Anda di halaman 1dari 2

ESCOLA DA BÍBLIA

AULA 01 – UMA VISÃO GERAL DA BÍBLIA

A Bíblia possui 66 livros, escritos por aproximadamente 40 homens durante ±1500 anos.

A origem da palavra “Bíblia”


Uma planta chamada bíblos produzia o papiro chamado bíblos.
Vários bíblos (papiros) → tá bíblia (livros)
Tá bíblia → Bíblia

Divisões literárias da Bíblia


A maioria das Bíblias hoje em dia está organizada da seguinte forma:
Lei Gn, Ex, Lv, Nm, Dt
- Antigo Testamento História Js, Jz, Rt, 1&2Sm, 1&2Rs, 1&2Cr, Ed, Ne, Et
39 livros em 4 categorias:
Lei, História, Poesia e Poesia e Sabedoria Jó, Sl, Pv, Ec, Ct
Profecia Profecia Maiores: Is, Jr, Lm, Ez, Dn
Menores: Os, Am, Mq, Jl, Ob, Jn, Na, Hc, Sf, Ag, Zc, Ml

Evangelhos Mt, Mc, Lc, Jo


História At - Novo Testamento
27 livros em 4 categorias:
Cartas De Paulo: Rm, 1&2Co, Gl, Ef, Fp, Cl, 1&2Ts, 1&2Tm, Tt, Fm
Evangelhos, História,
Gerais: Hb, Tg, 1&2Pe, 1&2&3Jo, Jd
Cartas e Profecia
Profecia Ap

Algumas Bíblias possuem livros apócrifos (ou deuterocanônicos) como Tobias, Judite, 1
e 2 Macabeus. Esses livros não foram utilizados pelos judeus antigos e nem pela igreja no
primeiro século, mas no Concílio de Trento em 1546 d.C. foram considerados como inspirados
e por isso foram incluídos bem mais tarde nas Bíblias chamadas “católicas”.

Como foram escolhidos os livros que seriam incluídos na Bíblia


Os apóstolos tiveram um papel importante ao serem guiados pelo Espírito Santo para
doutrinar a igreja primitiva (Atos 2.42; Efésios 4.11-12; Judas 17). Seus escritos circularam
entre as igrejas instruindo a respeito da fé, da doutrina, do procedimento, etc. Escritores
posteriores confirmaram que os textos apostólicos eram autoritativos e por isso sempre
utilizaram-nos como parâmetro para a doutrina cristã. Dessa forma os livros foram aceitos
naturalmente pelos cristãos durante os 3 primeiros séculos.
Os primeiros cristãos utilizaram 3 critérios para descobrir quais livros eram
verdadeiramente inspirados. Eles tornariam-se oficiais se estivessem em concordância com as
3 perguntas: 1. É apostólico? 2. Alguma igreja recebeu esse livro na antiguidade? 3. É
consistente com a doutrina?
O processo de descoberta de quais livros deveriam ou não ser incluídos na Bíblia não foi
feito por nenhuma autoridade eclesiástica ou por concílios, mas veio de um consenso da
igreja antiga que não determinou o cânon, mas o descobriu.
1
Como encontrar uma passagem
O melhor método: decorando a ordem dos livros na Bíblia.
O segundo melhor método: buscando pelo índice. Nas primeiras páginas da Bíblia você
encontrará a lista de todos os livros. Cada nome está acompanhado do número de página em
que o livro começa. Cada livro é subdividido em capítulos e versículos:

Atenção:
O ponto ( . ou : ) separa capítulo e versículo
O hífen ( - ) = até
A vírgula ( , ) = e

Conservação dos escritos e as primeiras traduções


Primeiros escritos a partir de 1400 a.C. (provavelmente o livro de Gênesis);
AT escrito de ±1400 a.C. até 400 a.C. em hebraico antigo e aramaico;
NT escrito de ±40 d.C. até 96 d.C. em grego koiné;
Período total para registro das Escrituras foi de aproximadamente 1500 anos;
Primeira tradução foi a SEPTUAGINTA realizada em ±200 a.C. (AT hebraico p/ o grego);
Outra tradução influente foi a VULGATA em 405 d.C. (AT e NT grego p/ o latim);
A Bíblia chegou à língua portuguesa em 1753 d.C. na tradução de João F. de Almeida;

Argumentos a favor da inspiração dos escritos bíblicos


As Escrituras foram dadas por Deus através de inspiração à medida que o Espírito Santo
operou em homens escolhidos, revelando a eles os pensamentos de Deus e capacitando-os a
usar as palavras adequadas para comunicar a verdade divina sem erros. “Inspiração” vem do
latim e significa “respirar para dentro” (in e spiro) e de uma forma grega que significa
“expirado por Deus” (theopneustos). Deus guiou os escritores da Bíblia através do Espírito
Santo, por isso a “inspiração” pode ser definida como o processo pelo qual Deus “soprou” o
Seu Espírito em homens, capacitando-os a receber e comunicar a verdade divina sem erro. A
Bíblia é Deus falando!
1º A Bíblia afirma mais de 3.800 vezes ser inspirada por Deus. Exemplos:
 Ex 17.14; 35.29; Is 1.10; 38.4; Jr 1.9; Ez 3.4; Lc 5.1; Jo 8.28; 1 Ts 2.13...
2º Jesus utilizou esses textos do AT confirmando seu valor divino (Lc 20.42; 24.44);
3º Todas as profecias cumpriram-se precisamente. A maioria a respeito de Jesus. Exemplos:
Sua genealogia - Gênesis 3:15; 12:3; 49:10 (Mateus 1.2,3); Jeremias 23:5(Mateus 1.1,6)
Seu nascimento - Isaías 7:14 (Mateus 1.18-23); Miquéias 5:2 (Mateus 2.1)
Sua vida - Isaías 53:3–9 (João 9.34; 2Coríntios 5.21); Oséias 11:1
Sua morte - Salmos 22:16–18 (João 19.23-24); Salmos 34:20; Isaías 53:9
Sua ressurreição - Salmos 16:10 (Atos 2.24-32)
4º Cálculos probabilísticos comprovam que Jesus não foi uma coincidência. São mínimas as
chances de Jesus ter cumprido ao acaso as centenas de profecias a seu respeito.
5º A Bíblia forneceu informações científicas importantes antes mesmo da própria ciência:
 A Terra é redonda e não plana como muitos acreditavam (Isaías 40.22);
 A Terra está suspensa no universo sem apoiar-se em lugar algum (Jó 26.7);