Anda di halaman 1dari 52

AULA 28 – 19/11/2018

CÁLCULO DA TENSÃO ADMISSÍVEL EM


TUBULÕES – EXERCÍCIOS

PROF. RAIMUNDO LEIDIMAR BEZERRA


DEC/CCTS/UEPB
leidimarbezerra@gmail.com

1
MÉTODOS TEÓRICOS
MÉTODOS SEMIEMPÍRICOS - SPT
MÉTODOS SEMIEMPÍRICOS - CPT
TUBULÕES COMO ESTACAS ESCAVADAS
MÉTODO DE AOKI-VELLOSO
MÉTODO DE AOKI-VELLOSO
MÉTODO DE DÉCOURT-QUARESMA
PROVA DE CARGA EM PLACA
VERIFICAÇÃO DE RECALQUES
DESEMPENHO DAS FUNDAÇÕES
DESEMPENHO DAS FUNDAÇÕES – NBR 6122:2010
DESEMPENHO DAS FUNDAÇÕES – NBR 6122:2010
Exercício 1 – Tubulão a céu aberto
 Dimensionar dois tubulões a céu aberto, com fck = 15
MPa, para o perfil de solo abaixo.
Exercício 1 – Tubulão a céu aberto
Exercício 1 – Tubulão 1
 Inicialmente vamos adotar uma profundidade em que
NSPT  15 golpes, ou seja, cota Z = 7,00 m;
 Considerando, também, que o diâmetro da base é D =
3,00 m, tem-se que 2B = 6,0 m.
1) Cálculo do Nmédio
𝟏𝟔 + 𝟏𝟒 + 𝟏𝟓 + 𝟏𝟓 + 𝟏𝟔 + 𝟏𝟒
𝑵𝑺𝑷𝑻𝒎 = = 𝟏𝟓, 𝟎
𝟔
2) Cálculo da tensão admissível
𝑵𝑺𝑷𝑻 𝟏𝟓, 𝟎
𝝈𝒂𝒅𝒎 = = = 𝟎, 𝟓𝟎𝟎 𝑴𝑷𝒂 = 𝟓𝟎𝟎 𝒌𝑷𝒂
𝟑𝟎 𝟑𝟎
Como, 𝝈𝒂𝒅𝒎 ≤ 600 kPa, adota-se 𝝈𝒂𝒅𝒎 = 500 kPa
Exercício 1 – Tubulão 1
3) Cálculo do Db (m)
𝟒. 𝑷 (𝟒)(𝟑𝟓𝟎𝟎)
𝑫𝒃 = = = 𝟐, 𝟗𝟗 𝒎
𝝅. 𝝈𝒂𝒅𝒎 (𝝅)(𝟓𝟎𝟎)
• Adotando-se, D = 3,00 m, faz-se a verificação da tensão
admissível.
• Como para o cálculo da tensão admissível, admitiu-se que D
= 3,0 m, observa-se que se vai obter o mesmo valor para a
tensão admissível.
4) Cálculo da tensão no concreto
𝟎, 𝟖𝟓. 𝒇𝒄𝒌 (𝟎, 𝟖𝟓)(𝟏𝟓)
𝝈𝒄𝒐𝒏𝒄 = = = 𝟓, 𝟎𝟔 𝑴𝑷𝒂
𝜸𝒇 . 𝜸𝒄 (𝟏, 𝟒)(𝟏, 𝟖)
Como, 𝝈𝒄𝒐𝒏𝒄  5 MPa, adota-se 𝝈𝒄𝒐𝒏𝒄 = 5 MPa.
Exercício 1 – Tubulão 1
5) Cálculo da área do fuste, em metros
𝑷 𝟑𝟓𝟎𝟎
𝑨𝒇 = 𝝈 = 𝟓𝟎𝟎𝟎
= 𝟎, 𝟕𝟎 m²
𝒄𝒐𝒏𝒄

6) Cálculo do diâmetro do fuste


𝟒.𝑨𝒇 (𝟒)(𝟎,𝟕𝟎)
𝑫𝒇 = = =0,94 m
𝝅 𝝅

Como, 𝑫𝒇 > 0,70 m, adota-se 𝑫𝒇 = 0,95 m.


7) Cálculo da altura da base alargada
𝑯𝒃 = 𝟎, 𝟖𝟔𝟔 𝑫𝒃 − 𝑫𝒇 = 𝟎, 𝟖𝟔𝟔 𝟑, 𝟎𝟎 − 𝟎, 𝟗𝟓 =
= 𝟏, 𝟕𝟕𝟓 𝒎
Como, Hb < 2,00 m → OK!
Adota-se, Hb =1,80 m
Exercício 1 – Tubulão 2
 Dimensionar dois tubulões a céu aberto, com fck = 15
MPa, para o perfil de solo abaixo.
Exercício 1 – Tubulão 2
Exercício 1 – Tubulão 2
 Inicialmente vamos adotar uma profundidade em que NSPT
 15 golpes, ou seja, cota Z = 7,00 m;
1) Determinação do raio do tubulão P2, em falsa elipse
𝒓𝟐 = 𝒔 − 𝒓𝟏 − 𝟎, 𝟏𝟎 = 𝟐, 𝟔𝟎 − 𝟏, 𝟓𝟎 − 𝟎, 𝟏𝟎 = 𝟏, 𝟎𝟎 𝒎
2) Cálculo da largura do tubulão P2
𝑫 = 𝟐𝒓𝟐 = 𝟐 𝟏, 𝟎𝟎 = 𝟐, 𝟎𝟎 𝒎
3) Cálculo da profundidade do bulbo de tensões
𝒁 = 𝟐𝑫 = 𝟐 𝟐, 𝟎𝟎 = 𝟒, 𝟎𝟎 𝒎
4) Cálculo do Nmédio
𝟏𝟔 + 𝟏𝟒 + 𝟏𝟓 + 𝟏𝟓
𝑵𝑺𝑷𝑻𝒎 = = 𝟏𝟓, 𝟎
𝟒
Exercício 1 – Tubulão 2
5) Cálculo da tensão admissível
𝑵𝑺𝑷𝑻 𝟏𝟓, 𝟎
𝝈𝒂𝒅𝒎 = = = 𝟎, 𝟓𝟎𝟎 𝑴𝑷𝒂 = 𝟓𝟎𝟎 𝒌𝑷𝒂
𝟑𝟎 𝟑𝟎
Como, 𝝈𝒂𝒅𝒎 ≤ 600 kPa, adota-se 𝝈𝒂𝒅𝒎 = 500 kPa
6) Cálculo da área da base
𝑷𝟐 𝟐𝟔𝟎𝟎
𝑨𝒃𝟐 = = = 𝟓, 𝟐𝟎 𝒎𝟐
𝝈𝒂𝒅𝒎 𝟓𝟎𝟎
7) Cálculo da comprimento “x”
𝑨𝒃𝟐 − 𝝅𝒓𝟐𝟐 𝟓, 𝟐𝟎 − (𝝅)(𝟏)𝟐
𝒙= = = 𝟏, 𝟎𝟑 𝒎
𝟐𝒓𝟐 (𝟐)(𝟏)
Adotando-se, x = 1,05 m
Exercício 1 – Tubulão 2
8) Verificação das dimensões
𝒙 𝟏, 𝟎𝟓
= = 𝟏, 𝟎𝟓 < 𝟐, 𝟓 → 𝑶𝑲!
𝒓𝟐 𝟏, 𝟎𝟎
9) Cálculo da tensão no concreto
𝟎, 𝟖𝟓. 𝒇𝒄𝒌 (𝟎, 𝟖𝟓)(𝟏𝟓)
𝝈𝒄𝒐𝒏𝒄 = = = 𝟓, 𝟎𝟔 𝑴𝑷𝒂
𝜸𝒇 . 𝜸𝒄 (𝟏, 𝟒)(𝟏, 𝟖)
Como, 𝝈𝒄𝒐𝒏𝒄  5 MPa, adota-se 𝝈𝒄𝒐𝒏𝒄 = 5 MPa.
10) Cálculo da área do fuste, em metros
𝑷 𝟑𝟓𝟎𝟎
𝑨𝒇 = 𝝈 = = 𝟎, 𝟕𝟎 m²
𝒄𝒐𝒏𝒄 𝟓𝟎𝟎𝟎
Exercício 1 – Tubulão 2
11) Cálculo do diâmetro do fuste
𝟒.𝑨𝒇 (𝟒)(𝟎,𝟕𝟎)
𝑫𝒇 = 𝝅
= 𝝅
=0,94 m

Como, 𝑫𝒇 > 0,70 m, adota-se 𝑫𝒇 = 0,95 m.


12) Cálculo da altura da base alargada
𝑯𝒃 = 𝟎, 𝟖𝟔𝟔 𝑫𝒃 + 𝒙 − 𝑫𝒇 =
= 𝟎, 𝟖𝟔𝟔 𝟐, 𝟎𝟎 + 𝟏, 𝟎𝟓 − 𝟎, 𝟗𝟓 = 𝟏, 𝟖𝟐 𝒎
Como, Hb < 2,00 m → OK! Adota-se, Hb =1,85 m
13) Verificação das dimensões
𝑳 𝒙 + 𝑫 𝟏, 𝟎𝟓 + 𝟐
= = = 𝟏, 𝟓𝟑 < 𝟐, 𝟓 → 𝑶𝑲!
𝑩 𝑫 𝟐
Exercício 2 – Tubulão a céu aberto
 Dimensionar um tubulão a céu aberto, para uma carga
de 1500 kN e fck = 20 MPa, para o perfil de solo abaixo.
Exercício 2
 Inicialmente vamos adotar uma profundidade em que
NSPT  15 golpes, ou seja, cota Z = 9,00 m;
 Considerando, também, que o diâmetro da base é D =
2,00 m, tem-se:
1) Cálculo do Nmédio
𝟏𝟓 + 𝟏𝟗 + 𝟐𝟎 + 𝟐𝟎
𝑵𝑺𝑷𝑻𝒎 = = 𝟏𝟖, 𝟓
𝟒
2) Cálculo da tensão admissível
𝑵𝑺𝑷𝑻 𝟏𝟖, 𝟓
𝝈𝒂𝒅𝒎 = = = 𝟎, 𝟔𝟏𝟕 𝑴𝑷𝒂 = 𝟔𝟏𝟕 𝒌𝑷𝒂
𝟑𝟎 𝟑𝟎
Como, 𝝈𝒂𝒅𝒎 > 600 kPa, adota-se 𝝈𝒂𝒅𝒎 = 600 kPa
Exercício 2
3) Cálculo do D (m)
𝟒. 𝑷 (𝟒)(𝟏𝟓𝟎𝟎)
𝑫= = = 𝟏, 𝟕𝟖 𝒎
𝝅. 𝝈𝒂𝒅𝒎 (𝝅)(𝟔𝟎𝟎)
• Adotando-se, D = 1,80 m, faz-se a verificação da tensão
admissível.
• Como para o cálculo da tensão admissível, admitiu-se que D
= 2,00 m, observa-se que se vai obter o mesmo valor para a
tensão admissível.
4) Cálculo da tensão no concreto
𝟎, 𝟖𝟓. 𝒇𝒄𝒌 (𝟎, 𝟖𝟓)(𝟐𝟎)
𝝈𝒄𝒐𝒏𝒄 = = = 𝟔, 𝟕𝟓 𝑴𝑷𝒂
𝜸𝒇 . 𝜸𝒄 (𝟏, 𝟒)(𝟏, 𝟖)
Como, 𝝈𝒄𝒐𝒏𝒄 > 5 MPa, adota-se 𝝈𝒄𝒐𝒏𝒄 = 5 MPa.
Exercício 2
5) Cálculo da área do fuste, em metros
𝑷 𝟏𝟓𝟎𝟎
𝑨𝒇 = 𝝈 = 𝟓𝟎𝟎𝟎
= 𝟎, 𝟑𝟎 m²
𝒄𝒐𝒏𝒄

6) Cálculo do diâmetro do fuste


𝟒.𝑨𝒇 (𝟒)(𝟎,𝟑𝟎)
𝑫𝒇 = = =0,62 m
𝝅 𝝅

Como, 𝑫𝒇 < 0,70 m, adota-se 𝑫𝒇 = 0,70 m.


7) Cálculo da altura da base alargada
𝑯𝒃 = 𝟎, 𝟖𝟔𝟔. 𝑫𝒃 − 𝑫𝒇) = 𝟎, 𝟗𝟓𝟑 𝒎
Como, Hb < 2,00 m → OK!
Adota-se, Hb =1,00 m
Exercício 3 – Tubulão a céu aberto
Exercício 3
Exercício 3

18
Exercício 3
Exercício 3
Exercício 3
Exercício 3
Exercício 3
Exercício 3
Exercício 3
Exercício 3
Exercício 3
Exercício 3
Exercício 3
Exercício 3
Exercício 3
Exercício 4 - Tubulão a ar comprimido – Camisa de concreto
Exercício 4 - Tubulão a ar comprimido – Camisa de concreto
Exercício 4 - Tubulão a ar comprimido – Camisa de concreto
Exercício 4 - Tubulão a ar comprimido – Camisa de aço
Exercício 4 - Tubulão a ar comprimido – Camisa de aço
Exercício 4 - Tubulão a ar comprimido – Camisa de aço
Exercício 4 - Tubulão a ar comprimido – Camisa de aço

Minat Terkait