Anda di halaman 1dari 4

Gab Único RESIDÊNCIA MÉDICA 2007.

1 – ESPECIALIDADES CLÍNICAS – DEZEMBRO 2006

PROVA DE ESPECIALIDADES CLÍNICAS CM 07. Paciente com queixa de dispnéia, apresenta


na radiografia do tórax, imagem que sugere a substi-
tuição da aeração normal por imagem com densidade
CM 01. Das situações abaixo, marque aquela para a de líquido, na área de distribuição anatômica de um
qual a tomografia computadorizada está melhor lobo pulmonar, o que faz realçar a silhueta de
indicada do que a ultrassonografia para a avaliação de brônquios cheios de ar. Essa imagem é sugestiva de
dor no quadrante superior direito. A) embolia.
A) Há suspeita de massa hepática. B) atelectasia.
B) O diagnóstico inicial é de cálculo biliar. C) abscesso.
C) Há suspeita de dilatação de vias biliares. D) pneumonia.
D) O paciente é obeso. E) bronquiectasia.
E) Há suspeita de abscesso hepático.
CM 08. Durante a crise asmática aguda é comum que
CM 02. Mamografia, Pesquisa de Chlamydia, se observe
Papanicolau e colesterolemia estão indicados como A) prolongamento da fase inspiratória do ciclo
exames preventivos para mulheres sexualmente ativas respiratório.
A) entre 15 e 25 anos. B) redução da fase expiratória do ciclo respiratório.
B) maiores de 25 anos de idade. C) bradisfigmia.
C) entre 25 e 45 anos de idade. D) retração inspiratória da pele entre as costelas.
D) entre 35 e 55 anos de idade. E) saturação de oxigênio abaixo de 70%.
E) entre 45 e 65 anos de idade.
CM 09. Paciente com sintomas dispépticos, apresenta
CM 03. Paciente apresenta hipertensão arterial com à endoscopia digestiva alta, processo inflamatório
pulsos bem mais fracos nos membros inferiores do superficial, sem sinais de atrofia, com compro-
que nos superiores, e pressão arterial mais alta nos metimento do antro gástrico e teste da urease positivo.
membros superiores que inferiores. Dentre as Principal hipótese diagnóstica para esse quadro é
alternativas abaixo, a melhor forma de investigação da A) adenocarcinoma gástrico.
causa dessa hipertensão é B) gastrite autoimune.
A) dosagem de cortisol plasmático. C) sarcoidose.
B) aortograma. D) linfoma primário de células B.
C) dosagem de renina plasmática. E) gastrite por Helicobacter pylori.
D) dosagem de aldosterona plasmática.
E) tomografia computadorizada. CM 10. A dor epigástrica em queimação noturna está
mais associada a
CM 04. Assinale o sítio anatômico em que a infecção A) úlcera gástrica.
hospitalar é mais freqüentemente diagnosticada. B) úlcera duodenal.
A) Pulmão. C) úlcera de estresse.
B) Sítio cirúrgico. D) esofagite.
C) Trato urinário. E) gastrinoma.
D) Sangue.
E) trato gastrointestinal. CM 11. O tratamento cirúrgico para úlcera gástrica é
mais freqüentemente indicado para úlceras gástricas
CM 05. Em relação ao dengue, é correto afirmar: em
A) a letalidade da forma clássica fica em torno de 2% A) pequena curvatura do corpo.
se tratada precocemente. B) grande curvatura do corpo.
B) o paciente pode voltar a doar sangue 3 meses C) pré-pilórica.
depois do quadro agudo. D) associação com úlcera duodenal.
C) o período de incubação mais freqüente é de 10 a E) junção gastro-esofágica.
14 dias.
D) exantema maculopapular nos primeiros dias da CM 12. Indique a droga que acelera a cicatrização
doença está associado com pior prognóstico. gástrica, independente de sua causa.
E) o dengue hemorrágico está associado com A) Hidróxido de alumínio.
reinfecção. B) Omeprazol.
C) Doxixiclina.
CM 06. Marque a manifestação clínica mais freqüente D) Metronidazol.
da sífilis cardiovascular (terciária). E) Amoxicilina.
A) Insuficiência aórtica.
B) Aneurisma de carótida. CM 13. A causa mais freqüente de pancreatite crônica é
C) Insuficiência tricúspide. A) cálculo biliar.
D) Pericardite. B) desnutrição.
E) Estenose mitral. C) trauma.
D) álcool.
E) idiopática.

1
Gab Único RESIDÊNCIA MÉDICA 2007.1 – ESPECIALIDADES CLÍNICAS – DEZEMBRO 2006

CM 14. O exame considerado como “padrão ouro” CM 22. A prevenção de recaída da malária por
para o diagnóstico de cirrose hepática é Plasmodium vivax é feita com
A) ultrassonografia. A) cloroquina.
B) tomografia computadorizada. B) primaquina.
C) histopatológico. C) quinino.
D) dosagem de aminotransferases. D) tetraciclina.
E) marcadores sorológicos de fibrose. E) mefloquina.
CM 15. É causa freqüente de colestase intra-hepática: CM 23. Para o tratamento de calazar grave, a droga
A) coledocolitíase. mais efetiva é
B) estenose de ducto biliar. A) glucantime.
C) colangiocarcinoma. B) pentostan.
D) hepatite viral. C) anfotericina B lipossomal.
E) pancreatite crônica. D) pentamidina.
CM 16. É um dos critérios para classificar a leucemia E) estibogluconato.
mielóide crônica como em fase acelerada:
A) blastos na medula óssea em torno de 20%. CM 24. Marque a droga de escolha para o tratamento
B) eosinofilia periférica de cerca de 10%. de esquistossomose.
C) basofilia periférica de cerca de 8%. A) Praziquantel.
D) plaquetopenia de cerca 97.000/mL. B) Metrifonato.
E) redução da reticulina da medula óssea. C) Oxaminiquine.
D) Albendazol.
CM 17. Anemia aplástica é decorrente de E) Tiabendazol.
A) deficiência das células tronco pluripotentes.
B) lesão medular progressiva por neoplasia. CM 25. O tratamento da estrongiloidíase não compli-
C) anormalidade citogenética na série eritrocítica. cada deve ser feito, de preferência, com
D) mutação no gene PIG-A. A) mebendazol.
E) mutação no gene cmpl. B) albendazol.
C) cambendazol.
CM 18. Tratamento de escolha para cisticercose D) irvemectina.
ocular, em um paciente que tem lesões no sistema E) niclosamida.
nervoso central e subcutâneas.
A) Albendazol. CM 26. O desencadeamento da síndrome de
B) Praziquantel. reconstituição imune no paciente com Aids está
C) Niclosamida. associado a
D) Corticosteróides. A) descontinuidade do esquema antiretroviral.
E) Cirurgia. B) melhora das infecções preexistentes.
C) uso de corticosteróides.
CM 19. Marque o critério utilizado para o diagnóstico D) aumento no número de linfócitos CD4.
de artrite reumatóide, que precisa ter estado contínuo E) infecção oportunista por Cryptosporidium .
por no mínimo 6 semanas e ser observado pelo
medico. CM 27. Assinale a droga de escolha para profilaxia de
A) Edema periarticular simétrico. influenza A e B que não responderam à vacinação.
B) Nódulos subcutâneos. A) Rimantadina.
C) Erosão radiológica dos ossos da mão. B) Amantadina.
D) Osteopenia de punhos. C) Zanamivir.
E) Fator reumatóide. D) Aciclovir.
E) Oseltamivir.
CM 20. Marque a manifestação clínica mais freqüente
no início do quadro de lúpus eritematoso sistêmico. CM 28. No terceiro dia de tratamento de um paciente
A) Fadiga. com endocardite infecciosa com esquema empírico,
B) Febre. chega o resultado das hemoculturas: crescimento de
C) Perda de peso. Streptococcus bovis em todas as amostras. Além da
D) Alopecia. adaptação do esquema de acordo com o TSA (teste
E) Mialgia. de sensibilidade antibiótica), deve obrigatoriamente ser
tomada a seguinte conduta:
CM 21. Efeito tipo dissulfiran pode ser observado entre A) realização de colonoscopia.
a ingestão de álcool durante o tratamento com B) realização de endoscopia digestiva alta.
A) rifampicina. C) tomografia de tórax.
B) cefoperazona. D) solicitar anti-HIV.
C) penicilina. E) interrogar familiares sobre uso de drogas ilícitas.
D) gentamicina.
E) amicacina.

2
Gab Único RESIDÊNCIA MÉDICA 2007.1 – ESPECIALIDADES CLÍNICAS – DEZEMBRO 2006

CM 29. Assinale o tratamento ideal para pacientes C) coelhos.


com endocardite de válvula nativa e hemocultura D) caranguejos.
positiva para estreptococo viridans. E) ostras.
A) Ceftriaxone.
B) Penicilina + oxacilina. CM 37. O mais difícil diagnóstico diferencial da DPOC
C) Oxacilina. é com o(a)
D) Penicilina + gentamicina. A) bronquiectasia.
E) Rifampicina + gentamicina. B) fibrose cística.
C) granuloma eosinofílico.
CM 30. Assinale o sintoma mais comum em pacientes D) linfangioleiomiomatose.
com embolia pulmonar. E) asma brônquica.
A) Dor torácica.
B) Dispnéia. CM 38. Das drogas usadas para o tratamento da
C) Tosse. tuberculose, marque a que pode produzir distúrbios
D) Síncope. vestibulares e auditivos.
E) Taquicardia. A) Isoniazida.
B) Rifampicina.
CM 31. Assinale a patologia que pode levar à C) Piarnzinamida.
compressão do nervo laríngeo e conseqüente rouqui- D) Etambutol.
dão. E) Estreptomicina.
A) Estenose mitral,
B) Insuficiência mitral, CM 39. O uso de propranolol em altas doses pode
C) Estenose aórtica, alterar os hormônios tireoideanos da seguinte forma:
D) Insuficiência aórtica, A) T4 elevado, T4 livre elevado, T3 elevado, TSH
E) Estenose pulmonary, elevado.
B) T4 reduzido, T4 livre reduzido, T3 elevado, TSH
CM 32. Qual o tratamento de escolha para o trata- reduzido.
mento da fibrilação atrial em pacientes portadores de C) T4 elevado, T4 livre normal, T3 normal, TSH
hipertireoidismo? elevado.
A) Amiodarona. D) T4 reduzido, T4 livre elevado, T3 elevado, TSH
B) Cardioversão elétrica. elevado.
C) Betabloqueador. E) T4 reduzido, T4 livre reduzido, T3 reduzido, TSH
D) Verapamil. reduzido.
E) Diltiazem.
CM 40. De acordo com os critérios adotados pela
CM 33. Assinale um dos critérios maiores para o American Diabetes Association, é considerado
diagnóstico de febre reumática, segundo Jones. portador de diabetes mellitus, o paciente que
A) Artralgia. apresente glicemia de jejum e pós-prandial,
B) Febre. respectivamente, a partir de
C) Corea. A) 105 e 120 mg/dL.
D) VHS elevada. B) 110 e 130 mg/dL.
E) BAV 1.º grau. C) 115 e 160 mg/dL.
D) 118 e 170 mg/dL.
CM 34. O sopro de Austin Flint é audível em pacientes E) 126 e 140 mg/dL.
com
A) insuficiência aórtica. CM 41. Um dos riscos dos pacientes com diabetes que
B) estenose aórtica. utilizam altas doses de insulina e mantêm sua glicemia
C) estenose mitral. bem controlada é aumento de
D) insuficiência mitral. A) peso corporal.
E) PCA. B) retinopstia.
C) microalbuminúria.
CM 35. Um sopro contínuo pode ser audível em D) eventos cardiovasculares.
pacientes portadores de E) neuropatia.
A) CIV + insuficiência aórtica.
B) insuficiência aórtica. CM 42. A nefrolitotomia percutânea freqüentemente é
C) PCA. indicada porque a litotripsia é pouco efetiva em
D) canal AV. cálculos de
E) truncus arteriosus. A) oxalato de cálcio.
B) mono-hidrato de cálcio.
CM 36. Asma como doença ocupacional, tem maior C) estruvita.
prevalência entre profissionais que trabalham com D) cistina.
A) camundongos. E) ácido úrico.
B) cobaias.

3
Gab Único RESIDÊNCIA MÉDICA 2007.1 – ESPECIALIDADES CLÍNICAS – DEZEMBRO 2006

CM 43. Dentre as justificativas abaixo, marque a que CM 50. Marque a droga de escolha para o tratamento
melhor se adequa para explicar a queixa de urina de AVC isquêmico típico.
“leitosa” de paciente. A) Heparina subcutânea.
A) Proteinúria. B) Heparina subcutânea.
B) Prorfirinúria. C) Ativador de plasminogênio tissular.
C) Fenacetinúria. D) Warfarin.
D) Quilúria. E) Arteroplastia.
E) Uricosúria.

CM 44. Marque a conduta adequada frente à detecção


de cálculo renal de 2,9 cm de diâmetro no pólo inferior
do rim.
A) Hidratação.
B) Nefrolitotomia percutânea.
C) Litotripsia.
D) Ureterolitotomia cirúrgica.
E) Nefrostomia.

CM 45. Em relação à insuficiência renal não-oligúrica,


é correto afirmar que
A) tem pior prognóstico que a oligúrica.
B) pode ser causada por lesão tubular.
C) em geral decorre de lesão da alça de Henle.
D) a lesão glomerular é mais freqüentemente
responsável.
E) há comprometimento do glomérulo, túbulos e alças.

CM 46. Marque a doença glomerular que cursa com


níveis séricos reduzidos de complemento.
A) Glomerulonefrite pós-estreptocóccica.
B) Síndrome nefrótica com lesão mínima.
C) Glomerulosclerose focal segmentar.
D) Nefropatia membranosa.
E) Granulomatose de Wegner.

CM 47. Dos diagnósticos diferenciais da artrite


reumatóide, marque o que apresenta nódulos
reumatóides e fator reumatóide positivo.
A) Artrite viral.
B) Febre reumática.
C) Gota.
D) Polimialgia reumática.
E) Sarcoidose.

CM 48. Marque a droga para a qual há forte evidência


de que induza uma doença semelhante a lúpus.
A) Fenilbutazona.
B) Procainamida.
C) Griseofulvina.
D) Penicilina.
E) Sais de ouro.

CM 49. Glossite, atrofia das papilas linguais,


estomatite angular, gastrite e rinite atróficas e unhas
frágeis são manifestações de
A) esferocitose.
B) talassemia.
C) anemia megaloblástica.
D) anemia ferropriva.
E) anemia falciforme.