Anda di halaman 1dari 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI – UFSJ

INSTITUÍDA PELA LEI NO 10.425, DE 19/04/2002 – D.O.U. DE 22/04/2002


PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO – PROEN

CURSO: Comunicação Social - Jornalismo


Turno: Noturno

INFORMAÇÕES BÁSICAS
Currículo Unidade curricular Departamento
2009 Teorias do Jornalismo DELAC
Carga Horária
Período Ano/Semestre
Teórica Prática Total
2º 2010/02
36 h/a - 36 h/a
Tipo Habilitação / Modalidade Pré-requisito Co-requisito
Obrigatória Jornalismo / Bacharelado Não tem Não tem

EMENTA
As principais abordagens teóricas dos estudos de jornalismo – das concepções
clássicas (Teoria do Espelho e Abordagem Frankfurtiana) às tendências
contemporâneas (Teoria Estruturalista, Teoria Etnoconstrucionista, Hipótese do
Agenda Setting, Newsmaking, Espiral do Silêncio). Análise crítica das teorias
vigentes no jornalismo. Teoria e práxis jornalística. Reflexão sobre os veículos de
comunicação de massa. A recepção no jornalismo. Aspectos sociopolíticos e
econômicos como influenciadores do futuro do jornalismo. Fato, acontecimento e
notícia. A natureza do conhecimento jornalístico. A estrutura do campo jornalístico. A
identidade e os mitos do jornalista. Poder e responsabilidade social. A
espetacularização da notícia. A emergência do Jornalismo Público.
OBJETIVOS
. Traçar um panorama das principais abordagens teóricas acerca do fazer jornalístico
– desde as concepções clássicas até as tendências contemporâneas;
. Levantar um olhar crítico sobre o jornalismo como produto social;
. Relacionar a teoria e a práxis jornalística;
. Despertar uma reflexão sobre os veículos informativos de massa;
. Conceituar fato, acontecimento, critérios de noticiabilidade;
. Discutir a complexidade dos fatores que interferem no fazer jornalístico – estrutura
redacional, cultura profissional dos jornalistas, rotinas de produção, caráter
mercadológico, critérios de noticiabilidade, dependência das fontes, fator tempo;
. Refletir sobre a natureza paradoxal do jornalismo: a natureza sensacionalista e
espetacular dos fatos versus ética e responsabilidade social;
. Discutir a emergência de um novo estilo de jornalismo – o Jornalismo Público ou
Cívico.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Conteúdo Programático
1.As abordagens clássicas do jornalismo
1.1 A visão funcionalista – o jornalismo como reflexo do real (Teoria do Espelho)
1.2 A concepção frankfurtiana – o jornalismo como mercadoria e as fases da
imprensa
1/4
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI – UFSJ
INSTITUÍDA PELA LEI NO 10.425, DE 19/04/2002 – D.O.U. DE 22/04/2002
PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO – PROEN

1.3 A perspectiva instrumental – as teorias da ação política


1.4 Teoria organizacional do jornalismo

2. O jornalismo na perspectiva construtivista e as tendências contemporâneas


2.1 A construção social da realidade: conceitos de fato e acontecimento
2.2 A Teoria Estruturalista
2.3 A Teoria Etnoconstrucionista
2.4 Newsmaking

3 O fazer jornalístico na perspectiva dos estudos da recepção


3.1 A hipótese do agenda setting
3.2 A espiral do silêncio

4 Os paradoxos do fazer jornalístico: a natureza sensacionalista e espetacular


versus ética e responsabilidade social – a emergência do Jornalismo Público
4.1 O caráter sensacionalista da notícia
4.2 A espetacularização da notícia
4.3 Ética e responsabilidade social
4.4 A emergência do Jornalismo Publico

METODOLOGIA E RECURSOS AUXILIARES


Metodologia e Recursos Auxiliares
. Aulas expositivas, leituras obrigatórias prévias e debates: tais métodos visam a
apresentar os conteúdos da disciplina, mesclando a forma tradicional com uma
perspectiva dialógica de participação dos alunos;
. Trabalhos e seminários em grupos: visam promover uma maior integração do
corpo discente para que se possa estabelecer o intercâmbio de informações e a
produção conjunta de conhecimento, bem como estimular o espírito crítico e a
convivência com a pluralidade de formas de pensar;
. Exibição de filmes, documentários e produtos midiáticos: a partir de produtos
midiáticos, pretende-se estabelecer uma articulação destes com os argumentos
teóricos e conceituais trabalhados no decorrer da disciplina;
. Pesquisa individual e pesquisas em grupo: familiarizar o aluno à pesquisa
científica.

2/4
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI – UFSJ
INSTITUÍDA PELA LEI NO 10.425, DE 19/04/2002 – D.O.U. DE 22/04/2002
PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO – PROEN

Avaliação
. Avaliação Individual: 60 pontos
. Prova Escrita: a partir de provas dissertativas, avaliar o grau de conhecimento do
aluno sobre o conteúdo da disciplina. Serão duas provas ao longo do semestre,
totalizando 60 pontos (30 cada);
. Avaliação em grupo: 40 pontos
Ao longo do semestre, os alunos em grupo (a turma será dividida em 8 a 10 grupos
de 5 a 6 alunos) vão preparar um seminário e um estudo de recepção:
1. A concentração de poder nos grupos midiáticos no Brasil – 10 pts;
2. Estudo de recepção com base na hipótese do agenda setting – 30 pts;

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
COHN, Gabriel (Org). Comunicação e indústria cultural. São Paulo: Nacional, 1977.

HOHLFELDT, Antônio. “Hipóteses contemporâneas da pesquisa em comunicação”.


In: HOHLFELDT, Antônio; FRANÇA, Vera Regina Veiga; MARTINO, Luiz (Orgs).
Teorias da Comunicação. Petrópolis: Vozes, 2004, p.187-240.

LIMA, Venício de. Mídia. Crise política e poder no Brasil. São Paulo: Perseu Abramo,
2006.

MARCONDES FILHO, Ciro. O capital da notícia.Jornalismo como produção social da


segunda natureza. São Paulo: Editora Ática, 1986.

TRAQUINA, Nelson. Estudos do jornalismo no século XX. São Leopoldo: Editora da


Unisinos, 2001.

TRAQUINA, Nelson. Jornalismo. Questões, teorias e ‘estórias’. Lisboa: Editora Veja,


1993.

SOUSA, Jorge Pedro. Teorias da notícia e do jornalismo. Chapecó: Argos, 2002.

WOLF, Mauro.Teorias da Comunicação. Lisboa: Editorial Presença, 1990.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ANGRIMANI, Danilo. Espreme que sai sangue - Um estudo sensacionalista na
imprensa. São Paulo: Summus, 1995.

BELTRÃO, Luiz. Iniciação à Filosofia do Jornalismo. 2ª ed. São Paulo: EDUSP, 1992.
(Coleção Clássicos do Jornalismo, 5).

BELTRÃO, Luís. Teoria e Prática do Jornalismo. Adamantina: FAI/Cátedra Unesco


3/4
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI – UFSJ
INSTITUÍDA PELA LEI NO 10.425, DE 19/04/2002 – D.O.U. DE 22/04/2002
PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO – PROEN

Metodista para o Desenvolvimento Regional/Editora Omnia, 2006.

KOVACH, Bill; ROSENTIEL, Tom. Os Elementos do Jornalismo (o que os jornalistas


devem saber e público exigir). São Paulo: Geração Editorial, 2003.

KUNCZIK, Machael. Conceitos de Jornalismo: norte e sul. São Paulo:


USP/COMARTE/EDUSP/FRIEDRICH EBERT, 2002.

MARCONDES FILHO, Ciro. Jornalismo Fin-de-siècle. São Paulo: Scritta, 1993.

MARQUES DE MELO, José. Teoria do Jornalismo. São Paulo: Editora Paulus, 2005.

RODRIGUES, Adriano Duarte. Estratégias da Comunicação. Lisboa: Editorial


Presença, 1990.

TRAQUINA, Nélson. Teorias do Jornalismo. Vol. 1 - Por que as notícias são como
são. 2ª Ed. Florianópolis: Editora Insular, 2005.

Sites
www.intercom.org.br - site da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares em
Comunicação (INTERCOM)

www.compos.org.br – site da Associação Nacional dos Cursos de Pós-Graduação


em Comunicação Social (COMPÓS)

www.observatoriodaimprensa.com.br – site do Observatório da Imprensa

São João del-Rei, 10 de junho de 2010.

______________________________

Prof. Dr. Luiz Ademir de Oliveira

________________________________

Prof. Dr. Guilherme Jorge de Rezende


Coordenador do Curso

4/4