Anda di halaman 1dari 8

As 20 coisas que você nunca

deve comer ou
1. Xarope de milho
O xarope de milho é glicose derivada do milho, da mesma forma que açúcar de mesa é a
forma em pó de glicose derivada da cana de açúcar.

Em estudos com animais feitos na Universidade de Princeton, ratos que beberam uma
solução de xarope de milho e água ganharam peso, enquanto ratos em outro grupo
beberam uma solução de água e açúcar não ganharam peso, ainda que ambos os grupos
comessem a mesma quantidade de comida.

A solução de xarope de milho que os ratos consumiram era 50% tão potente quanto
refrigerante. Não apenas os ratos ganharam peso como também desenvolveram
síndrome metabólica, uma percursora para a obesidade.

Se você quiser beber refrigerante, escolha uma opção sem xarope de milho, como Pepsi
Throwback ou Mexican Coke. Há também diversos refrigerantes naturais no mercado.

Você ainda pode misturar água com gás com um pouco de limão.
2. Adoçante Splenda

Como seu pai dizia: “Se parece bom demais para ser verdade, provavelmente é”.
Estudos com o adoçante Splenda mostraram que o produto diminui a bactéria benéfica
que vive em nosso estômago, levando a efeitos nocivos para a saúde e ao ganho de
peso.

Em vez disso, use stévia, um derivado de folha secas, ou não coloque nada. Mesmo uma
colher de chá de açúcar tem 15 calorias: não o bastante para tirar sua dieta dos trilhos se
você consumir uma pequena quantidade.

3. Gorduras trans
As gorduras trans são óleos parcialmente hidrogenados encontrados principalmente em
alimentos processados como chips, produtos assados e muitos itens de fast food.
Uma vez que as gorduras saturadas (óleo de coco, margarina, etc.) tendem a ser mais
caras, os fabricantes de alimentos encontraram uma maneira de usar óleos vegetais
baratos e fazer com que se comportem como gorduras saturadas ao adicionar mais
moléculas hidrogenadas a eles.

Essas gorduras “confundem” nossos corpos porque não são saturadas nem insaturadas,
de forma que não sabemos como processá-las.

As gorduras trans acabam elevando nosso colesterol ruim e simultaneamente diminuem


nosso colesterol bom, um golpe duplo quando o assunto é efeito negativo para a saúde.
Além disso, elas podem entupir artérias, levando a aumento nos fatores de risco
cardíaco e enfarto.

As gorduras trans são encontradas principalmente em alimentos processados, mas


podem estar em qualquer lugar, então leia os rótulos.

4. Águas vitaminadas
Há diversos produtos no supermercado desenvolvidos para fazer com que a água tenha
gosto de suco. O MiO Liquid Water Enhancer vem em sabores de romã e cereja preta, e
o Vitaminwater esconde seus sabores atrás de verbos de ação atraentes como “reviver”
(que na verdade significa ponche de frutas).
Infelizmente, essas versões supostamente vitaminadas de água são o mais distante da
boa e velha H2O que você pode achar.
A MiO possui sucralose (um adoçante artificial), conservantes e corantes artificiais. A
“energia” da Vitaminwater possui 32g de açúcar, além de diversos ingredientes que
você com certeza não encontra normalmente na água (ah, nada melhor para matar a sede
do que goma-arábica).

Esses produtos podem conter vitaminas importantes, mas também contêm muitos
ingredientes que não são saudáveis. Continue com a água normal e concentre-se em
obter vitaminas de alimentos integrais como frutas e vegetais.

5. Caldos Industrializados
Caldos de carne e galinha industrializados contém glutamato monossódico ou GMS. O
GMS pode causar sérios danos à saúde, como obesidade, enxaqueca, aceleração dos
batimentos cardíacos, asma, tonturas, depressão e até Alzheimer se usados com
frequência e a longo prazo.
Uma boa opção é usar temperos e ervas naturais como alho, salsinha, cebolinha,
coentro, cebola e sal. Você também pode fazer cubos de temperos congelados. Use
salsinha, manjericão e coentro, juntos ou separados. Pulse as ervas no processador até
ficarem bem picadas. Adicione azeite e pulse até formar uma pasta. Congele em cubos
de gelo, bote os cubos num saco plástico e rotule (duração: 3 meses).

6. Energético
Não confundam energéticos com água ou isotônicos. Ao contrário do que se pensa, os
energéticos não só não hidratam, como funcionam como diurético estimulando o
organismo a eliminar líquido. O consumo exagerado de energéticos pode intoxicar o
organismo causando náusea, taquicardia, insônia e até obesidade devido à quantidade de
açúcar.

7. Margarina
Além da hidrogenação, que é a base da margarina, são usados branqueadores e vários
aditivos químicos sintéticos na produção da “deliciosa” margarina.

A margarina pode estar associada a várias doenças como disfunções imunológicas,


problemas de peso, aumento no risco de câncer, transtornos do metabolismo do
colesterol, incremento de aterosclerose e doenças cardíacas.

8. Cachorro-quente
O Cachorro-quente pode conter uma grande quantidade de nitrito de sódio, fosfatos e
aditivos. O alto consumo de cachorros-quentes e carnes processadas está associado ao
aumento do risco de câncer no cólon e pâncreas.
9. Pipoca de micro-ondas
A embalagem da pipoca de micro-ondas é revestida com PFOA (Ácido
perfluorooctanóico), uma substância química que também é encontrada em objetos
revestidos com Teflon e que aumenta significativamente o risco de tumores nos rins,
bexiga, fígado, pâncreas e testículos.

10. Suco de caixinha


Cuidado com o consumo exagerado dos sucos de caixinha, principalmente para as
crianças, já que esses sucos contêm grandes quantidades de açúcar e de aditivos
químicos (conservantes, corantes e flavorizantes). Opte sempre pelo suco natural feito
em casa, sem aditivos.

11. Batata Chips


Substitua as batatas chips por batatas assadas com azeite e alecrim. As batatas chips são
altamente nocivas à saúde. Um saco de 50 gramas de chips possui 33% do valor diário
de gorduras totais e 9% de gorduras saturadas que além de fazer engordar, pode
provocar problemas cardiovasculares nas artérias e no coração, aumentar o mau
colesterol, a pressão arterial e provocar doenças como a diabetes.

12. Salmão criado em cativeiro


O salmão criado em cativeiro recebe uma alimentação gordurosa e grandes quantidades
de antibióticos e corantes. Além do tratamento cruel ao animal, o salmão cultivado em
cativeiro não é boa fonte de ômega-3.

13. Ostras
A presença da bactéria vibrio vulnificus, comumente encontrada nas ostras, faz com que
seu consumo seja um risco, às vezes fatal, para determinadas pessoas, especialmente as
que têm câncer, diabetes, doenças no fígado ou doenças que enfraqueçam o sistema
imunológico.

Existem, também, problemas relacionados à poluição das águas e ao armazenamento


inadequado dos mariscos, que podem levar a problemas gastrointestinais sérios.
14. Derivados de soja
O fato de que quase todos os ingredientes dos derivados da soja não serem orgânicos,
sendo que a maioria dos aditivos de soja são processados utilizando hexano, um produto
químico que está ligado a defeitos do nascimento, causando problemas reprodutivos e
câncer, torna o consumo excessivo dos derivados da soja pouco recomendado. Além
disso, a proteína de soja contém drogas naturais (genisteína e daidzeína) que têm os
efeitos do estrogênio, o hormônio feminino, alterando drasticamente o equilíbrio
hormonal em homens.

15. Macarrão Instantâneo


O Macarrão instantâneo é um alimento muito consumido por ser de preparo rápido, fácil
de fazer, e muito barato. Mas, infelizmente, estudos têm mostrado que o consumo
regular desse produto tem sido associado a um risco maior de desenvolver pressão alta,
glicemia e colesterol elevados e síndrome metabólica, um conjunto de anomalias que
afeta as funções cardíacas, renais e metabólicas, especialmente em mulheres.

16. Frozen yogurt


Se o frozen yogurt for feito só com iogurte mesmo, ótimo! Tem pouca gordura e é uma
fonte de cálcio. O problema é que alguns fabricantes misturam sorvete comum à base de
iogurte. Os sorvetes, por sua vez, são ricos em gorduras saturadas e trans, que
aumentam o colesterol ruim e diminuem o bom. Verifique o rótulo sempre que possível
para ter certeza de que está consumindo apenas o iogurte e fique atento às coberturas
que vai colocar para evitar o consumo excessivo de açúcar.

17. Churros recheados


Os churros são massas fritas, ou seja, traz todos os problemas relacionados às frituras,
pois quando o óleo é submetido a altas temperaturas, transforma-se em uma gordura
maléfica para a saúde, entupindo as artérias e causando sérios danos. Além disso, os
churros são cobertos em açúcar e ainda recebem recheio de chocolate ou doce de leite,
que possui 18,4% do Valor Diário das gorduras totais e 18,8% das gorduras saturadas.

18. Peito de peru


Embora seja considerado uma alternativa para o presunto, o peito de peru tem as
mesmas quantidades de sódio e gordura do presunto. Os dois também são cheios de
conservantes, como nitritos e nitratos, que podem causar câncer se consumidos por
muito tempo. Evite alimentos embutidos ou processados, consuma apenas uma vez por
semana e, de preferência, os com capa de gordura.

19. Sopas instantânea


Pela praticidade, elas são uma tentação. Mas, além de serem muito pouco nutritivas, têm
excesso de sódio e gordura. Também têm glutamato monossódico, que é um realçador
de sabor que pode aumentar a pressão arterial por conter grandes quantidades de sódio e
pode trazer outros problemas à saúde. Isso sem mencionar conservantes, corantes e
aromatizadores que não são bem especificados pelos fabricantes

20. Pizza congelada


Um pedaço de pizza de 73 gramas possui, aproximadamente, 16% da quantidade de
sódio e 14% de gordura que pode ser consumida diariamente. Portanto, o consumo
exagerado de pizza pode levar a problemas de saúda, tais como pressão alta e problemas
cardíacos.

Como as pizzas, na sua maioria, são feitas com farinha branca, que tem uma absorção
mais rápida no organismo, você ficará com fome logo e acabará comendo mais do que
gostaria. Se for comer pizza, opte pelas feitas com farinha integral, que já são
encontradas em alguns estabelecimentos, e fique atento ao sabor escolhido porque ele
influencia na quantidade de calorias e gorduras.