Anda di halaman 1dari 6

O 25 DE ABRIL DE 1974 E O REGIME

DEMOCRÁTICO

A AÇÃO MILITAR E POPULAR EM 25 DE ABRIL

Saída de Salazar do poder


Salazar saiu do poder quando adoeceu gravemente em 1968. No
entanto, Marcelo Caetano substituiu-o mantendo os seus ideais: manteve
a DGS (Direção Geral de Segurança – antiga PIDE) e a Guerra Colonial.

Fim da ditadura
A falta de liberdade, o aumento do custo de vida e as despesas militares e muitas
mortes durante a Guerra Colonial contribuíram para o aumento do
descontentamento da população, o que levou ao fim da ditadura.

25 de Abril de 1974
Golpe militar organizado pelo MFA – Movimento das Forças Armadas – apoiado
pelos populares. Várias cidades foram dominadas sem grande resistência.
Marcelo Caetano refugiou-se no quartel do Carmo que foi cercado pelas tropas
do capitão Salgueiro Maia e aceitou render-se perante um oficial superior:
general António de Spínola. Acabou por ser preso, tal como Américo Tomás
(presidente da República).

Primeiras medidas do MFA


 poder entregue a uma Junta de Salvação Nacional, presidida pelo António
de Spínola
 dissolução da Assembleia Nacional
 extinção da DGS
 abolição da censura
 libertação dos presos políticos
 negociações para pôr fim à Guerra Colonial

A INDEPENDÊNCIA DAS COLÓNIAS


Colónias africanas
António de Spínola reconheceu o direito à independência dos povos africanos e
assim se formaram cinco novos países:

 Em 1974 – Guiné-Bissau
 Em 1975 – Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde
Colónias do Oriente
As colónias do continente asiático tiveram outros destinos:

 Em 1999 – Macau passou a ser território chinês


 Em 2002 – Timor-Leste tornou-se independente depois de ter sido invadido
pela Indonésia e passou a chamar-se Timor-Lorosae

RESTABELECIMENTO DA DEMOCRACIA

Constituição de 1976
 Em 25 de Abril de 1975 – realizaram-se eleições para eleger os deputados
para a Assembleia Constituinte que tinha como função elaborar uma nova
constituição
 Em 25 de Abril de 1976 – foi aprovada a Constituição de 1976 que garantiu
a separação dos poderes e os direitos e liberdades dos cidadãos

Democracia
 o governo voltou a governar segundo um regime democrático, ou seja,
respeitando os direitos e liberdades dos cidadãos
 assim os cidadãos voltaram a ter o direito de escolher os seus governantes
– direito de voto

Poder Central

 conjunto de órgãos que exercem o seu poder sobre todo o território nacional
e que abrange toda a população:
 Presidente da República
 Governo (1º ministro e restantes ministros)
 Assembleia da república (deputados)
 Tribunais (juízes)

Separação dos poderes do poder central


 Presidente da República
 promulga e manda publicar as leis
 é escolhido pelos cidadãos eleitores
 Governo
 executa as leis
 o 1º ministro é escolhido pelo presidente da República e os restantes
ministros são escolhidos pelo 1º ministro
 Assembleia da República
 faz as leis
 os deputados são escolhidos pelos cidadãos eleitores
 Tribunais
 julgam quem não cumpre as leis
 os juízes não são escolhidos por eleições
Autonomia dos Açores e da Madeira

A Madeira e os Açores têm os seus próprios órgãos de governo:

 Assembleia Regional
 faz as leis respeitando a Constituição e as leis gerais da República
 os deputados são escolhidos pelos cidadãos eleitores da região
 Governo Regional
 executa as leis
 o primeiro ministro é escolhido pelo partido mais votado para a
Assembleia Regional que depois escolhe os restantes ministros

Apesar de terem órgãos de governo próprios, continuam a estar dependentes do


Poder Central, como qualquer outra região de Portugal.
ESPAÇOS EM QUE PORTUGAL SE INTEGRA

COMUNIDADES DA EUROPA E DO MUNDO QUE


PORTUGAL FAZ PARTE

União Europeia
Em 1957, seis países europeus formaram a Comunidade Económica Europeia.
Mais tarde, outros países aderiram esta comunidade, que passou a chamar-
se União Europeia, pois os seus objetivos deixaram de ser apenas económicos
mas também políticos, culturais, sociais e ambientais.

Os principais objetivos da União Europeia são:


 Livre circulação de pessoas e mercadorias
 Circulação de uma moeda única – o Euro
 Criação de políticas comuns
 Ajuda aos países em dificuldades
 Programas de intercâmbio de estudantes
 Defesa da liberdade

Portugal aderiu a esta comunidade em 1986.

Organização das Nações Unidas (ONU)


Portugal faz parte ainda da Organização das Nações Unidas, fundada em junho
de 1945, após a Segunda Guerra Mundial.

Os principais objetivos da Organização das Nações Unidas são:


 Procurar resolver pacificamente os conflitos internacionais, de forma a
manter a paz no mundo
 Desenvolvera cooperação internacional a nível económico, social, cultural e
humanitário
 Promover o respeito pelos diretos humanos

Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Em 1996, criou-se a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa de forma a


reforçar a cooperação entre os países onde se fala português. Todos os
membros desta comunidade já foram colónias portuguesas e agora são nações
independentes.
A GUERRA COLONIAL

Depois da II Guerra Mundial, os países como a Bélgica, a Inglaterra e


a Holanda reconheceram a independência da maioria das suas
colónias. No entanto, Salazar não fez o mesmo e a União Indiana e a
população africana das colónias portuguesas começaram a revoltar-se
contra Portugal.

 1961: União Indiana ocupou Damão, Diu e Goa


 1961: revolta da Angola
 1963: revolta da Guiné
 1964: revolta de Moçambique

Salazar respondeu com o envio de muitos militares para as colónias.


Esta Guerra Colonial, que durou 13 anos (1961-1974), teve como
principais consequências:
 o ferimento e morte de muitos soldados portugueses
 e uma grande despesa com os gastos militares.
A MOBILIDADE DA POPULAÇÃO
A evolução da população absoluta também é influenciada
pela emigração (saída de pessoas para o estrangeiro) e
pela imigração (entrada de pessoas para um país).
Quando a emigração é muito intensa, a população pode diminuir. Por
sua vez, a imigração contribui para o aumento da população.

Emigração
Os principais destinos foram: primeiro países africanos e americanos,
sobretudo o Brasil, e mais tarde França e Alemanha. Na última
década, a falta de emprego em Portugal fez com que muitos
portugueses emigrassem sobretudo para Angola.

De forma geral, as pessoas emigraram devido a razões de natureza


económica:
 procura de melhores condições de vida
 procura de emprego e melhores salários

No entanto, entre 1961 e 1974, muitos portugueses abandonaram o


país por razões de natureza política:
 discordância com o regime político (ditadura)
 recusa em participar na Guerra Colonial

Ao longo de décadas tem-se verificado uma grande emigração, o que


tem tido como consequências:
 negativas: envelhecimento da população e diminuição da
população ativa
 positivas: diminuição do desemprego e receção de remessas dos
emigrantes