Anda di halaman 1dari 11

UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS

TECNOLOGIA EM ÓPTICA E OPTOMETRIA

“DO CORPO GENICULADO LATERAL ATÉ AO CÓRTEX VISUAL”

MOGI DAS CRUZES

2017
Alex dos Santos Machuca

Ana Cristina Barroso Braga

Eveliny Costa Lima

Lucas de Godoy Gutierres

Samanta Pinto Dias Ferreira

“DO CORPO GENICULADO LATERAL ATÉ AO CÓRTEX VISUAL”

Projeto de pesquisa do Curso de Tecnologia em


Óptica e Optometria da Universidade Braz Cubas,
para avaliação parcial na disciplina Projeto Integrador
II, sob a orientação da Profª Me. Vanda Trettel.

MOGI DAS CRUZES

2018
SUMÁRIO

PROJETO INTEGRADOR II

PRODUTO 4

Do Corpo Geniculado Lateral até o Córtex Visual 4

Radiações Ópticas 5

Via retino-geniculada calcarina 6

CONSTRUÇÃO DA MAQUETE 6

Custos envolvidos 7

PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL 8

REFERÊNCIAS 11
1. PRODUTO
1.1. Do Corpo Geniculado Lateral até o Córtex Visual

Após a decussação dos nervos ópticos no quiasma óptico, direito e esquerdo


respectivamente, passam a ser identificados como tratos ópticos até chegarem ao Corpo
Geniculado Lateral.

O Trato óptico contornando o diencéfalo com seus terceiros neurônios sensitivos


(Neurônios Ganglionares) traz a informação na via para o tálamo, onde está o quarto neurônio
da via óptica, uma pequena dilatação na parede posterior do tálamo identificado como CORPO
GENICULADO LATERAL do Tálamo, onde está o núcleo geniculado lateral do tálamo.

CORPO GENICULADO LATERAL - RADIAÇÕES ÓPTICAS - CÓRTEX VISUAL


1.2 Radiações Ópticas

Das Radiações Ópticas que partem do Corpo Geniculado Lateral do Tálamo, 10% delas
se direcionam para o Pulvinar do Tálamo, onde se está localizada a glândula pineal, logo abaixo
o teto do mesencéfalo, onde estão os dois cólicos superiores e inferiores e se direcionam os 10%
das Radiações conhecidas como vias geniculo calcarinas.

Essas vias ao chegarem no Corpo Geniculado Lateral, não fazem sinapses neste momento,
passaram pelo braço do colículo superior e chegam ao núcleo pré-tectal do mesencéfalo
(responsável pelo Reflexo Pupilar) e são as vias das FIBRAS RETINO PRÉ-TECTAL, e a via
dos neurônios do colículo superior que são as FIBRAS RETINO TECTAIS (responsáveis pelos
reflexos corporais visuais)

NUCLEO PRÉ-TECTAL DO MESENCEFALO

COLÍCULO SUPERIOR
LOBO OCCIPITAL SULCO CALCARINO

VIA RETINO-GENICULADA CALCARINA

Os Outros 90% das fibras chegam ao Lobo u Lóbulo Occipital, que fica mais atrás no
telencéfalo, as fibras partem do tálamo (no corpo geniculado lateral) e se direcional para o
lóbulo occiptal próximo ao Sulco Calcarino, e é nos lábios do Sulco Calcarino que fica o Córtex
Visual Primário, parte mais importante para a formação de imagem, mesmo que ainda sim,
continue como estimulo elétrico.

2. MONTAGEM DA MAQUETE

A maquete construída vem demonstrar a parte do corpo geniculado nas vias ópticas. Para
isso utilizamos um Crânio com a parte superior cortada na demonstração do cérebro e das vias
ópticas. Construímos a parte da massa encefálica com resina e posteriormente as vias ópticas,
nervos, quiasma, corpo geniculado lateral que estão representados com “Durepox”.

Fizemos algumas tentativas de utilizar fitas de LED para que a representação fosse mais
perceptível, mas infelizmente derretiam após o processo de endurecimento que aquecia a resina.

A maquete será demonstrada por peças separadas para que possamos explicar a parte do
corpo geniculado. Comprada a resina em uma loja na região do Brás, foram realizadas várias
tentativas para achar o ponto da resina, precisando inclusive de participar de uma miniaula na
loja que foi comprada a resina para poder manuseá-la. Ao final, foi decidido que a apresentação
seria feita com a massa encefálica em resina e vias ópticas de “Durepox”.

Os resultados pretendidos na montagem propiciaram maior entendimento e aprendizado


quanto ao funcionamento das vias ópticas, desde o corpo geniculado lateral até o córtex visual.
Reunião para determinar a responsabilidade de cada integrante do trabalho, neste
momento, o trabalho foi separado pela equipe, onde, a Ana Braga ficou responsável pela parte
escrita e os demais integrantes na construção da maquete, ressaltando que Ana Braga ajudou a
finalizar a construção da maquete.

2.1.1 CUSTOS ENVOLVIDOS

Material Parte da maquete Qtd. Und. Total


Silicone Primeiro teste 3 R$ 8,00 R$ 24,00
Espátula de plástico Utilizada para moldar o silicone 1 R$ 5,00 R$ 5,00
Filme PVC Utilizado para forrar o molde da 1 R$ 7,00 R$ 7,00
cavidade craniana
Interruptor Utilizado para compor o 1 R$ 3,00 R$ 3,00
conjunto das luzes de LED
Fio elétrico duplo Utilizado para compor o 1 R$ 1,00 R$ 1,00
conjunto das luzes de LED
Durepox Utilizado para a construção do 1 R$ 17,80 R$ 17,80
corpo geniculado lateral
Pino macho 2P Utilizado para compor o 1 R$ 4,21 R$ 4,21
conjunto das luzes de LED
Resina Cristal Utilizada para a modelagem do 5 R$ 22,00 R$ 110,00
telencéfalo
Catalisador da Resina Utilizada para a modelagem do 1 R$ 8,00 R$ 8,00
telencéfalo
Borracha de Silicone Utilizada para a modelagem do 2 R$ 44,00 R$ 88,00
telencéfalo
Catalisador da Borracha Utilizada para a modelagem do 2 R$ 6,00 R$ 12,00
telencéfalo
Vaselina liquida Utilizada para a modelagem do 1 R$ 3,20 R$ 3,20
telencéfalo
Gesso Utilizada para a modelagem do 2 R$ 2,75 R$ 5,50
telencéfalo
TOTAL R$ 288,71
3. PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL

3.1. Alex dos Santos Machuca


Iniciamos a primeira tentativa de construção em sala de aula com silicone, porém após
quinze dias o silicone não endureceu. Passamos a pesquisar outros materiais e chegamos a
resina, fizemos alguns moldes com borracha de silicone para construirmos o cérebro e assim
podermos trabalhar com a resina.
Após alguns testes com a resina conseguimos achar o ponto correto, começamos pelo
globo ocular para o quiasma óptico até o corpo geniculado lateral e construímos as fibras até o
Córtex Visual.
3.2. Ana Cristina B. Braga

Iniciada a proposta da confecção do Projeto Integrador II em meados de fevereiro,


contatei antigos integrantes de grupo de trabalhos anteriores e mais três novos integrantes e
formarmos a equipe proposta de seis integrantes, aqui relacionados.

Após o sorteio de conteúdo proposto, nos foi determinado o tema “Do corpo geniculado
lateral até o córtex visual” para a construção de maquete e apresentação discursiva. Neste
momento, nos reunimos e lancei a ideia da construção de partes cerebrais transparentes,
representação das fibras neurais com pontos luminosos e cores nas fibras ópticas e vias ópticas.

Junto com mais um integrante do grupo, fui até a biblioteca da Instituição de Ensino para
selecionar as obras que seriam usadas como referência de pesquisa para a construção da
maquete.

O terceiro passo a ser dado era determinar as funções dentro do grupo para a execução da
maquete, folheto explicativo e trabalho de apresentação do produto final. Novamente nos
reunimos, e determinou-se que eu participaria das decisões de construção da maquete, porém a
inteligência física envolvida ficaria por conta da construção do folheto explicativo e trabalho
escrito para apresentação do produto do projeto – Maquete Interativa com tema “Do Corpo
Geniculado até o Córtex Visual”.

Durante as tentativas realizadas de material para a construção da maquete, tentativas que


apresentaram dificuldades no manuseio do produto escolhido em grupo, dei a ideia de se utilizar
resina acrílica após moldagem na borracha de silicone para a representação do Telencéfalo, e
massa de modelar para o corpo geniculado e fibras visuais.
Acompanhando a construção da maquete, percebi a necessidade de também me envolver
com a construção, e dois dias antes da apresentação do trabalho, me desloquei até a casa da
integrante Samanta, para finalizarmos, resultando na construção da maquete principal, maquete
interativa e expositiva.

Ainda aguardando o descritivo do que cada integrante da equipe realizou, terminei a parte
escrita no dia anterior da apresentação do mesmo.

3.3. Eveliny Costa Lima


A ideia inicial para construção da maquete seria criar uma estrutura transparente que
ressaltasse em colorido as vias ópticas focando no corpo geniculado lateral, passando pelas vias
ópticas até o córtex visual, tema do nosso trabalho.
Me desloquei junto com mais um integrante até a biblioteca para selecionar as referências
a serem utilizadas na pesquisa de construção do conhecimento, posteriormente, já decidido que
iriamos utilizar silicone para a construção da estrutura cerebral transparente, me desloquei com
mais dois integrantes para a compra do material. O material comprado para a primeira tentativa
demonstrou não ser viável para o uso, então em uma nova reunião com todos os integrantes
optamos pela resina, e após alguns testes chegou-se no ponto ideal para a manipulação.
Iniciado o trabalho em resina, as luzes de Led que foram escolhidas pelo grupo não foram
viáveis pois derretiam em contato com a resina, desta forma participei de nova reunião da
equipe para decidir se não usaríamos mais tal recurso.
Ajudei na digitação e estudos de finalização com mais dois integrantes para a
apresentação discursiva do trabalho proposto.
3.4. Lucas de Godoy Gutierres

Nosso projeto deu início quando propus que nossa maquete fosse feita de silicone, pois é
um material transparente e daria para colocarmos luzes, mostrando assim o trajeto percorrido
da via visual.

Procurei molde de cérebro na internet para que tivéssemos um molde para preencher com
silicone, assim tendo um protótipo de um cérebro, foi oferecido por um integrante um molde
existente porem em desuso, para colocarmos em pratica a ideia inicial. Porém, após preencher
o crânio com o silicone percebemos que o silicone não secava o suficiente para manuseio.
Decidimos por outra hipótese, em comprar cérebro pronto e pintar nossa via visual, porem o
valor era elevado e não daria tempo hábil de entrega para construção da maquete e apresentação
do trabalho.
Pesquisei outros métodos na internet, onde o grupo teve a ideia de fazer em resina, após
arrecadarmos o dinheiro compramos a resina e marcamos com todos os integrantes no final de
semana para que descemos início a construção da maquete.

Como foi a primeira vez que trabalhamos com resina perdemos muito tempo para que
conseguíssemos achar o ponto certo de manuseio da resina, tentamos também colocar luz para
representar a via visual chegando no córtex visual, porem a resina e altamente corrosiva e
derreteu os fios, como não obtivemos êxito fizemos as vias ópticas em “Durepox”.

3.5. Samanta Dias P. Ferreira


A maquete construída vem demonstrar a parte do corpo geniculado nas vias ópticas. Para
isso utilizamos um Crânio com a parte superior cortada na demonstração do cérebro e das vias
ópticas.
Construímos a parte da massa encefálica com resina e posteriormente as vias ópticas,
nervos, quiasma, corpo geniculado lateral que estão representados com “Durepox”.
Fizemos algumas tentativas de utilizar fitas de LED para que a representação fosse mais
perceptível, mas infelizmente derretiam após o processo de endurecimento que aquecia a resina.
A maquete será demonstrada por peças separadas para que possamos explicar a parte do
corpo geniculado.
Fui comprar a resina em uma loja na região do Brás e realizei várias tentativas para achar
o ponto da resina, precisando inclusive de participar de uma miniaula na loja que comprei a
resina para poder manuseá-la. Ao final foi decidido que a apresentação seria feita com a massa
encefálica em resina e vias ópticas de “Durepox”.
Os resultados pretendidos na montagem propiciaram maior entendimento e aprendizado
quanto ao funcionamento das vias ópticas, desde o corpo geniculado lateral até o córtex visual.
Reunião para determinar a responsabilidade de cada integrante do trabalho, neste
momento, o trabalho foi separado pela equipe, onde, a Ana Braga ficou responsável pela parte
escrita e os demais integrantes na construção da maquete, ressaltando que Ana Braga ajudou a
finalizar a construção da maquete.
REFERÊNCIAS

1. SILVA, Rogério de Liz e. Neuro Mecanismo Funcional da Vida. 1ª Edição. Passos:


Clube de Autores, 2015.
2. GARTNER, Leslie P.. Tratado de Histologia, 1943 [tradução Marcelo Sampaio
Narciso]. 4ª ed. Rio de janeiro: Elsevier, 2017.
3. HANSEN, J.T. Netter Anatomia para Colorir. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010
4. MACHADO, Angelo B. M.. Neuroanatomia Funcional. 3 Edição, São Paulo:
Editora Atheneu, 2014.