Anda di halaman 1dari 24

Ja

de Crdins do
rista Palá
cinem
a · co l · 6-2 cio
ncer
tos · 2 set
deba
tes ·
expo
siçõe
2019
s · le
turas i
· ofic
inas
· spo
ken w
ord
EI D
F EIRA D
F EIRA D
FEIRA DO LIVRO DO PORTO

F RA
6-22 SET 2019
Jardins do Palácio de Cristal

SEG-QUI 12H00-21H30

I
SEX 12H00-23H00
SÁB 11H00-23H00

E
DOM 11H00-21H30

F
Organização
Câmara Municipal do Porto

Presidente da Câmara
Rui Moreira

Comissário
Nuno Artur Silva

Coordenação executiva
Sofia Alves – Diretora de Departamento Municipal de Gestão Cultural
João Gesta – Programador
Fernando Pinheiro – Ágora

Coordenação de produção
Inês Vila – Chefe de Divisão de Bibliotecas

Coordenação de comunicação
Pedro Lobão – Diretor de Departamento Municipal
de Comunicação e Promoção

Apoio à comunicação
Pedro Trigo, Jorge Rodrigues

Produção executiva
Carlos Pinto, Catarina Pires, Catarina Mesquita, Eduarda Paiva,
Elisabete Neves, Fátima Magalhães, Joana Simons, João Moreira da Silva,
Maria João Sampaio, Sílvia Lourenço, Sofia Luz Silva, Tiago Andrade,
Verónica Magalhães

Apoio à produção
Adelaide Silva, Albina Silva, Carina Novo, Conceição Costa, Helena Silva,
Helena Vieira, Isabel Correia, Joana Ramos, Lucinda Gomes, Lúcio Moreira,
Mónica Benigno, Telmo Oliveira, Teresa Pino

Equipa técnica
Arlindo Santos, Guilherme Dantas, Joaquim Tavares, Luís Neves,
Paulo Coelho, Paulo Vieira, Telmo Vasco Teixeira

Design gráfico
Dobra
EIIRA 2RO 20
ODLOVRD
O O L
D LI LIVR IVRO19
DO O 20
19
“…eu falo de mim em todos os textos. Tanto me faz que
seja sobre política, literatura, ou qualquer outra coisa.”
afirma Eduardo Lourenço, pensador, filósofo e ensaísta.
O autor, reconhecido pelos seus pares como homem da
cultura, é o homenageado desta edição da Feira do Livro
do Porto. Baptizar uma tília com o seu nome em plena
Avenida das Tílias, nos Jardins do Palácio de Cristal,
é uma justa homenagem do Porto ao nome maior do
pensamento português cujo permanente compromisso
cívico e reflexões sobre a Europa são indissociáveis
da sua vivência cultural.
Comissariada por Nuno Artur Silva, a programação
desta edição da Feira do Livro do Porto quer, em todos
os seus momentos, revisitar Eduardo Lourenço e a sua
voz única. Os debates, as lições, as sessões de cinema
e as performances de spoken word incitam à leitura
e ao escutar da palavra, destacando a sessão especial
“Quintas de Leitura”, também ela inspirada no pensamento
de Eduardo Lourenço.
São 17 dias de um festival onde todos são convidados
a participar e a usufruir de cada momento nos Jardins
do Palácio, celebrando as artes em torno do livro.
Sinta-se bem-vindo nesta celebração que é sua.

Rui Moreira
Presidente da Câmara do Porto

6-22 SET JARDINS DO PALÁCIO DE CRISTAL 3


FEIRA DO LIVRO 2019

A programação da Feira do Livro do Porto de 2019 propõe um Os 500 anos da morte de Leonardo da Vinci serão assinalados por
plano de encontros muito diverso para todos os que venham uma lição de Carlos Fiolhais, que destacará o triângulo virtuoso
deambular pela Avenida das Tílias do Jardim do Palácio de entre arte, técnica e ciência do maior génio do Renascimento.
Cristal por estes dias de setembro. Pelo lado da literatura celebraremos os 100 anos de Sophia e de
Estaremos a homenagear Eduardo Lourenço e a sua voz única Jorge de Sena com uma leitura da sua correspondência, numa
ensaiando variações sobre uma decifração de Portugal, no dizer recriação intimista acompanhada ao piano por Jan Wierzba.
de Maria Filomena Molder, que encerrará a programação da Jorge Vaz de Carvalho dissertará sobre o génio de Sena e o seu
feira com uma lição sobre o homenageado e a sua obra. auto-exílio numa sessão intitulada “Jorge de Sena no Reino da
Exibiremos “O Labirinto da Saudade”, uma visão da obra de Estupidez”. Hélia Correia fará uma provocação amantíssima a
Eduardo Lourenço por Miguel Gonçalves Mendes, realizador Agustina Bessa-Luís, a inexplicável. Mário Cláudio terá a sua
que estará presente com Pilar del Rio numa apresentação do retrospectiva a propósito dos seus 50 anos de vida literária,
filme, que será antecedida de um pequeno concerto de Noiserv, revisitados no essencial por Martinho Soares. Num painel
autor da banda sonora. sobre o papel do escritor em tempos conturbados teremos José
Teremos um olhar de Portugal a partir do estrangeiro, ontem Eduardo Agualusa, Isabela Figueiredo, Rui Zink e a escritora
e hoje: como tem mudado a percepção e a construção do venezuelana Karina Sainz Borgo. Outro escritor convidado é o
imaginário sobre o país? Uma dissertação do italiano Roberto espanhol Manuel Vila que conversará sobre memória e ficção
Francavilla, professor e tradutor de literatura portuguesa. com Nuno Costa Santos, açoriano, escritor residente desta
Debateremos as possibilidades de futuro para a Europa, edição da Feira.
com Viriato Soromenho Marques, Miguel Poiares Maduro e 50 anos depois de Stonewall e do surgimento das
Bernardo Pires de Lima, no ano de todos os perigos – do Brexit manifestações de orgulho gay, Eduardo Pitta faz a provocação:
ao abstencionismo e ao populismo, dos desafios das migrações A literatura portuguesa continua no armário? E responde com
de refugiados ao surgimento de movimentos autoritários, uma dissertação sobre sexualidade e género na literatura
anti-democráticos e xenófobos. 75 anos depois do desembarque portuguesa contemporânea.
da Normandia, 30 anos da queda do muro de Berlim, 20 anos Provocatório é também o espectáculo “Válvula”, de António
do euro, 10 anos da crise da zona euro. Jorge Gonçalves e Flávio Almada, aka LBC Soldjah, que faz
E teremos uma história da Europa narrada e desenhada por uma viagem pela história do grafitti numa performance que
Hugo van der Ding, com todos os pormenores que realmente é meio palestra meio concerto de Hip Hop e se interroga sobre
interessam. esses traços de transgressão, arte, comunicação, ocupação
Sinalizando a coincidência de duas efemérides – os 500 e desobediência. No âmbito desta programação, haverá uma
anos do início da viagem de circum-navegação de Fernão sessão especial das Quintas de Leitura intitulada “Delírio
de Magalhães e os 50 anos do primeiro homem na Lua Manso”, bem como o espectáculo de spoken word “Navio
– José Manuel Garcia vai contar-nos a história dessa primeira dos Loucos” e a actuação do MC Maze.
volta ao mundo e teremos uma sessão evocativa da aventura A premissa do debate sobre poesia contemporânea traz um
espacial com a presença do homem que relatou pela rádio desafio: “Poesia do século XXI – Um balanço precipitado”,
aos portugueses o primeiro passo na Lua: Júlio Isidro. com Ana Luísa Amaral, Pedro Mexia, Rui Lage e Inês Fonseca
Para percebermos que a viagem de Magalhães e as outras Santos. Haverá Poesia à Capela com Jorge Sousa Braga
viagens dos portugueses daquela época não ocorreram por e João Luís Barreto Guimarães, que vão ler e falar sobre
acaso, Onésimo Teotónio de Almeida vai falar-nos da ciência os seus poemas e o que a eles vier dar.
no Portugal da Expansão. Por último, podia ser para iniciar, a presença de Arnaldo Antunes,
E agora, estamos num período de globalização ou de para uma leitura dos seus poemas e uma conversa sobre poesia
desglobalização? É a pergunta a que Boaventura Sousa e música, e sobre o compromisso social e político do artista –
Santos vai procurar responder na sua palestra. em particular sobre a sua perspectiva do Brasil de hoje.
A urgência de medidas para evitar as consequências das Eis um mapa para melhor percebermos um jardim com muitos
alterações climáticas e a perda de biodiversidade não são caminhos que se bifurcam: o nosso tempo.
outros temas – são o tema inadiável do presente e estarão
na programação da Feira do Livro no debate com Nuno Ferrand Nuno Artur Silva
de Almeida, Luísa Schmidt e Henrique Miguel Pereira. Programação

4 FEIRA DO LIVRO 2019


EBA TES DE
DEB TES DE
DEB
AATE DE B
Auditório

DEBA E TSSDDBA
EA
da Biblioteca

DEBATES DEEB B
Municipal
Almeida Garrett

TES B DEB

© Miguel Nogueira

SÁB 7 18H00 ABERTURA

HOMENAGEM
A EDUARDO
LOURENÇO
LÍDIA JORGE
ARTUR SANTOS SILVA
MOD. CARLOS MAGNO

Na sessão de abertura desta edição, a autora Lídia Jorge e Artur Santos Silva
conversam com o jornalista Carlos Magno sobre o autor homenageado, Eduardo
Lourenço. Filósofo e ensaísta, consagrado pelos seus pares, com uma carreira repleta
de distinções, Eduardo Lourenço possui uma vida e obra singulares, que se entrelaçam
com a história portuguesa. Nesta conversa, vamos conhecer e refletir sobre o percurso
de um grande pensador, cujo trabalho tantas vezes se debruçou sobre a identidade
e imagem do povo português, quer para si próprio quer para a Europa e para o mundo.

6-22 SET JARDINS DO PALÁCIO DE CRISTAL 5


DEB ATE S D B B
DEBATESS DEEBA
DEB
AAT DE BA
DEBA E SSDDBATT
TE
Auditório
da Biblioteca

T E E
Municipal
Almeida Garrett

DEBA E B
S DEBABA
TES ATE
DOM 8 16H00
DEB T
QUA 11 19H00
AT
ESCRITORES A VIDA, MEMÓRIA
CONTEMPORÂNEOS E A FICÇÃO E OS SEUS SÁB 14 16H00
EM TEMPOS CAMINHOS CRUZADOS POESIA PORTUGUESA
CONTURBADOS ENCONTRO COM MANUEL VILAS,
DO SÉCULO XXI:
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA
AUTOR DE EM TUDO HAVIA BELEZA UM BALANÇO PRECIPITADO
RUI ZINK
MANUEL VILAS ANA LUÍSA AMARAL
ISABELA FIGUEIREDO
NUNO COSTA SANTOS INÊS FONSECA SANTOS
KARINA SAINZ BORGO
MOD. JOÃO GOBERN PEDRO MEXIA
MOD. NUNO ARTUR SILVA
RUI LAGE
Manuel Vilas, poeta, recebeu o aplauso unânime da crítica MOD. JOSÉ MÁRIO SILVA
Neste painel moderado por Nuno Artur Silva, os escritores
espanhola com o seu primeiro romance Em Tudo Havia
José Eduardo Agualusa, Rui Zink, Isabela Figueiredo e
Beleza e vem à Feira do Livro do Porto conversar com João Trinta anos depois da edição especial de A Phala, sobre
Karina Sainz Borgo conversam sobre a sua experiência
Gobern e Nuno Costa Santos sobre o registo intimista da o balanço da poesia do século XX (1888-1988), procuramos
de escrita em tempos social e politicamente conturbados.
autobiografia. Melancolia, memória, passado e presente. nesta conversa falar sobre os sinais da poesia portuguesa
Como é que a literatura reflete estes tempos? Até que
De que teias se escreve e legitima um romance que tem nestes primeiros quase vinte anos do século XXI. O que
ponto faz sentido voltarmos a falar de compromisso na
como protagonista o próprio escritor? poderemos dizer sobre eles? Revelam novos topos, temas
literatura no século XXI? Devemos separar a obra literária
ou tendências? Inscrevem-se na tradição? O que de mais
da posição política do escritor?
relevante podemos identificar na poesia portuguesa deste
início de século? Uma conversa com poetas que são
QUI 12 19H00 também atentos leitores.
TER 10 19H00 AGUSTINA BESSA-LUÍS:
LUA: UM GIGANTESCO PROVOCAÇÃO
SALTO PARA A AMANTÍSSIMA DOM 15 16H00

HUMANIDADE COM A ESPERANÇA


CAMBALHOTAS À
HÉLIA CORREIA
DE HABITAR A TERRA
RETAGUARDA? Há os escritores e há Agustina: não coincidem. Há os
escritores geniais e Agustina: tão pouco coincidem.
NUNO FERRAND DE ALMEIDA
LUÍSA SCHMIDT
Agustina Bessa-Luís coincide apenas com o inexplicável.
RUI MOURA HENRIQUE MIGUEL PEREIRA
As evidentes conclusões só não se tiram porque falta
ORFEU BERTOLAMY MOD. ARMINDA DEUSDADO
coragem para isso. Falta aquela imprudência social que
JÚLIO ISIDRO
cria a liberdade na criança. Mas, se o amor é um lapso
MOD. MIGUEL GONÇALVES Já não conseguimos pensar o futuro sem antecipar
da maturidade, eu serei, por amor, inteiramente livre
as consequências das alterações climáticas. As metas
na imaginação que faço de Agustina.
Um dos eventos do século XX, de que ainda hoje sentimos para evitar esta irreversibilidade vêm em direção a nós a
réplicas, consequências e legado, foi a chegada da uma velocidade galopante – primeiro 2100, depois 2050,
Humanidade à Lua, que também simbolizou o início da agora 2030. Em cima disto uma perda de biodiversidade
Era Espacial da nossa civilização. Passado meio século permanente, um efeito venenoso das micropartículas
de tal aventura, temos já distância histórica suficiente para dos plásticos nos oceanos e as catástrofes humanas
perceber a génese política, social e científica, bem como pelas tragédias naturais. Todavia, alguma esperança: as
a natureza, os mitos e as dádivas dessa epopeia humana. pessoas parecem não ter dúvidas que precisam de voltar
É tempo de fazer as inevitáveis perguntas: por que razão a olhar para a Natureza e devolver-lhe o que lhe pertence,
não regressámos? O nosso próximo destino espacial terá encontrando um equilíbrio para si mesmas. Conseguimos?
de ser necessariamente e uma vez mais o nosso satélite
natural? E, já agora, o que é que a Humanidade deve à Lua?

6 FEIRA DO LIVRO 2019


DEB ATE S D B BA
DEBATESS DEEBA
DEB
AAT DE BA
DEBA E SSDDBATT
TE
DEBA T E EBEB
S DEBATEAET
TES A
DEBATE
SÁB 21 16H00
UMA BOA TARDE
TE
PARA A EUROPA DOM 22 19H00

VIRIATO SOROMENHO MARQUES


EDUARDO LOURENÇO.
MIGUEL POIARES MADURO VARIAÇÕES SOBRE 
BERNARDO PIRES DE LIMA
MOD. DANIEL DEUSDADO
A VOZ QUE ENSAIA
MARIA FILOMENA MOLDER
Abstencionismo, populismo e Brexit são problemas
MOD. ANABELA MOTA RIBEIRO
enormes, mas a Europa é muito mais. Todos os dias
milhões de europeus viajam sem fronteiras, não têm
A expressão em itálico foi escrita por Eduardo Lourenço
barreiras alfandegárias, muitos usam a mesma moeda e o
para dar conta da empresa levada a cabo por Montaigne
conhecimento dissemina-se a uma velocidade estonteante.
nos seus Ensaios. Trata-se precisamente da voz que,
É, aliás, o continente com a melhor formação académica
segundo ele, não foi escutada na “aventura espiritual
per capita do mundo. Queremos ver só problemas ou
portuguesa”. Se “é difícil saber a falta que nos fez, pois
também há por onde consolidar a esperança?
somos o que somos por ele nos ter faltado”, acresce
ainda que “não é certo que possamos integrá-lo mesmo
a título póstumo”. Diagnóstico que é um enigma a
pedir decifração, pois Eduardo Lourenço sondou, como
SÁB 21 19H00
ninguém em Portugal, quem foi “esse Michel”. As
ESTAMOS NUM PERÍODO variações fazem parte da decifração.
DE GLOBALIZAÇÃO OU
© Arnaldo Antunes
DE DESGLOBALIZAÇÃO?
BOAVENTURA SOUSA SANTOS
DOM 15 19H00
MOD. HUGO GILBERTO
ENCONTRO COM
ARNALDO ANTUNES As relações internacionais como um período de interregno
entre duas globalizações, um período turbulento de
rivalidades entre Estados, de colapsos democráticos, da
ARNALDO ANTUNES
reemergência de neofascismos e da destruição de países
MOD. NUNO ARTUR SILVA
por via de guerras híbridas. Quais seriam as alternativas?
Arnaldo Antunes é um dos expoentes da música e da
cultura brasileira. Conhecido sobretudo como músico
dos Titãs, pela sua carreira a solo ou pela sua participação
nos Tribalistas, é também um notável poeta e artista visual
interventivo.
Neste encontro, Arnaldo Antunes lê poemas seus e fala
com Nuno Artur Silva sobre a arte e o compromisso social
e político do artista - e especificamente sobre o seu
posicionamento artístico no Brasil da atualidade.

6-22 SET JARDINS DO PALÁCIO DE CRISTAL 7


S POSKSPONK OR
PKE
S PSO OE N EN
W WO RD
K
S PPOOKKEE N W
W O R
D
Auditório
da Biblioteca

SSP K EN
N W OOR
R D
Municipal

PO
O
S OK N W O
K N WORD
EE
Almeida Garrett

SP RD

© Válvula
© Maze
SÁB 7 21H30
VÁLVULA SEX 20 21H30
MAZE
ANTÓNIO JORGE GONÇALVES
FLÁVIO ALMADA André Neves, mais conhecido como Maze no âmago
da cultura Hip Hop, desde os anos 90 que escolhe
VÁLVULA é um espetáculo que parte da história como arma de intervenção a palavra. Começou por se
do graffiti para nos levar numa viagem com diversas evidenciar pelas mensagens que pintava para colorir
perguntas: Porque desenhamos nas paredes desde o cinzento da Invicta e pelas criações gráficas que
há milhares de anos? São esses traços transgressão ou desenhava para, mais tarde, se dedicar à escrita
arte, comunicação ou ocupação?  Pode a desobediência e à transposição para o papel e sob a forma de versos
ser legítima?  Nesta performance, que é meio palestra daquilo que não podia expressar de outra forma.
e meio concerto de Hip Hop, o desenhador António Neste espetáculo, Maze propõe-se dissecar a condição
© Cláudia R. Sampaio
Jorge Gonçalves guia-nos com palavras e desenhos humana, questionar a distopia desta era capitalista
pelos riscos que caçadores-recoletores fizeram nas e a crise de valores que dela advém, tendo a palavra
SÁB 14 21H30
rochas há 30 mil anos, pelas anotações desenhadas como principal protagonista.
dos romanos nas paredes das casas em Pompeia, NAVIO DOS LOUCOS
e pelos murais mexicanos de há 100 anos, enquanto
o MC (Mestre de Cerimónias) e ativista Flávio CLÁUDIA R. SAMPAIO
Almada aka LBC Soldjah nos leva com palavras JOSÉ ANJOS
e música até às contradições sociais das nossas JOÃO MORAIS (“O GAJO”)
cidades. Tudo para podermos compreender CARLOS BARRETTO
as pinturas e a lata de spray que enchem em
sobressalto os nossos muros.  Espetáculo de spoken word, com cerca de 60 minutos de
duração, à volta de poemas de Cláudia R. Sampaio, José
Anjos, Mário Cesariny e Daniel Faria, entre outros, ditos
por Cláudia R. Sampaio e José Anjos, com composição
e interpretação musical de João Morais (O Gajo) na viola
campaniça e Carlos Barretto no contrabaixo. Ao longo do
espetáculo serão projetadas imagens a partir da pintura
de Cláudia R. Sampaio.   

8 FEIRA DO LIVRO 2019


EXPEXOPSOIÇ ÕES
D E O
EXPXPOS I
S Õ
IÇEÕSE EX
RD
D O
EXPS
Ç SÕ
IÇE S
E XE X
D
Biblioteca

OIS
ÇIÕ Õ
SEESXE P
X
Municipal
Almeida Garrett
EXPO ÇEÕSES P O
D EXPO S IÇ E
ÕES E P E
X XOP
D SIÇÕ X S
ES E P O
XPO
HEROÍNAS
DE HISTÓRIAS
IMPROVÁVEIS
ANTÓNIO JORGE GONÇALVES
INAUGURAÇÃO 6 SET · 17H00
COM A PRESENÇA DO AUTOR

Em Setembro, a Biblioteca Municipal Almeida Garrett recebe as


ilustrações de uma trilogia de livros do Pato Lógico da autoria de António
Jorge Gonçalves: Barriga da Baleia (2014), Eu Quero a Minha Cabeça!
(2015) e Estás tão Crescida (2018).
A relação experimental entre texto e imagem é uma constante no seu
trabalho artístico. Há quarenta anos que conta histórias através de
imagens em livros, jornais e revistas nacionais e internacionais. Inspirado
pelas histórias que conta à filha e pela representação do feminino nas
animações de Miyazaki, ilustrou e escreveu sobre três heroínas: a primeira
partiu para a terra-onde-nunca-ninguém-se-aborrece, a segunda perdeu
a cabeça e a terceira não cabe em lado nenhum.
As duas primeiras histórias estrearam-se no palco do Teatro Maria Matos,
ainda antes de serem lidas em álbuns ilustrados, enquanto o último título
é uma exceção à regra, tanto na origem como na forma. Pintado a aquarela
e cuidadosamente manuseado para garantir as cores originais, revela
ilustrações trabalhadas a partir de tintas ecoline e pincéis japoneses em
papel aquarela, posteriormente complementadas com a edição digital.
Esta exposição reúne o poder evocativo dos seus desenhos na relação
com a literacia visual das crianças e com um imaginário autobiográfico de
aventuras improváveis. Estas são histórias que procuram pensar o mundo
através da resolução de dilemas e de conflitos internos que promovem
a exploração da inteligência emocional de leitores de todas as idades.

© Pato Lógico

6-22 SET JARDINS DO PALÁCIO DE CRISTAL 9


LLIÇ LE ÇIÕES L
LLIÇ Õ
IÇÕEÕE IÇ Õ
S ELS Õ ES
LIÇ Õ
I Ç S L L IÇLIÇ Õ
Capela
LIÇÕ ÕE ÇÕES ES
L SI
E
de Carlos
Alberto

L IÇ S LIÇ LIÇÕ
ÕES
LIÇÕ
DOM 8 12H00 DOM 15 12H00
A LITERATURA JORGE DE SENA
PORTUGUESA NO REINO DA ESTUPIDEZ
CONTINUA POR JORGE VAZ DE CARVALHO
NO ARMÁRIO?
Jorge de Sena impõe-se como a mais fecunda e original
POR EDUARDO PITTA das personalidades intelectuais e literárias do século XX
português, a par de Pessoa. Criador incomparável, deixou
Existe literatura gay em Portugal ou apenas literatura obras de poesia, conto, novela, romance, tradução, ensaio
feita por homossexuais e lésbicas? O que distingue uma e crítica, que constituem, como ele dizia, uma meditação
coisa da outra? Podemos meter no mesmo saco Thomas sobre o destino humano e a criação de linguagem.
Mann, Virginia Woolf, Ali Smith e Edmund White? No nosso Por força das circunstâncias históricas, viveu autoexilado
país, a conquista de direitos constitucionais verificada no Brasil e depois nos EUA. Depois do 25 de Abril,
nos últimos anos tem coincidido com a regressão da sua a Universidade Portuguesa não encontrou lugar para
expressão literária. Porquê? o seu saber e inteligência. E o pouco que ainda é lido diz
bem de um certo reino da estupidez que passou a vida
a combater e a desejar melhorar. 

SÁB 14 12H00
FERNÃO DE MAGALHÃES: 
O PRIMEIRO HOMEM
A DAR UMA VOLTA
AO MUNDO
POR JOSÉ MANUEL GARCIA

Quinhentos anos depois de em 1519 se ter iniciado a


grande viagem épica, que se notabilizou por durante a sua
realização se ter revelado experimentalmente como era a
realidade da esfera do Globo, evocamos essa tão grande
proeza e o seu responsável: Fernão de Magalhães.

JORGE DE SENA © Fernando Lemos

10 FEIRA DO LIVRO 2019


LLIÇ LE ÇIÕES L
ÕES L L IÇ
IÇÕEÕE
L Õ IÇ Õ
S ELS Õ ES
LI ÇÕ
I Ç IÇ S L L IÇLIÇ Õ E
LIÇÕE ÕLEIÇL
SÕ Õ ESIÇ Õ ES S
I ÇE S LIÇÕ
ÕES L S L LIÇÕ
E S
ÕES IÇ Õ ES L IÇÕ
QUI 19 19H00
LEONARDO DA VINCI: 
O TRIÂNGULO VIRTUOSO
ENTRE ARTE, TÉCNICA
E CIÊNCIA
POR CARLOS FIOLHAIS

A arte e a técnica são bem mais antigas do que a ciência.


Leonardo da Vinci (1452-1519), que viveu antes da Revolução
Científica que originaria a ciência de hoje, dividiu-se entre
a arte e a técnica, com a maior parte do seu tempo
dedicado à técnica. Mas anteviu a ciência. Autor de apenas
cerca de duas dezenas de pinturas, a obra maior da sua
vida são os seus cadernos de apontamentos, recheados
de esboços e desenhos. Neles se mostra, para além de
um observador exímio da Natureza, um homem capaz
de idealizar uma profusão de máquinas e instrumentos.
E neles faz anotações muito próprias de um cientista.
Uma viagem até ao tempo de Leonardo, realçando a sua
prodigiosa intuição e imaginação, e uma discussão sobre
a sua herança: as relações entre arte, técnica e ciência
no mundo de hoje.

SÁB 21 12H00
AS VIAGENS DE ROBERTO FRANCAVILLA © Roberto Francavilla
QUATROCENTOS:
AS NOVIDADES QUE DOM 22 12H00
TROUXERAM E A VIRAGEM CAMINHOS DO
QUE CAUSARAM IMAGINÁRIO. PORTUGAL
POR ONÉSIMO TEOTÓNIO DE ALMEIDA ONTEM E HOJE NO OLHAR
As viagens dos portugueses de Quatrocentos e Quinhentos
DO ESTRANGEIRO
não ocorreram por acaso. Um punhado de cabeças esteve
POR ROBERTO FRANCAVILLA
sempre por detrás do projeto, que foi sendo reformulado
aos poucos consoante as novidades sucessivamente
Por definição, a construção do imaginário sobre um
arribadas do outro lado dos mares, trazidas pelas caravelas
país e a sua identidade elaboram-se a partir do olhar do
que regressavam de cada etapa desse avanço Atlântico
estrangeiro: viajantes, escritores, artistas, mediadores
fora - primeiro rumo ao Sul, depois na cata de uma rota
culturais participam para a configuração duma imagem
alternativa de acesso às especiarias vindas da Índia.
reconhecível embora nem sempre completamente
Ao longo de décadas, não foi apenas um mundo novo que
real. Uma reflexão, depois dum breve excursus
se revelou à Europa, mas uma nova maneira de olhar para
diacrónico, sobre o caso de Portugal e as mais recentes
ele. Pelo menos foi assim que ocorreu com essa plêiade
transformações que o tornaram num espaço aberto para
de experimentados envolvidos no empreendimento.
novas modalidades de representação desvinculadas de
antigos clichés, num país menos periférico e bem mais
visível no mapa da Europa e da contemporaneidade.

6-22 SET JARDINS DO PALÁCIO DE CRISTAL 11


FEIRA DO LIVRO 2019
MAPA

1 CMP INFORMAÇÕES 34 ANTÍGONA 67 LIVRARIA DO MERCADO 100 LIVRARIA SANTIAGO


2 CMP PUBLICAÇÕES MUNICIPAIS 35 ARMAZÉM 111 68 PLANETA 101 ALFARRABISTA CALDEIRA
3 MUSEUNSOARESREIS·CULTURANORTE 36 ARMAZÉM 111 69 ÂNCORA EDITORA 102 BRAGA ALFARRABISTA
4 UNIVERSIDADE DO PORTO 37 EL CORTE INGLÉS 70 CENTRO ATLÂNTICO 103 ALFARRABISTA.EU
5 CTT 38 EL CORTE INGLÉS 71 CENTRO ATLÂNTICO 104 LIVRARIA CANDELABRO
6 ORDEM DOS ARQUITECTOS – OASRN 39 PALMO A PALMO · BOOKTIQUE 72 CHIADO GRUPO EDITORIAL 105 BIBLIOGRAPHIAS
7 ASS JORNALISTAS HOMENS LETRAS 40 PALMO A PALMO · BOOKTIQUE 73 CHIADO GRUPO EDITORIAL 106 LIVRARIA LUMIÈRE
8 LIVRARIA POETRIA 41 PALMO A PALMO · BOOKTIQUE 74 MINUTOS DE LEITURA 107 CULTURA EDITORA
9 LIVRARIA POETRIA 42 MOSAICO PALAVRAS · CORDÃO LEITURA 75 NOVA VEGA 108 ROTA DO LIVRO · EDIÇÕES TOTH
10 IMPRENSA NACIONAL CASA DA MOEDA 43 EDITORA EDIÇÕES ESGOTADAS 76 EDITORIAL BIZÂNCIO 109 ROTA DO LIVRO · EDIÇÕES TOTH
11 IMPRENSA NACIONAL CASA DA MOEDA 44 DINALIVRO 77 E-PRIMATUR & BOOK 110 EDITORA EXCLAMAÇÃO
12 PUBLICAÇÕES MAITREYA 45 DINALIVRO 78 ARIANA EDITORA 111 IBOOK · BOOKS EVENTS
13 BOOK COVER EDITORA 46 RELÓGIO D’ÁGUA EDITORES 79 BOOKSMILE · FÁBULA 112 BERTRAND · QUETZAL · PERGAMINHO
14 UNIVERSIDADE LUSÍADA EDITORA 47 RELÓGIO D’ÁGUA EDITORES 80 NASCENTE · FAROL 113 ESFERA DOS LIVROS · ZERO A OITO
15 LEGIS – MAIS LEITURAS 48 RELÓGIO D’ÁGUA EDITORES 81 VOGAIS · INFLUÊNCIA 114 PRESENÇA · MARCADOR · MANUSCRITO
16 IPSS 49 RELÓGIO D’ÁGUA EDITORES 82 TOPSELLER 115 GRADIVA · SINAIS DE FOGO · GIRASSOL
17 SMARLE 50 CARDUME EDITORES 83 CAVALO DE FERRO · ELSINORE 116 HARPER COLLINS · EDIÇÕES 70 · ACTUAL
18 KALANDRAKA 51 CARDUME EDITORES 84 HOMEM DOS LIVROS 117 VÍCIO DAS LETRAS
19 ESTUDIO DIDACTICO · OQO EDITORA 52 SERVENSINO · BABEL 85 LIVRARIA UTOPIA 118 BOCA AUDIOLIVROS · MARCO TAYLOR
20 DIDATIC BY EDICARE 53 CLUBE DO AUTOR · PLT TANGERINA 86 LIVRARIA EXCELSIOR 119 LIVROS HORIZONTE
21 4 ESTAÇÕES EDITORA 54 SERVENSINO 87 ALFARRABISTA JOÃO SOARES 120 LIVROS HORIZONTE
22 LIVRARIA TRAGA-MUNDOS 55 PALAVRAS & RIMAS 88 LIVRARIA MOREIRA DA COSTA 121 EDIÇÕES PIAGET
23 EDITORA URUTAU 56 PALAVRAS & RIMAS 89 1870 LIVROS 122 EDIÇÕES PIAGET
24 DAFNE EDITORA · CIRCO DE IDEIAS 57 BOOKI – LIVROS TÉCNICOS 90 ALFARRABISTA MARTINHO – LISBOA 123 EDIÇÕES SAÍDA DE EMERGÊNCIA
25 MATÉRIA PRIMA · EDUARDO AIRES 58 BOOKI – LIVROS TÉCNICOS 91 NARRATIVÓBVIA – LIVROS ANTIGOS 124 CHÁ DAS CINCO · DESASSOSSEGO
26 LIVRARIA FLÂNEUR 59 LEMA D’ORIGEM EDITORA 92 LIVRARIA ALFARRABISTA VARADERO 125 SELF EDITORA
27 LIVRARIA FLÂNEUR 60 PÁGINA CARMIM 93 SISTEMA SOLAR · DOCUMENTA 126 AFRONTAMENTO · TEODOLITO · C. DAS ARTES
28 ESTRATÉGIAS CRIATIVAS 61 CONVERGÊNCIA 94 LIVRARIA SNOB 127 AFRONTAMENTO · TEODOLITO · C. DAS ARTES
29 PUBLICAÇÕES JESUÍTAS 62 LER DEVAGAR · ABYSMO 95 LIVRARIA MIGUEL DE CARVALHO 128 AFRONTAMENTO · TEODOLITO · C. DAS ARTES
30 LUSODIDACTA 63 CALENDÁRIO DE LETRAS 96 ANGELS FORMULA – ALFARRABISTAS 129 TINTA-DA-CHINA
31 LUSODIDACTA 64 CALENDÁRIO DE LETRAS 97 O SOTÃO DA TIA BECAS 130 TINTA-DA-CHINA
32 ORFEU NEGRO 65 CALENDÁRIO DE LETRAS 98 LIV. PINTO DOS SANTOS · CÓLOFON
33 ANTÍGONA 66 LIVRARIA DO MERCADO 99 LIVRARIA DO SIMÃO

12 FEIRA DO LIVRO 2019


CAPELA DE 83
CARLOS ALBERTO
82

81

80

79
LAGO DOS

AVENIDA DAS TÍLIAS


78 CAVALINHOS
77

76

75

74

73
LAGO
72

71
ILHA
70

69

68
84
67
85
66 107 86

65 87
108
88
64 109
89
63 110 90
93 91

62
111

61

60
94 92

59

58
112

AVENIDA DAS TÍLIAS


57

56
95

55
113
96
114

97
115

98
99
116

10
0
10
1
10
2
10
3
10
4
10
5
10
6
54

53

52
WC
51
WC
50
WC
49
WC
48
WC
47
WC CONCHA ACÚSTICA
46

45 AVENIDA DAS TÍLIAS 122 121 120 119 118 117

44
123

124
43
125
42
126
PRAÇA DO ROSSIO 41
127
40
PAVILHÃO ROSA MOTA 128
39
129
38
130
37

ÁREA DE RESTAURAÇÃO

2 PRIMEIROS
SOCORROS
3
36 BIBLIOTECA MUNICIPAL
35
4 ALMEIDA GARRETT
5
34
AVENIDA DAS TÍLIAS

6
33
7
32
8
31
9
30
JARDIM EMÍLIO DAVID

29

28 10

27 11

26 12

25 13

24 14

23 15

22 16

21 17

20 19 18
BIBLIOCARRO GALERIA
ENTRADA/SAÍDA TERREIRO MUNICIPAL
DO PORTO

6-22 SET JARDINS DO PALÁCIO DE CRISTAL 13


N E
CINEEMMAAC N E M
M A CIN INE EM A
CINEM ACCIN IN M MA
Auditório

CINE A CIN EM E MAA


MA C EMA
da Biblioteca
Municipal
Almeida Garrett

INEM
A
EUROPA
Foi a partir de temas que norteiam o pensamento da figura
homenageada nesta edição da Feira do Livro que este
programa de cinema foi comissariado. Ao longo de duas
semanas será apresentado um conjunto de filmes que,
a partir de diferentes ângulos críticos e linguagens,
desafiam alguns dos aspectos mais profundos da matriz DOM 8 21H30
identitária da Europa e abordam acontecimentos culturais THE DEVILS
e políticos que constituíram pontos de ruptura ética e cívica
KEN RUSSELL
no contexto europeu (e ocidental), ao longo dos séculos. OS DIABOS, INGLATERRA, 1971, DRAMA, 117’
Propõe-se um programa de cinco obras singulares, amadas Prémio de melhor realização – Festival de Veneza (1971)
e até odiadas pelo público e pelos críticos, que marcam Passado na França católica do século XVII, The Devils – um dos
a cinematografia europeia das últimas décadas. Filmes filmes seguramente mais polémicos e disruptivos na história do cinema
britânico, banido em múltiplos países aquando da sua estreia – denuncia as
que nos falam de fé e religião, ideias de uso e ocupação lutas pelo poder e as perversões subjacentes à estrutura da Igreja Católica.
de territórios, formas de pensar e fazer política, e de O famoso Cardeal Richelieu apoia-se nas acusações de conduta imoral do
padre Urbain Grandier, encetando um plano de perseguição e condenação.
expressões de sublevação e irreverência social, numa Ken Russell baseia-se em factos históricos, no livro não ficcional de Aldous
diversidade fílmica e artística que consegue ela própria Huxley The Devils of Loudun e num texto teatral de Whiting, para criar um
filme-sacrilégio que evidencia o problema das relações entre a religião e os
sublinhar as contrariedades presentes no espírito europeu. eixos de poder que acompanharam a história da Europa.
A herança da nossa cultura, como escreveu Eduardo
Apresentado por Guilherme Blanc e Joana Canas Marques (Programadores)
Lourenço, reflecte também esta constante necessidade
de revisitação e provocação, esta “cultura de inquietação…
de desafio radical aos deuses como figuras da certeza”,
de que os filmes apresentados entre 8 e 22 de Setembro
são testemunho.

Guilherme Blanc (CMPorto)


Joana Canas Marques (Cineclube do Porto)

TER 10 21H30
SOBRE A VIOLÊNCIA
GÖRAN OLSSON
CONCERNING VIOLENCE, SUÉCIA, 2014, DOC, 90’
Prémio Cinema Fairbindet
– Festival de Cinema de Berlim – Berlinale (2014)

Através das palavras de Frantz​Fanon ​em Os condenados da Terra


e recorrendo a várias imagens de arquivo, Sobre​a Violência explora
a questão da posição europeia para com o colonialismo, e os mecanismos
da descolonização. Sobre a violência, de produção sueca é narrado
pela cantora Lauryn Hill.

Apresentado por Joacine Katar Moreira

14 FEIRA DO LIVRO 2019


N E
CINEEMMAAC N E M
M A CIN INE EM A
CINEM ACCIN IN M MA
CINE A CIN EM E MAA
MA C EMA
INEM
A

TER 17 21H30
ANOS DE CHUMBO
MARGARETHE VON TROTTA
DIE BLEIRNE ZEIT, ALEMANHA, 1981, FIC, 106’
Leone D’oro – Festival de Veneza (1981)

Anos de Chumbo é o quarto filme de Margarethe Von Trotta (1942),


conhecida nos últimos anos pelo recente documentário sobre Ingmar​
Bergman - a vida e obra do génio (2018) e a ficção Hannah​Arendt
(2012), e que fez parte (com Rainer W. Fassbinder e Werner Schroeter)
do movimento Novo Cinema Alemão​.
DOM 15 21H30
O filme conta-nos a história de duas irmãs e as dificuldades das
NADA A ESCONDER suas relações face ao contexto social e político da Alemanha do fim
dos anos 70, marcado por múltiplas feridas e cisões sociopolíticas.
MICHAEL HANEKE Com Anos de Chumbo, Von Trotta foi a primeira mulher a receber
CACHÉ, FRANÇA, 2005, FIC, 118’ o Leone D’Oro no Festival de Veneza.
Prémio de melhor realizador – Festival de Cannes (2005)
Apresentado por Fernando Rosas
Centrado na história de um casal da classe média-alta parisiense
e na sua angústia perante várias ameaças anónimas que vêm a receber,
Caché descortina os medos da sociedade moderna europeia, relacionando
as questões atuais da vigilância e da hipercomunicação com os traumas
de uma França pós-colonial, ainda em digestão da Argélia, colocando
em confronto esta sociedade polida, culta e cosmopolita com os medos
e receios da nossa contemporaneidade. Caché garantiu a Michael Haneke
o prémio de melhor realizador no Festival de Cannes.

Apresentado por Pedro Mexia

DOM 22 21H30
A ETERNIDADE E UM DIA
THEO ANGELOPOULOS
MIA ALONIOTITA KAI MIA MERA, GRÉCIA, 1998, FIC, 137’
Palme d’Or – Cannes (1998)

Um dos filmes mais belos do realizador grego Theo Angelopoulos (1936­‑2012),


com Bruno Ganz no papel de um escritor que, quando confrontado com
a sua morte, inicia uma viagem existencial que se cruza com a história de
uma criança imigrante ilegal da Albânia. Uma obra que apresenta uma
reflexão sobre a ideia de território, a Europa e as suas fronteiras, mas
também sobre a cruzada do homem nas suas contradições interiores.

Apresentado por Francisca Camelo

6-22 SET JARDINS DO PALÁCIO DE CRISTAL 15


E ECI S E S SESCÕI
I S S
S
E SEP Õ E I S
S E
SSEP C IAI A I S
S E S
E P SC IAE S E
S
E P
S E
PE C Õ E I S S S
S
SE ES S ÕÕ E S E E S
E S
C IAÕ AE ISS E
S
S ESS S S E SSPE S
E S
C I IISS S
S
S
S S S Õ E
E S P
P E C
C I
IAA S
S S E E S P E IA I S
APRESENTAÇÃO E S EC
DOM 8 14H30 Salão Independente
CONVERSA/ESPETÁCULO
DOM 8 18H30 Auditório da Biblioteca
E SP APRESENTAÇÃO
SEX 13 19H00 Auditório da Biblioteca
LANÇAMENTO DO LIVRO Municipal Almeida Garrett Municipal Almeida Garrett

“GEOGRAPHIA D’ENTRE O LABIRINTO DA SAUDADE CORRESPONDÊNCIA DE


DOURO E MINHO E MIGUEL GONÇALVES MENDES
SOPHIA E JORGE DE SENA
TRAS-OS-MONTES” PILAR DEL RIO
SIZA VIEIRA
TERESA ARCANJO
JOANA MESQUITA
NOISERV
JOANA LENCART JAN WIERZBA
MOD. NUNO ARTUR SILVA
FRANCISCO RIBEIRO DA SILVA
Jorge de Sena e Sophia de Mello Breyner Andresen
Noiserv, o projeto musical de David Santos, apresenta
Escrita pelo Doutor João de Barros no século XVI, mantiveram entre si uma correspondência regular.
um miniconcerto especialmente desenhado para este
esta obra condensa dois grandes manuscritos, um Nos cem anos do nascimento de dois dos maiores
evento, que inclui o tema composto para o filme.
pertencente à Biblioteca Pública Municipal do Porto vultos da cultura e literatura portuguesa, as atrizes
Conversa com Miguel Gonçalves Mendes, realizador,
e outro à Biblioteca Nacional de Portugal. Lidos, Teresa Arcanjo e Joana Mesquita recriam essa
Pilar del Rio e Siza Vieira, participantes no filme
transcritos, anotados e introduzidos pela investigadora correspondência, num registo intimista,
O Labirinto da Saudade, que se centra na vida
portuense Joana Lencart, ficamos a conhecer a acompanhadas ao piano por Jan Wierzba.
e obra do filósofo e ensaísta Eduardo Lourenço.
proposta de viagem do autor pelas comarcas de Entre
Douro e Minho e Trás-os-Montes, regiões que lhe
eram particularmente familiares. A par do registo da
toponímia, foi associando descrições de elementos tão
diversos como mosteiros, comendas, torres, morgados,
pessoas notáveis, relíquias, lendas, entre outros. Além
de ser uma fonte de valor histórico, esta Geographia
d’entre Douro e Minho e Tras-os-Montes revelou ser
uma fonte com marcado cunho literário. Acresce,
finalmente, comemorarem-se os 100 anos sobre a
primeira edição do manuscrito portuense, também sob
a chancela da Câmara Municipal do Porto, que agora
se completa com a publicação do manuscrito lisboeta.

O Labirinto da Saudade

16 FEIRA DO LIVRO 2019


E S S
E S
SP SC ÕIE
A I SESSEP
E CI AI S
SS S E
EP SÕ ES E
E S S P IA I S
S S Õ PE C
SSE S S ÕE S E
E S
SE S
CONVERSA
SÁB 14 19H00 Capela de Carlos Alberto
POESIA À CAPELA
JOÃO LUÍS BARRETO GUIMARÃES
JORGE SOUSA BRAGA
NUNO ARTUR SILVA

João Luís Barreto Guimarães e Jorge Sousa Braga lêem os


seus próprios poemas e conversam com Nuno Artur Silva
sobre as suas obras, a poesia e o que à conversa vier dar.
© Nelson D’Aires e Júlia Rodrigues HUGO VAN DER DING © Raquel Wise – Sábado

QUINTAS DE LEITURA APRESENTAÇÃO


CONVERSA
QUI 19 22H00 Auditório da Biblioteca SÁB 21 21H30 Auditório da Biblioteca
TER 17 19H00 Salão Independente
Municipal Almeida Garrett Municipal Almeida Garrett
LEITORES HOJE, DELÍRIO MANSO A HISTÓRIA DA EUROPA
LEITORES AMANHÃ? NARRADA POR HUGO
CRISTIANA SABINO, ANA CELESTE FERREIRA
TERESA CALÇADA ISAQUE FERREIRA, RUI SPRANGER VAN DER DING
JOSÉ PINHO RUI DAVID, PAULO CONDESSA
MANUEL ALBERTO VALENTE AFONSO AZEVEDO, PZ, NELSON D’AIRES HUGO VAN DER DING
M/12 ANOS
Interrogar e debater a importância social e cultural de O que têm em comum Carlos V, Napoleão, Hitler e Jean
ser leitor hoje e os modos presentes – futuros de o ser. Pedimos emprestado o título da sessão a Eduardo Monnet? Chumbaram todos a Matemática no 9º ano?
O papel das políticas públicas de leitura, dos editores Lourenço, o autor homenageado nesta edição da Feira do Faziam todos férias no Algarve? Tinham todos um metro
e das livrarias. Livro do Porto. Prometemos um recital a várias velocidades. e setenta e dois? Não.
Quatro momentos desarmantes e explosivos, onde o humor Sonharam todos com (e tentaram) uma Europa unificada.
e o desconcerto estarão muitas vezes presentes. Falaremos E é essa viagem de mil anos que nos propomos fazer,
a partir do coração, não pelos cotovelos. incluindo, claro, os pormenores todos, que é o que a
CONVERSA Dão corda à palavra: gente quer saber: Como o fizeram? Como ganharam?
QUA 18 18H30 Capela de Carlos Alberto · Cristiana Sabino (leituras) e Ana Celeste Ferreira Como perderam? E, sobretudo: quem se deitava com quem?
HOMENAGEM A MÁRIO (voz e loop station). Apresentam “Era uma vez um país
de coveiros”.
Depois disto, a maneira como vemos a Europa nunca mais
será a mesma!
CLÁUDIO: 50 ANOS · Isaque Ferreira e Rui Spranger, na companhia de
DE VIDA LITERÁRIA Rui David (voz e guitarra). Momento flagrante intitulado
“100 moralizar”. Poesia em pé (de guerra).
· Os Peixes Gémeos (Paulo Condessa & Afonso Azevedo) CONVERSA
MARTINHO SOARES DOM 22 16H00 Auditório da Biblioteca
apresentam “Capuchinho Blues”. Um clássico infantil
ANA PAULA ARNAUT Municipal Almeida Garrett
reconstrodestruído a preceito.
50 anos de vida literária dão o mote para esta retrospetiva
· De pijama, no seu tom bem-humorado e irónico, PORTO DE ENCONTRO
anunciamos PZ. Como alguém escreveu, PZ “põe o
sobre a vida e a obra de Mário Cláudio. Revisitaremos
minimalismo a rodar sob a agulha do desmaio português LANÇAMENTO DA BIOGRAFIA
a extensa e multifacetada produção literária do
e da sua crise, e deixa-nos a dançar o Malhão”. Já se DE MANOEL DE OLIVEIRA
consagrado autor portuense, salientando os títulos
sabe: com PZ quem ganha é Você!
mais emblemáticos, os principais eixos temáticos e
· A imagem da sessão é assinada pelo fotógrafo Nelson PAULO JOSÉ MIRANDA
particularidades estilísticas. De permeio, afloraremos
D’Aires. Apresenta “Verso Branco”, um olhar poético e PEDRO MEXIA
alguns traços da personalidade e alguns factos
sagaz sobre o Porto, a cidade onde a palavra liberdade SUSANA SÁ
estruturantes do percurso biográfico do homenageado.
é menos secreta.
Incluí a apresentação do livro O Essencial sobre Mário
E, no fim disto tudo, o pensamento de Eduardo Lourenço No arranque da nona temporada do Porto de Encontro,
Cláudio, de Martinho Soares, por Ana Paula Arnaut.
que inspira a sessão: “Nação pequena que foi maior do o escritor em destaque é Paulo José Miranda, autor da
que os deuses em geral o permitem, Portugal precisa biografia de Manoel de Oliveira, A Morte não é Prioritária,
dessa espécie de delírio manso, desse sonho acordado que será lançada nesta sessão. Além de Paulo José
que, às vezes, se assemelha ao dos videntes (voyants Miranda (vencedor do Prémio José Saramago, do Prémio
no sentido de Rimbaud) e, outras, à pura inconsciência, Teixeira de Pascoaes e do Prémio Autores, da SPA),
para estar à altura de si mesmo.” participarão na sessão o poeta Pedro Mexia e a atriz
Susana Sá.

6-22 SET JARDINS DO PALÁCIO DE CRISTAL 17


S CRI OR SS CCR I T O R
S
E SCÊ R ITC IA R E E C R
IA ITE M
E ID NR IT O ID Ê
E N
S E M
ESESM C RIETS O R
Ê N C IA
IA
E
RA ESC RRES ID D Ê N C
E M E S I
CRIA CIA EM R
ÊN

© Vitorino Coragem

CONVERSA
NUNO COSTA SANTOS SEX 20 19H00
Capela de Carlos Alberto

Nuno Costa Santos, 44 anos, é escritor e argumentista. Publicou, entre outros, os ESCRITOR
livros Céu Nublado com Boas Abertas (romance), A Mais Absurda das Religiões RESIDENTE
(crónicas), Melancómico (aforismos) e Às Vezes é um Insecto que Faz Disparar CONVERSA COM
o Alarme (poesia). Tem sido autor de vários trabalhos de caráter biográfico, quer NUNO ARTUR SILVA
no género audiovisual quer em livro e artigos. É autor do documentário Saudade NUNO COSTA SANTOS
MOD. NUNO ARTUR SILVA
Burra de Fernando Assis Pacheco, do documentário Ruy Belo, Era Uma Vez e
coautor do documentário José-Augusto França: Liberdade Cor de Homem e do
documentário Cláudio Torres: Arqueologia de uma Vida. Em pré-produção está
o documentário A Ilha de Knopfli, que também vai assinar em coautoria. É também
autor das peças Condomínio da Rua, Em Mudanças, Mundo Distante, É Preciso
Ir Ver – Uma Viagem com Jacques Brel e coautor de I Don't Belong Here, sobre o
fenómeno da deportação. Colabora com diversos órgãos de comunicação social. 
Foi, entre outras coisas, elemento da equipa de Zapping, teve um espaço na imprensa
e na televisão chamado O Marginal Ameno e é autor de Melancómico (Antena 3
e RTP 3). Dá, regularmente, aulas de escrita literária e criativa. É diretor do Encontro
Literário Arquipélago de Escritores e da revista literária Grotta.

18 FEIRA DO LIVRO 2019


E AU CA V O
A R O
M A P ROEGD AM RDU TI
CATIVVO
A
M
ACM A P E GRU CA T O
AT O D U
A A PO EDU ATIVOO
IV R C IV
RA M CAT IVO
BEBETECA DOM 15 11H00
MINI MOZART
M/18 meses · 12 bebés Espetáculo oficina
Até 2 adultos por criança O serviço educativo da Casa da Música propõe uma oficina
inscrição prévia bib.agarrett@cm-porto.pt em que as aventuras de Mozart e da sua irmã Maria Anna
local Sala Infantojuvenil ditam os andamentos de uma viagem pela música do génio HORA DO CONTO
austríaco. Uma viagem feita das muitas viagens, geográficas
e musicais, do pequeno prodígio, com cujo talento nos M/3 anos · 30 min.
DOM 8 11H00 cruzamos de forma lúdica e alegre. Aqui ninguém se Não requer inscrição prévia
PORTUGAL DOS MAIS PEQUENINOS esquece de que a música é uma festa e nos faz sentir melhor. orientação BMAG
Música e movimento para bebés Nesta apresentação, o ambiente é de fruição da música de local Terreiro da Biblioteca
Se pensarmos nos socalcos do Douro, nas planícies do Mozart, com interação entre os personagens e o público.
Alentejo ou no verde pulsante do Gerês, conseguimos SERVIÇO EDUCATIVO DA CASA DA MÚSICA
ouvir música, ver paisagens, sentir os cheiros e tocar SEX 6 + TER 10 + QUI 12 15H00
a terra. Nesta apresentação, os artistas percorrem uma BARRIGA DA BALEIA
viagem sonora assente na riqueza das tradições musicais DOM 22 11H00 Teatro de Marionetas baseado na obra
portuguesas com instrumentos diversificados: do A VIAGEM DE BALÃO DO MEU IRMÃO JOÃO de António Jorge Gonçalves
acordeão, à guitarra, aos bombos, ao piano e bateria; mas Teatro para bebés Através de um teatro de marionetas conhecemos a história
também com objetos musicais que abrem o mundo dos O irmão do Freddy está quase a nascer, a barriga da Mãe de Sari com o seu amigo Azur, que um dia partem numa
sons e da criatividade aos bebés. continua a crescer. “Mas afinal, quando chega o meu aventura de barco para a terra-onde-nunca-ninguém-se-
FRENESIM irmão? Quando pousar o balão? E onde é que o balão anda aborrece.
a voar? Dentro da barriga da minha Mãe. Queres espreitar?
TEATRO A QUATRO
SAB 7 11H00 + 15H00
ACHO QUE POSSO AJUDAR
Leitura em voz alta baseada na obra de David Machado
Um conto infantil que conta a história de uma menina que
acredita estar ao seu alcance resolver os problemas de
qualquer pessoa.

SEG 9 + QUA 11 + SEX 13 15H00


SAB 14 11H00 + 15H00
O QUE O PEDRO ALECRIM ME CONTOU
Teatro de Marionetas baseado na obra de António Mota
A Biblioteca homenageia António Mota, que celebra 40
anos de vida literária, apresentando ao público a história
do Pedro Alecrim e Grilo Verde, dois grandes clássicos do
autor.

SEG 16 + QUA 18 + SEX 20 15H00


SAB 21 11H00 + 15H00
MINI MOZART O AQUÁRIO
Leitura animada baseada na obra de João Pedro Mésseder
Uma história de peixes, cores e sabores para os mais
pequenos. Um aquário é também um mundo em miniatura,
onde se jogam relações entre iguais e diferentes, novos
e velhos, e onde se geram preconceitos e ideias feitas.
Um conto que aborda as diferenças, preconceitos e a
importância da entreajuda.

TER 17 + QUI 19 15H00


LENDA DA SOPA DE PEDRA
Leitura animada baseada na coleção Lendas de Portugal
Uma lenda portuguesa que fala dos costumes, tradições
e também da gastronomia regional de Almeirim, cujo
protagonista é um frade pobre que anda de casa em casa
a pedir algo para comer.

A VIAGEM DE BALÃO DO MEU IRMÃO JOÃO

6-22 SET JARDINS DO PALÁCIO DE CRISTAL 19


O E A UC A T O
P R G D
R UC
M A
A IVO
A PROEGDRUACA TIVO
A A
M AIVPO
T E
OD T
RE UCAT IVO
M D U I
CAT OV
IVO
ESPETÁCULOS

M/3 anos · 30 min.


Entrada sujeita à capacidade da sala.
local Sala Infantojuvenil CONVERSAS À VOLTA DOS LIVROS

M/4 anos · 30 min.


DOM 08 17H00 Não requer inscrição prévia.
ACHIMPA local Terreiro da Biblioteca
Espetáculo de Teatro
Valdevinos Teatro de Marionetas apresenta Achimpa
uma adaptação do livro homónimo de Catarina Sobral. SÁB 7 16H00
Um espetáculo divertido e vibrante, onde o público ACHO QUE POSSO AJUDAR
é chamado a brincar com as palavras. com David Machado e Mafalda Milhões
VALDEVINOS TEATRO DE MARIONETAS Conversa com o escritor David Machado e a ilustradora
Mafalda Milhões em torno do livro Acho que posso ajudar,
a história de um pequeno herói generoso e prestável
que, com muita imaginação, procura ajudar e resolver
problemas de diversas personagens. Um livro poético
que nos devolve a esperança num mundo melhor.

SÁB 14 16H00
DICIONÁRIO DAS
IDEIAS SONHADORAS
DOM 15 17H00 com António Mota e Sebastião Peixoto
PARA QUE SERVEM AS MÃOS Encontro com António Mota, que este ano celebra 40 anos
Espetáculo de teatro de marionetas de vida literária, e com Sebastião Peixoto em torno de um
No espetáculo Para que servem as Mãos, a palavra não é livro que nasceu numa insuspeita viagem de comboio.
mais importante do que os estímulos visuais e sensoriais. É aí que António Mota encontra a inspiração para este
A curiosidade e a participação das crianças são suscitadas pequeno grande dicionário, recheado de palavras que
através da música e dos ritmos que transformam os fazem voar a imaginação.
pequenos espectadores em figuras ativas.
TEATRO E MARIONETAS DE MANDRÁGORA
SÁB 21 16H00
CANÇÕES DO AR
DOM 22 17H00 E DAS COISAS ALTAS
PÁSSAROS, AVIADORES E OUTRAS com João Pedro Mésseder
COISAS XIMBIMPANTES DAS COISAS e Rachel Caiano
QUE NÃO HÁ QUE HÁ  Conversa com os autores do livro Canções do Ar e das
Espetáculo de Teatro Coisas Altas, uma obra composta por “poemas que são
Em junho de 2019, o Teatro do Frio e o Coro Lira letras de canções” e que, “por isso mesmo, será objeto
estrearam Coisas que não há que há, um espetáculo de uma apresentação cantada, com momentos musicais
com dramaturgia original que cruza poesia e escrita interpretados pelos próprios autores”.
cénica, voz cantada e voz falada, aprofundando a relação
entre a essência lúdica, interrogativa e onírica da poesia
de Manuel António Pina com o imaginário dos corpos
xubiantes e ximbimpantes dos intérpretes e a escrita
musical contemporânea.
Celebrando o livro homónimo a lançar em novembro
de 2019 e que documentará a experiência desta criação,
apresentam-se na Feira do Livro algumas das músicas
e textos nas vozes e nos corpos que são a animação
deste projeto.
TEATRO DO FRIO

20 FEIRA DO LIVRO 2019


IC INA S OFIIC C IIN
N A S
I C
F ICIIN NA AS O FF
O FICIN A S
F I C A S O A S
OF IC
O CIN
IN A S F I C IN
O F I
OF CINAS O
OF I
OFICINAS DE ILUSTRAÇÃO OFICINAS NO TERREIRO OFICINA DE LEITURA

M/5 anos · 1 adulto por criança Não requer inscrição prévia. M/16 anos · 15 participantes
inscrição prévia bib.agarrett@cm-porto.pt local Terreiro da Biblioteca inscrição prévia bib.agarrett@cm-porto.pt
local Terreiro da Biblioteca local Sala Unicer

SEG-SEX 16H00-18H00
SÁB 7 17H00 FAZ TU MESMO!
CONSTRUÇÃO DE Oficina de trabalhos manuais
UM LIVRO GIGANTE Durante o período em que decorre
com David Machado e Mafalda Milhões a Feira do Livro, famílias e crianças terão
Após a construção de uma história em grupo, materiais diversos à sua disposição,
os participantes vão ilustrar, em grupos de para a criação de trabalhos fantásticos
três ou quatro, cada página do livro. que poderão levar para casa, com
As ilustrações são desenhadas numa folha a orientação da equipa da biblioteca.
de papel gigante que, depois de dobrada de M/3 ANOS ORIENTAÇÃO EQUIPA DA BIBLIOTECA
uma forma particular, se transforma num
livro com um metro e meio de altura.
DOM 8 15H00
BRINQUEDOS ÓTICOS
SÁB 14 17H00 Oficina com CLIA-Anilupa
DICIONÁRIO DAS Os mais novos são convidados a aprender
PALAVRAS SONHADORAS como se faz um brinquedo ótico. Vão
com Sebastião Peixoto construir e explorar um objeto simples
A partir do livro de António Mota, todos e terão a oportunidade de observar
vão escolher palavras que fazem sonhar e perceber o funcionamento de alguns
e que o artista Sebastião Peixoto vai aparelhos que possibilitavam ver as
sugerir diversas formas de ilustrar. imagens animadas na época do
pré-cinema.
M/6 ANOS ORIENTAÇÃO CLIA-ANILUPA
SÁB 21 17H00
PALAVRAS DO AR
E DAS COISAS ALTAS DOM 15 15H00 SOPHIA DE MELLO ANDRESEN © António Pedro Ferreira
com Rachel Caiano DOM BAROM E MADAME ARAME
Palavras que lemos e que nos elevam no ar, Oficina de marionetas de vara
que nos fazem olhar o céu, o cimo das árvores Esta oficina consiste na criação SEX 20 18H00-20H00 · SÁB 21 10H00-18H00
e das montanhas. Nesta oficina, Rachel de marionetas de vara, com recurso APRESENTAÇÃO PÚBLICA SÁB 21 18H00
Caiano propõe-nos ilustrar essas palavas a materiais como madeira, cortiça e O PRAZER DE LER EM VOZ ALTA TEXTOS
que voam e nos fazem voar como o vento. tecidos. Após a marioneta construída, DE SOPHIA E JORGE DE SENA
os participantes experimentam e criam por Teresa Lima e Luís Mourão
pequenas histórias num teatrinho Uma seleção de textos de dois poetas maiores
ENCADERNAÇÃO E ILUSTRAÇÃO preparado para o efeito. de língua portuguesa, nascidos há 100 anos e unidos
M/6 ANOS ORIENTAÇÃO TEATRO por uma intensa amizade, é o mote para esta oficina
M/13 anos · 10 participantes E MARIONETAS DE MANDRÁGORA de voz. Uma proposta dirigida a todos os que gostam
inscrição prévia bib.agarrett@cm-porto.pt de ler poemas em voz alta, sem monotonia nem excessos
local Sala Unicer interpretativos, que são convidados a trabalhar os textos
DOM 22 15H00 para fazer uma apresentação pública.
MATRIZES E DIREÇÕES ORIENTAÇÃO TERESA LIMA E LUÍS MOREIRA
SEG 9 – SEX 13 14H30-17H30 Oficina criativa
OFICINA CADERNO DIÁRIO Uma matriz é onde algo nasce e se gera,
com Joana Estrela e Alfaiate do Livro pode ser uma gravação original, a base
Caderno Diário é uma oficina dedicada a partir da qual algo se vai repetir e
à exploração dos diários gráficos, que construir. Vamos experimentar carimbos
propõe aos participantes a exploração dos e com eles compor desenhos no nosso
diversos registos que este meio proporciona. livro de viagens.
Munidos com os cadernos feitos no primeiro M/6 ANOS ORIENTAÇÃO ATELIER 3/3
dia, sugerem-se exercícios para praticar
o desenho e a escrita, encontrar inspiração
e explorar o espaço do jardim do Palácio
de Cristal.
ORIENTAÇÃO JOANA ESTRELA E ALFAIATE DO LIVRO

6-22 SET JARDINS DO PALÁCIO DE CRISTAL 21


ROOGRA MA PPROG RAM N I -
R
P OG R A M A ÇOÃG O A
O
A MPAR Ç Ã
PR OGÃ RO AMNAI
A N IM A O
A P
IMRAÇG R A
A ÇÃ O I M A ÇÃ
N RONIM
P A Ã O AN
A
ÇÃ O IMAÇ
O A N
Ç Ã
ANIMAÇÃO SONORA OFICINA ITINERANTE

SEX 6 – DOM 22 SÁB+DOM 11H00-13H00 + 15H00-17H00


MANOBRAS À LETRA Av. das Tílias
A banda sonora da Feira do Livro do Porto será uma vez PALAVRAS SEMEADAS
mais da responsabilidade da Rádio Manobras. Além das Este bem podia ser um carrinho de gelados, mas não é!
boas-vindas diárias, haverá informação na hora, lembretes É um carro que viaja pela feira e propõe a quem encontra
de programação, avisos mais ou menos pitorescos e criar e recriar palavras, em diferentes formatos, semeadas
música de todos os tempos, géneros e geografias, sempre num canteiro coletivo ou numa árvore de desejos!
em harmonia com o ato de vasculhar os livros. BURILAR
RÁDIO MANOBRAS

PERFORMANCE
INSTALAÇÃO COTOVELO © Paulo Pacheco
SÁB 7 18H45 SÁB 14+21 17H45
SEX 6 – DOM 22 Av. das Tílias Lago dos Cavalinhos
QUADRO MEU DO SILÊNCIO DO LAGO AVISTA-SE
Do mais pequeno ao maior, há que espreitar e talvez a lupa O NOSSO TERRAÇO DE NUVENS
usar. E porque não uma palavra (in)útil deixar? Quadro Desde a edição 2014 que o Balleteatro concebe “poemas
meu é uma proposta em permanência para brincar e descobrir dançados” para os Jardins do Palácio, inspirados nos
que as letras, palavras e frases dão pano para mangas! temas e nos autores homenageados a cada edição da Feira
BURILAR do Livro. “Do silêncio do Lago avista-se o nosso terraço
de nuvens” é uma performance sobre a nossa existência
enquanto drama minúsculo, que se confunde com outros
CONCERTOS PORTA JAZZ dramas minúsculos. 
BALLETEATRO
Sábados Música ISABEL BARROS CONCEITO
Associação Porta-Jazz VÍTOR RUA MÚSICA
local Lago dos Cavalinhos SÓNIA CUNHA E CARLOS SILVA INTÉRPRETES HVIT © Sofia Oliveira
BALLETEATRO PRODUÇÃO
LUCINDA GOMES PRODUÇÃO EXECUTIVA
SÁB 7 19H00
COTOVELO
Música, voz e palavras, ligadas por um enredo narrativo ESPETÁCULO
em torno de dois casos de ciúme no século XIX.
CATARINA LACERDA VOZ DOM 8+15+22 18H00
NUNO TROCADO GUITARRA E ELETRÓNICA Concha Acústica
TOM WARD SAXOFONE, CLARINETE, FLAUTA AS PALAVRAS
SÉRGIO TAVARES CONTRABAIXO Rui Oliveira
ACÁCIO SALERO BATERIA “As Palavras” é um espetáculo que junta a música com a
JORGE LOURAÇO TEXTO poesia de grandes poetas de língua portuguesa. Utilizando
a voz como instrumento principal e de acompanhamento,
Rui Oliveira cria paisagens sonoras onde respiram os
SÁB 14 18H00 poemas e as canções. Sem alinhamento pré-definido, DO SILÊNCIO DO LAGO AVISTA-SE O NOSSO TERRAÇO DE NUVENS
BODE WILSON o concerto pretende ser um encontro daqueles que
Formado por três dos mais ativos músicos da sua procuram a beleza e o sentido na música e nas palavras
geração, Bode Wilson é um dos mais originais grupos dos poetas.
de jazz português.
JOÃO PEDRO BRANDÃO SAXOFONE
DEMIAN CABAUD CONTRABAIXO
MARCOS CAVALEIRO BATERIA

SÁB 21 18H00
HVIT
Lançamento do novo álbum resultante da 5.ª Residência
Porta-Jazz/Guimarães Jazz realizada em 2018.
O concerto de apresentação misturará música eletrónica
com música acústica. AS PALAVRAS
JOÃO GRILO PIANO E ELETRÓNICA
JOSÉ SOARES SAXOFONE E ELETRÓNICA

22 FEIRA DO LIVRO 2019


FEIRA DO LIVRO 2019 CIN – Cinema ESP – Espetáculo MUS – Música S. ESP – Sessão Especial
CONV – Conversa EXP – Exposição OFIC – Oficinas SE – Serviço Educativo
PROGRAMA CULTURAL DEB – Debate HOM – Homenagem PER – Performance SW – Spoken Word

SÁB 7 17H00 HOM ATRIBUIÇÃO DA TÍLIA DE HOMENAGEM DOM 8 11H00 SE PORTUGAL DOS MAIS PEQUENINOS
A EDUARDO LOURENÇO 15H00 OFIC BRINQUEDOS ÓTICOS
18H00 DEB HOMENAGEM A EDUARDO LOURENÇO
17H00 ESP ACHIMPA
21H30 SW VÁLVULA
18H00 PER AS PALAVRAS
DOM 8 12H00 LIÇÃO A LITERATURA PORTUGUESA CONTINUA NO ARMÁRIO?
SEG 9 14H30 OFIC OFICINA CADERNO DIÁRIO
14H30 S. ESP GEOGRAPHIA D’ ENTRE DOURO E MINHO E TRAS-OS-MONTES
15H00 SE O QUE O PEDRO ALECRIM ME CONTOU
16H00 DEB ESCRITORES CONTEMPORÂNEOS EM TEMPOS CONTURBADOS
16H00 OFIC FAZ TU MESMO!
18H30 S. ESP O LABIRINTO DA SAUDADE
TER 10 14H30 OFIC OFICINA CADERNO DIÁRIO
21H30 CIN THE DEVILS
15H00 SE BARRIGA DA BALEIA
TER 10 19H00 DEB LUA: UM GIGANTESCO SALTO PARA A HUMANIDADE
16H00 OFIC FAZ TU MESMO!
COM CAMBALHOTAS À RETAGUARDA?
QUA 11 14H30 OFIC OFICINA CADERNO DIÁRIO
21H30 CIN SOBRE A VIOLÊNCIA
15H00 SE O QUE O PEDRO ALECRIM ME CONTOU
QUA 11 19H00 DEB A VIDA, MEMÓRIA E A FICÇÃO
E OS SEUS CAMINHOS CRUZADOS 16H00 OFIC FAZ TU MESMO!
QUI 12 19H00 DEB AGUSTINA BESSA-LUÍS: PROVOCAÇÃO AMANTÍSSIMA QUI 12 14H30 OFIC OFICINA CADERNO DIÁRIO
SEX 13 19H00 S. ESP CORRESPONDÊNCIA DE SOPHIA E JORGE DE SENA 15H00 SE BARRIGA DA BALEIA
21H30 CIN NADA A ESCONDER 16H00 OFIC FAZ TU MESMO!
SÁB 14 12H00 LIÇÃO FERNÃO DE MAGALHÃES: O PRIMEIRO HOMEM SEX 13 14H30 OFIC OFICINA CADERNO DIÁRIO
A DAR UMA VOLTA AO MUNDO 15H00 SE O QUE O PEDRO ALECRIM ME CONTOU
16H00 DEB POESIA PORTUGUESA DO SÉCULO XXI: 16H00 OFIC FAZ TU MESMO!
UM BALANÇO PRECIPITADO
SÁB 14 11H00 SE O QUE O PEDRO ALECRIM ME CONTOU
19H00 S. ESP POESIA À CAPELA
15H00 SE O QUE O PEDRO ALECRIM ME CONTOU
21H30 SW NAVIO DOS LOUCOS
16H00 CONV DICIONÁRIO DAS IDEIAS SONHADORAS
DOM 15 12H00 LIÇÃO JORGE DE SENA NO REINO DA ESTUPIDEZ
17H00 OFIC DICIONÁRIO DAS PALAVRAS SONHADORAS
16H00 DEB A ESPERANÇA DE HABITAR A TERRA
17H45 PER DO SILÊNCIO DO LAGO AVISTA-SE
19H00 DEB ENCONTRO COM ARNALDO ANTUNES O NOSSO TERRAÇO DE NUVENS
TER 17 19H00 S. ESP LEITORES HOJE, LEITORES AMANHÃ? 18H00 MUS CONCERTO PORTA JAZZ: BODE WILSON
21H30 CIN ANOS DE CHUMBO DOM 15 11H00 SE MINI MOZART
QUA 18 18H30 S. ESP HOMENAGEM A MÁRIO CLÁUDIO: 50 ANOS DE VIDA LITERÁRIA 15H00 OFIC DOM BAROM E MADAME ARAME
QUI 19 19H00 LIÇÃO LEONARDO DA VINCI: O TRIÂNGULO VIRTUOSO 17H00 ESP PARA QUE SERVEM AS MÃOS
ENTRE ARTE, TÉCNICA E CIÊNCIA
18H00 PER AS PALAVRAS
22H00 S. ESP DELÍRIO MANSO
SEG 16 15H00 SE O AQUÁRIO
SEX 20 19H00 S. ESP ESCRITOR RESIDENTE CONVERSA COM NUNO ARTUR SILVA
16H00 OFIC FAZ TU MESMO!
21H30 SW MAZE
TER 17 15H00 SE LENDA DA SOPA DE PEDRA
SÁB 21 12H00 LIÇÃO AS VIAGENS DE QUATROCENTOS: AS NOVIDADES
QUE TROUXERAM E A VIRAGEM QUE CAUSARAM 16H00 OFIC FAZ TU MESMO!

16H00 DEB UMA BOA TARDE PARA A EUROPA QUA 18 15H00 SE O AQUÁRIO

19H00 DEB ESTAMOS NUM PERÍODO DE GLOBALIZAÇÃO 16H00 OFIC FAZ TU MESMO!
OU DE DESGLOBALIZAÇÃO QUI 19 15H00 SE LENDA DA SOPA DE PEDRA
21H30 S. ESP A HISTÓRIA DA EUROPA NARRADA POR HUGO VAN DER DING 16H00 OFIC FAZ TU MESMO!
DOM 22 12H00 LIÇÃO CAMINHOS DO IMAGINÁRIO. PORTUGAL ONTEM SEX 20 15H00 SE O AQUÁRIO
E HOJE NO OLHAR DO ESTRANGEIRO
16H00 OFIC FAZ TU MESMO!
16H00 S. ESP PORTO DE ENCONTRO – LANÇAMENTO
18H00 OFIC O PRAZER DE LER EM VOZ ALTA TEXTOS
DA BIOGRAFIA DE MANOEL DE OLIVEIRA
DE SOPHIA E JORGE DE SENA
19H00 DEB EDUARDO LOURENÇO. VARIAÇÕES
SÁB 21 10H00 OFIC O PRAZER DE LER EM VOZ ALTA TEXTOS
SOBRE A VOZ QUE ENSAIA
DE SOPHIA E JORGE DE SENA
21H30 CIN A ETERNIDADE E UM DIA
11H00 SE O AQUÁRIO
15H00 SE O AQUÁRIO
PROGRAMA EDUCATIVO E DE ANIMAÇÃO 16H00 CONV CANÇÕES DO AR E DAS COISAS ALTAS
17H00 OFIC PALAVRAS DO AR E DAS COISAS ALTAS
SEX 6 15H00 SE BARRIGA DA BALEIA 17H45 PER DO SILÊNCIO DO LAGO AVISTA-SE
17H00 EXP HEROÍNAS DE HISTÓRIAS IMPROVÁVEIS O NOSSO TERRAÇO DE NUVENS
SÁB 7 11H00 SE ACHO QUE POSSO AJUDAR 18H00 OFIC O PRAZER DE LER EM VOZ ALTA TEXTOS
DE SOPHIA E JORGE DE SENA
15H00 SE ACHO QUE POSSO AJUDAR
18H00 MUS CONCERTO PORTA JAZZ: HVIT
16H00 CONV ACHO QUE POSSO AJUDAR
DOM 22 11H00 SE A VIAGEM DE BALÃO DO MEU IRMÃO JOÃO
17H00 OFIC CONSTRUÇÃO DE UM LIVRO GIGANTE
15H00 OFIC MATRIZES E DIREÇÕES
18H45 PER DO SILÊNCIO DO LAGO AVISTA-SE
O NOSSO TERRAÇO DE NUVENS 17H00 ESP PÁSSAROS, AVIADORES E OUTRAS COISAS
XIMBIMPANTES DAS COISAS QUE NÃO HÁ QUE HÁ
19H00 MUS CONCERTO PORTA JAZZ: COTOVELO
18H00 PER AS PALAVRAS
IR A O ME IV R E A 19
E R H DO L A
N RO G 20
TO IRA OMEL IV EOA D O
E
F OR H D OAGNEA AGD 19
U
A R T IR A
M E NM E O 20
F
9 TORE
H O H OLIV R A D O
T1O A D O NA G E 19
FE I
UR
A R HOM IVRO 2 E 0
UTOIRA DO L
O FE

© Vitorino Coragem

EDUARDO LOURENÇO
Atribuição da Tília de Homenagem
Sábado, 7 setembro 17h00