Anda di halaman 1dari 17

Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

Parte A:

1. (Uece 2014) Sejam f : R  R a função definida por f(x)  x2  x  1, P e Q pontos do gráfico


de f tais que o segmento de reta PQ é horizontal e tem comprimento igual a 4 m. A medida da
distância do segmento PQ ao eixo das abscissas é

Observação: A escala usada nos eixos coordenados adota o metro como unidade de
comprimento.
a) 5,25 m.
b) 5,05 m.
c) 4,95 m.
d) 4,75 m.

2. (Unicamp 2014) Sejam a e b reais. Considere as funções quadráticas da forma


f(x)  x2  a x  b, definidas para todo x real.

a) Sabendo que o gráfico de y  f(x) intercepta o eixo y no ponto (0,1) e é tangente ao eixo x,
determine os possíveis valores de a e b.
b) Quando a  b  1, os gráficos dessas funções quadráticas têm um ponto em comum.
Determine as coordenadas desse ponto.

3. (Espcex (Aman) 2014) Uma indústria produz mensalmente x lotes de um produto. O valor
mensal resultante da venda deste produto é V(x)  3x2  12x e o custo mensal da produção é
dado por C(x)  5x2  40x  40. Sabendo que o lucro é obtido pela diferença entre o valor
resultante das vendas e o custo da produção, então o número de lotes mensais que essa
indústria deve vender para obter lucro máximo é igual a
a) 4 lotes.
b) 5 lotes.
c) 6 lotes.
d) 7 lotes.
e) 8 lotes.

x
4. (G1 - ifce 2014) Seja f : 1,   uma função dada por f(x)  . A expressão da
x 1
função composta g  x   f  f  x  1  é
1 x x 1
a) g(x)  . b) g(x)  . c) g(x)  x  1. d) g(x)  x  1. e) g(x)  .
x 1 x 1 x 1

5. (Unicamp 2014) Considere as funções f e g, cujos gráficos estão representados na figura


abaixo.

O valor de f(g(1))  g(f(1)) é igual a


a) 0.
b) – 1.
c) 2.
d) 1.

Página 1 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

Parte B:

1. (Ufes 2012) Em uma competição de tiro, um alvo é lançado a partir do ponto B e percorre
uma trajetória parabólica. Um competidor situado no ponto A atira na direção da reta r e acerta
o alvo no ponto P, conforme a figura plana esboçada a seguir.

a) Sabendo que a distância do competidor ao local do lançamento do alvo é de 24 m e que a


altura máxima da trajetória do alvo é de 16 m, determine a equação da parábola que
descreve a trajetória do alvo.
b) Sabendo que o competidor atirou formando um ângulo α  30º com a horizontal, determine
as coordenadas cartesianas do ponto P.

2. (Ueg 2012) Em um terreno, na forma de um triângulo retângulo, será construído um jardim


retangular, conforme figura abaixo.

Sabendo-se que os dois menores lados do terreno medem 9 m e 4 m, as dimensões do jardim


para que ele tenha a maior área possível, serão, respectivamente,
a) 2,0 m e 4,5 m.
b) 3,0 m e 4,0 m.
c) 3,5 m e 5,0 m.
d) 2,5 m e 7,0 m.

3. (Uff 2012) Fixado um sistema de coordenadas retangulares no plano, sejam T o triângulo


cujos vértices são os pontos  2,0 ,  2,0  e 0,3  , e R o retângulo de vértices
 x,0, x,0,0  x  2 , e cujos outros dois vértices também estão sobre os lados de T.
Determine o valor de x para o qual a área de R é máxima. Justifique sua resposta.

2
4. (Ufpr 2012) Considere as funções f(x)  x  1 e g(x)  (x  1)(x  2).
3

a) Esboce o gráfico de f(x) e g(x).

b) Calcule as coordenadas (x, y) dos pontos de interseção dos gráficos de f(x) e g(x).

Página 2 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

2
5. (Mackenzie 2011) Na figura, temos o gráfico da função real definida por y = x + mx + (8 –
m). O valor de k + p é

a) –2
b) 2
c) –1
d) 1
e) 3

6. (Ufpb 2011) Em uma partida de futebol, um jogador, estando na lateral do campo, cruzou a
bola para um companheiro de equipe o qual se encontrava na lateral oposta, a uma distância
de 64 m. A bola passou 1,20 m acima da cabeça de um jogador, com 1,80 m de altura, da
equipe adversária, o qual, nesse instante, estava a 4 m de distância do jogador que realizou o
cruzamento, conforme figura abaixo.

Nessa situação, a bola descreveu uma trajetória em forma de arco de parábola até tocar o
gramado, quando foi dominada pelo companheiro de equipe.
Com base nessas informações, é correto afirmar que, durante o cruzamento, a bola atinge, no
máximo, uma altura de:
a) 12,8 m
b) 12 m
c) 11,2 m
d) 10,4 m
e) 9,6 m

7. (Ufsm 2011) Uma pessoa ingere uma certa substância que se concentra em seu cérebro. O
gráfico a seguir mostra essa concentração em função do tempo t.

2
Admitindo que a concentração y seja dada por uma função quadrática y=at +bt+c, é correto
afirmar que
2
a) a > 0 e b - 4ac > 0.

Página 3 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

2
b) a > 0 e b - 4ac < 0.
2
c) a < 0 e b - 4ac > 0.
2
d) a < 0 e b - 4ac < 0.
e) a  0 e b - 4ac = 0.
2

8. (Upe 2011) Se o valor mínimo de 5x  6x  m é estritamente maior que 3, então é correto


2

afirmar que necessariamente


a) m>4
b) m>5
c) m<4
d) m<5
e) 4<m<5

9. (G1 - ccampos 2011) Na figura abaixo, os gráficos das funções reais f e g são tangentes.
Sabendo que f  x   x2  2k e g  x   2x  k , calcule f  2  g  3  .

2
10. (Fuvest 2011) No plano cartesiano 0xy, considere a parábola P de equação y = - 4x + 8x +
12 e a reta r de equação y = 3x +6. Determine:
a) Os pontos A e B, de intersecção da parábola P com o eixo coordenado 0x, bem como o
vértice V da parábola P.
b) O ponto C, de abscissa positiva, que pertence à intersecção de P com a reta r.
c) A área do quadrilátero de vértices A, B, C e V.

11. (Ufpel 2011) Uma parábola passa pelos pontos A(0,5), B(2,-3) e C(3,-4). A soma das
coordenadas do vértice é
a) 2
b) -2
c) 1
d) -1

12. (Fuvest 2010) A função f: R → R tem como gráfico uma parábola e satisfaz f(x + 1) – f(x) =
6x - 2, para todo número real x. Então, o menor valor de f(x) ocorre quando x é igual a
11
a)
6
7
b)
6
5
c)
6
d) 0
5
e) 
6

Página 4 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

2
13. (Fgv 2010) A função quadrática f (x) = 16x – x definida no domínio dado pelo intervalo [0,
7] tem imagem máxima igual a:
a) 64
b) 63,5
c) 63
d) 62,5
e) 62

14. (Unifesp 2008) Dado x > 0, considere o retângulo de base 4 cm e altura x cm. Seja y, em
centímetros quadrados, a área desse retângulo menos a área de um quadrado de lado x/2 cm.
a) Obtenha os valores de x para os quais y > 0.
b) Obtenha o valor de x para o qual y assume o maior valor possível, e dê o valor máximo de y.

15. (Ufscar 2005) A figura representa, em sistemas coordenados com a mesma escala, os
2
gráficos das funções reais f e g, com f(x) = x e g(x) = x.

Sabendo que a região poligonal T demarca um trapézio de área igual a 120, o número real k é
a) 0,5.
b) 1.
c) 2 .
d) 1,5.
e) 2.

16. (Fuvest 2005) Suponha que um fio suspenso entre duas colunas de mesma altura h,
situadas à distância d (ver figura), assuma a forma de uma parábola.
Suponha também que
(i) a altura mínima do fio ao solo seja igual a 2;
d h
(ii) a altura do fio sobre um ponto no solo que dista de uma das colunas seja igual a .
4 2
d
Se h = 3   , então d vale
8

Página 5 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

a) 14
b) 16
c) 18
d) 20
e) 22
2
17. (Fuvest 2005) Seja f(x) = ax + (1 - a) x + 1, onde a é um número real diferente de zero.
Determine os valores de a para os quais as raízes da equação f(x)=0 são reais e o número x=3
pertence ao intervalo fechado compreendido entre as raízes.

18. (Unifesp 2003) A figura representa, na escala 1:50, os trechos de dois rios: um descrito
2
pela parábola y=x e o outro pela reta y=2x-5.

De todos os possíveis canais retilíneos ligando os dois rios e construídos paralelamente ao


eixo Oy, o de menor comprimento real, considerando a escala da figura, mede
a) 200 m.
b) 250 m.
c) 300 m.
d) 350 m.
e) 400 m.

19. (Pucsp 2001) Um veículo foi submetido a um teste para a verificação do consumo de
combustível. O teste consistia em fazer o veículo percorrer, várias vezes, em velocidade
constante, uma distância de 100 km em estrada plana, cada vez a uma velocidade diferente.
Observou-se então que, para velocidades entre 20 km/h e 120 km/h, o consumo de gasolina,
em litros, era função da velocidade, conforme mostra o gráfico seguinte.

Página 6 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

Se esse gráfico é parte de uma parábola, quantos litros de combustível esse veículo deve ter
consumido no teste feito à velocidade de 120 km/h?
a) 20
b) 22
c) 24
d) 26
e) 28

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:


Um boato tem um público-alvo e alastra-se com determinada rapidez. Em geral, essa rapidez
é diretamente proporcional ao número de pessoas desse público que conhecem o boato e
diretamente proporcional também ao número de pessoas que não o conhecem. Em outras
palavras, sendo R a rapidez de propagação, P o público-alvo e x o número de pessoas que
conhecem o boato, tem-se:
R(x) = k . x . (P - x), onde k é uma constante positiva característica do boato.

20. (Enem 2000) Considerando o modelo acima descrito, se o público-alvo é de 44.000


pessoas, então a máxima rapidez de propagação ocorrerá quando o boato for conhecido por
um número de pessoas igual a:
a) 11.000.
b) 22.000.
c) 33.000.
d) 38.000.
e) 44.000.

21. (Unesp 1999) Suponha que um grilo, ao saltar do solo, tenha sua posição no espaço
descrita em função do tempo (em segundos) pela expressão
2
h(t) = 3t - 3t ,
onde h é a altura atingida em metros.
a) Em que instante t o grilo retorna ao solo?
b) Qual a altura máxima em metros atingida pelo grilo?

22. (Unesp 1999) Considere um retângulo cujo perímetro é 10 cm e onde x é a medida de um


dos lados. Determine:
a) a área do retângulo em função de x;
b) o valor de x para o qual a área do retângulo seja máxima.

23. (Puccamp 1998) Seja R um retângulo que tem 24cm de perímetro. Unindo-se
sucessivamente os pontos médios dos lados de R obtém-se um losango. Qual deve ser a
medida do lado desse losango para que sua área seja máxima?
a) 3 cm

Página 7 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

c) 6 cm
e) 9 cm
2 t
24. (Mackenzie 1997) Em y - (x - x ) = 0, seja t o valor real de x que torna y máximo. Então 4
vale:

a) 0,25
b) 0,50
c) 1,00
d) 2,00
e) 4,00
2
25. (Fgv 1997) O lucro mensal de uma empresa é dado por L = -x + 30x - 5, onde x é a
quantidade mensal vendida.
a) Qual o lucro mensal máximo possível?
b) Entre que valores deve variar x para que o lucro mensal seja no mínimo igual a 195?

Página 8 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

Gabarito:

Parte A:
Resposta da questão 1:
[D]

Calculando o x do vértice, temos:


b 1 1
xV    
2a 2 1 2

Pela simetria, temos:

1 3
xP   2
2 2

3
A distância da reta PQ ao eixo x será dada por f  
2

2
3 3 3 19
f       1  4,75.
2 2 2 4

Resposta da questão 2:
a) Se o gráfico de f intersecta o eixo das ordenadas em (0, 1), então b  1. Além disso,
como o gráfico é tangente ao eixo das abscissas, vem

Δ  0  a2  4  1  1  0
 a   2.

Portanto, a   2 e b  1.

b) Se a  b  1  b  1 a, então f(x)  x2  ax  1  a. Agora, sem perda de generalidade,


tomando a  0 e a  1, obtemos f1(x)  x2  1 e f2 (x)  x2  x, respectivamente. Ora, como os
gráficos de f1 e de f2 possuem um ponto em comum, tem-se x2  1  x2  x  x  1. Em
consequência, o resultado pedido é (1, 2).

Resposta da questão 3:
[D]

Página 9 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

Seja L(x) o lucro obtido, então:


2
L(x) = V(x) – C(x) = – 2x + 28x + 40

O valor de x para que L(x) seja máximo será dado por:

b 28
xV    7
2a 2  ( 2)

Resposta da questão 4:
[C]

Desde que

x 1 x 1
f(x  1)   f(x  1)  ,
x  1 1 x

temos

g(x)  f(f(x  1))


x 1
 x
x 1
1
x
x 1
 x
x  1 x
x
 x  1.

Resposta da questão 5:
[D]

Do gráfico, sabemos que g(1)  0 e f(1)  1. Logo, como f(0)  1 e g(1)  0, obtemos

f(g(1))  g(f(1))  f(0)  g( 1)


 1 0
 1.

Parte B:

Resposta da questão 1:
a)

Página 10 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

y = a.( x – 0 ).( x – 24)


16 = a.12.(12-24)
1 x2 24 x2 8x
a = -1/9  y    x.(x  24)  y    y 
9 9 9 9 3
3
b) A reta será dada pela equação y = tg30º.x, ou seja y = x
3
 x 2 8x
y   
 9 3
Resolvendo o sistema  , temos :
 3
y  x
 3
P(0,0) ou P(24  3 3,8 3  3)

Resposta: P(24-3 3,8 3  3) .

Resposta da questão 2:
[A]

4x y 9x  36
Utilizando semelhança de triângulos temos:  y .
4 9 4
Calculando a função da área, temos:
A x  x  y
9x  36
A  x   x.
4
9x 2  36x
A x 
4

Determinando o x do vértice, temos:

Página 11 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

36

xv  4 2
 9
2.   
 4

36  9.2
Portanto, x = 2 e y   4,5
4

Logo, as dimensões do jardim são 2m e 4,5m.

Resposta da questão 3:

Utilizando semelhança de triângulos podemos escrever que:


2x 3  h 3.x
 h 3
4 3 2

Considere A, a área do retângulo R.


 3.x 
A  2x.    3
 2 

A  3x 2  6x
b 6
xV    1
2.a 2.( 3)

Portanto, x = 1.

Resposta da questão 4:
a) A função f é uma função do afim; logo, seu gráfico é uma reta. Para construir o gráfico de
f, basta obter as coordenadas de 2 pontos.

Para x  0  y  1
Portanto  
Para x  1  y  0

A função g é uma função quadrática; logo, seu gráfico é uma parábola com concavidade
voltada para cima (a > 0). Para construir o gráfico de
2 2 4
g(x)  (x  1)(x  2)  g(x)  x 2  2x  , temos:
3 3 3
 4
Intercepta y  (0,c)   0, 
 3
Intercepta x  (x1,0) e (x2,0)  (1,0) e (2,0) , onde x1 e x2 são as raízes de g(x)

Página 12 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

Coordenadas do vértice:
b ( 6) 3
 xv    xv   
2a 2(2) 2
 2  4 
( 2)2  4   
Δ  3  3    1
 yv    yv  
4a 2 6
4 
3

Portanto, localizando os pontos no Plano Cartesiano, obtemos a representação abaixo:

x  1  y0

b) f(x)  g(x)  x  1  2  x  1 x  2   2x2  9x  7  0   7 5
3 x   y
 2 2
Logo, os pontos de interseção entre f(x) e g(x) são:

1,0  e  , 
7 5
2 2

Resposta da questão 5:
[B]

Como a função apresenta raiz dupla, temos:

Δ0
m2  4.1(8  m)  0
m2  4m  32  0  m  4 ou m = -8
2 2
Logo y = x + 4m + 4 (raiz m = -2) ou y = x – 8m + 16 (raiz m = 4) (não convém, segundo o
gráfico a raiz é negativa)

m = -2 e p = 4, portanto m + p = 2

Resposta da questão 6:
[A]

Página 13 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

Considerando o sistema cartesiano na figura acima, temos a função do segundo grau fatorada:

h(x) = a(x – 32).(x + 32) e o ponto ( -28,2)


1
3 = a.(-28 – 32).(-28 + 32)  a  
80
1
Portanto h(x) =  .(x - 32).(x + 32)
80
A altura máxima será quando x for zero.
1
Portanto h(0) =  .(0 - 32).(0 + 32) = 12,8m
80

Resposta da questão 7:
[C]

Concavidade para baixo: a < 0


Intercepta o eixo horizontal em dois pontos distintos. b  4ac  0
2

Resposta da questão 8:
[A]

  ((6) 2  4.5.m) 20m  36


3 3  3  20m  96  m  4,8
4.a 4.5 20
Portanto, a resposta A é a mais adequada.

Resposta da questão 9:
f(x) = g(x)

x 2  2k  2x  k
x 2  2x  k  0

O valor do delta será zero, pois os gráficos das funções são tangentes.

4 – 4k = 0
k=1

Logo, f(x)  x2  2 e g(x) 2x + 1


Portanto, f(2)  g(3)  22  2  2  3  1  13 .

Página 14 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

Resposta da questão 10:


2
a) Fazendo a = 0, temos: 0 = -4x + 8x + 12
Resolvendo a equação, temos: x = -1 ou x = 3.

Logo, A(-1,0) e B(3,0)


 8
 xv 
Vértice da parábola  2.( 4) 1
 y  4.12  8.1  1  16
 V
Logo, V = (1,16)

 y  4x 2  8x  12
b) Resolvendo o sistema 
 y  3x  6

3
-4x + 8x + 12 = -3x + 6  -4x + 5x + 6 = 0 resolvendo a equação temos c  
2 2
ex=2
4
Considerando x = 2, temos y = 12.
Logo, C(2,12)

A = A1 + A2 + A3
2.16 12  16  .1 1.12
A=  
2 2 2
A = 36

Resposta da questão 11:


[D]

Seja f :  a função quadrática definida por f(x)  ax2  bx  c.


Temos que f(0)  5  c  5.

Além disso, f(2)  3  4a  2b  5  3  b  2a  4.


Daí, f(3)  4  9a  3b  5  4  3a  b  3  3a  2a  4  3  a  1 e, desse modo,
b  2a  4  2  1 4  6.
Portanto, e a lei de f é f(x)  x 2  6x  5. As coordenadas do vértice do gráfico de f são
 6 2 
dadas por V    , 3  6  3  5   (3,  4).
 2 1 

Página 15 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

Por conseguinte, a soma pedida é xv  yv  3  (4)  1.

Resposta da questão 12:


[C]
2
f(x) = ax + bx + c
f(x+1) - f(x) = 6x – 2

2 2
a(x+1) + b(x+1) + c – ax – bx – c = 6x – 2
2 2
ax + 2ax + a + bx + b + c – ax – bx – c = 6x – 2
2ax + a + b = 6x – 2 (para todo x, conceito de identidade), logo:
2a = 6  a = 3
a + b = -2
3 + b = -2  b = -5

2
Então f(x) = 3x - 5x + c
b (5) 5
xv=   ( x do vértice)
2a 2.3 6

Resposta da questão 13:


[C]

Esboçando o gráfico notamos que f(x) é máximo, no intervalo considerado, para x = 7.

2
f(7) = 16.7 – 7 =63

Resposta da questão 14:


a) 0 < x < 16
b) x = 8; y = 16

Resposta da questão 15:


[E]

Resposta da questão 16:


[B]

Resposta da questão 17:


- 2/3 ≤ a < 0

Resposta da questão 18:


[A]

Resposta da questão 19:


[D]

Página 16 de 17
Prof: Danilo Dacar (danilo.dacar@bol.com.br).

Resposta da questão 20:


[B]

Determinando o x do vértice temos:

b 44000k
xV     22000
2a 2.( k)

Resposta da questão 21:


a) 1 segundo
b) 0,75 metro

Resposta da questão 22:


2
a) - x + 5x (0< x < 5)
b) 2,5 cm

Resposta da questão 23:


[B]

Resposta da questão 24:


[D]

Resposta da questão 25:


a) 220
b) 10 ≤ x ≤ 20.

Página 17 de 17