Anda di halaman 1dari 3

Cópia não autorizada

DEZ 1992 NBR 12775


Placas lisas de gesso para forro -
Determ inação das dim ensões e
ABNT-Associação
Brasileira de
propriedades físicas
Normas Técnicas

Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar
CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro - RJ
Tel.: PABX (021) 210 -3122
Telex: (021) 34333 ABNT - BR
EndereçoTelegráfico:
NORMATÉCNICA
Método de ensaio

Origem: Projeto 02:002.40-005/1992


CB-02 - Comitê Brasileiro de Construção Civil
C E -0 2 :0 0 2 .4 0 - C o m issã o d e E stu d o d e G e sso N a tu ra l p a ra C o n stru çã o C ivil
NBR 12775 - Gypsum for lining - Determination of the dimensions and physical
properties - Method of test
Copyright © 1990, Descriptors: Gypsum. Lining. Physical properties. Dimensions
ABNT–Associação Brasileira Válida a partir de 01.03.1993
de Normas Técnicas
Printed in Brazil/
Impresso no Brasil Palavras-chave: Placa de gesso. Gesso. Forro 3 páginas
Todos os direitos reservados

1 Objetivo 2.3 Região lateral

Esta Norma prescreve o método para determinação das Região perimetral da placa de espessura diferenciada, na
dimensões e propriedades físicas de placas lisas de ges- qual se encontram os encaixes macho e fêmea.
so para forro, compreendendo:
2.4 Região central
a) dimensões da placa;

b) espessura e largura do reforço lateral; Região do centro da placa não-coincidente com os re-
forços laterais.
c) dimensões dos encaixes macho e fêmea;
2.5 Massa específica
d) espessura da região central;
Relação entre a massa e o volume do corpo-de-prova.
e) massa específica;
2.6 Elemento de fixação
f) resistência à flexão;

g) resistência do elemento de fixação. Elemento inserido na placa em um dos vértices, através do


qual a placa é fixada.
2 Definições
3 Aparelhagem
Para os efeitos desta Norma são adotadas as definições
de 2.1 a 2.6. A aparelhagem necessária para a execução do ensaio é a
seguinte:
2.1 Encaixes macho e fêmea
a) régua metálica;
Saliências e reentrâncias que permitem os encaixes entre
placas.
b) paquímetro;
2.2 Dimensões dos lados da placa
c) balança com resolução de 0,1 g;
Medidas das dimensões dos lados da placa, sem conside-
rar as saliências dos encaixes macho e fêmea. d) máquina de flexão com exatidão de 0,05 N.
Cópia não autorizada
2 NBR 12775/1992

4 Execução do ensaio 4.3 Determinação da espessura e largura de reforço


lateral
4.1 Condições de temperatura e umidade
4.3.1 Corpo-de-prova
4.1.1 A temperatura da sala de ensaios, equipamentos e
materiais deve ser de (24 ± 4)°C.
A placa deve ser serrada em quatro partes conforme Fi-
4.1.2 A umidade relativa do ar deve ser de (65 ± 5)%. gura. Caso existam saliências no verso da placa que
coincidam com o corte, este deve ser deslocado, de for-
4.2 Determinação das dimensões da placa ma a possibilitar uma medição representativa.

4.2.1 Ensaio
4.3.2 Ensaio
Determinar em cada placa as dimensões de dois lados
adjacentes e da diagonal que parte deste vértice, des- Tomar as medidas dos lados opostos com paquímetro
prezando-se as saliências macho e fêmea, utilizando-se (ver Figura), utilizando-se as partes serradas obtidas
régua metálica. conforme descrito em 4.3.1

Unid.: mm
A - Corpo-de-prova para massa específica
B - Corpo-de-prova para resistência à flexão
C - Elemento de fixação
D - Determinação da espessura na região central
Figura
Cópia não autorizada
NBR 12775/1992 3

4.4 Determinação da espessura na região central 5.2 Determinação da espessura e largura do reforço
lateral
4.4.1 Ensaio
5.2.1 Expressão dos resultados
Medir com paquímetro a menor espessura da placa, ao
longo das linhas de corte, conforme descrito em 4.3.1.
Expressar, para cada placa, as medidas da espessura e a
largura do reforço lateral, em milímetros.
4.5 Determinação da massa específica

4.5.1 Corpo-de-prova 5.3 Determinação da espessura na região central

Retirar dois corpos-de-prova com forma de quadrado 5.3.1 Expressão dos resultados
com 80 mm de lado, conforme indicado na Figura, evitan-
do regiões com deformações. O valor da menor espessura deve ser expresso em
milímetros.
4.5.2 Ensaio
5.4 Determinação da massa específica
4.5.2.1 Calcular o volume, a partir das medidas com pa-
químetro. Tomar a média das medidas da espessura nos
5.4.1 Expressão dos resultados
quatro vértices.

4.5.2.2 Determinar a massa de cada corpo-de-prova com 5.4.1.1 A massa específica de cada corpo-de-prova é dada
auxílio de balança com resolução de 0,1 g. pela expressão:
m
4.6 Determinação da resistência à flexão Me =
v
4.6.1 Corpo-de-prova Onde:
4.6.1.1 A partir dos cortes executados conforme 4.3.1, re-
Me = massa específica, em kg/m3
tirar quatro corpos-de-prova, conforme indicado na Figu-
ra, de forma a não coincidir com os reforços existentes na
placa, evitando regiões com deformações. m = massa do corpo-de-prova, em kg

4.6.1.2 Os corpos-de-prova devem ter dimensões de v = volume do corpo-de-prova, em m3


120 mm x 20 mm.
5.4.1.2 Expressar a massa específica como a média dos
4.6.2 Ensaio dois corpos-de-prova em cada placa.

4.6.2.1 Submeter cada corpo-de-prova a ensaio de flexão 5.5 Determinação da resistência à flexão
para determinação da carga de ruptura.
5.5.1 Expressão dos resultados
4.6.2.2 Medir, após ruptura do corpo-de-prova, a base e a
altura nos pontos onde houver rompimento, utilizando-se
paquímetro. 5.5.1.1 Expressar a resistência, em MPa, de cada corpo-
de-prova, dada pela expressão:
4.7 Determ inação da resistência do elem ento de fixação 3PL
Rf =
4.7.1 Corpo-de-prova
2bh2
Onde:
Como corpo-de-prova para este ensaio, deve ser consi-
derada a parte da placa onde foi inserido o elemento de Rf = resistência à flexão, em MPa
fixação.
P = carga de ruptura, em N
4.7.2 Ensaio

4.7.2.1 Apoiar o corpo-de-prova em uma base sólida con- L = distância entre os apoios, em mm
tendo uma área vazada de 70 mm de lado, onde o elemen-
to de fixação fica centrado. b = base do corpo-de-prova, em mm

4.7.2.2 Colocar um gancho no elemento de fixação e adi- h = altura do corpo-de-prova, em mm


cionar massas de 5,0 kg até a ruptura.
5.5.1.2 Deve ser calculada a resistência à flexão média dos
5 Resultados quatro corpos-de-prova.
5.1 Determinação das dimensões da placa
5.6 Determ inação da resistência do elem ento de fixação
5.1.1 Expressão dos resultados
5.6.1 Expressão dos resultados
O resultado deve ser expresso como o valor das medidas
tomadas na placa, em milímetros. Expressar a carga de ruptura, em N.