Anda di halaman 1dari 3

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CARVALHOS

ESCOLA SOLIDÁRIA

Ética, direito e política (Rawls)

O ser humano é, também, um cidadão, isto faz parte de uma comunidade politicamente organizada. É um cidadão.
Uma sociedade politicamente organizada pretende garantir o bem comum e a harmonia da vida em comunidade
(evitar e gerir conflitos). Daí o direito e a política.

Classifique as afirmações como verdadeiras ou falsas.

1. É justificado afirmar que toda a moralidade está refletida na lei.


2. A relação entre a ética e o direito é pacífica.
3. As leis devem estar sujeitas a avaliação moral.
4. A ética exerce poder sobre o direito.
5. A ética e o direito oferecem meios diferentes para promover a dignidade e o aperfeiçoamento humano.
6. A vida em sociedade exige um conjunto de instituições com competência para criar códigos (Direito),
autoridade para gerir a sua aplicação (governo), instrumentos para julgar o seu incumprimento (tribunais),
poder coercitivo para as aplicar (polícia) e meios para defender a comunidade de ameaças externas (forças
armadas).
7. A ética e o direito regulam as relações de cada um consigo e com os outros.
8. Uma ação ilegal é imoral.
9. Uma ação legal pode ser imoral.
10. Uma ação moral é legal.
11. A moral é suficiente para garantir o convívio harmonioso entre todos os indivíduos.
12. A moral é constituída por normas prescritivas – não supõe sanções penais.
13. As normas morais não têm caráter vinculativo, pois não possuem poder coercitivo, uma vez que elas
condicionam, mas não obrigam
14. Os princípios estruturantes da organização político-jurídica das sociedades são: liberdade, igualdade e
solidariedade/fraternidade.
15. O direito é coercitivo: aplica sansões.
16. O direito é o conjunto de normas que regulam as relações entre os cidadãos, estabelecendo também as formas
de punição em caso de incumprimento.
17. A aplicação do poder de coagir exige instituições com autoridade.
18. O direito é completamente autónomo em relação à ética e não se justifica que deva existir uma conexão entre
ambos.
19. A política é a realização da ética por outros meios: a formação do ser humano, enquanto pessoa de bem
(dimensão ética/moral) deverá coincidir com a formação do bom cidadão (dimensão política).
20. A política visa a harmonização da vida comunitária.
21. O Estado, é uma instituição, política que faz a gestão dos interesses privados e públicos.
22. O poder do Estado, nas sociedades modernas e democráticas, encontra-se tripartido: poder legislativo, poder
executivo poder judicial.
23. A organização política é condição para realizar o bem comum e aperfeiçoar a natureza humana.

A no le tivo 2 0 1 8 / 2 0 1 9 Galardões 1 /3
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CARVALHOS
ESCOLA SOLIDÁRIA

Teoria da Justiça de Rawls (1921-2002)

Considerado um dos autores mais importantes da filosofia política do século XX, tem pontos de contacto com a
filosofia de Kant (consideram que a pessoa é, em si mesma, livre, igual e um fim em si mesma) e com as teorias
contratualistas. Critica o utilitarismo, na medida em que não considera a forma justa ou injusta como a felicidade é
distribuída.

1. A teoria da justiça como equidade é uma teoria descritiva.


2. A teoria da justiça como equidade propõe um modo, socialmente justo, de proceder à distribuição dos direitos
e dos deveres fundamentais e dos benefícios que resultam da cooperação social.
3. A teoria da justiça como equidade é uma teoria vocacionada para a conduta privada dos indivíduos.
4. A teoria da justiça como equidade não permite fazer uma avaliação normativa das sociedades.
5. A teoria da justiça como equidade pressupõe que a sociedade é uma soma de indivíduos.
6. A teoria da justiça como equidade pressupõe que cada indivíduo é livre de rever racionalmente a sua conceção
de bem.
7. O sentido de justiça é uma capacidade que deve ser reconhecida a qualquer cidadão.
8. Segundo Rawls, a justiça social resulta da articulação de dois valores fundamentais – o valor da liberdade e o
valor da igualdade.
9. Segundo a teoria da justiça de Rawls, a liberdade e a igualdade são incompatíveis.
10. A teoria da justiça de Rawls é formada por um princípio de liberdade.
11. Não há justiça social, segundo Rawls, se a riqueza não for distribuída por de maneira a gerar os maiores
benefícios para os menos favorecidos.
12. O princípio da oportunidade justa determina, por exemplo, que os estudantes mais dotados gozem de
oportunidades de educação melhores do que os estudantes menos dotados.
13. O princípio da oportunidade justa pode determinar que os estudantes mais dotados gozem de oportunidades
de educação melhores do que os estudantes menos dotados.
14. As regras de prioridade na aplicação dos princípios de justiça implicam que a redistribuição de riqueza pelos
menos favorecidos suplante a liberdade.
15. Rawls é um filósofo liberal, porque defende que a liberdade é inegociável.
16. Podemos abdicar das liberdades básicas em troca de grandes compensações financeiras.
17. A teoria da justiça de Rawls aceita o princípio utilitarista da maximização da utilidade.
18. Rawls critica o utilitarismo por este não considerar que a igualdade é um valor intrínseco.
19. Pensar em termos de felicidade agregada, como é típico do utilitarismo, evita, segundo Rawls, que a dignidade
de cada pessoa seja violada.
20. Rawls defende que a justiça se subordina à promoção do bem.
21. A teoria de Rawls assenta em dois princípios que asseguram uma sociedade bem ordenada, isto é, justa.
22. Uma sociedade justa não garante as liberdades básicas.
23. De acordo com a teoria de Rawls, uma sociedade justa não deve prestar atenção especial aos que nascem em
posições sociais desfavorecidas.
24. O princípio da compensação defende que se deve prestar atenção especial aos que nascem em posições
sociais desfavorecidas e corrigir essas contingências de forma a estabelecer uma maior igualdade.
25. O princípio da diferença, de Rawls, privilegia as desigualdades.
26. A posição original é uma situação real em que os parceiros são sujeitos racionais/morais, livres e iguais,
colocados sob o efeito de um véu de ignorância.
A no le tivo 2 0 1 8 / 2 0 1 9 Galardões 2 /3
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CARVALHOS
ESCOLA SOLIDÁRIA

27. O objetivo da posição original é celebrar um contrato parcial e universal.


28. Segundo Rawls, os seres humanos são invioláveis, mas os seus direitos dependem da negociação política.
29. Os menos favorecidos são aqueles que estão expostos a contingências naturais e sociais negativas e ao azar.
30. O que define o igualitarismo, pensa Rawls, é a sua preocupação especial com os menos favorecidos.
31. Rawls defende que certas desigualdades são boas por gerarem o maior benefício para os menos favorecidos.
32. Rawls é contrário aos incentivos financeiros para os mais talentosos.
33. A desigualdade gerada por incentivos para os mais talentosos é mais benéfica para os menos favorecidos do
que uma situação de igualdade estrita.
34. O argumento da posição original procura mostrar que um processo de escolha justo, dos princípios de uma
sociedade justa, conduziria à adoção de princípios de justiça propostos por Rawls.
35. Um processo de escolha justo é um processo que assegura imparcialidade e equidade.
36. Num processo de escolha justo, todos conhecem, por exemplo, a sua classe social.
37. O argumento da posição original defende que uma escolha justa dos princípios de justiça está como que
coberta por um véu de ignorância, quanto à situação particular dos agentes.
38. A solução maximin, que se define por maximizar o mínimo, é a que se ajusta às nossas intuições básicas de
igualdade e justiça.
39. O conceito de igualdade de oportunidades liberal implica a redistribuição da riqueza pelos menos favorecidos.
40. É suficiente, pensa Rawls, que todos tenham oportunidades iguais para que a sociedade seja justa.
41. A igualdade de oportunidades (liberal) tem a capacidade de minimizar os efeitos da lotaria natural.
42. O conceito de igualdade de oportunidades (democrática) ajusta-se à nossa intuição básica de igualdade de
oportunidades.
43. O argumento da justiça social mostra que o princípio da diferença se ajusta à nossa intuição básica de
igualdade de oportunidades.
44. Rawls não tolera as desigualdades económicas e sociais.
45. Rawls tolera as desigualdades económicas e sociais desde que todos tenham igualdade de oportunidades.
46. Segundo Rawls, o Estado tem o dever de organizar a sociedade com base nos princípios de justiça e harmonizar
as liberdades individuais com a igualdade.
47. Numa sociedade justa, os cidadãos devem obedecer às leis.
48. A desobediência só é aceitável depois de terem sido esgotados todos os meios legais.
49. Segundo alguns críticos, a teoria de Rawls não tem adequadamente em conta a distinção entre circunstâncias
e escolhas.
50. Uma das críticas feitas a Rawls é a de que uma motivação justa dos mais talentosos exige incentivos.
51. Se a riqueza adquirida por um processo voluntário for justa, a propriedade é absoluta e a riqueza não tem de
ser redistribuída.
52. Rawls teve mérito de ser um liberal sem preocupações igualitárias.
53. Um dos méritos de Rawls é mostrar que a igualdade e a liberdade se realizam nos processos de escolha social.
54. Rawls permitiu compreender que a autonomia tem importância nas escolhas sociais.

A no le tivo 2 0 1 8 / 2 0 1 9 Galardões 3 /3