Anda di halaman 1dari 5

Os Três Aspectos da Lei de Deus Uma das dificuldades no nosso entendimento desse assunto,

é que a expressão "Lei de Deus" é bastante abrangente e


1 - A Lei de Deus - "Então falou Deus todas essas
pode ter vários significados e aspectos bíblicos.
palavras..." Ex 20.1
Necessitamos estudar especificamente aquilo que
Os três aspectos da Lei de Deus conhecemos como a Lei Moral de Deus. Mais precisamente,
Os Mandamentos na Antiga e na Nova Aliança. devemos examinar o resumo dessa Lei Moral apresentado
A pergunta dos fariseus. pelo próprio Deus nos Dez Mandamentos e também por
Jesus Cristo, na sua resposta aos Fariseus (Mt 22.34-40).
Sl 119.73 - "As tuas mãos me fizeram e me afeiçoaram;
ensina-me para que aprenda os teus mandamentos". Os três aspectos da Lei de Deus.

A Lei de Deus é um dos temas mais presentes nas Escrituras Voltemos, portanto, à pergunta - o que é a Lei de Deus?
e, possivelmente, um dos mais mal compreendidos pelo Povo Deus proferiu e revelou diversas determinações e deveres
de Deus. Mesmo com o extenso tratamento que Paulo dá ao para o homem, em diferente épocas na história da
assunto, nos primeiros 8 capítulos da carta aos Romanos, humanidade. Sua vontade para o homem, constitui a sua Lei
muitos crentes compreendem a Lei apenas como uma e ela representa o que é de melhor para os seus. Quando
expressão da atuação de Deus no Antigo Testamento, com estudamos a Lei de Deus, mais detalhadamente, devemos,
pouco significado para os nossos dias. Não se disputa que a entretanto, discernir os diversos aspectos, apresentados na
Lei de Deus contrasta com o pecado, mas existe uma atitude Bíblia, desta lei. Como devemos classificá-la e entendê-la?
quase de desprezo, quanto à sua aplicação contemporânea. Muitos mal-entendidos e doutrinas erradas podem ser
Precisamos dar a devida importância a esse tema tão evitadas, se compreendermos que a Palavra de Deus
precioso. O salmista Davi o o considerou tão importante que apresenta os seguintes aspectos da lei:
o colocou como pedra fundamental de todo o Salmo 119. 1. A Lei Civil ou Judicial- Representa a legislação dada à
Nesse salmo a Lei de Deus é mencionada sob vários sociedade ou ao estado de Israel, por ex.: os crimes contra
sinônimos em praticamente todos os seus versículos. a propriedade e suas respectivas punições.
Necessitamos encontrar o papel da Lei na nossa vida diária e
2. A Lei Religiosa ou Cerimonial -Esta representa a
descobrir nela a misericórdia e graça de Deus para cada um
legislação levítica do Velho Testamento, por ex.: os
de nós. Ela aponta a trilha correta a ser seguida, em nossa
sacrifícios e todo aquele simbolismo cerimonial.
vida, e representa a expressão concreta do nosso amor para
com ele. 3. A Lei Moral -Representa a vontade de Deus para com o
homem, no que diz respeito ao seu comportamento e seus
Somos todos pecadores. Mas pecadores redimidos pelo
deveres principais.
sangue do nosso Senhor Jesus Cristo devem reconhecer que
a Lei de Deus enfatiza tanto a sua santidade como a nossa Mas como devemos entender a validade desses aspectos da
insuficiência perante ele. Além disso, temos na Lei o caminho lei? São todos válidos aos nossos dias? Quanto à aplicação
traçado por Deus para demonstrarmos amor a ele e ao nosso da Lei, devemos exercitar a seguinte compreensão:
próximo. Não podemos conseguir a salvação seguindo leis,
1. A Lei Civil: Tinha a finalidade de regular a sociedade civil
mas não devemos desprezar essa dádiva graciosa de Deus
do estado teocrático de Israel. Era temporal e necessária
para nossa instrução. Ou seja, é verdade que não podemos
para a época à qual foi concedida, mas foi específica para
conseguir a salvação seguindo a Lei. É igualmente verdade,
aquele estado teocrático. Como tal, não é aplicável
entretanto, que demonstramos amor quando obedecemos os
normativamente em nossa sociedade. Um exemplo de erro
mandamentos de Deus (Jo 14.15, 21).
de compreensão é encontrado nos Sabatistas (Adventistas Deus e da redenção do seu Povo; como didática - ela nos
do Sétimo Dia). Eles erram em querer aplicar parte dela, ao ensina o respeito ao nosso Criador e aos nossos
nosso dia-a-dia, mas terminam em incoerência, pois nunca semelhantes; como reveladora - ela nos revela o caráter e a
vão conseguir aplicá-la, nem fazê-la requerida, em sua santidade de Deus, bem como a pecaminosidade das
totalidade. pessoas; como normativa - ela especifica com bastante
clareza o procedimento requerido por Deus a cada uma das
2. A Lei Religiosa : Tinha a finalidade de impressionar aos
pessoas que habitam a sua criação, em todos os tempos.
homens a santidade de Deus e concentrar suas atenções no
Messias prometido, Cristo, fora do qual não há esperança. Por outro lado, a Lei Religiosa ou Cerimonial, no cômputo
Como tal, foi cumprida com Sua vinda e não se aplica aos geral, possui validade parcial, isto é: A validade histórica é
nossos dias. Mais uma vez, como exemplo de falta de total - está igualmente entrelaçada na história da revelação
compreensão desse aspecto da lei, temos os Adventistas, de Deus e da redenção do seu Povo; a validade
que erram em querer aplicar parte dela nos dias de hoje didáticatambém é total - cada detalhe dela demonstra a
(como por exemplo as determinações dietéticas) e em insuficiência dos sacrifícios repetitivos e a intensidade dos
misturá-la com a Lei Civil. pecados individuais que nos separam de Deus; sua validade
reveladora é também intensa (bastante), mas menor do que
3. A Lei Moral : Tem a finalidade de deixar bem claro ao
as duas precedentes - ela era mais reveladora para os
homem os seus deveres, revelando suas carências e
santos do antigo testamento, apontando para o Messias, do
auxiliando-o a discernir o bem do mal. Como tal, é aplicável
que para nós, que contamos com a completa descrição
em todas as épocas e ocasiões e assim foi apresentada por
histórica da vinda do Messias prometido, Jesus Cristo;
Jesus, que nunca a aboliu. Neste caso, os
Sua validade normativa, entretanto, não existe aos nossos
Adventistas acertam em considerá-la válida, porem erram
dias - a Lei Cerimonial, tendo sido cumprida em Cristo, não
em confundi-la e em misturá-la com as duas outras,
tem validade normativa para aqueles que existem em nossa
prescrevendo uma aplicação confusa e desconexa.
era, após a vinda do Messias prometido.
O gráfico a seguir apresenta este entendimento da Lei e
Os Dez Mandamentos.
pode nos auxiliar na visualização da aplicabilidade das Leis
de Deus, ao período atual em que vivemos: Na dádiva das "Tábuas da Lei", ou seja nos Dez
Mandamentos (Ex. 20:1-13), Deus resumiu a sua Lei Moral
apresentando-a formalmente, e registrando-a, sucinta e
Como entender o gráfico? Note que os Dez Mandamentos,
objetivamente, para o benefício do seu povo.
ou a Lei Moral de Deus, possui validade total, isto é:
tanto histórica - está entrelaçada na história da revelação de É necessário atentarmos para o contexto histórico da
ocasião. Foi a primeira vez que Deus falou coletivamente ao
Seu Povo. Existiram inúmeras preparações necessárias para
ouvi-lo. Essas estão todas relatadas em detalhes a partir do
início do capítulo 19 do livro de Êxodo. Quando nós lemos os
dois capítulos (19 e 20) cuidadosamente, procurando nos
colocar na situação atravessada pelo Povo de Deus naquela
ocasião, verificamos como o texto transmite o temor do povo
perante a santidade de Deus. Isso é impressionante! Após
ouvir ao Senhor e a Moisés, inicialmente, o povo suplicou a
Moisés que intermediasse este contato com Deus, tamanho mandamentos. Os dez mandamentos podem ser
era o temor (20.19), perante a majestade do Deus soberano. divididos da seguinte forma:
O incidente da dádiva da Lei, e os acontecimentos que se Mandamentos 1 aNossas obrigações para com o nosso
seguiram, evidenciam a fragilidade do Povo de Deus e do 4 criador - Deus
Homem, em geral. Após tal demonstração de poder e
santidade, logo se esqueceram de suas obrigações e, Mandamentos 5 aNossas obrigações para com o nossos
evidenciando ingratidão, caíram em idolatria, adorando o 10 semelhantes
bezerro de ouro (Ex 32). Isto mostra o desprezo do ser Jesus apresenta exatamente esse entendimento da Lei,
humano, caído, pela Lei. em Mt 22.37-40:
Os Dez Mandamentos estabelecem obrigações e limites para V. 37 - Amarás o Senhor teu Deus de
o Homem. O seu estudo aprofundado mostra a sabedoria Mandamentos 1 a
todo o teu coração, de toda a tua alma, e
infinita de Deus, bem assim como a harmonia reinante em 4
de todo o teu entendimento.
Sua Palavra. Revela também nossa insignificância perante
Ele, nossa dependência e necessidade de redenção, em Mandamentos 5 a V. 39 - Amarás o teu próximo como a ti
virtude do nosso pecado. O Homem pecou em Adão e desde 10 mesmo.
então é incapaz de cumprir a Lei de Deus. Os Dez Jesus Cristo, portanto, não descarta a lei. Ele foi o
Mandamentos, reforçam nossas obrigações para com o exemplo de cumprimento dela e aqui ele a resume, utilizando
nosso Criador, e para com os nossos semelhantes, em todos declarações do próprio Antigo Testamento. O seu ensino
os sentidos. expande o entendimento anterior que se possuía da lei. Deus
Os Dez Mandamentos e o Amor - A Pergunta dos está interessado não apenas no cumprimento externo da lei -
naquele evidenciado aos circunstantes, mas naquele
Fariseus. cumprimento que procede de uma profunda convicção
Um incidente bíblico reafirma a validade da Lei Moral de interna: do amor tanto por Deus como pelo próximo. Esse é o
Deus em todos os tempos, tanto na antiga como na nova cumprimento que surge de uma vida transformada, tocada e
aliança, e reforça o relacionamento da lei com o amor. operada pelo Espírito Santo de Deus.
Referimo-nos ao trecho encontrado em Mt 22.34-40. Os Temos nos acostumado a considerar "amor" algo intangível,
Fariseus não estavam inquirindo em sinceridade, mas indescritível, totalmente subjetivo, abstrato. Mas o conceito
queriam, como sempre, confundir a Jesus. Perguntaram bíblico do amor é bem diferente. Ele é tangível - somos
a ele qual o maior dos mandamentos. Eles se entregavam recebedores e experimentamos o amor de Deus e temos a
a esse tipo de discussão continuamente e geravam capacidade de amar a Deus e aos nossos semelhantes; ele é
grande controvérsia, com a defesa de um ou de outro descritível (1 Co 13); ele é totalmente objetivo, mas,
mandamento. Nesse sentido, pensavam que qualquer sobretudo, o verdadeiro amor se demonstra em ações
concretas que agradam a Deus, pelo cumprimento de suas
que fosse a resposta de Jesus, iriam indispô-lo, com um
diretrizes (Jo 14.15 - "se me amais, guardareis os meus
grupo ou com outro. Jesus, entretanto, não cita nenhum mandamentos"). Assim o amor se relaciona com a lei. A
mandamento específico do decálogo, mas faz referência, forma de demonstrarmos amor a Deus é pelo cumprimento
conjuntamente, a dois trechos conhecidos das Escrituras de seus mandamentos, principalmente dos primeiros quatro,
(Dt 6.5 e Lv 19.18), fornecendo um resumo dos dez que representam nossas obrigações diretas para com ele. A
forma de demonstrarmos amor para com o nosso próximo é
demonstramos respeito através do preenchimento de nossas P. 92. Que revelou Deus primeiramente ao homem como
obrigações para com os nossos semelhantes - ou seja, pelo regra da sua obediência?
cumprimento dos últimos seis mandamentos.
R. A regra de obediência revelada a Adão no estado de
A Lei de Deus Hoje. inocência, e a todo o gênero humano nele, além do
mandamento especial de não comer do fruto da árvore da
Qual a nossa compreensão da lei de Deus? Estamos
ciência do bem e do mal, foi a lei moral.
negligenciando o seu estudo? Estamos desprezando a sua
validade, como um instrumento de direcionamento às nossas Ref. Gn 1.27; Rm 10.5 e 2.14,15; Gn 2.17
ações? Será que temos sentimentos de auto-justiça e
P. 93. Que é a lei moral?
estamos insensíveis quanto à nossa pecaminosidade e
quebra dos preceitos divinos? R. A lei moral é a declaração da vontade de Deus, feita ao
gênero humano, dirigindo e obrigando todas as pessoas à
Vivemos numa era que despreza absolutos. Hoje em dia a
conformidade e obediência perfeita e perpétua a ela - nos
filosofia "da hora" é dizer que não existe uma verdade, mas
apetites e disposições do homem inteiro, alma e corpo, e no
múltiplas "verdades", algumas dessas contraditórias entre si.
cumprimento de todos aqueles deveres de santidade e
Podemos ver como esse pensamento é contrário ao Deus
retidão que se devem a Deus e ao homem, prometendo vida
vivo e verdadeiro e à sua revelação? Podemos ver que, na
pela obediência e ameaçando com a morte a violação dela.
sua lei moral, ele indicou verdades absolutas que
Ref. Dt 5.1, 31, 33; Lc 10.26-28; Gl 3.10; 1Ts 5.23; Lc 1.75; At
estabelecem a linha de demarcação entre o certo e o errado?
24.16; Rm 10.5
Podemos entender, quando Jesus Cristo se apresenta
como "o caminho, a verdade e a vida", que o pluralismo de P. 94. É a lei moral de alguma utilidade ao homem depois
opiniões, nas doutrinas cardeais da fé cristã, é uma idéia da queda?
nociva à igreja de Deus? R. Embora nenhum homem, depois da queda, possa
Nosso grande desafio, em nossa era, é a apresentação de alcançar a retidão e a vida pela lei moral, todavia ela é de
uma filosofia de vida que é absoluta e exclusivista em sua grande utilidade a todos os homens, tendo uma utilidade
essência. A fé cristã verdadeira tem todas as suas premissas especial aos não regenerados e outra aos regenerados.
básicas estabelecidas na objetiva palavra de Deus, escrita Ref. Rm 8.3; Gl 2.16; 1Tm 1.8
para o nosso conhecimento real e verdadeiro e para o P. 95. De que utilidade é a lei moral a todos os homens?
direcionamento dos nossos passos. Lembremo-nos das R. A lei moral é de utilidade a todos os homens, para os
afirmações bíblicas sobre Deus e nosso mediador, Jesus instruir sobre a natureza e vontade de Deus e sobre os seus
Cristo: "Ouve, ó Israel, o Senhor vosso Deus, é o único deveres para com ele, obrigando-os a andar conforme a essa
Deus..." e "... ninguém vem ao pai, senão por mim..." vontade; para os convencer de que são incapazes de a
O ensinamento do Catecismo Maior de Westminster guardar e do estado poluto e pecaminoso da sua natureza,
(perguntas 91 a 98): corações e vidas; para os humilhar, fazendo-os sentir o seu
pecado e miséria, e assim ajudando-os a ver melhor como
P. 91. Qual é o dever que Deus requer do homem?
precisam de Cristo e da perfeição da sua obediência.
R. O dever que Deus requer do homem é obediência à sua Ref . Lv 20.7,8; Rm 7.12; Tg 2.10, 11; Mq 6.8; Sl 19.11,12;
vontade revelada. Rm 3.9, 20, 23 e 7.7, 9, 13; Gl 3.21,22; Rm 10.4.
Ref. Dt 29.29; Mq 6.8; 1Sm 15.22
P. 96. De que utilidade especial é a lei moral aos homens
não regenerados?
R. A lei moral é de utilidade aos homens não regenerados
para despertar as suas consciências a fim de fugirem da ira
vindoura e forçá-los a recorrer a Cristo; ou para deixá-los
inescusáveis e sob a maldição do pecado, se continuarem
nesse estado e caminho.
Ref. 1Tm 1.9,10; Gl 3.10, 24; Rm 1.20, 2.15.
P. 97. De que utilidade especial é a lei moral aos
regenerados?
R. Embora os que são regenerados e crentes em Cristo
sejam libertados da lei moral, como pacto de obras, de modo
que nem são justificados, nem condenados por ela; contudo,
além da utilidade geral desta lei comum a eles e a todos os
homens é ela de utilidade especial para lhes mostrar quanto
devem a Cristo por cumpri-la e sofrer a maldição dela, em
lugar e para bem deles, e assim provocá-los a uma gratidão
maior e a manifestar esta gratidão por maior cuidado da sua
parte em conformarem-se a esta lei, como regra de sua
obediência.
Ref. Rm 6.14 e 7.4, 6; Gl 4.4,5; Rm 3.20 e 8.1, 34 e 7.24,25;
Gl 3.13,14; Rm 8.3,4; 2Co 5.21; Cl 1.12-14; Rm 7.22 e 12.2;
Tt 2.11-14.
P. 98. Onde se acha a lei moral resumidamente
compreendida?
R. A lei moral acha-se resumidamente compreendida nos dez
mandamentos, que foram dados pela voz de Deus no monte
Sinai e por ele escritos em duas tábuas de pedra, e estão
registrados no capítulo vigésimo do Êxodo. Os quatro
primeiros mandamentos contêm os nossos deveres para com
Deus e os outros seis os nossos deveres para com o homem.
Ref. Dt 10.4; Mt 22.37-40.