Anda di halaman 1dari 15

1

MISSÃO EVANGÉLICA HEFZIBÁ

PASTOR MARCELO SERAFIM

CONFERÊNCIAS DE PODER E VIDA:

MINISTRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS


EM CONGRESSOS E FESTIVIDADES.

MINISTRAÇÃO DE ESTUDOS BÍBLICOS

SEMINÁRIOS (PALESTRAS) PARA CASAIS


E JOVENS: “NAMORO, NOIVADO & CASAMENTO”.
(27) 3323-6466

pastormarceloserafim@gmail.com
www.pastormarceloserafim.ning.com
3

LIÇÃO 5 - O PODER DA INTERCESSÃO


SEGUNDO TRIMESTRE DE 2010
JEREMIAS - ESPERANÇA EM TEMPOS DE CRISE
COMENTÁRIOS: Pr. CLAUDIONOR DE ANDRADE

TEXTO ÁUREO
"E, quanto a mim, longe de mim que eu peque contra o SENHOR, deixando de orar
por vós; antes, vos ensinarei o caminho bom e direito" (1º Sm 12.23).

VERDADE PRÁTICA
Orar é preciso; interceder é a obrigação de todo o povo de Deus.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Jeremias 14.1-3,7,8,10; 15.1.


1 A palavra do SENHOR, que veio a Jeremias, a respeito da grande seca.
2 Anda chorando Judá, e as suas portas estão enfraquecidas; andam de luto até
ao chão, e o clamor de Jerusalém vai subindo.
3 E os seus mais ilustres mandam os seus pequenos buscar água; vêm às covas e
não acham água; voltam com os seus cântaros vazios, e envergonham-se, e
confundem-se, e cobrem a cabeça.

7 Posto que as nossas maldades testifiquem contra nós, ó SENHOR, opera tu por
amor do teu nome; porque as nossas rebeldias se multiplicaram; contra ti
pecamos.
8 Oh! Esperança de Israel, Redentor seu no tempo da angústia! Por que serias
como um estrangeiro na terra e como o viandante que se retira a passar a noite?

10 Assim diz o SENHOR acerca deste povo: Pois que tanto amaram o afastar-se
e não detiveram os pés; por isso, o SENHOR se não agrada deles, mas agora se
lembrará da maldade deles e visitará os seus pecados.

Jeremias 15.1.
1 Disse-me, porém, o SENHOR: Ainda que Moisés e Samuel se pusessem diante
de mim, não seria a minha alma com este povo; lança-os de diante da minha face,
e saiam.
4

INTERCESSÃO:
A intercessão é tão importante que DEUS quando vai fazer algo que influencie o
quotidiano humano, ELE primeiro fala aos seus servos na terra para que estes
intercedam para que aconteça, caso seja bom, ou intercedam para que não
aconteça, caso seja mau. (2º Rs 24.2; Jr 25.4;)
Amós 3.7 = Certamente o Senhor JEOVÁ não fará coisa
alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos,
os profetas.
Exemplo: Quando DEUS quis destruir Sodoma e Gomorra primeiro falou com
Abraão (Gn 18.17). Quando DEUS quis destruir o povo hebreu, primeiro falou com
Moisés (Ex 32.9,10). Quando quis enviar libertação do cativeiro primeiro falou
com Daniel (Dn 9.2). Quando Deus quis castigar o povo de Israel, primeiro falou
com seus profetas (Jr 7.25; 11.7; Jr 25.4; 26.5; 29.19; 35.15; 44.4). Quando
Deus quis mandar o salvador, primeiro falou com os profetas (Dt 18.15; At 28.25;
Hb 1.1).

Note que ao pensar em destruir Sodoma e Gomorra, DEUS não se lembrou de Ló


e sua família, mas de Abraão, porque Abraão era um Intercessor (Gn 19.29).

Quando nosso filho, ou filha, ou mãe, ou pai, ou marido, ou esposa, ou parente, ou


amigo, ou conhecido, ou desconhecido, qualquer pessoa estiver em perigo, DEUS
recorrerá a nós para orarmos intercedendo, isso se nós estivermos na brecha,
conforme descrito em Ezequiel 22:30, in verbis:

Ez 22.30 E busquei dentre eles um homem que estivesse


tapando o muro e estivesse na brecha perante mim por
esta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém
achei.
Is 53:12; Jo 17:9; Rm 8:34; Hb 7:25; 1 Tm 2:1; 1 Sm 19:4, 25:24; Fm 10; Jó 9:32
-35; Is 62:6, 59:16; Ez 22:30,31: SE NÃO TIVER INTERCESSOR A IGREJA
SOFRE.

EXEMPLO DE ABRAHÃO: Gn 18:17, 19:29 – DE MOISÉS: Gn 32:10-14; 32:32,


33:18

TEMOS DOIS INTERCESSORES A QUEM BUSCAR:

JESUS É NOSSO INTERCESSOR NO CÉU: Rm 8.34


Quem os condenará? Pois é Cristo quem morreu ou,
antes, quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à
direita de Deus, e também intercede por nós.
5

Hb 2.18 Porque naquilo que ele mesmo, sendo tentado,


padeceu, pode socorrer aos que são tentados.

O ESPÍRITO SANTO É NOSSO INTERCESSOR NA TERRA: (Rm 8.26,27)


E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas
fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir
como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós
com gemidos inexprimíveis. E aquele que examina os
corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que
segundo Deus intercede pelos santos.
Definição de Intercessão:
Interceder é colocar-se no lugar de outro e pleitear a sua causa, como se fora
sua própria. É estar entre Deus e os homens, a favor destes, tomando seu lugar e
sentindo sua necessidade de tal maneira que luta em oração até a vitória na vida
daquele por quem intercede.
Há muitas definições que nós poderíamos dar sobre intercessão. A mais simples
está na Bíblia: "Orai uns pelos outros" (Tg. 5:16). Ela está cheia de exemplos:
Abraão suplicou por Ló e este foi liberto da destruição de Sodoma e Gomorra;
Moisés intercedeu por Israel apóstata e foi ouvido; Samuel orou constantemente
pela nação; Daniel orou pela libertação do seu povo do cativeiro; Davi suplicou
pelo povo; Cristo rogou por Seus discípulos e fez especial intercessão por Pedro;
Paulo é exemplo de constante intercessão. Toda a Igreja é chamada ao
fascinante ministério da intercessão.
O intercessor é o que vai a Deus não por causa de si mesmo, mas por causa
dos outros. Ele se coloca numa posição de sacerdote, entre Deus e o
homem, para pleitear a causa.
Intercessão é dar à luz no reino do espírito às promessas e propósitos de Deus. É
uma oração para que a vontade de Deus seja feita na vida de outros; é descobrir
o que está no coração de Deus e orar para que isso se manifeste.
Deus levanta hoje um verdadeiro exército de intercessores. Ele está para
trazer à Terra o maior derramamento do Espírito já testemunhado. Para tanto,
Seu Espírito traz ao Corpo de Cristo um peso de intercessão, pois a oração
intercessória é a ferramenta usada por Ele para manifestar na vida dos homens
Seus poderosos feitos.
Interceder é ver a necessidade da intervenção de DEUS nas mais diversas
situações. É captar a mente de Cristo, de modo a ver as circunstâncias como
Cristo as vê, e unir-se a Ele em súplica para que Deus se mova de tal maneira que
sua vontade e propósito Divinos sejam cumpridos nas vidas dos homens e das
nações.
6

Etimologia da Palavra
Etimologicamente, podemos considerar a palavra no hebraico, grego e português.
É interessante estudarmos o significado das palavras nas línguas originais, porque
em assim fazendo temos um entendimento melhor do que elas significam.
Paga (hebraico) - Vem da raiz de uma palavra que significa "colidir pela violência".
Paga, quer dizer: "colidir, encontrar, por acidente ou violência, ou
(figuradamente) pela importunação. Vir (entre), suplicar, cair (sobre), fazer
intercessão, interceder, pleitear, prostrar, encontrar com (juntos), suplicar,
orar, alcançar, correr". É esta a palavra usada em Is. 55:12; Jr. 7:16; 27:18;
36:25.
O Léxico Hebraico-Caldeu do Velho Testamento, de H.W.F. Gesenius, ressalta
vários significados existentes na raiz da palavra. Destacamos: "Vir sobre ou
contra, quer de propósito ou acidentalmente, quer violenta ou levemente; num
bom sentido, assaltar alguém com petições, orações; instá-lo; encontrar-se com;
alcançar alguém; fazer uma aliança com alguém..."
Interessantes são também as expressões: "colocar-se na brecha", para defender
alguém (Ez. 13:5; 22:30; SI. 106:23) e "erguer um muro em torno de alguém" (Ez.
13:6; 22:30).
Interceder, segundo o Dicionário de Aurélio, é "pedir, rogar, suplicar (por
outrem); intervir (a favor de alguém ou de algo)"
O Dicionário da Bíblia, de Nelson, declara: "O ato de peticionar a Deus ou orar a
favor de outra pessoa ou grupo."

A natureza pecaminosa deste mundo separa os seres humanos de Deus. “Tem sido
necessário, portanto, que pessoas justas vão a Deus buscar reconciliação entre
Ele e Sua criação caída.”

Encontro e Confronto
A palavra hebraica, paga, para intercessão, tem dois aspectos: O primeiro é de
luta, violência, choque e denota confronto. O outro, de encontro, colocar-se
entre, orar, suplicar. Concluímos, pois, que a intercessão tem duas facetas: Uma
de confronto com o inimigo e outra de encontro com o Rei.
O homem não tem autoridade para confrontar o seu Criador. Vamos a Deus com
uma atitude de quebrantamento e submissão. Contra quem, pois, se colide na
intercessão? Contra o que se opõe aos planos de Deus na vida dos filhos dos
homens.
No sentido lato da palavra, interceder é enfrentar as forças opostas de Satanás,
colidindo contra elas, pela batalha espiritual, e colocar-se diante de Deus,
firmado em Suas promessas, a fim de pleitear a causa de outros; é um encontro
com Deus e um confronto com Satanás, a favor dos homens.
7

INTERCESSÃO
Interceder é colocar-se no lugar de outro e pleitear a sua causa, como se fora
sua própria. É estar entre Deus e os homens, a favor destes, tomando seu lugar e
sentindo sua necessidade de tal maneira que luta em oração até a vitória na vida
daquele por quem intercede.
Há muitas definições que nós poderíamos dar sobre intercessão. A mais simples
está na Bíblia: "Orai uns pelos outros" (Tg. 5:16). Ela está cheia de exemplos:
Abraão suplicou por Ló e este foi liberto da destruição de Sodoma e Gomorra;
Moisés intercedeu por Israel apóstata e foi ouvido; Samuel orou constantemente
pela nação; Daniel orou pela libertação do seu povo do cativeiro; Davi suplicou
pelo povo; Cristo rogou por Seus discípulos e fez especial intercessão por Pedro;
Paulo é exemplo de constante intercessão. Toda a Igreja é chamada ao
fascinante ministério da intercessão.
O intercessor é o que vai a Deus não por causa de si mesmo, mas por causa dos
outros. Ele se coloca numa posição de sacerdote, entre Deus e o homem, para
pleitear a sua causa.
Intercessão é uma oração para que a vontade de Deus seja feita na vida de
outros; é descobrir o que está no coração de Deus e orar para que isso se
manifeste.
Deus levanta hoje um verdadeiro exército de intercessores. Ele está para trazer
à Terra o maior derramamento do Espírito já testemunhado. Para tanto, Seu
Espírito traz ao Corpo de Cristo um peso de intercessão, pois a oração
intercessória é a ferramenta usada por Ele para manifestar na vida dos homens
Seus poderosos feitos.
Interceder é ver a necessidade da intervenção de Deus nas mais diversas
situações. É captar a mente de Cristo, de modo a ver as circunstâncias como
Cristo as vê, e unir-se a Ele em súplica para que Deus se mova de tal maneira que
Sua vontade e propósito Divinos sejam cumpridos nas vidas dos homens e das
nações.
Interceder é combater.
O primeiro aspecto da intercessão, é de combate. Você vai perguntar: Por que
combate na intercessão? Saiba que não é Deus quem retém as bênçãos do Seu
povo. Muita gente pensa que Ele é o nosso problema. Absolutamente não! Ele não
é o meu problema, é a fonte da minha benção. O ladrão é quem procura segurar a
benção no caminho. Suponhamos que eu tenha dado uma Bíblia para o Antônio e o
José a tenha segurado, impedindo que ela chegue ao seu verdadeiro destino.
Onde está a Bíblia? Já a despachei para o Antônio. Se ela ainda não está em suas
mãos, aonde irá procurá-la? Contra quem irá lutar? Contra mim, ou contra quem
reteve a Bíblia? É claro que é contra o José.
Deus já despachou do Céu tudo quanto é necessário para uma vida de vitória.
Tudo é meu em Cristo Jesus. Ele já pagou o preço para que eu tenha a vitória,
8

paz, saúde, prosperidade. Tudo o que é de Deus é meu. Seus tesouros são meus,
em Cristo Jesus. Por que, então, vivo na miséria, preso, derrotado, oprimido,
amarrado? Alguém segurou a minha benção no caminho e agora nós vamos brigar.
É a vez de voltar-me para o inimigo e declarar: "Se Cristo pagou o preço, tira os
olhos de cima da minha benção, porque eu vou entrar agora na batalha, na
autoridade de Cristo Jesus". Este é um aspecto da intercessão, paga, ir contra.
Se o inimigo chegar perto, ele vai ver que o justo é ousado como um leão. É a essa
atitude que chamamos de combate espiritual e eis aí por que chamamos o
intercessor de guerreiro de oração.
O intercessor se coloca face a face com Deus e face a face com Satanás. Quanto
mais você intercede, mais verá a cara do inimigo, como é feia. Haverá guerra! Mas
glória a Deus, porque quanto mais você combate, mais se transforma em um
guerreiro firme, que não tem medo da batalha. Quando vem a guerra, você está
de prontidão, arregaça as mangas e vai à luta. Por quê? Porque você já sabe que
Satanás está derrotado. Essa é uma luta cuja vitória já foi ganha na cruz do
Calvário há dois mil anos atrás; e como Morris Cerullo gosta de dizer: "Tudo o que
eu tenho que aprender é como vencer um inimigo que já está derrotado." Satanás
nenhuma autoridade tem sobre você meu irmão, nenhuma. Só aquela que você lhe
der. Mas se você nada lhe der, ele nada terá. Ele não tem armas legítimas para
lutar contra você; porém você as tem. Você tem armas poderosas em Deus para
enfrentá-lo e vencê-lo. Ele tem uma boca grande, fala muito alto e faz a guerra
com um pacote de mentiras, procurando trazê-las aos seus ouvidos, a fim de
enfraquecer o seu espírito de combate. Todavia, se você conhece as suas
maquinações, e não lhe dá ouvidos, não se rebaixa para ouvi-lo, porque o lugar
dele é debaixo dos seus pés, ele será para você um inimigo derrotado.
Não se impressione com o rugir inimigo. Faz muito barulho, ruge como um leão,
mas não é um leão. Jesus é quem é o Leão da tribo de Judá, e ele procura imitá-
lo, mas só faz barulho, só ruge. É como na história do peregrino: quando ele chega
para entrar no castelo, feliz depois de vencidos tantos obstáculos, encontra um
leão na porta de entrada. Logo, porém, descobre que este está amarrado, não faz
nada, só mete medo, intimida com sua presença e seu rugir. Não tenha medo do
falso leão, pois está sob o controle do Altíssimo, em nome de Jesus.
O CRISTÃO COMO INTERCESSOR.
"Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de,
súplicas, orações e intercessões, ações de graça, em
favor de todos os homens" (1º Tm. 2:1).
"...e orai [também] uns pelos outros, para serdes
curados e restaurados [a um vigor espiritual de mente e
coração]. A fervorosa (sincera, continua) oração do justo
torna um tremendo poder disponível (dinâmico em sua
operação)" (Tg. 5:16).
9

O intercessor é aquele que se coloca entre Deus e os homens, a favor destes,


para pleitear sua causa, como se fosse própria. É aquele que se coloca entre vivos
e mortos para que cesse a praga (Nm, 16:48). É aquele que tem o seu espírito
afinado ao Espírito de Deus e consegue captar os pesos do Seu coração e se
devota a orar por outros, sob Sua liderança, até que o cetro de Deus se levante,
isto é, até que a causa seja ganha.
A intercessão visa alterar circunstâncias contrárias à vontade perfeita de Deus,
levando-as a se harmonizarem com a mesma. O crente é o canal de Deus na terra,
não só da proclamação da Sua Palavra, da Sua vontade e obra da Redenção, mas
também de intercessão. Como isso funciona? Sintetizando o que estamos
procurando transmitir, diríamos:
1 - Deus tem um propósito para o homem em Seu coração. Esse propósito tem
sido revelado na Bíblia e em Cristo.
2 - Jesus intercede junto ao Pai de acordo com esse propósito. Como
representante do homem no Céu, Jesus fala por ele.
3 - O Espírito Santo ouve o que Jesus fala e revela Seus desejos ao espírito do
crente. É ali que Ele habita e faz o elo de ligação entre Deus e o cristão. Ele traz
o que está no coração de Deus para o coração do crente.
4 - O intercessor fala e ora em linha com a revelação recebida pelo Espírito
Santo. Quando ele abre a boca para orar movido pelo Espírito, uma perfeita
harmonia se estabelece entre o Céu e a terra.
5 - É desencadeada a manifestação do poder de Deus nas circunstâncias a serem
alteradas e que foram objeto de oração, provocando uma mudança.
O Chamado à Intercessão
Todo cristão é chamado a exercer o sacerdócio. Sacerdote é o que se coloca
diante de Deus no lugar do homem, levando suas necessidades à presença daquele
que somente pode intervir miraculosamente na vida da raça humana.
l Pedro 2:9 declara:
"Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação
santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de
proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das
trevas para Sua maravilhosa luz."
Ocupar a função sacerdotal implica necessariamente em ministrar a Deus a favor

dos homens. É verdade que todos têm acesso à Deus, através de Cristo Jesus,

porém é também verdade que a Bíblia nos exorta a orar uns pelos outros e fazer

súplicas e intercessões por todos os homens. É um imperativo, um chamado, um

dever, um privilégio. Amados em Cristo Jesus, é premente a necessidade de

intercessores.
10

Você poderá dizer: Mas Deus já não proveu Jesus, como nosso intercessor? Isso

não basta? Não, isso não basta. A terra é ainda dos filhos dos homens e é nela

que as batalhas se travam. Em Cristo temos uma aliança com Deus, mas ainda é

através dos homens que tudo se realiza na terra. O que acontece com Cristo,

como o Intercessor provido pelo Pai, é que Ele tem autoridade de nos

representar diante de Deus e, pelo Seu Espírito, tanto mudou nossa natureza,

nos regenerou, elevando-nos à posição de filhos de Deus, como vive em nós. Isso

nos garante uma presença sobrenatural para nos guiar num viver de acordo com

Seus propósitos. Por causa do Espírito Santo em nós, que nos revela todas as

coisas, podemos agora falar e orar em perfeita linha com a vontade do Pai. Mas

coloque isso em seu coração: “Você e eu somos a boca através da qual o


Espírito Santo vai orar na terra o que Jesus ora no Céu. Através de nós,
Ele intercederá com "gemidos inexprimíveis.”

Convém a esta altura salientar que assim como Satanás só opera na terra, porque

encontra o consentimento dos homens, Deus também opera na terra através do

mesmo consentimento e instrumentalidade. Temos que abrir a boca aqui e dizer o

que Deus diz no Céu, e é quando essa harmonia acontece que as circunstâncias

mudam, vidas são arrancadas do inferno, avivamentos rompem, cadeias são

quebradas, Deus é temido, obedecido e glorificado.

A Intercessão é Prioridade
A intercessão deve ser uma das prioridades da vida do cristão. Todo crente é
chamado a interceder. Há pessoas que têm um ministério de intercessão, com
uma unção especial para tanto, mas cada crente tem uma vocação de Deus para
interceder; É um imperativo. Quem não o faz, não exerce seu sacerdócio. Paulo é
enfático ao dizer:
"Antes de tudo, pois, morto que se use a prática de
súplicas, orações e intercessões, ações de graça, em
favor de todos os homens” (1º Tm. 2:1).
Fazer intercessões e súplicas por todos, deve ser uma prática em nossa vida.
Insistimos no princípio: Deus nada faz na terra, a não ser por meio da
intercessão. Amado, nós temos que nos arrepender da nossa falta de intercessão.
Cada oração nossa realiza alguma coisa no reino do espírito. Um dia que passamos
11

sem interceder, é um dia em que perdemos a oportunidade de criar alguma coisa


no mundo espiritual, com conseqüências no mundo natural, sendo que esta
oportunidade não mais voltará.
Muitas crises surgem em nossas vidas por falta de oração. Muitas vezes o
Espírito nos traz uma direção, uma luz ou impressão, mas não queremos nos
devotar à intercessão e, então, sofremos, desastres acontecem na vida de
outros, almas vão para o inferno e angústias que poderiam ter sido evitadas pela
oração, dilaceram muitas almas.
Somos chamados a interceder! Não responder a esse chamado do Trono é estar
em pecado. O profeta Samuel, diante do pedido do povo para que clamasse a seu
favor, para que não morressem por causa dos seus próprios pecados, fez uma
tremenda declaração que deveria ser um desafio para nós também:
"E quanto a mim, longe de mim esteja o pecar contra o
Senhor, deixando de orar por vós; eu vos ensinarei o
caminho bom e direito" (1º Sm 12:23).
Deus tem um propósito para o homem em Seu coração, e precisa dos Seus filhos
para que esse propósito se estabeleça.
E o que é intercessão senão trazer a vontade de Deus à vida dos homens, da
Igreja e das nações? Se entendermos isso, não esperaremos sobrar um tempinho
para orar, mas faremos da intercessão uma das prioridades em nossa vida.

A INTERCESSÃO
Dn 9.3 “E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o
buscar com oração, e rogos, e jejum, e pano de saco, e
cinza.”
A oração de Daniel no cap. 9 é uma oração intercessória, pois ele ora
contritamente em favor da restauração de Jerusalém e de todo o povo de Israel.
A Bíblia nos fala da intercessão de Cristo e do Espírito Santo, e de numerosos
santos, homens e mulheres do antigo e do novo concerto.

A INTERCESSÃO DE CRISTO E DO ESPÍRITO SANTO.


1) Jesus, no seu ministério terreno, orava pelos perdidos, os quais Ele viera
buscar e salvar (Lc 19.10). Chorou, quebrantado, por causa da indiferença da
cidade de Jerusalém (Lc 19.41). Orava pelos seus discípulos, tanto
individualmente (ver Lc 22.32) como pelo grupo todo (Jo 17.6-26). Orou até por
seus inimigos, quando pendurado na cruz (Lc 23.34).
2) Um aspecto permanente do ministério atual de Cristo é o de interceder pelos
crentes diante do trono de Deus (Rm 8.34; Hb 7.25; 9.24; ver 7.25 nota); João
refere-se a Jesus como “um Advogado para com o Pai” (ver 1Jo 2.1 nota). A
intercessão de Cristo é essencial à nossa salvação (cf. Is 53.12). Sem a sua
12

graça, misericórdia e ajuda, que recebemos mediante a sua intercessão, nós nos
desviaríamos de Deus e voltaríamos à escravidão do pecado.
3) O Espírito Santo também está empenhado na intercessão. Paulo declara: “não
sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede
por nós com gemidos inexprimíveis” (Rm 8.26 nota). O Espírito Santo, através do
espírito do crente, intercede “segundo Deus” (Rm 8.27). Portanto, Cristo
intercede pelo crente, no céu, e o Espírito intercede dentro do crente, na terra.

A INTERCESSÃO DO CRENTE. A Bíblia refere-se constantemente às orações


intercessórias do crente e registra numerosos exemplos de orações notáveis e
poderosas.
1) No AT, os líderes do povo de Deus, tais como os reis (1º Cr 21.17; 2º Cr 6.14-
42), profetas (1º Rs 18.41-45; Dn 9) e sacerdotes (Ed 9.5-15; Jl 1.13; 2.17,18),
deviam ser exemplos na oração intercessória em prol da nação. Exemplos
marcantes de intercessão no AT, são as orações de Abraão em favor de Ismael
(Gn 17.18) e de Sodoma e Gomorra (Gn 18.23-32), as orações de Davi em favor de
seus filhos (2º Sm 12.16; 1º Cr 29.19), e as de Jó em favor de seus filhos (Jó
1.5). Na vida de Moisés, temos o exemplo supremo no AT, quanto ao poder da
oração intercessória. Em várias ocasiões ele orou intensamente para Deus alterar
a sua vontade, mesmo depois de o Senhor declarar-lhe aquilo que Ele já resolvera
executar. Por exemplo, quando os israelitas se rebelaram e se recusaram a
entrar em Canaã, Deus falou a Moisés que iria destruí-los e fazer de Moisés uma
nação maior (Nm 14.1-12). Moisés, então, levou o assunto ao Senhor em oração e
implorou em favor dos israelitas (Nm 14.13-19); no fim da sua oração, Deus lhe
disse: “Conforme à tua palavra, lhe perdoei” (Nm 14.20; Êx 32.11-14; Nm 11.2;
12.13; 21.7; 27.5;). Outros poderosos intercessores do AT são Elias (1º Rs 18.21-
26; Tg 5.16-18), Daniel (9.2-23) e Neemias (Ne 1.3-11).
2) O NT apresenta mais exemplos, ainda, de orações intercessórias. Os
evangelhos registram como os pais e outras pessoas intercediam com Jesus em
favor dos seus entes queridos. Os pais rogavam a Jesus para que curasse seus
filhos doentes (Mc 5.22-43; Jo 4.47-53); um grupo de mães pediu que Jesus
abençoasse seus filhos (Mc 10.13). Certo homem de posição implorou, pedindo a
cura de seu servo (Mt 8.6-13), e a mãe de Tiago e João intercedeu diante de
Jesus em favor deles (Mt 20.20,21).

3) A igreja do NT intercedia constantemente pelos fiéis. Por exemplo, a igreja


de Jerusalém reuniu-se a fim de orar pela libertação de Pedro da prisão (At 12.5,
12). A igreja de Antioquia orou pelo êxito do ministério de Barnabé e de Paulo
(At 13.3). Tiago ordena expressamente que os presbíteros da igreja orem pelos
enfermos (Tg 5.14) e que todos os cristãos orem “uns pelos outros” (Tg 5.16; cf.
Hb 13.18,19). Paulo vai mais além, e pede que se faça oração em favor de todos.
13

4) O apóstolo Paulo, quanto à intercessão, merece menção especial. Em muitas


das suas epístolas, discorre a respeito das suas próprias orações em favor de
várias igrejas e indivíduos (v.g., Rm 1.9,10; 2º Co 13.7; Fp 1.4-11; Cl 1.3,9-12; 1º Ts
1.2,3; 2º Ts 1.11,12; 2º Tm 1.3; Fm .4-6). Vez por outra fala das suas orações
intercessórias (v.g., Ef 1.16-18; 3.14-19; 1º Ts 3.11-13). Ao mesmo tempo, também
pede as orações das igrejas por ele, pois sabe que somente através dessas
orações é que o seu ministério terá plena eficácia (Rm 15.30-32; 2º Co 1.11; Ef
6.18-20; Fp 1.19; Cl 4.3,4; 1º Ts 5.25; 2Ts 3.1,2).

PROPÓSITOS DA ORAÇÃO INTERCESSÓRIA. Nas numerosas orações


intercessórias da Bíblia, os santos de Deus intercediam para que Deus sustasse o
seu juízo (Gn 18.23-32; Nm 14.13-19; Jl 2.17), que restaurasse o seu povo (Ne 1;
Dn 9), que livrasse as pessoas do perigo (At 12.5,12; Rm 15.31), e que abençoasse
o seu povo (Nm 6.24-26; 1Rs 18.41-45; Sl 122.6-8). Os intercessores também
oravam para que o poder do Espírito Santo viesse sobre os crentes (At 8.15-17;
Ef 3.14-17), para que alguém fosse curado (1Rs 17.20-23; At 28.8; Tg 5.14-16),
pelo perdão dos pecados (Ed 9.5-15; Dn 9; At 7.60), para Deus dar capacidade às
pessoas investidas de autoridade para governarem bem (1Cr 29.19; 1Tm 1.1,2),
pelo crescimento na vida cristã (Fp 1.9-11; Cl 1.10,11), por pastores para que
sejam capazes (2Tm 1.3-7), pela obra missionária (Mt 9.38; Ef 6.19,20), pela
salvação do próximo (Rm 10.1) e para que os povos louvem a Deus (Sl 67.3-5).
Qualquer coisa que a Bíblia revele como a perfeita vontade de Deus para o seu
povo pode ser um motivo apropriado para a oração intercessória.

COMENTÁRIO

Palavra Chave: Intercessão Do lat. Intercedere. Súplica ou rogo que se faz em


favor de outrem.

SINOPSES DO TÓPICO:
a) A intercessão é uma das maiores demonstrações de amor. Ela deve fazer
parte da vida do verdadeiro cristão.
b) Jeremias não ficou indiferente à sorte de seu povo. Ele intercedeu dia e
noite em favor da nação.
c) A Palavra de Deus, do Gênesis ao Apocalipse, nos exorta a intercedermos.
14

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I - Subsídio Teológico


Lamentação e Confissão (14.11-22)
"Jeremias aqui deu vazão à sua tristeza a respeito do estado da nação. Mas, de
alguma maneira, a angústia do profeta também é uma expressão da profunda
tristeza de Deus. 'Os meus olhos derramem lágrimas de noite e de dia [...] a
virgem, filha do meu povo, está ferida [...] de chaga mui dolorosa' (v.17). Ele
então descreve os resultados da seca: guerra civil, saques e morte. Se alguém se
arrisca ir ao campo, acaba vendo os mortos pela espada; no interior da cidade as
pessoas estão debilitadas pela fome e doença. A todo instante os falsos profetas
e sacerdotes trafegam em ‘pseudo-santidade' pela terra (v.18). Há maldade,
frustração e morte por toda parte.
Talvez encorajado pela própria tristeza de Deus a intervir em favor da nação, o
profeta irrompe em novas lamentações. Ele pergunta se a misericórdia e a cura
ainda podem ser obtidas: 'De todo rejeitaste tu a Judá? (v.19). Com um clamor
amargo, ele confessa a maldade dos pais (v.20), e então lembra a Deus do risco
do seu próprio nome e lhe roga lembrar-se do seu concerto com a nação.
Jeremias alegremente reconhece que o Senhor é o único Deus: Haverá,
porventura, entre as vaidades dos gentios, alguma que faça chover?' (v.22). O
profeta está convencido de que há esperança somente no Deus vivo. Ele declara
sua intenção de esperar no Senhor até que sua petição seja atendida"
(Comentário Bíblico Beacon. Vol. 4: Isaías a Daniel. Rio de Janeiro, CPAD, 2005,
p. 299).

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II - Subsídio Sociológico


A devastação da seca (14.1-6) - "Uma seca amedrontadora deu ao profeta a
oportunidade de ensinar algumas lições morais ao povo. A data da seca não pode
ser fixada, mas os horrores dela são descritos em termos gráficos. Toda a terra
chorava e o clamor de Jerusalém vai subindo (2). Andam de luto até ao chão
também podem ser entendido como: 'Seus habitantes se lamentam, prostrados
no chão!'. O rico e o pobre, homens e animais, sofrem porque não encontram água;
os pequenos (servos) retornam com seus cântaros vazios (3). A terra se fendeu
('rachou'), pois que não há chuva (4). As servas (corças) abandonaram suas crias
recém-nascidas, porquanto não há erva (5). Os olhos vitrificados e o respirar
ofegante dos animais selvagens revelam a terrível situação da terra. Jeremias
evidentemente acredita que essa calamidade natural veio sobre o povo como
resultado direto do seu pecado" (Comentário Bíblico Beacon. Vol. 4: Isaías a
Daniel. Rio de Janeiro, CPAD, 2005, p. 298).
15

Subsídio Devocional
Apelos vazios (14.21) - "O povo de Judá fundamentava sua esperança de alívio em
um apelo a Deus para que agisse:
1) por amor ao seu nome;
2) pelo seu templo, isto é, seu 'trono glorioso' e
3) por sua aliança.
Por que a alegação era vazia? Porque a idolatria desenfreada de Israel levara o
nome de Deus à lama. Seu templo fora maculado por aqueles que supunham poder
pecar e continuar louvando ao Senhor, como se nada de errado estivesse
ocorrendo. Ademais, sua aliança fora quebrada justamente por aqueles que agora
fazem reivindicação. Vai chegar a hora em que somente o julgamento é capaz de
preservar a honra de Deus" (RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia. 1.
ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p.457).

OBS: A FORMATAÇÃO DO PRESENTE ESTUDO FOI MODIFICADA,


SENDO QUE PARTES DO ESTUDO EM COMENTO FORAM EXCLUIDAS,
MAS NADA FOI ACRESCENTADO AO TEXTO ORIGINAL.

Referência:
SILVA, Luiz Henrique de Almeida. LIÇÃO 5. Imperatriz - MA. Disponível em
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao5-2tr10-jer-
opoderdaintercessao.htm. Acesso em 26 de abril 2010.

ISAÍAS 14:27. POIS O SENHOR DOS Agradeço à Deus


EXÉRCITOS O DETERMINOU. QUEM O que me faz
INVALIDARÁ? A SUA MÃO ESTÁ triunfar em Cristo
ESTENDIDA. QUEM A FARÁ VOLTAR Jesus, à Ele toda
ATRÁS? honra, glória e
louvor.