Anda di halaman 1dari 5

UNIVERSIDADE ESTDUAL DO RIO DE JANEIRO

FACULDADE DE DIREITO
2019.1 — TCC I

PROJETO DE PESQUISA

A INSUFICIÊNCIA DA ATUAÇÃO DO ESTADO NA EFETIVIDADE DO


ACESSO À JUSTIÇA COMO POLÍTICA PÚBLICA.

IGOR VIEIRA DE ALMEIDA FERREIRA


Matrícula: 201220550811

RIO DE JANEIRO
2019
2

ÍNDICE:

1) TEMA fl. 03

2) PROBLEMA fl. 03

3) INTRODUÇÃO fl. 03

4) OBJETIVOS GERAIS fl. 04

5) OBJETIVOS ESPECÍFICOS fl. 04

6) RELEVÂNCIA fl. 04

7) MARCO TEÓRICO fl. 05

8) METODOLOGIA fl. 05

9) REFERÊNCIAS fl. 05
3

1) TEMA.

Atuação do Estado e das instituições jurídicas, aplicação e eficácia das


leis nacionais em face da problemática econômica, social e do pluralismo
cultural brasileiro no que tange o acesso à justiça.

2) PROBLEMA.

A importância das instituições jurídicas e suas dificuldades na


manutenção do direito em face da miscelânea cultural da sociedade brasileira,
assim como identificar as ferramentas disponibilizadas pelo Estado para
garantir o acesso e aplicar plenamente esse direito.

3) INTRODUÇÃO.

Através da exposição dos entraves que se colocam ao efetivo acesso à


justiça, como a pobreza, a questão geográfica, o pluralismo cultural, a
necessidade de advogado e a demora na prestação jurisdicional, visa-se
buscar a finalidade da jurisdição, que vem sendo desmantelada pela falta de
políticas públicas efetivas. O Estado brasileiro possui grandes desafios a serem
superados para a validação das regras sociais por ele institucionalizadas, com
o objetivo de realização do bem comum. Na verdade, para alcançar esta
efetividade deveria haver um sistema equilibrado, justo e capaz de eliminar
concretamente as insatisfações e os conflitos.

Para amenizar a inefetividade da jurisdição, disponibilizando o acesso à


justiça, deve-se superar a diferença socioeconômica, bem como implementar
mecanismos e recursos materiais e humanos, de forma efetiva, na atividade
jurisdicional do Estado e em suas políticas públicas, garantindo àqueles que
não possam pagar um advogado, uma assessoria jurídica qualificada e
acessível. Da mesma forma, é indispensável à contratação de servidores, a
modificação na estrutura administrativa, a realização de cursos de formação
para a melhoria dos serviços prestados; a informatização dos tribunais, o
aumento do número de juízes, o incentivo e a implementação à mediação e
conciliação, o aperfeiçoamento da legislação de acordo com as necessidades
reais, também contribuem para que a realização da justiça social, possibilitando
o acesso à justiça.
4

4) OBJETIVOS GERAIS

Dentro das inúmeras funções que o Estado desempenha na sociedade,


o acesso à justiça e a regulamentação das leis que gravitam em torno deste
princípio, sendo esta uma de suas mais importantes atribuições. Nesse sentido,
alguns aspectos devem ser analisados para a contribuição da ineficácia das
normas no meio social que inviabilizam este direito, como atuação ilegal dos
agentes jurisdicionais e a carência de políticas públicas. Sob esse contexto,
busca-se elucidar a aplicação do direito em prol do acesso à justiça no Brasil,
que embora seja uma ferramenta na condução da ordem e do
desenvolvimento, suas normas jurídicas, nem sempre apresentam uma
aplicação efetiva no meio social. Sendo assim, o Estado deve assumir uma
série de responsabilidades, entre elas, o impulsionamento do objetivo das
instituições de direito, assim como a atuação conexa de seus agentes.

5) OBJETIVOS ESPECÍFICOS

São estes algumas das abordagens trazidas por autores em relação à


importância do Estado e de sua jurisdição na manutenção do acesso à justiça e
que devem ser discutidos ao longo do trabalho:

 Sociologia do direito e Sociologia Jurídica.

 Estado e Jurisdição.

 Questões socioculturais e o acesso à justiça.

 Políticas públicas e o acesso ao direito.

 Desvirtuamento do Poder Judiciário e do Ministério Público.

6) RELEVÂNCIA

O acesso à justiça é uma temática digna de muita atenção em todas as


sociedades modernas. No ordenamento brasileiro, por exemplo, trata-se de
garantia constitucional, contudo, a estrutura jurídica não oferece amparo para
que se tenha um acesso pleno e satisfatório. O distanciamento, cada vez mais
latente, entre a população hipossuficiente e o Judiciário foi ocasionado pelos
fatos da história e pelos fatos sociais. A falta de consciência do cidadão comum
com relação a seus direitos, os altos custos, o descrédito na justiça e a sua
morosidade, são algumas de outras razões que inviabilizam o verdadeiro e
amplo acesso a ela. Por isso, se faz necessário repensar novas formas de
atuação dos poderes institucionalizados para que haja uma efetiva prática
deste direito, fazendo valer o seu texto normativo.
.
5

7) MARCO TEÓRICO

Antonio Carlos Wolkemer: Pluralismo Jurídico: Fundamentos para uma


nova cultura do Direito. 3ª Ed. São Paulo. 2001.

Boa Ventura de Sousa Santos: Poderá o direito ser emancipatório?


Florianópolis. Fundação Boiteux, 2007.

Leonardo Greco: Estudos do direito Processual. Faculdade de Direito de


Campos. 2001.

Maria Paula Meneses e Julio Lopes: O Direito por Fora do Direito.


Coleção CES. 2012.

8) METODOLOGIA

A metodologia será pautada pelo método bibliográfico-qualitativo,


parcialmente exploratório, e histórico-jurídico.

 Pesquisa bibliográfica;
 Análise das posições teóricas distintas;
 Análise jurisprudencial.

9) REFERÊNCIAS

 Bibliografia doutrinária
 Jurisprudência
 Sites
 Artigos