Anda di halaman 1dari 125

O DEUS A QUEM ADORAMOS

Rafael Frohe

O propósito deste Guia de Estudo é o de assistir aos estudantes da IDEA em desenvolver um entendimento da matéria em mãos. Não é um
volume extenso do assunto. Desta forma, não deveria ser usado de forma singular, mas serve como ajuda para ser usado em qualquer outro
estudo que você venha a desenvolver.

RAFAEL FROHE © Primeira Edição 2012


2
1 ESBOÇO DA UNIDADE
1 – Prioridade: Uma vida para o conhecer 04
2 – Quem é Deus? 16
3 – Os nomes de Deus 47
4 – A Trindade 55
5 – Deus, o Pai 69
6 – Deus, o Filho 94
7 – Deus, o Espírito Santo 113

Sobre o autor 124
Maiores informações 125

2 PROPÓSITO DA UNIDADE
O centro da vida eterna é conhecer a Deus e a Jesus, o Cristo, que foi enviado. Conhecer a
Deus não vem através de um programa ou método, mas através de um relacionamento
com uma pessoa, o Espírito Santo. Através deste relacionamento, Deus revela quem Ele é,
quais os Seus propósitos e Seus caminhos. Quando Ele se revela, e também o que Ele
deseja fazer e você o obedece, você começa a experimentar quem Ele é, e como Ele
trabalha através de você.

3
Capítulo

UM
________________________________________________

PRIORIDADE: UMA VIDA


PARA O CONHECER
________________________________________________

JOÃO 17:3
3 E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo,
a quem enviaste.

JOÃO 17:3, AMP
3 E a vida eterna é esta: que te conheçam (percebam, reconheçam, se tornem
conhecidos, e entendam) a ti, o único Deus verdadeiro e real, e (da mesma forma) a
Jesus (como o) Cristo (o ungido, o Messias), a quem enviaste.

GÊNESIS 1:1
1 No princípio Deus... à Ele é o princípio

§ Se Deus não for o foco primário então todo o resto estará fora do foco.


PRINCÍPIO em Hebraico é RE’SHIYTH (pronúncia, Reichíith), H7225
O primeiro em lugar, tempo, ordem e ranque; chefe, cabeça; coisa principal;
primeiro do seu tipo (ou raça) – primeiro fruto


o Compare com João 1:1, “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo
era Deus.”

O centro da vida eterna é conhecer a Deus e a Jesus, o Cristo, que foi enviado. Conhecer a Deus não
vem através de um programa ou método, mas através de um RELACIONAMENTO COM UMA
PESSOA. Através deste relacionamento, Deus revela quem Ele é, quais os Seus propósitos e Seus
caminhos. Quando Ele se revela, e o que Ele deseja fazer e você o obedece, você começa a
experimentar quem Ele é, e como Ele trabalha através de você.

Você nunca estará satisfeito o suficiente só por saber quem Deus é. Conhecer realmente a Deus é
uma iniciativa Dele. Ele se revela enquanto você se abre para conhecê-Lo. A partir daí, você
responde ao que Ele revela. Esta é a base da nossa adoração: não é uma iniciativa do homem, mas
pela influência divina nós respondemos a Ele. É sempre a graça de Deus primeiro e depois a nossa
resposta em fé.

A.W.Tozer, no seu livro, The Knowledge of the Holy (O conhecimento do Santo), p.9 diz, “O que vem
primeiro em nossas mentes quando pensamos sobre Deus é a coisa mais importante sobre nós.”

4
§ Toda a nossa adoração é baseada na visão (entendimento / conhecimento) que temos de
Deus.

§ Sem o conhecimento de quem Deus é, NÃO HÁ VERDADEIRA ADORAÇÃO.

o Porque? Porque o foco da nossa adoração é DEUS!
o Talvez, as pessoas devessem ser mais agressivas em sua busca por conhecer mais a
Deus do que receber algo de Deus.

Infelizmente o coração pecaminoso sempre irá pensar algo errado sobre Deus.

JEREMIAS 17:9
9 Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto;
quem o conhecerá?

ROMANOS 1:20-23
20 Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a
sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo
percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso,
indesculpáveis;
21 porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe
deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-
lhes o coração insensato.
22 Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos
23 e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem
corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis.

O coração pecaminoso constantemente leva a pessoa a criar imagens de Deus que servem ao seu
próprio propósito. POR ISSO NÓS PRECISAMOS SER TRANSFORMADOS, PARA QUE ELE POSSA SE
REVELAR A NÓS COMO ELE É à Para que possamos ver Deus como Ele é!

Mas mesmo em nossa busca por Deus devemos saber que em nossa mente natural apenas, nunca
conseguiremos entender a Deus em Sua plenitude.

SALMOS 145:3
3 Grande é o SENHOR e mui digno de ser louvado; a sua grandeza é insondável.

SALMOS 147:5
5 Grande é o Senhor nosso e mui poderoso; o seu entendimento não se pode medir.

SALMOS 139:6
6 Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim: é sobremodo elevado, não o posso
atingir.

ROMANOS 11:33
33 Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus!
Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!

1 CORÍNTIOS 2:10-11, NVI
10 mas Deus o revelou a nós por meio do Espírito. O Espírito sonda todas as coisas, até
mesmo as coisas mais profundas de Deus.

5
11 Pois, quem dentre os homens conhece as coisas do homem, a não ser o espírito do
homem que nele está? Da mesma forma, ninguém conhece as coisas de Deus, a não ser o
Espírito de Deus.

Nós, na realidade, aprendemos SOBRE Deus para que possamos nos relacionar e viver em
comunhão com Ele.

§ Todo conhecimento que buscamos cujo fim seja o próprio conhecimento resulta em orgulho.

§ Portanto, nosso primeiro objetivo em estudar sobre Deus é conhecê-lo, e ter um
relacionamento pessoal com Ele

Quais os benefícios de uma vida que busca conhecer a Deus?

1. Quanto mais buscamos conhecer a Deus, mais nos tornamos como Ele é. Salmos 115.
2. Quanto mais buscamos conhecer a Deus, mais nos conhecemos. Isaías 6:1-8; Salmos 139.
3. Quanto mais buscamos conhecer a Deus, mais clara fica nossa perspectiva do mundo.

§ Isso significa que quando sabemos que Deus está no controle (que Ele é fiel e bom),
nós não entramos em pânico quando o mundo está “de pernas pro ar”.

Um aviso, pelo teólogo Jim Packer: “Ao viajar pelos círculos evangélicos como eu faço, eu fico
preocupado com o que eu encontro. Enquanto meus irmãos crentes estão constantemente buscando
em se parecer mais com Deus, eles mostram pouco interesse no próprio Deus. Quando eles estudam a
Palavra, apenas os princípios da vida de Deus chamam sua atenção; o Pai celestial não. É como se eles
se concentrassem na ético do casamento e falhassem em gastar tempo com seu cônjuge.”

APOCALIPSE 2:2-4
2 Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes
suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram
apóstolos e não são, e os achaste mentirosos;
3 e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste
esmorecer.
4 Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor.

DEUS QUER RELACIONAMENTO

JOÃO 14:15
15 Se me amais, guardareis os meus mandamentos.

Obediência é a expressão (manifestação) exterior do seu amor por Deus. A recompensa pela sua
obediência e amor é que Ele irá se revelar a você.

Tudo em sua vida cristã, tudo o que você precisa para conhecê-lo e experimentar Sua presença,
tudo o que você precisa saber sobre a Sua vontade, depende da qualidade do seu relacionamento de
amor com Deus. Deuteronômio 30:19-20; João 3:16; 14:21; Romanos 8:37,37,39; 1 João 3:16; 4:9-
10,19.

§ Ele é a sua vida ou você só está com Ele para ter vida?

O Seu relacionamento com Deus (Pai, Filho e Espírito Santo) é o aspecto mais importante da sua
vida. Se isto não estiver correto e ajustado, nada mais importa. Você precisa saber que:
6

1. Este relacionamento não pode ter outros – Mateus 6:24,31-33; Deuteronômio 6:10-
15.

2. Deus toma a iniciativa e vem até nós para que possamos experimentar Sua presença.

i. Ele veio até Adão e Eva no Jardim do Éden
ii. Ele veio até Noé, Abraão, Moisés e os profetas
iii. Jesus veio até os discípulos (João 15:16,19)
iv. Jesus veio até Paulo na estrada de Damasco (Atos 9:1-19)

§ Nós nem mesmo na nossa própria força carnal conseguimos buscar a Deus.
Deuteronômio 30:6; Lucas 10:22; João 15:16; Filipenses 2:13.

ROMANOS 3:9-12
9 Que se conclui? Temos nós qualquer vantagem? Não, de forma nenhuma;
pois já temos demonstrado que todos, tanto judeus como gregos, estão
debaixo do pecado;
10 como está escrito: Não há justo, nem um sequer,
11 não há quem entenda, não há quem busque a Deus;
12 todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem,
não há nem um sequer.

DEUTERONÔMIO 30:6
6 O SENHOR, teu Deus, circuncidará o teu coração e o coração de tua
descendência, para amares o SENHOR, teu Deus, de todo o coração e de toda a
tua alma, para que vivas.

3. Deus nos atrai – João 6:44-45,65; Jeremias 31:3; Oséias 11:4

JOÃO 6:44-45,65
44 Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer; e eu o
ressuscitarei no último dia.
45 Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto,
todo aquele que da parte do Pai tem ouvido e aprendido, esse vem a mim.
65 E prosseguiu: Por causa disto, é que vos tenho dito: ninguém poderá vir a
mim, se, pelo Pai, não lhe for concedido.

4. Gastar tempo com Ele enriquece e aprofunda o seu relacionamento com Ele. Você
aprenderá muito sobre Deus, Sua Palavra, Seus propósitos e Seus caminhos se você
gastar tempo com Ele.

5. O relacionamento que Deus quer é algo REAL, PESSOAL E PRÁTICO

§ Uma pessoa não pode amar sem outro “alguém” ou outra “coisa” para amar... deve
haver um outro objeto... NÃO SEJA NARCIZISTA!

§ Um relacionamento com Deus se dá entre dois seres reais. Deus é uma pessoa
derramando Sua vida em nossa vida.

§ A percepção constante da presença de Deus é a parte prática da nossa vida e
ministério. Leia, “A prática da presença de Deus”, de Brother Lawrence.

7
6. O foco do nosso relacionamento é DEUS

§ A essência do pecado é uma vida que foca no ego e não em Deus. A vida centrada no
ego (na pessoa em si) é caracterizada por:

i. Orgulho em si e nas suas realizações
ii. Auto-confiança
iii. Dependência em si mesmo e em suas próprias habilidades
iv. Auto-afirmação
v. Busca por ser aceito no mundo
vi. Olhar para a circunstância da perspectiva humana
vii. Vida egoísta e comum

Exemplos: Adão e Eva depois da queda; Dez espias (Números 13:31); Rei Asa (2
Crônicas 16:1-9). A centralidade no Ego é uma armadilha pronta.

§ A essência da salvação é a negação do ego e o retorno da nossa vida centrada em
Deus. A vida centrada em Deus é caracterizada por:

i. Confiança em Deus
ii. Dependência de Deus, em Sua habilidade e provisão
iii. Vida focada em Deus e em Suas ações
iv. Humildade diante de Deus
v. Negação do ego
vi. Busca primeiramente do Reino de Deus e de Sua justiça
vii. Busca da perspectiva de Deus em cada circunstância
viii. Vida santa e piedosa

Exemplos: José (Gênesis 39); Josué e Calebe (Números 14:8-9); Rei Asa, no início do
seu reinado (2 Crônicas 14:11).

§ O foco em Deus requer uma morte diária do ego e nossa submissão a Deus

JOÃO 12:24-25
24 Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não
morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto.
25 Quem ama a sua vida perde-a; mas aquele que odeia a sua vida neste
mundo preservá-la-á para a vida eterna.

ADORAÇÃO AO PAI

Nosso relacionamento com Deus deve ser algo que nos consome. Toda a gênesis de uma nova
criação está baseada no fato de Deus nos restituir o direito de nos relacionarmos com Ele. Portanto
a essência desta experiência é uma liberdade:

§ Das amarras da religião produzida e administrada pelo homem;
§ Que dá novamente a Deus a posse da Igreja;
§ Que restaura Deus ao centro de Sua própria casa;
§ Que libera os redimidos a se ajuntarem com o Rei.

8
Esta adoração é centrada em Deus e não no povo (primariamente). É para Ele – para atraí-Lo,
convidando a se achegar para que possamos agradar o Seu coração. É centrada em Deus e não no
“Domingo” apenas.

Graham Cooke em seu livro Divine Confrontation (Confronto Divino – p.82-83) diz que “entre as
igreja hoje, nós temos dois tipos de adoração: a da Sinagoga e a do Templo. A adoração da Sinagoga
ocorre quando as pessoas vêm a igreja para ouvir a Palavra de Deus, serem ministradas, e se
entreterem. Isto representa o aspecto da adoração do corpo. Geralmente, porque a razão principal
para o culto está na realidade centrada nas pessoas ao invés de estar focada em Deus, esta adoração é
restrita quando o tempo está pressionado. Na adoração do Templo, entretanto, as pessoas vêm para
louvar a Deus, orar, e oferecer. Sua preocupação maior é pelo próprio Deus.”

§ Será que estamos realmente prontos para entreter a presença de Deus ajustando nossa
adoração para receber o Seu espírito?

Muitas vezes nem mesmo percebemos que Deus está ao nosso lado por causa da nossa percepção
de “como Deus deveria agir” ou “onde Deus deveria estar”.

GÊNESIS 28:10-19
10 Partiu Jacó de Berseba e seguiu para Harã.
11 Tendo chegado a certo lugar, ali passou a noite, pois já era sol-posto; tomou uma das
pedras do lugar, fê-la seu travesseiro e se deitou ali mesmo para dormir.
12 E sonhou: Eis posta na terra uma escada cujo topo atingia o céu; e os anjos de Deus
subiam e desciam por ela.
13 Perto dele estava o SENHOR e lhe disse: Eu sou o SENHOR, Deus de Abraão, teu pai, e
Deus de Isaque. A terra em que agora estás deitado, eu ta darei, a ti e à tua
descendência.
14 A tua descendência será como o pó da terra; estender-te-ás para o Ocidente e para o
Oriente, para o Norte e para o Sul. Em ti e na tua descendência serão abençoadas todas
as famílias da terra.
15 Eis que eu estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei voltar a
esta terra, porque te não desampararei, até cumprir eu aquilo que te hei referido.
16 Despertado Jacó do seu sono, disse: Na verdade, o SENHOR está neste lugar, e eu não
o sabia.
17 E, temendo, disse: Quão temível é este lugar! É a Casa de Deus, a porta dos céus.
18 Tendo-se levantado Jacó, cedo, de madrugada, tomou a pedra que havia posto por
travesseiro e a erigiu em coluna, sobre cujo topo entornou azeite.
19 E ao lugar, cidade que outrora se chamava Luz, deu o nome de Betel.

Quando estivermos dispostos a mover além da performance de apenas algumas músicas ensaiadas,
lideradas por “profissionais da adoração”, e entrar em uma área onde crentes se juntam para
participar de algo mais integrado, sinergético, algo muda na atmosfera.

§ O que fazer quando os hábitos do nosso coração são desafiados?

§ O que fazer quando a maneira com a qual adoramos por anos, por gerações, não estão mais
em linha (em sincronismo) com o que o Pai nos pede?

§ O que fazer com o “tempo preciso” dos nossos cultos que não podem passar mais do que o
tempo determinado por psicólogos, enquanto o nosso amado Deus está pedindo que
permaneçamos mais tempo?

9
§ O que fazer quando Deus decide ignorar nossos boletins, nossas liturgias e anular nossos
relógios, e insistir em nos levar à um lugar mais profundo chamado de Seu Esconderijo?

Adoração, nosso relacionamento com Deus é focado em Deus, não no homem e começamos a
descobrir como o pai quer ser adorado.

SALMOS 118:24
24 Este é o dia que o SENHOR fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele.


REGOZIJAR em Hebraico é GIYL (pronúncia, Guíil), H1523
Rodar (debaixo da influência de uma emoção forte); pular de alegria, regozijar.



Deus quer que você o adore com tudo o que você é: espírito, alma e corpo. Nós adoramos a Ele. Se
ele diz, “regozije-se”, então eu pulo, danço e rodo violentamente.

§ A principal parte da nossa adoração não é se você se libera ou não, mas se você está disposto
a obedecer, para agradá-lo.

§ Seria muito difícil obedecer à voz de Deus no meio de pessoas, se você não mantém uma vida
de adoração “entre você e Deus”.

§ Adoração é algo que fazemos, como respondemos para agradá-lo, o tipo de adoração que Ele
busca (João 4:23) e que é digno de receber.

NOSSO RELACIONAMENTO, NOSSA ADORAÇÃO

Nas palavras de Morris Smith: “A adoração verdadeira vai além de qualquer definição; ela apenas
pode ser experimentada”.

Adoração se resume em três estágios maiores – contínuos:

REVELAÇÃO (Conhecimento depositado de Deus)
TRANSFORMAÇÃO (Tornar-se com aquele a quem adoramos)
GLORIFICAÇÃO (Honrar)

§ Uma coisa que podemos falar sobre a adoração cristã: ELA COLOCA DEUS NO SEU TRONO –
e isso fala de prioridade.

Robert Colman diz, “A verdadeira adoração se dá quando nós concordamos em Deus se assentar não
apenas no trono do centro do universo, mas no trono que levantamos no centro dos nossos corações”

§ Este é o melhor remédio para o seu EGO, porque tira o ego do seu lugar de autoridade e o
coloca na cruz...

§ Este é um dos focos do Evangelho

o Ela lida com nossos pecados
o Ela lida com nosso ego e nossa velha natureza
o Ela lida com a vida que flui em nós
10
o Ela lida com a natureza que flui através de nós

E é com base neste conhecimento revelado que adoramos.

JOÃO 4:22
22 Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação
vem dos judeus.


REVELAÇÃO

è É Deus se abrindo / mostrando para você!

Quando Deus é primeiro, então a revelação vem do lugar correto.

Se você quer tornar-se como o seu pai, então você tem que estar em um relacionamento com Ele,
posicionado corretamente para receber Dele.

NESTE NÍVEL: ADORAÇÃO FALA SOBRE CONHECIMENTO!

§ O quanto eu conheço o Deus a quem eu sirvo;
§ Será que eu realmente conheço a Deus?
§ O quanto do coração, da mente, da vontade de Deus eu conheço?
§ QUANTO MAIS EU CONHEÇO, MAIS EU TENHO BASE PARA ME LIBERAR NESTE
RELACIONAMENTO.

o Estamos aqui partindo de um princípio que você está interessado em fazer este
relacionamento funcionar! Como?

§ O que eu faço com o que Deus me mostra?
§ O que Deus me mostra de Si mesmo bate com o que eu sou (Imagem e
Semelhança)?

TRANSFORMAÇÃO

NESTE NÍVEL: ADORAÇÃO FALA DE TORNAR-SE; não meramente fazer ou dar.

A maior forma de expressão de alguma coisa é quando você se torna o que você professa.

Aristóteles mostra 3 elementos de um discurso:
§ Logos – a mensagem em si;
§ Pathos – a emoção de quem traz a mensagem;
§ Ethos – o caráter de quem traz a mensagem. Este é o mais importante!

Caráter é o resumo do que você é!

PROVÉRBIOS 22:1
1 Vale mais ter um bom nome do que muitas riquezas...

Quando nós conhecemos a Deus, não basta apenas fazer o que Ele faz... eu tenho que me tornar o
que Ele é... na prática.

§ Não basta apenas dizer que você é próspero
11
§ Não basta apenas dizer que você é justo
§ Não basta apenas dizer que você é santo

§ VOCÊ TEM QUE MOSTRAR CONTINUAMENTE!!!!!!

o Nós não damos a Deus uma oferta em dinheiro... Ele nos quer como oferta!!!!

o Não é o seu dinheiro que importa pra Deus... é o seu coração!

ISAÍAS 1:12-17, NVI
12 Quando vocês vêm à minha presença, quem lhes pediu que pusessem os pés em
meus átrios?
13 Parem de trazer ofertas inúteis! O incenso de vocês é repugnante para mim.
Luas novas, sábados e reuniões! Não consigo suportar suas assembléias cheias de
iniqüidade.
14 Suas festas da lua nova e suas festas fixas, eu as odeio. Tornaram-se um fardo
para mim; não as suporto mais!
15 Quando vocês estenderem as mãos em oração, esconderei de vocês os meus
olhos; mesmo que multipliquem as suas orações, não as escutarei! As suas mãos
estão cheias de sangue!
16 Lavem-se! Limpem-se! Removam suas más obras para longe da minha vista!
Parem de fazer o mal,
17 aprendam a fazer o bem! Busquem a justiça, acabem com a opressão. Lutem
pelos direitos do órfão, defendam a causa da viúva.

Este é o aspecto da adoração que eu quero trazer... porque adoração vai muito além do que eu faço...
é um assunto do coração.

Por exemplo:

§ levantar as mãos;
§ cantar;
§ bater palmas;
§ ajoelhar; etc.

A Bíblia nos diz que podemos nos expressar desta forma (isso faz parte da maneira como
respondemos a Deus), mas fazê-los sem realmente agir baseado no relacionamento que temos com
Deus não é o que Deus quer!

Donald Whitney diz que “o ato de adorar sem realmente haver adoração é uma experiência miserável
e hipócrita”.

Não é pelo ato de cantar/ajoelhar/levantar as mãos que você é transformado; TRANSFORMAÇÃO É
UMA OBRA DO ESPÍRITO, quando eu me entrego neste relacionamento.

§ E pra isso eu preciso CONHECER.

Deus está à procura de adoradores que tenham a mesma essência... e não somente por mera
adoração.

JOÃO 4:23-24
23 Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em
espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.
12
24 Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em
verdade.

GLORIFICAÇÃO

O fato de sermos transformados não é o ponto final da nossa adoração!

A minha adoração não foca em mim, nem mesmo no processo ou como eu a expresso, mas EM
COMO DEUS PODE SER GLORIFICADO. COMO EU POSSO AGRADAR A DEUS?

NESTE NÍVEL: ADORAÇÃO SE RESUME EM COMO DEUS PODE SER VISTO ATRAVÉS DE MIM!

Esta é a maneira com a qual nós glorificamos a Deus.

JOÃO 15:8
8 Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos.

O que isso quer dizer? Que quanto mais maduro for o seu fruto (o fruto da sua vida – o seu processo
de transformação), mais Deus pode ser apreciado e útil para as pessoas.

§ O coração de Deus está em que TODOS SEJAM SALVOS; então sua vida de adoração (seu
relacionamento com Deus) deve atrair pessoas para serem salvas.

§ O coração de Deus é que pessoas cheguem ao pleno conhecimento Dele. Então a
demonstração da sua vida deve atrair pessoas para conhecerem mais a Deus.

§ A vontade de Deus é que todos sejam curados. Então o seu testemunho de vida deve atrair
pessoas e incentivá-las a serem curadas.

SALMOS 18:49
49 Pelo que, ó Senhor, te louvarei entre os gentios, e entoarei louvores ao teu nome.

SALMOS 40:3
3 Pôs na minha boca um cântico novo, um hino ao nosso Deus; muitos verão isso e
temerão, e confiarão no Senhor.

A minha música é apenas uma das maneiras com que eu respondo a Deus!

Quanto mais eu o conheço, mais livre eu sou na Sua presença e na presença dos meus irmãos.

PORTANTO, ADORAÇÃO SÃO FILHOS E FILHAS EM RELACIONAMENTO COM O PAI, CONHECENDO
O SEU CORAÇÃO, SENDO TRANSFORMADOS À SUA IMAGEM E SEMELHANÇA PARA GLORIFICÁ-LO!

Na realidade, todos foram criados para adorar, para responder a alguma influência. Nós fomos
criados com a nossa natureza preparada para nos relacionarmos com o sobrenatural. NOSSO
ESPÍRITO FOI CRIADO PARA SE RELACIONAR / ADORAR.

A quem você adora? A quem você serve?

§ Pessoas adoram dinheiro
§ Pessoas adoram pessoas
§ Pessoas adoram a adoração

13
o A forma como elas adoram é mais importante do que a pessoa a quem adoram.

o Este é o perigo da adoração: colocar qualquer coisa sobre o trono de sua vida ao invés
de ter aquele para quem você foi criado para adorar.

MALAQUIAS 3:13-18
13 As vossas palavras foram duras para mim, diz o SENHOR; mas vós dizeis: Que
temos falado contra ti?
14 Vós dizeis: Inútil é servir a Deus; que nos aproveitou termos cuidado em guardar
os seus preceitos e em andar de luto diante do SENHOR dos Exércitos?
15 Ora, pois, nós reputamos por felizes os soberbos; também os que cometem
impiedade prosperam, sim, eles tentam ao SENHOR e escapam.
16 Então, os que temiam ao SENHOR falavam uns aos outros; o SENHOR atentava e
ouvia; havia um memorial escrito diante dele para os que temem ao SENHOR e para
os que se lembram do seu nome.
17 Eles serão para mim particular tesouro, naquele dia que prepararei, diz o
SENHOR dos Exércitos; poupá-los-ei como um homem poupa a seu filho que o serve.
18 Então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o perverso, entre o que serve a
Deus e o que não o serve.

Há uma grande diferença entre um que tem um relacionamento com Deus e aquele que não tem.

Aquele que tem um relacionamento com Deus tem:

§ Discernimento
§ Favor e benção

SALMOS 115:13
13 Ele abençoa os que temem o SENHOR, tanto pequenos como grandes.

§ A oportunidade de se tornar como aquele a quem ele adora

SALMOS 115:1-8
1 Não a nós, SENHOR, não a nós, mas ao teu nome dá glória, por amor da tua
misericórdia e da tua fidelidade.
2 Por que diriam as nações: Onde está o Deus deles?
3 No céu está o nosso Deus e tudo faz como lhe agrada.
4 Prata e ouro são os ídolos deles, obra das mãos de homens.
5 Têm boca e não falam; têm olhos e não vêem;
6 têm ouvidos e não ouvem; têm nariz e não cheiram.
7 Suas mãos não apalpam; seus pés não andam; som nenhum lhes sai da garganta.
8 Tornem-se semelhantes a eles os que os fazem e quantos neles confiam.

Mas mesmo assim muitos ainda fazem de outras coisas o foco do seu relacionamento, da sua
atenção, da sua adoração.

§ A mulher samaritana junto ao poço em João 4 colocava o seu foco no LUGAR da adoração, ou
seja, na tradição, PORQUE ELA NÃO TINHA O CONHECIMENTO DO PAI.

Nós temos que deixar a nossa tradição, do ponto de vista em como fomos ensinados a adorar, e 1)
apresentar estas informações a Deus, para que Ele as use para o seu prazer; 2) estar dispostos a
ajustarmos “nossas informações” e fluirmos com o Espírito.

14
§ O Espírito que conhece o mais profundo do coração de Deus irá nos mostrar como Ele deseja
ser adorado naquele momento.

JOÃO 4:20-22
20 Nossos pais adoravam neste monte; vós, entretanto, dizeis que em Jerusalém é o
lugar onde se deve adorar.
21 Disse-lhe Jesus: Mulher, podes crer-me que a hora vem, quando nem neste
monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai.
22 Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, porque a
salvação vem dos judeus.

O perigo não está necessariamente no que você ouve, mas no que você faz com o que você ouve.
VOCÊ PODE DAR UM ADORAÇÃO VAZIA.

MATEUS 15:8-11
8 Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim.
9 E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens.
10 E, tendo convocado a multidão, lhes disse: Ouvi e entendei:
11 não é o que entra pela boca o que contamina o homem, mas o que sai da boca,
isto, sim, contamina o homem.

O que é uma adoração vazia? É TRAZER UMA VIDA VAZIA!

§ Sem verdade
§ Sem Espírito
§ Sem o fruto do espírito
§ Sem ZOE

§ Adoração carnal (desejos sem a influência do Espírito) não são aceitáveis. Por isso Isaque
era o “único filho”, porque Ismael havia sido gerado pela força física de Abraão e pela
inteligência carnal de Sara.

NÓS FOMOS CRIADOS PARA RESPONDER A DEUS. Nossa adoração é basicamente filhos
respondendo ao Pai. Portanto precisamos da revelação de quem Deus é, de como podemos andar
com Ele e sermos útil para Ele. Para tal, precisamos ter um relacionamento com Ele.

15
Capítulo

DOIS
________________________________________________

QUEM É DEUS?
________________________________________________

Para muitos, Deus é uma entidade distante, nervosa, uma força intocável. Mas para nós Ele está
próximo, presente e pode ser conhecido.

Deus é conhecido através da Sua Palavra. Ainda assim muitos lêem a Bíblia e não conseguem ver a
Deus porque está não é uma experiência intelectual, mas uma experiência espiritual. DEUS É QUE
SE REVELA PELO ESPÍRITO.

MATEUS 16:17
17 Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi
carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.

Não há conhecimento de Deus sem a Sua Palavra. O Filho é a Palavra Viva (Hebreus 4:12); o
caminho, a verdade e a vida (João 14:6). Quando olhamos para o filhos vemos o Pai (João 14:9). Esta
palavra é revelada pelo Espírito. O Espírito nos leva a Cristo e Cristo nos revela o Pai.

DEUS ESTÁ ESCONDIDO ATÉ QUE ELE MESMO SE REVELE A NÓS. Veja por exemplo o caso de
Isaías, que ministrava a Deus, representava a Deus mas nunca tinha visto Deus. Ele não conseguia
ver a Deus porque Uzias na verdade o cobria (veremos isto mais adiante quando falarmos sobre a
santidade de Deus).

A REVELAÇÃO DE DEUS

“Misericordioso Deus, Pai celeste, já que tua Palavra é uma vela e uma lâmpada, que está aí para
iluminar o nosso caminho, pedimo-nos que por Cristo, a verdadeira luz, queiras abrir e iluminar a
nossa mente, e assim possamos compreender a tua Palavra em sua clareza e pureza” (Ulrich
Zwinglio).

“Eterno Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, concede-nos tua graça para que pesquisemos
diligentemente as Sagradas Escrituras, que nelas busquemos e achemos a Jesus Cristo e que por ele
tenhamos vida eterna” (Martinho Lutero).

A confissão de La Rochelle, que é a confissão de fé das igrejas reformadas da França, no artigo 2, diz:
“Foi Deus quem se fez conhecer ao homem. Primeiramente, por suas obras, tanto pela criação como
pela conservação e maneira como Ele a conduz. Também, e mais claramente ainda, pela Palavra, a
qual foi primeiramente revelada verbalmente e em seguida escrita nos livros que nós chamamos de
Santa Escritura”.

Então podemos perceber que existem duas maneias principais de Deus se revelar ao homem: 1)
pela criação; 2) pela Palavra.


16
A REVELAÇÃO PELA CRIAÇÃO

SALMOS 19:1-6
1 Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas
mãos.
2 Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite.
3 Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som;
4 no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos
confins do mundo. Aí, pôs uma tenda para o sol,
5 o qual, como noivo que sai dos seus aposentos, se regozija como herói, a
percorrer o seu caminho.
6 Principia numa extremidade dos céus, e até à outra vai o seu percurso; e nada
refoge ao seu calor.

O assunto aqui é a glorificação de Deus através da sua criação. Glória aqui é Kabôd, que significa,
glória, honra, resplendor e todo respeito que é devido a uma pessoa de status. Esta glória é
declarada e proclamada pelas dimensões celestiais, enquanto o firmamento, o céu visível anuncia,
relata, conta a informação das obras das mãos de Deus. Enquanto o mundo espiritual proclama a
glória de quem Deus é, o mundo natural revela a manifestação daquilo o que Deus faz.

Revelar no Grego é Apokalypto, que é a manifestação de algo que era desconhecido antes. E como é
dito pelo apóstolo, os atributos invisíveis de Deus são vistos claramente, ou seja, são entendidos
sem ambiguidade. É algo que pode ser percebido e entendido.

ROMANOS 1:19-20
19 porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus
lhes manifestou.
20 Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também
a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo,
sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas...

A criação está permeada com a presença e a revelação de Deus. Um estudo mais aprofundado da
Palavra mostra que Deus é revelado no mundo físico (Salmos 19:1-6; Romanos 1:18-28), na lei
moral presente no coração do homem (Romanos 2:14-15) e na história (Atos 17:26-27). O
INVISÍVEL É VISTO ATRAVÉS DO VISÍVEL. Desta forma, a eternidade, a divindade, o poder, a
sabedoria e a glória de Deus são revelados (Salmos 29:4; 93:1,4; 104:24; Romanos 1:20).

Isso significa que a revelação de Deus é uma revelação clara e adequada para cumprir o seu
propósito. E o propósito da revelação de Deus na criação é que as pessoas busquem a Deus.
Portanto, ela atinge todos os povos, em todo lugar (Salmos 19:3; Romanos 1:18-32).

A REVELAÇÃO PELA PALAVRA

A revelação pela criação não traz conhecimento suficiente de Deus para salvar uma pessoa. A
Revelação pela Palavra é a revelação sobrenatural de Deus, através do qual o pecador toma
conhecimento de como Deus resgata pecadores, por meio de Jesus Cristo, para sua glória.

A Palavra, a Bíblia, é a Palavra de Deus inspirada, revelada em linguagem humana e confirmada ao
crente pelo testemunho interno do Espírito Santo, e que a função principal desta é revelar o que
precisamos saber sobre Deus e sobre nós mesmos. A principal função da Palavra é a nossa
edificação, capacitando-nos a compreender o que de outro modo seria impossível.

17
Agostinho de Hipona diz, “O que a minha Escritura diz, eu digo” (Confissões) e “A fé cambaleará se a
autoridade das Escrituras vacilar” (A doutrina cristã).

GÊNESIS 2:16-17
16 E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás
livremente,
17 mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia
em que dela comeres, certamente morrerás.

Vejamos algumas palavras em Hebraico neste texto para entendermos o poder daquilo o que Deus
nos revela. Deus instruiu o homem através de uma comunicação proposicional (com informações) e
verbal.


ORDEM em Hebraico é TSAWA (pronúncia, Tsavá), H6680
Dar uma ordem. Representa um mandamento que espera obediência, e não uma
impressão mística sem conteúdo racional.


Em Gênesis 3:9, Deus “chamou” Adão e lhe perguntou algo. Isso somente seria possível se a
comunicação do conteúdo fosse algo racional, ou seja, que pudesse ser entendida pelo receptor,
para que ele pudesse então responder.


CHAMAR em Hebraico é QARA ´(pronúncia, Quarrá), H7121
Fazer um enunciado ou trazer uma mensagem para um receptor particular, na
expectativa de receber uma resposta específica


§ PERGUNTAR = ´AMAR, dizer, falar. Mas também denota uma conversa entre duas ou
mais pessoas, com a expectativa de que uma seja entendida pela outra, sendo assim
capaz de responder.

A palavra em si, o vocábulo em si não faz da conversa uma revelação. Mas Deus concede a revelação
às pessoas assim como uma pessoa transmite conhecimento à outra – por intermédio da palavra
falada. Portanto, este padrão de comunicação verbal e proposicional (com informações) entre Deus
e as pessoas continua por todo o Antigo Testamento. Assim, o Senhor falou (´amar) e/ou chamou
(qara´) a Noé (Gênesis 6:13), Abraão (Gênesis 12:1), Jacó (Gênesis 35:1), Moisés (Êxodo 3:4),
Samuel (1 Samuel 3:4), Davi (2 Samuel 2:1), Jó (Jó 40:1), Isaías (Isaías 6:9), e Oséias (Oséias 1:2),
entre outros. Em todos estes casos tratava-se de uma comunicação racional, com conteúdo
proposicional.

Isso não exclui é claro a captação da voz de Deus em nosso espírito, mas inclui a idéia de uma
comunicação inteligível (compreensível). A idéia de revelação racional é também indicada pela
palavra hebraica Dabar.

§ DÂBAR, cujo significado é falar, e transmite a idéia de um procesos mental, de
comunicação.

18
Quando Deus envia uma Palavra através dos seus profetas, há então uma expectativa de Deus, e
esta é de que o conteúdo da profecia seja obedecido. Uma vez que a profecia é um comunicado
inteligível, nós temos que prestar contas a Deus.

HEBREUS 1:1-2
1 Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos
profetas,
2 nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as
coisas, pelo qual também fez o universo.

§ FALAR = LALEO, conversar, falar. Declarar o que está na mente e revelar o
pensamento de alguém. Esta representa uma comunicação proposicional e é
empregada em João 8:40 para descrever a comunicação da verdade.

Precisamos então atentar para os seguintes fatos:

§ A revelação de Deus é o processo e o resultado da comunicação racional e proposicional
entre Deus e a raça humana. Esta comunicação inclui a revelação de informações com
conteúdo intelectual e racional, e também a revelação da pessoa de Deus no encontro
pessoal com o homem.

§ Como criador do ser humano, Deus dotou os seres humanos com a capacidade racional de
comunicar seus pensamentos a outras pessoas. A estrutura racional da mente humana é uma
versão finita da estrutura racional da mente de Deus.

§ O propósito da revelação não é apenas a divulgação de informações, como se fosse uma
enciclopédia que existe só para satisfazer a curiosidade intelectual do homem. A finalidade
da revelação é a redenção, ou seja, o conhecimento de Deus é racional e intelectual, mas
acima de tudo é pessoal, e para ser pessoal, porque Deus é espírito, este conhecimento deve
ser originado no mundo espiritual, captado pelo nosso espírito e compreendido pela nossa
mente. O PROPÓSITO DA REVELAÇÃO É QUE A PESSOA TENHA UM RELACIONAMENTO
PESSOAL COM DEUS.

QUEM É DEUS PARA VOCÊ?

Que tipo de Deus é o seu Deus? Em uma só palavra podemos descrever o Deus que nós servimos:
GRANDE. O meu Deus é grande! A Sua grandeza encapsula tudo o que Ele é. Ele é grande por que
Ele é amor, é fiel, é verdadeiro.

SALMOS 95:1-7
1 Vinde, cantemos ao SENHOR, com júbilo, celebremos o Rochedo da nossa
salvação.
2 Saiamos ao seu encontro, com ações de graças, vitoriemo-lo com salmos.
3 Porque o SENHOR é o Deus supremo e o grande Rei acima de todos os deuses.
4 Nas suas mãos estão as profundezas da terra, e as alturas dos montes lhe
pertencem.
5 Dele é o mar, pois ele o fez; obra de suas mãos, os continentes.
6 Vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do SENHOR, que nos criou.
7 Ele é o nosso Deus, e nós, povo do seu pasto e ovelhas de sua mão...

19
A medida da reputação (glória) que você tem do Seu amor, da Sua fidelidade e da Sua verdade irá
aumentar ou diminuir a medida visão da grandeza de Deus. Ele ainda continua sendo grande mas
você não conseguirá se relacionar com Ele ou testemunhar dEle desta forma.

DEUTERONÔMIO 10:17-21
17 Pois o SENHOR, vosso Deus, é o Deus dos deuses e o Senhor dos senhores, o Deus
grande, poderoso e temível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita suborno;
18 que faz justiça ao órfão e à viúva e ama o estrangeiro, dando-lhe pão e vestes.
19 Amai, pois, o estrangeiro, porque fostes estrangeiros na terra do Egito.
20 Ao SENHOR, teu Deus, temerás; a ele servirás, a ele te chegarás e, pelo seu nome,
jurarás.
21 Ele é o teu louvor e o teu Deus, que te fez estas grandes e temíveis coisas que os
teus olhos têm visto.

O Temor do Senhor nos ajuda a nos achegarmos mais e mais a Ele, conhecendo-o e
consequentemente louvando por aquilo que sabemos e experimentamos de Deus. Ele é Grande.
Você o vê como Grande? Então o ar que sai da sua boca deve comunicar este verdade. O meu Deus é
Grande!

Como poderíamos descrever a palavra “grande”?

1. Que tem dimensões mais que ordinárias.
2. Extenso.
3. Comprido.
4. Crescido, desenvolvido.
5. Poderoso.
6. Grave.
7. Copioso.
8. Intenso.
9. Profundo.
10. Heróico.
11. Respeitável.
12. Corajoso.
13. Magnânimo.
14. Bom.
15. Magnífico.
16. Ilustre.
17. Numeroso.
18. Valioso.

Levanta os teus olhos e veja (“Provai e vede” – Salmos 34:8) que Ele é grande. Uma vez que você
consegue ver Deus como Grande, todo o resto diminui de tamanho (até mesmo você).

ÊXODO 18:10-11
10 e disse: Bendito seja o SENHOR, que vos livrou da mão dos egípcios e da mão de
Faraó;
11 agora, sei que o SENHOR é maior que todos os deuses, porque livrou este povo
de debaixo da mão dos egípcios, quando agiram arrogantemente contra o povo.

2 SAMUEL 7:22
22 Portanto, grandíssimo és, ó SENHOR Deus, porque não há semelhante a ti, e não
há outro Deus além de ti, segundo tudo o que nós mesmos temos ouvido.

20
1 CRÔNICAS 16:25-36
25 porque grande é o SENHOR e mui digno de ser louvado, temível mais do que
todos os deuses.
26 Porque todos os deuses dos povos são ídolos; o SENHOR, porém, fez os céus.
27 Glória e majestade estão diante dele, força e formosura, no seu santuário.
28 Tributai ao SENHOR, ó famílias dos povos, tributai ao SENHOR glória e força.
29 Tributai ao SENHOR a glória devida ao seu nome; trazei oferendas e entrai nos
seus átrios; adorai o SENHOR na beleza da sua santidade.
30 Tremei diante dele, todas as terras, pois ele firmou o mundo para que não se
abale.
31 Alegrem-se os céus, e a terra exulte; diga-se entre as nações: Reina o SENHOR.
32 Ruja o mar e a sua plenitude; folgue o campo e tudo o que nele há.
33 Regozijem-se as árvores do bosque na presença do SENHOR, porque vem a julgar
a terra.
34 Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom; porque a sua misericórdia dura
para sempre.
35 E dizei: Salva-nos, ó Deus da nossa salvação, ajunta-nos e livra-nos das nações,
para que rendamos graças ao teu santo nome e nos gloriemos no teu louvor.
36 Bendito seja o SENHOR, Deus de Israel, desde a eternidade até a eternidade. E
todo o povo disse: Amém! E louvou ao SENHOR.

O que o inimigo quer é muitas das vezes desacreditar a Deus na sua vida. Temos que
constantemente nos relembrar de quem Deus é (Veja Neemias 4:9-14). Este é o principal foco da
nossa adoração: Ele é! Uma vez que você vê Deus como grande, isto muda a maneira como você
canta, como você obedece, como você dá e até como você pensa. ISTO MUDA TUDO.

Veja outras passagens que trazem o relato da grandeza do nosso Deus: Neemias 8:6; Salmos 47:1-9;
104:1; 135:5; 145:1-6; Jeremias 10:6-7; 32:17-27; Lucas 1:30-33.

OS ATRIBUTOS DE DEUS

Quem é este grande Deus?
§ Quem é este grande Deus à quem adoramos, servimos e amamos?
§ Quem é este grande Deus à quem entregamos nossas vidas?
§ Quem é este grande Deus à quem tememos acima de qualquer outra coisa?

Nas palavras de Santo Agostinho, “O que então é o Deus que eu adoro? Ele não pode ser ninguém além
do que o próprio Deus... tu, meu Deus, és supremo, o extremo em bondade, o mais forte e mais
poderoso, misericordioso e justo. Tu é o mais escondido, mas ainda assim o mais presente entre nós, o
mais lindo e mesmo assim o mais forte, sempre-eterno e ainda assim não conseguimos te compreender.
Tu és imutável mas tu mudas todas as coisas. Não és nunca novo, nem velho, mas mesmo assim tudo
recebe uma nova vida de Ti. És sempre ativo, mas sempre em descanso. Tu juntas todas as coisas para
si mesmo mas não necessita de nada. Tu buscas fazê-las para si, mas nada te falta. Tu sofres com a
ofensa, mas não sente dor. Podes irar-se e ser sereno. Recebes a todos que a ti chegam, e nunca os
deixa. Nunca estás em necessidade, mas fica feliz em receber. Tu nos libera dos nossos débitos, mas não
perde nada ao fazê-lo. Tu és o meu Deus, Tu és o meu deleite, mas será que isso é o suficiente para
dizer de ti? Mesmo assim a desgraça acontece para aqueles que se silenciam a teu respeito! Até mesmo
aqueles dotados com o dom do discurso não conseguem te descrever. Será que eu deveria me
preocupar se as pessoas não entendessem isso? Deixe-lhes perguntar o que isso significa, e se
alegrarem por perguntar; mas que se alegrem com a pergunta somente. Porque é melhor para eles
que te encontrem e deixem a pergunta sem resposta do que encontrar a resposta sem Te encontrar”.

21
Uma das maneiras que podemos conhecer o nosso GRANDE Deus é quando olhamos para os seus
atributos. Nós chamamos de “atributos” porque ao lermos na Palavra e vermos quem Ele se revela
ser, somos compelidos a atribuir a Ele certas características. Por exemplo, você vê alguém
levantando uma caixa muito pesada e atribui a esta pessoa força. Então você diz, “puxa, ele é tão
forte”.

Quando você lê sobre Deus ou ouve um testemunho sobre quem Deus é, Deus na realidade está
esperando que você creia e atribua algo a Ele. É desta forma que O vemos como Ele é para nós. Não
atribuímos porque achamos que lhe cai bem, mas porque Ele é e age de forma que podemos
declarar, “Deus é...”.

SALMOS 29:1-2
1 Tributai ao SENHOR, filhos de Deus, tributai ao SENHOR glória e força.
2 Tributai ao SENHOR a glória devida ao seu nome, adorai o SENHOR na beleza da
santidade.

Veja também: Salmos 96:7-8; 68:34; 136:26.

O que é um atributo?

1. Qualidade própria e inerente.
2. Faculdade.
3. Sinal distintivo.
4. Adjetivo (ou locução adjetiva) que qualifica um nome.

Louis Berkhof em sua Teologia Sistemática disse, “Os atributos de Deus podem ser definidos como as
perfeições que constituem predicados do Ser Divino na Escritura, ou que são visivelmente exercidas
por ele em Suas obras de criação, providência e redenção. Se continuamos a empregar o nome
‘atributos’, é porque é comumente utilizado, e o fazemos com claro entendimento de que se deve
excluir rigidamente a noção de algo acrescentado ao Ser de Deus”.

Deus tem 2 tipos de atributos: essencial (ou absoluto) e transitivo (ou relativo).

§ Os atributos essenciais são aqueles absolutamente necessários, indispensáveis, sem os quais
Deus não seria o que Ele é. É algo que não está dependente de condições externas para
existir. Por exemplo, seus sapatos são essenciais para sua existência? e o seu coração? ESTE
ATRIBUTO NOS MOSTRA QUEM DEUS É SEM NÓS.

§ Os atributos transitivos são aqueles que afetam outros ou outras coisas; que são
considerados com relação a algo mais; comparativo; tendo sua natureza específica apenas
em relação a algo mais. ESTE ATRIBUTO NOS MOSTRA QUEM DEUS É EM RELAÇÃO À SUA
CRIAÇÃO.

Estes atributos revelam a essência de quem Deus é! Nós somos porque Ele é. Somos dependentes
dEle. Dependemos da Sua força para sermos fortes; do Seu amor para amar (Ele é amor); da Sua fé
para acreditar (Ele nos dá uma medida da Sua fé); da Sua alegria para andarmos em alegria; da Sua
verdade para falarmos a verdade (Ele é a verdade – nós falamos a verdade).

Veja a tabela na próxima página.




22

ESSENCIAL / ABSOLUTO TRANSITIVO / RELATIVO

Espiritualidade, que envolve Quando relacionado a Tempo e Espaço


(a) Vida (a) Eternidade
(b) Personalidade (b) Imensidade

Infinidade, que envolve Quando relacionado a Criação


(a) Auto-existência (a) Onipresença
(b) Imutabilidade (b) Onisciência
(c) Unidade (c) Onipotência

Quando relacionado a Seres Morais


(a) Veracidade e Fidelidade
Perfeição, que envolve
(ou verdade transitiva)
(a) Verdade
(b) Misericórdia e Bondade
(b) Amor
(ou amor transitivo)
(c) Santidade
(c) Justiça e Retidão
(ou santidade transitiva)

O ATRIBUTO DA ESPIRITUALIDADE

Quando descrevemos o atributo da espiritualidade, com esta palavra não queremos dizer “puxa,
Deus é realmente espiritual” no sentido de como definimos “espiritualidade” em uma pessoa ou
denominação. O que queremos dizer é: Deus é espírito.

JOÃO 4:24
24 Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em
verdade.

1 TIMÓTEO 1:17
17 Assim, ao Rei eterno, imortal, invisível, Deus único, honra e glória pelos séculos
dos séculos. Amém!

Isso essencialmente nos comunica duas verdades:

§ Deus não é matéria, e por isso não pode ser visto. O espírito é uma substância imaterial,
invisível, não composta e indestrutível (imortal).

§ Deus não é dependente de matéria. Deus não precisa comer, não precisa dormir e nem
precisa de dinheiro. Tudo o que foi criado por Deus nesta terra é dependente de matéria.

Sabendo que Deus é espírito, podemos então entender que “espírito” é definido tendo dois
atributos primários: vida e personalidade.


23
ESPIRITUALIDADE E VIDA

A palavra apresenta Deus como um Deus vivo:

JEREMIAS 10:10
10 Mas o SENHOR é verdadeiramente Deus; ele é o Deus vivo e o Rei eterno; do seu
furor treme a terra, e as nações não podem suportar a sua indignação.

JOÃO 5:26
26 Porque assim como o Pai tem vida em si mesmo, também concedeu ao Filho ter
vida em si mesmo.

1 TESSALONICENSES 1:9
9 pois eles mesmos, no tocante a nós, proclamam que repercussão teve o nosso
ingresso no vosso meio, e como, deixando os ídolos, vos convertestes a Deus, para
servirdes o Deus vivo e verdadeiro

Deus está envolvido em nossa vida: Ele fala conosco, nos dá direção, luta as nossas batalhas. A
Bíblia diz também que Ele se move. ELE ESTÁ VIVO.

Ele não necessita de nada pelo qual Ele deve funcionar para que possa existir. ELE É A PRÓPRIA
VIDA EM SI MESMO e não necessita de qualquer interação com algo exterior a si para existir. Se
dissermos que a vida é a soma total da interação de Deus com o mundo que Ele criou, então como
definir um Deus vivo antes da criação.

Deus é vivo, e a vida que começa dEle emana para nós. A fonte da vida de Deus (sendo ela mesma a
fonte de tudo aquilo o que Deus faz), é tanto para Si como para nós. Ou seja, Ele plantou em nós esta
natureza tanto para o nosso próprio bem quanto para o bem de outros. Veja João 3:16.

Deus nos amou, mas não precisou nos criar para ser amor. ELE AMOU O FILHO ANTES DE TUDO
(João 17:24). Ele então criou a humanidade baseado no relacionamento que tem com o Filho (por
isso Ele disse “façamos” para o filho, – vamos usar o nosso relacionamento como base para esta
nova criação).

JOÃO 1:1-4
1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
2 Ele estava no princípio com Deus.
3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito
se fez.
4 A vida estava nele e a vida era a luz dos homens.

Santo Agostinho disse, “Tu és a vida das almas, a vida das vidas. Tu vives, ó vida da minha alma,
porque tu és a própria vida, imutável”.

ESPIRITUALIDADE E PERSONALIDADE

Quando estudamos os atributos divinos da espiritualidade vemos que Deus, como espírito, não
apenas possui vida, mas vida pessoal que se manifesta através de uma personalidade. Ele não é
simplesmente uma coisa, uma força, um poder, mas um ser pessoal.

§ Ele pensa – Isaías 40:13-14
§ Ele deseja – Efésios 1:11
§ Ele sente amor – Oséias 11:1
24
§ Ele sente ira – Números 25:3
§ Ele sente compaixão – Salmos 103:13
§ Ele sente alegria – Sofonias 3:17

Personalidade requer então duas coisas:

1. Auto-Consciência, que é mais do que apenas “consciência”.

- Consciência é o estado de ser perceptivo daquilo que o cerca;

- Auto-Consciência é ter o conhecimento de sua própria existência, o conhecimento de si
mesmo como um ser consciente.

Deus é perceptivo do fato de que Ele é Deus e então age de acordo com isto.

ÊXODO 3:14
14 Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU...

1 CORÍNTIOS 2:11
11 Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito,
que nele está? Assim, também as coisas de Deus, ninguém as conhece, senão o
Espírito de Deus.

Só Deus conhece Deus plenamente. Se quisermos conhecer a pessoa de Deus então
precisamos nos achegar a Ele porque Ele se revelará a nós através do Espírito, pela Palavra.

2. Auto-Determinação, que são as escolhas, e ações e pensamentos pessoais determinados do
íntimo da pessoa.

Deus não se move por fatores externos. Ele decide fazer, Ele escolhe fazer, e não culpa outros
por assim proceder. Ele não diz, “foi o homem quem me fez fazer”. Não! “O homem violou
meu princípio e como Eu não posso violar meu princípio Ele precisa ser retirado da minha
presença”.

a. Deus é a causa de suas próprias ações, escolhas e pensamentos. Ele é motivado pelo que
Ele é para fazer o que Ele faz.

b. Auto-determinação é a vontade e o propósito que vem da mente de Deus. Isso significa que
Deus tem uma mente e uma vontade que cria um propósito, através do qual ações fluem.
Deus tem uma mente que produz vontade, que permite a Ele fazer escolhas e então agir
baseado em propósito.

APOCALIPSE 4:11
11 Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque
todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade (Auto-Determinação) vieram
a existir (na mente de Deus) e foram criadas (no mundo natural).

EFÉSIOS 1:9-11
9 desvendando-nos o mistério da sua vontade (Auto-Determinação), segundo o seu
beneplácito (INTENÇÃO – Auto-Determinação) que propusera (Auto-Determinação) em
Cristo,
10 de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as
coisas, tanto as do céu, como as da terra;
25
11 nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o
propósito (Auto-Determinação) daquele que faz todas as coisas conforme o conselho
da sua vontade (Auto-Determinação)

ROMANOS 8:28
28 Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus,
daqueles que são chamados segundo o seu propósito (Auto-Determinação).

ATOS 15:7
7 Havendo grande debate, Pedro tomou a palavra e lhes disse: Irmãos, vós sabeis
que, desde há muito, Deus me escolheu (Auto-Determinação) dentre vós para que,
por meu intermédio, ouvissem os gentios a palavra do evangelho e cressem.

JÓ 23:13
13 Mas, se ele resolveu (Auto-Determinação) alguma coisa, quem o pode dissuadir? O
que ele deseja (Auto-Determinação), isso fará.

ISAÍAS 46:8-11
8 Lembrai-vos disto e tende ânimo; tomai-o a sério, ó prevaricadores.
9 Lembrai-vos das coisas passadas da antiguidade: que eu sou Deus, e não há outro,
eu sou Deus, e não há outro semelhante a mim;
10 que desde o princípio anuncio o que há de acontecer e desde a antiguidade, as
coisas que ainda não sucederam; que digo: o meu conselho (PROPÓSITO – Auto-
Determinação) permanecerá de pé, farei toda a minha vontade (Auto-Determinação);
11 que chamo a ave de rapina desde o Oriente e de uma terra longínqua, o homem
do meu conselho (PROPÓSITO – Auto-Determinação). Eu o disse, eu também o
cumprirei; tomei este propósito (Auto-Determinação), também o executarei (Auto-
Determinação + ação).

ESPIRITUALIDADE E SUA RELAÇÃO COM O TEMPO-ESPAÇO

Por ser espírito, ao se manifestar no tempo e no espaço, Deus se revela de duas formas:

UM SER ETERNO

SALMOS 90:2
2 Antes que os montes nascessem e se formassem a terra e o mundo, de eternidade
a eternidade, tu és Deus.

Como uma entidade eterna, no sentido de que Deus permanece por todos os séculos para sempre
(Efésios 3:21). A palavra eternidade está relacionada ao tempo, ou seja, em hebraico significa, “o
que está além do horizonte; um tempo muito distante” ou “um passado ou futuro distante como um
tempo que é difícil de se conhecer ou perceber”.

UM SER IMENSO

Veja o vídeo de Louie Giglio postado no blog do ASAS DA FÉ, na categoria “Conhecendo Deus”
(www.asasdafe.com.br).






26
O ATRIBUTO DA INFINIDADE

Ao aplicarmos o termo “infinidade” estamos declarando que a natureza divina não tem limites, e
não que “não conhecemos” os limites de Deus. Ele é grande porque Ele não tem limites! VOCÊ PODE
BUSCAR, MAS NUNCA ENCONTRARÁ UM FINAL.

SALMOS 145:3
3 Grande é o Senhor, e mui digno de ser louvado; e a sua grandeza é insondável.

JÓ 11:7-9
7 Por acaso você conhece os planos de Deus? É capaz de compreender como Ele é
puro e perfeito?
8 A sabedoria divina é mais alta que os céus; como é que você pretende discutir
com Ele? A sabedoria divina é mais profunda que o mar; como é que você pensa em
ser mais sábio do que Ele?
9 Deus é maior do que a terra e que o mar.

A infinidade de Deus nos diz que Ele não é limitado pelo universo, e nem confinado ao universo. Nós
somos limitados pelo nosso contexto. Nós precisamos de ar, temos que ficar nesta atmosfera. Para
irmos além, precisamos de equipamentos extra-naturais. Deus não está limitado a nada disso.

Por isso podemos usar então dois termos teológicos: imanente e transcendente.

Millard J. Erickson, em Introdução à teologia sistemática, diz: “O significado da imanência é que Deus
está presente e ativo dentro da Sua criação e dentro da raça humana... Ele age nos processos naturais
e por meio deles. O significado da transcendência é que Deus não é uma mera qualidade da natureza
ou da humanidade; Ele não é simplesmente o mais elevado dos seres humanos. Ele não é limitado à
nossa capacidade de compreendê-lo. Sua santidade e bondade vão muito além, infinitamente além das
nossas, e isso também é verdade em relação a seu conhecimento e poder”. Em resumo:

Imanente
1. Que não desaparece ou não se vai.
2. Permanente.
3. Inseparável do sujeito.

Transcendente
1. Sublime.
2. Superior que está acima das ideias e conhecimentos ordinários.
3. Que excede os limites ordinários.

O atributo de infinidade pertence apenas a Deus e portanto não é compartilhado com outros seres
no universo. SOMENTE DEUS TEM RECURSOS INFINITOS. Por exemplo, nós precisamos de energia
para viver. Portanto, precisamos de comida que irá criar energia para o que precisamos fazer. Até
mesmo quando dormimos, queimamos calorias. Se não tivermos energia, não podemos fazer nada
de forma eficaz.

Deus não tem poder limitado para curar, perdoar ou salvar. Tudo o que precisamos para que estes
recursos cheguem até nós é aplicarmos o princípio da fé, que “extrai esta energia” (escrevo assim
para que você possa entender) de Deus toda vez que precisamos. A fonte ilimitada é Ele!



27
a. Deus é infinito, em todos os recursos e em vida

2 PEDRO 1:3
3 Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que
conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos
chamou para a sua própria glória e virtude,

Deus opera em nós, e entre nós sem desgaste algum. Ele usa mas nunca acaba. Ou seja, Ele
não perde nada quando age. Sua “reserva” de vida, sabedoria, conhecimento, poder, etc. são
infinitos. Veja a diferença entre o homem e Deus:

ISAÍAS 40:28-31
28 Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos fins da terra,
nem se cansa, nem se fatiga? Não se pode esquadrinhar o seu entendimento.
29 Faz forte ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor.
30 Os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de exaustos caem,
31 mas os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como
águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam.

b. Deus é infinito, em justiça e salvação

SALMOS 71:15
15 A minha boca relatará a tua justiça e de contínuo os feitos da tua salvação, ainda
que eu não saiba o seu número.

c. Deus é infinito, em benignidade e fidelidade

SALMOS 89:2
2 Pois disse eu: a benignidade está fundada para sempre; a tua fidelidade, tu a
confirmarás nos céus...

O céu é símbolo de eternidade (sem começo e sem fim).

d. Deus é infinito, em amor, verdade e glória

SALMOS 108:4-5, BÍBLIA VIVA
4 porque o teu amor bondoso é mais alto que os céus e a tua verdade é maior que a
distância entre a terra e as nuvens.
5 Ó Deus, mostra o teu poder desde os céus e a tua glória aqui na terra

Como podemos ver a glória de Deus aqui na terra? Crescendo na revelação do amor e da
Verdade. O propósito de Jesus, a Palavra era a de restaurar a glória de Deus aos homens.
Como? Revelando o amor e a verdade, para que os homens pudessem vê-Lo exaltado!

e. Deus é infinito em sabedoria, conhecimento, juízo e em seus caminhos

ROMANOS 11:33
33 Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus!
Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!

Os caminhos de Deus são insondáveis, mas Deus escolhe Se revelar a nós. Veja Isaías 55:6-
12. Temos acesso a eles através de Cristo.



28
EFÉSIOS 3:8
8 A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o
evangelho das insondáveis riquezas de Cristo

FILIPENSES 4:19-20
19 E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus,
cada uma de vossas necessidades.
20 Ora, a nosso Deus e Pai seja a glória pelos séculos dos séculos. Amém!

Estas riquezas de Cristo nos revelam tudo o que o Filho é, ou seja, a perfeita imagem do Pai,
disponível para nós! Sua infinidade de Si mesmo está disponível para nós!

EFÉSIOS 3:20
20 Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto
pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós,

A infinidade de Deus pode ser vista em três aspectos: Auto-Existência, Imutabilidade e Unidade.

INFINIDADE E AUTO-EXISTÊNCIA

A base para a existência infinita de Deus é o próprio Deus. A base para a nossa existência está fora
de nós mesmos, assim como para toda a criação. Porque o homem existe? Para cumprir algo que é
vontade de Deus e por isso podemos afirmar que o homem existe por causa de Deus.

Apenas Deus é o grande EU SOU. Deus existe por causa de Deus. Ele é... no passado, presente e
futuro. A Essência de Deus é ser e por isso Ele não precisa fazer para existir, mas porque Ele existe,
Ele age conforme a essência da Sua existência.

ÊXODO 6:2-3, Bíblia Viva
2 Disse ainda Deus a Moisés: "Eu sou o Senhor.
3 Eu me apresentei a Abraão, a Isaque e a Jacó, mas com o nome de Deus Todo-
Poderoso. Não revelei a eles todo o significado do meu nome propriamente dito,
que é O Senhor.

ÊXODO 3:14
14 Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de
Israel: EU SOU me enviou a vós outros.

INFINIDADE E IMUTABILIDADE

A natureza, os atributos, os propósitos e a vontade de Deus não mudam.

Imutável significa:

§ Permanente;
§ Inalterável;
§ Rígido;
§ Constante;
§ Inflexível;
§ Sem variação;
§ Firme.

29
Em sua imutabilidade, ele não pode ser mais ou menos perfeito; nem melhor, nem pior. A.W.Pink
em Os atributos de Deus diz, “Ele não pode mudar para melhor, pois já é perfeito; e, sendo perfeito,
não pode mudar para pior.”

MALAQUIAS 3:6
6 Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois
consumidos.

SALMOS 102:26-27
26 Eles perecerão, mas tu permaneces; todos eles envelhecerão como uma veste,
como roupa os mudarás, e serão mudados.
27 Tu, porém, és sempre o mesmo, e os teus anos jamais terão fim.

TIAGO 1:17
17 Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes,
em quem não pode existir variação ou sombra de mudança.

ISAÍAS 48:12
12 Dá-me ouvidos, ó Jacó, e tu, ó Israel, a quem chamei; eu sou o mesmo, sou o
primeiro e também o último.

O que fazer então com passagens em que Deus parece mudar de opinião ou vontade?

1 CRÔNICAS 21:15
15 Enviou Deus um anjo a Jerusalém, para a destruir; ao destruí-la, olhou o
SENHOR, e se arrependeu do mal, e disse ao anjo destruidor: Basta, retira, agora, a
mão. O Anjo do SENHOR estava junto à eira de Ornã, o jebuseu.

Devemos entendê-las olhando para elas de três formas:

1. Não estamos vendo alteração em Deus, mas a variação das manifestações da verdade e da
sabedoria de Deus com relação à Sua Criação.

Deus nunca muda. Sua verdade nunca muda. Seus planos nunca mudam.

C.D.Cole em Definição de doutrinas diz, “Objeta-se que as Escrituras atribuem mudança na
natureza de Deus pelo Seu arrependimento em Gênesis 6:6, I Samuel 15:35; Salmo 106:45;
Amós 7:3; Jonas 3:10. Mas existem outras Escrituras que negam o fato de que Deus Se
arrepende. Não contradiremos uma Escritura com outra, mas unindo as diversas passagens,
concluímos que arrependimento para Deus não é a mesma coisa que arrependimento para os
homens. O arrependimento para os homens é por causa do pecado e implica mudança de mente
e propósito, mas com Deus, tal não pode ser, pois Ele não peca, e consequentemente não
implica mudança de pensamento nem de vontade. O arrependimento para Deus indica
mudança na manifestação e atividade, e esta mudança está sempre em harmonia com Seu
caráter e propósito imutável. A imutabilidade da santidade de Deus requer uma mudança na
atitude e no tratar quando o justo torna-se perverso. O sol não é mutável porque derrete a cera
ou endurece o barro... a diferença jaz não no sol, mas na natureza dos objetos sobre os quais
brilha.”

Em Gênesis 6:6, Deus não mudou. Ele ainda iria cumprir o seu propósito. Ao invés de fazer
isto com milhões de pessoas Ele decidiu continuar com apenas 8.

30
2. Não vemos mudança em Deus, mas representações da sua imutabilidade quando Deus
interage com Seu povo, dependendo de nossas ações e respostas.

Se você estiver pedalando em sua bicicleta contra o vento e mudar de direção, a princípio
parece que o vento mudou. Da mesma forma, dependendo das nossas atitudes, parece que
Deus mudou de opinião, mas Ele não muda.

Deus te diz que te daria um carro, mas você não aplica sua fé para recebê-lo. Parece que
Deus voltou atrás em Sua palavra, mas não! Você não criou o ambiente para receber o que
Deus disse que te daria.

1 SAMUEL 15:10-11
10 Então, veio a palavra do SENHOR a Samuel, dizendo:
11 Arrependo-me de haver constituído Saul rei, porquanto deixou de me seguir e
não executou as minhas palavras. Então, Samuel se contristou e toda a noite clamou
ao SENHOR.

1 SAMUEL 15:27-29
27 Virando-se Samuel para se ir, Saul o segurou pela orla do manto, e este se
rasgou.
28 Então, Samuel lhe disse: O SENHOR rasgou, hoje, de ti o reino de Israel e o deu ao
teu próximo, que é melhor do que tu.
29 Também a Glória de Israel não mente, nem se arrepende, porquanto não é
homem, para que se arrependa.

Deus estava mudando de mente, de opinião, de vontade? NÃO! Saul havia mudado de
direção, saído do caminho proposto por Deus e não mais poderia cumprir os planos do
coração de Deus. Por isso a imutável santidade de Deus requer que o justo e o injusto sejam
tratados de forma diferente, dependendo de suas respostas.

Lembre-se que as promessas de Deus são condicionais e Ele responde baseado nestas
condições.

SALMOS 103:17-18
17 Mas a misericórdia do SENHOR é de eternidade a eternidade, sobre os que o
temem, e a sua justiça, sobre os filhos dos filhos,
18 para com os que guardam a sua aliança e para com os que se lembram dos seus
preceitos e os cumprem.

3. Não vemos mudança em Deus, mas a execução dos propósitos de Deus que já existiam desde
a eternidade na mente de Deus.

GÁLATAS 3:17-25
17 E digo isto: uma aliança já anteriormente confirmada por Deus, a lei, que veio
quatrocentos e trinta anos depois, não a pode ab-rogar, de forma que venha a
desfazer a promessa.
18 Porque, se a herança provém de lei, já não decorre de promessa; mas foi pela
promessa que Deus a concedeu gratuitamente a Abraão.
19 Qual, pois, a razão de ser da lei? Foi adicionada por causa das transgressões, até
que viesse o descendente a quem se fez a promessa, e foi promulgada por meio de
anjos, pela mão de um mediador.
20 Ora, o mediador não é de um, mas Deus é um.
31
21 É, porventura, a lei contrária às promessas de Deus? De modo nenhum! Porque,
se fosse promulgada uma lei que pudesse dar vida, a justiça, na verdade, seria
procedente de lei.
22 Mas a Escritura encerrou tudo sob o pecado, para que, mediante a fé em Jesus
Cristo, fosse a promessa concedida aos que crêem.
23 Mas, antes que viesse a fé, estávamos sob a tutela da lei e nela encerrados, para
essa fé que, de futuro, haveria de revelar-se.
25 De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, a fim de que
fôssemos justificados por fé.
25 Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio.

Deus não estava mudando de mentalidade com relação ao seu propósito eterno. Deus não
testou se a Lei daria certo, e como não deu, Ele tentará algo novo. O propósito eterno de
Deus não muda, mas a maneira com a qual Ele cumpre a Sua vontade é flexível.

§ Deus ainda requer que entremos em Sua presença pelo sangue, não mais de animais,
mas agora pelo sangue do Seu Filho Jesus.

§ Deus ainda requer que, para permanecermos em Sua presença precisemos ser
sacerdotes, mas não mais de acordo com a ordem levítica, mas segundo uma Nova
Aliança.

Lembre-se que Deus nunca muda, ainda que Ele esteja envolto por mudança (por causa do Seu
relacionamento conosco). Muda-se a direção, muda-se a recepção da promessa, mas Deus nunca
muda.

INFINIDADE E UNIDADE

No epicentro da revelação de Deus está o fato de que Deus é um.

DEUTERONÔMIO 6:4
4 Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.

§ ÚNICO = ´ECHÂD, Numeral que tem o signfificado de unido, ou seja, um.

Esta palavra é a mesma usada para descrever o relacionamento entre esposo e esposa
em Gênesis 2:24, “serão uma só carne”.

ISAÍAS 44:6
6 Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou
o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há Deus.

Isso nos diz que as três pessoas da Trindade não são outras tantas partes das quais se compõe a
essência divina. Ou seja, quando o Espírito Santo fala com você, Deus está falando com você e não
33,33333 de Deus.

INFINIDADE E SUA RELAÇÃO COM A CRIAÇÃO

Em sua infinidade, Deus ao se relacionar com a criação se apresenta de três formas: ONIPRESENTE,
ONIPOTENTE, ONISCIENTE.



32
ONIPRESENTE

SALMOS 139:5-10
5 Tu me cercas por trás e por diante e sobre mim pões a mão.
6 Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim: é sobremodo elevado, não o
posso atingir.
7 Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face?
8 Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás
também;
9 se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares,
10 ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá.

Não há limitação com relação ao espaço e por isso a criação não consegue impor limites à presença
e operação de Deus. Ele transcende todo espaço mas se manifesta a nós no espaço.

ONIPOTENTE

JEREMIAS 32:17, BÍBLIA VIVA
17 Ah, meu Deus! O Senhor criou a terra e os céus com o seu grande poder; para o
Senhor, nada é impossível!

MATEUS 19:26
26 Jesus, fitando neles o olhar, disse-lhes: Isto é impossível aos homens, mas para
Deus tudo é possível.

Deus tem todo o poder para cumprir a Sua própria vontade e é soberano para agir quando quiser.
Mas existem limitações impostas pela própria natureza de Deus: Ele não pode pecar ou fazer o mal;
não pode desistir de ser; não pode ir contra si mesmo (e isso inclui Sua Palavra).

ONISCIENTE

1 JOÃO 3:20
20 pois, se o nosso coração nos acusar, certamente, Deus é maior do que o nosso
coração e conhece todas as coisas.

Não existe mistério para Deus. Isso nos leva a dois pontos cruciais: de que Deus conhece toda a
realidade do tempo: passado, presente e futuro, completamente, até os pormenores mais
insignificantes (Isaías 41:21-23); e que a onisciência de Deus é original, ou seja, o seu conhecimento
não deriva de uma fonte externa, mas de Si mesmo.

A.W.Pink escreveu em Os atributos de Deus, “O conhecimento infinito de Deus deveria encher-nos
de assombro. (...) Nenhum de nós sabe o que o dia nos trará, mas todo o futuro está aberto ao seu
olhar onisciente. O conhecimento infinito de Deus deveria encher-nos de santa reverência. Nada do
que fazemos, dizemos ou mesmo pensamos, escapa à percepção daquele a quem teremos que
prestar contas. (...) A capacidade de compreensão que o conhecimento infinito de Deus tem deveria
encher o cristão de adoração. Minha vida inteira esteve exposta ante os seus olhos desde o
princípio. Ele previu todas as minhas quedas, todos os meus pecados, todas as minhas
reincidências; todavia, fixou em mim o seu coração”.

Isso então nos remete à sabedoria de Deus, que é este conhecimento infinito combinado com o
poder infinito para a cumprir, usado de maneira perfeita e eficaz. O New Urger´s Bible Dictionary
traduz sabedoria como estando “intimamente relacionada com o conhecimento divino, se
manifestando na seleção de fins apropriados com os meios apropriados para sua concretização”.
33
O ATRIBUTO DA PERFEIÇÃO

O nosso Deus é PERFEITO! Esta palavra significa “completo, por inteiro, e sem falta de nada”. Ele é
perfeito e tudo o que faz é perfeito.

MATEUS 5:48
48 Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.

A perfeição para nós não é apenas um objetivo perfeccionista mas uma jornada na qual já estamos,
uma plataforma para que nossa alma alcance este estado “completo”.

Perfeccionismo não é uma busca saudável por excelência. Existe uma grande diferença entre o
perfeccionismo e a estrada da perfeição, nos capacitando a fazermos o que precisamos fazer de
forma saudável. A perfeição é uma pessoa (Cristo) e se estamos em Cristo, existencialmente já
encontramos a perfeição. Precisamos então adequar nossos pensamentos e sentimentos a Ele... e
não aos padrões do mundo sobre o que acham que “ser perfeito” é.

Os perfeccionistas acreditam que erros nunca podem ser cometidos e que os mais altos padrões de
performance devem sempre ser conquistados. Eles são cheios de auto-dúvidas e medo da
desaprovação, da ridicularização e da rejeição. Aqueles que entendem que a perfeição é uma
jornada EM CRISTO sentem um prazer genuíno ao tentar alcançar altos padrões. Este dirige
enquanto o perfeccionista é dirigido.
Quais seriam as diferenças entre o perfeccionismo e a perfeição verdadeira que encontramos em
Cristo? Veja o quadro abaixo.

Perfeccionista Perfeição em Cristo
Estabelece padrões além do seu alcance Os padrões de Cristo estão ao nosso
e da razão. alcance por causa do Espírito Santo e da
Nova Natureza (Isaías 55:6-11).
Nunca está satisfeito com nada que é Aproveita o processo sabendo que
menos do que o seu padrão de “Aquele que começou a boa obra há de
perfeição. completá-la” (Filipenses 1:6).
Fica deprimido quando experimenta Levanta-se rapidamente quando a falha
falhas e decepção. ou a decepção acontecem, sabendo que
Cristo (que habita nele) é a sua
esperança (Colossenses 1:27).
Se preocupa com o medo de falhar e Mantém a ansiedade e o medo da falha
com a desaprovação, o que suga sua sob o controle da Verdade, com base
energia. nas promessas de Deus (Mateus 6:25-
33).
Vê seus erros como evidências de sua Vê seus erros como oportunidades para
indignidade e falta de valor, como se crescer e aprender, sabendo que há um
não houvesse mais esperança para ele. advogado nos céus (1 João 1:6-10).
Torna-se defensivo quando criticado. Reage positivamente ao criticismo
construtivo. “Não repreendas o
escarnecedor, para que te não aborreça;
repreende o sábio, e ele te amará.”
(Provérbios 9:8).

Tipos de perfeccionistas:

§ Com foco em si: que espera o perfeccionismo de si mesmo
34
§ Com foco em outros: que demandam o perfeccionismo de outros
§ Socialmente focado: pensa que outros esperam que ele seja perfeccionista

Quais são os custos do perfeccionismo? O que o perfeccionismo gera?

§ Depressão
§ Ansiedade
§ Obcessividade
§ Compulsividade
§ Pensamentos suicidas
§ Solidão
§ Impaciência
§ Frustração
§ Raiva

Nove sinais de um perfeccionista:

1) Você não consegue parar de pensar nos erros cometidos
2) Você é intensamente competitivo e não aguenta fazer pior do que outros
3) Você só quer fazer algo que é “certo” senão “nada feito”
4) Você demanda perfeição de outras pessoas
5) Você não pede ajuda se isto for visto como sinal de fraqueza
6) Você persiste em uma tarefa muito depois de todos já terem desistido
7) Você gosta de achar erros e corrigir pessoas quando elas estão erradas
8) Você presta bastante atenção nas demandas e expectativas de outras pessoas
9) Você é muito auto-consciente sobre seus erros na frente das pessoas

SALMOS 18:30
30 O caminho de Deus é perfeito; a palavra do SENHOR é provada; ele é escudo para
todos os que nele se refugiam.

Deus não é perfeito porque Ele faz as coisas perfeitas. As coisas são feitas em perfeição porque Deus
é perfeito. Perfeição flui de quem Deus é. O que faz algo ser “bom” ou “perfeito” não é o resultado
final apenas, mas também como ela acontece. A perfeição envolve o processo interior e o resultado
exterior. Um bom exemplo está em Mateus 7, onde as pessoas chegaram para o senhor com o
resultado, mas o processo interior não estava correto, não podendo ser então classificado como
“perfeito”.

MATEUS 7:13-23
13 Entrai pela porta estreita ( larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz
para a perdição, e são muitos os que entram por ela ),
14 porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são
poucos os que acertam com ela.
15 Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em
ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores.
16 Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros
ou figos dos abrolhos?
17 Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos
maus.
18 Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos
bons.
19 Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo.
20 Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis.
35
21 Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele
que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
22 Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos
nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu
nome não fizemos muitos milagres?
23 Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que
praticais a iniqüidade.

Deus é perfeito e sua perfeição não pode se dar por fatores exteriores mas em Si. Não adoramos a
Deus para que Ele se sinta mais amado, ou mais perfeito. Adoramos porque fomos amados
perfeitamente antes mesmo de existirmos, nos impelindo a respondermos à revelação e
manifestação deste amor.

§ Ele é perfeito em Conhecimento:

JÓ 37:15-16
15 Porventura, sabes tu como Deus as opera e como faz resplandecer o relâmpago
da sua nuvem?
16 Tens tu notícia do equilíbrio das nuvens e das maravilhas daquele que é perfeito
em conhecimento?

§ Ele é perfeito em Amor:

1 JOÃO 4:18-19
18 No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo
produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor.
19 Nós amamos porque ele nos amou primeiro.

§ Ele é perfeito em Vontade:

ROMANOS 12:2
2 E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da
vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade
de Deus.

PERFEIÇÃO E VERDADE

Deus não tem conhecimento parcial de nada, portanto, ele é perfeito em Verdade. Por isso, não há
verdade que não seja Sua verdade.

SALMOS 119:160, AA
160 A soma da tua palavra é a verdade...

SALMOS 119:160
160 As tuas palavras são em tudo verdade desde o princípio...

Deus não é a verdade porque Ele sabe todas as coisas; Ele sabe todas as coisas porque Ele é a
verdade (João 14:6). O que é então o conhecimento? É quando eu acesso a Verdade, obtendo fatos
da Verdade. Ou seja, para obter conhecimento eu preciso ir ao que é perfeito em Verdade. Por isso,
o que o homem conhece é Deus quem revela.

36
Toda verdade vem de Deus e quando eu escuto a verdade, eu estou tendo um relacionamento com o
próprio Deus. O conhecimento verdadeiro vem de um relacionamento com Deus. A verdade não é
acidental – é essencial e pessoal!

§ Quando você nega a verdade, você nega a Deus

§ Quando você trata a verdade de qualquer maneira, você está tratando Deus de qualquer
maneira

§ Quando você viola a verdade, você viola a Deus

ROMANOS 1:18, Bíblia Viva
18 Deus, entretanto, mostra do céu a sua ira contra todos os homens pecadores,
maldosos, que repelem a verdade.

Jesus é a perfeita revelação de um Deus pessoal, imanente, e a fonte de todo conhecimento e
verdade.

JOÃO 8:31-32
31 Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na
minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos;
32 e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

A verdade que é conhecida mas é repelida tem consequencias devastadoras:

ROMANOS 1:21-22, Bíblia Viva
21 Sim, eles bem sabiam de Deus, mas não admitiram, nem O adoraram, nem
mesmo agradeceram a Ele todo o seu cuidado diário. E, depois, começaram a fazer
idéias tolas de como Deus seria e o que Ele queria que eles fizessem. O resultado foi
que suas mentes insensatas ficaram confusas e em trevas.
22 Dizendo-se sábios sem Deus, tornaram-se em vez disso completamente tolos.

SALMOS 14:1-2, Bíblia Viva
1 O HOMEM QUE DIZ: "Deus não existe! ", é completamente louco. O resultado dessa
idéia errada é a perda da moral. Quem acha que Deus não se importa com nossa
vida é incapaz de fazer coisas boas e certas.
2 Lá do Céu o Senhor olha para a humanidade, procurando alguém que compreenda
seus planos, procurando alguém que deseje comunhão com Ele.

PROVÉRBIOS 1:7, NVI
7 O temor do Senhor é o princípio do conhecimento, mas os insensatos desprezam a
sabedoria e a disciplina.

2 TIMÓTEO 3:7, NVI
7 Elas estão sempre aprendendo, mas não conseguem nunca de chegar ao
conhecimento da verdade.

Com relação à Seres Morais, a veracidade significa inerrância, infalibilidade e confiabilidade.
Infalibilidade significa que não é passível de erro. Inerrância significa que, de fato, Deus não ensina
como verdade algo que não seja a verdade. O resultado é a confiabilidade: podemos confiar
totalmente em Deus.

37
O atributo da verdade então é o atributo da natureza divina que faz com que Deus se revele como
Ele é, não podendo mudar com as situações. Ele é o que Ele é! É por isso que podemos dizer que Ele
é fiel, porque uma vez proferida uma palavra, ela é a verdade, e não pode ser alterada.

PERFEIÇÃO E AMOR

O amor de Deus é o atributo da natureza divina que faz com que Deus se comunique e se dê. Por
“comunicar” e “dar-se”, não entenda simplesmente “falar” ou “conversar” mas é a revelação, a
oferta, a doação do que uma pessoa é para outra.

Por isso, vamos dar uma rápida olhada no que o amor não é:

1) O amor essencial de Deus (que Deus já tinha antes de nós existirmos) não deve ser confundido
com o Seu amor, misericórdia e bondade com relação à humanidade que Ele criou.

É imperativo que você entenda quem Deus é (à parte, por um momento, do que Ele faz). Deus é
amor não importando o que aconteça. Quando Deus corrige e disciplina, Ele coloca o amor de lado?
Quando alguém é sentenciada ao inferno, será que Deus esqueceu de amar aquela pessoa?

1 JOÃO 4:16
16 Assim conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos nesse amor. Deus
é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele.

2) Amor não é o atributo de Deus que inclui todas as coisas.

Isso quer dizer que só o amor seja suficiente, porque Deus não age somente com base no amor. Ele
age com base na plenitude do que Ele é. Ele não pode olhar para você pecando e dizer, “eu te amo
tanto que não posso te condenar”.

Porque Deus ama Seu povo, Ele tem que lidar com seus pecados. E a remissão do pecado pede por
justiça. Se não entendermos isso, acabaremos com nossas consciências “calterizadas” pelo pecado
dizendo, “bem, Deus me ama mesmo. Então pecar nisto ou aquilo não fará diferença”.

A VERDADE e a SANTIDADE governam e determinam a natureza do amor de Deus. O amor de Deus
é governado e limitado pela verdade e pela santidade. Deus só consegue amar aquilo o que é
verdadeiro e santo e só pode fazer o que é reto, não importando o quanto Ele nos ame. O amor de
Deus pela verdade gera Nele uma aversão pelo pecado. Ele não ama o pecado porque a verdade em
Si define e modifica e qualifica Seu amor e por causa de Sua santidade.

Na Nova Aliança, DEUS CONTINUA SENDO SANTO. Seu padrão, seu nível não mudou. O que foi
alterado foi que a morte de Jesus na cruz como sacrifício feito de uma vez por todas, nos limpa e nos
purifica de todo pecado e injustiça. Temos acesso irrestrito a Deus. Já não há mais condenação para
os que estão em Cristo (Romanos 8:1). Mas Deus continua não suportando o pecado. Ele nos amou
enquanto ainda éramos pecadores, mas não podia se relacionar conosco por causa de Sua Santidade
e Verdade.

3) O amor de Deus não leva em consideração a pessoa, sem olhar para sua condição moral.

Por isso Deus não pode amar a satanás, porque o objeto do Seu amor é a verdade e a santidade.

Deus nem mesmo poderia, por causa do que dissemos acima, amar a humanidade decaída, mas o
fato é que desde antes da fundação do mundo, o cordeiro já havia sido sacrificado. Deus ama os
pecadores por causa do sacrifício de Jesus, Seu filho, a quem Ele ama desde a eternidade (desde
38
antes de você e eu existirmos – João 17:24; Mateus 3:17; Efésios 1:5-6; Colossenses 1:13; 1 João 4:9-
10). Ele ama os pecadores mas só pode se achegar àqueles que aceitaram este sacrifício e foram
santificados. Com base nisso, verdade é depositada dentro de nós para que possamos nos
comunicar e nos doar de volta para Deus.

ROMANOS 5:8
8 Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido
por nós, sendo nós ainda pecadores.

4) O amor de Deus não é uma afeição emocional que procede de um impulso.

Deus não ama porque Ele sente ou é movido por algum tipo de emoção. Por isso o seu amor é
descrito pelos gregos como Ágape.

§ Eros é movido pela atração física (Amor “sensual" - sensualidade)
§ Filos é movido por pessoas (Amor “emocional” – emocionalismo)
§ Storge é movido pelo “social” (Amor “social” – favoritismo)

Ágape é um amor incondicional motivado primariamente por um valor intrínseco daquele que ama
e não daquele que é amado. O que motiva Deus a amar não é o valor do homem, mas o próprio
Deus.

Vamos agora dar uma olhada no que o amor é:

1) O amor essencial de Deus é racional e voluntário, baseado em perfeita razão e vontade.

O amor de Deus é baseado na mente de Deus, porque Ele é auto-conhecedor, Ele faz escolhas
deliberadas de amar... não porque sente amar. O amor de Deus é uma escolha livre de vontade
própria e considerada. Amor então é uma escolha que é feita não da necessidade mas da
inteligência divina.

DEUTERONÔMIO 7:6-8
6 Porque tu és povo santo ao SENHOR, teu Deus; o SENHOR, teu Deus, te escolheu,
para que lhe fosses o seu povo próprio, de todos os povos que há sobre a terra.
7 Não vos teve o SENHOR afeição, nem vos escolheu porque fôsseis mais numerosos
do que qualquer povo, pois éreis o menor de todos os povos,
8 mas porque o SENHOR vos amava e, para guardar o juramento que fizera a vossos
pais, o SENHOR vos tirou com mão poderosa e vos resgatou da casa da servidão, do
poder de Faraó, rei do Egito.

No ato da criação, a motivação de Deus não foi a necessidade de se sentir completo. Ele foi motivado
pelo amor porque Ele já é completo! NÓS SOMOS OBJETOS DA DECISÃO, DA ESCOLHA DE DEUS EM
CRIAR UMA NOVA RAÇA DE SERES, À SUA IMAGEM E SEMELHANÇA, PARA QUE O SEU AMOR
PUDESSE FLUIR.

2) Porque o amor de Deus é racional, envolve a subordinação do elemento emocional à uma lei
maior: a verdade e a santidade

O que move Deus a amar não são sentimentos, mas a verdade e a santidade. Suas emoções tornam-
se apenas o conduíte pelo qual Ele se expressa. Por isso o amor de Deus nunca pode ir contra a
verdade e a santidade.


39
FILIPENSES 1:9
9 E também faço esta oração: que o vosso amor aumente mais e mais em pleno
conhecimento e toda a percepção,

A santidade nos permite nos achegarmos a Deus; a verdade nos permite nos relacionarmos com
Deus, entendendo quem Deus é em sua plenitude e respondendo com a verdade depositada e com
amor aumentado. Quanto mais verdade eu tenho dentro de mim, mais fácil fica escolher amar.

É por isso que amor pode ser “ordenado”, porque não está baseado nos sentimentos, mas na
escolha, com fundamentos no conhecimento da verdade e na vontade de Deus.

JOÃO 13:34
34 Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos
amei, que também vos ameis uns aos outros.

COLOSSENSES 3:19
19 Maridos, amai vossa esposa e não a trateis com amargura.

MATEUS 22:37
37 Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda
a tua alma e de todo o teu entendimento.

O amor de Deus irá arrear as emoções de Deus para fazer a vontade de Deus!

3) O amor como parte da essência de Deus requer um padrão perfeito encontrado em sua própria
santidade, assim como um objeto perfeito à imagem da sua infinita perfeição.

§ O padrão para o amor de Deus é a santidade de Deus.

§ O objeto pessoal do amor perfeito de Deus é a pessoa do Seu Filho.

JOÃO 3:35-36
35 O Pai ama ao Filho, e todas as coisas tem confiado às suas mãos.
36 Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde
contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.

JOÃO 17:22-25
22 Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como
nós o somos;
23 eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o
mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim.
24 Pai, a minha vontade é que onde eu estou, estejam também comigo os que me
deste, para que vejam a minha glória que me conferiste, porque me amaste antes da
fundação do mundo.
25 Pai justo, o mundo não te conheceu; eu, porém, te conheci, e também estes
compreenderam que tu me enviaste.

Nós recebemos o benefício do Seu amor porque estamos em Cristo. Se não estivermos em
Cristo, então a Verdade e a Santidade demandam justiça. Mas Deus continua sendo amor. A
justiça não é porque Deus não nos ama, mas pelo fato das pessoas não estarem em Cristo.

§ O que nos coloca em contato direto com a plenitude do fluir do amor de Deus é a nossa união
com Seu Filho porque Ele é Santo, Justo e Verdadeiro.
40
O amor de Deus é expresso em Cristo e através de Cristo. O que faz do amor ser algo pessoal
em sua vida é o seu relacionamento com o Filho amado de Deus. Se não estivermos em
Cristo, tudo o que receberemos é misericórdia e não a plenitude do que Ele é.

Como podemos receber a plenitude do amor de Deus? Nos tornando como Ele é. Em Cristo
nos tornamos JUSTIÇA DE DEUS. Por isso não podemos fazer o que quisermos e achar que
Deus concorda com tudo só porque Ele é amor. Se não estivermos em Cristo, o que nos
espera é a condenação.

EFÉSIOS 1:4-6
4 assim como nos escolheu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e
irrepreensíveis perante ele; e em amor
5 nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo,
segundo o beneplácito de sua vontade,
6 para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no
Amado,

1 CORÍNTIOS 1:30-31
30 Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus,
sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção,
31 para que, como está escrito: Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor.

1 JOÃO 5:12
12 Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a
vida.

MARCOS 16:16
16 Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.

4) O amor de Deus envolve a possibilidade do sofrimento por causa do pecado, o que é uma
demanda da justiça.

§ A santidade de Deus requer que todos sejamos julgados, mas o amor de Deus se movimenta
para nos salvar, apesar do sofrimento pelos nossos pecados.

HEBREUS 5:8-9
8 embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu
9 e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os
que lhe obedecem,

HEBREUS 13:12-13
12 Foi por isso que Jesus sofreu e morreu fora da cidade, ande o seu sangue lavou
os nossos pecados.
13 Portanto, saiamos a Ele, fora dos muros da cidade ( isto é, fora dos interesses
deste mundo, prontos a ser desprezados ), para sofrer com Ele ali e levar sobre nós
a sua vergonha.

§ Deus não poderia simplesmente “perdoar” porque a sua justiça tinha que ser “satisfeita”.

o Por “satisfação” eu quero dizer um termo legal, que fala de todos os termos da
obrigação em aliança sendo total e completamente cumpridos, isso é, o pagamento de
um débito ou a concretização de uma obrigação.

41
ROMANOS 6:23
23 porque o salário do pecado é a morte...

§ A justiça se faria “satisfeita” se todos nós fossemos julgados e mortos, mas o amor de Deus
pelo Seu Filho e aqueles Nele o moveu para encontrar esta satisfação em Si mesmo.

ROMANOS 8:32
32 Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou,
porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?

ISAÍAS 53:3-11
3 Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o
que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e
dele não fizemos caso.
4 Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou
sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.
5 Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas
iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras
fomos sarados.
6 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo
caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.
7 Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao
matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a
boca.
8 Por juízo opressor foi arrebatado, e de sua linhagem, quem dela cogitou?
Porquanto foi cortado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu
povo, foi ele ferido.
9 Designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas com o rico esteve na sua
morte, posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca.
10 Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua
alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a
vontade do SENHOR prosperará nas suas mãos.
11 Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo,
o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles
levará sobre si.

ROMANOS 6:23
23 porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida
eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.

PERFEIÇÃO E SANTIDADE

A santidade de Deus pode ser definida como “pureza auto-afirmada”. Isso quer dizer que Deus é
absolutamente, completamente e perfeitamente puro, porque Deus deseja e mantém sua própria
excelência moral eternamente (não é algo que lhe é dado).

A palavra “puro” significa algo que não é misturado ou adulterado com qualquer outra substância
ou material.

Deus é uma pessoa completamente separada de qualquer coisa que não tenha a mesma essência.
Ele é em sua essência Santo, e por isso, para que pudéssemos nos relacionar com Deus, Ele nos fez
santos, puros, imaculados, sem mistura com o pecado.

42
A palavra “santidade” aponta para o estado existencial de Deus, que não se conecta, ou se relaciona
com nada que não seja igual a si. Esta realidade determina e define tudo o que pode ou não se
relacionar com Deus.

1 JOÃO 1:5-7
5 Ora, a mensagem que, da parte dele, temos ouvido e vos anunciamos é esta: que
Deus é luz, e não há nele treva nenhuma.
6 Se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos
e não praticamos a verdade.
7 Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com
os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.

A raiz da palavra “santidade” significa “ser separado”. O substantivo palavra Grego HAGIASMOS
significa “santidade, consagração, santificação”.

Podemos ver duas ideias para a palavra Santidade:

§ Separado – R.C. Sproul diz, “Existe uma profunda diferença entre Ele e aqueles a quem Ele
criou. Quando a Bíblia fala de objetos santos ou povo santo, isso se refere a coisas que foram
separadas, consagradas ou diferenciadas pelo toque de Deus sobre elas. Foi a proximidade
com o divino que fez do normal algo extraordinário e do comum, incomum”.

§ Pureza – R.C. Sproul diz, “Deus é bom. Ele faz o que é certo e nunca faz o que é errado. Deus
não está manchado nem condescende com o pecado. Deus não tenta “ajustar-se” quando
algo errado lhe é proposto. Deus sempre age em retidão porque sua natureza é santa. Ele é
grande e bom”.

Jerry Bridges diz que “santidade é ser separado do pecado e, portanto, ser consagrado para Deus”.

Deus é o que Ele é. Ele não se tornou santo; Ele é essencialmente santo e puro!

ISAÍAS 6:1-3
1 No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime
trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo.
2 Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto,
com duas cobria os seus pés e com duas voava.
3 E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o SENHOR dos
Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.

APOCALIPSE 4:8
8 E os quatro seres viventes, tendo cada um deles, respectivamente, seis asas, estão
cheios de olhos, ao redor e por dentro; não têm descanso, nem de dia nem de noite,
proclamando: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que
era, que é e que há de vir.

Note que os anjos cantaram “santo, santo, santo”. Porque três vezes? A repetição em três na língua
Hebraica enfatiza a perfeição do que se repete. Deus é santo em Sua perfeição. Por isso, quando os
anjos quiseram revelar a perfeição no aspecto da santidade de Deus, não a poderiam falar apenas
uma ou duas vezes, mas três. Nenhum outro atributo de Deus é exaltado desta forma, somente a
santidade. Nisto eles estão afirmando o caráter completo de Deus. Nenhum verso diz, “amor, amor,
amor” ou “bom, bom, bom”. Deus é tudo isso, mas nenhuma outra palavra é usada para falar da
natureza da Deus neste nível: Ele é santo, santo, santo.

43
ISAÍAS 6:4-7
4 As bases do limiar se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de
fumaça.
5 Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros,
habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o
SENHOR dos Exércitos!
6 Então, um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, que
tirara do altar com uma tenaz;
7 com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua
iniqüidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado.

Para entender o que se passou aqui, volte um pouco na história e veja a morte do Rei Uzias em 2
Crônicas 26. Alguns pontos a considerar sobre Uzias:

§ No verso 5 diz que Ele se propôs a buscar ao Senhor, nos dias de Zacarias, ou seja, com a
ajuda espiritual deste homem de Deus, que era sábio nas interpretações das visões de Deus.
Uzias estava conectado ao ministério profético de Zacarias (que lhe era como um tutor
ou mentor), que em outras versões mais antigas (segundo o comentário de Albert Barnes)
diz assim: “Propôs-se buscar a Deus nos dias de Zacarias, que o instruía no temor do Senhor”.

§ No verso 10 podemos ver que tipo de líder ele era: tanto um guerreiro quanto um
fazendeiro. Era treinado tanto para guerrear contra os inimigos, mas também era
capaz de fazer coisas crescerem, ou seja, tinha a habilidade de ser frutífero e
produtivo.

§ Dos versos 11-15 vemos que Uzias era um homem que tinha consigo um exército de homens
bem preparados (NVI), treinados debaixo do seu comando, da sua direção (era um líder que
guiava – verso 13); ele era um líder que capacitava criativamente seus soldados (verso 14-
15); foi um homem a quem Deus ajudou.

Mas ele tentou fazer o que não havia sido chamado para fazer. Ele adentrou à esfera do que era
consagrado, feito para pessoas consagradas. Suas conquistas não te dão o direito para fazer o que
você quiser! Seu coração se exaltou, tornou-se orgulhoso e por isso ele foi atacado com lepra em sua
testa (o que aponta para a mente / coração), e por isso ele morreu.

Foi nesse mesmo ano que Isaías viu ao Senhor. Isaías era um jovem, de uma linhagem real, que
servia na corte do Rei Uzias. Como um oficial na corte real, Ele vivia sem preocupação alguma e em
segurança, em total confiança no Rei e nunca “precisando” buscar a presença do Senhor. Mas após a
morte do Rei, uma insegurança bate à porta. Isaías neste momento não sabe o que fazer, e foi isso
que o fez entrar no templo, na presença de Deus.

Ele vê Deus assentado sobre o trono, símbolo de poder e autoridade. Isso quer dizer que o Rei Uzias
poderia ter sido um rei poderoso, mas Deus continuava reinando sobre todo o universo.

Ele então percebe os anjos. Serafins, que com duas asas cobrem suas faces, com duas cobrem seus
pés e com duas voam. Eles cobriram suas faces porque não poderiam ver a santidade e majestade
de Deus e assim o faziam com temor e reverência. Veja Salmos 89:7. Vemos na Bíblia homens que
assim fizeram em temor e reverência: Abraão (Gênesis 17:3), Moisés (Êxodo 3:6) e Elias (1 Reis
19:13). Eles cobriram seus pés como sinal de humildade diante do Senhor, assim como é o ato de
“tirar as sandálias” como fez Moisés (Êxodo 3:5), como Josué ordenou ao povo (Josué 5:15), e como
Salomão aconselhou (Eclesiastes 5:1). Eles voavam com duas asas, o que representa que estavam
prontos para servir ao Senhor e prontos para executar suas ordens. Veja Salmos 103:20. Como já
44
vimos eles cantavam uma só coisa, “santo, santo, santo”! E a base do templo se movia à voz daqueles
que clamavam.

Neste texto podemos então ver quatro coisas:

1) Visão da santidade de Deus (6:1-4);
2) Visão do seu próprio pecado (6:5);
3) Visão do amor de Deus (6:6-7);
4) Visão do seu comissionamento (6:8).

A santidade de Deus nos compele a ver o que está de errado em nós. Uma vez que reconhecemos
isto, o amor de Deus tem liberdade para fluir. Ao aceitar o amor de Deus, há uma mudança de
mentalidade (de como nos vemos a nós mesmos) e por isso podemos ser comissionados para fazer
a obra do Pai. A santidade deve sempre nos encontrar primeiramente, em conjunto com o amor de
Deus.

Vejamos três coisas que santidade não é:

1) Santidade não é justiça/retidão.

§ Justiça/retidão é um atributo transitivo ou relativo de Deus com relação a seres morais. Isto
é fruto da santidade, mas não é igual a santidade.

§ Porque Deus é santo ele demanda justiça/retidão, mas não é isso que o faz santo.

A santidade de Deus não é dependente da santidade de seres criados.

2) Santidade não é a soma total de todos os atributos divinos.

§ Santidade não é tudo o que Deus é agregado, e que se perdesse uma das partes deixaria de
ser santo.

§ A santidade de Deus permeia e corre por todos os Seus atributos, mas não é a soma total de
todos eles.

§ Santidade é o estado do ser de Deus, é a realidade da existência de Deus.

Se Deus é santo e santidade é um estado de ser, então este deve ser também o nosso estado,
e não tentar fazer algo para adicionar a sua santidade. Você é santo porque você foi separado
para Deus, das trevas para a luz.

3) Santidade não é idêntica ou uma manifestação do amor

§ Amor é uma manifestação da santidade

§ Santidade regula o amor de Deus

Por exemplo, somos advertidos a não amarmos o mundo (sistema). Porque? Porque não
podemos amar o que não é santo, separado para Deus.

Sabendo que santidade pode ser definida como pureza auto-afirmada, vamos então olhar para três
componentes da definição de santidade.

45
1) Pureza de substância (Ele é 100% puro)

§ Deus é puro antes de qualquer desejo, não porque Ele deseja ser puro (Ele não decide ser
santo... Ele é!).

§ Não há nada fora de Deus que pertença a Deus, ou seja, Não há nada faltando em Deus.

§ Não há nada em Deus que não pertença a Deus (Ele é completo em Si mesmo).

2) Energia da vontade

§ A santidade de Deus não é uma qualidade morta, mas um atributo de um Deus pessoal, com
desejos. O centro de toda personalidade é a vontade. Seus desejos são santos.

3) Auto-afirmação

§ Santidade é desejo de Deus, e não algo que vem do exterior. Para Deus sua própria pureza é
o objeto eterno de sua auto-afirmação.

§ Deus, no relacionamento consigo mesmo é Pai Santo, Santo Filho e Santo Espírito.

JOÃO 17:11
11 Já não estou no mundo, mas eles continuam no mundo, ao passo que eu vou para
junto de ti. Pai santo, guarda-os em teu nome, que me deste, para que eles sejam
um, assim como nós.

LUCAS 1:35, NVI
35 O anjo respondeu: "O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Altíssimo a
cobrirá com a sua sombra. Assim, aquele que há de nascer será chamado santo,
Filho de Deus.

§ A santidade de Deus é o que move Deus a requerer que todos que são Seus sejam santos

LEVITICO 19:2
2 Fala a toda a congregação dos filhos de Israel e dize-lhes: Santos sereis, porque
eu, o SENHOR, vosso Deus, sou santo.

EFÉSIOS 1:4
4 assim como nos escolheu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e
irrepreensíveis perante ele; e em amor

1 PEDRO 1:15-16
15 pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos
também vós mesmos em todo o vosso procedimento,
16 porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.

46
Capítulo

TRÊS
________________________________________________

OS NOMES DE DEUS
________________________________________________

JEREMIAS 9:23-24
23 Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua
força, nem o rico, nas suas riquezas;
24 mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o
SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me
agrado, diz o SENHOR.

Na Bíblia Amplificada em inglês, “... em me conhecer e saber (pessoalmente e de forma prática,
diretamente discernindo e reconhecendo meu caráter)...

ISAÍAS 52:6
6 Por isso, o meu povo saberá o meu nome; portanto, naquele dia, saberá que sou
eu quem fala: Eis-me aqui.

Deus está sempre se revelando através dos seus nomes e Ele coloca grande importância nisto,
porque se você conhece os seus atributos e os nomes de Deus pessoalmente, de forma prática,
diretamente discernindo e reconhecendo quem Ele é, então você estará apto a reconhecer quem é a
fonte do que acontece ao seu redor.

A única maneira que podemos nos relacionar com Deus é através da revelação, ou seja, Deus se
revelando a nós que O buscamos. Muitas pessoas apenas ecoam o que ouvem outras pessoas
dizerem sobre sua revelação pessoal, ou mesmo através das Escrituras, mas não conseguem se
relacionar com Deus desta forma porque não têm revelação.

A Bíblia registra mais de trezentos nomes diferentes de Deus, e estes contêm uma rica revelação da
Sua pessoa e caráter – e também dos Seus propósitos para a humanidade.

Os nomes geralmente pouco importam para nós hoje. Estes são usados como meros “rótulos” para
diferenciarmos uma pessoa da outra. Mas sabemos que nos tempos bíblicos nomes eram muito
mais do que isso.

O QUE ESTÁ EM UM NOME?

Os nomes bíblicos são geralmente importantes. Parece que alguns pais tentaram expressar o
caráter de seus filho nos nomes que deram a eles. Os pais de Nabal, que significa “tolo”, não podem
ter ficado satisfeitos com seu filho – nem a esposa dele em 1 Samuel 25:25.

Posteriormente na vida, os nomes de algumas pessoas eram substituídos ou alterados para
combinar com seu caráter: no Velho Testamento, por exemplo, Abrão, Sarai e Jacó tornaram-se
Abraão, Sara e Israel. E no Novo Testamento, Simão e José foram também chamados de Pedro e
Barnabé.
47

Alguns nomes bíblicos refletem as circunstâncias do nascimento, como em Gênesis 10:25; 19:22 e
25:30. Outros são proféticos, como em Gênesis 25:26. A maioria dos nomes, contudo, indicam a fé
dos pais ao invés do caráter da criança.
Mas os nomes pelos quais Deus escolheu para Se fazer conhecido ao Seu povo não são coloridos por
nenhuma fraqueza, circunstância ou limitação humana. Os nomes de Deus são uma parte vital da
revelação pela qual Ele guia Seu povo ao conhecimento de Si mesmo.

O NOME DE DEUS É A PESSOA DE DEUS

Podemos ver que no Velho Testamento a frase “o nome de Deus” ou “o nome do Senhor” são usadas
frequentemente, apesar dos vários nomes com que Deus se revela.

Estas frases referem-se à revelação total de tudo o que é conhecido sobre Ele, envolvendo Sua
natureza gloriosa e seu caráter, ressaltando a manifestação prática ao Seu povo. Por exemplo:

§ “O nome do Senhor” foi proclamado a Moisés quando Deus passou diante dele e anunciou
Sua natureza – Êxodo 34:5-6

§ “Invocar o nome do Senhor” era adorá-lo como Deus – Gênesis 21:33; 26:25

§ “Esquecer Seu nome” significava afastar-se de Deus – Jeremias 23:7

§ “Usar o nome de Deus em vão” era afrontar Sua majestade divina – Êxodo 20:7

Na Bíblia, um nome nunca é um “rótulo”; ele é sempre a própria pessoa. Podemos ver esta realidade
entre o nome e o portador do nome quando falamos sobre morte sendo expressa por cortar o nome
(Josué 7:9), destruir o nome (Deuteronômio 7:24), retirar o nome (Números 7:24), apagar o nome
(2 Reis 14:27) e apodrecer o nome (Provérbios 10:7).

No Novo Testamento, podemos ver isso onde:

§ Jesus prometeu estar onde dois ou três se reunissem em Seu nome- Mateus 18:20

§ Ele ensinou Seus discípulos a orarem em Seu nome – João 14:13-14

§ Ele prometeu que o Pai daria em Seu nome – João 15:16; 16:23-24

§ Ele avisou que os discípulos seriam odiados por causa do Seu nome –Mateus 10:22

§ Ele garantiu uma recompensa abundante aos Seus discípulos por quaisquer coisas que eles
deixassem por amor ao Seu nome – Mateus 19:29

§ Pedro e João foram proibidos de pregarem em Seu nome – Atos 4:18; 5:28

§ Pedro e João se alegraram por terem sido dignos de sofrer por amor de Seu nome – Atos
5:41

§ Pregaram em Seu nome – Atos 10:43

§ A igreja era formada por todos que invocavam o nome – Atos 9:14; 21

§ Paulo expulsou um demônio no nome- Atos 16:18
48

§ Através dos milagres, o nome era glorificado – Atos 19:17

§ Quem quer que invocasse o nome era salvo – Romanos 10:13
O NOME REVELA A NATUREZA DE DEUS

Precisamos nos lembrar de que “o nome” reúne tudo que é conhecido acerca de uma pessoa; e que,
por isso, o uso do nome de Deus na Bíblia se refere à totalidade da natureza revelada de Deus. Isso
significa que o nome refere-se a Deus na plenitude eterna do poder, da santidade, da graça e do
amor infinitos, e assim por diante.

Os salmos ligam o nome de Deus com muitas ações autorrevelatórias, associando Seu nome com:

§ Sua justiça – Salmo 89:15-16
§ Sua fidelidade – Salmo 89:24
§ Sua salvação – Salmo 96:2
§ Sua santidade – Salmo 99:3
§ Sua bondade – Salmo 100:4-5
§ Sua misericórdia – Salmo 109:21
§ Seu amor – Salmo 138:2
§ Sua verdade – Salmo 138:2
§ Sua glória – Salmo 148:13

Na Bíblia, como já vimos no capítulo anterior, a palavra “santo” é a palavra que mais comumente se
associa ao nome de Deus; deste modo, trata-se de uma descrição primária da natureza de Deus.
Salmo 33:21; 103:1; 105:3; Ezequiel 36:21; 39:7.

TRÊS NOMES “RAÍZES”

Há três nomes “raízes” básicos de Deus. Todos os seus outros nomes divinos são estabelecidos
sobre um ou mais desses três nomes “raízes”.

1 | ELOHIM

No Velho Testamento, Deus é identificado mais de 2.500 vezes pela palavra hebraica Elohim. É
impossível saber exatamente o que a palavra Elohim significava originalmente, mas ela está
claramente associada com a ideia de “poder”, “força” e “autoridade”.

Em hebraico, Elohim é uma palavra no plural. Seu singular é El ou Eloha. Enquanto os plurais em
outras línguas identificam quantidade, como em mais de um, o plural em hebraico pode identificar
tanto quantidade quanto qualidade. Algo que tem um tamanho grande pode ser escrita no plural e
neste caso, Deus, como a grande força e autoridade é frequentemente escrita na forma plural,
Elohim. Todavia ela sempre leva um verbo no singular. Para seguir isto literalmente hoje, teríamos
de dizer, Deus, eles é forte”. Isso significa que o Velho Testamento dá um realce especial ao usar
Elohim deste modo, sugerindo a natureza.

Ao longo do Velho Testamento, aspectos particulares da natureza toda-forte, toda-poderosa, toda-
majestosa de Deus são reveladas ao acrescentar palavras hebraicas a Elohim ou a El. Por exemplo:

§ Elohim Qodesh: O santo (Josué 24:19; Isaías 57:15)
§ Elohim Tsur Yesha: A rocha da salvação (2 Samuel 22:47)
§ Elohim Tsur Israel: A rocha de Israel (2 Samuel 23:3)
49
§ Elohim Maoz: A força (Salmo 43:2)
§ Elohim Meleque: O rei (Salmo 44:4)
§ Elohim Olam: O eterno (Isaías 40:28)
§ Elohim Erets: O Deus de toda a terra (Isaías 54:5)
§ Elohim Magem: O escudo (Salmo 84:9)
§ Elohim Machseh Metsudah: O refúgio e fortaleza (Salmo 91:2)
§ Elohim Emeth: a verdade (Jeremias 10:10).
§ El Elion: O altíssimo (Gênesis 14:19)
§ El Roi: Aquele que tudo vê (Gênesis 16:13)
§ El Shaddai: O todo-poderoso (Gênesis 17:1)
§ El Kanna: O zeloso (Êxodo 20:5)
§ El Channum Rachum: Cheio de graça e misericórdia (Neemias 9:31)
§ El Gibbur: O poderoso (Neemias 9:32)
§ El Aman: O fiel (Deuteronômio 7:9)
§ El Emunah: O confiável (Deuteronômio 32:4)
§ El Chai: O vivo (Josué 3:10)
§ El Deah: Aquele que tudo sabe (1 Samuel 2:3)
§ El Yeshua: A salvação (Salmo 68:19)
§ El Moshaoth: O libertador (Salmo 68:20)
§ El Asah Pele: Aquele que faz maravilhas (Salmo 77:14)
§ El Shamayim: O celestial (Salmo 136:26)
§ El Tsaddiq: O justo (Isaías 45:21)

A raiz Elohim está inerente em todos esses nomes. Assim, por exemplo, quando Deus é citado no
Salmo 68:20 como El Yeshua, o Deus da salvação, isto significa que Sua salvação está cheia de força
e poder, ou seja, trata-se de uma salvação absoluta, irrestrita, ilimitada e toda-poderosa.

Podemos dizer que Elohim geralmente aponta para o poder transcendente de Deus, focando em Sua
natureza (Seu caráter) “além de tudo”. Nessas passagens Ele é visto como o Deus do céu e da terra
que fala ao povo principalmente através de sonhos e mensagens.

2 | YAHWEH (ou JEOVÁ)

Yahweh é o nome “comum” de Deus, e podemos considerá-lo como Seu primeiro nome, ou Seu
nome mais pessoal. É usado mais de 6.800 vezes no Velho Testamento, de Gênesis 2:4 a Malaquias
4:5.

Yahweh está ligado com o verbo “ser” (Hayah). A tradução mais literal seria “Aquele que traz à
existência o que existe”, o que nos diz que Deus se revela como Ele é, segundo a necessidade do Seu
povo.

ÊXODO 3:13-15
13 Disse Moisés a Deus: Eis que, quando eu vier aos filhos de Israel e lhes disser: O
Deus de vossos pais me enviou a vós outros; e eles me perguntarem: Qual é o seu
nome? Que lhes direi?
14 Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de
Israel: EU SOU me enviou a vós outros.
15 Disse Deus ainda mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR
(Yahweh), o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de
Jacó, me enviou a vós outros; este é o meu nome eternamente, e assim serei
lembrado de geração em geração.

50
Esta ideia é claramente vista no “EU SOU” de Jesus em João 6:35,51; 8:12; 10:7,9; 10:11,14; 11:25;
14:6; 15:1-5.

Semelhante a Elohim, vários aspectos são enfatizados ao juntar-se palavras hebraicas diferentes a
Yahweh. Assim por exemplo, Deus é citado como:
§ Yahweh Jireh – O senhor que supre (Gênesis 22:14)
§ Yahweh Rafa – O senhor que cura (Êxodo 15:26)
§ Yahweh Nissi – O senhor é vitória (Êxodo 17:15-16)
§ Yahweh M´qaddishkhem – O senhor que santifica (Êxodo 31:13)
§ Yahweh Shalom – O senhor que traz paz (Juízes 6:24)
§ Yahweh Sabaoth – O senhor dos exércitos (1 Samuel 1:3)
§ Yahweh Rohi – O senhor é pastor (Salmo 23:1)
§ Yahweh Tsidkenu – O senhor é justiça (Jeremias 23:6)
§ Yahweh Shammah – O senhor está presente (Ezequiel 48:35)

Yahweh geralmente sugere Sua presença e vontade pessoais, imanentes, tendendo a realçar os
aspectos “conosco” da sua presença. É Yahweh que pessoalmente vai ao encontro de suas
necessidades, e que é o próprio Deus nacional de Israel.

3 | ADONAI

Adonai é de longe o menos comum dos três nomes raízes de Deus. É usado cerca de 350 vezes no
Velho Testamento, sendo sempre traduzido como Senhor, como em Isaías 6:1.

Esta aponta para a autoridade única de Deus, mostrando que Ele é “Aquele que deve ser obedecido”.
Em Israel, os escravos, esposas e súditos usavam Adonai para identificar e endereçar seus mestres,
maridos e reis. Deste modo Adonai era o nome natural para usarem quando estavam falando com
ou sobre seu Deus.

No Velho Testamento, Adonai está frequentemente ligado com Yahweh ou com Elohim.

§ Adonai Yahweh aparece cerca de 200 vezes, tendo a tradução de “Senhor Deus”, como em
Gênesis 15:2 e Ezequiel 2:4.

§ Adonai está ligado com Elohim em cerca de quinze lugares, tendo tradução “Senhor Deus”,
como em Daniel 9:3.

§ Adonai, Yahweh e Elohim aparecem juntos somente em Amós 3:13 e 2 Samuel 7:28, onde
Davi testifica que “ó Senhor Deus, tu és Deus”; podemos parafrasear isto com, “ó meu
governante Yahweh, tu és o Deus todo-poderoso”.

As passagens que endereçam Deus somente como Adonai, enfocam o relacionamento pessoal que
as pessoas desfrutam com seu Senhor (seu dono, esposo e rei). Ele é sem dúvida pessoal e auto-
suficiente, mas também é “meu Senhor”.

TRÊS NOMES “TRONCO”

Temos considerado muitos dos nomes bíblicos de Deus que estão fundamentados em Elohim e
Yahweh, e quatro deles, no entanto, são usados com grande frequência. Podemos pensar neles
como nomes “troncos” que crescem à partir dos nomes raízes. Esses nomes revelam lados
fundamentais da natureza e caráter de Deus.

51
1 | YAHWEH SABAOTH – o Deus “poderoso” (ou “Senhor dos Exércitos”)

Deus é chamado de Yahweh Sabaoth aproximadamente 200 vezes na Bíblia. Esse nome indica que
Deus é o líder pessoal de um exército celestial grande e poderoso. É um nome militar que
demonstra que Deus é um grande líder. Ele revela o lado da Sua natureza que peleja batalhas,
derrota inimigos e estabelece um reino.

Esse nome é usado com maior frequência pelo Rei Davi, como em 1 Samuel 17:45, aparecendo mais
frequentemente nos livros de Samuel, Reis, Crônicas, Salmos e nos primeiros profetas que
ministraram quando Israel e Judá eram governados por Deus.

Vemos esse nome, por exemplo, em 2 Samuel 5:10; 6:2,18; 1 Reis 18:15; 1 Crônicas 11:9; Salmo
24:10; 46:7; 84:3; 89:8; Isaías 1:24; 6:3; 10:26; 13:13; 24:23; 29:6; 47:4; 51:15; Jeremias 10:16;
32:18; 51:14; Oséias 12:5; Naum 2:13; Sofonias 2:10; Ageu 2:7-9; Zacarias 9:15; 13:7 e Malaquias
3:10.

Muitos outros nomes expressam aspectos semelhantes do caráter militar de Deus. Por exemplo:

§ Força – Salmo 18:1; 59:9,17; 81:1; 92:15; 116:5; 129:4; Isaías 12:2; Jeremias 16:19;
Habacuque 3:19
§ Poderoso – Gênesis 49:24; Salmo 132:2; Isaías 49:26
§ Guerreiro – Êxodo 15:3; Sofonias 3:17
§ Estandarte – Êxodo 17:15
§ Triunfal e terrível – Deuteronômio 10:17
§ Espada marchante – Deuteronômio 33:29
§ Senhor da batalha – 1 Samuel 17:47
§ Glória e poder – 1 Crônicas 16:28
§ Valente – Salmo 24:8
§ Retribuição – Jeremias 51:56
§ Libertador – Salmo 18:2

2 | EL ELION – O Deus “protetor”

El Elion é geralmente traduzido como “o Altíssimo”, revelando o lado do caráter de Deus que serve
Seu povo ao fortemente protegê-lo de todo tipo de dano. Sugere uma altura e forças infinitas.

Esse nome é primeiramente usado em Gênesis 14:18 em conexão com Melquisedeque, que foi “um
sacerdote do Deus Altíssimo”, sendo então usado mais outras cinquenta vezes no Velho
Testamento.
O nome El Elion é usado, por exemplo, em Gênesis 14:18-22; Números 24:16; Deuteronômio 32:8;
Salmo 7:17; 21:7; 57:2; 82:6; 92:1 e Daniel 7:15-27.

Embora El Elion seja o nome menos comum dos quatros nomes “troncos”, alguns outros nomes de
Deus estão ligados a este aspecto da Sua natureza protetora que é a característica bíblica mais
comumente associada com o nome e a natureza de Deus. Vemos isto nesses nomes:

§ Escudo – Deuteronômio 33:29
§ Esteio – 2 Samuel 22:19
§ Rocha – 2 Samuel 23:3
§ Fortaleza – Salmo 18:2
§ Salvador – Salmo 24:5
§ Refúgio – Salmo 31:4
§ Protetor – Salmo 31:23
52
§ Abrigo – Salmo 43:2
§ Cidadela – Salmo 59:9-17
§ Torre forte – Salmo 61:3
§ Segurança – Salmo 61:2-6
§ Santuário – Isaías 8:13-14
§ Defensor – Isaías 51:22
§ Fortaleza – Jeremias 16:19

3 | EL QODESH – O Deus “perfeito”

Deus é chamado desta forma cerca de 60 vezes no Velho Testamento, sendo geralmente traduzido
como “o Santo” ou “o Santo de Israel”.

Deus revelou esta lado santo, “separado”, da Sua natureza em Levítico 11:44-45, e este nome básico
demonstra que Deus é separado da criação pela Sua natureza não criada, eterna, e Sua perfeição
moral. El Qodesh sugere que Deus não pode ser abordado por aqueles que são moralmente
imperfeitos.

Este nome aparece mais frequentemente em Levítico, Salmos, Isaías e Ezequiel, por exemplo:
Levítico 19:2; 20:26; 21:8; Salmo 71:22; 89:18; Isaías 1:4; 12:6; 29:23; 30:15; 43:3; 47:4; 49:7;
57:15; Jeremias 51:5; Ezequiel 39:7 e Oséias 11:9.

Vemos vários aspectos do “estado de separado” de Deus e sua “perfeição moral absoluta” nesses
nomes:

§ Juiz – Gênesis 18:25
§ Santificador – Êxodo 31:13
§ Nuvem – Números 9:15-21
§ Fogo consumidor – Deuteronômio 4:24
§ Fiel – Deuteronômio 32:4
§ Zeloso – Josué 24:19
§ Celestial – 2 Crônicas 20:6
§ Árbitro – Salmo 7:8
§ Justo – Salmo 11:7
§ Rei da glória – Salmo 24:8-10
§ Verdade – Salmo 31:5
§ Ilustre e majestoso – Salmo 76:4
§ Oculto – Isaías 45:15
§ Justo – Isaías 45:21

4 | EL SHADDAI – O Deus “provedor”

Em muitas versões antigas da Bíblia, El Shaddai é normalmente traduzido como “o Todo-poderoso”.
É difícil, contudo, justificar essa tradução pelo contexto em que ela é geralmente usada no Velho
Testamento.

Não é possível saber o significado original de El Shaddai ou sua derivação. Muitos mestres pensam
que essa palavra vem da palavra assíria para “montanha”, usando isto para justificar “Todo-
poderoso”. Outros, todavia, argumentam que ela se deriva da palavra aramaica para “derramar”;
enquanto que alguns salientam a semelhança de Shaddai com a palavra hebraica para “seio”.

53
A septuaginta – versão grega do Velho Testamento – traduziu El Shaddai como “o Suficiente”, e isto
faz um sentido excelente quando vemos que a palavra El shaddai é quase sempre usada no Velho
Testamento no contexto da extravagante aliança de provisão de Deus.

Esse nome “tronco” revela Deus com Aquele que tudo supre. Foi primeiramente usado em Gênesis
17:1-5, quando Deus se apresentou para Abraão e fez uma aliança, fornecendo-lhe uma grande
família. Foi usado cerca de cinquenta vezes no Velho Testamento, principalmente em livros como
Gênesis, Rute e Jó, os quais enfocam a questão da aliança de Deus.

Vemos El Shaddai, por exemplo, em Gênesis 28:3; 35:11; 43:14; 48:3; 49:25; Êxodo 6:3; Números
24:4; 24:16; Rute 1:20-21; Jó 5:17; 8:5; 21:20; 22:17; 27:10-13; 31:2; 33:4; Salmo 91:1; Ezequiel
1:24; 10:5.

O lado superior da natureza de Deus também é visto nestes nomes:

§ Provedor – Gênesis 22:14
§ Lâmpada – 2 Samuel 22:29
§ Criador – Jó 4:17
§ Bondade – Salmo 16:2
§ Cálice – Salmo 16:5
§ Conselheiro – Salmo 16:7
§ Luz – Salmo 27:1
§ Consolador – Isaías 51:12
§ Fonte – Jeremias 17:13

OUTROS NOMES “RAMOS”

Vimos que há três nomes “raízes” de Deus que aparecem milhares de vezes no Velho Testamento e
que enfatizam sua transcendência, imanência e autoridade. E examinamos os quatro nomes
“troncos” que revelam os lados fundamentais do Seu caráter. Também notamos cerca de noventa
nomes que estão ligados a estes sete, seja pela língua ou contexto que enfatizam aspectos da
natureza de Deus, e a maioria aparece somente uma ou duas vezes na Bíblia.

Existem ainda outros nomes divinos que aparecem cerca de doze vezes. Estes são: Deus do céu e da
terra (Gênesis 24:7; Josué 2:11); Juiz (Juízes 11:27; Salmo 7:11); Rei (Salmo 47:6; Jeremias 10:10);
Deus do teu pai (Gênesis 46:3; 1 Crônicas 28:9); Criador (Isaías 22:11; Jeremias 10:16); Rocha
(Salmo 18:2; 62:2); Zeloso (Êxodo 34:14; Naum 1:2); Deus de Israel (Êxodo 5:1; Juízes 5:3); Escudo
(2 Samuel 22:31; Salmo 115:9-11); Salvador (Isaías 43:3,21); Força (Salmo 59:9; Habacuque (3:19);
Deus vivo (1 Samuel 17:26-36; Daniel 6:20-26).

É claro que existem mais nomes (cerca de 200 deles) que aparecem somente uma ou duas vezes na
Bíblia, realçando aspectos particulares da natureza de Deus e não há espaço suficiente para
relacioná-los todos aqui, mas poderemos notar cada um deles quando os lermos nas Escrituras – e
podemos pedir a Deus para revelar este lado da Sua natureza em nossa experiência.

Devemos sempre nos lembrar que:
§ A natureza eterna, infinita e imortal de Deus significa que Ele é todos esses nomes, todo o
tempo.
§ Os vários nomes nos apresentam as diferentes facetas da Sua natureza, mas a frase “o nome de
Deus” envolve a todos.
§ Todos os nomes se aplicam igual e plenamente ao Pai, ao Filho e ao Espírito. Todas as três
pessoas compartilham do mesmo nome e natureza.
54
Capítulo

QUATRO
________________________________________________

A TRINDADE
________________________________________________

A doutrina da Trindade é uma das mais importantes na fé
cristã e ensina a unidade do Pai, Filho e Espírito Santo como
três pessoas, sendo um Ser Divino.

A palavra trindade não aparece nas Escrituras, mas o
conceito claramente sim. O pai da Igreja, Tertuliano (155-
220) foi o primeiro a usar a palavra trindade em um esforço
para resumir uma grande quantidade de verdades bíblicas.

Uma definição básica da trindade seria: a Trindade é um
Deus que existe eternamente como três pessoas distintas
– Pai, Filho e Espírito – que são plenamente e igualmente
Deus.

Quando usamos o vocábulo “Pessoa”, isso não significa que
Deus o Pai, ou Deus Espírito Santo se tornam seres
humanos. O que quero dizer é que cada membro da
Trindade pensa, age, sente, fala e se relaciona, porque são
pessoas e não forças impessoais.

Santa Trindade de Hendrick Van Balen


Deus existe como três pessoas, mas um Deus apenas, ou
seja, Deus o Filho, e Deus o Espírito Santo, têm exatamente a mesma natureza ou ser que Deus o Pai,
em todas as coisas. Quaisquer atributos que o Pai tenha, Deus o Filho, e Deus o Espírito têm
também. Portanto, Deus o Filho e Deus o Espírito Santo são também eternos, onipresentes,
onipotentes, infinitamente sábios, infinitamente santos, infinitamente amáveis, oniscientes. Eles são
coiguais, coeternos, um em essência, natureza, poder, ação e vontade.

Sabemos que esta é uma doutrina que expressa um mistério e com isso, os pais da Igreja
compreenderam, evidentemente, que estavam tratando de uma doutrina muito acima da
compreensão da mente humana e, ao formularem os credos, não tentaram explicar o mistério da
Trindade, mas apenas enunciá-lo o melhor possível, na linguagem que dispunham.

No Credo de Atanásio ele fala de, “venerar um só Deus na Trindade, e a Trindade na Unidade. Nem
confundindo as pessoas, nem dividindo a essência. Porque uma é a pessoa do Pai, outra a do Filho, e
outro do Espírito Santo. Mas uma é a divindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo; a Glória igual, a
Majestade coeterna. Tal como o Pai é, tal é o Filho e tal o Espírito Santo. O Pai incriado, o Filho
incriado, e o Espírito Santo incriado. O Pai ilimitado, o Filho ilimitado, e o Espírito Santo ilimitado. O
Pai eterno, o Filho eterno, e o Espírito Santo eterno... Todas as três pessoas são coeternas e iguais entre
si. Portanto, para que em todas as coisas... a Trindade em Unidade deve ser adorada...”

55
O Credo apostólico declara, “Creio em Deus, Pai, Todo-Poderoso, Criador do Céu e da terra / Creio
em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, o qual foi concebido por obra do Espírito Santo; nasceu
da virgem Maria; padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; ressurgiu
dos mortos ao terceiro dia; subiu ao Céu; está sentado à direita de Deus Pai Todo-poderoso, donde há
de vir para julgar os vivos e os mortos / Creio no Espírito Santo; na Santa Igreja Universal; na
comunhão dos santos; na remissão dos pecados; na ressurreição do corpo; na vida eterna. Amém.”

A melhor maneira e mais simples de definição que podemos dar sobre a Trindade é que Deus é um
em essência, e três em pessoa (ou personalidade). Então podemos dizer que:

§ O Pai é Deus;
§ O Filho é Deus; e
§ O Espírito Santo é Deus.

Mas ao mesmo tempo também podemos
dizer que:

§ O Pai não é o Filho ou o Espírito
Santo;
§ O Filho não é o Pai ou o Espírito
Santo;
§ O Espírito Santo não é o Pai ou o
Filho.

Deus é único em essência, mas triplo em
personalidade. Essa formulação pode nos
mostrar por que não há três deuses e por que
a Trindade não é uma contradição.

Algumas verdades com relação a isso então:

1. SÓ EXISTE UM DEUS

DEUTERONÔMIO 4:35
35 A ti te foi mostrado para que soubesses que o SENHOR é Deus; nenhum outro há,
senão ele.

DEUTERONÔMIO 32:39
39 Vede, agora, que Eu Sou, Eu somente, e mais nenhum deus além de mim...

SALMOS 86:10
10 Pois tu és grande e operas maravilhas; só tu és Deus!

ISAÍAS 43:10
10 Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, o meu servo a quem escolhi;
para que o saibais, e me creiais, e entendais que sou eu mesmo, e que antes de mim
deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.

ISAÍAS 45:5
5 Eu sou o SENHOR, e não há outro; além de mim não há Deus...

1 TIMÓTEO 1:17
56
17 Assim, ao Rei eterno, imortal, invisível, Deus único, honra e glória pelos séculos
dos séculos. Amém!

1 TIMÓTEO 2:5
5 Porquanto há um só Deus...
2. TODOS OS OUTROS DEUSES SÃO FALSOS E DEMONÍACOS

JOÃO 17:3
3 E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus
Cristo, a quem enviaste.

DEUTERONÔMIO 32:17
17 Sacrifícios ofereceram aos demônios, não a Deus; a deuses que não conheceram,
novos deuses que vieram há pouco, dos quais não se estremeceram seus pais.

1 CORÍNTIOS 10:20
20 Antes, digo que as coisas que eles sacrificam, é a demônios que as sacrificam e
não a Deus; e eu não quero que vos torneis associados aos demônios.

3. O PAI É DEUS

JOÃO 6:27
27 Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que subsiste para a vida
eterna, a qual o Filho do Homem vos dará; porque Deus, o Pai, o confirmou com o
seu selo.

1 CORÍNTIOS 8:6
6 todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem
existimos...

4. O FILHO É DEUS

JOÃO 1:1,14
1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
14 E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a
sua glória, glória como do unigênito do Pai.

JOÃO 8:58
58 Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade eu vos digo: antes que Abraão
existisse, EU SOU.

JOÃO 20:28
28 Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu!

ROMANOS 9:5
5 deles são os patriarcas, e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual
é sobre todos, Deus bendito para todo o sempre. Amém!

TITUS 2:13
13 aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande
Deus e Salvador Cristo Jesus,

1 JOÃO 5:20
57
20 Também sabemos que o Filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento
para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus
Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.

5. O ESPÍRITO É DEUS

Devemos notar que é importantíssimo apontarmos para o fato de que o Espírito não é uma
força impessoal, mas uma pessoa que pode ser entristecido (Efésios 4:30), resistido (Atos
7:51), e ultrajado (Hebreus 10:29).

2 CORÍNTIOS 3:17-18
17 Ora, o Senhor é o Espírito; e, onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.
18 E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória
do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como
pelo Senhor, o Espírito.

ATOS 5:3-4
3 Então, disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que
mentisses ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo?
4 Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder?
Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a
Deus.

6. ECOS DA TRINDADE EM GÊNESIS

GÊNESIS 1:1-2 com Hebreus 11:3 e João 1:1-3
1 No princípio, criou Deus os céus e a terra.
2 A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o
Espírito de Deus pairava por sobre as águas.

GÊNESIS 1:26
26 Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa
semelhança...

GÊNESIS 3:22
22 Então, disse o SENHOR Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós...

GÊNESIS 11:6-7
6 e o SENHOR disse: Eis que o povo é um, e todos têm a mesma linguagem. Isto é
apenas o começo; agora não haverá restrição para tudo que intentam fazer.
7 Vinde, desçamos e confundamos...

7. ECOS DA TRINDADE NA ENCARNAÇÃO DE CRISTO

ISAÍAS 48:16
16 Chegai-vos a mim e ouvi isto: não falei em segredo desde o princípio; desde o
tempo em que isso vem acontecendo, tenho estado lá. Agora, o SENHOR Deus (PAI)
me (FILHO) enviou a mim e o seu Espírito.

ISAÍAS 61:1 com Lucas 4
1 O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim (FILHO), porque o SENHOR (PAI) me
ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os
58
quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade
os algemados;

LUCAS 1:35
35 Rspondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo
(PAI) te envolverá com a sua sombra; por isso, também o ente santo (FILHO) que há
de nascer será chamado Filho de Deus.

MATEUS 3:16-17
16 Batizado Jesus (FILHO), saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o
Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele.
17 E eis uma voz dos céus (PAI), que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me
comprazo.

MATEUS 28:19-20
19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai,
e do Filho, e do Espírito Santo;
20 ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou
convosco todos os dias até à consumação do século.

ESSÊNCIA E PERSONALIDADE

Essência e personalidade não são a mesma coisa. A essência de Deus é o Seu Ser, ou seja, aquilo o
que Ele é. E isso já vimos quando falamos sobre QUEM É DEUS. A personalidade, em relação à
Trindade está ligada ao fato dos três terem um centro distinto de consciência, cada um deles se
tratando como “Eu”, ao eu demais como “você” ou “vocês / Eles”. Todas essas três pessoas
“consistem” da mesma “matéria” (ou seja, o mesmo “o que”, ou essência). Como o teólogo e
apologista Norman Geisler explicou, enquanto essência é “o que” você é, pessoa é “quem” você é.
Então, Deus é um “o que”, mas três “quem”.

§ “Substância” ou “essência” é o que os membros da Divindade têm em comum, aquilo em que
os atributos e poderes da Divindade são inerentes; “pessoa” é portanto aquilo em que
diferem, tendo centros de conhecimento, consciência e vontade à parte, mas mutuamente
relacionados entre si.

Assim, a essência divina não é algo que existe “acima” ou “separada” das três pessoas, mas a
essência divina é o ser das três pessoas. Não devemos pensar nas pessoas como seres definidos por
atributos acrescentados ao ser de Deus.

§ Essa essência é indivisível, apesar do conhecimento, consciência e da vontade ser pessoal de
cada um. Eles possuem, portanto, os mesmos atributos e poderes, sabedoria, santidade,
justiça, bondade e verdades infinitos,

§ Trabalham em conjunto, cooperando com harmonia e união perfeitas e por isso podemos
dizer que têm um só vontade e mente. Portanto, a vontade, a consciência e o conhecimento
não são três como se fossem individuais, mas dependentes, exercida para honra e glória e
felicidade dos outros.

Wayne Grudem explica: “Mas se cada pessoa é plenamente Deus e tem todo o ser divino, então
tampouco devemos pensar que as distinções pessoais são alguma espécie de atributos acrescentados
ao ser divino... Em vez disso, cada pessoa da Trindade tem todos os atributos de Deus, e nenhuma das
pessoas tem algum atributo que não seja também possuído pelas outras. Por outro lado, precisamos
59
dizer que as pessoas são reais, que não são apenas modos diferentes de enxergar o ser único de Deus...
a única maneira de fazê-lo é dizer que a distinção entre as pessoas não é uma diferença no “ser”, mas
sim uma diferença de “relações”. Trata-se de algo bem distante da nossa experiência humana, na qual
cada “pessoa” distinta é também um ser distinto. De algum modo o ser divino é tão maior que o nosso
que dentro do seu ser único e indiviso pode haver um desdobramento em relações interpessoais, de
forma tal que existam três pessoas distintas”. (Grudem, p.187-188.).

1. Deus é um em essência, mas isso não quer dizer que apenas uma pessoa da Trindade é
Divina

Deus é três em personalidade e todas as três pessoas são Deus (o Pai, o Filho e o Espírito
Santo). Heresias do passado que desafiaram a divindade dos membros da Trindade incluem:

§ Adocionismo ou adocianismo, professa que Jesus nasceu humano, tornando-se
posteriormente divino por ocasião do seu batismo, ponto em que foi adotado como
filho de Deus.

§ Ebionismo (do hebraico Evyonim, "pobres"), ensinava que Cristo tinha apenas uma
natureza divina, capacitada pelo Espírito Santo.

§ Unitarismo ou unitarianismo, que afirma a unipersonalidade de Deus, negando a
divindade de Cristo e do Espírito Santo.

Mas a Bíblia nos ensina que os três membros da Trindade são Deus: Isaías 63:9-14; Mateus
3:16-17; 28:19: João 14:16-17; 1 Coríntios 12:4-6; 2 Coríntios 13:13; Efésios 4:4-6; 1 Pedro
1:1-2; Apocalipse 1:4-6.

a. O Pai é Deus: Mateus 6:9; 1 Coríntios 8:6; Efésios 3:14-15

b. O Filho é Deus: João 5:18; 10:30,33; Romanos 9:5; 1 Coríntios 8:6; Colossenses 2:9;
Hebreus 1:3.

c. O Espírito Santo é Deus (Gênesis 1:2; Salmos 139:7; Atos 5:3-4; 1 Coríntios 12:11;
compare Hebreus 3:7-11 com Salmos 95:7-11, onde o Senhor está falando).

2. Deus é um em essência, mas isso não quer dizer que a Trindade é apenas uma pessoa,
meramente mostrando três modos ou aspectos de Si mesmo.

Deus é três em personalidade e todas as três pessoas (o Pai, o Filho e o Espírito Santo) são
pessoas distintas ao invés de manifestações de muitos aspectos de uma só pessoa. Heresias
do passado que desafiaram a distinta personalidade dos membros da Trindade incluem:

§ Sabelianismo (também conhecido como modalismo, monarquianismo modalista ou
monarquianismo modal) é a crença não-trinitária de que o Deus Pai, Deus Filho e o
Espírito Santo são diferentes "modos" ou "aspectos" de um Deus único percebido
pelo crente ao invés de três pessoas distintas de Deus.

§ Docetismo é a noção de que Cristo apenas parecia real e era na realidade um fantasma
representando os planos do Pai.

A Bíblia nos ensina que todos os três membros da Trindade são pessoas distintas:

a. O Pai é uma pessoa única (distinto do Filho) – Daniel 7:13
60

b. O Filho é uma pessoa única (distinta do Pai) – Hebreus 10:7 com Salmos 40:78

c. O Espírito Santo é uma pessoa única (pois age como uma pessoa distinta) – Romanos
8:26

3. Deus é três em personalidade, mas isso não quer dizer que existe uma inferioridade
ou disparidade de status, atividade ou substância entre os membros da Trindade.

Deus é um em essência e todos os três membros da Trindade (o Pai, o Filho e o Espírito
Santo) são coiguais, coeternos, e parceiros da mesma substância em uma essência. Heresias
do passado que desafiaram a coigualidade dos membros da Trindade incluem:

§ Subordinacionismo, que afirma que tanto Cristo quanto o Espírito são por naturezas
inferiores ao Pai e por isso subordinados a Ele.

§ Arianismo, que ensina que Cristo não é totalmente igual ao Pai em divindade.

A Bíblia nos ensina que todos os três membros da Trindade são parceiro coiguais da mesma
essência:

a. Todos eles possuem uma parte plena e igual do status de Deus – Mateus 28:19-20

b. Todos eles possuem uma parte plena e igual da função eterna de Deus – Gênesis 1:26

c. Todos eles possuem uma parte plena e igual da substância de Deus – 2 Coríntios
13:14

PAPÉIS NA TRINDADE

A maioria das pessoas quando dizem a palavra “Deus”, na realidade não sabem de quem estão
falando, mas se referem ou a divindade como um todo (Pai, Filho e Espírito Santo), ou se referem a
Deus, o Pai. Quando alguém levanta uma pergunta sobre o Deus do Cristianismo, podemos
perguntar, “Deus quem”? Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo ou a Divindade como um todo.
Isso porque os papéis de um para outro são diferentes.

A descrição dos papéis do Pai, do Filho e do Espírito Santo com relação ao PLANO DE DEUS para
nossas vidas pode ser visto desta maneira:

a. O Pai é o AUTOR do plano – 1 Coríntios 8:6a; Efésios 1:11; Apocalipse 4:11

b. O Filho é o EXECUTOR do plano – João 1:1-3; 5:30; 1 Coríntios 8:6b; Hebreus 1:2-3

c. O Espírito Santo é aquele que REVELA e ADMINISTRA o plano – Isaías 11:2; Zacarias 4:6;
João 14:26

As escrituras têm muito a falar sobre como Deus trabalha na história humana, e, de forma específica
ao nosso tópico, que papel os membros individuais da Trindade têm nesta obra. Já vimos quando
falamos sobre os nomes de Deus que estes se aplicam a todos os membros da Trindade, mas
podemos passar a ver algo mais, com uma revelação mais ampla da Trindade no Novo Testamento,
os nomes Pai, Filho e Espírito Santo nos dão um entendimento mais claro dos papéis da Trindade.

61
EFÉSIOS 1:3-14
3 Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com
toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo,
4 (PAI) assim como nos escolheu nele antes da fundação do mundo, para sermos
santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor
5 nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo,
segundo o beneplácito de sua vontade,
6 para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no
Amado,
7 (FILHO) no qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados,
segundo a riqueza da sua graça,
8 que Deus derramou abundantemente sobre nós em toda a sabedoria e prudência,
9 desvendando-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito que
propusera em Cristo,
10 de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as
coisas, tanto as do céu, como as da terra;
11 nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o
propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade,
12 a fim de sermos para louvor da sua glória, nós, os que de antemão esperamos em
Cristo;
13 (ESPÍRITO) em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o
evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo
Espírito da promessa;
14 o qual é o penhor da nossa herança, ao resgate da sua propriedade, em louvor da
sua glória.

1. O Pai (a primeira pessoa da Trindade)

Origem: O termo para a paternidade de Deus, uma designação muito bem conhecida no Novo
Testamento também pode ser encontrado no Velho Testamento.


DEUTERONÔMIO 32:6,18
6 É assim que recompensas ao SENHOR, povo louco e ignorante? Não é ele teu pai,
que te adquiriu, te fez e te estabeleceu?
18 Olvidaste a Rocha que te gerou; e te esqueceste do Deus que te deu o ser.

Significado: O uso do termo “Pai” é claramente retirado da analogia de uma experiência
humana. Como o Pai que nos gerou, Ele é o nosso criador. Como um pai, Ele é nossa figura de
autoridade, de treinamento, de disciplina e de ensino (Hebreus 12:5-11). Também é aquele
que se importa conosco, que nos ama profundamente, que nos protege, nos mantém a salvo,
e deseja apenas o melhor para nós. Ele representa a ideia perfeita de paternidade.

§ Jabal foi o pai dos que habitam em tendas, e têm gado, e Jubal era o pai de todos os
que tocam harpa e órgão (Gênesis 4:20-21);

§ Abraão recebeu a promessa que seria o pai de uma multidão de nações (Gênesis
17:4);

§ Deus disse da nação: “Israel é meu filho, meu primogênito” (Êxodo 4:22), e a Salomão,
o Senhor podia dizer “Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho” (2 Samuel 7:14);

62
§ Falamos de alguém que nos mostrou o caminho da justiça e nos ajuda a chegarmos no
nosso destino como sendo nosso pai na fé;

§ Diz-se que George Washington é o pai da nação americana;
§ Os alemães falam de sua pátria como “terra Pai” e os ingleses da sua como “terra
mãe”.

Pessoa: Ele é referido como a primeira pessoa por causa do uso da primeira pessoa, por
causa de Sua autoridade, diretamente manifestando Sua vontade como Deus, criador e
governador do universo (Êxodo 3:14-15; Isaías 46:9-10), que envia o Filho e opera por seu
intermédio (João 17:8; Romanos 8:3; 1 Tessalonicenses 5:9; Romanos 5:1).

2. O Filho (a segunda pessoa da Trindade)

Origem: O termo se estabelece através da paternidade do Pai com relação a Jesus, o Filho
unigênito, encarnado, que aceitou temporariamente uma posição subordinada ao Pai.

JOÃO 1:18, ARC
18 Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, este
o fez conhecer.

Significado: Edificando sobre a ideia da paternidade de Deus, a filiação denota a ideia de um
relacionamento especial e inquebrável com o Pai, um de subordinação à vontade do Pai, mas
também de privilégio especial, de herança, coautoridade e principalmente, MESMA
NATUREZA, exprimindo as ideias de amor, confiança, honra, unidade e harmonia – ideias de
carinho e preciosidade. Um filho (de um rei) é muitas vezes mais acessível que um pai. Por
isso o papel de mediador entre o Rei e seus súditos só pode ser feito por alguém que está a
par tanto da vontade do Rei quando das necessidades dos súditos: apenas um Filho
(encarnado) pode ser enviado em tal missão de reconciliação (Mateus 21:33-40).

Pessoa: O Filho geralmente é referido como a segunda pessoa da Trindade, por causa de sua
acessibilidade a nós, aparecendo em carne para gerar um relacionamento conosco, em o
nome do Pai (João 15:14-15) e por sua “ordem”, visto que a redenção no plano de Deus se
manifesta subordinada e dependente do Pai.

Nas próprias palavras de Cristo, aquele que é enviado não é maior do que o que o enviou
(João 13:16) e na sua condição de humilhação, falando do ponto de vista da sua natureza
humana, ele podia dizer: “O Pai é maior do que eu” (João 14:28). Portanto, o Filho, que é
igual ao Pai em essência, se tornou, como que oficialmente, sujeito ao Pai.

3. O Espírito Santo (a terceira pessoa da Trindade)

Origem: Do primeiro capítulo do Velho Testamento (Gênesis 1:2) ao último capítulo do Novo
Testamento (Apocalipse 22:17), a palavra “espírito” é usada para fazer referência a Deus, o
Espírito Santo.

Significância: Tanto a palavra Ruach (Hebraico) quanto a palavra Pneuma (Grego) trazem o
significado de vento, sopro. O vento é uma força potente mas invisível. Pode ser algo suave
ou poderosa. E esta é a analogia para o Espírito Santo: Seu suporte invisível mas poderoso.
Ele é o elemento de vida da Divindade que se relaciona conosco (com nosso espírito), fala à
nossa consciência, purifica os nossos corações e nos dirige em caminhos retos.

63
Pessoa: O Espírito Santo é chamado de a terceira pessoa da Trindade, porque na aplicação da
redenção, vindo mais tarde no que diz respeito ao tempo, esta “ordem” do plano Divino
estava subordinada e dependente a do Pai e do Filho, sendo enviado pelo Pai e pelo Filho,
atua em nome deles, e revela tanto um como o outro, e glorifica, não a si, mas a Cristo.

Quando falamos da Trindade então, duas coisas devemos ter em mente: Sua essência (o que a
teologia classifica como TRINDADE IMANENTE) o que significa que o Pai, o Filho e o Espírito Santo
são os mesmos em substância , possuindo atributos e poderes idênticos e, portanto, são iguais em
glória – sua existência essencial à parte da criação; mas também devemos considerar sua função
com relação ao seu envolvimento com a criação e criatura (o que a teologia chama de TRINDADE
ECONÔMICA), se manifestando no mundo, como na criação, na redenção e santificação.

Como vimos um pouco mais acima, a descrição do plano de redenção, por exemplo, toma a forma de
um pacto, não só entre Deus e o Seu povo, como também entre as várias Pessoas dentro da
Trindade, de maneira que há, por assim dizer, uma divisão de tarefas, cada Pessoa tomando,
voluntariamente, determinada fase da obra.

Primeiro – Ao pai atribui-se, em primeiro lugar, a obra da criação. O Pai é, em geral, o autor
do plano de redenção.

Segundo – Ao Filho, atribuiu-se a obra de redenção, tomando a natureza humana, de forma
que, como Cabeça e Representante do Seu povo, pudesse, como seu substituto, assumir a
culpa e o pecado e sofrer o equivalente completo pela penalidade da morte eterna que sobre
estes pesava. Ele deu deste modo, plena satisfação às exigências da justiça, exigências estas
expressas nas palavras: “a alma que pecar, esta morrerá”, e “ salário do pecado é a morte”.
Pagou então a penalidade que pesava sobre estes e ganhou, para eles a salvação. Agindo
como Rei e Salvador, e também como Cabeça da Igreja, que ele vai assim formando, dirige o
Reino no seu progresso e está sempre presente com seu povo.

Terceiro – Ao Espírito Santo são atribuídas as obras de regeneração (novo nascimento) e de
santificação, ou a aplicação aos corações dos indivíduos, da expiação objetiva que Cristo
realizou. Ele faz isso renovando espiritualmente os corações, operando neles a fé e o
arrependimento, purificando-os de toda mancha do pecado.

A redenção, no sentido mais amplo, é então um assunto planejado pelo Pai, comprada pelo Filho e
aplicada pelo Espírito Santo. Se ainda quisermos fazer uma breve analogia com o Governo Federal,
temos três ramos, iguais e coordenados. Podemos dizer que as funções do Pai, ao planejar e criar o
mundo, ao ordenar as suas leis, e ao dar ao Seu Filho um povo, que devia ser redimido por Ele,
correspondem ao PODER LEGISLATIVO; que o Espírito Santo, pelo seu poder regenerador e
purificador, e pelo seu domínio das mentes humanas e das forças da natureza, corresponde ao
PODER EXECUTIVO; e que o Filho, dando-se a si mesmo, para satisfação da Justiça divina, e depois,
agindo como Juiz de todo o mundo, corresponde ao PODER JUDICIAL.

No entanto, ainda que obras especiais sejam atribuídas, essencialmente, a cada uma das três
Pessoas, a unidade existente dentro da Trindade é tão íntima, havendo uma única substância, e “um
só Deus”, que cada uma das Pessoas participa, até certo ponto, da obra dos outros.

JOÃO 14:9,11
9 ... Quem me vê a mim vê o Pai...
11 Crede-me que estou no Pai, e o Pai, em mim...

2 CORÍNTIOS 5:19
19 a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo
64

Podemos dizer que embora as esferas e funções das três Pessoas da Trindade sejam diferentes, não
são exclusivas. Aquilo que um faz, os outros participam, em vários graus de proeminência. A
verdade é que houve três grandes eras ou dispensações na história da redenção, correspondendo às
três Pessoas da Divindade e manifestando as mesmas, Pai, Filho e Espírito Santo sucessivamente.

§ a do Pai começou na criação e prosseguiu até o início do ministério público de Jesus;

§ a do Filho, compreendendo um período de tempo relativamente curto, sendo esse o período
importante em que se operou objetivamente a redenção, começou com o ministério público
de Jesus e prosseguiu até o dia de Pentecostes; e

§ a do Espírito Santo começou com a descida do mesmo sobre os discípulos, no dia de
Pentecostes, e continua até hoje.

Essa subordinação do Filho ao Pai, e do Espírito ao Pai e ao Filho, não diz respeito à sua vida
essencial, mas somente aos seus modos de operação, ou à sua divisão de tarefas na criação e
redenção. Assim como à vista de Deus, marido e mulher são duas metades de um todo, e nenhum
melhor do que o outro, mas com funções distintas e indispensáveis, assim também podemos dizer
do Filho e do Espírito com relação ao Pai. Por mais que o marido seja o “Cabeça” da mulher, e o que
quer que seja a relação secundária da esposa perante o marido, isso não tem necessidade de
significar, de modo algum, sequer a menor inferioridade da pessoa da esposa.

APLICAÇÃO
JOÃO 17:3
3 E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus
Cristo, a quem enviaste.

A revelação da Trindade é importante no que concerne à natureza do único Deus vivo e verdadeiro,
e suas atividades na salvação dos homens. O único objetivo do Evangelho é, sem dúvida, nos
conduzir ao conhecimento de Deus, gerando fé em nosso coração. O conhecimento de Deus Pai, a
fonte da redenção de Deus Filho que alcança a redenção, e de Deus Espírito Santo que aplica a
redenção, é a vida eterna.

A Trindade é extremamente importante porque Deus é importante. Conhecer mais completamente
a Deus é uma forma de honrá-Lo. Além disso, devemos admitir o fato de que Deus é triuno para
aprofundar nossa adoração. Nós existimos para adorar a Deus. E Deus busca pessoas que O adorem
“em espírito e em verdade” (João 4.24). Portanto, devemos sempre empenhar-nos em aprofundar
nossa adoração a Deus, tanto em verdade quanto em nosso coração.

A Trindade tem uma aplicação muito importante na oração. O padrão geral de oração na Bíblia é
orar ao Pai através do Filho e no Espírito Santo (Efésios 2.18). Nossa comunhão com Deus deve ser
reforçada por um conhecimento consciente de que estamos nos relacionando com um Deus tri-
pessoal.

A conscientização dos papéis distintos que cada pessoa da Trindade tem em nossa salvação, pode
servir especialmente para nos dar grande conforto e apreciação por Deus em nossas orações, assim
como nos ajudar a ser específicos ao dirigi-las a Deus. Porém, apesar de reconhecer os papéis
distintos de cada pessoa, nunca devemos pensar nesses papéis de forma tão separada que as outras
pessoas não estejam envolvidas. Pelo contrário, em tudo que uma pessoa está envolvida, as outras
duas também estão envolvidas, de uma forma ou de outra.
65
O QUE É UMA VIDA TRINITARIANA?

1. Deus é um

Isso nos fala da singularidade de Deus. Deus não precisava criar o homem porque estava se
sentindo só. Antes do mundo vir à existência, já havia uma comunhão eterna de amor na
Trindade. A criação do mundo é fruto do amor abundante e transbordante do Pai, do Filho e
do Espírito.

2. Salvação é pela graça

Apesar de sermos feitos à imagem e semelhança de Deus (da Trindade), não somos a
plenitude do Ser Divino, mas apenas uma representação de uma parte de quem Deus é. Por
isso, não temos em nós mesmos o poder para nos salvar e precisamos daquele que é o Todo-
Poderoso.

3. Devoção Trinitariana

Somos chamados para em tudo o que fizermos viver para a glória do Deus trino, e somos
convidados a imitá-lo de forma cada vez mais profunda. Toda a minha vida deve ser vivida
pelo Espírito, através do Filho, para o Pai.

Isso nos lembra da humildade da Trindade, que vive para exaltar as outras pessoas da
Divindade. O Espírito busca a glória do Filho. O Filho busca a glória do Pai. E a alegria do Pai
é buscar a glória do Filho e do Espírito. Quando vivemos para a glória de Deus somos
inseridos nessa comunidade de glória, onde Deus tem prazer em glorificar Seus filhos.

Com isso, entendemos e nos lembramos que a verdadeira devoção cristã é motivada pela
majestade e glória da natureza e caminhos de Deus, e não pelos benefícios que Deus pode
trazer à pessoa. Entendemos que devemos valorizar uns aos outros e não buscar nossos
próprios interesses.

ISAÍAS 58:1-4
1 Clama a plenos pulmões, não te detenhas, ergue a voz como a trombeta e anuncia
ao meu povo a sua transgressão e à casa de Jacó, os seus pecados.
2 Mesmo neste estado, ainda me procuram dia a dia, têm prazer em saber os meus
caminhos; como povo que pratica a justiça e não deixa o direito do seu Deus,
perguntam-me pelos direitos da justiça, têm prazer em se chegar a Deus,
3 dizendo: Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a
nossa alma, e tu não o levas em conta? Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos
vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho.
4 Eis que jejuais para contendas e rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando
assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto.

§ A transgressão (rebelião) do povo era que, de forma religiosa eles buscavam a Deus
(verso 2) mas o fazem por causa dos seus próprios interesses (verso 3) e quando o
fazem, isso gera contendas e rixas em quem é mais religioso, quem sabe mais, que é
mais espiritual, etc.

1 CORÍNTIOS 13:5
5 ... não procura os seus interesses...


66
FILIPENSES 2:20-21, VIVA
20 Não há ninguém que tenha esse interesse verdadeiro por vocês como Timóteo.
21 Cada um dos outros parece preocupar-se com os seus próprios planos, e não
com os de Jesus.

4. Vocação Comunal

Somos chamados para viver em comunhão, assim como a Trindade viver em Santa
Comunhão, em Santo Relacionamento.

Como uma comunidade cristã, somos chamados para refletir a comunhão que a Divindade
tem entre si, em coigualidade de essência, como filhos de um mesmo Pai, através do mesmo
sacrifício e sob o mesmo Espírito; mas submissos e autodoadores ao papel de outros dentro
de um plano designado por Deus.

§ A Deus

TIAGO 4:7
7 Sujeitai-vos, portanto, a Deus...

§ A homens (funções)

HEBREUS 13:17
17 Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles; pois velam
por vossa alma, como quem deve prestar contas, para que façam isto com
alegria e não gemendo; porque isto não aproveita a vós outros.

1 PEDRO 2:13
13 Sujeitai-vos a toda instituição humana por causa do Senhor, quer seja ao
rei, como soberano,

1 PEDRO 5:5
5 Rogo igualmente aos jovens: sede submissos aos que são mais velhos;
outrossim, no trato de uns com os outros, cingi-vos todos de humildade,
porque Deus resiste aos soberbos, contudo, aos humildes concede a sua
graça.

1 CORÍNTIOS 16:15-16, NVI
15 Vocês sabem que os da casa de Estéfanas foram o primeiro fruto da Acaia
e que eles têm se dedicado ao serviço dos santos. Recomendo-lhes, irmãos,
16 que se submetam a pessoas como eles e a todos os que cooperam e
trabalham conosco.

§ Uns a outros

GÁLATAS 5:13
13 Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade; porém não useis da
liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros, pelo
amor.

EFÉSIOS 5:21
21 sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.

67
- Somos dependentes uns dos outros

1 CORÍNTIOS 12:8
8 Porque a um é dada, mediante o Espírito, a palavra da sabedoria; e a
outro, segundo o mesmo Espírito, a palavra do conhecimento;

EFÉSIOS 4:25
25 Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo,
porque somos membros uns dos outros.

“A TRINDADE – uma oração puritana”
Extraído da edição de Arthur Bennet em “The Valley of Vision: A Collection of Puritan Prayers & Devotions”. Traduzido
por Vinícius Silva Pimentel

Três em Um, Um em Três, Deus da minha salvação,
Eu Te adoro como único Ser, única Essência,
único Deus em três Pessoas distintas,
por trazeres pecadores ao Teu conhecimento e ao Teu reino.

Ó Pai, Tu me amaste e enviaste Jesus para me redimir;
Ó Jesus, Tu me amaste e assumiste a minha natureza,
verteste o Teu próprio sangue para arrancar os meus pecados,
cumpriste a justiça para cobrir a minha desonra;
Ó Espírito Santo, Tu me amaste e entraste em meu coração,
lá implantaste a vida eterna,
revelaste a mim as glórias de Jesus.

Três Pessoas e único Deus, eu Te bendigo e Te louvo,
por amor tão imerecido, tão indizível, tão maravilhoso,
tão poderoso para salvar os perdidos e elevá-los à glória.

Ó Pai, eu Te agradeço porque em plenitude de graça
Tu me deste a Jesus,
para ser Sua ovelha, jóia, porção;
Ó Jesus, eu Te agradeço porque em plenitude de graça
Tu me aceitaste, me esposaste, me amarraste a Ti;
Ó Espírito Santo, eu Te agradeço porque em plenitude de graça
Tu revelaste Jesus como minha salvação,
implantaste fé dentro de mim,
conquistaste meu coração resistente,
fizeste-me um com Ele para sempre.

Ó Pai, Tu estás entronizado para ouvir minhas orações,
Ó Jesus, Tua mão está estendida para receber minhas petições,
Ó Espírito Santo, Tu estás pronto a me ajudar em minhas fraquezas,
a mostrar minha necessidade, a prover palavras, a orar dentro de mim,
a me fortalecer de modo que eu não desfaleça em minhas súplicas.

Ó Deus Triúno, que comandas o universo,
Tu me ordenaste pedir por essas coisas
concernentes ao Teu reino e à minha alma.
Faze-me viver e orar como alguém batizado no tríplice Nome.
68
Capítulo

CINCO
________________________________________________

DEUS, O PAI
________________________________________________

Em seu comentário do livro de João, Cyril de Alexandria (374-444; foi um dos pais da igreja
primitiva e bispo de Alexandria) afirma que “todas as coisas procedem do Pai, mas perfeitamente
através do Filho e do Espírito”. Portanto, a adoração cristã, o fruto da salvação, é uma obra de Deus
que começa com o Pai, é realizada pelo Filho, e é produzida pelo Espírito Santo. Adoração cristã é
uma comunhão com o Pai que consiste “na comunicação de Si mesmo a nós, como nosso retorno a
ele” (John Owen em Of Communion with God). O Pai é tanto a origem como o objeto da nossa
adoração, através de Jesus Cristo, pelo Espírito Santo. Quando o Pai é o objeto da nossa adoração, o
Filho e o Espírito não são diminuídos, mas de forma apropriada glorificados juntos com o Pai como
um. Desta forma, quando nos humilhamos pelo Espírito Santo, glorificando o nome de Jesus Cristo,
a quem o Pai “exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome” (Filipenses
2:9), é para a glória do Pai através do Filho, pelo Espírito.

Adoramos a um Deus que se revela em três pessoas. Veremos então no Novo Testamento a
revelação da paternidade de Deus, na pessoa de Deus, o Pai.

De Mateus 2:15 até Apocalipse 14:1, o entendimento de Deus como sendo essencialmente “o Pai”,
modela e afeta toda parte do Novo Testamento. O Velho Testamento caracteriza Deus como Pai em
apenas quatro passagens, enquanto no Novo Testamento Ele é chamado de Pai mais de 250 vezes.

NO VELHO TESTAMENTO

Algumas pessoas exageraram nas diferenças entre o Velho e o Novo Testamento, e deixaram de
notar a presença da paternidade de Deus no Velho Testamento também.

Podemos ver que o Velho Testamento claramente apresenta Deus como:

§ O Pai de Israel: Deuteronômio 32:6; Jeremias 3:4,19; 31:9

§ O Pai dos Israelitas: Isaías 63:16; 64:8; Malaquias 2:10

O que o Velho Testamento nos passa é que a paternidade de Deus está presente mas é apenas um
atributo Divino entre muitos outros. A paternidade de Deus não era básica para o entendimento
judeu, era, meramente, parte do seu senso geral de privilégio de ser o “Povo Escolhido”.

JOÃO 8:54
54 Respondeu Jesus: Se eu me glorifico a mim mesmo, a minha glória nada é; quem me
glorifica é meu Pai, o qual vós dizeis que é vosso Deus.




69
NO NOVO TESTAMENTO

Desde o início do Novo Testamento até o fim, a ideia de Deus como Pai é apresentada de forma
freqüente, ao ponto disto ter se tornado uma faceta central do cristianismo. Ele é chamado de Pai
em todos os livros (exceto em 3 João): Mateus 5:45; Marcos 8:36; Lucas 10:22; João 5:37; Atos 1:4;
Romanos 15:6; 1 Coríntios 1:3; 2 Coríntios 6:18; Gálatas 1:4; Efésios 3:14; Filipenses 4:20;
Colossenses 3:17; 1 Tessalonicenses 1:1; 2 Tessalonicenses 2:16; 1 Timóteo 1:2; 2 Timóteo 1:2; Tito
1:4; Filemon 1:3; Hebreus 1:5; Tiago 1:27; 1 Pedro 1:2; 2 Pedro 1:17; 1 João 1:2; 2 João 1:4; Judas
1:1; Apocalipse 3:5.

AS CARACTERÍSTICAS DO PAI

Do mesmo modo que a natureza de Deus no Velho Testamento é revelada ao acrescentar-se
palavras a Seus nomes raízes, assim também a paternidade de Deus no Novo Testamento é
qualificada para desenvolver Sua riqueza. Vemos por exemplo que Ele é:

§ O Pai, o Senhor do céu e da terra: Mateus 11:25

§ O Pai santo: João 17:11

§ O Pai justo: João 17:25

§ O Pai de Jesus Cristo: 2 Coríntios 1:3

§ O Pai das misericórdias: 2 Coríntios 1:3

§ O Pai da glória: Efésios 1:17

§ O Pai dos espíritos: Hebreus 12:9

§ O Pai das luzes: Tiago 1:17

Mais uma vez, precisamos reconhecer que a revelação bíblica sobre Deus é pessoal, e não
proporcional; relacional e não teórica.

O Novo Testamento não apresenta verdades abstratas sobre a paternidade de Deus, mas sim, revela
o Pai através dos Seus relacionamentos com Seus filhos – e especialmente através do Seu
relacionamento com Seu Filho padrão, Jesus, para que possamos conhecê-Lo de forma pessoal e
íntima, e não somente conhecermos verdades “sobre” Ele.

O Novo Testamento demonstra, por exemplo, que o Pai:

§ Possui glória e pode ser glorificado: Mateus 5:16; Marcos 8:38

§ É perfeito: Mateus 5:48

§ Recompensa: Mateus 6:1

§ Tudo vê: Mateus 6:4

§ Tudo sabe: Mateus 6:8; 1 Pedro 1:2

70
§ Perdoa: Mateus 6:14

§ Supre: Mateus 6:26; Tiago 1:17

§ Tem vontade: Mateus 7:21; 18:14

§ Responde à oração: Mateus 26:53
§ Opera através do batismo:Mateus 28:19

§ É misericordioso: Lucas 6:36

§ Ama: João 3:35; 14:23; 1 João 3:1

§ Merece adoração: João 4:21-23

§ Atua: João 5:17

§ Ressuscita os mortos: João 5:21

§ É a fonte de vida: João 5:26

§ Dá: João 6:32

§ Ensina: João 8:28

§ É um com Jesus: João 10:30

§ Supre graça e paz: Romanos 1:7

§ Deve ser agradecido: Colossenses 1:12

§ Disciplina: Hebreus 12:5-11

DEUS, NOSSO PAI

A fé cristã poderia ser essencialmente descrita como um “Movimento Paternal”. Este
relacionamento é essencial para nosso crescimento espiritual para nos relacionarmos com Deus
como “Abba, Pai”.

MATEUS 6:9
9 Vocês, orem assim: ‘Pai nosso, que estás nos céus! Santificado seja o teu nome.

Jim Packer em seu livro “Conhecendo Deus” escreve: “O conhecimento de Deus como Pai é o coração
da mensagem cristã. Pelo conhecimento de Deus ele não meramente significa conhecimento
intelectual, mas um conhecimento experimental – uma profunda percepção do que significa ter o Deus
do universo como nosso Pai. Se você quiser conhecer o quão bem uma pessoa entende o cristianismo,
pergunte a ela o quanto ele entende sobre ser um filho de Deus e ter Deus como seu Pai.”

1 JOÃO 3:1
1 Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: que fôssemos chamados filhos
de Deus, o que de fato somos! Por isso o mundo não nos conhece, porque não o
conheceu.
71

Mike Brickle em seu livro “Paixão por Jesus” diz, “Muitos cristão tem uma bagagem de ideias
contraditórias sobre a personalidade de Deus. E nossas ideias geralmente vem do nosso
relacionamento com as nossas figuras paternas terrenas. Se pensarmos nessas figuras de autoridade,
quem foram as que tiveram mais influência em nossa infância? Veremos que muitas das nossas
imagens de Deus estão conectadas com estas pessoas”.

Estas podem ser algumas descrições de pais terrenos da qual formamos nossas imagens de Deus
Pai:

§ Distante ou passivo
§ Autoritário
§ Abusivo
§ Ausente
§ Acusador

Assim como o céu está acima da terra, da mesma forma o amor de Deus por nós está acima de
qualquer padrão humano. O melhor pai sobre a face da terra não consegue representar de forma
precisa o amor de Deus. Não existe modelo humano adequado que possa nos dar uma figura do
coração paterno de Deus, e por isso Ele nos enviou Jesus.

O FILHO REVELA O PAI

A. Jesus veio para revelar o Pai à raça humana e para oferecer um relacionamento com Ele

JOÃO 14:7-9
7 Se vós me tivésseis conhecido, conheceríeis também a meu Pai. Desde agora o
conheceis e o tendes visto.
8 Replicou-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta.
9 Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido?
Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?

B. Jesus revelou a natureza de Deus como Pai que deseja ter intimidade com Sua família

JOÃO 20:17
17 Recomendou-lhe Jesus: Não me detenhas; porque ainda não subi para meu Pai,
mas vai ter com os meus irmãos e dize-lhes: Subo para meu Pai e vosso Pai, para
meu Deus e vosso Deus.

C. Jesus fez uma declaração impactante quando ele orou dizendo, “Pai nosso”: Não devemos
ficar distantes Dele. Mateus 6:9

2 CORÍNTIOS 6:18
18 serei vosso Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-
Poderoso.

UM DEUS PESSOAL

Deus é um ser pessoal (como já vimos) que deseja um relacionamento próximo e íntimo com Seus
filhos.


72
ISAÍAS 43:1-5
1 Mas agora, assim diz o SENHOR, que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não
temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu.
2 Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando, pelos rios, eles não te
submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.
3 Porque eu sou o SENHOR, teu Deus, o Santo de Israel, o teu Salvador; dei o Egito por
teu resgate e a Etiópia e Sebá, por ti.
4 Visto que foste precioso aos meus olhos, digno de honra, e eu te amei, darei homens
por ti e os povos, pela tua vida.
5 Não temas, pois, porque sou contigo...

Ele é o Deus sempre presente, que nunca nos deixará ou nos abandonará. Não estamos sós no
universo – um Deus pessoal está presente, desejando se relacionar conosco todos os dias.

ABBA, PAI

MARCOS 14:36
36 E dizia: Aba, Pai, tudo te é possível; afasta de mim este cálice; todavia não seja o que
eu quero, mas o que tu queres.

GÁLATAS 4:6
6 E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que
clama: Aba, Pai.

ROMANS 8:15
15 Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes com temor,
mas recebestes o espírito de adoção, pelo qual clamamos: Aba, Pai!

1) Fala sobre MUDANÇA DE STATUS

Nenhum escravo poderia chamar seu senhor de Abba (pai) e nenhuma escrava sua senhora
de Imma (mãe). Apenas os filhos podiam fazê-lo (Isaías 8:4, por exemplo). Somos agora
filhos de Deus (ROMANOS 9:29); povo de Deus (1 PEDRO 2:10); amigos de Deus (JOÃO
15:15).

2) Fala sobre NÍVEIS DE MATURIDADE:

Abba também expressa o desejo, como de uma criança pequena tentando chamar a atenção
de seu pai. É o choro por afeição e amor com a mais pura sinceridade, expressando sua
posição e posse. Posição por causa da condição do seu relacionamento; posse porque o filho
foi gerado e por isso ele pertence ao seu pai (e vice-versa). É uma palavra usada pelos
lábios de crianças e denota confiança sem reservas.

Pater é a segunda palavra usada por Jesus. Esta palavra revela não apenas o conhecimento
da ligação entre pai e filho, mas também revela um entendimento maior da responsabilidade
de alguém como filho. Dá a entender que fala de uma posição de maturidade e traz uma
mensagem de herança, pois o filho está preparado para trabalhar com o pai, lado a lado. Esta
palavra fala de uma apreensão inteligente do relacionamento.

3) Fala sobre QUEBRAR BARREIRAS:

A terceira e última relação é o fato de Jesus usar duas línguas diferentes, Hebraico e Grego.
Ele estava naquele momento quebrando a barreira entre gregos e judeus. Para o Pai, não
73
existe diferença entre os filhos naturais (o povo primeiramente escolhido) e os filhos
adotados. “pois por meio dele tanto nós como vocês temos acesso ao Pai, por um só Espírito.”
(EFÉSIOS 2:18, NVI).

A revelação de Abba toca a necessidade mais profunda no espírito humano e responde o porque
Deus nos criou. Somos convidados a andarmos em intimidade com Deus ao recebermos este
“abraço” do Pai. Isto nos capacita a aguentar as dificuldades e recusar as acusações de satanás
contra o Pai.

ENTENDENDO O CORAÇÃO DO PAI

A. O Pai nos abraça em amor e busca um relacionamento onde Ele possa compartilhar Seu
amor conosco. Devemos estar certos de que Ele se agrada da nossa presença mesmo em
nossas fraquezas.

§ O Pai conhece nossas fraquezas

SALMOS 103:14
14 Pois ele conhece a nossa estrutura e sabe que somos pó.

§ O Pai é paciente conosco

ROMANOS 2:3-4
3 Tu, ó homem, que condenas os que praticam tais coisas e fazes as mesmas,
pensas que te livrarás do juízo de Deus?
4 Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade,
ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento?

B. O Pai planeja e provê para o nosso bem

HEBREUS 12:6-10
6 porque o Senhor corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe.
7 É para disciplina que perseverais ( Deus vos trata como filhos ); pois que filho há
que o pai não corrige?
8 Mas, se estais sem correção, de que todos se têm tornado participantes, logo, sois
bastardos e não filhos.
9 Além disso, tínhamos os nossos pais segundo a carne, que nos corrigiam, e os
respeitávamos; não havemos de estar em muito maior submissão ao Pai espiritual
e, então, viveremos?
10 Pois eles nos corrigiam por pouco tempo, segundo melhor lhes parecia; Deus,
porém, nos disciplina para aproveitamento, a fim de sermos participantes da sua
santidade.

2 CORÍNTIOS 12:14
14 Eis que, pela terceira vez, estou pronto a ir ter convosco e não vos serei pesado;
pois não vou atrás dos vossos bens, mas procuro a vós outros. Não devem os filhos
entesourar para os pais, mas os pais, para os filhos.

MATEUS 6:32
32 Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe
que necessitais de todas elas;

74
C. O Pai deseja parceria com seus filhos

2 PEDRO 1:14
4 pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para
que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da
corrupção das paixões que há no mundo,
D. O Pai nos chama porque conhece nosso potencial e Seus planos para nós

ROMANOS 8:29-30
29 Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem
conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos
irmãos.
30 E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses
também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou.

E. O Pai nos treina sem nos envergonhar

Paulo, como pai espiritual revela o coração de Deus aos seus filhos na fé:

1 TESSALONICENSES 2:11-12
11 E sabeis, ainda, de que maneira, como pai a seus filhos, a cada um de vós,
12 exortamos, consolamos e admoestamos, para viverdes por modo digno de Deus,
que vos chama para o seu reino e glória.

1 CORÍNTIOS 4:14
14 Não vos escrevo estas coisas para vos envergonhar; pelo contrário, para vos
admoestar como a filhos meus amados.

EFÉSIOS 6:4, NVI
4 Pais, não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do
Senhor.

O AMOR DO PAI

A. O maior mandamento é amar a Deus com todo nosso coração. Esta deve ser a prioridade em
nossa vida.

MATEUS 22:37-38
37 Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda
a tua alma e de todo o teu entendimento.
38 Este é o grande e primeiro mandamento.

B. O Pai nos ama de todo seu coração. Quando Deus quer nos capacitar a amar Ele se revela
como aquele que nos ama.

1 JOÃO 4:19
19 Nós amamos porque ele nos amou primeiro.

C. Deus nos ama da mesma forma que Deus ama Deus. A medida do amor do Pai por Jesus é a
medida do Seu amor por nós. Esta é a maior afirmação do nosso valor para Deus. Isto dá o
direito a cada cristão de se ver como “o favorito de Deus”.

75
JOÃO 15:9
9 Como o Pai me amou, também eu vos amei; permanecei no meu amor.

JOÃO 17:22-23
22 Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como
nós o somos;
23 eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o
mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim.

1 JOÃO 3:1
1 Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados
filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos
conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo.

D. O objetivo primário de Deus é que cresçamos em amor.

APOCALIPSE 2:3-5
3 e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te
deixaste esmorecer.
4 Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor.
5 Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras
obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te
arrependas.

i. “Obediência baseada no amor” é a obediência que flui quando experimentamos o
amor de Jesus e respondemos a este amor. Esta é a forma mais forte de obediência, e
resulta em obediência profunda e consistente.

ii. “Obediência baseada em tarefas” é a obediência que não consegue experimentar a
presença de Deus.

iii. “Obediência baseada no medo / vergonha” é a obediência que flui do medo de ser
envergonhado ou de sofrer consequências negativas.

iv. Jesus glorifica o Pai porque Ele sabe que é amado e porque Ele responde em amor ao
Pai. Ao sabermos que o Pai nos ama, o glorificaremos e o honraremos de forma mais
consistente.

v. Recebemos então a revelação do Seu amor, e respondendo a Ele, permitimos que ela
transborde para outros.

JUDAS 21
21 Mantenham-se no amor de Deus...

§ Deus compartilha do Seu coração conosco não com base no Seu amor por nós, mas com base
na nossa fome por mais Dele (Mateus 5:6). Deus honra o valor que damos ao nosso
relacionamento com Ele nos dando ainda mais fome espiritual, mas Ele não nos ama mais
por isso.

§ É necessário esforço e foco para irmos mais a fundo em Deus.

§ Falsa religião apresenta um Deus mau... a vida sem o Pai é a essência do inferno.

76
§ Toda a nossa fé cristã depende do nosso conhecimento de Deus; e todo o propósito da nossa
fé é que possamos conhecê-Lo de forma mais precisa, mais íntima e mais pessoal. Se não
conhecermos o Pai, o Filho então morreu em vão.

UM PAI QUE É BOM
Em tudo isso podemos ver que o Pai é bom. Oswald Chambers diz que “a raiz do pecado é a suspeita
de que Deus não é bom”.

SALMOS 31:19, NVI
19 Como é grande a tua bondade, que reservaste para aqueles que te temem, e que, à
vista dos homens, concedes àqueles que se refugiam em ti!

A bondade de Deus foi reservada para nós e este é o momento em que nós, que cremos, devemos
acessar esta realidade, pois foi conferida a nós, PARA QUE TODOS POSSAM VER.

Nossa fé é a conexão com a bondade de Deus. Ele não está escondendo sua bondade. Ele está a
procura daqueles que estão dispostos a receber Sua bondade.

1 PEDRO 2:1-3
1 Despojando-vos, portanto, de toda maldade e dolo, de hipocrisias e invejas e de toda
sorte de maledicências,
2 desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para
que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação,
3 se é que já tendes a experiência de que o Senhor é bondoso.

1 PEDRO 2:1-3, VIVA
1 PORTANTO, libertem-se dos seus sentimentos de ódio. Não se finjam de bons! Acabem
com a falta de sinceridade e o ciúme, e parem de falar dos outros por trás.
2 Clamem por mais, como um bebê chora por leite. Comam a Palavra de Deus - leiam na,
pensem nela - e cresçam fortes no Senhor,
3 se vocês já experimentaram a retidão e a bondade do Senhor

A bondade de Deus é a Sua natureza e Ele age conforme o que Ele é. Sua natureza é o fundamento
para o nosso relacionamento com Ele. QUANTO MAIS O VIRMOS (EXPERIMENTARMOS) COMO UM
DEUS BOM, MAIS FÁCIL SERÁ RECEBER SUAS BENÇÃOS.

A bondade de Deus representa 3 coisas:

1. Tudo o que Ele É

SALMOS 34:1-8
1 Bendirei o SENHOR em todo o tempo, o seu louvor estará sempre nos meus lábios.
2 Gloriar-se-á no SENHOR a minha alma; os humildes o ouvirão e se alegrarão.
3 Engrandecei o SENHOR comigo, e todos, à uma, lhe exaltemos o nome.
4 Busquei o SENHOR, e ele me acolheu; livrou-me de todos os meus temores.
5 Contemplai-o e sereis iluminados, e o vosso rosto jamais sofrerá vexame.
5 Clamou este aflito, e o SENHOR o ouviu e o livrou de todas as suas tribulações.
7 O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem e os livra.
8 Oh! Provai e vede (EXPERIMENTE POR VOCÊ MESMO) que o SENHOR é bom; bem-
aventurado o homem que nele se refugia.

77
2. Tudo o que Ele TEM

SALMOS 31:19
19 Como é grande a tua bondade, que reservaste aos que te temem...
TIAGO 1:17
17 Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes,
em quem não pode existir variação ou sombra de mudança.

SALMOS 34:9-12
9 Temei o SENHOR, vós os seus santos, pois nada falta aos que o temem.
10 Os leõezinhos sofrem necessidade e passam fome, porém aos que buscam o
SENHOR bem nenhum lhes faltará.
11 Vinde, filhos, e escutai-me; eu vos ensinarei o temor do SENHOR.
12 Quem é o homem que ama a vida e quer longevidade para ver o bem?

§ Quando você busca um Deus bom, você recebe boas coisas!

3. Tudo o que Ele deseja FAZER para nós

JEREMIAS 29:11, VIVA
11 Quem sabe dos meus planos sobre vocês sou Eu mesmo! São planos de bem; não
são planos de sofrimento. Eu lhes darei aquilo que mais desejam: um futuro de paz
em sua própria terra.

§ Ele faz tudo conforme Sua natureza, conforme Ele é... GENESIS 1:4. Qual é o padrão
para Deus criar algo? Ele mesmo.

SALMOS 69:16
16 Responde-me, Senhor, pela bondade do teu amor; por tua grande misericórdia,
volta-te para mim.

EFÉSIOS 2:1-7
1 Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,
2 nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da
potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência;
3 entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa
carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da
ira, como também os demais.
4 Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou,
5 e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, —pela
graça sois salvos,
6 e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em
Cristo Jesus;
7 para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade
para conosco, em Cristo Jesus.

Se pensarmos na maior coisa que Deus possa fazer por nós, Sua grandeza excede. NÃO HÁ
LIMITAÇÕES NELE (Efésios 3:20).

SALMOS 100:1-5
1 Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras.
2 Servi ao SENHOR com alegria, apresentai-vos diante dele com cântico.
78
3 Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele quem nos fez, e dele somos; somos o seu povo e
rebanho do seu pastoreio.
4 Entrai por suas portas com ações de graças e nos seus átrios, com hinos de louvor;
rendei-lhe graças e bendizei-lhe o nome.
5 Porque o SENHOR é bom, a sua misericórdia dura para sempre, e, de geração em
geração, a sua fidelidade.

ATRIBUTOS DA BONDADE DE DEUS

ÊXODO 33:18
18 Então, ele disse: Rogo-te que me mostres a tua glória.

a. O que devemos entender como sendo a glória de Deus?


GLÓRIA em Hebraico é KAVOD (pronúncia, Tôov), H3519
Peso (figuradamente), esplendor (grande brilho, magnificência, pompa) ou
abundância (farto, abundante em palavras, exuberante), honra, honroso.


O sentido original da palavra “glória” é brilho intenso, clareza, resplendor. E deste
entendimento veio a significar honra, fama; e mais uma vez, o que torna algo honroso, ou
que demanda honra, ou fama, reverência, adoração – aquilo que é digno de confiança. A
glória de Deus é ESSENCIAL e DECLARATIVA.

§ A glória ESSENCIAL (ou inerente), significa que Ele é glorioso – Aquilo que em seu
caráter demanda honra e adoração.

§ A glória DECLARATIVA (ou atribuída), é a revelação, a manifestação, a glória do
seu caráter – sua glória essencial – à criatura: o reconhecimento de sua glória para
apreensão da percepção natural. E era isso que Moisés estava pedindo – que Deus
se revelasse à sua percepção natural, à sua mente para que ele pudesse conhecê-Lo
– tendo uma percepção e compreensão mais poderosa e mais clara de tudo o que
constitui Sua glória.

b. O que é importante na oração de Moisés?

i. O desejo de conhecer a Deus mais do que ele já conhecia... conhecer aquilo o que faz
Deus ser digno de honra e adoração.

ii. O desejo de ser completamente sujeito a este conhecimento – seu coração firmado na
confiança – ao ponto do seu coração nunca falhar em sua dependência do Senhor.

c. O que é importante na resposta de Deus?

ÊXODO 33:19
19 Respondeu-lhe: Farei passar toda a minha bondade diante de ti e te proclamarei o
nome do SENHOR; terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia e me compadecerei
de quem eu me compadecer.

ÊXODO 34:5-7

79
5 Tendo o SENHOR descido na nuvem, ali esteve junto dele e proclamou o nome do
SENHOR.
6 E, passando o SENHOR por diante dele, clamou: SENHOR, SENHOR Deus compassivo,
clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade;
7 que guarda a misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniquidade, a transgressão e
o pecado, ainda que não inocenta o culpado, e visita a iniquidade dos pais nos filhos e
nos filhos dos filhos, até à terceira e quarta geração!

ÊXODO 34:5-7, VIVA
5 O Senhor desceu na coluna de nuvem e se pôs perto de Moisés. Depois passou em
frente dele e declarou o sentido completo do Seu nome.
6 "Eu sou o Senhor, o Deus misericordioso e cheio de graça, " disse Ele. "Demoro para
ficar irado, mas o meu amor é grande, verdadeiro e constante. Eu, o Senhor, mostro
meu fiel amor até mil gerações de descendentes,
7 perdoando as maldades e os pecados deles. Mas não deixo sem castigo o culpado...

§ A frase “mas não deixa sem castigo o culpado”, pode significar o zelo do Senhor com
Sua própria natureza, ao revelar Sua glória, mas o sentido literal dela é “Na limpeza ele
não limpará”, implicando que o inocente perante Deus É INOCENTE... Ele não é visto
como pecador salvo. Um inocente ou uma pessoa santa nunca será tratada como se
fosse um transgressor por um Deus justo e santo.

O foco então não está no castigo do culpado (essa é a visão que o pecado quer que
tenhamos, de culpa, de medo), mas de podermos viver como inocentes, e sermos
tratados como tais... essa é a bondade de Deus.

Existe sim um salário do pecado que é a destituição da glória (Romanos 3:23) e que
nos afasta de Deus, de sua bondade (Isaías 59:2), mas Deus está pronto para perdoar
(Isaías 59:1), nos declarando “agora ‘sem culpa’ das ofensas que Lhe fizemos, se
confiarmos em Jesus Cristo, aquele que em sua bondade tira os nossos pecados
gratuitamente” (Romanos 3:24, Viva).


BOM em Hebraico é TOB (pronúncia, Tôov), H2896
Bonito, melhor, generoso, alegre, a favor, bem, feliz, bondade, prazer,
prosperidade, precioso, riqueza, pronto, bem-estar.


A glória de Deus é o peso dos Seus atributos morais, da Sua reputação, do Seu caráter,
encarnado na benção, na Sua manifestação, cheio do seu melhor, Sua bondade. A
MANIFESTAÇÃO DA PRESENÇA É A MANIFESTAÇÃO DA BONDADE E DO CARÁTER DE
DEUS.

i. Deus reconheceu o motivo de Moisés. Não era CURIOSIDADE, mas o desejo de cumprir
aquilo para o que Deus o havia chamado para fazer pelo povo.

ii. Nos mostra que a bondade de Deus está ligada aos seus propósitos e não aos nossos
desejos carnais.

DEUS É MISERICORDIOSO. Isso fala da sua COMPAIXÃO, como de um pai para com seus filhos. É
interessante como este atributo é colocado primeiro, porque é a “porta de entrada” no
relacionamento entre um Deus Todo-Poderoso e Sua criação sempre dependente.
80

JUÍZES 10:15-16
15 Mas os filhos de Israel disseram ao SENHOR: Temos pecado; faze-nos tudo quanto te
parecer bem; porém livra-nos ainda esta vez, te rogamos.
16 E tiraram os deuses alheios do meio de si e serviram ao SENHOR; então, já não pôde
ele reter a sua compaixão por causa da desgraça de Israel.

ISAÍAS 63:9
9 Em toda a angústia deles, foi ele angustiado, e o Anjo da sua presença (“Ele mesmo,
pessoalmente”, viva) os salvou; pelo seu amor e pela sua compaixão, ele os remiu, os
tomou e os conduziu todos os dias da antiguidade.

DEUS É CLEMENTE. Isso fala de GRAÇA, o que significa “inclinar-se em bondade a um inferior, para
o favorecer ou conferir algo conforme uma petição”. Isso nos mostra não somente que Deus tem
compaixão por seus filhos, mas uma satisfação em fazer-lhes bem, e isso de sua própria vontade e
não por alguma razão que venha da natureza humana. Isso nos ensina a não sermos somente
misericordiosos (“corações ternos”, VIVA), mas também sermos humildes (“mentes humildes”,
VIVA). 1 Pedro 3:8.

DEUS É LONGÂNIMO. Este é um lado da bondade de Deus que a maldade do pecado no homem
tenta tirar proveito. O povo de Israel do Velho Testamento sabe muito bem disso porque testaram a
paciência de Deus. Ele é longânimo, isso quer dizer, tardio para irar-se e com isso ele demora na
execução da Sua justiça, esperando para ser misericordioso e cheio de graça.

DEUS É ABUNDANTE EM AMOR E VERDADE. Isso traz a ideia de bondade abundante, acima do
nosso merecimento, conceito ou expressão. As fontes de amor estão sempre cheias, sempre fluindo,
suficiente para todos, para sempre (mil gerações – símbolo de eternidade). A base do seu amor é a
verdade de quem Ele é: Ele é amor; Ele é bom.

DEUS PERDOA. Ele perdoa ofensas de todos os tipos – iniquidade, transgressão e pecado. Como um
termo mais geral, “Pecado” engloba estes três tipos de ofensas, ou três aspectos do pecado. O que
devemos enfatizar é que o pecado não pode ser simplesmente reduzido a algo que fazemos somente
conosco ou contra nós. O pecado é, em todas as suas variantes e aspectos, fundamentalmente e
radicalmente contrário a Deus.

Hebraico Grego Português
Nasa’ (pronúncia, nasá) significa Afíemi traz o sentido de mandar Perdão
levantar, suportar, dar apoio, tirar, embora, expirar, desconsiderar,
tomar, remover. desistir de uma dívida, ir deixando
algo para trás (para morrer).


Hebraico Grego Português
Châtâ (pronúncia, rratá). Esta palavra Hamartía aparece cerca de 173 vezes Pecado
aparece cerca de 593 vezes no Antigo no Novo Testamento, sendo 48 só em
Testamento. É a Palavra mais comum Romanos.
para pecado

Quando falamos de Châtâ, estamos tratando de erros cometidos por causa da natureza do pecado
(fonte da ação, ou o elemento interior que produz os atos), mesmo que feitos em IGNORÂNCIA,
PRESSA, FALTA DE ATENÇÃO OU DESCUIDO. Para isso se fazia a Oferta pelo Pecado, que tratava da
POSIÇÃO DO PECADOR.

81
Hamartia também traz a idéia de um princípio ou poder que governa a pessoa, o que nos leva a
considerar a natureza do pecado.

SALMOS 19:12
12 Quem há que possa discernir as próprias faltas? Absolve-me das que me são ocultas.
§ Sua ignorância com relação ao que Deus deseja te leva a não participar do DESTINO
que Deus quer para você... isso na visão de Deus é um Erro, um pecado.

O SENTIDO PRINCIPAL DESTA PALAVRA (no sentido específico e não geral) é ERRAR.

1 JOÃO 1:8
8 Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a
verdade não está em nós.

§ “Se dissermos que não erramos”... Isso quer dizer que mesmo sendo novas naturezas,
ainda somos SUSCETÍVEIS ao pecado que “tenazmente nos assedia” (Hebreus 12:1).

1 JOÃO 5:18
18 Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele
que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca.

VIVA, Ninguém que passou a fazer parte da família de Deus faz do pecado um hábito,
pois Cristo, o Filho de Deus, resguarda-o com segurança, e o diabo não pode pôr as
mãos nele.

§ O problema é que se o erro PERSISTE... caímos no hábito do mesmo, o que nos faz,
eventualmente, ERRAR A MARCA, ALVO, DESTINO (Sair do caminho certo).

§ Seitas começam na verdade mas por causa da IGNORÂNCIA dos seus erros, acabam se
afastando da verdade.

OS EFEITOS DA IGNORÂNCIA:

EFÉSIOS 4:18
18 obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em
que vivem, pela dureza do seu coração,

1 PEDRO 1:14
14 Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente
na vossa ignorância;

ISAÍAS 5:13
13 Portanto, o meu povo será levado cativo, por falta de entendimento; os seus nobres
terão fome, e a sua multidão se secará de sede.

OSÉIAS 4:6-7
6 O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu,
sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas
sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me
esquecerei de teus filhos.
7 Quanto mais estes se multiplicaram, tanto mais contra mim pecaram; eu mudarei a
sua honra em vergonha.

82
DEUTERONÔMIO 32:28-29
28 Porque o meu povo é gente falta de conselhos, e neles não há entendimento.
29 Tomara fossem eles sábios! Então, entenderiam isto e atentariam para o seu fim.

§ New American Standard Bible (NASB), “A se eles fossem sábios, para que entendessem
isso, para que pudessem discernir o seu futuro”

- A ignorância nos leva ao erro de não conseguirmos perceber que estamos sendo
destruídos.

A CURA PARA A IGNORÂNCIA está na bondade de Deus, que está disponível a todos que desejam se
humilhar e se arrepender.

ATOS 3:17-19
17 E agora, irmãos, eu sei que o fizestes por ignorância, como também as vossas
autoridades;
18 mas Deus, assim, cumpriu o que dantes anunciara por boca de todos os profetas: que
o seu Cristo havia de padecer.
19 Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados,

ATOS 17:23,30-31
23 porque, passando e observando os objetos de vosso culto, encontrei também um
altar no qual está inscrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Pois esse que adorais sem
conhecer é precisamente aquele que eu vos anuncio.
30 Ora, não levou Deus em conta os tempos da ignorância; agora, porém, notifica aos
homens que todos, em toda parte, se arrependam;
31 porquanto estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio
de um varão que destinou e acreditou diante de todos, ressuscitando-o dentre os
mortos.

1 TIMÓTEO 1:12-17, VIVA
12 Sou muito grato a Cristo Jesus, nosso Senhor, por me ter escolhido para ser um de
seus mensageiros, e por me ter dado as forças para ser fiel a Ele,
13 embora eu costumasse zombar do nome de Cristo. Persegui de morte o seu povo,
causando-lhe todo o mal que podia. Mas Deus teve misericórdia de mim, porque eu não
sabia o que estava fazendo, pois naquele tempo ainda não conhecia a Cristo.
14 Como nosso Senhor foi bom, pois me mostrou como confiar nele e obter a plenitude
do amor de Cristo Jesus!
15 Como isto é verdadeiro, e como eu anseio que todo o mundo conheça isto: que Cristo
Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores - e eu era o maior de todos!
16 Mas Deus teve misericórdia de mim, de tal maneira que Cristo Jesus pode usar-me
como exemplo para mostrar a todos como Ele é paciente até mesmo com o pior dos
pecadores, a fim de que os outros compreendam que eles também podem ter a vida
eterna.
17 Glória e honra a Deus para todo o sempre. Ele é o Rei dos séculos, o Invisível que
nunca morre. Só Ele é Deus, e cheio de sabedoria. Amém.

Definições bíblicas de pecado:

§ Pecado é transgredir a lei (1 João 3:4, conforme Números 5:6)

§ Injustiça é pecado. Injustiça é a falta de prática da Nova Criatura (1 João 5:17, conforme
Romanos 6:13,18,20)
83

§ Falta de fé é pecado (Romanos 14:23; João 16:9; Salmos 78:32 conforme Deuteronômio
1:41)

§ O pensamento do tolo é pecado (Provérbios 24:9)

§ Omissão é pecado (Tiago 4:17 conforme Gênesis 20:9; Levíticos 5:1)

§ Ódio é pecado (Levíticos 19:17)

§ Pecado voluntário (Hebreus 10:26) e pecado por ignorância (Levíticos 4:2,13)

Hebraico Grego Português
Pesha’ (pronúncia, Peshér) significa Parábasis significa ir além; Transgressão
rebelião ou revolta; um desvio ultrapassar limites
voluntário, e portanto uma rebelião
contra o caminho de vida de Deus. É o ato de passar por cima ou ir além
Aparece 93 vezes no Antigo de qualquer lei ou regra do dever
Testamento. Alguns estudiosos moral; a violação de uma lei ou
pensam que esta é a palavra mais princípio conhecido de retidão;
forte para o pecado no Antigo violação de comando.
Testamento.

ROMANOS 5:14
14 Entretanto, reinou a morte desde Adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não
pecaram à semelhança da transgressão de Adão, o qual prefigurava aquele que havia de
vir.

1 TIMÓTEO 2:14
14 E Adão não foi iludido, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão.

§ Transgressão então significa violar aquilo que é exigido de nossa parte por Deus (algo
conhecido), atravessar uma linha proibida, rebelião, traição e a quebra de aliança.

ROMANOS 4:15
15 porque a lei produz a ira. E onde não há lei, não há transgressão.

Erros repetidos acabam se tornando rebelião, uma vez que cometidos em conhecimento e contra
uma lei determinada.

TIAGO 2:8-11
8 Se vós, contudo, observais a lei régia segundo a Escritura: Amarás o teu próximo
como a ti mesmo, fazeis bem;
9 se, todavia, fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, sendo argüidos pela lei como
transgressores.
10 Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado
de todos.
11 Porquanto, aquele que disse: Não adulterarás também ordenou: Não matarás. Ora,
se não adulteras, porém matas, vens a ser transgressor da lei.

ISAÍAS 24:5
5 Na verdade, a terra está contaminada por causa dos seus moradores, porquanto
transgridem as leis, violam os estatutos e quebram a aliança eterna.

84
Esta tem a ver não com a natureza do ofensor, mas com o ATO da ofensa. Para tal ofensa havia a
OFERTA PELA CULPA que cobria a necessidade do débito do pecado e desonra ao nome de Deus.

EFÉSIOS 2:1-6, NVI
1 Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados,
2 nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo e o
príncipe do poder do ar, o espírito que agora está atuando nos que vivem na
desobediência.
3 Anteriormente, todos nós também vivíamos entre eles, satisfazendo as vontades da
nossa carne (iniquidade), seguindo os seus desejos e pensamentos. Como os outros,
éramos por natureza merecedores da ira.
4 Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou,
5 deu-nos vida juntamente com Cristo, quando ainda estávamos mortos em
transgressões — pela graça vocês são salvos.
6 Deus nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez assentar nos lugares celestiais em
Cristo Jesus,

ROMANOS 5:14-21, NVI
14 Todavia, a morte reinou desde o tempo de Adão até o de Moisés, mesmo sobre
aqueles que não cometeram pecado semelhante à transgressão de Adão, o qual era um
tipo daquele que haveria de vir.
15 Entretanto, não há comparação entre a dádiva e a transgressão. Pois se muitos
morreram por causa da transgressão de um só, muito mais a graça de Deus, isto é, a
dádiva pela graça de um só homem, Jesus Cristo, transbordou para muitos!
16 Não se pode comparar a dádiva de Deus com a conseqüência do pecado de um só
homem: por um pecado veio o julgamento que trouxe condenação, mas a dádiva
decorreu de muitas transgressões e trouxe justificação.
17 Se pela transgressão de um só a morte reinou por meio dele, muito mais aqueles que
recebem de Deus a imensa provisão da graça e a dádiva da justiça reinarão em vida por
meio de um único homem, Jesus Cristo.
18 Conseqüentemente, assim como uma só transgressão resultou na condenação de
todos os homens, assim também um só ato de justiça resultou na justificação que traz
vida a todos os homens.
19 Logo, assim como por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos
pecadores, assim também, por meio da obediência de um único homem muitos serão
feitos justos.
20 A lei foi introduzida para que a transgressão fosse ressaltada. Mas onde aumentou o
pecado, transbordou a graça,
21 a fim de que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reine pela
justiça para conceder vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor.

Hebraico Grego Português
‘Awon (pronúncia, avôn) tem a idéia Adikía é uma palavra com conotação Iniquidade
de alguma coisa tortuosa, legal, significando uma coisa que não
desfigurada, um ato que não segue o é justa, que é contra o padrão de
seu caminho certo. A palavra aparece justiça. Aparece 25 vezes no Novo
231 vezes no Antigo Testamento Testamento.

Anomía traz a dimensão de estar sem
lei, por causa de ignorância ou de
violação



85
JOÃO 7:18
18 Quem fala por si mesmo está procurando a sua própria glória; mas o que procura a
glória de quem o enviou, esse é verdadeiro, e nele não há injustiça.

Uma pessoa INJUSTA é alguém que não alcançou o padrão de justiça de Deus.
§ Se o pecado é o erro, seja ele de qualquer sorte, na velha natureza ele é produzido por causa
da tortuosidade do caminho do homem, que não vive SEGUNDO O PADRÃO DE DEUS.

§ Por isso, transgressão é pecado, e não poderia ser diferente, porque qualquer pessoa que
não vive segundo o padrão divino, erra de fato e de verdade.

JUSTIÇA então pode ser definida como:

i. Vida santa e correta, de acordo com o padrão de Deus, cuja raiz é a palavra RETIDÃO e se
refere ao estado de uma pessoa que se conforma com um padrão oficial, sendo então um
conceito MORAL, cuja definição e fonte é o CARÁTER DE DEUS.

ii. Dicionário de Grego de Thayer diz, “o estado daquele que é, como ele deve ser, observando as
leis divinas, obedecendo os mandamentos de Deus, andando em integridade, virtude, pureza de
vida, retidão; pensando, sentindo e agindo da forma correta”.

INIQUIDADE, portanto, tem a ver com a falta da ação correspondente ao estado que deveria ser, e
por isso uma ATITUDE ILEGAL. É interpretada como PERVERSIDADE ou mal moral.

§ Quando o erro é repetidamente cometido contra o conhecimento de Deus, torna-se
transgressão que, se continuar por tempo suficiente, eventualmente torna-se em iniquidade,
pervertendo crenças e atitudes.

§ Ela significa não somente aquilo o que é errado, mas a tendência natural de fazer o que é
mal. São como pecados que se tornaram nossa “segunda natureza”, que nos dirigem
repetidamente, continuamente no erro. É a perversão da verdade, que nos leva ao erro; a
perversão da intenção, que afeta nossa vontade.

§ Pecado e transgressão são VERBOS e coisas associadas ao que fazemos; iniquidade é a
condição retorcida do que somos.

ROMANOS 1:28-32, NTLH
28 E, como não querem saber do verdadeiro conhecimento a respeito de Deus, ele
entregou os seres humanos aos seus maus pensamentos (uma disposição mental
reprovável, NVI), de modo que eles fazem o que não devem.
29 Estão cheios de todo tipo de perversidade (injustiça, NVI), maldade, ganância, vícios,
ciúmes, crimes de morte, brigas, mentiras e malícia. Caluniam
30 e falam mal uns dos outros. Têm ódio de Deus e são atrevidos, orgulhosos e
vaidosos. Inventam maneiras de fazer o mal, desobedecem aos pais,
31 são imorais, não cumprem a palavra, não têm amor por ninguém e não têm pena dos
outros.
32 Eles sabem que o mandamento de Deus diz que aqueles que fazem essas coisas
merecem a morte. Mas mesmo assim continuam a fazê-las e, pior ainda, aprovam os
que fazem as mesmas coisas que eles fazem.

1 CORÍNTIOS 6:9-10
9 Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem
impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas,
86
10 nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores
herdarão o reino de Deus.

GÁLATAS 5:19-21
19 Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia,
20 idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões,
facções,
21 invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu
vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais
coisas praticam.

Para os dois outros casos, havia a possibilidade de se cobrir com sangue, mas no Velho Testamento
não havia oferta para iniquidade, porque é uma atitude que requer UMA NOVA NATUREZA.

SALMOS 51:1-19
1 Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das
tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões.
2 Lava-me completamente da minha iniqüidade e purifica-me do meu pecado.
3 Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.
4 Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira
que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar.
5 Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe.
6 Eis que te comprazes na verdade no íntimo e no recôndito me fazes conhecer a
sabedoria.
7 Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve.
8 Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que exultem os ossos que esmagaste.
9 Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniqüidades.
10 Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito
inabalável.
11 Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito.
12 Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário.
13 Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores se converterão
a ti.
14 Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua
exaltará a tua justiça.
15 Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca manifestará os teus louvores.
16 Pois não te comprazes em sacrifícios; do contrário, eu tos daria; e não te agradas de
holocaustos.
17 Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e
contrito, não o desprezarás, ó Deus.
18 Faze bem a Sião, segundo a tua boa vontade; edifica os muros de Jerusalém.
19 Então, te agradarás dos sacrifícios de justiça, dos holocaustos e das ofertas
queimadas; e sobre o teu altar se oferecerão novilhos.

ISAÍAS 53:5
5 Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades;

§ “Ele foi traspassado pelas nossas transgressões”. Isso fala de furar, ou como no verso
em inglês traz, ele foi “ferido”, que é uma ruptura / quebra na pele, algo superficial,
visível. Transgressão segundo Tiago 2:11 é quebrar a lei, o que é visível a todos.

87
§ “moído pelas nossas iniquidades”. A palavra em Hebraico aqui utilizada fala de uma
contusão, uma equimose (descoloração na pela devido a algo debaixo da pele) ou
uma injúria (injustiça, prejuízo, dano). Algo interno e não externo.

EZEQUIEL 28:12-19
12 Filho do homem, levanta uma lamentação contra o rei de Tiro e dize-lhe: Assim diz o
SENHOR Deus: Tu és o sinete da perfeição, cheio de sabedoria e formosura.
13 Estavas no Éden, jardim de Deus; de todas as pedras preciosas te cobrias: o sárdio, o
topázio, o diamante, o berilo, o ônix, o jaspe, a safira, o carbúnculo e a esmeralda; de
ouro se te fizeram os engastes e os ornamentos; no dia em que foste criado, foram eles
preparados.
14 Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de
Deus, no brilho das pedras andavas.
15 Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado até que se achou
iniqüidade em ti.
16 Na multiplicação do teu comércio, se encheu o teu interior de violência, e pecaste (o
erro decorrente da natureza iníqua); pelo que te lançarei, profanado, fora do monte de
Deus e te farei perecer, ó querubim da guarda, em meio ao brilho das pedras.
17 Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria
por causa do teu resplendor; lancei-te por terra, diante dos reis te pus, para que te
contemplem.
18 Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio, profanaste os
teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu, e te reduzi a
cinzas sobre a terra, aos olhos de todos os que te contemplam.
19 Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; vens a ser objeto
de espanto e jamais subsistirás.

§ O PECADO (erro) é como ter uma corrente nos seus tornozelos, que constantemente te
impede de fazer algo, te fazendo cair, errar, e consequentemente, errar o alvo. Mas a
INIQUIDADE corrompe o seu caráter e é como já começar com uma flecha torta.

GÊNESIS 4:13, NVI
13 Disse Caim ao Senhor: "Meu castigo (‘Awon, INIQUIDADE) é maior do que posso
suportar.

§ A progressão do PECADO, para TRANSGRESSÃO para INIQUIDADE é ilustrada abaixo:

TIAGO 1:15
15 Então, a cobiça (INIQUIDADE), depois de haver concebido, dá à luz o pecado
(ERRO); e o pecado, uma vez consumado (maduro, NTLH – TRANSGRESSÃO), gera a
morte.

O QUE PODEMOS FAZER?

EZEQUIEL 11:19
19 Dar-lhes-ei um só coração, espírito novo porei dentro deles; tirarei da sua carne o
coração de pedra e lhes darei coração de carne;

EZEQUIEL 18:30-32
30 Portanto, eu vos julgarei, a cada um segundo os seus caminhos, ó casa de Israel, diz o
SENHOR Deus. Convertei-vos e desviai-vos de todas as vossas transgressões; e a
iniqüidade não vos servirá de tropeço.
88
31 Lançai de vós todas as vossas transgressões com que transgredistes e criai em vós
coração novo e espírito novo; pois, por que morreríeis, ó casa de Israel?
32 Porque não tenho prazer na morte de ninguém, diz o SENHOR Deus. Portanto,
convertei-vos e vivei.

EZEQUIEL 36:22-33
22 Dize, portanto, à casa de Israel: Assim diz o SENHOR Deus: Não é por amor de vós
que eu faço isto, ó casa de Israel, mas pelo meu santo nome, que profanastes entre as
nações para onde fostes.
23 Vindicarei a santidade do meu grande nome, que foi profanado entre as nações, o
qual profanastes no meio delas; as nações saberão que eu sou o SENHOR, diz o SENHOR
Deus, quando eu vindicar a minha santidade perante elas.
24 Tomar-vos-ei de entre as nações, e vos congregarei de todos os países, e vos trarei
para a vossa terra.
25 Então, aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas
imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei.
26 Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração
de pedra e vos darei coração de carne.
27 Porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis
os meus juízos e os observeis.
28 Habitareis na terra que eu dei a vossos pais; vós sereis o meu povo, e eu serei o
vosso Deus.
29 Livrar-vos-ei de todas as vossas imundícias; farei vir o trigo, e o multiplicarei, e não
trarei fome sobre vós.
30 Multiplicarei o fruto das árvores e a novidade do campo, para que jamais recebais o
opróbrio da fome entre as nações.
31 Então, vos lembrareis dos vossos maus caminhos e dos vossos feitos que não foram
bons; tereis nojo de vós mesmos por causa das vossas iniqüidades e das vossas
abominações.
32 Não é por amor de vós, fique bem entendido, que eu faço isto, diz o SENHOR Deus.
Envergonhai-vos e confundi-vos por causa dos vossos caminhos, ó casa de Israel.
33 Assim diz o SENHOR Deus: No dia em que eu vos purificar de todas as vossas
iniqüidades, então, farei que sejam habitadas as cidades e sejam edificados os lugares
desertos.

JOÃO 3:3-7
3 A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de
novo, não pode ver o reino de Deus.
4 Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode,
porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez?
5 Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do
Espírito não pode entrar no reino de Deus.
6 O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.
7 Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo.

Louis Berkhof em seu livro Teologia Sistemática define a regeneração como “o ato de Deus pelo qual
o princípio da nova vida é implantado no homem, e a disposição dominante da alma é tornada santa, e
o primeiro exercício santo desta nova disposição é assegurado”.

A Bíblia emprega diferentes termos para falar da regeneração: novo nascimento, ressurreição, ou
vivificação, nova criação e novo coração e mente.

§ A regeneração é uma operação divina num coração morto.
89

§ É uma mudança radical da natureza da pessoa, um fato que fica evidente em função da
linguagem usada para distinguir a pessoa antes da conversão: espiritualmente morto
(Efésios 2:1); cego; ignorante; de coração duro (Efésios 4:18); escravo do pecado (João 8:34;
Romanos 6:17-19); sob o poder das trevas (Colossenses 1:13; incapaz de entender as coisas
espirituais (1 Coríntios 2:14); incapaz de mudar-se a si mesmo (Jeremias 13:23) e impuro
(Tito 1:15).

§ Já os regenerados são caracterizados por serem o contrário dessa descrição dos perdidos.
John Owen em A Obra do Espírito Santo na Regeneração escreveu: “Esta nova criação não é
um novo hábito formado em nós, mas uma nova capacidade e faculdade. É chamada, portanto,
de ‘natureza divina’ (1 Pedro 1:4). Esta nova criação é o revestir de uma nova capacidade e
faculdade criada em nós por Deus e que traz a Sua imagem (Efésios 4:22-24). A regeneração
renova as nossas mentes. Ser renovado no espírito de nossas mentes significa que nossas
mentes possuem agora uma nova e salvadora luz sobrenatural que as capacita a pensarem e a
agirem espiritualmente (Efésios 4:23; Romanos 12:2). O crente é renovado em ‘conhecimento,
segundo a imagem daquele que o criou’ (Colossenses 3:10)”.

§ Esta regeneração, segundo Paulo, é uma transformação no ser daquele que recebe a nova
natureza: “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram;
eis que se fizeram novas” (2 Coríntios 5:17). Para Paulo, o novo nascimento é a recriação de
uma natureza totalmente modificada, como algo radical e revolucionário. Para ele, os
incrédulos (aqueles que rejeitam a verdade, mesmo depois de se comprometerem com o
Senhor), estão mortos em seus pecados, mas aquele que é fiel está vivo em Cristo (Efésios
2:1-5). Esta é a circuncisão do coração e que é tratado por Paulo como “o despojamento do
corpo da carne”, ou seja, a atitude de livrar-se da natureza pecaminosa. Portanto, os olhos
espirituais estão abertos (Atos 16:14), capacitando a pessoa a entender verdades espirituais
(1 Coríntios 2:14-16). Os desejos então dessa pessoa são modificados. Ele que amava as
coisas do mundo, agora ama e quer fazer as coisas consistentes com a justiça de Deus
(Gálatas 5:25; Efésios 2:1-5; 5:1-10). Vemos que a pessoa que outrora estava em Cristo,
deixou de lado sua posição quando ela começa a amar mais as coisas do mundo do que as
coisas de Deus, como foi com Demas (2 Timóteo 4:10).

O cristão não passa a ter duas naturezas. Não estamos acrescentando uma em cima da outra que já
possuímos. Não temos uma natureza boa e outra má. O cristão que está em Cristo só tem uma
natureza: a que foi regenerada. Assim, segundo Curtis I. Crenshaw em seu livro Lordship Salvation,
the Only kind there is, diz: “A regeneração é a mudança, a renovação permanente da disposição moral
da alma, que passa de uma orientação para o pecado a uma orientação para a santidade, além da
introdução de vida espiritual.” Isto nos mostra portanto que o indivíduo não é perfeito (como um
todo), mas que o princípio motivador (a perfeição da essência espiritual) já foi trocado.

Através do novo nascimento, os pecadores recebem a vida espiritual e são feitos filhos de Deus. A
mudança interna, que é operada através do Espírito Santo, é fruto do poder e da graça de Deus e, de
forma nenhuma, depende da ajuda do homem para que seja bem-sucedida. Os pecadores, através
da regeneração, são trazidos para o reino de Deus e feitos seus filhos. O autor desse novo
nascimento é o Espírito Santo e o instrumento que ele usa é a Palavra de Deus. Através da obra do
Espírito, o pecador morto é renovado à imagem de Deus e é levado a andar na lei de Deus. Em Cristo
ele torna-se uma nova criação, pois o Espírito Santo levanta o pecador de seu estado de morte
espiritual e o vivifica (João 5:21; Efésios 2:1-5; Colossenses 2:13).

A regeneração implica em iluminação espiritual, pela qual o reino de Deus, que outrora não era
conhecido, agora se torna nitidamente visível; na libertação da vontade, de sua escravidão do
90
pecado – antes da regeneração, a vontade não desejava vir para a luz (João 3:5,30), mas agora ela
vem para a luz e na realidade, não consegue recusar a luz; e por fim a purificação (Tito 3:5).

Este novo nascimento é uma obra completa e acabada. Você é nova criatura. Mas também é o
começo da obra da santificação. Enquanto estivermos neste mundo a santificação não terá sua obra
completada, e como tal, necessita ser continuamente renovada. Santificação é levar continuamente
à morte o restante do pecado (erro) que há entre nós e o crescimento e o fortalecimento contínuos
da graça de Deus em nós.

PORTANTO,

§ A justiça (como nova natureza que envolve os padrões de Deus) envolve a vida no Reino de
Deus – Mateus 6:33

§ As coisas que você FAZ provam se a justiça está em primeiro lugar na sua vida

MATEUS 11:19, NTLH
19 O Filho do Homem come e bebe, e todos dizem: “Vejam! Este homem é comilão e
beberrão! É amigo dos cobradores de impostos e de outras pessoas de má fama. ”
Porém é pelos seus resultados que a sabedoria de Deus mostra que é verdadeira.

TIAGO 2:22-24, NTLH
22 Veja como a sua fé e as suas ações agiram juntas. Por meio das suas ações, a sua fé
se tornou completa.
23 Assim aconteceu o que as Escrituras Sagradas dizem: “Abraão creu em Deus, e por
isso Deus o aceitou. ” E Abraão foi chamado de “amigo de Deus”.
24 Assim, vocês vêem que a pessoa é aceita por Deus por meio das suas ações e não
somente pela fé.

Não esqueça que fé É AÇÃO! E por isso, “O justo viverá pela fé”!

§ As coisas que você FALA provam se a justiça está em primeiro lugar na sua vida

ROMANOS 3:3-4, NTLH
3 Mas, se alguns não foram fiéis, será que por isso Deus vai ser infiel?
4 De modo nenhum! Que Deus continue a ser verdadeiro, mesmo que todas as
pessoas sejam mentirosas. Como dizem as Escrituras Sagradas a respeito dele: “Que
fique provado que tu tens razão quando falas e que sejas vencedor quando fores
julgado. ”

§ Pessoas justas andam em paz com as outras

TIAGO 3:18
18 Ora, é em paz que se semeia o fruto da justiça, para os que promovem a paz.

DAVI E A BONDADE DE DEUS

Davi conseguiu perceber a bondade de Deus de algumas maneiras, na manifestação de Deus em sua
vida cotidiana.




91
1. PROTEÇÃO

SALMOS 31:19-20, NTLH
19 Como são maravilhosas as coisas boas que guardas para aqueles que te temem!
Todos podem ver como tu és bom e como proteges os que confiam em ti.
20 Com a proteção da tua presença, tu os livras dos planos dos maus. Num
esconderijo seguro, tu os escondes das ofensas dos seus inimigos.


SALMOS 109:21, NTLH
21 Mas, quanto a mim, ó SENHOR, meu Deus, ajuda-me como prometeste e livra-me,
pois és bom e amoroso!

A demonstração de proteção é uma demonstração da bondade de Deus.

2. PROVISÃO

SALMOS 65:11
Coroas o ano com a tua bondade, e as tuas veredas destilam gordura.

Coroar aqui significa “cercar”, e gordura denota “fartura”.

SALMOS 65:11-13, NTLH


11 Como é grande a colheita que vem da tua bondade! Por onde passas, há fartura.
12 Os pastos estão cobertos de rebanhos, e os montes se enchem de alegria.
13 Os campos estão cobertos de carneiros, e os vales estão cheios de trigo. Tudo
grita e canta de alegria.

SALMOS 107:8-9
8 Louvem ao SENHOR pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos
dos homens.
9 Pois fartou a alma sedenta, e encheu de bens a alma faminta.

SALMOS 34:8-10
8 Provai, e vede que o SENHOR é bom; bem-aventurado o homem que nele confia.
9 Temei ao SENHOR, vós, os seus santos, pois nada falta aos que o temem.
10 Os filhos dos leões necessitam e sofrem fome, mas àqueles que buscam ao
SENHOR bem nenhum faltará.

3. PERDÃO

SALMOS 86:5 com Romanos 2:4
5 Pois tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para
todos os que te invocam.

4. REDENÇÃO

SALMOS 107:1-2,20
1 Louvai ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua benignidade dura para
sempre.
2 Digam-no os remidos do SENHOR, os que remiu da mão do inimigo,
20 Enviou a sua palavra, e os sarou; e os livrou da sua destruição.
92

5. PODER

SALMOS 107:15-16
15 Louvem ao SENHOR pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os
filhos dos homens.
16 Pois quebrou as portas de bronze, e despedaçou os ferrolhos de ferro.

SALMOS 107:21-22,31-32
21 Louvem ao SENHOR pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos
dos homens.
22 E ofereçam os sacrifícios de louvor, e relatem as suas obras com regozijo.
31 Louvem ao SENHOR pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos
dos homens.
32 Exaltem-no na congregação do povo, e glorifiquem-no na assembléia dos anciãos.

CONTEMPLANDO A BONDADE DE DEUS

ROMANOS 11:22
22 Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram,
severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de
outra maneira também tu serás cortado.

§ Devemos continuar a andar na bondade de Deus. É ISSO O QUE ELE DESEJA PARA NÓS.
Quanto mais você magnificar a Sua bondade, mais da bondade Dele você verá. Repita para
você mesmo:

- Deus é bom pra mim;
- Deus é um bom Deus;
- Deus tem coisas boas para mim.

§ Não há limites para a bondade de Deus, para o que Ele pode fazer. Ele é eterno e portanto,
sua bondade é eterna. A única limitação que encontramos é a nossa limitação em receber a
Sua bondade.

- Aumente SUA capacidade de receber. Como? Aumentando sua percepção,
contemplação e fé!

- Meditação na Palavra aumenta sua capacidade de crer. Quanto mais focado na
bondade de Deus você for, maior será sua capacidade de receber a bondade de Deus,
tirando sua atenção da sua inabilidade e falta de recursos, colocando sua atenção na
habilidade e riqueza de Deus já preparada para nós.

ISAÍAS 26:3
3 Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti.







93
Capítulo

SEIS
________________________________________________

DEUS, O FILHO
________________________________________________

Há dois mil anos, Jesus apareceu na história da humanidade. Ele nasceu em um mundo e cresceu
como qualquer outra pessoa, mas Ele não era um homem comum. Por toda a Bíblia podemos ver
que Jesus é um ser único que simultaneamente é plenamente humano (sem pecado – Hebreus 4:15;
1 Pedro2:22; 1 João 3:5) como plenamente divino.

Vemos então que a Bíblia revela muitas facetas da natureza de Deus através dos nomes pelos quais
Ele se apresenta ao Seu povo, e através dos nomes e títulos com os quais as pessoas são inspiradas
a endereçá-lo.

O Novo Testamento revela que Ele é, por exemplo:

§ Jesus – Mateus 1:1
§ O Cristo – Mateus 1:1
§ O Filho de Davi – 1:1
§ O Filho de Abraão – Mateus 1:1
§ O Rei dos judeus – Mateus 2:2
§ O Nazareno – Mateus 2:23
§ O Senhor – Mateus 3:3
§ Meu Filho amado – Mateus 3:17
§ O Filho de Deus – Mateus 4:3
§ O Senhor teu Deus – Mateus 4:7
§ Mestre – Mateus 8:19
§ O Filho do homem – Mateus 8:20
§ O Noivo – Mateus 9:15
§ O Senhor do sábado – Mateus 12:8
§ O Filho do Deus vivo – Mateus 16:16
§ O Profeta – Mateus 21:11
§ O Rei – Mateus 25:34
§ Rabi – Mateus 26:25
§ Jesus, o Galileu – Mateus 26:69
§ O Santo de Deus – Marcos 1:24

94
§ O Filho do Deus Altíssimo – Marcos 5:7
§ O Carpinteiro – Marcos 6:3
§ O Filho de Maria – Marcos 6:3
§ O irmão de Tiago, Judas e Simão e de todas suas irmãs – Marcos 6:3
§ O Filho do Deus bendito – Marcos 14:61
§ O escolhido de Deus – Lucas 23:35
§ O Cordeiro de Deus – João 1:29
§ O Salvador do mundo – João 4:42
§ O Pão da vida – João 6:35
§ A luz do mundo – João 8:12
§ O Eu Sou – João 8:24
§ A Porta das ovelhas – João 10:7
§ O bom Pastor – João 10:11
§ A Ressurreição e a Vida – João 11:25
§ O Caminho, a Verdade e a Vida – João 14:6
§ A Videira Verdadeira – João 15:1
§ Meu Senhor e meu Deus – João 20:28
§ O Santo e o Justo – Atos 3:14
§ O Príncipe e o Salvador – Atos 5:31
§ O Senhor Jesus Cristo – Atos 28:31
§ Nossa páscoa – 1 Coríntios 5:7
§ O Cabeça da Igreja – Efésios 5:23
§ O Rei dos reis e Senhor dos senhores – 1 Timóteo 6:15
§ O Autor da salvação – Hebreus 2:10
§ O Apóstolo e Sumo Sacerdote – Hebreus 3:1
§ O Capitão da Salvação – Hebreus 12:24
§ O Senhor da glória – Tiago 2:1
§ O Sumo Pastor – 1 Pedro 5:4
§ O Verbo da Vida – 1 João 1:1
§ A testemunha fiel, o primogênito dentre os mortos – Apocalipse 1:5
§ O Alfa e o Ômega, o primeiro e o último – Apocalipse 1:17
§ O Amém – Apocalipse 3:14
§ O Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi – Apocalipse 5:5
§ Fiel e Verdadeiro – Apocalipse 19:11
§ A resplandecente estrela da manhã – Apocalipse 22:16
95
QUEM É JESUS PARA MIM?

LUCAS 2:1-11
1 E aconteceu naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que
todo o mundo se alistasse
2 (Este primeiro alistamento foi feito sendo Quirino presidente da Síria).
3 E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade.
4 E subiu também José da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi,
chamada Belém (porque era da casa e família de Davi),
5 A fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.
6 E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz.
7 E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa
manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.
8 Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam,
durante as vigílias da noite, o seu rebanho.
9 E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de
resplendor, e tiveram grande temor.
10 E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria,
que será para todo o povo:
11 Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.

JESUS É O SALVADOR

Jesus veio para se tornar o nosso SALVADOR. O Senhor e Cristo se tornou o nosso salvador.


SALVADOR em Grego é SOTÉR, G4990
Vem da palavra salvação (SOZO, H4892), que significa totalidade,
integralidade, libertação; cobre todos os aspectos da nossa vida. Salvação
da destruição, preservação do mal, do dano, do prejuízo, resgate.


TODOS NÓS PRECISAMOS SER SALVOS!

2 TIMÓTEO 4:18
18 E o Senhor me livrará de toda a má obra, e guardar-me-á para o seu reino celestial; a
quem seja glória para todo o sempre. Amém.

SALMOS 6:4
4 Volta-te, SENHOR, livra a minha alma; salva-me por tua benignidade.

Do que nós fomos salvos?

JOÃO 3:16-17
16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que
todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
17 Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas
para que o mundo fosse salvo por ele.

1. do INFERNO

O inferno é um dimensão totalmente separada da manifestação da presença de Deus.
96
SALMOS 30:1-3
1 [Salmo de Davi] Exaltar-te-ei, ó SENHOR, porque tu me exaltaste; e não fizeste
com que meus inimigos se alegrassem sobre mim.
2 SENHOR meu Deus, clamei a ti, e tu me saraste.
3 SENHOR, fizeste subir a minha alma da sepultura; conservaste-me a vida para
que não descesse ao abismo.

- É um lugar para os PERDIDOS, os que não estão em Cristo;

- É um lugar para os DESCONECTADOS (do Reino de Deus);

-
É um lugar de AUSÊNCIA DE LUZ (Revelação)

2. da MISÉRIA

2 CORÍNTIOS 8:9, NVI
9 Pois vocês conhecem a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, se fez
pobre por amor de vocês, para que por meio de sua pobreza vocês se tornassem
ricos.

A palavra “rico” em português fala de “ter em grande quantidade (abundância); ter grande
qualidade (precioso); que produz muito (fértil, produtivo); que agrada, querido”.

Quando Deus nos livrou da miséria, Ele nos livrou de uma NATUREZA e MENTALIDADE
MISERÁVEL, para que sejamos bons despenseiros da abundância que Deus já depositou em
nós.

§ Deus não nos libertou da miséria para que sejamos novamente miseráveis mas para
que possamos mostrar ao mundo A RIQUEZA DE CRISTO EM NÓS!

2 CORÍNTIOS 9:6-11
6 E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que
semeia em abundância, em abundância ceifará.
7 Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou
por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.
8 E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que
tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra;
9 Conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; A sua justiça permanece
para sempre.
10 Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê pão para
comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa
justiça;
11 Para que em tudo enriqueçais para toda a beneficência, a qual faz que
por nós se dêem graças a Deus.

3. da ENFERMIDADE

MATEUS 8:17
17 Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tomou
sobre si as nossas enfermidades, e levou as nossas doenças.



97
ISAÍAS 53:4-5
4 Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores
levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
5 Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das
nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas
pisaduras fomos sarados.

1 PEDRO 2:24
24 Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para
que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas
fostes sarados.

O objetivo da nossa saúde é para que possamos cumprir a vontade de Deus em nós e através
de nós, E VIVER A VIDA ABUNDANTE DE DEUS.

§ A falta de saúde nos limita na mente;

§ A falta de saúde nos para no corpo;

4. da DESTRUIÇÃO

JUDAS 1
1 Judas, servo de Jesus Cristo e irmão de Tiago, aos que foram chamados, amados
por Deus Pai e guardados por Jesus Cristo:

Leia o Salmo 91.

JESUS É O REDENTOR

Ao avançar mais fundo em nosso entendimento de quem Jesus é para mim, conseguimos entender
não somente que fomos libertos, mas também que fomos RESGATADOS.

§ Precisamos aprender a viver nesta realidade: EU ESTAVA SOB O DOMÍNIO DAS TREVAS,
MAS JESUS ME RESGATOU.

Resgatar significa:

i. Restaurar a honra e o valor de algo

NÓS TEMOS VALOR PARA DEUS porque Ele pagou um preço por nós.

§ O preço pago determina o valor. O plano de redenção é uma afirmação do seu valor
para Deus.

COLOSSENSES 1:12-14
12 Dando graças ao Pai que nos fez idôneos para participar da herança dos santos
na luz;
13 O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do
Filho do seu amor;
14 Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados;


98
ii. Trocar ou comprar de volta com dinheiro algo ou alguém que está debaixo de ameaças

§ Opressão é a estratégia do inferno para manter tudo aquilo o que Deus é em você,
dentro de um limite no qual você não pode agir, nem mesmo se libertar.

1 PEDRO 1:18-19
18 Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes
resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos
pais,
19 Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e
incontaminado,

iii. Resgate

§ O que fala de uma situação de refém. ÉRAMOS REFÉNS DAS TREVAS!

MATEUS 20:28
28 Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para
dar a sua vida em resgate de muitos.

1 TIMÓTEO 2:3-6
3 Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador,
4 Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da
verdade.
5 Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo
homem.
6 O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de
testemunho a seu tempo.

Toda a humanidade está redimida? Foi resgatada? SIM. Mas nem todos vivem à luz deste resgate.
Por isso não podem entender justificação, nem vivê-la, porque disto se apropriam PELA FÉ.

§ Isso é o que Deus então está dizendo ao mundo: O SEU PLANO DE REDENÇÃO; A
LIBERTAÇÃO DE UMA SITUAÇÃO DE REFÉM. Deus está dizendo: Eu te amo!

JESUS É O CRISTO

A Palavra grega Christós significa “o homem ungido”, sendo o equivalente do termo hebraico “o
Messias”. Isso mostra que Jesus foi um homem que foi essencialmente ungido, ou separado, para
uma tarefa específica.

Mas o que é a unção?

ISAÍAS 10:27
27 E acontecerá, naquele dia, que a sua carga será tirada do teu ombro, e o seu jugo do
teu pescoço; e o jugo será despedaçado por causa da unção.

§ A unção é o poder de Deus, que remove o fardo e destrói o jugo.




99
i. Fardo

É uma carga pesada, a fonte de preocupação e estresse, coisas que são emocionalmente
difícil de se levar.
§ Pode ser um ensino, uma tradição, um relacionamento, etc.

ii. Jugo

É um poder opressor do diabo sobre
um indivíduo; fala também de estar
em sujeição a alguém em escravidão.

§ “Passar debaixo do jugo” era
uma prática romana que
forçava os soldados
derrotados a marcharem
debaixo de um jugo de lanças
enquanto eram vaiados pelos
seus conquistadores, vestindo
roupas de escravos e não de
soldados; é uma demonstração
de humilhação.

§ Nossa palavra subjugar vem do
latim sub, debaixo e jugum,
jugo.

Jugo é um símbolo de DERROTA! Jesus
veio para destruir nossa derrota.

LUCAS 4:18-21
18 O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os
pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração,
19 A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em
liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor.
20 E, cerrando o livro, e tornando-o a dar ao ministro, assentou-se; e os olhos
de todos na sinagoga estavam fitos nele.
21 Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos
ouvidos.

Ele removeu o fardo e quebrou o jugo da:

§ Pobreza
§ Tristeza e Cativeiro
§ Cegueira
§ Opressão

ISSO JÁ FOI CUMPRIDO


100
JESUS, DEUS

O Evangelho de João revela a divindade de Jesus com particular clareza e faz isto essencialmente
apresentando-O como “o Verbo de Deus”, o logos que é uma autorrevelação pessoal de Deus, e ao
registrar uma série de dizeres “Eu Sou” nos quais Jesus parece identificar-se com Javé / Jeová, com
o “Eu Sou Quem Sou” definitivo.

Ele é apresentado como “o Filho de Deus” ao longo do Novo Testamento; e todos os vinte e sete
livros ressoam o mesmo clamor: que “Jesus é Senhor”.

JESUS É O LOGOS

O termo “o Verbo de Deus” refere-se à total autorrevelação de Deus através do Filho (Seu logos
pessoal).

A palavra logos é uma das palavras mais distintas do Evangelho de João. Embora logos, às vezes,
signifique a mensagem de Jesus e, às vezes, alude ao próprio Jesus, ela sempre significa algo mais do
que somente as palavras faladas. João 5:24; 8:31,51, por exemplo, mostra que o logos de Deus
precisa ser ouvido e entendido corretamente, a fim de que seu aspecto (autorevelador) mais
profundo seja apreciado.

O Evangelho de João começa com a “genealogia celestial” do Filho em João 1:1-18; isto deixa claro
que o Jesus plenamente humano é também o Verbo eterno, a total revelação do Deus plenamente
divino.

A ideia do Verbo de Deus está firmemente arraigada no Velho Testamento. Ela revela, por exemplo,
que o Verbo de Deus:

§ Está envolvido na criação e sustentação do mundo: Gênesis 1; Salmo 33:6-9; 147:15-18;
148:8.

§ É revestido de poder e autoridade divina: Salmo 147:15; Isaías 55:11; Oséias 6:5.

§ Revela os pensamentos, interesses e propósitos de Deus: Salmo 119:9,105; Jeremias 20:9;
Ezequias 33:7.

§ Identifica-se intimamente com a sabedoria de Deus: Jó 28:12-27; Provérbios 8:1-9,12

Podemos ver então três ideias básicas tiradas deste prólogo sobre Jesus que revelam as
características principais do Filho como o logos.

1. Seu relacionamento com o Pai

JOÃO 1:2
2 Ele estava no princípio com Deus.

Este verso ecoa Gênesis 1:1, declarando a pré-existência do Filho. João simplesmente declara
que o logos estava com Deus e era Deus: isto sublima a divindade do Filho sem apagar a
distinção entre a qualidade pessoal do Filho e a qualidade pessoal do Pai. João 1:1-2 revela
tanto que o logos tem a natureza de Deus, como também, que o logos e o Pai não são termos
intercambiáveis.

101
2. Seu relacionamento com o mundo

JOÃO 1:3
3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito
se fez.
Esta passagem, como em Colossenses 1:15, alude ao relacionamento do Filho com o mundo.
Isto se desenvolve ao longo do Evangelho de João.

3. Seu relacionamento com a humanidade

JOÃO 1:14
14 E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a
sua glória, glória como do unigênito do Pai.

O verso 14 explica que o logos divino tornou-se carne humana e habitou entre nós. Isso
significa que Deus “levantou sua tenda” entre nós.

A proclamação de João acerca do Filho como o Verbo eterno não dilui a humanidade de
Jesus; mas sim, coloca o Filho firmemente na história como um ser divino que está em
comunhão constante com Deus, o Pai.

JESUS É O “EU SOU”

Os dizeres “Eu Sou” de Jesus são importantes porque a frase é usada no Velho Testamento como o
nome pessoal de Deus. Deus apresenta-se a Moisés, em Êxodo 3:14, como Jeová, “Eu Sou o Que Sou”.

João registra sete dizeres nos quais Jesus usa ego eimi (Grego), “Eu Sou”, para descrever a si mesmo.

§ Eu sou o pão da vida: 6:35-40

§ Eu sou a luz do mundo: 8:12; 9:5

§ Eu sou a porta das ovelhas: 10:7-9

§ Eu sou o bom pastor que dá vida: 10:11-14

§ Eu sou a ressurreição e a vida: 11:25

§ Eu sou o caminho, a verdade, e a vida: 14:6

§ Eu sou a videira verdadeira: 15:1-8

O dizer “Eu Sou” revela uma função divina diferente de Jesus – para suster, iluminar, admitir, cuidar
sacrificialmente, dar nova vida, guiar e tornar reprodutivo.

JESUS É O SENHOR

A palavra grega “kurios”, tinha muitos usos no mundo neotestamentário. Por exemplo, ela
expressava um respeito geral, era um título de cortesia a um superior, e era usado para endereçar o
Imperador Romanos ou um deus pagão.

102
Para os judeus, contudo, kurios tinha significado grego da palavra hebraica adonai – que como já
vimos é geralmente um título divino que enfatiza a autoridade única de Deus, mostrando que Ele é
“Aquele que deve ser obedecido”.

MARCOS 14:61
61 Ele, porém, guardou silêncio e nada respondeu. Tornou a interrogá-lo o sumo
sacerdote e lhe disse: És tu o Cristo, o Filho do Deus Bendito?
COLOSSENSES 1:13-19
13 Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do
seu amor,
14 no qual temos a redenção, a remissão dos pecados.
15 Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;
16 pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as
invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi
criado por meio dele e para ele.
17 Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste.
18 Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os
mortos, para em todas as coisas ter a primazia,
19 porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude

ATOS 2:36
36 Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós
crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo.

§ Jesus era “o Senhor de Davi” (plenamente divino) e “o Messias” (o homem
ungido, o descendente de Davi – plenamente humano)

MATEUS 22:41-46
41 Reunidos os fariseus, interrogou-os Jesus:
42 Que pensais vós do Cristo? De quem é filho? Responderam-lhe eles: De Davi.
43 Replicou-lhes Jesus: Como, pois, Davi, pelo Espírito, chama-lhe Senhor, dizendo:
44 Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus
inimigos debaixo dos teus pés?
45 Se Davi, pois, lhe chama Senhor, como é ele seu filho?
46 E ninguém lhe podia responder palavra, nem ousou alguém, a partir daquele dia,
fazer-lhe perguntas.

JESUS É O FILHO DE DEUS

O quarto título principal do Novo Testamento alude à Sua divindade plena com máxima claridade:
Ele é “o Filho de Deus”. Isso sugere que, se de algum modo devemos conhecer o Filho com exatidão,
devemos conhecê-lo no seu relacionamento único com o Pai.

Semelhante a toda revelação bíblica, devemos procurar entender a ideia do Filho de Deus no seu
contexto bíblico. Portanto devemos notar que o Evangelho de João sugere várias características
importantes de Jesus como Filho de Deus;

§ O Filho é enviado por, e a partir do Pai – João 3:34; 5:36-38; 7:29; 11:42; 17:4-5

§ O Filho é amado pelo Pai – João 3:35; 5:20; 10:17; 17:23-24

§ O Filho submete-se ao, e depende do, Pai – João 5:19,30; 25:28-31; 15:10

103
§ O Filho é absolutamente um com o Pai – João 5:19-23; 10:30; 14:11; 17:11

§ O Filho ora ao Pai – João 11:41; 12:28; 17:1,5,11,21,24,25

§ O Filho é a revelação exclusiva do Pai – João 6:46; 8:19; 10:15; 14:8-9

§ O Filho fala as palavras do Pai – João 10:18; 12:49-50; 14:24; 15:15; 16:25

§ O Filho recebeu todas as coisas do Pai – João 8:16; 13:3; 16:15; 18:11

§ O Filho retornará ao Pai – João 14:12,28; 16:10,16,28; 20:17

JESUS É DEUS

Vimos que o Novo Testamento revela a divindade de Jesus ao introduzi-lo como “Verbo de Deus”, ao
registrar uma série de dizeres “Eu Sou”, nos quais Jesus parece identificar-se com Jeová, e ao
apresentá-lo como “Senhor” e Filho de Deus”.

§ O Evangelho de João abre e fecha com declarações claras da natureza divina de Jesus. João
1:1 também afirma que o logos não somente estava com Deus, mas também era Deus – isto é
amplificado em 1:18. E João 20:28 é o maravilhoso clímax de crença do Evangelho –
verdadeiramente Jesus é tanto “Senhor” como “Deus”.

JOÃO 1:1,18
1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
18 Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o
revelou.

JOÃO 20:28
28 Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu!

§ Romanos 9:5 é a afirmação mais forte de Paulo acerca da divindade de Jesus.

ROMANOS 9:5
5 deles são os patriarcas, e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual
é sobre todos, Deus bendito para todo o sempre. Amém!

§ Tito 2:13 é semelhantemente absoluto.

TITO 2:13
13 aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande
Deus e Salvador Cristo Jesus,

§ Hebreus 1:8 cita o Salmo 45:6, ampliando-o de tal maneira a mostrar que o Filho está sendo
endereçado como Deus.

SALMOS 45:6
6 O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; cetro de eqüidade é o cetro do teu
reino.

HEBREUS 1:8
8 mas acerca do Filho: O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; e: Cetro de
eqüidade é o cetro do seu reino.
104

§ 2 Pedro 1:1 é um outro tipo de declaração que Jesus Cristo é tanto Deus como salvador.

2 PEDRO 1:1
1 Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco obtiveram fé
igualmente preciosa na justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo,

Estes versos demonstram que a igreja primitiva sabia que o Jesus plenamente humano era também
plenamente divino. Vemos esta crença em ação naquelas passagens que registram que a adoração
normalmente dada a Deus é, às vezes, dada a Cristo.

COLOSSENSES 1:18-19
18 Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os
mortos, para em todas as coisas ter a primazia,
19 porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude

EFÉSIOS 1:22-23
22 E pôs todas as coisas debaixo dos pés, e para ser o cabeça sobre todas as coisas, o
deu à igreja,
23 a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas.

A MISSÃO DO FILHO: O PROPÓSITO TRÍPLICE DA SALVAÇÃO

LUCAS 19:10
10 Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido.

Jesus foi comissionado e enviado a este mundo com uma missão de “buscar e salvar”. Sua missão
envolvia:

§ Dar sua vida em resgate (Mateus 20:28)
§ Destruir as obras de satanás (1 João 3:8)
§ Dar-nos vida eterna (1 João 5:11-12; João 3:15-17)
§ Nos fazer nascer de novo na família de Deus (João 1:12; João 3:3)
§ Restaurar a comunhão com Deus (2 Coríntios 5:18; Romanos 5:1-2; 1 João 1:3)
§ Reintroduzir o Reino de Deus na terra ao homem (Mateus 10:7; Marcos 1:15; Lucas 10:9)

No Velho Testamento, há três grupos distintos de pessoas que são ungidas para ofícios e serviços
específicos: sacerdotes (Levítico 4:3), reis (1 Reis 19:15-16) e profetas (1 Reis 19:16). Estes três
ofícios ungidos preparam o caminho para o "Homem ungido”, que será “o Profeta, o Sacerdote, e o
Rei”, o qual será escolhido e ungido por Deus para introduzir a era messiânica prometida.

1 PEDRO 1:10-11
10 Foi a respeito desta salvação que os profetas indagaram e inquiriram, os quais
profetizaram acerca da graça a vós outros destinada,
11 investigando, atentamente, qual a ocasião ou quais as circunstâncias oportunas,
indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava, ao dar de antemão testemunho
sobre os sofrimentos referentes a Cristo e sobre as glórias que os seguiriam.

Os profetas do Velho Testamento anunciaram a vinda do Messias. Tudo no Velho Testamento
aponta para a vinda do Cristo.


105
JOÃO 5:39
39 Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas
que testificam de mim.

LUCAS 24:25-27
25 Então, lhes disse Jesus: Ó néscios e tardos de coração para crer tudo o que os
profetas disseram!
26 Porventura, não convinha que o Cristo padecesse e entrasse na sua glória?
27 E, começando por Moisés, discorrendo por todos os Profetas, expunha-lhes o que a
seu respeito constava em todas as Escrituras.

Os Evangelho contém vários relatos de profecias cumpridas. Vamos dar uma olhada em algumas:

Isaías 40:3-5 à
à Lucas 3:1-6
à Mateus 11:7-10
Malaquias 3:1 à
Isaías 61:1-2 à
à Mateus 3:1-3; Lucas 4:16-21
Salmos 118:22-23 à
à Marcos 12:1-12; Lucas 20:17-19
Zacarias 9:9 à
à Mateus 21:1-5
Zacarias 11:12 à
à Mateus 26:14-15
à Mateus 26:31
Zacarias 13:7 à
Isaías 53:7 à
à Mateus 27:14
Isaías 50:6 à
à Mateus 26:67-68; 27:27-31
Salmos 69:21 à
à Mateus 27:34
à Mateus 27:46
Salmos 22:1 à
Salmos 22:7-8 à
à Mateus 27:39-44
Salmos 22:16 à
à Lucas 23:33
Salmos 22:18 à
à Mateus 27:35
Isaías 53:9 à
à João 19:38-42
Salmos 16:10 à
à Atos 2:24-32
Até mesmo a crucificação foi revelada no Velho Testamento: Salmos 22:14-18; Isaías 53:5; Zacarias
12:10; 13:6. A vida e ministério de Cristo concretizaram as predições dos profetas. Em Cristo nós
podemos ver o plano de salvação planejado na mente do Pai desde, a criação do mundo (veja
Apocalipse 13:8).

Jesus revelou muito mais Sua missão quando endereçou à sinagoga nazarena, depois de deixar o
deserto.

1) SALVAÇÃO: LIBERTAÇÃO E RESTITUIÇÃO

LUCAS 4:18-19
18 O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres;
enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para
pôr em liberdade os oprimidos,
19 e apregoar o ano aceitável do Senhor.

106
§ Proclamar libertação aos cativos e apregoar o ano aceitável (ou o ano da
aceitação) do senhor, era uma alusão à proclamação do ano de jubileu pelo
som da trombeta

LEVÍTICOS 25:9-10
9 Então, no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta
vibrante; no Dia da Expiação, fareis passar a trombeta por toda a
vossa terra.
10 Santificareis o ano qüinquagésimo e proclamareis liberdade na
terra a todos os seus moradores; ano de jubileu vos será, e
tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família.

§ ESTE ERA ANO DE LIBERDADE E RESTITUIÇÃO! E Jesus proclama que aquele
era o ano de Jubileu eterno!!!!

JOÃO 18:37
37 Então, lhe disse Pilatos: Logo, tu és rei? Respondeu Jesus: Tu
dizes que sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim
de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve
a minha voz.

JOÃO 8:31-32
31 Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vós
permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus
discípulos;
32 e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

A EVIDÊNCIA DA VERDADE É UMA VIDA LIBERTA!

è O filho quebra o poder do mal
o O endemoninhado de Cafarnaum – Marcos 1:21-28; Lucas 4:31-37
o O endemoninhado cego e mudo – Lucas 11:14-22
o Os endemoninhados gadarenos – Mateus 8:28; Marcos 5:1-20; Lucas 8:26-39
o O endemoninhado epilético – Mateus 17:14-21; Marcos 9:14-29; Lucas 9:37-43
o O endemoninhado mudo – Mateus 9:32-34

è O filho cura os enfermos
o O filho do oficial de Cafarnaum – João 4:43-54
o A filha de Jairo – Mateus 9:18-26; Marcos 5:21-43; Lucas 8:40-56
o A mulher com fluxo de sangue – Mateus 9:20-22; Marcos 5:25-34; Lucas 8:43-48
o Dois cegos – Mateus 9:27-31
o O paralítico que desceu pelo telhado – Mateus 9:1-8; Marcos 2:2-12; Lucas 5:17-26
o Um leproso – Mateus 8:1-4; Marcos 1:40-45; Lucas 5:12-14
o O servo do centurião – Mateus 8:5-13; Lucas 7:1-10
o A sogra de Pedro – Mateus 8:14-15; Marcos 1:29-31; Lucas 4:38-39
o O filho da viúva de Naim – Lucas 7:11-17;
o O coxo no tanque de Betesda – João 5:1-18
o O cego de nascença – João 9:1-41
o O homem com a mão ressequida – Mateus 12:9-14; Marcos 3:1-6; Lucas 6:6-11
o A mulher paralítica – Lucas 13:10-17
o O hidrópico – Lucas 14:1-6
o Os dez leprosos – Lucas 17:11-19
o O surdo-mudo – Marcos 7:31-37
107
o O cego de Betesda – Marcos 8:22-26
o Lázaro – João 11:1-44
o Os cegos de Jericó – Mateus 20:29-34; Lucas 18:35-43
o O servo do sumo-sacerdote – Lucas 22:47-51
o Os evangelhos também registram aquelas declarações sobre o ministério de cura de
Jesus: Mateus 4:23-25; 8:16-17; 9:35; 11:4-5; 12:15-16; 14:14,34-36; 15:30-31; 19:2;
21:14; Marcos 1:32-34; 3:10-12; 6:55-56; Lucas 4:40; 5:15-16; 6:17-19; 7:21-22; 8:2;
9:11; João 6:2

ISAÍAS 61:1-11
1 O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar
boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a
proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados;
2 a apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar
todos os que choram
3 e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de
alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado...

è O filho proclama o Reino

MARCOS 1:14-15
14 Depois de João ter sido preso, foi Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho de
Deus,
15 dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo; arrependei-
vos e crede no evangelho.

O Reino de Deus veio trazer salvação. Isto sugere que a vinda do Reino não foi somente algo
que deveria ser proclamado, mas também um desafio. Ao qual as pessoas deveriam
responder.

Para o Filho, a vinda do Reino foi um acontecimento tão importante que as pessoas tinham
de mudar o modo como pensavam e o modo como se comportavam.

O Filho não foi enviado da parte do Pai, e ungido com o Espírito, somente com uma missão de
pregar. Mas sim, Ele veio para revelar Deus através de palavras, ações e uma vida perfeita. Esta
declaração é encontrada em Isaías 61:1, mas Jesus imediatamente adiciona Isaías 42:7 (“para
abrires os olhos aos cegos, para tirares da prisão o cativo e do cárcere, os que jazem em trevas”).

§ A obra redentora de Cristo troca como vivemos:

o Coroa = símbolo de tempos de alegria (contrário às cinzas, que simbolizam
tempos de amargura e tristeza)...

Coroa na cabeça = mudança de pensamentos

Capacete da salvação = capacete protege a mente com a realidade da salvação
(Somos um com Deus, completos)

Esta alegria que deve permear nossa mentalidade é um grande ornamento para o
que professamos.

FALAR DA OBRA REDENTORA DE CRISTO SEM ALEGRIA É A MESMA COISA QUE
EXIBIR UM PRODUTO COM SUA EMBALAGEM DANIFICADA.
108

o Óleo de alegria = óleo usado publicamente nos convidados de uma festa – Salmo
23:5; 45:7-8; Amós 6:6

o Vestes de louvor – são roupas coloridas, que simbolizam louvor e gratidão

Vestes são símbolo de uma nova natureza, uma nova identidade! NOSSA VIDA É O
NOSSO LOUVOR HOJE.

ISAÍAS 51:3
3 Porque o Senhor consolará a Sião; consolará a todos os seus lugares
assolados, e fará o seu deserto como o Éden e a sua solidão como o
jardim do Senhor; gozo e alegria se acharão nela, ação de graças, e voz
de cântico.

2) SALVAÇÃO: COMUNHÃO E DISCIPULADO

3 ... a fim de que se chamem...

Quando Jesus proclamou o Reino, Ele estava chamando pessoas para estabelecer um novo
relacionamento com Ele, o qual se caracterizava pelo arrependimento e crença.

MARCOS 1:15-20
15 dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo (PROCLAMAÇÃO);
arrependei-vos e crede no evangelho (MUDANÇA DE DIREÇÃO).
16 Caminhando junto ao mar da Galiléia, viu os irmãos Simão e André, que lançavam a
rede ao mar, porque eram pescadores.
17 Disse-lhes Jesus: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.
18 Então, eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram.
19 Pouco mais adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no
barco consertando as redes.
20 E logo os chamou. Deixando eles no barco a seu pai Zebedeu com os empregados,
seguiram após Jesus (CHAMADO).

“Chamar-se” evidencia que aqueles que foram chamados agora aceitam uma nova realidade: a de se
TORNAREM discípulos. E discipulado é feito em um ambiente de COMUNHÃO PESSOAL.

§ O discipulado do Reino é pessoal
O Filho não chamou as pessoas para seguir um conjunto de novas ideias apenas mas, acima
de tudo, para segui-lo. Ele chamou pessoas para aprender Dele pessoalmente e não de um
livro.

MATEUS 11:29
29 Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde
de coração; e achareis descanso para a vossa alma.

o Tomar o jugo de um rabino era tomar seus ensinamentos e interpretações da Lei
para segui-los e praticá-los.

§ O discipulado do Reino é absoluto e custoso
O Filho chamou as pessoas para deixarem tudo e O seguirem plenamente. Tornar-se um
discípulo de Jesus não é meramente uma resposta emocional ou um assentimento mental ao
109
Seu ensino – é uma decisão permanente de seguir o Filho, aprender Dele, obedecê-lo e ficar
perto Dele o tempo todo.

Há uma progressão óbvia na mensagem que o Filho traz do Reino. Primeiro, Ele chama as pessoas
para mudarem o modo que pensam sobre Deus; em seguida, Ele as chama a crerem Nele, confiarem
Nele e dependerem Dele completamente; então, Ele as chama para segui-lo de perto e se tornarem
Seus discípulos, com o intuito de se tornarem como Ele:

a. Para amar como Ele – João 13:34-35
b. Para dar como Ele – João 15:13-14
c. Para servir como Ele – Marcos 10:42-45
d. Para agir como Ele – João 14:12
e. Para ir como Ele – João 20:19-22

è Esta comunhão e transformação causa uma transformação de propósito: o desejo por
proclamar, anunciar!

1 PEDRO 2:9
9 Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade
exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das
trevas para a sua maravilhosa luz;

o Virtudes = Qualquer qualidade (bons predicados, boas coisas) que evoca uma
estima (prazer por); valor intrínseco; excelência moral e bondade.

A MENSAGEM LIBERTADORA QUE TE ALCANÇOU DEVE SER A MENSAGEM QUE,
ATRAVÉS DA SUA VIDA ALCANÇA OUTROS. Mostre a outros quem seu Deus é, e o
que tem feito em você!

1 CORÍNTIOS 9:16-23
16 Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim
pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho!
17 Se o faço de livre vontade, tenho galardão; mas, se constrangido, é, então,
a responsabilidade de despenseiro que me está confiada.
18 Nesse caso, qual é o meu galardão? É que, evangelizando, proponha, de
graça, o evangelho, para não me valer do direito que ele me dá.
19 Porque, sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos, a fim de ganhar o
maior número possível.
20 Procedi, para com os judeus, como judeu, a fim de ganhar os judeus; para
os que vivem sob o regime da lei, como se eu mesmo assim vivesse, para
ganhar os que vivem debaixo da lei, embora não esteja eu debaixo da lei.
21 Aos sem lei, como se eu mesmo o fosse, não estando sem lei para com
Deus, mas debaixo da lei de Cristo, para ganhar os que vivem fora do regime
da lei.
22 Fiz-me fraco para com os fracos, com o fim de ganhar os fracos. Fiz-me
tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns.
23 Tudo faço por causa do evangelho, com o fim de me tornar cooperador
com ele.

ATOS 13:46-48, VIVA
46 Então Paulo e Barnabé declararam corajosamente: “Era necessário que
esta Boa Nova que veio de Deus, primeiro fosse dada a vocês, os judeus. Mas
110
já que vocês não aceitaram, e mostraram que não merecem a vida eterna -
pois bem, nós ofereceremos a salvação aos das outras nações”.
47 “Pois foi assim que o Senhor ordenou, quando disse: 'Eu fiz de você uma
luz para os outros povos, para guiar todos, dos mais distantes cantos da
terra, até à minha salvação’”.
48 Quando os não-judeus ouviram isto, ficaram muito contentes e se
alegraram com a mensagem de Paulo; e todos os que queriam a vida eterna,
creram.

VOCÊ FOI LIBERTO DAS TREVAS PARA SER UM COOPERADOR NA OBRA DO PAI!

3) SALVAÇÃO: FRUTIFICAÇÃO

ISAÍAS 61:3
3 a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo SENHOR para a sua
glória.

Carvalhos de Justiça, isso quer dizer que pelos seus frutos as pessoas saberão que o que acontece
em sua vida é obra das mão de Deus.

ISAÍAS 60:21-22
21 Todos os do teu povo serão justos, para sempre herdarão a terra; serão renovos por
mim plantados, obra das minhas mãos, para que eu seja glorificado.
22 O menor virá a ser mil, e o mínimo, uma nação forte; eu, o SENHOR, a seu tempo farei
isso prontamente.

ROMANOS 7:4
4 Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de
Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, a
fim de que frutifiquemos para Deus.

COLOSSENSES 1:10
10 a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado, frutificando
em toda boa obra e crescendo no pleno conhecimento de Deus;

A missão do filho é a restauração do propósito divino para o homem (como um agente, embaixador
do Reino de Deus), através da salvação (comunhão com Ele).

JOÃO 15:1-8, VIVA
1 Eu Sou a videira verdadeira, e meu Pai é o Lavrador.
2 Ele corta fora todos os ramos que não produzem. E limpa os ramos que dão fruto,
para que produzam ainda mais.
3 Ele já cuidou de vocês, e limpou, para que tenham mais força e utilidade por meio das
ordens que Eu lhes dei.
4 Fiquem firmes em Mim, e deixem-Me viver em vocês. Pois um ramo não pode dar
fruto quando está separado da videira. Nem vocês podem produzir separados de Mim.
5 Sim, Eu Sou a Videira; vocês são os Meus ramos. Todo aquele que vive em Mim, e Eu
Nele, produzirá muitos frutos. Porque separados de Mim vocês não podem fazer coisa
alguma.
6 Quando alguém se separa de Mim, é jogado fora como uma ramo imprestável, seca-se,
é ajuntado num montão com todos os outros, e depois queimado.
7 Mas se vocês permanecerem em Mim e obedecerem às minhas ordens, podem fazer o
pedido que quiserem, e isto será concedido!
111
8 O Meus verdadeiros discípulos dão colheitas abundantes. Isto resulta em grande
glória para O Meu Pai.

ENTÃO, estes que foram libertos com o propósito de terem comunhão com Deus, de serem feitos
filhos de Deus, discípulos do Senhor, a fim de frutificarem, são estes que Deus usa no Seu Reino.
ISAÍAS 61:4-11
4 (eles) Edificarão os lugares antigamente assolados, restaurarão os de antes destruídos
e renovarão as cidades arruinadas, destruídas de geração em geração.
5 Estranhos se apresentarão e apascentarão os vossos rebanhos; estrangeiros serão os
vossos lavradores e os vossos vinhateiros.
6 Mas vós sereis chamados sacerdotes do SENHOR, e vos chamarão ministros de nosso
Deus; comereis as riquezas das nações e na sua glória vos gloriareis.
7 Em lugar da vossa vergonha, tereis dupla honra; em lugar da afronta, exultareis na
vossa herança; por isso, na vossa terra possuireis o dobro e tereis perpétua alegria.
8 Porque eu, o SENHOR, amo o juízo e odeio a iniqüidade do roubo; dar-lhes-ei
fielmente a sua recompensa e com eles farei aliança eterna.
9 A sua posteridade será conhecida entre as nações, os seus descendentes, no meio dos
povos; todos quantos os virem os reconhecerão como família bendita do SENHOR.
10 Regozijar-me-ei muito no SENHOR, a minha alma se alegra no meu Deus; porque me
cobriu de vestes de salvação (Me reconciliou com Deus, comunhão com Deus) e me
envolveu com o manto de justiça (Me deu uma nova natureza e me deu um novo
propósito), como noivo que se adorna de turbante, como noiva que se enfeita com as
suas jóias.
11 Porque, como a terra produz os seus renovos, e como o jardim faz brotar o que nele
se semeia, assim o SENHOR Deus fará brotar a justiça e o louvor perante todas as
nações.


112
Capítulo

SETE
________________________________________________

DEUS, O ESPÍRITO SANTO


________________________________________________

MATEUS 28:18-19
18 Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e
na terra.
19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do
Filho, e do Espírito Santo;

ATOS 5:3-4
3 Então, disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que mentisses
ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo?
4 Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder?
Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus.

O Espírito Santo é a terceira pessoa da Trindade (e não uma entidade ou coisa). Assim como Jesus é
Deus, mas mesmo assim é uma pessoa distinta do Pai (veja João 1:1-2), o Espírito Santo é Deus e é
uma pessoa distinta do Pai e do Filho.

§ Ao Espírito Santo são atribuídos os nomes divinos – Êxodo 17:17 (conforme Hebreus 3:7-9);
Atos 5:3-4; 1 Coríntios 3:16; 2 Timóteo 3:16; 2 Pedro 1:21

§ Ao Espírito Santo são concedidos os atributos divinos como: Onipresença (Salmos 139:7-
10); Onisciência (Isaías 40:13-14, conforme Romanos 11:34; 1 Coríntios 2:10-11); e
Onipotência (1 Coríntios 12:11; Romanos 15:19)

§ O Espírito Santo realiza obras divinas como: a criação (Gênesis 1:2; Jó 26:13; 33:4); a
regeneração, ou novo nascimento (João 3:5-6; Tito 3:5); e a ressurreição dos mortos
(Romanos 8:11)

§ Ao Espírito Santo é prestada honra (Mateus 28:19; Romanos 9:1; 2 Coríntios 13:13)

Entendemos que todas as três pessoas estão envolvidas no processo de salvação (vide capítulo
anterior, tópico “A missão do Filho: o propósito tríplice da salvação”); veja Efésios 2:18. Lembrando
que o alvo final da salvação são filhos amadurecidos, que frutificam para a glória do Pai; e que
ninguém pode frutificar se não for enxertado na videira, que é Cristo, e se não permanecer ligado a
ela, o que fala de comunhão. Portanto, o Espírito Santo também não se desvia destes processos: Ele
inspira a Palavra e, deste modo, traz os homens à revelação de Deus, aplicando então os benefícios
da salvação – justificando, regenerando e santificando. É Ele quem nos regenera e nos conduz à
verdade, operando a fé para que, por meio dela, compartilhemos em Cristo de todos os benefícios
alcançados na cruz.

Gregório Nazianzo, o amigo de Basílio de Cesaréia, explicou a progressão da revelação da Trindade
desta maneira: “O Antigo Testamento proclamava manifestamente o Pai, mas obscuramente o Filho. O
113
Novo Nascimento, o Filho, fez entrever a divindade do Espírito. Agora, o Espírito tem direito de
cidadania entre nós e concede uma visão clara de si mesmo... É através de avanços e de progressões ‘de
glória em glória’, que a luz da Trindade resplandecerá em claridades mais brilhantes” (Catecismo da
Igreja Católica, § 684).

O ESPÍRITO É UMA PESSOA

Vejamos então algumas características que identificam o Espírito Santo como uma pessoa:

I - SEU INTELECTO

A palavra intelecto está associada à inteligência. Uma pessoa inteligente é aquela que possui a
capacidade de compreender ou habilidade para resolver situações problemáticas novas, mediante a
reestruturação dos dados perceptivos; é a pessoa que raciocina bem. Encontramos na Bíblia
diversas referências que deixam bem claro que o Espírito Santo possui inteligência.

a) Ele ensina e faz lembrar (João 14:26) - Já no Antigo Testamento o Espírito cumpria a
missão de ensinar (Neemias 9:20). Ninguém discorda de que Ele é mestre por excelência e
nos faz lembrar de tudo o que Jesus ensinou.

b) Ele tem sabedoria e inteligência (Isaías 11:2) - O profeta está falando do Messias que
haveria de vir e seria poderosamente ungido pelo Espírito Santo, a fim de cumprir a
vontade do Pai (João 1:33, 34). Ele descreve a plenitude do Espírito na vida de Jesus. É o
Espírito Santo quem anuncia a Cristo e nos guia a toda a verdade (João 16:13-14).

c) Ele tem conhecimento e conselho (Isaías 11:2) - Entre os 9 dons citados em 1 Coríntios
12, está o do conhecimento (ciência) que é dado pelo Espírito Santo. Ele nos faz ver os
mistérios de Deus (Romanos 11:33).

d) Ele revela (Efésios 1:17) - Ele é onisciente. Em 1 Coríntios 12:8, Paulo fala sobre os dons
de revelação: sabedoria, conhecimento e discernimento dos espíritos. O Espírito perscruta
as profundezas de Deus (1 Coríntios 2:10).

II - SUA SENSIBILIDADE

É a habilidade de sentir as coisas ou a propriedade do organismo vivo de perceber as modificações
do meio externo ou interno e de reagir a elas de maneira adequada. Sensibilidade refere-se aos
sentimentos, às emoções, etc. O Espírito Santo sente e reage, assim como nós, quando nos
emocionamos. Vejamos:

a) Amor (Romanos 15:30) - É o sentimento que predispõe alguém a desejar o bem-estar de
outrem.

b) Alegria (Atos 2:13) - Houve uma verdadeira alegria entre os crentes que receberam o
Espírito Santo. Por que? Porque Ele estava presente trazendo alegria. É inconcebível que
uma pessoa cheia do Espírito viva em tristeza.

c) Tristeza (Efésios 4:30) - O Espírito Santo pode sentir intensa mágoa, assim como nós. O
cristão pode entristecer o Espírito Santo quando não dá importância à sua presença, voz e
orientação (Gálatas 5:16-25).

114
d) Gemidos (Romanos 8:26) - Quando a Palavra diz que o Espírito intercede por nós com
gemidos inexprimíveis, está mostrando que Ele intercede juntamente com o crente; Ele
sente a nossa dor, geme e sofre conosco.

e) Ele pode ser apagado, tentado e afrontado (Atos 5:9; 1 Tessalonicenses 5:19; Hebreus
10:29).

III - SUA VONTADE

Vontade é a capacidade de fazer escolhas e tomar decisões. O Espírito Santo tem vontade própria.
Isto está evidenciado em suas atitudes, tanto no Antigo como no Novo Testamento:

a) No repartir os dons liberalmente (1 Coríntios 12:11) - “Mas um só e o mesmo Espírito
realiza todas estas cousas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente.”

b) No permitir ou impedir (Atos 16:7) - O Espírito tem a direção da vida do crente. Todo
aquele que é guiado por Ele deve estar pronto para fazer a sua vontade. Ele pode permitir,
assim como impedir, aquilo que desejamos fazer.

c) No convidar (Apocalipse 22:17) - Quando alguém realiza uma festa, convida a quem quer
para participar. O Espírito convida o homem para aceitar Jesus, que disse: “Vinde a mim
todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28).

d) No orientar (Atos 13:2) - Quando há oração e consagração em busca da vontade de Deus, o
Espírito Santo orienta.

Portanto, as evidências decorrentes dos ensinos bíblicos mostram que o Espírito Santo não é uma
força impessoal. Ele é Deus, a terceira pessoa da trindade. Não há vida cristã abundante sem o
auxílio do Espírito Santo. Ele torna a fé dinâmica e nos dá compreensão exata da vontade de Deus.

A fé no Espírito Santo como Ser pessoal e Deus verdadeiro, um com o Pai e com o Filho, é o resumo
da fé cristã. “Sem ela, nem a criação, nem a regeneração, nem a santificação podem ser sustentadas”
(Herman Bavinck, Teologia Sistemática, p. 174).

Como uma pessoa, podemos então manter um relacionamento diário com Ele.

2 CORÍNTIOS 13:14
14 A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo
sejam com todos vós.

FILIPENSES 2:1-2
1 Se há, pois, alguma exortação em Cristo, alguma consolação de amor, alguma
comunhão do Espírito, se há entranhados afetos e misericórdias,
2 completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo
amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento.

Esta comunhão profunda é fruto do compartilhamento íntimo de dois corações – o seu e o de Deus.
E isto funciona desta maneira:

§ O Espírito Santo sonda seu coração (Salmos 139:1,23; Provérbios 20:27; Jeremias 17:10;
Romanos 8:27)

§ O Espírito Santo sonda o coração de Deus (1 Corintos 2:10-11)
115

Desta maneira, o Espírito Santo torna-se a ligação viva entre você e o Pai. “porque o Espírito a todas
as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus” você hoje pode, através Dele, sondar e
conhecer o coração de Deus. Ele nos revela as coisas mais profundas do coração do Pai.

SALMOS 42:7
7 Um abismo chama outro abismo, ao fragor das tuas catadupas; todas as tuas ondas e
vagas passaram sobre mim.

O Salmista descreve este relacionamento com Deus com palavras como “abismo” chamando outro
“abismo ao rugir das tuas cachoeiras” (NVI). Pelo Espírito Santo, as profundezas do coração de Deus
ressoam com as profundezas do seu coração. Este é o tipo de comunhão que descobrimos no
Espírito Santo – comunhão com o Espírito, pelo Espírito, com o Pai e com o Filho.

NOMES DO ESPÍRITO SANTO

A Bíblia nos dá diferentes nomes para o Espírito Santo. Cada nome descreve uma faceta do caráter e
ministério do Espírito:

§ O Espírito eterno (Hebreus 9:14)

§ O Espírito de Deus (Romanos 8:14; 1 Coríntios 6:11; Filipenses 3:3)

§ O Espírito do Senhor (Atos 5:9)

§ O Espírito do Filho de Deus (Gálatas 4:6)

§ O Espírito de Jesus (Atos 16:7; Filipenses 1:19)

§ O Espírito de Cristo (1 Pedro 1:11)

§ O Espírito da verdade (João 14:17; 15:26; 16:13; 1 João 5:6)

§ O Espírito de santidade (Romanos 1:4)

§ O Espírito da graça (Zacarias 12:10; Hebreus 10:29)

§ O Espírito de sabedoria e revelação (Efésios 1:17)

§ O Espírito da glória (1 Pedro 4:14)

§ O Espírito de vida (Romanos 8:1-2; Apocalipse 11:11)

§ O Espírito de adoção ou filiação (Romanos 8:15)

§ O Espírito purificador (Isaías 4:4)

§ O Espírito da fé (2 Coríntios 4:13)

§ O Espírito de justiça (Isaías 4:4; 28:6)

§ O Espírito de amor (2 Timóteo 1:7)
116

§ O Espírito da promessa (Efésios 1:13)

§ O Espírito de profecia (Apocalipse 19:10)

§ O sopro do Todo-Poderoso (Jó 33:4)

§ O confortador (João 14:16,26; 16:7)

§ O poder do alto (Lucas 1:35)

§ A unção do Santo (1 João 2:20)

ELE É ESPÍRITO!

Este é, ao meu ver, um dos pontos mais importantes sobre a terceira pessoa da trindade. No Grego
(Pneuma) e no Hebraico (Ruach), esta palavra literalmente significa “sopro ou vento”.

§ A palavra em Hebraico Ru´ach literalmente significa “vento” e é derivada de uma raiz (Rach)
que significa um caminho prescrito. A Palavra Rach não é encontrada no texto bíblico mas é
definida pelas várias outras palavras derivadas dela como arach, rachah e yarach. Arach é
um viajante que segue um caminho prescrito de um lugar a outro. Rachah é uma pedra
moleira que roda e roda, no sentido de seguir uma caminho prescrito para moer o trigo e o
transformar em farinha. Yarach é a raiz de Yere´ach que significa a lua que segue um
caminho prescrito no céu da noite. Ru´ach é literalmente o vento que segue um caminho
prescrito a cada estação. Por extensão, Ru´ach significa o vento de um homem (ou de Deus)
ou o que é usualmente traduzido como espírito. O vento de um homem não é somente sua
entidade espiritual dentro de um homem, mas é entendido pelos Hebreus antigos como seu
caráter.

JOÃO 20:22
22 E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo.

JÓ 33:4
4 O Espírito de Deus me fez...

O Espírito é o “sopro de Deus”: Sua vida saindo em forma pessoal para estimular, despertar, ativar.

§ Por isso as coisas em nosso espírito sempre serão para estimular nosso relacionamento com
Deus, despertar nossa percepção das coisas de Deus, e ativar tudo aquilo o que Deus
planejou para nós.

O ESPÍRITO SEMPRE ESTARÁ PRONTO PARA AS COISAS DE DEUS!

O Espírito é comparado ao “vento”:

JOÃO 3:6-8
6 O que nasce da carne é carne, mas o que nasce do Espírito é espírito.
7 Não se surpreenda pelo fato de eu ter dito: É necessário que vocês nasçam de novo.
8 O vento sopra onde quer. Você o escuta, mas não pode dizer de onde vem nem para
onde vai. Assim acontece com todos os nascidos do Espírito".

a. O Espírito como o vento é SOBERANO.
117

Você não pode dominar o vento; ele faz o que quer. Ele distribui a cada um
individualmente como lhe apraz.

Você pode, entretanto, criar paredes, mecanismos e aprender as leis da Sua operação e se
submeter à Sua vontade soberana, permitindo que Ele trabalhe em você e através de
você.

§ EXEMPLO, um secador de cabelo ou uma turbina! VOCÊ ENTÃO SE TORNA O
MECANISMO QUE PROPORCIONA O VENTO DO ESPÍRITO NA VIDA DE OUTROS.

b. O Espírito como o vento é INVISÍVEL.

Ele não pode ser visto, mas pode ser percebido pelo nosso espírito, intelecto e sentidos.

JOÃO 3: 8
8 O vento sopra onde quer. Você o escuta, mas não pode dizer de onde vem nem
para onde vai.

§ Você consegue ouvir a voz do Espírito mas o próprio espírito não pode ser visto,
apesar de vermos os efeitos do vento / manifestações do Espírito.

ALGUMAS EVIDÊNCIAS DO ESPÍRITO SANTO NA BÍBLIA:



O Espírito Santo é aquele que:

§ Dá acesso ao Pai (Efésios 2:18);

§ Unge para o serviço (Lucas 4:18);

§ Testifica (Romanos 8:15-16; Gálatas 4:6);

§ É o autor das Escrituras (2 Pedro 1:20-21);

§ Batiza (João 1:23-34; 1 Coríntios 12:13-14);

§ Chama e comissiona (Atos 13:24; 20:28);

§ Purifica (1 Tessalonicenses 3:13; 1 Pedro 1:2);

§ Convence do pecado (João 16:9,14)

§ Cria (Genesis 1:2; Jó 33:4)

§ Capacita (1 Tessalonicenses 1:5)

§ Enche (Atos 2:4; 4:29-31; 5:18-20)

§ Dá dons (1 Coríntios 12:8-11)

§ Glorifica a Cristo (João 16:14)

118
§ Guia na verdade (João 16:13)

§ Nos ajuda em nossas fraquezas (Romanos 8:26)

§ Habita nos crentes (Romanos 8:9-14; Gálatas 4:6)

§ Nos inspira a orar (Efésios 6:18; Judas 20)

§ Intercede (Romanos 8:26)

§ Interpreta as Escrituras (1 Coríntios 2:1,14; Efésios 1:17)

§ Dirige (Romanos 8:14)

§ Libera (Romanos 8:2)

§ Produz o fruto (Gálatas 5:22-23)

§ Levanta dos mortos (Romanos 8:11)

§ Regenera (Tito 3:5)

§ Santifica (Romanos 15:16)

§ Marca (Efésios 1:13-14; 4:30)

§ Fortalece (Efésios 3:16; Atos 1:8; 2:4; 1 Coríntios 2:4)

§ Ensina (João 14:26)

§ Testifica de Jesus (João 15:26)

§ Nos dá vitória sobre a carne (Romanos 8:2-4; Gálatas 4:6)

§ Nos ajuda a adorar (Filipenses 3:3)

Na criação / Velho Testamento
O Espírito pairava por sobre as águas (Gênesis 1:2; Jó 26:13); foi dado a certos homens para
realizarem a sua obra: Bezalel (Êxodo 31:2-3), Josué (Números 27:18), Gideão (Juízes 6:34), Jefté
(Juízes 11:29), Saul (1 Samuel 11:6), Davi (1 Samuel 16:13); foi especialmente manifesto nos
profetas (Ezequiel 11:5; Zacarias 7:12), foi dado para luz dos homens (Provérbios 1:23), prometido
ao Messias (Isaías 11:2; 42:1), e a "toda a carne" (Joel 2:28).

O ESPÍRITO E JESUS

No Novo Testamento
O Espírito Santo se manifesta no batismo de Jesus (Mateus 3:16;Marcos 1:10), e na tentação
(Mateus 4:1; Marcos 1:12; Lucas 4:1); imediatamente depois da tentação (Lucas 4:14); e na ocasião
em que Jesus, falando em Nazaré, recorda a promessa messiânica de Isaías 61:1,2 (compare com
42:1-4). Do mesmo modo fala o Santo Espírito ao velho Simeão dirigindo-o nos seus passos e
pensamentos (Lucas 2:25-27). O dom do Espírito Santo é, de uma maneira determinada, prometido
pelo nosso Salvador (Lucas 11:13).

119
No Evangelho de João
O ensino de Jesus quanto à obra do Espírito é mais preciso. "Deus é Espírito", com respeito à Sua
natureza. A não ser que o homem novamente nasça "da água e do Espírito", ele não pode entrar no
reino de Deus (João 3:5). O Espírito é dado sem medidas ao Messias (3:34). Referindo-se Jesus às
promessas messiânicas (Isaías 44:3; Joel 2:28) falou do Espírito que haviam de receber os que nele
cressem" (7:39); porquanto, ainda não tinha sido dado (7:39); mas, na qualidade de consolador,
advogado (14:16,26; 15:26; 16:7; 2:1); Espírito da verdade, por quem a verdade se expressa e é
trazida ao homem (15:26; 16:13). Ele havia de ser dado aos crentes pelo Pai (14:16), habitando
neles e glorificando o Filho (16:14), pelo conhecimento que Dele dava. Em 1 João 3:24 a 4:13 esta
presença íntima do Espírito é um dos dois sinais ou características da união com Cristo; e o Espírito,
que é a verdade, dá testemunho do Filho (1 João 5:6).

O ESPÍRITO E A IGREJA

No livro de Atos
A manifestação do Espírito é feita no dia de Pentecoste, e o fato acha-se identificado com o que foi
anunciado pelo profeta (2,4,17,18); Ananias e Safira "tentam" o Espírito, pondo à prova a Sua
presença na igreja (5:9); o Espírito expressamente dirige a ação dos apóstolos e evangelistas (1:2;
8:29,39; 10:19; 11:12; 16:7; 21:4); e inspira Ágabo (11:28).

Nas epístolas de Paulo
A presença do Espírito Santo está claramente determinada (Romanos 8:11; 1 Coríntios 3:16; 6:17-
19). É ele o autor da fé (1 Coríntios 12:3; compare com 2 Coríntios 4:13); no Espírito vivem os
homens (Gálatas 5:25), por Ele são ajudados nas suas fraquezas (Romanos 8:26-27), fortalecidos
por Ele (Efésios 3:16), recebendo Dele dons espirituais (1 Coríntios 12), e produzindo frutos como
resultado da Sua presença (Gálatas 5:22). Por meio Dele há a ressurreição dos que creem em Cristo
(Romanos 8:11).

Pedro
(1 Pedro 1:2) escreve acerca da santificação, como sendo obra do Espírito Santo.

No livro de apocalipse
Se vê que João conscientemente é influenciado pelo Espírito (1:10; 4:2); e a mensagem dirigida às
sete igrejas é a mensagem do Espírito (2:7,11,17,29).

O ESPÍRITO E OS CRENTE HOJE

Deus, o Espírito Santo, está intimamente envolvido na vida dos crentes de hoje.

§ Ele nos leva ao arrependimento e nos dá nova vida (João 16:8; 3:5-6);

§ Ele vive em nós, nos ensina e nos dirige (1 Coríntios 2:10-13; João 14:16-17,26; Romanos
8:14) através das Escrituras, da oração e outros cristãos;

§ Ele é o Espírito de sabedoria, ajudando outros em suas escolhas, com confiança, amor e
domínio próprio (Efésios 1:17; 2 Timóteo 1:7);

§ Ele circuncida nossos corações, nos marca e nos santifica, nos separando para os propósitos
de Deus (Romanos 2:29; Efésios 1:14);

§ Ele produz em nós amor e o fruto da justiça (Romanos 5:5; Efésios 5:9; Gálatas 5:22-23);

120
§ Ele nos posiciona na igreja e nos ajuda a conhecermos nossa identidade como filhos de Deus
(1 Coríntios 12:13; Romanos 8:14-16).

Em suma, o Espírito Santo é Deus operando em nós hoje. Tudo o que o Pai deseja para nós é feito
através do Seu Espírito, a terceira pessoa da Trindade. Por isso Paulo nos encoraja a andarmos no
Espírito (Gálatas 5:25), a não entristecermos o Espírito (Efésios 4:30), a não apagarmos o Espírito
(1 Tessalonicenses 5:19), a adorarmos pelo Espírito, com nossa mente fixada no que o Espírito quer
(Filipenses 3:3; 2 Coríntios 3:6; Romanos 7:6; 8:4-5).

Fique atento ao que o Espírito diz. Quando Ele fala, Deus está falando. Veremos a obra do Espírito
(associada a alguns outros nomes que ele leva) no Módulo 3, Unidade 3 (O Espírito Santo e Sua
obra).

COMUNHÃO COM O ESPÍRITO

2 CORÍNTIOS 13:14
14 A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo
sejam com todos vós.

a. Há duas maneiras que podemos focar nossa mente quando buscamos a Deus: estamos
buscando um Deus que está assentando no trono (Apocalipse 4) e estamos buscando um Deus
que está em nosso espírito.

§ É desse lugar, do nosso homem interior que nosso espírito flui, focando a atenção da
nossa alma ao Espírito, para que possamos crescer nas coisas profundas de Deus.

JOÃO 7:38
38 Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de
água viva.

Mike Bickle diz, “Nossa maior herança é o nosso homem interior sendo tocado pelo
Espírito Santo.

PROVÉRBIOS 4:23
23 Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele
procedem as fontes da vida.

b. Ter comunhão com o Espírito Santo significa que conversamos com Ele sempre, expondo
nosso coração para Ele.

§ Isso significa que ouvimos de volta em um diálogo.

§ O Espírito Santo honra nossa parte no relacionamento quando não nos força neste
dialogo, se não quisermos participar. Ele não quer conversação ou amizade com
ninguém que não esteja desesperado por isso. AMOR REQUER UMA RESPOSTA
VOLUNTÁRIA.

c. Habitar em Cristo se dá quando temos comunhão com o Espírito Santo.

§ Colocamos Jesus como selo sobre o nosso coração quando nos relacionamos com o
Espírito que é a luz, o fogo e rio de Deus. O Espírito ministra em nosso coração como
uma luz brilhante que faz fugir as trevas e domina sobre a escuridão que traz
121
confusão, acusação e rejeição (João 1:5); um fogo consumidor que devora tudo que se
opõe à natureza de Deus em nós; um rio a fluir que conecta nosso coração como os
movimentos espontâneos do coração de Deus (João 7:37-39).
§
ANDANDO NO ESPÍRITO: SUSTENTANDO SEU DIÁLOGO COM ELE

GÁLATAS 5:16-17
16 Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne.
17 Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são
opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer.

§ Andar no Espírito é desenvolver um relacionamento dinâmico (com movimento, que chega a
algum lugar) com Ele e isso fazemos quando mantemos um dialogo com Ele. O ESPÍRITO É
UMA PESSOA DINÂMICA que vive em nós para nos capacitar em nossa caminhada de
comunhão com Ele.

o NÃO ANDAREMOS NO ESPÍRITO MAIS DO QUE A MEDIDA QUE FALAMOS COM ELE.
Se apenas falamos com Ele na hora da tentação e da crise, ao invés de cultivarmos um
estilo de vida, não seremos capazes de manter nosso dialogo com Ele de forma eficaz
durante estes momentos.

§ Nós que genuinamente queremos ser “pessoas espirituais” em nossa vida interior e em
nossa ministraçao a outros devemos ser pessoas que valorizamos nosso relacionamento
com o Espírito.

o Uma caminhada vibrante com o Espírito é essencial em nossa jornada para
experimentarmos mais de Deus.

o É fútil buscarmos experiências com Deus se negarmos a presença e liderança do
Espírito. NÃO PODEMOS IR MAIS FUNDO COM UM ESPÍRITO SEM INTERESSE.

"Deus não se curvou à nossa pressa nervosa, nem adotou os métodos de nossa era
mecânica. O homem que deseja conhecer a Deus precisa dedicar-lhe tempo." A. W.
Tozer

2 CORÍNTIOS 4:16
16 Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se
corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia.

COLOSSENSES 3:10
10 e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a
imagem daquele que o criou;

O NOVO NASCIMENTO: O DEUS INCRIADO VIVENDO NO ESPÍRITO HUMANO

§ No novo nascimento, o Espírito Santo vem habitar em nosso espírito como uma Pessoa Real.
A vida incriada de Deus habitando em nós é a REALIDADE CENTRAL DO NOVO
NASCIMENTO. O novo nascimento é muito mais do que apenas sermos perdoados ou salvos,
mas enfatiza em nascermos em uma nova conexão com o Espírito.

JOÃO 3:5-7
5 Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e
do Espírito não pode entrar no reino de Deus.
122
6 O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.
7 Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo.


ENTRAR em Grego é EISERCHOMAI, G1525
Entrar, ir, levantar. Tem o sentido também de entrada em uma condição,
em um estado.



§ A glória da Nova Aliança é que no novo nascimento, o Espírito nos faz UM espírito com Deus
(1 Coríntios 6:17), DESTRUINDO AS OBRAS DAS TREVAS EM NÓS (1 João 3:8), de acordo
com o Seu poder que opera em nós (Efésios 3:20).

ROMANOS 8:9-11
9 Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus
habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.
10 Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do
pecado, mas o espírito é vida, por causa da justiça.
11 Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos,
esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o
vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita.

§ Nós mantemos comunhão com o Espírito reconhecendo ou honrando Sua presença em nós.
Fazemos isso quando o agradecemos, por Sua presença poder e liderança em nós. Esse tipo
de comunhão faz com que nós possamos revelar o Deus que habita em nós pela luz e pelo
fogo.

ISAÍAS 62:1
1 Por amor de Sião, me não calarei e, por amor de Jerusalém, não me aquietarei,
até que saia a sua justiça como um resplendor, e a sua salvação, como uma tocha
acesa.

123
SOBRE O AUTOR

Josué 24:14 "Agora temam o Senhor e sirvam-no com
integridade e fidelidade. Joguem fora os deuses que
os seus antepassados adoraram além do Eufrates e
no Egito, e sirvam ao Senhor."

Rafael Frohe é um dinâmico pregador da Palavra, com
um espírito ousado e alegre. Ele é pastor e um dos líderes
de adoração da Academia da Fé Comunidade Cristã no
Rio de Janeiro, onde serve sob a liderança do seu pai na
fé, pastor Helio Peixoto.

Graduado pela Rhema Bible College (África do Sul), ele se
formou em Ministério de Música e Pastorado, entre os
anos de 2004 e 2005; é Bacharel em Estudos Bíblicos
com ênfase em liderança ministerial e concentração em
ministério de música pela Ames Christian University
(Estados Unidos). Foi ministro de louvor durante 2 anos
na Rhema Bible Church, em Johannesburg e mais dois
anos na Touch the Nations Ministries, em Pretoria.

Sua paixão é ajudar pessoas a entenderem sua posição
em Cristo, influenciá-las a se tornarem o que elas foram
criadas para ser, incentivá-las a viverem o seu relacionamento com Deus através da adoração,
pela mensagem do Reino de Deus.

Romanos 14:17, "Pois o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça
(relacionamentos corretos), paz (a qualidade do que é completo e seguro) e alegria (expressão) no
Espírito Santo (fonte e fluxo contínuo);"

Rafael Frohe crê que o Reino de Deus é uma realidade presente e irá expandir até que o
conhecimento do Seu Senhorio cubra a terra. O Governo de Deus é o propósito de Deus; é a
extensão do seu domínio na terra e no universo. A Igreja, universal e local, mística e tangível,
invisível e visível, é o instrumento pelo qual este propósito é realizado. Portanto, sua proposta é a
capacitação dos santos para o exercício do seu ministério e sua orientação é com relação ao
aparecimento de Cristo e não ao desaparecimento dos santos (Gênesis 1:26-28; Daniel 2:44-45;
7:27; Habacuque 2:14; Marcos 1:14-15; Romanos 14:17; Efésios 3:21; Hebreus 12:25-29;
Apocalipse 1:6; 5:10; 11:15; 19:1-6).

124
MAIORES INFORMAÇÕES
WWW.ASASDAFE.COM.BR
ASASDAFE@ACADEMIADAFE.COM.BR

125