Anda di halaman 1dari 32

www.cers.com.

br 1
QUEIXA-CRIME

Crimes de Ação Penal Privada no Código Penal


- Crimes contra a honra
 Calúnia (art. 138, CP)
 Difamação (art. 139, CP)
 Injúria (art. 140, CP)

Exceção 1:
INJÚRIA REAL: É crime de ação penal pública - havendo discussão acerca da necessidade ou não
de representação - (art. 145, caput, do CP)

Exceção 2:
INJÚRIA CONTRA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: É crime de ação penal pública condicionada à requisição do Ministro da
Justiça (art. 145, parágrafo único, do CP)

Exceção 3:
CRIME CONTRA A HONRA DE SERVIDOR PÚBLICO NO EXERCÍCIO DAS FUNÇÕES: É crime de ação penal pública con-
dicionada à representação, devendo ser observada a Súmula 714 do STF (art. 145, parágrafo único, do CP)

- Usurpação de propriedade particular


 Alteração de limites (art. 161, caput, CP)
 Usurpação de águas (art. 161, I, CP)
 Esbulho possessório (art. 161, II, CP)

Observar o §3º do art. 161 do Código Penal.

- Do Dano
 Dano simples (art. 163, caput, CP)
 Dano qualificado por motivo egoístico ou com prejuízo considerável para a vítima (art. 163, IV, CP)
 Introdução ou Abandono de animais em propriedade alheia (art. 164, CP)

- Crime contra o patrimônio

www.cers.com.br 2
 Fraude à execução (art. 179, CP)

- Crimes contra a propriedade imaterial


 Violação De Direito Autoral (art. 184, caput, CP)

Exceções: Os §§1º e 2º do art. 184 são crimes de ação penal pública incondicionada e o §3º de ação penal pública condicio-
nada à representação.

- Crimes contra o casamento


 Induzimento a erro essencial e ocultação de impedimento (art. 236, CP): É o único crime de ação penal privada per-
sonalíssima (que não admite representante legal ou sucessor processual).

- Crimes contra administração da justiça


 Exercício arbitrário das próprias razões (Art. 345, CP) - salvo se há emprego de violência.

Crimes de Ação Penal Privada na legislação extravagante


- LEI Nº 9.279/96 – Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial.

Os crimes contra a propriedade industrial são de ação penal privada, salvo na hipótese do art. 191 da Lei 9.279/96, em que a
ação penal será pública.

Ainda sobre a Lei 9279/96, artigo 191: Reproduzir ou imitar, de modo que possa induzir em erro ou confusão, armas, brasões
ou distintivos oficiais nacionais, estrangeiros ou internacionais, sem a necessária autorização, no todo ou em parte, em marca,
título de estabelecimento, nome comercial, insígnia ou sinal de propaganda, ou usar essas reproduções ou imitações com fins
econômicos.

Crimes de Ação Penal Pública condicionada no Código Penal


- Crimes contra a pessoa
 Lesão Corporal Leve (Art. 129, caput, CP): Por força do disposto no art. 88 da Lei 9.099/95.

ATENÇÃO! Lesão corporal em violência doméstica e familiar contra a mulher é crime de ação penal pública incondici-
onada. Decisão proferida pelo STF no julgamento da ADC 19 e ADI 4424.

 Perigo De Contágio Venéreo (Art. 130, CP)

www.cers.com.br 3
 Dos Crimes Contra A Honra (138 a 140, CP)

ATENÇÃO! Em regra esses crimes são de ação penal privada, mas existem exceções. SOMENTE quando praticado contra
servidor público no exercício de suas funções, por força do parágrafo único do art. 145.

EXCEÇÃO 1: INJÚRIA REAL (art. 140, §3º do CP) - É crime de ação penal pública condicionada à representação do
ofendido. Na injúria real, quando da violência resultar lesão corporal, o entendimento é o de que se aplica o art. 88 da
lei 9.099/95, exigindo-se a representação.

EXCEÇÃO 2: INJÚRIA CONTRA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA - É crime de ação penal pública condicionada à
requisição do Ministro da Justiça (art. 145, parágrafo único, do CP)

 Dos Crimes Contra A Liberdade Pessoal – Ameaça (art. 147, CP)

 Crimes Contra A Inviolabilidade De Correspondência

o Violação de correspondência (art. 151, CP): Em regra são crimes de ação penal condicionada a representa-
ção, com exceção de quem instala ou utiliza estação ou aparelho radioelétrico, sem disposição de disposi-
ção legal, bem como se o agente comete o crime, com abuso de função em serviço postal, telegráfico, radie-
létrico ou telefônico, de acordo com art. 151, §4°.

o Correspondência Comercial (Art. 152, CP)

 Crimes Contra A Inviolabilidade Dos Segredos


o Divulgação De Segredo (Art. 153, CP) - Em regra somente se procede mediante representação, salvo quan-
do resultar prejuízo para a Administração Pública, neste caso a ação penal será incondicionada de acordo
com o §2º do art. 153
o Violação do segredo profissional (Art. 154, CP)

- Crimes contra o patrimônio


 Furto de coisa comum (art. 156, CP) - Não é punível a subtração de coisa comum fungível, cujo valor não excede a
quota a que tem direito o agente, de acordo com o § 2º do art. 156.

www.cers.com.br 4
 Outras fraudes (art. 176, CP) - Somente se procede mediante representação, e o juiz pode, conforme as circunstân-
cias, deixar de aplicar a pena, de acordo com o parágrafo único.

 Receptação (art. 180, CP) – ATENÇÃO! Quando em prejuízo do “CADI”:

ATENÇÃO! Nos crimes contra o patrimônio, previstos no Título II, somente se procede mediante representação, se o crime
previsto neste título é cometido em prejuízo: do cônjuge desquitado ou judicialmente separado; de irmão, legítimo ou ilegítimo;
de tio ou sobrinho, com quem o agente coabita, de acordo com o art. 182, salvo se o crime é de roubo ou de extorsão, ou, em
geral, quando haja emprego de grave ameaça ou violência à pessoa, bem como não se aplica ao estranho que participa do
crime e se o crime é praticado contra pessoa com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, de acordo com o art. 183, I, II
e III.

- Crimes contra a propriedade imaterial


 Violação de direito autoral: quando praticada através de cabo, fibra ótica, satélite, ondas etc, o crime será de Ação
Penal Pública condicionada à representação (Art. 184, §3º, c/c art. 186, IV, do CP)

ATENÇÃO! Quando a violação de direito autoral for de fonograma ou videograma (art. 184, §§ 1º e 2º), o crime é de ação
pública incondicionada (art. 186, II, do CP).

- Crimes contra a dignidade sexual


 Estupro (art. 213, CP)
 Violação sexual mediante fraude (art. 215, CP)
 Assédio sexual (art. 216-A, CP)

ATENÇÃO! Estupro praticado contra menor de 18 anos ou vulnerável é de Ação Pública Incondicionada (art. 225, parágrafo
único, do CP).
Estupro praticado mediante violência real é crime de ação pública incondicionada (Súmula 608 do STF).

www.cers.com.br 5
PONTOS RELEVANTES
AÇÃO PENAL PRIVADA
 OPORTUNIDADE E CONVENIÊNCIA
• RENÚNCIA EXPRESSA E TÁCITA
Arts. 49, 50 caput e parágrafo único, e 57 do CPP.
Art. 104 do CP.
• DECADÊNCIA
Arts. 103 do CP e 38 do CPP
(distinção entre decadência e prescrição)

AÇÃO PENAL PRIVADA


 OPORTUNIDADE E CONVENIÊNCIA
• RENÚNCIA EXPRESSA E TÁCITA
Arts. 49, 50 caput e parágrafo único, e 57 do CPP.
Art. 104 do CP.
• DECADÊNCIA
Arts. 103 do CP e 38 do CPP
(distinção entre decadência e prescrição)

CONTAGEM DO PRAZO DECADENCIAL


PRAZO PENAL

www.cers.com.br 6
Deve-se observar o Art. 10, CP: O dia do começo inclui-se no cômputo do prazo. Contam-se os dias, os meses e os anos pelo
calendário comum.

E não o art. 798 do CPP, que se refere ao PRAZO PROCESSUAL:


Art. 798. Todos os prazos correrão em cartório e serão contínuos e peremptórios, não se interrompendo por férias, domingo
ou dia feriado.
§ 1o Não se computará no prazo o dia do começo, incluindo-se, porém, o do vencimento.
§ 2o (...)
§ 3o O prazo que terminar em domingo ou dia feriado considerar-se-á prorrogado até o dia útil imediato.

www.cers.com.br 7
www.cers.com.br 8
QUANDO DO OFERECIMENTO DE UMA QUEIXA-CRIME, DEVEMOS TER ATENÇÃO AOS SEGUINTES ASPECTOS:

1) COMPETÊNCIA!!!!!
Dependendo do caso, a competência poderá ser:
• dos JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS (Atenção ao Art. 63 da Lei 9.099/95)
• da VARA CRIMINAL
• do JUIZADO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER
• do TRIBUNAL DO JÚRI

2) PROCURAÇÃO COM PODERES ESPECIAIS!!!!!


Dispõe o art. 44 do CPP:
Art. 44. A queixa poderá ser dada por procurador com poderes especiais, devendo constar do instrumento do mandato o nome
do querelante e a menção do fato criminoso, salvo quando tais esclarecimentos dependerem de diligências que devem ser
previamente requeridas no juízo criminal.

3) LEGITIMIDADE!!!!!
Caso seja a própria vítima a oferecer a queixa:
NOME DA VÍTIMA, nacionalidade, estado civil, profissão, portador da carteira de identidade nº ____, inscrito no CPF
sob o nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em
anexo, em conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência oferecer...

Em caso de vítima menor ou por outro motivo incapaz:


NOME DA VÍTIMA, menor ou incapaz, neste ato representada por NOME DO REPRESENTANTE LEGAL, nacionali-
dade, estado civil, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o nº ___, residência e domicílio, por seu ad-
vogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em conformidade com o art. 44 do Código
de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, oferecer...

Caso seja um dos sucessores (CADI) a oferecer a queixa:

NOME DO SUCESSOR, nacionalidade, estado civil, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o
nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em
conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma do art. 31 do Código de Proces-
so Penal, oferecer....

OU

www.cers.com.br 9
NOME DO SUCESSOR, nacionalidade, estado civil, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o
nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em
conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, oferecer....

OBSERVAÇÃO:
Antes dos fatos, incluir uma preliminar explicando que a vítima morreu e que o querelante oferece a queixa na forma do art. 31
do Código de Processo Penal.

4) PRAZO!!!!!!!
Como já exaustivamente indicado, atenção ao prazo decadencial. Deve-se levar em consideração o art. 10 do CP.
Assim, lembre-se que se o conhecimento da autoria ocorreu num dia não útil, ainda assim este será o primeiro dia.
Mas, caso o último dia do prazo caia, por exemplo, num sábado, e a questão indique pelo oferecimento da queixa no último dia
do prazo, a mesma deverá ser oferecida na sexta-feira anterior.

QUEIXA-CRIME
DICA

ENDEREÇAMENTO:
Verificar se o crime é infração de menor potencial ofensivo.

Em caso positivo, endereçar ao

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DO ___ JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DA COMARCA _____

Em caso negativo, endereçar ao

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ______

Observação IMPORTANTE: Em caso de concurso material de duas ou mais infrações de menor potencial ofensivo, verificar o
somatório das penas máximas dos crimes e, caso o total ultrapasse DOIS anos, a competência será da Vara Criminal.

PEDIDO:
Se a queixa foi oferecida perante o JECrim, o procedimento será o da Lei 9.099/95.

www.cers.com.br 10
Consequentemente, devemos observar se já ocorreu ou não a audiência preliminar.

Caso a audiência preliminar já tenha ocorrido, e não tenha havido conciliação, o pedido a ser formulado é o tradicional, ou
seja:

DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja recebida a presente, citado o querelado para responder aos termos da ação
penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas do art. ….
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Caso a audiência preliminar ainda não tenha ocorrido:

DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja designada audiência preliminar, na forma do artigo 72 da Lei 9.099/95, e, em
caso de impossibilidade de conciliação, requer seja recebida a presente, citado o querelado para responder aos termos da
ação penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas do art. ….
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

TRATANDO-SE DE CRIME CONTRA A HONRA, a queixa poderá ser oferecida tanto no JECrim como na Vara Criminal, de-
pendendo da pena da conduta imputada.
Contudo, crimes contra a honra dependem sempre de uma audiência de conciliação prévia, prevista no art. 520 do CPP.
Como nos Juizados o próprio procedimento contempla um momento para conciliação, esta necessidade já é, de certa forma,
suprida.

Mas, se a queixa por crime contra a honra está sendo oferecida perante uma Vara Criminal ou Juizado de Violência Doméstica
ou Familiar contra a mulher, onde será adotado o rito sumário, deve-se formular o pedido da seguinte forma:

DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja designada audiência de conciliação, na forma do artigo 520 do Código de
Processo Penal, e, em caso de impossibilidade de conciliação, requer seja recebida a presente, citado o querelado para re-
sponder aos termos da ação penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas
penas do art. ….
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

www.cers.com.br 11
MODELOS

QUEIXA OFERECIDA PELA PRÓPRIA VÍTIMA PERANTE OS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS, APÓS A AUDIÊNCIA
PRELIMINAR:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DO ___ JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DA COMARCA _____

NOME DA VÍTIMA, nacionalidade, estado civil, profissão, portador da carteira de identidade nº ____, inscrito no CPF
sob o nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em
anexo, em conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma dos artigos 30 e 41
do Código de Processo Penal, e art. 100, § 2º do Código Penal, oferecer

QUEIXA CRIME

em face de ______, brasileiro, estado civil _____, profissão ________, identidade número ___, inscrito no CPF sob o nº __,
residência e domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

DOS FATOS
(Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada).

DO DIREITO
(Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta).

DO PEDIDO
DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja recebida a presente, citado o querelado para responder aos termos da ação
penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas do art. ….
Requer também sejam fixados os valores de reparação do dano de que trata o artigo 387, IV, CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.
Rol de testemunhas:
1)

www.cers.com.br 12
2)
3)

QUEIXA OFERECIDA PELA VÍTIMA INCAPAZ, ATRAVÉS DE SEU REPRESENTANTE LEGAL, PERANTE OS JUIZADOS
ESPECIAIS CRIMINAIS, APÓS A AUDIÊNCIA PRELIMINAR:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DO ___ JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DA COMARCA _____

NOME DA VÍTIMA, menor ou incapaz, neste ato representada por NOME DO REPRESENTANTE LEGAL, nacionali-
dade, estado civil, profissão, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o nº ___, residência e domicílio, por
seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em conformidade com o art. 44 do
Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma artigos 30 e 41 do Código de Processo Penal, e art. 100, § 2º
do Código Penal, oferecer

QUEIXA CRIME

em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

DOS FATOS
(Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada).

DO DIREITO
(Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta).

DO PEDIDO
DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja recebida a presente, citado o querelado para responder aos termos da ação
penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas do art. ….
Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

www.cers.com.br 13
Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

QUEIXA OFERECIDA PELO SUCESSOR DA VÍTIMA FALECIDA, PERANTE OS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS, APÓS
A AUDIÊNCIA PRELIMINAR:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DO ___ JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DA COMARCA _____

NOME DO SUCESSOR, nacionalidade, estado civil, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o
nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em
conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma do art. 31 do Código de Proces-
so Penal, na forma dos artigos 30 e 41 do Código de Processo Penal, e art. 100, § 4º do Código Penal, oferecer

QUEIXA CRIME

em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

PRELIMINARMENTE
Cabe ressaltar que, em verdade a vítima dos fatos objeto da presente, NOME DA VÍTIMA, faleceu na data ________, não
havendo tempo hábil para o exercício do seu direito de queixa, motivo pelo qual o querelante, _________ (indicar se cônjuge
ou companheiro, ascendente, descendente ou irmão) oferece a queixa na forma do art. 31 do Código de Processo Penal.

DOS FATOS
(Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada).

DO DIREITO
(Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta).

www.cers.com.br 14
DO PEDIDO

DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja recebida a presente, citado o querelado para responder aos termos da ação
penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas do art. ….
Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

QUEIXA OFERECIDA PELA PRÓPRIA VÍTIMA PERANTE OS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS, ANTES DA AUDIÊNCIA
PRELIMINAR:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DO ___ JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DA COMARCA _____

NOME DA VÍTIMA, nacionalidade, estado civil, profissão, portador da carteira de identidade nº ____, inscrito no CPF
sob o nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em
anexo, em conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma artigos 30 e 41 do
Código de Processo Penal, e art. 100, § 2º do Código Penal, oferecer

QUEIXA CRIME

em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

www.cers.com.br 15
DOS FATOS
Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada.

DO DIREITO
Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta.

DO PEDIDO
DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja designada audiência preliminar, na forma do artigo 72 da Lei 9.099/95, e, em
caso de impossibilidade de conciliação, requer seja recebida a presente, citado o querelado para responder aos termos da
ação penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas do art. ….

Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

QUEIXA OFERECIDA PELA VÍTIMA INCAPAZ, ATRAVÉS DE SEU REPRESENTANTE LEGAL, PERANTE OS JUIZADOS
ESPECIAIS CRIMINAIS, ANTES DA AUDIÊNCIA PRELIMINAR:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DO ___ JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DA COMARCA _____

NOME DA VÍTIMA, menor ou incapaz, neste ato representada por NOME DO REPRESENTANTE LEGAL, nacionali-
dade, estado civil, profissão, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o nº ___, residência e domicílio, por
seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em conformidade com o art. 44 do

www.cers.com.br 16
Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma artigos 30 e 41 do Código de Processo Penal, e art. 100, § 2º
do Código Penal, oferecer

QUEIXA CRIME

em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

DOS FATOS
Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada.

DO DIREITO
Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta.

DO PEDIDO
DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja designada audiência preliminar, na forma do artigo 72 da Lei 9.099/95, e, em
caso de impossibilidade de conciliação, requer seja recebida a presente, citado o querelado para responder aos termos da
ação penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas do art. ….
Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

www.cers.com.br 17
QUEIXA OFERECIDA PELO SUCESSOR DA VÍTIMA FALECIDA, PERANTE OS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS, AN-
TES DA AUDIÊNCIA PRELIMINAR:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DO ___ JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DA COMARCA _____

NOME DO SUCESSOR, nacionalidade, estado civil, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o
nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em
conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma do art. 31 do Código de Proces-
so Penal, na forma dos artigos 30 e 41 do Código de Processo Penal, e art. 100, § 2º do Código Penal, oferecer

QUEIXA CRIME

em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

PRELIMINARMENTE
Cabe ressaltar que, em verdade a vítima dos fatos objeto da presente, NOME DA VÍTIMA, faleceu na data ________, não
havendo tempo hábil para o exercício do seu direito de queixa, motivo pelo qual o querelante, _________ (indicar se cônjuge
ou companheiro, ascendente, descendente ou irmão) oferece a queixa na forma do art. 31 do Código de Processo Penal.

DOS FATOS
Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada.

DO DIREITO
Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta.

DO PEDIDO
DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja designada audiência preliminar, na forma do artigo 72 da Lei 9.099/95, e, em
caso de impossibilidade de conciliação, requer seja recebida a presente, citado o querelado para responder aos termos da
ação penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas do art. ….
Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,

www.cers.com.br 18
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

MODELOS DE QUEIXA OFERECIDA PERANTE A VARA CRIMINAL (o mesmo modelo será utilizado no caso de ofere-
cimento de queixa perante o Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, hipótese na qual deverá ser
alterado o endereçamento)

QUEIXA OFERECIDA PELA PRÓPRIA VÍTIMA:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ______

NOME DA VÍTIMA, nacionalidade, estado civil, profissão, portador da carteira de identidade nº ____, inscrito no CPF
sob o nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em
anexo, em conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma artigos 30 e 41 do
Código de Processo Penal, e art. 100, § 2º do Código Penal, oferecer

QUEIXA CRIME

em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

DOS FATOS
Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada.

DO DIREITO
Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta.

www.cers.com.br 19
DO PEDIDO
DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja recebida a presente, citado o querelado para responder aos termos da ação
penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas do art. ….
Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

QUEIXA OFERECIDA PELA VÍTIMA INCAPAZ, ATRAVÉS DE SEU REPRESENTANTE LEGAL:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ______

NOME DA VÍTIMA, menor ou incapaz, neste ato representada por NOME DO REPRESENTANTE LEGAL, nacionali-
dade, estado civil, profissão, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o nº ___, residência e domicílio, por
seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em conformidade com o art. 44 do
Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma artigos 30 e 41 do Código de Processo Penal, e art. 100, § 2º
do Código Penal, oferecer

QUEIXA CRIME

em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

DOS FATOS
Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada.

www.cers.com.br 20
DO DIREITO
Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta.

DO PEDIDO
DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja recebida a presente, citado o querelado para responder aos termos da ação
penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas do art. ….
Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

QUEIXA OFERECIDA PELO SUCESSOR DA VÍTIMA FALECIDA:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ______

NOME DO SUCESSOR, nacionalidade, estado civil, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o
nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em
conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma do art. 31 do Código de Proces-
so Penal, na forma dos artigos 30 e 41 do Código de Processo Penal, e art. 100, § 2º do Código Penal, oferecer

QUEIXA CRIME

em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

www.cers.com.br 21
PRELIMINARMENTE
Cabe ressaltar que, em verdade a vítima dos fatos objeto da presente, NOME DA VÍTIMA, faleceu na data ________, não
havendo tempo hábil para o exercício do seu direito de queixa, motivo pelo qual o querelante, _________ (indicar se cônjuge
ou companheiro, ascendente, descendente ou irmão) oferece a queixa na forma do art. 31 do Código de Processo Penal.

DOS FATOS
Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada.

DO DIREITO
Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta.

DO PEDIDO
DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja recebida a presente, citado o querelado para responder aos termos da ação
penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas do art. ….

Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

www.cers.com.br 22
MODELOS DE QUEIXA OFERECIDA PERANTE A VARA CRIMINAL EM CASO DE CRIMES CONTRA A HONRA (o mes-
mo modelo será utilizado no caso de oferecimento de queixa perante o Juizado de Violência Doméstica e Familiar
contra a Mulher, hipótese na qual deverá ser alterado o endereçamento)

QUEIXA OFERECIDA PELA PRÓPRIA VÍTIMA:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ______

NOME DA VÍTIMA, nacionalidade, estado civil, profissão, portador da carteira de identidade nº ____, inscrito no CPF
sob o nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em
anexo, em conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma artigos 30 e 41 do
Código de Processo Penal, e art. 100, § 2º do Código Penal, oferecer

QUEIXA CRIME

em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

DOS FATOS
Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada.

DO DIREITO
Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta.

DO PEDIDO
DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja designada audiência de conciliação, na forma do artigo 520 do Código de
Processo Penal, e, em caso de impossibilidade de conciliação, requer seja recebida a presente, citado o querelado para res-
ponder aos termos da ação penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas
do art. ….
Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

www.cers.com.br 23
Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

QUEIXA OFERECIDA PELA VÍTIMA INCAPAZ, ATRAVÉS DE SEU REPRESENTANTE LEGAL:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ______

NOME DA VÍTIMA, menor ou incapaz, neste ato representada por NOME DO REPRESENTANTE LEGAL, nacionali-
dade, estado civil, profissão, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o nº ___, residência e domicílio, por
seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em conformidade com o art. 44 do
Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma artigos 30 e 41 do Código de Processo Penal, e art. 100, § 2º
do Código Penal, oferecer

QUEIXA CRIME

em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

DOS FATOS
Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada.

DO DIREITO
Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta.

DO PEDIDO
DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja designada audiência de conciliação, na forma do artigo 520 do Código de
Processo Penal, e, em caso de impossibilidade de conciliação, requer seja recebida a presente, citado o querelado para res-
ponder aos termos da ação penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas
do art. ….

www.cers.com.br 24
Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

QUEIXA OFERECIDA PELO SUCESSOR DA VÍTIMA FALECIDA:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ______

NOME DO SUCESSOR, nacionalidade, estado civil, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o
nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em
conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma do art. 31 do Código de Proces-
so Penal, na forma dos artigos 30 e 41 do Código de Processo Penal, e art. 100, § 2º do Código Penal, oferecer

QUEIXA CRIME

em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

PRELIMINARMENTE
Cabe ressaltar que, em verdade a vítima dos fatos objeto da presente, NOME DA VÍTIMA, faleceu na data ________, não
havendo tempo hábil para o exercício do seu direito de queixa, motivo pelo qual o querelante, _________ (indicar se cônjuge
ou companheiro, ascendente, descendente ou irmão) oferece a queixa na forma do art. 31 do Código de Processo Penal.

DOS FATOS

www.cers.com.br 25
Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada.

DO DIREITO
Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta.

DO PEDIDO
DIANTE DO EXPOSTO, requer o querelante seja designada audiência de conciliação, na forma do artigo 520 do Código de
Processo Penal, e, em caso de impossibilidade de conciliação, requer seja recebida a presente, citado o querelado para res-
ponder aos termos da ação penal e, ao final, julgado procedente o pedido para condenar o querelado como incurso nas penas
do art. ….
Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

www.cers.com.br 26
AÇÃO PENAL PRIVADA SUBSIDIÁRIA DA PÚBLICA
Lembre-se que, neste caso, estamos diante de um crime de ação penal pública no qual o Ministério Público descum-
priu o prazo do art. 46 do CPP, permanecendo inerte. Assim, surge para a vítima a oportunidade de oferecer a queixa-
crime subsidiária.
Referida queixa-crime subsidiária poderá ser oferecida perante a Vara Criminal, o Tribunal do Júri, os Juizados Espe-
ciais Criminais, ou mesmo o Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, dependendo do crime prati-
cado e da competência para o seu processo e julgamento. Assim, você deve estar atento à possível diferença no en-
dereçamento.
Os exemplos abaixo referem-se a uma queixa-crime subsidiária oferecida perante a Vara Criminal.

QUEIXA-CRIME SUBSIDIÁRIA OFERECIDA PELA PRÓPRIA VÍTIMA:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ______

NOME DA VÍTIMA, nacionalidade, estado civil, profissão, portador da carteira de identidade nº ____, inscrito no CPF
sob o nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em
anexo, em conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma artigos 29 e 41 do
Código de Processo Penal, e art. 100, § 3º do Código Penal, oferecer
QUEIXA-CRIME SUBSIDIÁRIA
em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

PRELIMINARMENTE
Embora a conduta ora imputada ao querelante se caracterize como infração de ação penal pública verifica-se que o Ministério
Público recebeu as peças de informação em ___/___/___, sendo certo que permanece inerte até a presente data. Assim, pos-
sui o ora querelante legitimidade para o oferecimento da presente queixa subsidiária, conforme arts. 5 o., LIX, da Constituição
Federal, 100, § 3o., do Código Penal e 29, do Código de Processo Penal.

DOS FATOS
Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada.

DO DIREITO
Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta.

www.cers.com.br 27
DO PEDIDO
Diante do exposto, requer seja recebida a presente queixa-crime subsidiária, citado o querelado para responder aos termos da
ação penal e ao final julgado procedente o pedido para condenar o querelado nas penas do art. .....
Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

QUEIXA-CRIME SUBSIDIÁRIA OFERECIDA PELA VÍTIMA INCAPAZ, ATRAVÉS DE SEU REPRESENTANTE LEGAL:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ______

NOME DA VÍTIMA, menor ou incapaz, neste ato representada por NOME DO REPRESENTANTE LEGAL, nacionali-
dade, estado civil, profissão, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o nº ___, residência e domicílio, por
seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em conformidade com o art. 44 do
Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma artigos 29 e 41 do Código de Processo Penal, e art. 100, § 3º
do Código Penal, oferecer
QUEIXA-CRIME SUBSIDIÁRIA
em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

PRELIMINARMENTE
Embora a conduta ora imputada ao querelante se caracterize como infração de ação penal pública verifica-se que o Ministério
Público recebeu as peças de informação em ___/___/___, sendo certo que permanece inerte até a presente data. Assim, pos-

www.cers.com.br 28
sui o ora querelante legitimidade para o oferecimento da presente queixa subsidiária, conforme arts. 5 o., LIX, da Constituição
Federal, 100, § 3o., do Código Penal e 29, do Código de Processo Penal.

DOS FATOS
Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada.

DO DIREITO
Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta.

DO PEDIDO

Diante do exposto, requer seja recebida a presente queixa-crime subsidiária, citado o querelado para responder aos termos da
ação penal e ao final julgado procedente o pedido para condenar o querelado nas penas do art. .....
Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

www.cers.com.br 29
QUEIXA-CRIME SUBSIDIÁRIA OFERECIDA PELO SUCESSOR DA VÍTIMA FALECIDA:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ______

NOME DO SUCESSOR, nacionalidade, estado civil, portador da carteira de identidade nº ___, inscrito no CPF sob o
nº ___, residência e domicílio, por seu advogado abaixo assinado, conforme procuração com poderes especiais em anexo, em
conformidade com o art. 44 do Código de Processo Penal, vem a Vossa Excelência, na forma do art. 31 do Código de Proces-
so Penal, na forma dos artigos 29 e 41 do Código de Processo Penal, e art. 100, § 3º do Código Penal, oferecer
QUEIXA-CRIME SUBSIDIÁRIA
em face de ______, nacionalidade, estado civil, profissão, identidade número ___, inscrito no CPF sob o n°__, residência e
domicílio, pelos fatos e fundamentos jurídicos a seguir expostos.

PRELIMINARMENTE
Embora a conduta ora imputada ao querelante se caracterize como infração de ação penal pública verifica-se que o Ministério
Público recebeu as peças de informação em ___/___/___, sendo certo que permanece inerte até a presente data. Assim, pos-
sui o ora querelante legitimidade para o oferecimento da presente queixa subsidiária, conforme arts. 5 o., LIX, da Constituição
Federal, 100, § 3o., do Código Penal e 29, do Código de Processo Penal.

Ainda cabe ressaltar que, em verdade a vítima dos fatos objeto da presente, NOME DA VÍTIMA, faleceu na data ________,
não havendo tempo hábil para o exercício do seu direito de queixa, motivo pelo qual o querelante, _________ (indicar se côn-
juge ou companheiro, ascendente, descendente ou irmão) oferece a queixa-crime subsidiária na forma do art. 31 do Código de
Processo Penal.

DOS FATOS
Apresentar os fatos indicados no enunciado da questão, motivadores da ação penal privada.

DO DIREITO
Indicar as razões jurídicas que justificam a tipificação da conduta.

DO PEDIDO
Diante do exposto, requer seja recebida a presente queixa-crime subsidiária, citado o querelado para responder aos termos da
ação penal e ao final julgado procedente o pedido para condenar o querelado nas penas do art. .....

www.cers.com.br 30
Requer também sejam fixados os valores de que tratam o art. 387, IV do CPP.
Requer ainda sejam intimadas as testemunhas abaixo arroladas.

Nestes termos,
Espera deferimento.

Comarca, data.
Advogado, OAB.

Rol de testemunhas:
1)
2)
3)

www.cers.com.br 31
www.cers.com.br 32