Anda di halaman 1dari 2

Quero falar um pouco sobre a doutrina, para alicerçar mais a nossa

estrutura espiritual. Sabemos que Deus nos dá instruções para


fundamentar a nossa vida. Quando olhamos para a Bíblia, temos uma
visão de Deus comunicando a sua vontade.

Em Hebreus 6.1-3, vemos o que chamamos de “as doutrinas básicas”, que


é a doutrina de Cristo, que é a pedra angular, o fundamento.

“Se forem destruídos os fundamentos, que poderá fazer o justo?”


(Salmos 11.3)

A resposta é: “nada”. Não temos onde nos firmar sem


fundamentos. Quando penso em fundamentos, eu me lembro da cidade
de Santos-SP. Quem a conhece, sabe do que estou falando. Tem uma
coisa muito interessante lá nos prédios, sa beira da praia, próximo ao mar,
alguns deles parecem estar inclinados.

Estou falando de prédios de 15, 20 andares. Quando olhamos, temos uma


sensação de que se um cair, os outros cairão junto, como efeito dominó.
Um dia em que eu estava lá, o Pr. Luis Fernando, líder da nossa igreja lá,
me explicou que, às vezes, na construção daqueles prédios, eles gastaram
uma fortuna para cavar ao redor do fundamento, para fortalecê-los, houve
todo um trabalho de congelamento da água para subir de milímetro em
milímetro aquele prédio, ao ponto dele ficar novamente no nível correto,
para que, assim, ele não venha a cair. Eles gastaram muito tempo e muito
dinheiro para “restaurar” o fundamento.

Atentando para esse exemplo, podemos dizer que, às vezes, vemos


crentes que estão até em pé e parecem estar crescendo, edificando coisas,
mas estão correndo um grande risco de vida espiritual, porque o
fundamento está comprometido.

Nós temos que voltar a cuidar do fundamento, temos que observar como
está o nosso fundamento, precisamos saber como as verdades de Cristo
estão dentro de nós e como elas estão nos dominando.
Será que estamos mesmo “firmes na verdade”?

Paulo escreveu: “Examinai a vós mesmos se estais na fé” (II Co. 13.5).
Eu vou me examinar para ver se estou na fé, conferindo se a Palavra está
dentro de mim e se eu estou andando à luz dela.

“E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os


seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do
homem? E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e
outros, Jeremias, ou um dos profetas. Disse-lhes ele: E vós, quem
dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o
Cristo, o Filho do Deus vivo. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-
aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne
e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.Pois também eu te
digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja,
e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;E eu te darei as
chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado
nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”
(Mateus 16:13-19)

Observe que Jesus perguntou aos discípulos e Pedro se levantou como se


tivesse uma revelação súbita: Tu és o Cristo, o filho do Deus
vivo. Segundo Jesus, este é o fundamento da Igreja, da nossa vida, saber
que Jesus é o Cristo, o enviado, o Messias prometido, que Ele é aquele
que vinha para cumprir tanto profecias de sofrimento como de glória. É
aquele que estava para executar a obra de Deus, que cumpriu as coisas
que estavam escritas a respeito dele. Cristo, quem Ele é e o que Ele
ensinou, é o nosso fundamento. Sobre ele devemos estar bem firmados e
crescermos sem receio algum.