Anda di halaman 1dari 2

ATIVIDADE DISCURSIVA – CALCULO 3

Para responder essa questão, basta fazer uma breve revisão acerca de um dos tópicos mais
importantes dentro da matemática, que é muito empregado nas engenharias também, que
trata das Equações Diferenciais Ordinárias.

Uma EDO pode ser definida como uma equação relacionada as derivadas de uma determinada
função desconhecida de uma variável. Ela pode ser representada por

f'= f

onde:

f é a função desconhecida;

f' é a derivada dessa função.

--> Outro ponto importante de frisar é que a ordem de uma equação diferencial ordinária é
igual a ordem n da maior derivada na equação em questão

As Equações Diferenciais Ordinárias (EDO) envolvem uma área muito grande da matemática,
que pode ser analisada ou apresentada por várias formas diferentes, privilegiando esta ou
aquela área específica da Matemática.

Na prática, EDO é uma equação diferenciável que envolve as derivadas de uma função
desconhecida de uma variável.

Exemplo de uma EDO:

Podemos utiliza-la, por exemplo, para calcular o decaimento radioativo de um elemento com o
passar do tempo. Se Q(t) é a quantidade presente de um material específico no instante t,

então a taxa de variação de Q(t) em relação ao tempo é dada por:

Onde K é uma constante negativa bem definida que varia para cada elemento.

Desenvolvendo a equação chegamos a:

Sendo que igual a Q(0), ou seja, quantidade inicial de um material.

Uma equação diferencial ordinária é aquela em que estão envolvidas a função e suas
derivadas; além disso, a incógnita a ser obtida é a própria função. o que caracteriza a equação
diferencial ordinária é haver uma equação na qual comparecem as derivadas de uma função
desconhecida.A ordem de uma equação diferencial ordinária é determinada pela maior
derivada que aparece nela. Ou seja, para derivada primeira, há uma equação diferencial
ordinária de 1ª ordem; para derivada segunda, há uma EDO de 2ª ordem, e assim por
diante.Segundo Çengel e Palm III (2014, p. 18) "Qualquer função que satisfaça uma equação
diferencial em um intervalo é chamada de solução da equação diferencial. Uma solução que
possui uma ou mais constantes arbitrárias representa uma família de funções que satisfazem a
equação diferencial e é chamada de solução geral da equação. Uma solução geral poderá
ainda ser classificada como solução completa, se todas as soluções da equação diferencial
forem obtidas desta. Uma solução obtida a partir da solução geral, por meio da atribuição de
valores particulares para as constantes arbitrárias, é denominada solução particular ou solução
especifica" Uma EDO pode ser resolvida pelo método de separação de variáveis, através do
uso de um fator integrante, ou termo homogêneo ou por transformada de Laplace.