Anda di halaman 1dari 11

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

XXIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO


PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL
SIMULADO 01
ÁREA: DIREITO CIVIL
“O gabarito preliminar da prova prático-profissional corresponde apenas a uma expectativa de resposta,
podendo ser alterado até a divulgação do padrão de respostas definitivo.”
Qualquer semelhança nominal e/ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência.”

PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL

Enunciado

Em 15 de maio de 2017, Maria, enfermeira, domiciliada em Porto Alegre, RS, firmou contrato de prestação
de serviços para a construção de um imóvel, para a sua moradia, com a Construtora Casa Boa Ltda., com
sede em Canoas, RS. Conforme o contrato, a construtora se comprometeu a construir uma casa mista no
terreno de propriedade de Maria, de acordo com o projeto e memorial descritivo que integravam o
contrato, no valor de R$90.000,00.
O aludido contrato compreendia a mão de obra e o fornecimento do material de construção. Em 15
novembro de 2017 a construtora entregou a obra e Maria quitou o valor contratado.
Ocorre que a obra foi entregue com alguns acabamentos pendentes, entre eles a ausência de parte do
rodaforro do forro de PVC do banheiro, ausência de acabamento e pequenas falhas de vedação nas
aberturas, ausência de parte do revestimento do banheiro e pequenas rachaduras superficiais no reboco
das paredes (em locais onde passam os canos da instalação hidráulica).
Os problemas identificados, contudo, não prejudicam a solidez e a segurança da obra. No dia seguinte a
entrega do imóvel Maria reclamou verbalmente dos problemas, pois todos estavam aparentes. O
representante da construtora respondeu que iria enviar um funcionário da empresa para verificar a
pertinência das alegações de Maria. Passaram-se alguns dias e nenhum funcionário foi enviado.
No dia 22 de novembro Maria ligou para a construtora e recebeu a mesma resposta, que deveria aguardar
a visita do engenheiro responsável. Contudo, mais uma vez deixou de ser atendida.
Aconselhada por amigos Maria decidiu formular reclamação por escrito, de forma que pudesse comprovar
a mesma. No dia 10 de dezembro de 2017 Maria notificou formalmente a construtora, que permaneceu
inerte e sequer apresentou alguma resposta.
Considerando que os problemas na obra não aparentavam ser aptos a gerar riscos de danos e também
em razão de ter enfrentado alguns problemas de saúde nos dias que se seguiram, somente em 20 de
fevereiro de 2018 Maria o procura, para que, na qualidade de advogado, proponha a medida judicial
adequada de forma que a construtora seja compelida a sanar os vícios construtivos.
Maria providenciou uma avaliação do custo para a conclusão e/ou conserto dos problemas e o profissional
consultado orçou em R$3.000,00. Maria faz questão de ajuizar a demanda perante o Juizado Especial Cível
ante a celeridade do procedimento.
Para fins de elaboração da peça, considere que sobre a pretensão de Maria não há tese firmada em
julgamento de casos repetitivos ou em súmula vinculante. Aborde todos os aspectos de direito material
e processual pertinentes. (Valor: 5,00).
Obs.: o examinando deve fundamentar suas respostas. A mera citação do dispositivo legal não confere
pontuação.

Padrão de Resposta Simulado Página 1 de 11


Prova Prático-Profissional – XXIX Exame de Ordem Unificado
ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
XXIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO
PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL
SIMULADO 01
ÁREA: DIREITO CIVIL
“O gabarito preliminar da prova prático-profissional corresponde apenas a uma expectativa de resposta,
podendo ser alterado até a divulgação do padrão de respostas definitivo.”
Qualquer semelhança nominal e/ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência.”

Gabarito comentado

A peça cabível é uma petição inicial de ação de obrigação de fazer (ou ação cominatória), com fundamento
no art. 20 do Código de Proteção e Defesa do Consumidor, direcionada a um dos Juizados Especiais Cíveis
da Comarca de Porto Alegre (foro de domicílio da autora, nos termos do artigo 101, I, do CDC; e do lugar
onde a obrigação deve ser satisfeita, conforme art. 4º, inciso II e III, da Lei 9.099/1995). A ação poderá ser
proposta ainda na Comarca de Canoas (foro de domicílio do réu), seguindo a regra geral prevista no art.
46, caput, do Código de Processo Civil e do art. 4º, inciso I, da Lei 9.099/1995.
O candidato deve destacar que se trata de uma relação de consumo, nos termos do disposto nos arts. 2º
e 3º do Código de Defesa do Consumidor.
O candidato deve indicar, como fundamento, que o serviço contratado apresentou vícios de qualidade
que o depreciam, também decorrentes da disparidade com o que foi contratado, nos termos do artigo 20
do Código de Defesa do Consumidor.
Além disso, deve indicar que a consumidora efetuou a reclamação dentro do prazo de 90 dias, previsto
no artigo 26, II, do Código de Defesa do Consumidor (serviços duráveis) e que a reclamação
comprovadamente formulada pela consumidora perante o fornecedor de serviços, até a resposta
negativa correspondente, que deve ser transmitida de forma inequívoca, obsta o transcurso do prazo
decadencial. Considerando que o fornecedor nada fez e também não respondeu, o prazo decadencial
permanece obstado. Tem cabimento, desse modo, o pedido de reexecução/complementação dos
serviços, sem custo adicional, nos termos do artigo 20, I, do Código de Defesa do Consumidor.
Deve-se discorrer sobre a inversão do ônus da prova, prevista no art. 6º, VIII, do Código de Defesa do
Consumidor.
Não deve ser formulado pedido de tutela provisória, considerando a informação, constante no enunciado,
de que os problemas não acarretavam riscos de danos.
Por fim, deverá ser formulado pedido de procedência da ação com a condenação em obrigação de fazer
com prazo razoável para o cumprimento do preceito e pedido de imposição de multa diária ao réu em
caso de descumprimento, nos termos dos artigos 84, §4º, do CDC e 537 do CPC.
Ao final da peça processual, a Autora deverá fazer a indicação do valor da causa (pedido) e fazer o
fechamento, fazendo a indicação genérica do local e data, advogado e OAB.

Padrão de Resposta Simulado Página 2 de 11


Prova Prático-Profissional – XXIX Exame de Ordem Unificado
ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
XXIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO
PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL
SIMULADO 01
ÁREA: DIREITO CIVIL
“O gabarito preliminar da prova prático-profissional corresponde apenas a uma expectativa de resposta,
podendo ser alterado até a divulgação do padrão de respostas definitivo.”
Qualquer semelhança nominal e/ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência.”

Distribuição de pontos

ITEM PONTUAÇÃO

Endereçamento
Juizado Especial Cível da Comarca de Porto Alegre – RS (0,20) OU 0,00 / 0,20
Juizado Especial Cível da Comarca de Canoas – RS (0,20).
Partes
Indicação correta e qualificação completa da autora Maria (0,20) e do Réu Casa Boa Ltda. (0,20). 0,00 / 0,20 / 0,40

Peça adequada
Ação de conhecimento com pedido condenatório em obrigação de fazer (0,40) com
fundamento no art. 20 do Código de Defesa do Consumidor (0,10). 0,00 / 0,40 / 0,50
OU Ação cominatória (0,40) com fundamento no art. 20 do Código de Defesa do Consumidor
(0,10).
Fatos
Narração sucinta e lógica dos fatos descritos no enunciado (0,20). 0,00 / 0,20
Fundamentação Jurídica
1. Demonstrar a existência da relação de consumo (0,40), conforme art. 2º (0,10) e 3º (0,10) 0,00 / 0,40 / 0,50
ambos do Código de Defesa do Consumidor. / 0,60
2. Narrar que o serviço foi entregue com vícios que o depreciam, além de configurar 0,00 / 0,50 / 0,60
descumprimento contratual (0,50), com fundamento no art. 20 do Código de Defesa do
Consumidor (0,10).
3. Requerimento de inversão do ônus da prova (0,60), com fundamento no art. 6º, inciso VIII, 0,00 / 0,60 /0,70
do Código de Defesa do Consumidor (0,70).
4. Discorrer sobre a não incidência da prejudicial de decadência, uma vez que a consumidor 0,00 / 0,70 / 0,80
formulou reclamação em tempo hábil e o fornecedor silenciou (0,70), conforme art. 26, §2º,
inciso I, do Código de Defesa do Consumidor (0,10).
Pedidos
1. Pedido de citação do requerido para o seu comparecimento em audiência, com advertência 0,00 / 0,10
de que, não comparecendo, considerar-se-ão verdadeiras as alegações iniciais, e será proferido
julgamento de plano (0,10).
2. Pedido de procedência da ação a fim de condenar o Réu a obrigação de fazer (sanar os 0,00 / 0,20 / 0,30
vícios) (0,20), sob pena de multa diária (0,10).
3. Requerimento da inversão do ônus da prova (0,10). 0,00 / 0,10
4. Requerer a produção de todos os meios de prova em direito admitidas (0,10). 0,00 / 0,10

Valor da Causa
Dá a causa o valor de ... (0,10) OU Dá a causa o valor de R$ 3.000,00 (0,10). 0,00 / 0,10

Padrão de Resposta Simulado Página 3 de 11


Prova Prático-Profissional – XXIX Exame de Ordem Unificado
ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
XXIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO
PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL
SIMULADO 01
ÁREA: DIREITO CIVIL
“O gabarito preliminar da prova prático-profissional corresponde apenas a uma expectativa de resposta,
podendo ser alterado até a divulgação do padrão de respostas definitivo.”
Qualquer semelhança nominal e/ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência.”

Estruturação
Estruturar corretamente a peça: fatos, fundamentos jurídicos e pedidos (0,15). 0,00 / 0,15
Fechamento
Local..., Data..., Advogado..., OAB... (0,15). 0,00/0,15
TOTAL 5,00

Padrão de Resposta Simulado Página 4 de 11


Prova Prático-Profissional – XXIX Exame de Ordem Unificado
ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
XXIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO
PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL
SIMULADO 01
ÁREA: DIREITO CIVIL
“O gabarito preliminar da prova prático-profissional corresponde apenas a uma expectativa de resposta,
podendo ser alterado até a divulgação do padrão de respostas definitivo.”
Qualquer semelhança nominal e/ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência.”

PADRÃO DE RESPOSTA – QUESTÃO 1

Enunciado

João é escritor famoso por escrever biografias sobre a vida de políticos. Recentemente, escreveu uma
biografia sobre a vida de Rafael, político do Estado de São Paulo. No livro, que virou sucesso de vendas,
além da foto de Rafael na capa, há relatos sobre a vida política de Rafael, bem como acusações de que
Rafael teria participado de escândalos de corrupção e fraudes contra a administração pública, além de
casos extraconjugais durante a vida de casado. Os fatos relatados na biografia, compilados e reunidos, já
haviam sido noticiados pela imprensa. Considerando a situação hipotética e, ainda, que Rafael não
autorizou a publicação da obra, responda:
A) Tendo em vista os direitos da personalidade e os direitos fundamentais, é possível a publicação de
biografia sem a autorização do biografado? (Valor 0,65)
B) Caso Rafael demonstre que a obra lhe causou danos à imagem, em razão de abuso ou falta de
veracidade, ele terá direito à indenização? (Valor 0,60)
Obs.: o(a) examinando(a) deve fundamentar as respostas. A mera citação do dispositivo legal não
confere pontuação.

Gabarito comentado

a) Neste caso, deve ser feita a interpretação conforme à Constituição Federal aos artigos 20 e 21 do
Código Civil pela jurisprudência superior, especialmente pelo julgamento, por parte do STF, da ADIN 4815,
no sentido de ser inexigível autorização da pessoa biografada. Isso porque, ao lado da proteção da
personalidade, também deve ser assegurada a liberdade de expressão prevista no art. 5º, IX, da
Constituição Federal. Assim, cabe realizar a ponderação, nesta hipótese, privilegiando que especialmente
em se tratando de pessoa notória, cabível somente, em caso de abuso, a responsabilização posterior, mas
não a censura prévia.

B) Neste caso, tendo havido comprovação de dano à imagem do biografado, por falta de verdade, abuso
ou intenção de caluniar, difamar ou injuriar, ele poderá exigir indenização por danos, conforme artigo 927
do CC. Assim, nos termos do art. 186 do Código Civil, cabe indenização por danos morais. Poderá, ainda,
requerer a responsabilização do autor da biografia pelos eventuais fatos narrados de maneira abusiva, na
forma do art. 187 do Código Civil, mas não poderá requerer a retirada de circulação da obra.

Padrão de Resposta Simulado Página 5 de 11


Prova Prático-Profissional – XXIX Exame de Ordem Unificado
ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
XXIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO
PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL
SIMULADO 01
ÁREA: DIREITO CIVIL
“O gabarito preliminar da prova prático-profissional corresponde apenas a uma expectativa de resposta,
podendo ser alterado até a divulgação do padrão de respostas definitivo.”
Qualquer semelhança nominal e/ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência.”

Distribuição de pontos

ITEM PONTUAÇÃO

a) Sim, será possível a publicação da biografia de Rafael mesmo sem autorização (0,25),
isso porque os art. 20 e 21 do Código Civil devem ser interpretados de acordo com a 0,00 / 0,20 / 0,25 /
Adin nº 4815 OU em razão de interpretação conforme a Constituição dada aos artigos 0,30 / 0,35 / 0,40 /
20 e 21 do Código Civil (0,20), no sentido de ser inexigível a autorização da pessoa 0,45 / 0,55 / 0,65
biografada em virtude do direito de liberdade de expressão (0,10) previsto no art. 5º,
IX, da Constituição Federal (0,10).
b) O biografado (Rafael) poderá exigir indenização por danos (0,20), conforme artigo 0,00 / 0,05 / 0,10 /
927 do CC (0,10). Cabe indenização por danos morais (0,10), na forma do art. 186 do 0,15 /0,20 / 0,25
Código Civil (0,05), além da responsabilização do autor da biografia (João) pelos / 0,30 / 0,35 /
eventuais fatos narrados de maneira abusiva (0,05), na forma do art. 187 do Código 0,40 / 0,45 / 0,50 / 0,55
Civil (0,05). Não poderá, contudo, requerer a retirada de circulação da obra (0,05). /0,60

Padrão de Resposta Simulado Página 6 de 11


Prova Prático-Profissional – XXIX Exame de Ordem Unificado
ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
XXIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO
PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL
SIMULADO 01
ÁREA: DIREITO CIVIL
“O gabarito preliminar da prova prático-profissional corresponde apenas a uma expectativa de resposta,
podendo ser alterado até a divulgação do padrão de respostas definitivo.”
Qualquer semelhança nominal e/ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência.”

PADRÃO DE RESPOSTA – QUESTÃO 2

Enunciado

O casal João e Maria deram em locação a José e Joana, um apartamento residencial de sua propriedade
(ambos), através de contrato pelo prazo de 30 meses. Após os 6 primeiros meses de locação, João e Maria
decidem pelo divórcio, que se delineia pela via litigiosa. Chegado o dia de pagamento do aluguel, José
efetua o pagamento integral a João, primeiro a comparecer para receber o valor, o qual é quitado através
de recibo respectivo/integral. Não obstante, Maria também vai até José e Joana efetuar a cobrança,
dizendo-se credora da quantia de pelo menos 50%. No caso:
A) É válida a pretensão de Maria? (Valor 0,60)
B) Independentemente da resposta anterior, e caso apurado o inadimplemento, seria possível o manejo
de qual demanda judicial para reaver o bem? (Valor 0,65)
Obs.: o(a) examinando(a) deve fundamentar as respostas. A mera citação do dispositivo legal não
confere pontuação.

Gabarito comentado

a) A pretensão não se mostra adequada na medida em que, conforme art. 2º, caput, da Lei 8.245/91,
havendo mais de um locador ou mais de um locatário, entende-se que são solidários, o que se apresenta
na situação posta. Assim, o pagamento feito a um só credor solidário gera quitação da obrigação, na forma
do art. 269 do Código Civil.

b) A demanda judicial adequada para reaver o bem é a ação de despejo, conforme art. 5º, caput, e art.
62 da Lei 8.245/91.

Distribuição de pontos

ITEM PONTUAÇÃO

a) A pretensão de Maria não se mostra adequada, pois havendo mais de um locador 0,00 / 0,20 / 0,30 / 0,40 /
entende-se que são solidários (0,20), conforme art. 2º, caput, da Lei 8.245/91 (0,10), 0,50 / 0,60
dessa forma, o pagamento realizado a um dos credores solidários acarreta na
quitação da dívida (0,20), conforme art. 269 do Código Civil (0,10).
b) A demanda judicial adequada para reaver o bem é a ação de despejo (0,50), 0,00 / 0,50 / 0,55 / 0,60 /
conforme art. 5º, caput, da Lei 8.245/91 (0,10) e art. 62 da Lei 8.245/91 (0,05). 0,65

Padrão de Resposta Simulado Página 7 de 11


Prova Prático-Profissional – XXIX Exame de Ordem Unificado
ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
XXIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO
PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL
SIMULADO 01
ÁREA: DIREITO CIVIL
“O gabarito preliminar da prova prático-profissional corresponde apenas a uma expectativa de resposta,
podendo ser alterado até a divulgação do padrão de respostas definitivo.”
Qualquer semelhança nominal e/ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência.”

PADRÃO DE RESPOSTA – QUESTÃO 3

Enunciado

Luiz Carlos propôs ação contra a empresa Motor Company Brasil Ltda. (montadora de automóveis),
relatando ter adquirido da requerida um automóvel modelo XY, em 12 de julho de 2015. Meses depois, no
dia 14 de janeiro de 2016, sofreu grave acidente de trânsito, quando o banco dianteiro esquerdo do veículo
quebrou e reclinou, determinando a perda do controle do automóvel e a colisão com uma árvore, com a
sua perda total. Alegou que a própria empresa requerida reconheceu o risco ensejado por defeitos nos
bancos dianteiros dos veículos XY, fabricados entre novembro de 2014 e julho de 2015, pois emitiu
comunicado de “recall” para verificação e substituição de encostos a partir de fevereiro de 2016.
O veículo do autor encontrava-se entre os veículos contemplados pelo “recall”. O autor pediu indenização
por danos materiais e morais. Restou provado que o banco se quebrou. A empresa ré alega que a
procedência da ação dependeria de uma perícia técnica no veículo que concluísse de forma inequívoca que
a causa do acidente foi a quebra do banco, o que não ocorreu. Entende que a produção desta prova é ônus
que incumbia ao autor. Em face do exposto, responda aos itens a seguir:
A) Qual legislação deve ser aplicada ao caso e qual o fundamento da ação de Luiz Carlos? (Valor: 0,65)
B) Procede o entendimento da empresa ré, de que incumbia ao autor produzir prova inequívoca de que a
causa do acidente foi a quebra do banco? (Valor: 0,60)
Obs.: o(a) examinando(a) deve fundamentar as respostas. A mera citação do dispositivo legal não confere
pontuação.

Gabarito comentado

a) A legislação aplicável ao caso em evidência é o Código de Defesa do Consumidor. A situação exposta é


uma relação de consumo em que Luiz Carlos qualifica-se juridicamente como consumidor por ser
destinatário final do produto, conforme art. 2º do CDC. Já a Motor Company Brasil Ltda., qualifica-se como
fornecedora de produtos, conforme art. 3º do CDC. O enunciado expõe a hipótese de pedido de
indenização por danos morais e materiais em decorrência de fato do produto e a responsabilidade civil é
objetiva, nos termos do art. 12 do CDC.

b) O entendimento da empresa ré não procede. O autor produziu prova suficiente do fato constitutivo
do seu direito (acidente e defeito reconhecido em recall). Nos casos de acidentes de consumo, a inversão
do ônus da prova decorre da lei (inversão legal do ônus da prova), conforme art. 12, §3º da Lei nº
8.078/1990 e, consequentemente, deve o fornecedor provar as excludentes de responsabilidade civil.

Padrão de Resposta Simulado Página 8 de 11


Prova Prático-Profissional – XXIX Exame de Ordem Unificado
ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
XXIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO
PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL
SIMULADO 01
ÁREA: DIREITO CIVIL
“O gabarito preliminar da prova prático-profissional corresponde apenas a uma expectativa de resposta,
podendo ser alterado até a divulgação do padrão de respostas definitivo.”
Qualquer semelhança nominal e/ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência.”

Distribuição de pontos

ITEM PONTUAÇÃO

a) A legislação aplicável ao caso é a Lei n. 8.078/90 – Código de Defesa do Consumidor 0,00 / 0,20 / 0,30 /
(0,30). O fundamento da ação de Luiz Carlos é o fato do produto (0,20), conforme 0,35 / 0,50 / 0,65
previsão do art. 12, caput, do Código de Defesa do Consumidor (0,15).

b) O entendimento da empresa ré não procede. O autor produziu prova suficiente


do fato constitutivo do seu direito (acidente e defeito reconhecido em recall) (0,20). 0,00 / 0,20 / 0,30 /
Nos casos de acidentes de consumo, a inversão do ônus da prova decorre da lei 0,40 / 0,50 / 0,60
(inversão legal do ônus da prova), e, consequentemente, deve o fornecedor provar
as excludentes de responsabilidade civil, (0,30) conforme art. 12, §3º, da Lei nº
8.078/1990 (Código de Defesa do Consumidor) (0,10).

Padrão de Resposta Simulado Página 9 de 11


Prova Prático-Profissional – XXIX Exame de Ordem Unificado
ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
XXIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO
PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL
SIMULADO 01
ÁREA: DIREITO CIVIL
“O gabarito preliminar da prova prático-profissional corresponde apenas a uma expectativa de resposta,
podendo ser alterado até a divulgação do padrão de respostas definitivo.”
Qualquer semelhança nominal e/ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência.”

PADRÃO DE RESPOSTA – QUESTÃO 4

Enunciado

Leonardo, domiciliado na cidade de Porto Alegre, contratou com Instituição Financeira financiamento de
veículo. Quando da assinatura do instrumento contratual (ocorrida junto a filial da Instituição Financeira
em Porto Alegre), foi apresentado à Leonardo contrato já pronto (sem qualquer possibilidade de discussão
a respeito dos termos ali inseridos). Neste contrato constou cláusula de foro de eleição, ou seja, a previsão
de que toda e qualquer discussão judicial sobre o contrato deveria ser levada ao foro da cidade de São
Paulo. Meses mais tarde, diante do descumprimento contratual, a Instituição Financeira protocolou ação
judicial contra Leonardo em São Paulo. Frente a tais informações, responda:
A) Poderá o magistrado de São Paulo, de ofício, reconhecer sua incompetência no presente caso? Se
reconhecer sua incompetência, qual será a consequência processual? Explique e cite o fundamento legal
(Valor 0,65)
B) Se o magistrado não reconhecer a incompetência de ofício, pode Leonardo alegar a incompetência?
Explique, citando o fundamento legal (Valor 0,60)
Obs.: o(a) examinando(a) deve fundamentar as respostas. A mera citação do dispositivo legal não confere
pontuação.

Gabarito comentado

a) Apesar de tratar-se de competência territorial, a qual, em regra, não se reconhece de ofício, neste
caso, excepcionalmente, poderá haver o reconhecimento de ofício desde que antes da citação do Réu,
conforme art. 63, §3º do Código de Processo Civil. A consequência processual será a remessa dos autos
para o foro de domicílio do Réu.

b) Leonardo poderá alegar, na contestação, a incompetência do juízo com base na abusividade da


cláusula de eleição, conforme art. 63, §4º, do Código de Processo Civil.

Padrão de Resposta Simulado Página 10 de 11


Prova Prático-Profissional – XXIX Exame de Ordem Unificado
ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
XXIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO
PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL
SIMULADO 01
ÁREA: DIREITO CIVIL
“O gabarito preliminar da prova prático-profissional corresponde apenas a uma expectativa de resposta,
podendo ser alterado até a divulgação do padrão de respostas definitivo.”
Qualquer semelhança nominal e/ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência.”

Distribuição de pontos

ITEM PONTUAÇÃO

a) O magistrado poderá reconhecer de ofício sua incompetência territorial desde que o faça 0,00 / 0,15 / 0,40 /
antes da citação do réu (0,40), conforme art. 63, §3º do Código de Processo Civil (0,10). A 0,50 / 0,65
consequência processual será a remessa dos autos para o foro de domicílio do réu (0,15).
b) Sim, Leonardo poderá alegar a incompetência do juízo, na contestação, sob pena de 0,00 / 0,50 / 0,60
preclusão (0,50), conforme art. 63, §4º do Código de Processo Civil (0,10).

Padrão de Resposta Simulado Página 11 de 11


Prova Prático-Profissional – XXIX Exame de Ordem Unificado