Anda di halaman 1dari 3

Crise confrontos no campo da sicologia social

 Questão do paradigma na ciências exatas e na psicologia. Ciencias exatas – consenso,


universalização. Na psicologia não pode admitir essa conotação por ser um campo de
pluralidade.
 há diversas opiniões sobre o significado e importância do que foi a crise da psicologia
social, porem na tese, o que será destacado é a crise como sendo algo positivo
possibilitando mudanças, contestações e diversidades na psicologia social.
 Crítica a psicologia norte americana: a psicologia se afastou da filosofia e se aproximou
da ciência. Mudou-se o método, passou-se a utilizar a introspecção. E o objeto, que é o
homem, passou a ser visto de forma objetiva. Os métodos utilizados nas pesquisas
experimentais de psicologia social passaram a ser divididos em experimento de campo
e de laboratório.

O método experimental, ele levava o estabelecimento de conclusões universais, é advindo do


campo das ciências exatas e naturais, observa um fenômeno e considera a validação... há
alguns princípios, no campo da ciências naturais exatas, busca a constatação de uma realidade
e pra isso você precisa da construção e validação de uma hipótese que se dá no método
experimental, universalizando assim, o fenômeno. Quando isso é transferido para c. humanas,
é possível realizar pesquisas de fenômenos, universalizando os fenômenos . Wundt achava que
o problema de não conseguir a cientificidade estava no método e não no objeto, então
permanece o objeto, que é a consciência, e o objeto ele criou a introspecção. o behaviorismo
achava que o erro estava no objeto, então colocou-se o objeto como o comportamento e o
método a observação. O método experimental afastava a compreensão de fenômenos
naturais, por que era necessário criar um artificio pra estudar o fenômeno. A caixa de Skinner,
é um artificio para observar como um animal com determinados estímulos, passa a fazer um
comportamento e não outro. o rato quando pressiona a barra ganha um reforço, antes não
fazia isso, o que faz com que o comportamento se repita é o reforço. No caso do
condicionamento clássico, é a mesma situação, você cria artificialmente, num laboratório, o
que se criticava é que o fenômeno humano é mais rico e diverso que se possa alcançar com o
método experimental. Outra critica era que esse método era destinado a uma psicologia social
de laboratório e não que se quisesse interferir nisso socialmente.

Zimbardo ele quer estudar o fenômeno social pra ver o comportamento. O zimbardo é um
estudo de conformidade, por que o sujeito é colocado num situação extrema teria
comportamentos diferentes do que numa situação normal. Mas tem indivíduos que não se
submetem a isso. mas ele fala que o ser human em situações extremas não se comportariam
como numa situação normal. Mas nele, ainda há a coisa individualizada.

O objeto da psicologis social amerinaca é como você responde a um estimulo que lhe é
apresentado, como você se comporta do modo como alguém se dirige a você. Essa era a
nosção de social. E essa era a crítica: a visão de social. Então tem um social próximo a
Durkheim, deleuze. Mas nesse momento estamos apenas compreendendo como funciona a
psicologia social noerte americana.
Moscovici, em 72 publica um livro sobre a psicologia social NA, ele fala das microteorias, teoria
do equilíbrio, a teoria da dissonância cognitiva, fala e se posiciona, por isso é necessário
compreender e depois fazer uma critica e depois nega. Por isso estamos tentando entender a
psicologia social Norte americana.

Abrapso, e a outra surge nesse confronto de ideias, é uma tentativa de pensar outros
caminhos na américa latina e no brasil.

A estrutura das revoluções cientificas

Kuhn, nessa obra ele afirma que a noção de paradigma é posterior a crise. Na psicologia, nós
usamos esse termo de paradigma, mas é necessário um esclarecimento do uso do termo
paradigma. O paradigma é estabelecido a partir de um consenso, coisa que a psicologia não
tem. Na ciências exatas, há uma concordância geral. Nós não observamos isso na psicologia e
nem nas ciencias humanas, há uma pluralidade conceitual. Isso significa que a psicologia, não
tem um único objeto, mas vários objetos e vários métodos que dá conta desses vários objetos.
Se a noção de paradigma é posterior a crise, isso não está presente na psicologia. Então seria
um problema sustentar essa noção de paradigma, ou modelo. Figueiredo, prefere o uso de
matrizes. A psicologia social latina americana teria sustentado um paradigma. No entanto, é
um problema sustentar isso. até por que temos que considerar. Sandoval afirma que novos
objetos passaram a ser usados. O modo de produzir conhecimento se sustenta no sujeito e no
método.

Em um momento, definimos o social da psicologia social norte americana, há um


desdobramento do modo kantiano de pensar o sujeito e o objeto. há uma separação que
sustenta a neutralidade. Os meus valores e meus posicionamentos políticos não interferem o
modo de produzir conhecimento. Sandoval afirma que não deveria haver uma separação entre
sujeito que produz uma teoria e o objeto dessa teoria. Ou seja, não separação implica que os
valores de quem formula uma teoria apresente determinadas ideias mescladas de valores que
sustentam o sujeito. O contexto da américa latina não havia pobres demais, não haviam
analfabetos demais e eles afirmam que a psicologia social precisava dar conta de novos temas
que se adequem a américa latina e não só ao contexto norte americano. Era preciso que os
psicólogos sociais pudessem mudar o contexto nesses países. A aplicação que era utilizada
pelos norte americanos era como uma adaptação dos sujeitos que escapavam da realidade.
Aplicação = adaptação.

Na outra psicologia (para a américa latina) era necessário transformar a realidade em que
esses sujeitos estavam submersos. Na psicologia social, encontramos autores como Sandoval,
que afirmam que a psicologia social latino americana é um novo modelo, mesmo que seja
errôneo usar essa palavra. Não podemos deixar de dizer que a psicologia latino americana
trouxe novidades.

Novos temas vão surgindo pela compreensão de um novo social. Uma novidade dessa
psicologia social L.A são os novos temas, e a ideia de que a psicologia social levasse a
transformação. A psicologia social é cientifica, mas isso era sustendo por princípios da ciência
positivista, e uma das coisas que sustenta isso é a neutralidade. Mas Aroldo rodrigues fala que
isso era ideologia, o que Silvia Lane produz é ideologia.

A psicologia social seria uma ferramenta de conscientização, seguindo a ideia de


transformação social de Marx.

O importante é que a noção de paradigma é posterior a noção de crise. Quando há crise, há


um novo paradigma, mas na psicologia é diferente, nas ciencias naturais você tem uma
continuidade. Na psicologia você pode falar, no máximo, de evolução em um determinado
sistema (behaviorismo, etc.) mas você não pode falar de evolução geral da psicologia, você só
pode falar em evolução do que permanece.