão de deficiente como os
Bélier para ganhar a campanha, estes não aceitam esse título, já que o fato de não ouvir não os
tornarem deficientes.

Os Bélier fazem parte da cultura surda, onde se enquadram no conjunto de pessoas que
possuem a própria língua, valores e regras. Portanto, a partir do contato com outros surdos e a
criação e vivência dessa comunidade, cria-se a identidade surda, onde a receptividade cultural
faz com que floresça a consciência oposicional onde o indivíduo representa a si mesmo.

Por exemplo, ao se observa o pai, Rodolphe Bélier, que cansando da gestão do prefeito
resolve se candidatar e ser uma melhor opção de governo para sua cidade, a todo momento, a
partir da sua candidatura, o Sr. Bélier é desacreditado por ser surdo, e que, portanto, não poderia
ser um bom prefeito, as pessoas acham ridículo ele ao menos tentar, mas o Sr. Bélier acredita
em seu potencial e com o apoio da família se candidata.

O sr. Bélier possui uma identidade surda política, onde o surdo tem consciência dos seus
deveres e participa ativamente de diversas causa surdas, não só por se candidatar, mas ao
assumir uma posição de resistência contra aqueles que duvidaram dele só por ser surdo, e
representar a cultura surda e utilizar a linguagem de sinais.