Anda di halaman 1dari 7

Faculdade São Lucas

Centro de Ensino São Lucas Ltda

Coordenação do Curso de Direito

RELATÓRIO DE AUDIÊNCIA (item 3.2)


Nome: Registro acadêmico:
HUÍLA FORTES DE SOUSA 1200710776
Período Letivo: Disciplina: Turma: Professor/orientador:
7º Período Prática Penal 2007.1 Carlos Renato
Dados do Processo:

Vara/Juizado/Câmara/Turma: Ação/Recurso: Processo nº:


2ª Vara Criminal/ Porto Velho Ação Criminal 0002705-85.2010.8.22.0501
Nome das Partes:
Vítima: Ailton da Silva Velozo / Réu: Israel dos Santos Nogueira

Tipo de Audiência/Sessão: Data: Horário (início/término)


Instrução e Julgamento 19/04/2010 11h00min – 11h30min

Relatório:
Abertos os trabalhos, o Juiz deu início à oitiva da vítima AILTON DA SILVA VELOZO, que
respondeu ao Juiz que é moto- taxista e trabalha com a motocicleta descrita na denuncia. Após,
o Juiz ouviu a testemunha LAERCIO JOSÉ BIANCHINO que respondeu que o CIOP recebeu
uma denúncia anônima de que no local dos fatos havia uma motocicleta escondida. Segundo
informava a denuncia o acusado usava essa motocicleta somente à noite. Esteve no local dos
fatos e constatou a existência dessa motocicleta. Dando continuidade foi ouvido o réu ISRAEL
DOS SANTOS NOGUEIRA, o qual foi cientificado dos fatos constantes na denúncia
ministerial que originou essa ação penal , e respondeu que o proprietário da moto a entregou a
ele para que cuida-se dela, ao passo que saiu e que voltaria depois, passado muito tempo e não
retornando o depoente levou a moto para sua casa. Em alegações finais o Ministério Público
reitera pedido de condenação por receptação e a defesa pede absolvição por insuficiência de
provas. Assim, o Juiz julgou procedente a denúncia e condenou ISRAEL DOS SANTOS
NOGUEIRA nas penas do art 180 caput do Código Penal, fixando a pena base no mínimo legal
de 1 ano de reclusão, e em razão da reincidência aumenta a pena para 1 ano e 3 meses, e deixa
de aplicar a pena de multa por entender que o acusado não possui condições financeiras.

Visto do juiz Carimbo


Assinatura do Estagiário:

Carga Horária: Visto do


Professor/Orientador

Faculdade São Lucas


Centro de Ensino São Lucas Ltda

Coordenação do Curso de Direito

RELATÓRIO DE AUDIÊNCIA (item 3.2)


Nome: Registro acadêmico:
HUÍLA FORTES DE SOUSA 1200710776
Período Letivo: Disciplina: Turma: Professor/orientador:
7º Período Prática Penal 2007.1 Carlos Renato
Dados do Processo:

Vara/Juizado/Câmara/Turma: Ação/Recurso: Processo nº:


Vara de Atendimento à Mulher Vítima de Ação Criminal 0076861-15.2008.8.22.0501
Violência Doméstica e Familiar e Crimes
contra Crianças e Adolescentes.
Nome das Partes:
Vítima: Edilene Passos Rodrigues/ Acusado: Eden dos Passos Lima
Tipo de Audiência/Sessão: Data: Horário (início/término)
Instrução e Julgamento 09/06/2010 09h00min – 09h30min

Relatório:
Dado início aos trabalhos, foi aberta a audiência, realizada a inquirição das testemunhas e o
interrogatório do réu. Após a instrução, passou-se as alegações finais orais, onde dada a palavra ao
Ministério Público, onde diz que o acusado sob efeito de álcool, ofendeu a integridade corporal de sua
ex-companheira EDILENE PASSOS RODRIGUES, aplicando-lhe um golpe com uma agenda no rosto e
um empurrão, provocando lhe lesões. E, que posteriormente o acusado com ciúmes dizendo que ela o
traia e que se a visse com outro homem a mataria. Dada a palavra a Defesa, foi requerido prazo para
alegações finais. A Juíza deferiu o requerimento da defesa e concedeu o prazo de 05 dias.

Visto do juiz Carimbo


Assinatura do Estagiário:

Carga Horária: Visto do


Professor/Orientador

Faculdade São Lucas

Centro de Ensino São Lucas Ltda

Coordenação do Curso de Direito


RELATÓRIO DE AUDIÊNCIA (item 3.2)
Nome: Registro acadêmico:
HUÍLA FORTES DE SOUSA 1200710776
Período Letivo: Disciplina: Turma: Professor/orientador:
7º Período Prática Penal 2007.1 Carlos Renato
Dados do Processo:

Vara/Juizado/Câmara/Turma: Ação/Recurso: Processo nº:


2ª Vara Criminal/ Porto Velho Ação Criminal 0025380-76.2009.8.22.0501
Nome das Partes:
Vítima: Eliana Rodrigues Gonçalves / Réu: Cleber da Silva Danser

Tipo de Audiência/Sessão: Data: Horário (início/término)


Instrução e Julgamento 17/06/2010 08h00min – 08h30min

Relatório: Dado início aos trabalhos, o Juiz ouviu a Vítima Eliana Rodrigues Gonçalves, onde
respondeu que conheceu o acusado através de seu esposo, e que o acusado lhes ofereceu uma
carta de crédito contemplada de um imóvel na Caixa Econômica Federal, pronta para transferir.
Para tanto pagou a quantia de R$ 3.000,00. A promessa era de que em uma semana estariam
com a carta de crédito já transferida. A defesa requereu prazo para juntada de documentos,
comprovantes estes de depósitos feitos na conta da vítima pelo denunciado, para restituir-lhes o
valor pago, após a frustração do negócio. Foi encerrada a instrução e dado um prazo para
apresentação dos documentos até o dia 21/06/2010.

Visto do juiz Carimbo


Assinatura do Estagiário:

Carga Horária: Visto do


Professor/Orientador

Faculdade São Lucas

Centro de Ensino São Lucas Ltda

Coordenação do Curso de Direito


RELATÓRIO DE AUDIÊNCIA (item 3.2)
Nome: Registro acadêmico:
HUÍLA FORTES DE SOUSA 1200710776
Período Letivo: Disciplina: Turma: Professor/orientador:
7º Período Prática Penal 2007.1 Carlos Renato
Dados do Processo:

Vara/Juizado/Câmara/Turma: Ação/Recurso: Processo nº:


Vara de Atendimento à Mulher Vítima de Ação Criminal 0081965-51.2009.8.22.0501
Violência Doméstica e Familiar e Crimes
contra Crianças e Adolescentes.
Nome das Partes:
Vítima: Danielly Costa Silva/ Réu: Guilherme Henrique Zangrado
Tipo de Audiência/Sessão: Data: Horário (início/término)
Instrução e Julgamento 09/06/2010 10h30min – 11h00min

Relatório:
Dado início aos trabalhos, foi aberta a audiência com oitiva da vítima, depois da testemunha Kelly Costa
Lima e o interrogatório do réu. Encerrada a instrução, passou-se às alegações finais orais, oportunidade
em que o Ministério Público trouxe que o réu ofendeu a integridade corporal de sua esposa, pisando em
seu braço enquanto dormia num colchão. E o réu ao ser ouvido disse que havia 5 dias que Danielly não
lhe deixava pegar o filho e dormia num outro quarto com a criança. Dada a palavra a defesa, com base
em provas colhidas em audiência foi pedida a absolvição do réu ante a inexistência de prova inequívoca
que leve a crer que Guilherme tenha tido qualquer intenção de machucar ou agredir a integridade física
da vítima. Pela Juíza foi deliberado os autos conclusos para sentença.

Visto do juiz Carimbo


Assinatura do Estagiário:

Carga Horária: Visto do


Professor/Orientador

Faculdade São Lucas

Centro de Ensino São Lucas Ltda

Coordenação do Curso de Direito

RELATÓRIO DE AUDIÊNCIA (item 3.2)


Nome: Registro acadêmico:
HUÍLA FORTES DE SOUSA 1200710776
Período Letivo: Disciplina: Turma: Professor/orientador:
7º Período Prática Penal 2007.1 Carlos Renato
Dados do Processo:
Vara/Juizado/Câmara/Turma: Ação/Recurso: Processo nº:
Vara de Atendimento à Mulher Vítima de Ação Criminal 0029971-81.2009.8.22.0501
Violência Doméstica e Familiar e Crimes
contra Crianças e Adolescentes.
Nome das Partes:
Vítima: Ivânia Pinto Castro e Jaimesson Castro da Silva/ Réu: Francisco Odair Rosa Sombra
Tipo de Audiência/Sessão: Data: Horário (início/término)
Instrução e Julgamento 09/06/2010 08h30min – 09h00min

Relatório:
Dado início aos trabalhos, foi aberta a audiência e ouvida as vítimas Ivânia Pinto Castro e Jaimesson
Castro da Silva, da testemunha e o interrogatório do réu. Ao encerramento da instrução foi dado início
as alegações finais orais. Dada a palavra ao Ministério Público o réu compareceu a residência de sua
ex-companheira Ivânia Pinto de Castro e, sem motivo aparente, ofendeu sua integridade corporal, com
empurrões, apertão no pescoço e tapas no rosto, causando escoriação ungueal. Ao ser interrogado o
réu disse que ao seu entendimento não bateu e nem agrediu. Dada a palavra a defesa, apresentou as
alegações finais, onde trouxe que o defendendo foi denunciado pela prática delitiva contida no art. 129,
§ 9º, e art. 147, ambos do CP. No que concerne a materialidade do delito de ameaça, em função do tipo
penal, necessário se faz a prova testemunhal, quanto ao delito de lesão corporal, nada há que se
questionar, principalmente frente ao auto de prisão em flagrante, e laudo de corpo e delito, que aliado à
prova testemunhal impossibilita qualquer argumento no sentido de questioná-la. Com relação à autoria
o defendendo, impossibilita qualquer argumento no sentido de questioná-la. Com relação a autoria o
defendendo, ao ser ouvido em juízo nega que tenha agredido a vítima, tanto é que quando chegou na
Delegacia não ficou preso porque o delegado não viu nenhuma lesão na vítima. Ficou deliberado pela
Juíza que os autos estão conclusos para sentença.

Visto do juiz Carimbo


Assinatura do Estagiário:

Carga Horária: Visto do


Professor/Orientador
Faculdade São Lucas

Centro de Ensino São Lucas Ltda

Coordenação do Curso de Direito

RELATÓRIO DE AUDIÊNCIA (item 3.2)


Nome: Registro acadêmico:
HUÍLA FORTES DE SOUSA 1200710776
Período Letivo: Disciplina: Turma: Professor/orientador:
7º Período Prática Penal 2007.1 Carlos Renato
Dados do Processo:

Vara/Juizado/Câmara/Turma: Ação/Recurso: Processo nº:


1º Juizado Especial Criminal Ação Criminal 0100623-17.2009.8.22.0601
Nome das Partes:
Vítima: Maria Alves da Silva Barcelos/ Acusado: Sebastião Vercilio Costa
Tipo de Audiência/Sessão: Data: Horário (início/término)
Instrução e Julgamento 09/06/2010 09h00min às 09h30min

Relatório:
Dado início aos trabalhos, foi aberta a audiência presidida pelo Exmo. Sr. Juiz de Direito Dr. Roberto Gil
de Oliveira, sendo nomeada a Assistente Jurídica do Estado, Dra. Ruth Morimoto, exercendo a função
de Defesa Pública. Dada a palavra à assistente jurídica da Defensoria para apresentar a defesa
preliminar, onde trouxe a contestação da denuncia em todos os seus termos, uma vez que a acusação
está fundada em fatos que não correspondem com a verdade. Por conseguinte o representante do
Ministério Público fez a proposta de suspensão condicional do processo, contudo foi recusada pelo réu.
O Juiz deu início então a instrução com a oitiva das testemunhas. Após a oitiva das testemunhas o
Ministério Público insistiu na oitiva da testemunha ausente, Rosineide Furtado Cardoso, requerendo sua
condução coercitiva. Foi deliberado pelo Juiz o deferimento do requerimento do Ministério Público e
redesignando a audiência de continuidade.

Visto do juiz Carimbo


Assinatura do Estagiário:

Carga Horária: Visto do


Professor/Orientador

Faculdade São Lucas

Centro de Ensino São Lucas Ltda

Coordenação do Curso de Direito

RELATÓRIO DE AUDIÊNCIA (item 3.2)


Nome: Registro acadêmico:
HUÍLA FORTES DE SOUSA 1200710776
Período Letivo: Disciplina: Turma: Professor/orientador:
7º Período Prática Penal 2007.1 Carlos Renato
Dados do Processo:

Vara/Juizado/Câmara/Turma: Ação/Recurso: Processo nº:


1º Juizado Especial Criminal Ação Criminal 0000448-78.2010.8.22.0601
Nome das Partes:
Vítima: Administração Pública/ Acusado: Everton Pereira da Silva
Tipo de Audiência/Sessão: Data: Horário (início/término)
Instrução e Julgamento 23/06/2010 09h00min – 09h30min

Relatório:
Dado início aos trabalhos, foi aberta a audiência presidida pelo Exmo. Sr. Juiz de Direito Dr. Roberto Gil
de Oliveira, sendo nomeada a Assistente Jurídica do Estado, Dra. Ruth Morimoto, exercendo a função
de Defesa Pública. Dada a palavra a Assistente Jurídica da Defensoria, para apresentar defesa
preliminar, manifestou-se com a contestação da denúncia em toso os seus temos. Em seguida o Juiz
decidiu que pelo recebimento da ação oferecida pelo Ministério Público contra o denunciado. O
representante do Ministério Público deixou de fazer a proposta de suspensão condicional do processo,
pois o réu tem registro de antecedentes criminais. O Juiz determinou o início da instrução com a oitiva
das testemunhas, sendo procedido pelo interrogatório do réu. Dado o encerramento da instrução, o Juiz
abriu vistas as partes para alegações finais, em forma de memoriais.

Visto do juiz Carimbo


Assinatura do Estagiário:

Carga Horária: Visto do


Professor/Orientador