Anda di halaman 1dari 10

Da contra-hegemonia política às políticas contra-hegemônicas: as

ações afirmativas para negros na sociedade brasileira

Revista Ciências Sociais da Unisinos (Qualis A2 Sociologia; B1


Interdisciplinar)
Dossiê: Cultura e Hegemonia no Capitalismo Contemporâneo
 Suposto: No Brasil, a identidade nacional é
constituída como um campo de disputa acerca da
questão racial em que duas perspectivas teóricas se
difundiram no nível representacional: a
miscigenação freyreana e o dualismo fanoniano.
 Objetivo: investigar essas duas formas de pensar o
conceito de “comunidade imaginada” a partir da
questão racial no Brasil;
 Argumento central: o Movimento Negro tem
contestado a perspectiva de democracia racial a
partir da miscigenação freyreana e reinvindicado
uma política identitária que leve em consideração a
hierarquia entre os grupos de cor, próxima da
perspectiva do dualismo fanoniano.
 Textos base para o desenvolvimento do artigo: Casa-Grande e
Senzala de Gilberto Freyre (1933) e Pele Negra, Máscaras
Brancas de Frantz Fanon (1952).
 Perspectiva freyreana:
 Argumentação em relação à positividade da
miscigenação no contexto da colonização portuguesa;
 Substrato do que viria a ser a noção de “democracia
racial”: a idéia de que o Brasil é uma sociedade sem
“linha de cor”, ou seja, uma sociedade sem barreiras
legais que impedissem a ascensão social de pessoas de
cor e sem um racismo enraizado, apenas manifestações
isoladas de preconceito e discriminação;
 A implicação é a de determinar uma suposta plasticidade
cultural portuguesa como amortecedora da violência
colonial e expandí-la como a própria natureza das
relações raciais para o período republicano
 Perspectiva fanoniana:
 Para Fanon a constituição do negro, diferente do branco,
se dá por meio do encontro/violência colonial; a
subjetividade do negro é constituida por imperativos
exteriores, e o principal deles é a relação com o branco e
a norma branca;
 A humanidade (abstrata, universal) como solução
dialética onde o eu e o outro estejam presentes, e não
mais o eu igual ao outro; mas antes a dualidade/contraste
branco/negro precisa ser afirmada;
 Conclusão:
 Para a autora as duas perspectivas propõe soluções
dialéticas: enquanto a fanoniana propõe uma dialética em
que o contraste negro/branco a partir da relação colonial
deve ser afirmada para então ser superada, a perspectiva
freyreana procura estabelecer um compromisso dialético
no nível do onírico, sem forças oposicionais.
 O movimento negro brasileiro reivindica em determinado
momento a perspectiva fanoniana na qual a proposta é de
igualdade (direitos) entre os diferentes e não de
desigualdade entre iguais, como na freyreana.
Referências
ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões
sobre a origem e difusão do nacionalismo. São Paulo:
Companhia das Letras, 2008.
BHABHA, Homi. Foreword: remembering Fanon. In: Frantz
Fanon. Black skin, white masks. London: Pluto Press, 1986. p.
vii-xxv.
FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador:
Edufba, 2008.
FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade
de classes, v. 1. 5. ed. São Paulo: Globo, 2008.
FREYRE, Gilberto. Casa grande e senzala: formação da
família brasileira sob o regime da economia patriarcal. São
Paulo: Global, 2006.
Quesito avaliado Observações

Originalidade da Reflexão original no que diz respeito


em analisar os textos dos autores em
reflexão sobre o tema contraste.
Consistente de maneira geral, mas
considerando o argumento central,
Consistência entre base faltou exemplificar a constituição e os
teórica, atores que garantem a reprodução da
dados/argumentos e noção de democracia racial, e melhor
conclusões exemplicar a apropriação do dualismo
fanoniano pelo Movimento Negro
brasileiro.
Uma boa abordagem, mas faltou tornar
Rigor na abordagem mais explícita ao leitor tanto a noção de
das fontes democracia racial quanto do dualismo
fanoniano.
Ao tensionar as perspectivas que se
Contribuição para o relacionam em contraste sem se
conhecimento em excluírem, a autora aborda
conceitualmente um debate presente nas
Ciências Sociais relações cotidianas em que a identidade
nacional

Qualidade da O texto é bem escrito e com bastante


redação clareza e objetividade.

Outro (especifique): O artigo não é organizado em tópicos


Organização do (partes, seções), ainda que essa
artigo organização esteja implícita no texto,
estruturá-la facilitaria a leitura.
Melhor…………………………..Pior
Avaliação ►
▼ Quesito avaliado 1 2 3 4 5

Originalidade da reflexão sobre o tema x

Consistência entre base teórica, x


dados/argumentos e conclusões
Rigor na abordagem das fontes x

Contribuição para o conhecimento em Ciências x


Sociais

Qualidade da redação x

Outro (especifique): Organização do artigo x


( )Publicar como está ( )Reformular e reapresentar
(x)Publicar com pequenas revisões ( ) Não Publicar
Incluir, caso considerar necessário, recomendações ao autor:
 Sugiro que inclua uma breve explicação do momento em que o

Movimento Negro assume a perspectiva fanoniana inspirado


pelo movimento do direitos civis norte-americano, nos anos
1970, pois é nesse momento que historicamente o sentido de
oposição das duas perspectivas se faz presente.
 Na organização do trabalho, sugiro separar por elementos
textuais, facilitando, para o leitor, a identificação da finalidade,
do desenvolvimento e das conclusões.
 Substituição da palavra atroz (1º parágrafo da na página e7).

Sugiro ainda como referência bibliográfica os textos:


 GUIMARÃES, Antônio. S. A. Classes, raças e democracia.
Sao Paulo: FAUSP; editora 34, 2002.
 ________. A recepção de Fanon no Brasil e a identidade
negra. Novos estudos – CEBRAP , São Paulo, n. 81 , 2008.
 ORTIZ, Renato. Frantz Fanon: um itinerário político e
intelectual. Ideias, Campinas:, ano 2, n. 1, jan.-jun. 1995, p. 5-
28.