Anda di halaman 1dari 2

A imagem do Mc Donalds comumente é associada como um dos símbolos do

capitalismo americano. Neste sistema, as empresas, por vezes, em busca de minimizar os


custos e maximizar os lucros, cometem atos imorais e, em alguns casos ilegais. É nesta
linha que o filme Fome de Poder, dirigido por John Lee Hancock (), retrata a trajetória da
expansão da empresa Mc Donalds.
O filme narra a história de Ray Croc (Michael Keaton) e como seu desejo e
ambição por sucesso transformou uma pequena lanchonete do interior do EUA em uma
das maiores redes de alimentos do mundo. Esta trajetória tem início quando Ray, ainda
desenvolvedor de itens para cozinhas industriais, visita uma pequena lanchonete em San
Bernadino, interior do estado da Califórnia, chamada Mc Donalds.
O protagonista fica maravilhado com o tempo de entrega e qualidade do serviço
prestado por esta lanchonete. Ao conhecer os donos e criadores da lanchonete, os irmãos
Dick e Mac Mc Donalds, vividos por Nick Offerman e John Carroll, respectivamente, ele
tem acesso às informações sobre as estratégias de produção da lanchonete (desde layouts
aos tipos de equipamentos utilizados). Após isto, Ray fica convencido de quê deve
participar deste negócio e propõe participar do negócio como gestor das franquias em
outras cidades – chegando a afirmar que os irmãos deveriam se associar a ele e franquiar
unidades pelo ideal patriótico da américa.
O acordo é firmado e é a partir daí que o protagonista se divide entre um homem
persistente e criativo em suas soluções para expansão da rede e um profissional
egocêntrico que sabe o que quer e vai fazer de tudo para alcançar seus objetivos, mesmo
que para isto ultrapasse alguns limites. É com base nisto que Ray ao mesmo tempo em
que investe em jovens profissionais (algo que não era tão comum na época, considerado
inovador) e revoluciona o modelo de franquias, o protagonista realiza diversas ações
contra seus sócios e o contrato firmado com os irmãos Mc Donalds.
A obsessão de Ray não é apenas pelo dinheiro, e sim pela imagem idealizada por
ele da marca Mc Donalds. O próprio Ray, em vários momentos do filme, se apresenta
como fundador da empresa (Título original do filme: O Fundador) e menciona como os
arcos dourados da marca e o nome Mc Donalds representam o ideal americano.
A fome de sucesso e poder de Ray aumenta cada vez mais, chegando a ponto de
ele conseguir comprar as ações dos irmãos Dick e Mac, se tornando dona da marca Mc
Donalds. Além disso, Ray impossibilita os irmãos, através do acordo da compra das
ações, de usarem a marca em qualquer outro eventual restaurante que eles tenham ou que
poderiam ter no futuro.
Dessa forma, o filme mostra a ambiguidade das ações de um homem que
revolucionou o ramo das franquias de fast food. Ray Croc se mostra como um dos nomes
mais simbólicos da essência do capitalismo americano. Ele mesmo, no filme, define a
competição entre as empresas como guerra e defende esta ideia até o fim.