Anda di halaman 1dari 47

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

MINISTÉRIO DA FUNÇÃO PÚBLICA


___________________________
Unidade Técnica da Reforma
do Sector Público – UTRESP

AS GRANDES REALIZAÇÕES DO GOVERNO NO QUADRO DA


BOA GOVERNAÇÃO E COMBATE À CORRUPÇÃO

Maputo, Julho de 2010


1. Introdução

O Governo da República de Moçambique preconiza o desenvolvimento e consolidação de


uma administração pública eficaz dotada de recursos humanos qualificados, motivados e
com espírito do bem servir. Neste contexto, lançou em 2001, a Estratégia Global da
Reforma do Sector Público (EGRSP), como corolário das reformas políticas, económicas
e sociais iniciadas em 1975, com a proclamação do Estado moçambicano.

Através da Unidade Técnica da Reforma do Sector Público – UTRESP, o Governo,


realizou em 2004 a Primeira Pesquisa Nacional sobre Governação e Corrupção, com vista
a avaliar a percepção dos cidadãos em relação à governação, e à qualidade dos serviços
prestados pelo sector público. Com base nos resultados da Pesquisa foi elaborada a
Estratégia Anti-Corrupção (EAC) 2006-2010, como parte integrante da Estratégia Global
da Reforma do Sector Público.

A EAC é um instrumento político e orientador do Governo que estabelece o contexto para


a implementação sistemática e unificada das diversas iniciativas do Estado para combater
a corrupção e insere-se no quadro do Programa Quinquenal do .

Para operacionalizar a EAC foi traçado o respectivo Plano de Acção Nacional de Combate
à Corrupção (PAN) que incide nos cinco sectores prioritários, identificados pela pesquisa
de base, designadamente, Ministérios do Interior, Finanças, Educação, Saúde e o Sector
Judiciário (Procuradoria, Tribunais e Ministério da Justiça). Foram ainda estabelecidos
mecanismos de supervisão e monitoria da implementação da Estratégia Anti-corrupção,
nomeadamente a CIRESP a nível central e os Observatórios de Desenvolvimento e
Conselhos Consultivos Distritais a nível das Províncias e Distritos respectivamente.

Neste contexto, foi lançada a Segunda Pesquisa Nacional sobre Governação e Corrupção
que representa a continuidade do cometimento do Governo na luta contra a corrupção,
que visa (i) avaliar a percepção dos cidadãos quanto à governação, às práticas corruptas
e à qualidade dos serviços prestados pelo sector público; (ii) aferir o impacto das
mudanças introduzidas no âmbito da Reforma do Sector Público com enfoque na
implementação da EAC; e (iii) assessorar o Governo no desenvolvimento de novas
abordagens para o combate a corrupção, melhoria dos processos de boa governação e
promoção da integridade.

1 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


2. Contexto e Visão da Estratégia Anti-Corrupção

A EAC define a corrupção como o abuso de autoridade ou função confiada a alguém para
benefício pessoal que, se manifesta de várias formas:

• Transacções/actividades ilícitas por funcionários públicos, em benefício próprio,


• Fraude,
• Tráfico de influência;
• Extorsão;
• Nepotismo

3. Estratégia Anti-Corrupção: Princípios e objectivos

Para o sucesso do combate a corrupção, o Governo previlegiou uma abordagem


compreensiva de solução do problema, que previlegia medidas preventivas,
consubstanciadas na melhoria dos sistemas e procedimentos administrativos.

São princípios da EAC:

Abordagem compreensiva
1. Intolerância ou tolerância zero
2. Prevenção
3. Sancionamento

A EAC é composta por sete objectivos, nomeadamente:

• Objectivo 1: Simplificar e racionalizar os procedimentos administrativos para imprimir


eficácia e eficiência na prestação de serviços ao cidadão;
• Objectivo 2: Estabelecer/desenvolver uma cultura de transparência, de isenção, de
integridade e de responsabilizações públicas;
• Objectivo 3: Melhorar a eficiência e a qualidade dos serviços de Justiça;
• Objectivo 4: Fortalecer o Sistema Financeiro e imprimir transparência, eficiência e
eficácia na gestão financeira, orçamental e patrimonial do Estado;

2 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Objectivo 5: Melhorar os níveis de consciência e de participação da sociedade e do
sector privado no combate à corrupção;
• Objectivo 6: Melhorar os mecanismos de envolvimento das comunidades locais na
participação na governação e monitoria de modo a promover a transparência e
prestação de contas;
• Objectivo7: Assegurar a implementação eficaz da Estratégia Anti-Corrupção, através
do estabelecimento e funcionamento de mecanismos institucionais.

4. Grandes Realizações do Governo no quadro da Boa Governação e luta anti-


corrupção

Com vista a implementação do Plano de Acção Nacional de Combate à Corrupção, foram


desenvolvidas várias acções que contribuíram para a redução dos índices de corrupção a
nível das instituições públicas, assim como promover a boa governação e integridade
pública.

Com base nos objectivos da EAC, destacam-se neste capítulo as principais actividades
realizadas pelos cinco sectores-chave que operacionalizam a implementação da
Estratégia e pelo Ministério da Indústria e Comércio através do relevante papel na
melhoria do ambiente de negócios.

I ACTIVIDADES DESENVOLVIDAS PELOS SECTORES CHAVE

Objectivo 1: Simplificar e racionalizar os procedimentos administrativos para


imprimir eficácia na prestação de serviços ao cidadão.
Para a consecução deste objectivo, são de destacar:

a) Ministério da Educação (MINED)

Racionalização dos serviços críticos ligados a:

• Produção e distribuição de folhetos, contendo informações sobre os procedimentos


para a realização das matrículas nos principais centros urbanos;

3 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Divulgação dos procedimentos de matrícula, nos órgãos de comunicação social
(televisão, Rádio Moçambique, rádios comunitárias locais e jornais de maior
circulação);

• Acções de monitoria e supervisão do processo de matrículas;

• Introduzida a utilização do livro de recibos nas matrículas;

• Reforçada a autoridade e responsabilização dos Chefes de Secretarias das


Escolas pela realização correcta do processo de matrículas;

• Extintas as comissões de matrículas;

• Padronizado o diploma e certificado para as escolas, incluindo a inserção de


elementos de segurança;

• Distribuição anual, atempada e gratuita do livro escolar pela DINAME a todas as


capitais provinciais e distritais;

• Efectuada a supervisão e controlo do processo dos exames;

• Criado e em funcionamento o centro de atendimento público cujos colaboradores


foram submetidos a uma formação em procedimentos de atendimento público,
secretariado e processos de expediente.

b) Ministério do Interior (MINT)

• Disponibilizadas caixas de denúncia e reclamação;

• Instalada a linha verde;

• Introdução do B.I. e passaporte biométrico que contribuiu para redução do tempo de


espera e possibilitou um maior acesso a estes documentos pelos cidadãos;

4 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Informatização do posto fronteiriço de Ressano Garcia, Goba, Aeroporto de Mavalane,
Namaacha e Ponta de Ouro.

c) Ministério da Saúde (MISAU)

• Instaladas 12 linhas verdes nos gabinetes de Inspecção ao nível nacional;

• Instaladas caixas de reclamação em todas as unidades sanitárias do meio urbano para o


encaminhamento das denúncias populares;

• Instalados Gabinetes de utentes nos hospitais centrais, provinciais e centros de


saúde ao nível nacional.

d) Sector Judiciário

O Ministério da Justiça, através da Direcção Nacional de Registos e Notariados, procedeu


à revisão e reformulação da legislação. No quadro da reforma legal, foram aprovados
alguns instrumentos legais que tiveram o seguinte resultado:

• Simplificação dos procedimentos de contratos de constituição de sociedades


Comerciais, dispensando a escritura pública;

• Redução do tempo de registo de empresas que passou a ser de imediato em todas as


capitais provinciais que se encontram ligadas em rede;

• Uso de informática na prática de vários actos de iniciativa privada, tornando os


processos céleres e transparentes;

• Transmissão electrónica da informação para efeitos de publicação no Boletim da


República;

• Simplificação e descentralização da emissão de Certidões de Nascimento;

• informatização do sector de registos predial e automóvel, cujos trâmites estão em


processo de finalização,

5 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Concluída a informatização do registo comercial que introduziu o registo electrónico que
funciona online nas capitais provinciais que se encontram ligadas em rede;

• Informatização da emissão de certificados de registo criminal de 1- 3 meses para 3 dias


com vista a redução do tempo de espera;

• Melhorado o acesso aos serviços dos registos civil aos cidadãos, através da expansão
dos serviços para junto das populações; permitindo que os postos administrativos façam o
registo de casos de nascimentos e de óbitos;

• Instalado o centro de dados do Registo Civil e formados utilizadores do sistema ao nível


de algumas capitais provinciais. A instalação deste centro está a facilitar a consulta de
dados de registo civil, reduzindo assim o tempo de emissão de certidões e demais
documentos emitidos pelas conservatórias do registo civil.

e) Ministério das Finanças (MF)

O Ministério das Finanças através da Direcção Nacional de Contabilidade Pública, com


vista a simplificar os processos de concessão de vistos e fixação de pensões desenvolveu
as seguintes actividades:

• Criada uma equipe tripartida integrando o Ministério dos Assuntos dos Antigos
Combatentes, o Ministério das Finanças e o Tribunal Administrativo, para a análise dos
processos com vista a redução do tempo de tramitação dos processos e pedidos de
fixação de pensões de reforma e sobrevivência dos combatentes da luta armada. Estas
acções desenvolvidas resultaram no aumento do número de processos tramitados nas
componentes de vistos e abonos, área civil e área militar.

• Expansão dos serviços da Autoridade Tributária (AT) de atendimento e orientação dos


contribuintes, agentes económicos e público em geral junto aos BAU´s. A presença da AT
nos BAÚs contribui para a expansão dos serviços e torná-los mais próximos dos
utentes/público, reduzindo assim as enchentes que se têm verificado nos balcões da AT;

6 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Criados pontos focais para a contagem de tempo, nos Ministérios da Educação e
Cultura, Agricultura, Saúde e Defesa Nacional, em empresas públicas (CFM, Aeroportos e
TDM);

• Simplificado o modelo 10, que era implementado desde o ano de 2009 e está em curso
a actualização dos modelos 20 e 22 para acomodar as Normas Internacionais do
Relatório Financeiro. A simplificação deste módulo está a melhorar a prestação de
serviços e transparência na área de impostos e auditoria;

Elaborada e em implementação a Estratégia do Governo Electrónico, como um


instrumento poderoso na luta contra a corrupção. A sua implementacao está a contribuir
para melhorar a eficiência no Sector Público na prestação de serviços públicos, reduzindo
assim as oportunidades do aumento da burocracia que dificulta a vida dos cidadãos e o
ambiente de negócios. Está igualmente a providenciar uma plataforma transparente das
transacções e interacções, facilitando as auditorias e reforçando a responsabilização.

• Estabelecida a rede electrónica do Governo em todos os ministérios e em todas as


províncias do país (gabinetes dos governadores e nas direcções provinciais) e nos
municípios das capitais provinciais. Criados os Centros Provinciais de Recursos Digitais
em todas as províncias do país.

f) Ministério da Indústria e Comércio (MIC)

• Simplificação de todos os processos de licenciamento da actividade comercial e


industrial no quadro da promoção de um melhor ambiente de negócios;

• Alargada para todas as capitais provinciais a rede informática do Registo de Entidades


Legais. Esta acção vai permitir a melhoria e a celeridade na tramitação do expediente
relativo as Entidades Legais e a desburocratização dos processos;

• Criados e implementados em todo o país, os Balcões de Atendimento Únicos (BAU´s)


que estão a contribuir para facilitar cada vez mais os utentes dos serviços públicos;

7 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


melhorar a qualidade de prestação de serviços públicos; reduzir o tempo de tramitação de
processos de licenciamento e reduzir os índices de corrupção;

• Aprovado pelo Conselho de Ministro, através da Resolução nº 3/2008, de 12 de Março,


a Estratégia para Melhoria do Ambiente de Negócios que foi divulgada nas províncias e
distritos. Foi elaborada e aprovada a respectiva Matriz de Acções que está a ser
implementada pelos diferentes Ministérios envolvidos, tendo sido criados grupos de
trabalho para dinamização da referida Estratégia, facto que culminou com a simplificação
de procedimentos na área de importação/exportação;

Desenvolvidas diversas acções com vista a Melhoria do Ambiente de Negócios nos


domínios da remoção de barreiras administrativas e obstrutivas ao negócio e ao
investimento e que por um lado, resultou na melhoria da posição de Moçambique no
ranking do Doing Business e, por outro lado, o reconhecimento oficial pelo Banco Mundial
e de Moçambique ser um dos cinco países mais reformadores em África. Estas acções
estão a contribuir para maior aproximação entre o Governo e o sector privado no tocante
ao desenvolvimento empresarial no país;

• Criado um Centro de Informação de Negócios (CIN) onde são prestadas, via telefónica,
informações diversas relativas ao licenciamento, constituição de empresas, DIRE, etc.,
bem como a localização de instituições públicas e na elaboração de um manual que vai
congregar de forma sistematizada toda informação contida na base de dados. Esta
informação está a servir de suporte para alimentação e actualização do portal dos BAU´s,
operacionalizado pela Unidade Técnica para Implementação da Política de Informática
(UTICT);

• Informatizado o Registo Comercial, eliminada a Escritura Pública e a publicação


electrónica bem como eliminado o registo provisório que reduziu para 15 dias o tempo de
tramitação do expediente ligado ao registo de sociedades outrora efectuado em cerca de
180 dias;

• Aprovado pelo Conselho de Ministros, o Decreto n.º 14/2008, sobre o Licenciamento


Simplificado que contempla acima de 100 actividades, cujo exercício não põe em causa o
ambiente e a segurança pública e dos trabalhadores, podendo por isso, ser objecto de
licenciamento num dia;

8 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Criação de um centro de recepção de pedidos de informação sobre o ambiente de
negócios;

Objectivo 2: Estabelecer/ desenvolver uma cultura de transparência, de isenção, de


integridade e de responsabilização

• As actividades ligadas a este objectivo fornecem um bom exemplo de implementação


com a criação de um quadro normativo para o combate à corrupção, neste caso os
códigos de conduta, cuja elaboração e implementação se encontram a um bom ritmo.

• Reforço do poder disciplinar do Estado, através da aplicação de medidas disciplinares


aos prevaricadores das normas estabelecidas para o normal funcionamento das
instituições.

Aprovação anual pelo Conselho de Ministros, dos Relatórios sobre Responsabilidade


Disciplinar desde o ano de 2006, no quadro das acções de educação e responsabilização
dos funcionários e agentes do Estado, em matéria de prevenção e combate à corrupçã;

a) MISAU

• Intensificadas medidas de controlo e respeito pelos princípios de austeridade,


transparência e de prestação de contas,

• Realizada a primeira Reunião Nacional sobre corrupção no sector da saúde que contou
com a participação de membros do Conselho Consultivo e técnicos seniores do MISAU e
feita a réplica a nível das províncias;

• Em implementação o sistema Integrado de Gestão de Medicamentos (SIGM) cuja


implementação se traduz no controlo em tempo real dos stocks de medicamentos nos
depósitos centrais e provinciais do Serviço Nacional de Saúde;

b) MINT

9 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Revitalizados os Comités de Ética e Disciplina a nível do Comando Geral e a nível das
províncias;

• Intensificadas as visitas de apoio e controlo as unidades subordinadas;

• Incrementadas as acções de Educação Cívica para os agentes de Trânsito;

• Proibido o atendimento dos automobilistas fora das suas viaturas;

• Intensificadas as acções de fiscalização e supervisão dos agentes na via pública


principalmente nas cidades de Maputo e Matola;

• Processamento e pagamento condigno do valor das comparticipações aos agentes.

c) MF

Elaborado o Código de Conduta dos Funcionários da AT e realizadas em todo o País


sessões de divulgação do Código aos funcionários. A divulgação deste Código, está a
permitir aos funcionários um melhor conhecimento das regras de conduta que devem
orientar o seu comportamento, contribuindo deste modo para elevar o seu grau de
profissionalismo.

Objectivo 3: Melhorar a eficiência e a qualidade de serviços do sistema de Justiça

Para o alcance deste objectivo foram realizadas as seguintes acções:

a) Sector Judiciário

MJ

• Reforçada a capacidade de trabalho do Centro de Formação Jurídico Judiário (CFJJ).

Procuradoria Geral da República (PGR)

10 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Visitas de trabalho às províncias nas quais foram proferidas palestras para funcionários
e agentes do Estado e para membros da sociedade civil, no âmbito da prevenção e
combate aos crimes de corrupção, e divulgadas as acções desenvolvidas pelo governo na
prevenção e combate destes crimes;

• Melhorada a qualidade de serviços do Gabinete Central de Combate a Corrupção, da


Procuradoria-geral da República e dos Tribunais no tratamento de casos de Corrupção
através de acções de formação e capacitação em matéria de prevenção e combate à
corrupção;

• Instituídos os Gabinetes Provinciais de combate à corrupção nas províncias de Sofala e


Nampula com função regional e nomeados pontos focais do GCCC nas restantes
províncias;

• Maior celeridade na tramitação processual, com resultado da fiscalização dos


processos-crime nas esquadras e comandos da Polícia da República de Moçambique,
bem como na Polícia de Investigação Criminal, pelos magistrados do Ministério Público;

• Melhoria da qualidade dos autos, como resultado da direcção efectiva da instrução


preparatória pelos magistrados do Ministério Público, da articulação com os outros órgãos
da administração da justiça e da capacitação conjunta de magistrados, inspectores e
agentes da Polícia de Investigação Criminal;

• Uniformização dos procedimentos na actuação do Ministério Público, mercê das visitas


de monitoria e assistência efectuadas com a Direcção da Procurador-Geral da República
e Assessores do Procurador-Geral da República às províncias e distritos;

• Celeridade na tramitação de processos complexos, do que resultou acusação em alguns


e avanço significativo na instrução preparatória de outros;

Maior dinâmica na investigação dos processos referentes aos crimes de corrupção,


participação económica ilícita e desvio de fundos e bens do Estado;

• Maior cobertura territorial na intervenção do Ministério Público, passando a abarcar mais


distritos;

11 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Aumento de número de casos actuados e de detidos por prática de crimes de
corrupção;

• Descongestionamento das procuradorias provinciais e aumento do movimento


processual nas procuradorias distritais, como consequência da elevação das
competências dos tribunais distritais.

b) Tribunal Administrativo (TA)

• Aumento nas auditorias financeiras às instituições do governo e auditorias às obras


públicas.

c) Tribunal Supremo (TS)

• Implementado a nível nacional o programa Fundo de Acesso a Justiça;

Reforçada a capacidade dos Tribunais judiciais na tramitação de processos;

• Com vista a melhorar o acesso aos serviços legais e judiciais nas províncias foi
compilado e produzido o I Volume da Jurisprudência do Tribunal Supremo. Em finalização
o Volume II

• Nomeados Procuradores Provinciais/Distritais em todo o país;

• Reforçada a função inspectiva mediante o recrutamento de técnicos para a PGR e o TS;

Ministério da Justiça

i. Elaborado o ante-projecto para Revisão da Lei nº 6/2004, de 17 de Julho que


introduz mecanismos complementares de combate à corrupção. Esta revisão,
visa adequar a lei à realidade actual, harmonizá-la com a restante legislação em
vigor no País, bem como com as convenções internacionais contra a corrupção
que Moçambique ractificou.

12 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


ii. Neste âmbito., foram elaboradas as seguintes propostas:

a) Lei dos Crimes de Corrupção;


b) Decreto que aprova o Estatuto Orgânico do Gabinete Central de Combate
à Corrupção;
c) Lei sobre Protecção de Testemunhas e Denunciantes.

Proposta de Alterações pontuais aos seguintes instrumentos:

a) Lei da Declaração de Bens;


b) Lei Orgânica do Ministério Público;
c) Estatuto Geral dos Funcionários e Agentes do Estado;
d) Código Penal (art. 327);
e) Código de Processo Penal (disposições que permitem o uso de novas
tecnologias como meios de prova);
f) Decreto nº 15/2010, de 24 de Maio.

A realização destas actividades, permitiu conferir de forma precisa e inequívoca maior


dinamismo, mobilidade e eficácia a proposta do pacote legal anti-corrupção, abrangendo
as leis com critérios objectivos e de fácil aplicação.

Em elaboração os seguintes Projectos:

• Código de Conduta dos Titulares de Cargos Políticos e Públicos

• Lei das medidas Alternativas e Penas Alternativas a Prisão: visa garantir a reinserção
social dos presos.

i. Medidas alternativas (crimes puníveis até 2 anos): transacção penal ou


suspensão da pena;

ii. Penas alternativas (crimes puníveis de 2 à 8 anos): trabalho em comunidade


ou interdição de direitos;

iii. O projecto de lei prevê a obrigatoriedade do juiz aplicar tais penas.

13 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


Objectivo 4: Fortalecer o Sistema Financeiro do Estado de modo a imprimir a
transparência, eficiência e eficácia na Gestão Financeira, orçamental e
patrimonial do Estado
As actividades deste objectivo estão relacionadas com a implementação do Sistema de
Administração Financeira do Estado (SISTAFE), A expansão do SISTAFE para os vários
sectores é indubitavelmente um instrumento de peso no controlo da despesa pública, na
prestação de contas e na redução de espaços para o mau uso dos recursos do Estado.
Reflexo disso é a elaboração atempada dos relatórios de execução do orçamento do
Estado e mesmo da Conta Geral do Estado. Há um claro progresso na elaboração da
Conta Geral do Estado pelo Ministério das Finanças e na qualidade de sua análise, tanto
pelo Tribunal Administrativo como pelo Parlamento.

a) MF

• Foi estabelecida a Unidade Funcional de Supervisão das Aquisições – UFSA na


Direcção Nacional do Património do Estado – DNPE, com a competência de coordenação
e supervisão de toda a actividade relacionada com a contratação pública;

• Aprovado o Regulamento de Contratação de Empreitada de Obras Públicas,


Fornecimento de Bens e Prestação de Serviços ao Estado, para o Sector Público e Sector
Privado, seguida da sua divulgação e desenvolvidas acções de formação com vista a
garantir que os órgãos e instituições do Estado observem correctamente as normas e
procedimentos do Regulamento, capacitação de formadores disseminadores do
regulamento;

• Criadas em todas as instituições públicas, incluindo os Municípios as Unidades


Gestoras de Aquisições, (UGEAS) entidades, por excelência, que estão a assegurar o
cumprimento e implementação do estabelecido no Decreto sobre as aquisições de bens e
serviços na função pública. Foram até aqui constituídas mais de 1000 UGEAS;

Implementação do SISTAFE

Moçambique está desde 2004 a implementar um programa de gestão de finanças


públicas cujo elemento primordial foi a promulgação da Lei do SISTAFE e o seu mandato

14 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


de desenvolver um sistema de informação integrado de administração financeira
informatizado (e-SISTAFE).
Com efeito, o SISTAFE permitiu ao Ministério das Finanças maior controlo financeiro
bem como acelerar a execução orçamental ao nível sectorial, aumentado a
previsibilidade das disponibilidades de fundos e melhorando a produção da informação
fiscal. No âmbito destas reformasforam desenvolvidos os principais módulos de um
sistema integrado de gestão orçamental e financeira do sector público, composto no seu
núcleo pelo subsistema de orçamento, contabilidade, subsistema de Tesouro
(administração da Conta Única do Tesouro - CUT), subsistema de património do Estado e
de Controlo Interno e o desenvolvimento dos correspondentes módulos de execução e
elaboração do orçamento;

• As actividades realizadas até ao momento, em consonância com o Plano de Acção e


Orçamento, reflectiram-se na descentralização da execução do Orçamento por via directa
para um maior número de entidades públicas e na realização de diversas funcionalidades
nucleares para manutenção e funcionamento dos sistemas já implementados. Neste
contexto, estão abrangidos pelo processo de descentralização 43 Instituições e 66
distritos a operarem no e-SISTAFE, desde o início do processo;

• O e-SISTAFE engloba também uma componente de auditorias, e neste âmbito, todos os


requisitos técnicos foram cumpridos para que tanto o Tribunal Adminstrativo como a
Inspecção Geral de Finanças tenham acesso ao e-SISTAFE com vista a prepará-los para
análise e interpretação das informações geradas pelo sistema, no âmbito das suas
actividades de controlo externo e interno, respectivamente.

Inspecção Geral das Finanças

• Um dos órgãos responsáveis pelo seguimento das recomendações do TA é a Inspecção


Geral das Finanças – IGF, que faz parte e coordena o Subsistema de Controlo Interno
(SCI), também composto pelos Órgãos de Controlo Interno (OCI) dos sectores, ainda em
processo de criação e capacitação. Grande parte das auditorias internas é levada a cabo
pela Inspecção-Geral das Finanças;

• No que concerne ao acompanhamento das recomendações feitas, uma análise da


amostragem de cerca de 200 recomendações feitas pelo IGF em 2006 chegou à

15 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


conclusão de que pelo menos 70% das mesmas estavam a ser seguidas pelas entidades
visadas;

• Melhoria dos processos de articulação entre o Tribunal Administrativo e a Inspecção


Geral das Finanças, no que concerne à partilha de relatórios de auditoria e inspecção;

• Revitalização da Inspecção Geral Administrativa do Estado: Aprovado o regulamento da


Actividade de Inspecção e Fiscalização Administrativa do Estado no âmbito da
revitalização da IGAE. Fortalecida a inspecção financeira e auditoria interna nos
ministérios;

• Quanto ao Órgão Profissional dos Contabilistas e dos Auditores, foi elaborado e


aprovado o Regulamento da Associação dos Contabilistas e Auditores.

b) Sector Judiciário

Tribunal Administrativo

• Registam-se anualmente progressos na Elaboração da CGE, no seu seguimento por


parte do Governo moçambicano e Papel do Tribunal Administrativo, o que confere ao
processo de fiscalização das contas públicas, um dos elementos importantes de combate
à corrupção;

• Há melhorias na qualidade do processo de prestação de contas das despesas


públicas, que no caso giram em torno da CGE;

• Os relatórios sobre a gestão das finanças públicas no geral apontam para melhorias
significativas na elaboração da Conta Geral do Estado, bem como à sua submissão
atempada ao Tribunal Administrativo;

• Inclusão do distrito como uma categoria orçamental separada, que deixa de ser uma
linha do orçamento provincial. Este facto, constituiu um grande avanço tendo em conta a
centralidade do distrito na planificação e nas estratégias de desenvolvimento e ainda pelo

16 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


facto de os distritos contabilizarem 63% da despesa de funcionamento e 12% da despesa
de investimento;

• Melhorou o acesso público à informação da CGE, uma vez que o Relatório e o Parecer
sobre a Conta Geral do Estado passaram a ser publicados também no Boletim da
República;

• Essas melhorias só foram possíveis através da combinação de vários elementos, com


destaque para a introdução do Sistema de Administração Financeira do Estado
(SISTAFE), a gradual eliminação de fundos não incluídos no orçamento do Estado (os
chamados off budgets); a melhoria na elaboração e pontualidade dos relatórios de
Execução do orçamento e a capacitação do Tribunal Administrativo;

• Nos últimos anos houve um intenso processo de capacitação do Tribunal


Administrativo, que lhe permitiu melhorar o seu desempenho na fiscalização das finanças
públicas;

• Houve uma tendência claramente crescente da actividade de auditoria do Tribunal


Administrativo (TA), que supera em grande medida o planeado. Por outro lado, as
auditorias financeiras feitas pelo TA seguem padrões de auditoria internacionalmente
aceites (pela International Organization of Supreme Audit Institutions – INTOSAI) e
também regionalmente acordados (pela African Organization of Supreme Audit Institutions
– AFROSAI). Neste âmbito o TA adoptou um manual de auditoria de acordo com os
padrões da AFROSAI, adaptado à realidade moçambicana;

• O número de contas julgadas, é outro elemento que mostra uma tendência crescente,
confirmando a existência de um maior protagonismo desta instituição no exercício do seu
mandato de controlo externo.

c) MINED

• Foram capacitados membros do Conselho Consultivo e funcionários em matérias de


procedimentos para a aquisição de bens;

17 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Realizadas inspecções regulares e auditorias semestrais ao Fundo de Apoio ao Sector
de Educação - FASE.

d) MISAU

• Divulgado e implementado o Decreto N.º 54/2005, de 13 de Dezembro;

• Criada a Unidade Gestoras de Execução das Aquisições- UGEA no MISAU e em todas


as instituições subordinadas;

• Realizadas auditorias periódicas aos depósitos de medicamentos no MISAU;

• Criadas Comissões inter-sectoriais com a missão de fiscalizar a venda ilegal de


medicamentos;

• Realizadas inspecções nas farmácias e unidades sanitárias privadas para a identificação


e controlo da proveniência dos medicamentos e material médico cirúrgico comercializado.

e) MIC

• Aprovada pelo Conselho de Ministros a criação de Inspecção Nacional das Actividades


Económicas (INAE);

• Participação com os outros órgãos do Estado e em parceria com o sector privado no


combate à pirataria e contrafacção,

• Realização regular de auditorias internas as Direcções Provinciais de Indústria e


Comércio e as unidades orgânicas do Ministério.

Objectivo 5: Melhorar os níveis de consciência e da participação da sociedade civil


e do Sector privado no Combate à Corrupção

18 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


a) MF

De modo a permitir um maior envolvimento do sector privado e da sociedade civil na


denúncia de actos de corrupção, a Autoridade Tributária de Moçambique desenvolveu as
seguintes actividades:

• Divulgação regularmente da Legislação Aduaneira e Fiscal, quer através dos órgãos de


comunicação social como através do contacto directo com as comunidades; criação e
publicação de um manual contendo os procedimentos aduaneiros existentes.
Com efeito foram concebidas e publicadas brochuras contendo esta informação, sendo
que as mesmas estão afixadas nas estâncias aduaneiras existentes em todo o país;

b) Sector Judiciário

PGR

• Proferidas palestras, “Corrupção como um dos obstáculos ao nosso desenvolvimento”,


dirigidas aos gestores de empresas públicas, das universidades públicas e privadas e das
organizações da sociedade civil, para além da Confederação das Associações
Económicos;

• O GCCC lançou em coordenação com a UTRESP, uma campanha de sensibilização e


consciencialização dos cidadãos, através da rádio e televisão, cuja mensagem é a
abstenção de cometimento de crimes de corrupção e denúncia dos actos de corrupção;

• Em parceria com o CIP, o GCCC difundiu mensagens anti-corrupção, que foram


transmitidas pelos jornais e canais televisivos, através de cartazes e de spots
publicitários;

• Producao anual de panfletos pelo GCCC, distribuídos aos cidadãos que entraram no
país através dos Postos Fronteiriços de Ressano Garcia, na Província de Maputo,
Machipanda, na Província de Manica, e Zóbuè, Kuchamano e Namilamba, na Província
de Tete, no acto do registo migratório que está a melhorar os níveis de consciência dos
cidadãos para se prevenirem de actos corruptivos e permite maior aproximção entre o

19 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


Estado e o cidadão através das denuncias feitas via telefone e as respostas dadas pela
PGR a estas petições;

• Lançada uma campanha sob o lema “A criança e o jovem na formação de uma


sociedade livre de corrupção” que está a contribuir para consciencialização das camadas
mais jovens e não só na necessidade de olhar a corrupção como um obstáculo ao
desenvolvimento e promover a integridade pública;

• Produção de spots publicitários a serem divulgados na rádio e televisão, no âmbito da


educação cívica sobre o combate à corrupção;

• No âmbito do fortalecimento do quadro legal anti-corrupcao, foi elaborado o ante-


projecto de lei para protecção de testemunhas e denunciantes dos actos de corrupcao,
cujo processo de elaboração contou com grande participação dos membros da sociedade
civil e das comunidades.

Disponibilizados, por via de divulgação na comunicação social, de contactos, números de


telefone e endereços físicos para que o cidadão possa denunciar actos de corrupção.

c) MINED

• O MINED em coordenação com a PGR lançou, a Campanha Nacional de Combate à


Corrupção no Sector da Educação, através da qual estão envolvidas as escolas primárias,
secundárias e técnicas e instituições de formação de professores, no combate a este mal
social, que está a contribuir para na consciencialização dos estudantes sobre os seus
efeitos nefastos.

A referida campanha lançada sob o lema “A criança e o jovem na formação de uma


sociedade livre de corrupção” tem como objectivo, a educação e formação da criança e do
jovem para a necessidade e importância de viver numa sociedade livre de corrupção;

A mesma consiste na promoção de palestras de sensibilização, distribuição de panfletos e


brochuras, concursos de redacção ou composição e disseminação de mensagens anti-
corrupção, a serem promovidos pelos professores e outros intervenientes no processo de
ensino e aprendizagem, a médio e longo prazos.

20 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


Com estas actividades pretende-se assegurar uma educação de qualidade a todas as
crianças e jovens, para que cresçam seguras e confiantes, e para que se realizem na
plenitude e nas dimensões física, moral, intelectual e cultural.

MJ
• Efectuada sensibilização e mobilização das comunidades a aderirem ao registo das
crianças e pretende-se que os pais e encarregados/cuidadores sejam mobilizados no
sentido de fazerem o registo dos seus filhos ou crianças à sua guarda.

Ministério da Saúde
Lançada uma Campanha Nacional de Cortesia no Atendimento aos Cidadãos nas
Unidades Sanitárias, que tem como objectivo imprimir uma nova dinâmica ao conjunto de
actividades em prol da melhoria da qualidade e humanização da assistência sanitária aos
cidadãos.

Ministério da Indústria e Comércio Em implementação a Estratégia do Ambiente de


Negócios, que está a contribuir para a promoção do diálogo entre o sector público e o
privado no âmbito da simplificação dos procedimentos no licenciamento das actividades
económicas.

Objectivo 6: Melhorar os mecanismos de envolvimento das comunidades locais na


participação na governação e monitoria de modo a promover a
transparência e prestação de contas.

A Presidência aberta participativa e amplamente inclusiva, permite o Governo acolher


diversas sensibilidades, em diversas matérias que as nossas políticas públicas tem vindo
a lidar, particularmente, o combate contra os obstáculos ao nosso desenvolvimento, com
particular realce a corrupção, o burocratismo, o espírito de deixa andar, a criminalidade e
as doenças endémicas.

21 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


A realização periódica da Presidência Aberta e Inclusiva esta a contribuir para dar voz ao
cidadão na procura da verdade e da justiça no seio do povo, primando num diálogo
permanente...

Destaca-se ainda neste objectivo, a instituição dos Observatórios de Desenvolvimento


Provinciais e Conselhos Consultivos Distritais como órgãos de monitoria a nível local da
implementação da EAC abrindo espaço à sociedade civil na monitoria da governação
local, operacionalizada através dos planos de acção anti-corrupcao locais.

a) MINED

• Elaborada a Estratégia de gestão de reclamações;

• Envolvidos os líderes comunitários, pais e encarregados de educação nos conselhos de


escola, cujo impacto verifica-se no melhoramento dos processos de das matrículas.

b) MIC

Atendidas as reclamações de cidadãos, especialmente trabalhadores de empresas


intervencionadas e tomadas as medidas pertinentes.

c) MF

Lançada, a campanha de popularização do imposto sob o lema “Todos Juntos Fazemos


Moçambique”. A educação fiscal está a contribuir para que o cidadão obtenha maior
conhecimento das imposições fiscais a que está adstrito nos termos da lei, e esteja
consciente do seu dever e o período de pagamento.

d) MINT

Criados os conselhos de policiamentos comunitários, que visam a aproximação,


envolvimento e comprometimento com as comunidades no âmbito da preservação da
ordem pública. É uma estratégia organizacional que proporciona a parceria entre a

22 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


população e a polícia, baseada na premissa de que tanto a polícia quanto a comunidade
devem trabalhar juntas para identificar, e resolver os conflitos de forma a melhorar a
qualidade de vida dos cidadãos.
Objectivo 7. Assegurar a implementação eficaz da Estratégia Anti-Corrupção
através do estabelecimento e funcionamento de mecanismos
institucionais

De uma forma geral, a nível sectorial todos os sectores criaram estruturas para lidar com
a implementação da Estratégia Anti-Corrupcao. Em alguns casos foram criadas unidades
próprias (MINT e Justiça) e outros as Inspecções Sectoriais exercem essa função (casos
do MEC e do MISAU) às vezes coadjuvados por comités específicos, como os de
monitoria (Finanças e MEC).

No geral os sectores já têm os mecanismos criados para a implementação, coordenação


e monitoria das políticas anti-corrupção preconizadas na EAC. Neste domínio destacam-
se ainda as seguintes acções:

• Realização regular de acções inspectivas pelas Inspecções Gerais dos Órgãos


Centrais no quadro da consolidação do seu papel fiscalizador, com vista a prevenir,
educar e punir práticas atentatórias;

• Feita a avaliação da implementação da Estratégia Anti-Corrupção, que propõe medidas


importantes para aprofundar a sua implementação.

• Em curso a realização, da Segunda Pesquisa Nacional sobre Governação e corrupção,


que visa (i) avaliar a percepção dos cidadãos relativamente a evolução da governação, às
práticas corruptas e a qualidade dos serviços prestados pelo sector público; (ii) avaliar o
impacto das mudanças introduzidas no âmbito da Reforma do Sector Público com
enfoque na implementação da EAC; (iii) assessorar o Governo no desenvolvimento de
novas abordagens para o combate à corrupção, melhoria dos processos de boa
governação e promoção da integridade.

23 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


INSTRUMENTOS APROVADOS PELO GOVERNO NO ÂMBITO DO COMBATE À
CORRUPÇÃO

A NÍVEL NACIONAL:

• Aprovada a Lei de Combate à Corrupção, Lei nº 6/2004, de 17 de Junho;

• Aprovado o Decreto nº 22/05, de 22 de Junho, que Regulamenta a Lei nº 6/2004;

• Aprovada a Estratégia Global da Reforma do Sector Público (2001/2011);

• Aprovada a Estratégia Nacional Anti-Corrupão, 11 de Abril de 2006;

• Aprovado, em 2007, o Código de Conduta dos titulares dos cargos governativos.

• Aprovado o Estatuto Geral dos Funcionários e Agentes do Estado que também,


consubstancia um conjunto de normas de conduta, ética e deontologia profissional
que são aplicáveis a todos os sectores, como um dispositivo legal de carácter mais
genérico;
• Aprovado o Decreto nº 54/2005, de 13 de Dezembro, e revogado pelo o Decreto nº
15/2010, de 24 de Maio, que estabelece o regime jurídico aplicável à contratação
de empreitada de obras públicas, fornecimento de bens e prestação de serviços ao
Estado.

A NÍVEL INTERNACIONAL

• Subscrito, em 2001, o Protocolo Anti-Corrupção da SADC, tendo o ractificado em


Julho de 2004;

• Subscrito e ratificado, em Agosto de 2006, a Convenção da União Africana sobre


Prevenção e Combate à Corrupção;

• Subscrito e ratificado, em 2006, a Convenção das Nações Unidas Contra a


Corrupção.

II ACTIVIDADES DESENVOLVIDAS PELOS RESTANTES SECTORES

24 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


No âmbito da implementação da Estratégia Anti-Corrupcao, paralelamente ao Plano de
Acção Nacional de Combate a Corrupção, que incide nos cinco sectores chave, a nível
dos restantes Ministérios foram elaborados planos de acção sectoriais de combate a
corrupção. Destacam-se neste âmbito as seguintes actividades:

1) Nível Central

Objectivo 1: Simplificar e racionalizar os procedimentos administrativos para


imprimir eficácia na prestação de serviços ao cidadão.

Estudo da legislação específica dos sectores e do Decreto n.º 30/2001, de 15 de Outubro,


em todos os Ministérios.

a) Ministério da Defesa Nacional (MDN)

• Criados Gabinetes de relações públicas nos Centros Provinciais de Recrutamento


Militar – CPRMs e Hospitais Militares.

b) Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (MINEC)

• Criados balcões únicos de atendimento especializado e personalizado nas várias


unidades orgânicas do MINEC.

c) Ministério para a Coordenação da Acção Ambiental (MICOA)

• Reduzido o período de licenciamento ambiental de 60 dias para 45 dias;

• Integrados os procedimentos de licenciamento ambiental nos balcões únicos de


atendimento.

d) Ministério dos Recursos Minerais (MIREM)

• Introduzida a gestão do licenciamento ambiental no sistema de cadastro;

25 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Elaborado o Regulamento fiscal para a actividade Mineira;

• Produzida e disponibilizada ao público, uma base de dados geológica;

• Introduzido o livro de reclamações junto aos locais de atendimento público;

• Reduzido o tempo de Licenciamento para Actividade Mineira, de 120 dias para 60.

e) Ministério dos Transportes e Comunicações (MTC)

• Elaborados os manuais de procedimentos com vista a práticas correctas no Instituto


Nacional de Hidrografia e Navegação;

• Incluída a taxa de embarque no Bilhete de avião, o que contribui para facilitar a vida do
cidadão.

f) Ministério da Energia (ME)

• Aprovados novos modelos de licenciamento de postos de abastecimento de


combustível;

• Aprovado o Decreto nº 48/2007, de 22 de Outubro, regulamento de Licenças de


Construção de Instalações Eléctricas;

• Introduzidos livros de reclamações nos locais de atendimento público;

• Criado balcão de atendimento público/ secretaria no Ministério.

g) Ministério da Administração Estatal (MAE)

• Instalada a linha verde na instituição que tem como finalidade receber reclamações e
sugestões dos funcionários e cidadãos em geral.

26 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


h) Ministério das Pescas (MP)

• Simplificados os procedimentos para o licenciamento de Pesca;

• Adoptado um novo modelo de pedido de licenciamento de pescas;

• Aprovado um Diploma Ministerial sobre processos de infracções de Pescas;

• Aprovados por um diploma Ministerial os procedimentos de licenciamento e certificação


sanitária.

i) Ministério da Agricultura

• Efectuadas visitas ao Centro de Documentação e Informação Agrícola (CDA) para a


consulta de documentação disponível e à base de dados sobre documentação existente
noutras Instituições;

• Concedidos autorizações provisórias de uso e aproveitamento de terra;

• Instaladas as bases de dados sobre documentação e informação do sector e foram


formados funcionários indicados pelas DPAs.

Objectivo 2: Estabelecer/desenvolver uma cultura de transparência, de isenção, de


integridade e de responsabilização

a) Ministério da Defesa Nacional (MDN)

• Instaurados processos disciplinares com vista a responsabilização dos funcionários por


transgressão das normas do funcionalismo público.

27 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


b) Ministério para a Coordenação da Acção Ambiental ( MICOA)

• Capacitados funcionários na gestão e prestação de serviços.

c) Ministério dos Combatentes ( MICO)

• Identificados alguns focos de corrupção no processo de fixação de pensões que


resultaram na despromoção de um funcionário em resultado de um processo disciplinar;

• Averiguadas quatro denúncias de falsos combatentes.

d) Ministério da Juventude e Desportos (MJD)

• Distinguidos os melhores funcionários em reuniões dos trabalhadores com a entrega de


diplomas de honra.

e) Ministério da Planificação e Desenvolvimento ( MPD)

• Formados técnicos do MPD com vista a adequá-los das melhores técnicas de


desempenho das suas actividades bem como incutir uma postura profissional nas suas
tarefas diárias;

• Realizado seminário de divulgação da resolução da Resolução n.º 10/97, de 29 de Julho


que aprova as normas éticas e deontológicas para o Funcionário Público.

f) Ministério da Função Pública (MFP)

• Capacitados gestores e técnicos de recursos humanos, de nível Central e provincial em


matéria de procedimentos disciplinar;

28 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Compilados e divulgados os dados sobre a situação disciplinar dos funcionários pelo
Ministério da Função Pública, tendo sido instaurados processos disciplinares, sendo
alguns para os níveis de Direcção e Chefia. Dentre as várias sanções, foram aplicadas
penas de expulsão e demissão aos funcionários, multas e despromoções;

• Realizado o recenseamento dos funcionários do Estado;

• Atribuídos NUITs aos funcionários e agentes do Estado;

• Legalizados funcionários e agentes do Estado por visto de vinculação;

• Desenvolvido o modelo conceptual do sistema da avaliação de desempenho por


resultados.

g) Ministério do Trabalho (MITRAB)

• Foram suspeitos funcionários e particulares e postos a averiguações, em situação de


desvios de fundos de pagamento dos numerários pertencentes a ex-trabalhadores da
Antiga RDA.
• Expulsão de funcionários implicados no desvio de fundos de pagamento dos numerários
pertencentes a ex-trabalhaores da antiga RDA.

h) Ministério da Energia (ME)

• Promovido um curso de liderança para Directores Nacionais, Directores Adjuntos,


Assessores do Ministro, e Chefes de Departamento;

• Distinguidos funcionários em reunião de todos os trabalhadores do Ministério da


Energia, com entrega de presentes.

Objectivo 4: Fortalecer o Sistema Financeiro do Estado de modo a imprimir a


transparência, eficiência e eficácia na Gestão Financeira, orçamental e
patrimonial do Estado

29 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


Para o alcance desde objectivo, foi introduzido o e-SISTAFE e as Unidades Gestoras e
Executoras das Aquisições – UGEAs em todos os sectores. Destacaram-se ainda as
seguintes actividades:

a) Ministério da Defesa Nacional (MDN)

• Descentralizado o orçamento dos CPRMs passando a depender directamente das


direcções provinciais de finanças com assento nos governos provinciais;

• Realizado curso de planificação estatística no qual participaram oficiais e funcionários do


MDN.

b) Ministério da Mulher e da Acção Social (MMAS)

• Realização regular de acções inspectivas a nível das nas delegações do INAS nas
Direcções provinciais.

c) Ministério para a Coordenação da Acção Ambiental (MICOA)

• Estabelecidas inspecções ambientais nas províncias com vista a garantir a


implementação e cumprimento da legislação atinente a gestão ambiental;

d) Ministério dos Recursos Minerais (MIREM)

• Efectuadas inspecções e auditorias internas aos diferentes sectores do Ministério;

e) Ministério dos Transportes e Comunicações (MTC)

• Formados funcionários para a implementação do Decreto nº 54/2005, de 13 de


Dezembro (Regulamento de Contratação de Empreitada de Obras Públicas).

30 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


f) Ministério dos Combatentes (MICO)

• Realizadas sessões de estudo da Lei nº 9/2002 e do Decreto nº 23/2004, que aprovam o


SISTAFE e o seu regulamento, respectivamente,

• Capacitados funcionários sobre procedimentos de contratação de empreitadas de obras


públicas, fornecimento de bens e prestação de serviços ao Estado.

g) Ministério das Obras Públicas e Habitação (MOPH)

• Capacitados funcionários do DAF-Central ligados a área de procurement;

• Elaborado, aprovado e implementado o manual administrativo, Financeiro e de


procurement que define o sistema de controlo interno e os procedimentos a serem
observados a nível do Sector de Estradas.

h) Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT)

• Realizados estudos em grupo do Decreto n.º 54/2005 e divulgação da legislação de


procurement a nível interno;

• Reformulada a composição da UGEA a luz do Diploma Ministerial das Finanças nº


142/2006.

• Concluído manual de Gestão Financeira do MCT.

i) Ministério da Energia (ME)

• Organizada a Inspecção Geral de Energia – IGE,

• Formados e capacitados funcionários sobre o SISTAFE.

31 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


j) Ministério da Indústria e Comércio ( MIC)

• Formados inspectores da Indústria e Comércio;

• Reforçado o quadro da inspecção com profissionais de auditoria interna;

• Elaborada a proposta do Estatuto orgânico para a criação de Inspecção única das


Actividades Económicas.

k) Ministério da Juventude e Desportos (MJD)

• Capacitados funcionários em matéria do SISTAFE;

• Criada a Inspecção Geral do MJD.

l) Ministério do Trabalho (MITRAB)

• Reestruturado o processo dos ex-trabalhadores da ex-RDA, criando-se novos grupos de


trabalho;

• Realizadas inspecções ao processo de processamento de pagamento dos valores aos


ex-trabalhadores moçambicanos na ex-RDA, que culminou com a descoberta de
irregularidade que envolvem alguns funcionários do MITRAB e alguns regressados;

• Efectuadas auditorias aos serviços centrais e a todas as delegações provinciais do


INSS, no âmbito do cumprimento dos procedimentos legais, tendo sido detectadas
irregularidades na aplicação das normas e procedimentos.

j) Ministério do Turismo – MITUR

• Foram realizadas inspecções multissectoriais para a criação duma visão comum;

32 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Criadas brigadas de fiscalização, geralmente compostas por mais de duas pessoas;
• Formados técnicos do Departamento de Administração, Finanças e Recursos Humanos
e da Direcção de Planificação e Cooperação em matérias do e-SISTAFE;

• Capacitados técnicos do Departamento de Administração e Finanças em matéria de


procurement.

• Descentralizado o processo de gestão financeira e dos recursos humanos e materiais


dos parques e reservas;

• Criado o sistema de controle de receitas dos Parques e Reservas;

• Abertas contas comunitárias para a canalização dos 20% que revertem a favor das
comunidades junto das áreas de conservação;

• Divulgado o Decreto nº 54/2005, para os órgãos do Ministério do Turismo.

k) Ministério da Função Pública (MFP)

• Capacitados funcionários em matéria de SISTAFE;

• Realizado o primeiro fórum de inspectores gerais com vista a revitalização da Inspecção


Administrativa do Estado.

p) Ministério da Agricultura (MINAG)

• Formado pessoal do DAF pela UTRAFE;

• Efectuadas visitas de trabalho pela Inspecção Geral do MINAG.

Objectivo 5: Melhorar os níveis de consciência e da participação da sociedade civil


e do Sector privado no Combate à Corrupção

33 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


a) Ministério da Defesa Nacional (MDN)

• Editada a Revista Militar 25 de Setembro, na qual foram divulgados artigos e serviços


disponíveis ao público e respectivos procedimentos correcções de potenciais situações
que concorrem para a corrupção bem como a punição de infractores.

b) Ministério da Mulher e da Acção Social (MMAS)

• Produzidas e distribuídas brochuras sobre a política da pessoa idosa e estratégias para


a sua implementação.

c) Ministério dos Recursos Minerais (MIREM)

• Colocado um computador para a consulta pública;

• Disponibilizado ao público informação sobre áreas para licenciamento via computador;

• Introdução de uma cláusula Anti-corrupção nos contratos mineiros.

d) Ministério da Agricultura (MINAG)

• Prestado apoio aos produtores agrícolas com fundos provenientes do Fundo de


Desenvolvimento Agrário.

e) Ministério do Turismo (MITUR)

• Divulgado o regulamento de alojamento Turístico, Restauração e Bebidas, e Salas de


dança para o sector público e privado;

• Criado o portal do Turismo com o endereço: www.visitmozambique.net.

34 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


Objectivo 6: Melhorar os mecanismos de envolvimento das comunidades locais na
participação, governação e monitoria de modo a promover a
transparência e prestação de contas.

a) Ministério para a Coordenação da Acção Ambiental (MICOA)

• Envolvimento das comunidades no processo de elaboração de medidas de mitigação e


combate às queimadas descontroladas e erosão dos solos;
• Envolvidos os governos locais no processo de capacitação e divulgação de instrumentos
legais de gestão ambiental e do território.

b) Ministério das Obras Públicas e Habitação (MOPH)

• Criados comités de bacias de Rovuma e Zambeze, que congregam a sociedade civil,


instituições governamentais e não governamentais, para uma gestão transparente na
utilização dos recursos hídricos duma forma equitativa.

c) Ministério da Energia ( ME)

• Nomeados membros do CNELEC – Conselho Nacional de Electricidade.

2) Nível Provincial

Objectivo 1: Simplificar e racionalizar os procedimentos administrativos para


imprimir eficácia na prestação de serviços ao cidadão

a) Maputo

• No Governo Distrital de Manhiça, foi criada uma base de dados para o controlo na
gestão de expedientes e para facilitar o atendimento ao público. Refira-se que a nível da

35 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


Secretaria Provincial está em elaboração uma ficha de controlo de tramitação de
expedientes que será usada pelas instituições públicas a nível da província;

• No Distrito de Magude, foi criado o balcão de atendimento único distrital (BAUD), com
enfoque para o licenciamento comercial, aquisição de passaportes localmente, certidões
diversas, obtenção do DUAT, licenças para abate de gado para a comercialização, entre
outros;

• Realizadas capacitações para funcionários de todos os distritos da província,


destacando-se todos os directores dos serviços distritais, chefes de secretaria e alguns
funcionários recém admitidos na função pública, sobre atendimento público e Decreto nº
30/2001, de 15 de Outubro;

• Afixadas nas vitrinas das instituições do Estado, os procedimentos administrativos


necessários para a obtenção dos serviços públicos.

b) Manica

• Realizados estudos colectivos do Decreto nº 30/2001, de 15 de Outubro, e do Estatuto


Geral dos Funcionários do Estado;

• Realizadas sessões de estudo do Decreto n.º 30/2001, de 15 de Outubro, com


funcionários dos Serviços de Saúde, Mulher e Acção Social de seis distritos, e do Hospital
Provincial de Chimoio;
• Foi reforçado, em alguns sectores críticos como a Saúde, Agricultura e Secretaria
Provincial, o uso de Livro/Ficha de controle da circulação interna de expediente.

c) Niassa

• Divulgado o Decreto n.º 30/2001 e realizados estudos colectivos nas instituições


públicas da província sobre legislação especifica dos sectores;

• Reinstalados e operacionalizados os livros e caixas de reclamação;

36 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Afixados nas repartições públicas instruções minutas e prazos para tratamento e decisão
sobre o expediente;
• Afixado nas unidades sanitárias o preçário de consultas, internamento e medicamentos;

• Criado o BAU.

d) Cidade de Maputo

• Simplificados os procedimentos administrativos na conservatória do Registo das


Entidades Legais e do Registo de Automóveis, que possibilitou a redução do prazo de
entrega do título de propriedade e do livrete, de 30 para 6 dias;

• Introduzida a carta informatizada;

• Afixado o preçário dos medicamentos nas farmácias das unidades sanitárias;

• Instaladas caixas de reclamação nas farmácias e unidades sanitárias;

• Celeridade nos processos de matrículas, em virtude dos reconhecimentos e


autenticações dos documentos serem feitos na própria escola e a custo zero;

• Introduzido um novo modelo de descentralização do processo de matrículas que será


gerido a nível de cada Distrito;

• Funcionamento em pleno do Balcão de Atendimento Único (BAÚ) da Cidade.

e) Inhambane

• Estabelecidos Balcões Únicos de Atendimento (BAU) ao público e aos homens de


Negócios;

• Capacitados técnicos para trabalharem nos BAUs;

37 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Iniciada a informatização do Sistema de registo predial, comercial e Automóvel.

f) Sofala

• Divulgação do Decreto nº 30/2001, de 15 de Outubro, para as autoridades comunitárias


e chefes de postos administrativos.

g) Tete

• Efectuada a monitoria do Decreto nº 30/2001, de 15 de Outubro, nos distritos de Mágoé,


Cahora Bassa, Macanga e Angónia.

h) Zambézia

• Realizados estudos do Decreto nº 30/2001, de 15 de Outubro, sobre as Normas de


Funcionamento dos Serviços da Administração Pública; Estatuto Geral dos Funcionários
do Estado e diversa legislação sectorial em função das prioridades e necessidades do
sector.

Objectivo 2: Estabelecer/desenvolver uma cultura de transparência, de isenção, de


integridade e de responsabilização

a) Maputo

• Elaborados regulamentos de funcionamento das secretarias Provincial e Distritais;

• No distrito de Matutuíne, foram instaurados processos disciplinares a funcionários


afectos aos serviços Distritais de Actividades Económicas, Polícia da República de
Moçambique e Direcção de Identificação Civil, no âmbito do reforço da capacidade
profissional e na responsabilização dos funcionários públicos para o cumprimento das
suas obrigações.

38 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


b) Cidade de Maputo

• Realizadas campanhas de sensibilização dos funcionários sobre os malefícios da


corrupção, nos sectores, mais vulneráveis (Saúde, Comando da PRM, Inspecção do
Trabalho).

c) Tete

• Detectados desvios de fundos nos distritos de Tsangano e Marávia cujos processos


correm seus tramites legais.

d) Zambézia

• Formados gestores de Recursos Humanos dos sectores da Educação e Cultura, Saúde,


Finanças, Agricultura e Secretaria Provincial e dos 16 distritos sobre
desconcentração/descentralização, programação orçamental, Gestão financeira, e
patrimonial do Estado, com recomendação de replicarem este exercício a seu nível como
forma de despertar para uma cultura de transparência e responsabilidade.

Objectivo 4: Fortalecer o Sistema Financeiro do Estado de modo a imprimir a


transparência, eficiência e eficácia na Gestão Financeira, orçamental e
patrimonial do Estado

a) Maputo

• Realizada capacitação destinada a técnicos das Direcções provinciais e dos Distritos


sobre as novas regras de procurement do Estado,

• Criadas em todos os distritos e direcções provinciais, com excepção de Magude e


Boane as respectivas Unidades Gestoras e Executoras de Aquisições (UGEAS).

39 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


b) Manica

• Realizados seminários de divulgação do Decreto nº 54/2005, de 13 de Dezembro, que


contaram com a participação de entre outras entidades, do sector privado e técnicos dos
sectores ligados a matéria nos níveis provincial e distrital;

• Distribuídos exemplares do Decreto nº 54/2006, de 13 de Dezembro, às unidades


sanitárias, na província, para seu estudo;

• Constituídas Unidades Gestoras e Executoras de Aquisições (UGEA’s).

c) Cabo Delgado

• Implementado o Sistema de Gestão Financeira do Estado e de Registo e Controlo de


Receitas nos distritos de Nangade, Mueda, Muidumbe, Palma, Mocimboa da Praia,
Ancuabe e Chiúre;

• Realizadas Auditorias Administrativas/Financeiras aos distritos de Mueda, Muidumbe,


Montepuez, Namuno, Balama, Mecúfi e Pemba/Metuge;

• Inspeccionadas casas da DPEC onde residem funcionários do sector;

• Foram tomadas medidas administrativas por incumprimento contratual dos empreiteiros.

d) Niassa

• Revitalizadas auditorias, inspecções e controle internos nos sectores, a nível provincial e


Distrital.

40 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


e) Cidade de Maputo

• Instalado e em funcionamento o e-SISTAFE;

• Realizado o inventário de bens adquiridos, duradouros ou de investimento.

f) Inhambane

• Divulgada a Lei nº 54/2005, Lei do Procurement Público;

• Capacitados técnicos provinciais e distritais em matéria de procurement.

g) Zambézia

• Realizados seminários de divulgação do Decreto nº 54/2005, sobre o Regulamento de


Contratação de Empreitada de Obras Públicas, Fornecimento de Bens e Prestação de
Serviços ao Estado, para os Sector Público e Privado, incluindo os níveis de liderança,
(Directores Provinciais e Administradores Distritais) A par desta actividade foi distribuído
do Decreto n.º 54/2006, de 13 de Dezembro;

• Já foram criadas unidades gestoras executoras de Aquisições (UGEA’s), em todos


sectores orgânicos e unidades adstritas aos sectores públicos na província

Objectivo 5: Melhorar os níveis de consciência e da participação da sociedade civil


e do Sector privado no Combate à Corrupção

a) Maputo

• No Distrito de Matutuíne, foram realizadas reuniões envolvendo as comunidades locais


para a resolução de conflitos de terras entre estas e o sector privado nas Localidades de
Tinonganine, Catembe Nsime e nos Postos Administrativos de Catuane e Zitundo, onde
foram denunciadas tentativas de venda de terras envolvendo líderes comunitários;

41 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• No distrito de Moamba, ouvidos cidadãos e entidades públicas como resultado de
denúncias populares, nos Posto Administrativo de Pessene e na Moamba Sede.

b) Manica

• Divulgada a Estratégia Anti-corrupção aos membros do Fórum Provincial, como forma


de capacitá-los sobre a matéria;

• Elaboradas as propostas do Regulamento do Fórum Provincial Anti-corrupção, e do


Plano de Acção Provincial Anti-corrupção 2007-2010;

• Estabelecidos nove Fóruns Distritais Anti-corrupção, observando-se a composição dos


Conselhos Consultivos Distritais;

• Afixadas nas vitrinas da Direcção Provincial da Agricultura cartazes sobre o combate à


corrupção.

c) Nampula

• Desenhado o modelo de inquéritos de medição do grau de satisfação dos cidadãos em


relação aos serviços prestados pelo Governo;

• Realizadas campanhas de sensibilização e divulgação da estratégia Anti-corrupção em


todos os 20 distritos da Província.

e) Sofala

• Divulgada a estratégia Anti-corrupção nos distritos;

• Capacitados os líderes comunitários dos distritos, sobre mecanismos de participação


comunitária na monitoria da governação local.

42 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


f) Gaza

• Estabelecido o Fórum Provincial Anti-corrupção;

• Estabelecidos os fóruns distritais Anti-corrupção em todos os Distritos

g) Zambézia

• Criado o Fórum Provincial Anti-Corrupção, obedecendo a orientação da composição do


Observatório Provincial de Desenvolvimento;

• Realizados debates radiofónicos sobre governação envolvendo o Sector Público, sobre


as principais realizações do Sector na província;

• Elaborada a propostas do regulamento do fórum provincial Anti-corrupção, instrumento


de orientação do funcionamento do Fórum Provincial;

• Incentivada a afixação de informação vital nas vitrinas públicas dos sectores isto com
vista ao combate a corrupção;

• Assistidos fóruns distritais e as respectivas equipas técnicas distritais nos distritos


de Milange, Gorúé Ile, Mocuba, Namacurra e Nicoadala sobre o funcionamento destes
órgãos.

Objectivo 6: Melhorar os mecanismos de envolvimento das comunidades locais na


participação, governação e monitoria de modo a promover a
transparência e prestação de contas.

a) Maputo

43 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• No Distrito de Manhiça, os membros do Conselho Consultivo Local participaram numa
entrevista colectiva com a população para a apresentação dos seus pontos de vista sobre
a Governação no âmbito do Mecanismo Africano de Revisão de Pares (MARP);

• Estabelecido um diálogo permanente do Governo com a população, através duma


programação mensal que privilegia contactos e um diálogo permanente da S. Excia a
Administradora do Distrito para auscultação e discussão com as populações sobre as
actividades do Governo Local;

• No Distrito de Magude, todos os projectos de investimento de iniciativa local, foram


aprovados pelos Conselhos Consultivos;

• Afixadas em lugares públicos as listas nominais com os respectivos valores, dos


projectos já financiados;

• Discutidos em sessões do Conselho Consultivo, as propostas dos projectos de


desenvolvimento, seu financiamento no âmbito dos 7 milhões; e o guião de
operacionalização do Fórum Distrital Anti-corrupção.

b) Manica

• Realizadas sessões de auscultação à população nos distritos, sobre o grau de


satisfação dos serviços prestados pelas unidades sanitárias.

c) Nampula

• Implantadas linhas verdes na Secretaria Provincial, no Conselho Municipal da Cidade de


Nampula nos Hospitais Central de Nampula, Geral de Nacala e rural de Angoche.

d) Niassa

44 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


• Iniciado um programa radiofónico sobre o funcionamento do sector público aberto à
participação do cidadão.

5. Desafios

Não obstante o facto de os benefícios conquistados com a implementação da Estratégia


Anti-corrupcao serem visíveis e o nível de satisfação em relação a melhoria da prestação
de serviços com vista a redução de oportunidades para práticas corruptivas, ser
melhorado de ano para ano, subsistem alguns desafios, nomeadamente:

a) Prosseguir com acções de consolidação de uma cultura de transparência, isenção,


integridade e de responsabilização públicas, no quadro dos esforços de prevenção
e combate à corrupção;

b) Promover a ética, disciplina e integridade na Função Pública, através do


cumprimento rigoroso das normas e procedimentos na prestação de serviços;

c) Consolidar o papel do controlo interno na prevenção e combate à corrupção;

d) Realizar, periodicamente pesquisas de impacto e auscultação aos cidadãos sobre


a qualidade dos serviços prestados pela Administração Pública;

e) Aprovar e divulgar os resultados da 2ª pesquisa sobre governação e corrupção e


implementar as respectivas recomendações;

f) Fortalecer a participação da sociedade civil na monitoria da acção do Governo no


combate à corrupção, através da capacitação dos Observatórios de
Desenvolvimento e dos Conselhos Consultivos Distritais.

6. Conclusão

45 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção


O combate a corrupção é um dos grandes objectivos do cometimento assumido pelo
Governo, facto plasmado em todos instrumentos de planificação do GdM.

Por estas e outras razões, há uma grande preocupação e vontade política por parte do
Governo em dizimar o fenómeno da corrupção. Daí, ter traçado a Estratégia Anti-
Corrupção, parte integrante da Estratégia Global da Reforma do Sector Público,
desencadeada em todos os sectores e a todos os níveis das instituições públicas
mediante acções que visam mitigar os efeitos deste mal. Esta acção não envolve apenas
os organismos intervenientes, mas também, a sociedade civil e o sector privado.

O Governo tem promovido e realizado, aos vários níveis, acções e políticas conducentes
ao resgate dos valores morais, da ética e deontologia profissional, comportamentos a
adoptar, como reforço crucial para um efectivo exercício da Boa Governação.

A Presidência Aberta participativa e amplamente inclusiva, permite o Governo acolher


diversas sensibilidades, em diversas matérias que as nossas políticas públicas tem vindo
a lidar, particularmente, o combate contra os obstáculos ao nosso desenvolvimento, com
particular realce a corrupcao, o burocratismo, o espírito de deixa andar, a criminalidade e
as doenças endémicas.

Com a implementação da EAC há impactos concretos da redução das práticas de


corrupção nas instituicoes publicas e na melhoria da vida dos utentes do serviço público,
e avanços positivos no sentido de promover a integridade.

O Governo não pode, ele só, arcar com a responsabilidade de combater a corrupção. Só
uma rede de instituições públicas que jogam cada um o seu papel, na dissuasão, na
denúncia, na investigação e na punição de práticas corruptas, de corrupção. A batalha só
pode ser ganha se as instituições públicas e privadas actuarem em conjunto e com um
único propósito de garantir que a corrupção não subverta a governação.

Para que a presente e a próxima EAC sejam implementadas com sucesso, devem ser
assumidas por todo o povo moçambicano, tornando-se assim, num compromisso dos
cidadãos e das instituições. Os órgãos de comunicação social têm um enorme papel
educativo. À sociedade civil e o Sector Privado recai a imperiosa responsabilidade de
empreender esforços para a luta contra à corrupção.

46 As Grandes realizações do Governo no quadro da Boa Governação e combate à corrupção