Anda di halaman 1dari 2

ESTADO DE ALAGOAS

MUNICÍPIO DE FEIRA GRANDE


Rua Sete de Setembro – Centro – Feira Grande – Estado de Alagoas.
CNPJ nº 12.207.528/0001-15 - CEP 57.340-000

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DO ÚNICO OFÍCIO DA


COMARCA DE FEIRA GRANDE- ALAGOAS

Proc. n. 0700425-76.2017.8.02.0060

O MUNICÍPIO DE FEIRA GRANDE, devidamente qualificado nos autos do


processo em epígrafe, por seus advogados legalmente constituídos, vem, mui
respeitosamente, à presença de Vossa Excelência, expor e requerer o que se segue:

Quanto à petição da defensoria pública na qual essa suscita dúvidas quanto


à legitimidade da documentação anexada aos autos pelo Município, afirmando, para
tanto, que o Município informou que possui 182 professores de primeiro ao quinto ano
efetivos e apenas 33 turmas, alguns esclarecimentos são necessários.

Primeiro, o número total de servidores efetivos de 182 já diminuiu para


162, tendo em vista a ocorrência de aposentadorias.

Segundo, o número de 33 turmas era correspondente ao número de


turmas existentes, de acordo com o número de matrículas efetuadas à época. No
entanto, o número de alunos aumentou e hoje o Município possui 59 turmas,
conforme Tabela, em anexo.

Terceiro, dos 162 professores de primeiro ao quinto ano efetivos nesta


municipalidade, 59 estão lotados nas 59 turmas e os demais estão distribuídos em
funções de magistério diversas e compatíveis, segundo a Lei de Diretrizes e Base da
Educação – LDB.

Quarto, como já demonstrado nos autos, a Lei Municipal nº 297/2013


somente criou 05 cargos efetivos de professor de primeiro ao quinto.

Portanto, é de se concluir:

1. Não existem cargos públicos criados por Lei VAGOS;


ESTADO DE ALAGOAS
MUNICÍPIO DE FEIRA GRANDE
Rua Sete de Setembro – Centro – Feira Grande – Estado de Alagoas.
CNPJ nº 12.207.528/0001-15 - CEP 57.340-000

2. Existe excesso de professor de primeiro ao quinto no Município de Feira


Grande;
3. Não há omissão de informação e, muito menos, direito subjetivo à nomeação
dos autores classificados FORA do número de vagas previstas no edital;

Do mesmo modo, não há necessidade de deferimento de medida de busca


e apreensão, uma vez que, sempre que provocado, o Município de Feira Grande
apresentou a documentação e os esclarecimentos solicitados.

Por todo o exposto, requer-se o indeferimento do pedido de busca e


apreensão e o julgamento de total improcedência desta demanda. Diga-se, por fim,
que caso sejam necessários maiores documentos e esclarecimentos que o Município
de Feira Grande está à disposição para complementar a documentação apresentada,
podendo, inclusive, comparecer com a sua Secretária de Educação a este juízo para
prestar esclarecimentos.

Nestes termos, pede deferimento.

Feira Grande, Alagoas, 28 de março de 2019.

RUBENS MARCELO PEREIRA DA SILVA


OAB/AL Nº 6638