Anda di halaman 1dari 3

1º Caso: Onda Senoidal

Uma onda senoidal tem a seguinte forma:

Fig.1 – Onda senoidal.

Onde A é a amplitude da onda e T é a posição onde a onda completa um período. Uma


equação que simboliza uma onda do tipo senoidal é:

y(t )  A. cos(.t   ) (2)

Onde  é a frequência angular e  um ângulo de fase inicial, ambos contantes assim como A.

Para encontrarmos o valor eficaz da senoide, basta substituirmos (2) em (1):

T T T
1 1 1 2
Yef  
T 0
[ A. cos(.t   )]2 .dt  
T 0
[ A2 . cos2 (.t   )].dt 
T
. A  [cos2 (.t   )].dt
0

T
du A2 1
Chamando u  .t    du  .dt  dt   Yef  . [cos2 (u )].du =
 T 0

A2  1 (.t   )  
T T
A2
T . 0
 . [cos (u )].du 
2
. .sen[2(.t   )]   =
T .  4 2  0 

A2  1 (.T   )   1 (.0   ) 
= . .sen[2(.T   )]     .sen[2(.0   )]  
T .  4 2  4 2 

2
Considerando o ângulo de fase inicial  =0 e sabendo que   temos que:
T

A2 .T  1   2  (2. .T )  A2 .T  (2. .T )  A2 A
Yef  
. .sen 2 .T     .  
T .2.  4   T  2.T  T .2.  2.T  2 2
2º Caso: Onda Triangular

Uma onda triangular tem a seguinte forma:

Fig.2 – Onda triangular.

Onde A é a amplitude da onda e T é a posição onde a onda completa um período. Note que
não é possível equacionar uma onda triangular de maneira simples, mas se considerarmos que
esta é uma onda simétrica, podemos dividi-la em quatro partes iguais onde podemos obter a
equação de cada parte, o R.M.S. de cada parte e depois multiplicarmos por 4. Se adotarmos o
trecho de 0 á T/4, teremos uma reta crescente cuja equação será:

A 4A
y (t )  m.t  .t  .t (3)
T T
4
Onde m é o coeficiente angular da reta e t a variável independente. Para calcularmos o R.M.S.
desta onda, substituiremos (3) em (1) atentando ao fato de que estamos calculando de 0 á T/4
e que depois devemos multiplicar por 4 a integral.

T 2 T T
 4A  4 16 A2 64 A2
4 4 4
1
Yef  .4.   .t  .dt  . 0 t . 2
dt  t
2
.dt 
T 0 T  T T2 T3 0

t3 T
 T 3 3
64 A2 
4
  64 A
2 2 3
 4  0   64 A . T  A2 A
= 
T3 3  T3  3 3 T 3 192 3 3
 0
  
3º Caso: Onda Quadrada

Uma onda quadrada tem a seguinte forma:

Fig.3 – Onda quadrada.

Onde A é a amplitude da onda e T é a posição onde a onda completa um período. Note que
não é possível equacionar uma onda quadrada de maneira simples, mas se considerarmos que
esta é uma onda simétrica, podemos dividi-la em duas partes iguais onde podemos obter a
equação de cada parte, o R.M.S. de cada parte e depois multiplicarmos por 2. Se adotarmos o
trecho de 0 á T/2, teremos uma função constante cuja equação será:

y(t )  A (4)

Para calcularmos o R.M.S. desta onda, substituiremos (4) em (1) atentando ao fato de que
estamos calculando de 0 á T/2 e que depois devemos multiplicar por 2 a integral.

T
1 2 2 2  2. T 2  2  2. T  2. A2 .T
Yef  .2  A .dt  . A t   . A  A2. 0   A2  A
T 0 T  0
 T  2  T .2