Anda di halaman 1dari 15
\asowa 7 Quinta-feira, 4 de Setembro de 2014 DIARIO DA REPUBLICA ORGAO OFICIAL DA REPUBLICA DE ANGOLA Prego deste mimero - Kz: 190,00 Tada» carsspondencin, quer Ocal quer relaiva ® snincio © asinatns do eDiseio da Repiblicas, deve ser diigida & Imprensa EP, au Lanna, Rua Henrique de Curvatho a? 2, Cidade Alta, Caixa Postal 1306, ‘wovwimprensanscinal 2ova0 - End. teles Astute ses [Nacional AL sae AD sae cngeensy, At série SUMARIO Presidente da Repiblica Deeneto Presdencla 230/14: Aprova 0 Esato Onginico do Inatitu Nacional de Metecrologia & Geofisica, — Revoga toda a lesslaco que contra odispasto no resenteDiplona, nomeadaat0 Deereon 608, 225 de Setembro ‘Assembleia Nacional Resohigto n* £214: Aprouno Orga da Assenbleiacional para oan examen de 2014, no valor de AK: 33480815873,00, endoAK2:31:438341,330.00 destinados par nA semblcia Nacional eAKz: 1.995 474.543, para aProvedoria de usta, Ministérios da Administracio do Territério e da Educagio Deco Fseaine Cenjnio 2544 Cris Foc dot Celso Seni do Chivas, Caza de Td Chissokokn,stuadas no Bnicipio daNares, Provincia «dog, com 6 als de sls, 12tamns, tums e aprovn 0 qiatko depestoal das Escola rads PRESIDENTE DA REPUBLICA Decreto Presidencial n.° 230/14 de 4 de Setembro Havendo necessidade de se proceder ao ajustamento da actual estrutura orginica do funcionamento do Instituto ‘Nacional de Meteorologia e Geofisica (INAMET) as novas exigéncias na prestagao do servigo piblico nos dominios da eteorologia e geofisics: ‘Tendo em atengo 0 dispostono novo regime juridico dos Instiitos Piblicos, previsto no Decreto Legislative Presidencial ASSINATURA 1 prego de cada Tinka pblicada nos Daiat Ane Kz: 47061500 Ke 27790000 Kz 14550000 Ke s47000 ha Replica 16 2" sie € de K2: 75.00 e arn 1.32 sie Kz: 95.00, arscido do rexpetivo imposto do selo, depentendo a publicagao da sere de deposit prévioa efeemarnatesourria a Tngrensa Nacional -E.P nS 2/13, de 25 deJunho, que estabelece as Regras de Criagao, Estruturagiio e Funcionamento dos Institutes Piblicos: (O Presidente da Repiblica decreta, nos termos da alinea d) do artigo 120 e don? 3 do artige 125°, ambos da Constituigao dda Repiblica de Angola, o seguinte: ARTIGO 1 Caprovagio) E aprovado 0 Estatuto Organico do Instituto Nacional de Meteorologia ¢ Geofisica, anexo ao presente Decreto Presidencial e que dele é parte integrante, ARTIGO 2 (Revegacio) E revouada toda a legislagao que contraric © disposto no presente Diploma, nomeadamente o Decreto n.° 63/03, «de 26 de Setembro. ARTIGO 3 Davidse omissoes) As davidas e omissbe: scitadas na interpretagiio © aplicagao do presente Decteto Pr pelo Presidente da Repitlica, encial sio resolvidas ARTIGO 4 (Entrada em vig) © presente Diploma entra em vigor na data da suia publicagao, Apreciado em Conselho de Ministros, em Luanda, aos 4 de Julho de 2014, Publique-se. Luanda, a 1 de Agosto de 2014. (0 Presidente da Repsiblica, Jost Eovarno pos SaxTos, 3792 DIARIO DA REPUBLICA. ESTATUTO ORGANICO DO INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA, E GEOFISICA— INAMET. CAPITULO Disposicdes Gerais ARTIGO 1° (Denominaoe nature) 1. 0 Instituto Nacional de Meteorologia ¢ Geofisica, abreviadamente designado por «INAMET», € um Instituto Piilicodo sector econémico ou produtivo criado para asseaurar a pesquisa e prestagio de servigos cientificos nos dominios da meteorologia e geofisica, bem como a coordenagao de actividades operacionais ¢ de investigacao aplicada nas, respectivas dreas, 2. O INAMET ¢ dotado de autonomia administrativa, financeira, palrimonial e cientifica ARTIGO 2° (tissi0) OINAMET tem como missto promover e moniterar a qualidade dos servigos prestados no dominio da meteorologia ce geofisica as estruturas de decisto e aos operadores privades tna adopeao de politicas que fomentam 0 desenvolvimento acelerado e sustentado do Pris, ARTIGO 3° (mito #sede) 1, O INAMET € de ambito nacional ¢ tem a sua sede em Luanda, 2. © INAMET pode, nos termes da legislago em vigor, © mediante actos dos titulares do Orgao cle Tatela © da Administragao do Tervtorio, eriar, extinguir ou alterar as delegasoes ou qualquer outra forma de representagao, em todo o teritério nacional, anqigo 4° Casisagt aplicivel) O INAMET rege-se pelo disposto no presente Fstatuto Orainico, pelos realamentos que 0 venham complementar, ppeloregime juridico dos Insitutos Piblicos ¢ demas leislagao. «em vigor que the seja aplicével ARTIGO s (luetae saperintendéne 1 OINAMET esta sujeito&tutela do Titular do Departamento Ministerial responsavel pelas Teleconnnicagdes eTecnolozias de Informagao, ea superintendéncia do Executivo 2. Carecem de aprovagdo da tutela: @) Os planos de actividades anual ¢ phuriantal € 0 orgamento; b) O relatorio de actividades eas contas: ©) Outros actos previstos na lei; 4) Carecem de aprovago da superintendéncia «@) A definigfo das linhas fndamentais € os objectivos principais da actividade do INAMET, (f Autorizasio da criagao de representagdes locais; £8) Outros actos previstos na lei ARTIGO 6° (Ovjectivos 1, O INAMET prossegte os sesuintes objectivos: a) Promover aregulamentago da instalagao © 0 fancio- nnamento de estayes integradas nas redesnacio de observacies meteoraldgicas,climitieas,sismicas c gcomagnéticas, incluindo o estabelecimento das norms a que deve obedecer a sua manutenco preventiva ¢ correctiva, com vista a salvaguarda Ua fiabilidade da recolha dos dados obtidos; b) Cattificara conformidade dos instrumentos meteo- rolagicos esismolégicos, convencionais ou auto :aticos, que sejam utilizados em todo o teritério nacional, «) Estabelecer critérios para a cestficagao e auditoria os servigos meteorolésicos, climatolézicos ¢ sismicos que sejam prestados com recurso as estagiies em funcionamento, & Centificar a aptidao técnica ¢ profissional do pessoal que operenas diferentes areas de actungto do Ins- tituto, designadamente da Meteorologia Aeronét tica, apés frequéncia de formagao especializada cujos parimetros compete ao INAMET defini ¢) Regulamentar a eriagao de uma base nacional de dados meteorolégicos e geofisicos, criando condigoes para o envio ao INAMET de todos os ddados cbtidos pelos agentes piblicos ou privados que operem estacdes meteoroldgicas,climaticas sismolégicas instaladas em tevritério nacional, ddeterminando os eritérios para a sua validagio, -P Proper a cobranga de taxas pelos servigos prestados @ aviagio civil ea aplicagao de coimas, nos termos da legislagio e regulamentos aplicaveis, ) Propor, em articulagao com os demais prestadores de servigo de navegagao aérea, formagio em ‘meteorologia aeronautien para o pessoal técnico dos diversos agentes, de modo a garantir uma melhor utilizacio e interpretagio dos produtos ¢ servigos dissemninados para a aviaeao civil, +h) Cettificar os cursos em Meteorologia Aeronautica, ‘bem como os respectivos Formadores; I SERIE -N¢ 164~ DE 4 DE SETEMBRO DE 2014 3793, 2. 0 INAMET para a realizagio dos seus objectives fineiona como autoridade técnica, na definigao de nonmas k) Fomecer informagto meteorolé necessévia para fins de defesa nacional, garantindo ica e geofisien técnicas e regulamentares com vista a garantir a qualidade dos produtos ¢ servigos. oadequade sigilo; ) Promover servigos de informagao elimatica e de weo- agqigo7* Catrbuioes) OINAMET tem as seguintes atribuigdes 4) Colaborar com o Departamento Ministerial de Tutela na definigao da politica e da estratégia ara o desenvolvimento nacional, no ambito da prossecustio das suas atribuigoes, ) Asseguraravigildncia meteorolégica e geo todo 0 taritério nacienal; ©) Planear,instalar € coordenar as redes nacionais de observages meteorol6aicas, limticas e sismi cas distribuidas por todo o temiterio nacional, de acordo com os padroes impostos pelas normnas nacionais eintemacionais aplicaveis, garantindo as observardes meteoroléaicas ¢ climéticas, a sua interligago a0 Sistema Mundial de Obser- ‘vages como parte do Programa da Vigilancia Meteoroldgica Mundial e do Programa Mundial de nvestigagio do Clima eno que diz respeito a ‘gcofisica a sua ligaglio com a Rede Mundial de Sismologia e de Geomagnetismo, ) Monitorar as condigbes de tempo e de lima em todo o taritério nacional, procedendo recolha,reaisto, arquivo, tratamento € publicagao dos resultados das observagGes, garantindo a troca intemacio- nal de dados, de acordo com os procedimentos € ‘nomnas ean vigor &) Blaborar e dif undir previsbes meteorolégicas para todos os objectivos, em particular, de apoio sean ramga e operagies denavegagio aévea e maritima, -f Deseavolver mdodologias etécnicas para melhorar 0 ‘srau de acerto das previsdes do estado do tempo, através do uso de modelos regionais ajustados as condigdes locais ¢ em todas as escalas temporais: 9) Emitiravisos calertas sob condiedes meteorolsaicas aadversas, ssegurando a necessiriaarticulago com os servigos e érafios competentes nos dominios da Protecgaio Civil e Aviagtio Civil, i) Emir avisos de fenomenos geofisicos, 1 Cettificar as condigdes de ocorréncia de fenomenes, meteorologicos e geofisicos adversos, J Assegurar a difusio publica da informagio meteoro- logica, climtica © ecfisica mediante a validagao dos dados ¢ identificagio da sua fonte, quando sejam obtidos por entidades terceiras ao Instituto: fisica de apoio a diversas actividades, permitindo cesso uma base integrada de dados, de modo searantir uma Tigagao estrita entre produtores de servigos cientificos e utilizadores; im) Bstinnular a investigagto multissectorial e multidisei- pilinar em todos os dominios que ajudam a methorar co conhecimento sobre o fimcionamento do Sistema Climatico € dos subsistemas que com ele intera- gem, nomeadamente 0s processos atmosféricos nivel local e de interacgo Oceano-Atmosfera, nn) Proceder a estudos meteoroldaicos ¢ geofisicos no fimbito do acompanhamento de projectos piblicos e privados, tendo em vista 0 desenvolvimento econémice sustentavel e nacional; ) Realizar € apoiar estudos téenicos e promover a estizagao aplicada na Avea da Metearologia © Geofisica, ainda que a inicistiva da sua elabora- (20 caiba a outras entidades publicas e privadas, bem como cooperar com institui¢oes cientificas, lecnologicas eafins, designadamente organizagies ce agéncias intemacionais congéneres;, _p) Promover ¢ executar estudos téenicos ¢ investigagao ‘plicada no dominio do clima, acompanhando a sua variabilidade © desenvolvendo capacidades téenicas na area da modelagio regional clima- tica com vista a gerar projecgses de censirios do lima futuro; 4g) Colaborar na elaboragao de estudos e pareceres no ‘imbito do procedimente de Avaliagao de Impacte Ambiental, na vertente do clima, quando, para tanto, seja solicitado, por entidades publicas ou privadas; 1) Defender a propriedade intelectual das obras cien- tificas © tecnolégicas produzidas no ambite da prossecugo das suas atribuigdes; 5) Assegurar a promogao de formagio, através do Centro GeoRiscos, designadamente nas freas da Meteorologia ¢ da Geofisica, designadamente da Meteorologia Maritima, da Meteorologia Aeronautica, da Hidrometeorologia e da Agro- -Meteorologia, da Climatologia, da Sismologia edo Geomagnetismo colaborando, para tal, com coutras entidades piblicas e privadas;