Anda di halaman 1dari 5

Projeto Institucional

MUNICÍPIO: Itapira – SP
TEMÁTICA: Cuidar, educar e brincar, uma única ação.
FAIXA ETÁRIA: 0 a 3 anos

1- Justificativa:

“As crianças possuem uma natureza singular, que as caracteriza como seres
que sentem, pensam e agem de um jeito próprio desde que nascem. Nas interações
que estabelecem desde cedo com as pessoas que lhes são próximas e com o meio
que as circunda, as crianças revelam seu esforço para compreender o mundo em que
vivem, compreender a si mesmas, as relações contraditórias que presenciam e, por
meio principalmente das brincadeiras, explicitam suas condições de vida, seus anseios
e desejos.
O educador de crianças pequenas necessita desenvolver a capacidade de
observação e de reflexão sobre a prática, alimentados por informações teóricas para
conhecer a criança”.

( Ortiz e Carvalho – 2013 )

Analisando o diagnóstico e as rotinas que são desenvolvidas nos CEIs, percebemos que estas
aparecem como modelo ou sugestões para organização do trabalho pedagógico do professor, mas
em geral não refletem aspectos teóricos sobre as crianças pequenas, isso fica evidente na seleção ou
escolha de algumas atividades e dos materiais.
A rotina torna-se apenas um esquema que prescreve o que se deve fazer e em que momento
esse fazer é adequado.
Em contraposição a essa rotina, propomos que nos CEIs do município de Itapira, a jornada
seja mais abrangente dentro de um espaço-tempo fundamental para a vida humana, pois é nele que
acontecem as atividades rotineiras, triviais, como também ele é o “lócus onde há possibilidade de
encontrar o inesperado, onde há margem para inovação, onde se pode alcançar o extraordinário do
ordinário” (Lefebvre, 1984, p.51).
A rotina é apenas um dos elementos que integram o cotidiano, organizando-o.
Considerando as sinalizações do diagnóstico elaborado em todos os CEIs no município de
Itapira sobre a prática do planejamento, concluímos que se faz necessário considerar novas reflexões
e estudos acerca das possibilidades de ação com as crianças de 0 a 3 anos, bem como reflexões
relacionadas ao tempo, espaço, (rotina) e o significado dessas ações de cuidar e educar.
Outro aspecto apontado pelo diagnóstico é a necessidade de estruturar o elo entre teoria e
prática. Portanto os encontros de formação considerarão isso na relação com os conteúdos eleitos a
fim de oferecer subsídios para as ações dos diretores com os professores.
Assim, esse projeto propõe a reestruturação da rotina, considerando o tempo, o espaço e o
brincar num contexto em que a criança possa participar com todos os aspectos da sua singularidade,
todos os seus sentidos, todas as suas capacidades intelectuais, seus sentimentos e suas ideias.

2- Objetivos Gerais

 Ressignificar os ambientes dos CEIs de modo que estes reflitam uma nova forma de
pensar a criança pequena e a educação.
 Ampliar as abordagens teóricas bem como conhecer experiências como a de “Lóczy” a fim
de promover estudos, reflexões acerca das ações com as crianças de 0 a 3 anos.
 Refletir sobre o significado das ações que envolvem o cuidar e educar.

3- Objetivos Específicos

Para os Diretores:
 Refletir sobre o significado da relação cuidar e educar e sobre a organização do tempo e do
espaço na instituição de 0 a 3 anos.
 Refletir a importância do planejamento do professor como condição para a promoção de
aprendizagens significativas para as crianças.
 Planejar ações formativas significativas para intensificar a relação teoria e prática.
 Viabilizar junto à equipe do CEI os recursos necessários para a realização das metas do
projeto.
 Promover a operacionalização de todas essas ações junto aos professores.
 Viabilizar recursos humanos e financeiros para que suas ações se concretizem.

Para os Professores:
 Refletir, planejar e coordenar as propostas para que as crianças tenham oportunidades
significativas de desenvolvimento.
 Analisar os momentos da rotina e organizar o espaço para que seja seguro e desafiador,
bem como flexível o suficiente para transformar-se à medida que se modificam e evoluem as
potencialidades da criança.
 Fazer do cuidar, brincar e educar uma única ação.
 Proporcionar inúmeras interações da criança com os adultos, com as outras crianças e com
o meio físico e social.
 Possibilitar às crianças a construção de vínculos afetivos para que se sintam confiantes e
seguras no ambiente escolar.
 Organizar intencionalmente experiências impulsionadoras do desenvolvimento infantil que
interfiram positivamente no processo de humanização das crianças.
 Inovar a maneira de cuidar das crianças pequenas considerando que são competentes
desde o nascimento, com seus recursos e capacidades e que devem ser tratados com respeito.
 Estabelecer com a criança uma comunicação não só pela fala, mas também pelo olhar, pelo
toque e pelo movimento corporal.
 Valorizar aspectos da criança pequena tais como: movimentos livres, iniciativas, respeito ao
corpo e ao tempo.
 Organizar o tempo, o espaço e a escolha de materiais, que incentivem a autonomia e
liberdade de movimentos da criança.
 Ter disponibilidade e atenção, realizar intervenções consistentes e oferecer às crianças o
tempo que necessitam para seus movimentos e respostas.
 Estabelecer constantemente contato visual e procurar antecipar com palavras as ações
realizadas.

Para as Crianças:
“Depois de acordar, mamar. Depois de mamar, sorrir.
Depois de sorrir, cantar. Depois de cantar, comer.
Depois de comer, brincar. Depois de brincar, pular.
Depois de pular, cair. Depois de cair, chorar.
Depois de chorar, falar. Depois de falar, correr.
Depois de correr, parar. Depois de parar, ninar.
Depois de ninar, dormir. Depois de dormir, sonhar”.

Sandra Peres, Paulo Tatit e Edit Deardyk

 Apropriar-se de um ambiente pensado e organizado para que suas necessidades de sono,


alimentação, colo, acolhimento, interações, vínculos, sejam atendidas.
 Motivar a criança a descobrir o prazer de agir livremente
 Fortalecer as suas capacidades comunicativas (fala, olhar, gestos) e a interação com
colegas e adultos.
 Incentivar a participação em todas as suas atividades, como troca de roupa, alimentação e
higiene.
 Brincar criando seus próprios desafios e soluções para eles.

“E todos os brinquedos se transformam


Em coisas vivas, e um cortejo formam:
Cavalos e soldados e bonecas,
Ursos e pretos, que vêm, vão e tornam,
E os palhaços que tocam em rabecas...
E há figuras pequenas e engraçadas
Que brincam e dão saltos e passadas...
Mas vem o dia, e leve e graciosa,
Pé ante pé, volta a melhor das fadas
Ao seu longínquo reino cor-de-rosa”.

Fernando Pessoa

Para a Equipe de Apoio:


 Sugerir soluções para a organização dos espaços e colaborar para a viabilização das
propostas.
 Compartilhar os novos olhares atribuídos às crianças pequenas para que compreendam as
mudanças na rotina e sejam parceiros em alguns encaminhamentos.

4- Conteúdo:

Para os Diretores:
 O papel do diretor na formação de professores que tenham como foco a importância do
brincar, do ambiente, dos objetos e das interações para o desenvolvimento das crianças.
 Desenvolvimento de reflexões relacionadas ao tempo, espaço (rotina) e o significado das
ações de cuidar e educar.

Para os Professores:
 “Escutar” as crianças através da observação, da sensibilidade, da atenção e das diferentes
linguagens.
 A importância do brincar para a formação das crianças.
 Reflexões e estudo acerca das possibilidades de ação com as crianças de 0 a 3 anos.
 Reflexões relacionadas ao tempo, espaço (rotina).
 Significado das ações de cuidar e educar.

Para as Crianças:
 Exploração, manipulação, experimentação com objetos e materiais.
 Confiança e segurança progressiva nas suas próprias possibilidades.
 Participação na vida da escola.
 Envolvimento com o brincar e na relação com as pessoas.

Para a Equipe de Apoio:


 O papel do ambiente e do adulto na formação das crianças.

5- Metas :

 Realizar encontros de formação mensal com os diretores dos CEIs e estes com os
professores.
 Promover alterações graduais na rotina.
 Realizar momentos de formação com o pessoal de apoio para compartilhar mudanças na
rotina da instituição.
 Avaliar cada passo do projeto com o objetivo de verificar se está havendo um avanço em
direção aos propósitos estabelecidos.
 Oferecer aos pais das crianças a oportunidade de se encontrarem, com o objetivo de poder
confrontar, trocar experiências, pontos de vista, problemas e dúvidas em relação a educação
dos filhos.

6- Indicadores de Avaliação
. Os profissionais envolvidos estão implicados na modificação dos espaços tornando-os
flexíveis, amplos, bem diferenciados, de fácil acesso e identificáveis?
. Os profissionais acreditam nas potencialidades das crianças a fim de constituir uma escola
que impulsione as crianças a usarem as suas capacidades para planejar, resolver problemas,
estabelecer relações, organizar seu trabalho e compreender como funciona o mundo?
. Os professores planejam momentos e desenvolvem atividades com as crianças nas quais
haja equilíbrio entre iniciativa e o trabalho dirigido?
. Há atenção aos aspectos emocionais que é a plataforma sobre a qual as crianças constroem
o seu desenvolvimento?
. O ambiente se sustenta no âmbito da linguagem, tornando possível e estimulando todas as
crianças a falarem através da interação professor-criança?
. A rotina (jornada) considera o ritmo, a participação, a relação com o mundo, a realização, a
liberdade, a consciência, a imaginação e as diversas formas de sociabilidade das crianças?
. Os professores organizam um ambiente, que possibilite as crianças inúmeras interações,
ampliando assim suas vivências de descobrimento e consolidação de experiências de
aprendizagens?
. Há oferta de uma grande variedade de materiais com tipos e condições diferentes?
. Há atenção individualizada às crianças para desenvolver sua linguagem pessoal, reconstruir
procedimentos de ação, orientar o seu trabalho, dar-lhes pistas novas e apoiá-las na aquisição
de habilidades?
. Os professores ampliaram a capacidade de planejar e avaliar os processos de cada criança?

7- Alguns encaminhamentos da formação

 Compartilhar com os diretores os principais aspectos colhidos no diagnóstico.


 Socializar o Projeto Institucional e discutir como cada sujeito poderá se envolver neste.
 Apresentar os conteúdos que balizarão esta formação: (cuidar, educar e brincar, uma única
ação).
 Fazer um levantamento das concepções sobre os temas em questão e possibilitar o
confronto com novas abordagens.
 Leitura e discussão de textos e vídeos para subsidiar o trabalho da equipe de formadores.
 Discutir sobre o significado da relação cuidar e educar, aprofundando o olhar sobre a criança
pequena.
 Orientar o diretor e este os professores a elaborar documentos que deem suporte para a
pesquisa, conhecimento das crianças e proposição de conteúdos.

8- Bibliografia

Ortiz, Cisele; Carvalho,Maria Teresa Venceslau de. Interações: ser professor de bebês-
cuidar, educar, uma única ação.São Paulo: Editora Edgard Blucher Ltda, 2013.
Barbosa, Maria Carmem Silveira; Horn Maria da Graça Souza.Projetos Padagógicos na
Educação Infantil.Porto Alegre: Artmed, 2008.
Barbosa,Maria Carmem Silveira.Por amor e por força: Rotinas na Educação Infantil.Porto
Alegre:Artmed,2006.
Zabalza,Miguel A. Qualidade em Educação Infantil.Porto Alegre: Artmed,1998
Revista Pátio Educação Infantil, Artmed, ano IX abril/junho 2011.