Anda di halaman 1dari 114

NOME:______________________________Nº_______

Turma:________________ Data _____/fevereiro/2014


e-mail:______________________________
///4RC05 V1N1C1U5 R1831R0
21 2 2014
Esta APOSTILA, como ocorre com todo e qualquer trabalho
humano, deve – é evidente – conter falhas e imperfeições.

Não devemos, porém, temer o erro. O escritor suíço Henri-


Frédéric Amiel (1821-1881) afirmou que o erro só é perigoso
quando contém grande parcela de verdade. Gotthold Ephraim
Lessing, filósofo alemão (1729-1781), um século antes do
judicioso Amiel, já havia exarado esta sentença notável: Aquele
que teme o erro é o primeiro a errar.

Tudo que merece estudo não se lê facilmente, tudo que


adianta alguma coisa exige esforço e meditação.
Malba Tahan

“Agrada-me mais a dúvida do que o saber”, dizia Dante. E


esta é a essência da Matemática. Completa, séculos depois,
Benjamin Franklin: “Muita gente lamenta ter estudado isso ou
aquilo. Consideram tempo perdido ou esforço inútil. Em relação a
matemática, porém, não houve, até hoje, quem lastimasse o
tempo empregado em seu estudo. O arrependimento só brotou no
espírito daqueles que não poderiam ter levado, em adiantamento,
os estudos da Matemática”.

Salientando a importância do ensino da parte histórica da


Matemática opinou Felix Klein (1849-1925), um dos mais insignes
didátas na matéria: “O professor que ensina a Matemática
desligada de sua parte histórica comete verdadeiro atentado
contra a Ciência e contra a cultura em geral”.

"Faça as coisas o mais simples que puder, porém não


simplifique demais." Albert Einstein

-1-
PLANO DE ENSINO RESUMIDO 2014
DISCIPLINA: E S T A T Í S T I C A – TURMA : ESTTEI1(7149) SALA A27
PROFESSOR: MARCOS VINÍCIUS RIBEIRO mvinicius@facens.br
1. EMENTA
Serão abordados os tópicos principais de Estatística Descritiva e Probabilidades.
2. OBJETIVOS
Despertar o interesse do aluno relacionando a estatística com problemas do cotidiano. Familiarização com a linguagem e
conceitos estatísticos. Capacitar a analisar e interpretar dados experimentais e levantamentos estatísticos. Capacitar a
representar dados estatísticos. Habilitar o aluno na compreensão e identificação de problemas onde devem ser aplicados
conceitos estatísticos.
3. CONTEÚDO: 1°° SEMESTRE - 2014
Módulo 1 Módulo 2
Conceitos População e Amostra. Estatística Probabilidade: definição, árvore de probabilidades, eventos
Descritiva e Indutiva,-Rol. Apuração dos Dados. independentes e variáveis, exercícios. Regra da soma, regra do
Distribuição de Frequência para variáveis discreta e produto. Média, variância: definição e propriedades. Distribuição
binomial e de Poisson, exercícios.
Contínua. Análise dos Dados. Medidas de Tendência
Regressão Linear – Método dos Mínimos Quadrados. Análise de
Central para Variáveis Contínuas e Discretas, Médias. Correlação, O coeficiente r de Pearson, Características de r,
Mediana, Modas. Medidas de Dispersão para variáveis Interpretação de r e o Coeficiente de Determinação r² Processo
discreta e Contínua.: Variância , Desvio Médio absoluto, prático para o cálculo de r.
Desvio padrão, Coeficiente de Variação. Medidas de Distribuições contínuas – definição e exemplos
Separatrizes. Interpolação Linear Análise Gráfica: Distribuições contínuas: Distribuição Normal, uso de tabelas.
Histogramas, Polígonos de Frequência. Determinação Probabilidade condicional, probabilidade de eventos
Gráfica das Modas, Mediana. independentes. Teorema de BAYES
4. SISTEMA DE AVALIAÇÃO:
A Avaliação do rendimento escolar é feita por disciplina, incidindo sobre a frequência e o rendimento. O rendimento escolar
semestral anual é composto por dois módulos e pela frequência semestral.
A nota de cada módulo é composta por exercícios, provas, trabalhos e outras atividades, duas avaliações escritas. Uma PROVA
SUBSTITUTIVA NO FINAL DO SEMESTRE, CUJO CONTEÚDO SERÁ SOMENTE DO MÓDULO 2. A nota obtida na prova Substitutiva é usada para
substituir a menor das notas obtidas nos módulos. As notas serão compostas da seguinte forma: MF= 0,4*M1+0,6*M2  Se MF ≥ 5,0
então o aluno está APROVADO, onde M1: Nota do módulo1 e M2 : Nota do módulo2, MF: Nota final do semestre. Caso contrário,
MF=0,5*M+0,5*SUB, onde SUB: Nota da prova substitutiva referente a menor nota entre os módulos, ou ainda, referente ao módulo em
que o aluno não compareceu, M é o máximo entre M1 e M2. Se MF ≥ 5,0 então o aluno está APROVADO. Se MF < 5,0 então o aluno
NÃO está APROVADO.
A Avaliação substitutiva é opcional, mas se realizada, irá substituir necessariamente (independente da nota) a menor nota entre
os módulos. A partir dela fará a média aritmética para composição da média final do semestre. Critério de arredondamento, o aluno será
aprovado se conseguir nota igual ou superior a 4,90. Frisando, o aluno que obter nota igual ou menor que 4,89 não será aprovado. Para
avaliações o aluno deve ter o próprio material como, lápis, caneta, borracha, apontador, régua, calculadora científica convencional (não
será permitido calculadora dos celulares), Não serão permitidos empréstimos desses materiais. É proibido uso de quaisquer dispositivos
eletrônicos durante a aula e prova, aplicam-se também aos fones de ouvido. Todo e qualquer outro material deverá estar fora do alcance
do aluno, principalmente celulares. Caso seja detectada cola, mesmo que no início da avaliação, mesmo que ainda não tenha sido
entregue a avaliação será atribuído zero ao aluno, portanto analise bem antes de fazê-lo. Obrigatório a entrega da folha de questões
(tabelas e fórmulas) e da folha de resolução (exemplo, o almaço). Pede-se que o aluno procure ir ao banheiro antes da avaliação. Ao
término da avaliação, entregar nas mãos do professor. Acréscimos concedidos “bônus” ao longo dos módulos, listas de exercícios,
simulado da FACENS, não serão computados, considerados quando da realização da avaliação substitutiva. O professor valoriza o
cálculo mental ou cálculo SEM uso de calculadoras.
5. BIBLIOGRAFIA Básica
MORETTIN, L. G. Estatística básica: probabilidade, 7a. ed., São Paulo: Makron Books, 1999.
BARBETTA, P.A.;REIS, M. M.;BORNIA, A.C. Estatística para cursos de engenharia e informática.
São Paulo, SP: Atlas 2004. 410 p.
FONSECA, J.S. da; MARTINS, G. de A.. Curso de estatística. 6. ed. São Paulo, SP: Atlas 1996. 320 p.
6. BIBLIOGRAFIA Complementar
RIBEIRO, M. V. Apostila de Estatística, 2014. (disponível no site da FACENS, terminal do aluno).
VIEIRA, Sonia. Princípios de estatística. São Paulo, SP: Pioneira Thomson Learning 1999. 144 p.
CRESPO, A. A. Estatística Fácil, 17a. ed., São Paulo: Editora Saraiva,1999.
TOLEDO, G.L.; OVALLE, I.I.. Estatística básica. 2. ed. São Paulo, SP: Atlas, 1995. 459 p.
TRIOLA, Introdução à Estatística, 10a. ed., São Paulo, LTC, 2008.
WALPOLE, R. E. [et al] Probabilidade & Estatística para engenharia e ciências, 8ªed, Pearson, 2009
7. Avaliações de E S T A T Í S T I C A
Substitutivas Dia Em Abril Feriados
Módulo 1 27/03(quinta-feira) 1º Semestre 14 a 16 – Sem.da Engenharia 3 - 4/03 18,19,21/04
12/06 29,30 - Simulado FACENS 1 - 3/05 e 19 - 21/06
Módulo 2 05/06 (quinta-feira) 16 a 27 de junho
O calendário de avaliações está sujeito a alterações pelo professor

-1-
LUTE!!!
Diga em voz alta: Insisto! Persisto! Não Desisto!

Lutar sempre, Vencer talvez, Desistir Jamais!!!

“Posso todas as coisas nAqule(DEUS) que me fortalece”


Filipenses 4.13
“Os VENCEDORES não são os que nunca sofrem derrotas,
mas sim os que nunca desistem” Edwin Louis Cole

-2-
ABRAHAM LINCOLN
12/02/1809 a 15/04/1865
16º Presidente dos Estados Unidos da América
Republicano(1861-1865)
PERSEVERANÇA
Ele fracassou nos negócios em 1831.
Tentou um outro negócio em 33. Fracassou.
Sua noiva morreu em 35.
Teve um colapso nervoso em 36.
Em 43 ele candidatou-se para o Congresso e foi derrotado.
Tentou em 48 e foi derrotado novamente.
Tentou se candidatar para o Senado em 55. Perdeu.
No ano seguinte, candidatou-se a vice-presidente e perdeu.
Em 59 candidatou-se ao Senado novamente e foi derrotado.
Em 1860, o homem que assinava A. Lincoln foi eleito o
16° presidente dos Estados Unidos.
A diferença entre as realizações mais ousadas da história e seus mais assombrosos
fracassos está simplesmente em sua
FORTE VONTADE DE PERSISTIR.
“A probabilidade de fracassarmos na luta não nos deve deter no impulso de combater
por uma causa justa.”
"émelhor calar-se e deixar que as pessoas pensem que você é um idiota do
que falar e acabar com a dúvida." (Abraham Lincoln)

-3-
PARA REFLEXÃO
Para que haja crescimento o sacrifício é necessário
Negar a necessidade de mudanças não elimina o problema!
Ficar remoendo o passado, lamentando o que poderia ter sido feito e não foi, apenas desvia a
atenção do presente, onde realmente as coisas acontecem.
O único lugar aonde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário – Albert Einstein
“Não espere benefício sem haver conquistado mérito”. Não espere o mérito sem esforço!!!!
“Eu não me envergonho de corrigir os meus erros e mudar as minhas opiniões
porque, não me envergonho de raciocinar e aprender” Alexandre Herculano
Não Adianta ficar lamentando, (coitadinho de mim, autocomiseração).
Cresça!!! Não jogue a culpa nos outros!!!
Diga não a preguiça!!! Seja um guerreiro Diga em voz alta: - Eu sou capaz!!!
A Bíblia diz Esforça-te e Eu te ajudarei!!!
Isaías 35.4 e Isaías41.10,13
E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. João 8.32
Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez!! Jean Cocteau
Não faça da sua vida um rascunho, pois pode não dar tempo de passá-la a limpo!!!
A força não provêm da capacidade física e sim de uma vontade indomável – GANDHI
Mudança – Movimento (novos conhecimentos, Novas experiências, novas oportunidades) estas três
desencadeiam crescimento – Vitórias – Realizações.
Dê uma cotovelada de leve no seu vizinho e fale: - ei!! Movimente-se!!!
Os quatro “D”
Determinação – é aquela força interior capaz de levar alguém a afirmar com convicção: “Este é o meu
sonho. Não morro sem realizá-lo, mesmo que demore vinte, trinta anos”.
Dedicação é a capacidade de se entregar à realização de um objetivo.
Disciplina é a capacidade de seguir um método. Quando se fala em disciplina, a primeira coisa que
vem á mente é o conceito de rigidez. Mas disciplina, na verdade, está associado à palavra discípulo,
que é aquele que tem capacidade de aprender com um mestre, segundo seu método.
Desprendimento é a capacidade de abandonar o que não esta funcionando para aprender o novo. É
desapegar-se de certa maneira de fazer algo para conseguir um resultado melhor. E mesmo após um
tombo, consegue erguer-se e levantar a cabeça, começando tudo de novo!
A diferença entre o sábio e o ignorante é que o 1º sabe aproveitar suas dificuldades para evoluir,
enquanto o ignorante se sente vítima de seus problemas.
Cresça! Não lamente seus erros e dificuldades!!!
Quem reconhece suas fraquezas já deu o primeiro passo para superá-las.
Lembre-se: A sua vida deve ser uma oferta a Deus ao invés
de um monumento aos homens.
Os problemas para matemática não são problemas, são a razão de sua existência.
Um problema é um desafio a ser solucionado, uma questão a ser resolvida. A matemática
tem um caso de amor com os problemas
"QUANDO O TRABALHO É PRAZER, A VIDA É UMA GRANDE ALEGRIA. QUANDO O TRABALHO É
DEVER, A VIDA É UMA ESCRAVIDÃO." (MÁXIMO GORKI)
Lembra-te que o silencio, é às vezes, a melhor resposta. Em disputas com teus
queridos, trata só do caso corrente. NÃO VÁS BUSCAR QUEIXAS DO PASSADO.
Quando perderes, pelo menos não percas a lição!
Julgar os outros é perigoso. Não tanto pelos erros que podemos cometer a respeito
deles, mas pelo que podemos revelar a nosso respeito. Voltaire
PACIÊNCIA E PERSEVERANÇA!! Aprenda que a PACIÊNCIA requer muita prática!

-4-
Só o tempo e o esforço trazem a competência.
Alcançado o sucesso deve-se manter o que foi conseguido, e não exaltá-lo!
Toma em conta que um grande amor, ou uma grande realização implicam grandes riscos
“ ...os físicos aprenderam a fazer as perguntas corretas. E fazer a pergunta certa é
freqüentemente mais do que a metade do caminho que conduz a solução do problema”
Werner Heisenberg(1901-1976)
“DEUS NÃO JOGA DADOS” Albert Einstein
O que fazemos em vida, ecoa na eternidade!!! Do filme Gladiador
PARTILHE O TEU SABER, É UMA FORMA DE ALCANÇAR A IMORTALIDADE!!!
Avalia o teu sucesso por tudo o que tiveste de renunciar para alcançar!
“Deus nos fez para atingirmos, como águias, elevadas alturas, mas nos
contentamos com vôos rasantes dos pardais.”
O músculo mais potente do corpo humano é a LÍNGUA. A MORTE e a VIDA estão
no poder da LÍNGUA, e aquele que a ama comerá do seu fruto. Provérbios.18.21
A saber: SE COM TUA BOCA CONFESSARES AO SENHOR JESUS, e em teu coração
creres que Deus o ressuscitou dos mortos, SERÁS SALVO. Visto que com o
coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.
Romanos 10.9-10 significa Terás a vida eterna, sua alma viverá!
Tudo tem uma razão. As vezes as coisas acontecem por uma razão. Algo ruim força uma
coisa boa, ou para um bem maior
TRABALHE como se você não precisasse do dinheiro. AME como se você nunca tivesse sido
magoado. DANCE como se ninguém estivesse observando.
O maior risco da vida é não fazer nada!!!
Em tudo que a natureza opera, ela nada faz bruscamente! Lamarck
Segue os três Rs: Respeito por ti, Respeito pelos outros e Responsabilidade por todos os teus
atos
Lembra-te que não ter tudo o que se deseja é por vezes um magnífico golpe de sorte.
“Existe um vazio do tamanho de Deus no coração de cada homem, que não pode ser
preenchido por criatura alguma, senão somente por Deus, através de Jesus Cristo.”
( Blaise Pascal – Século XVII)
O tempo entre o início de um sonho e sua concretização é sempre um PROCESSO. Esse
período é cheio de dúvidas, adversidades, mudanças e surpresas. Durante o processo,
vocês experimentarão dias bons e maus. E frequentemente se verão diante de um dilema:
desistir ou continuar? John C. Maxwell
“Suba o primeiro degrau com fé. Não é necessário que você veja toda a
escada. Apenas dê o primeiro passo.” (Martin Luther King)
QUANDO NÃO VENCER PELO TALENTO, VENÇA PELO ESFORÇO! SAIA DA IDEIA E TOME UMA
ATITUDE
Nunca permita que o medo de perder alguma experiência o impeça de viver a alegria do inesperado.Emo Philips)
DEUS NÃO CHAMA AQUELES QUE SÃO EQUIPADOS. ELE EQUIPA AQUELES QUE SÃO
CHAMADOS, E ELE SEMPRE ESTARÁ LÁ PARA AMAR E GUIAR VOCÊ A GRANDES COISAS!

F E L I C I D A D E S ! ! !
Marcos Vinícius Ribeiro 07 de agosto de 2013.

-5-
DO MEU TELESCÓPIO, EU VIA DEUS CAMINHAR! A MARAVILHOSA DISPOSIÇÃO E HARMONIA DO
UNIVERSO SÓ PODE TER TIDO ORIGEM SEGUNDO O PLANO DE UM SER QUE TUDO SABE E TUDO PODE. ISTO
FICA SENDO A MINHA ÚLTIMA E MAIS ELEVADA DESCOBERTA. ISAAC NEWTON
Quanto mais alto alguém está, mais dificuldade tem em manter o equilíbrio. Provérbio popular
Ninguém é bom por acaso; a virtude deve ser aprendida.(Sêneca, filósofo latino, (4 a.C. até 65 d.C)
"Os verdadeiros sábios se dão a conhecer pelos bons princípios de seus atos, pela
intocável moral de suas atitudes e, pelo fato de servirem de exemplo dos ensinamentos que transmitem".
"Só quem entende a beleza do perdão pode julgar seus semelhantes" (Sócrates)
"Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro"
(Henry David Thoreau)
"Bom mesmo é ir a luta com determinação, abraçar a vida com paixão e vencer com ousadia,
pois o triunfo pertence a quem se atreve... A vida é muita pra ser insignificante!" (Andréa Aoki)
"Os obstáculos que surgem em seu caminho, não são para impedir seus passos,
são desafios para serem superados"
"Se seus sonhos estiverem nas nuvens, não se preocupe, pois eles estão no lugar certo;
agora construa os alicerces"
"Sorria! Sorrir abre caminhos, desarma os mal-humorados, contamina.
Mas sorria com a alma, não apenas com os lábios" (Léa Waider)
"Ideais são como estrelas. Você nunca as alcança, mas como os marinheiros,
nós definimos nosso curso por elas" (Carl Schurz)
"Um homem que quer reger a orquestra precisa dar as costas à platéia" (James Crook)
"A alegria e o amor são as duas grandes asas para os grandes feitos". (Goethe)
"A experiência é uma coisa maravilhosa. Ajuda-o a reconhecer um erro quando você comete de novo".
(Stephen R. Covey)
"Só há duas maneiras de viver a vida:
A primeira é vivê-la como se os milagres não existissem.
A segunda é vive-la como se tudo fosse um milagre". (Albert Einstein)
"Às vezes, é fácil abrir mão da realidade, mas não é fácil abrir mão de um sonho...
Acredite no seu sonho! E seja feliz"
"A maior parte de nossa felicidade depende de nossa atitude e não das circunstâncias".(Martha Washington)
"Gestos são mais importantes que palavras".
"Uma coletânea de pensamentos são uma farmácia moral onde se encontram
remédios para todos os males". (Voltaire)
"Não existe grandeza quando a simplicidade, bondade e a verdade estão ausentes". Leon Tolstoi
"A vida feliz consiste na tranqüilidade da mente". (Cícero)
Aquele que deseja construir torres altas deveria permanecer longos tempos nos fundamentos. (Anton Bruckner)
"Deus nos dá as nozes. Mas não as quebras". (Provérbio Alemão)
"Não desanimes com as quedas: elas nos mostram que o chão está longe de ser o nosso lugar".
(Horivaldo Gomes)
"Jamais desista daquilo que você realmente quer fazer. A pessoa que tem grandes sonhos é mais forte
do que possui todos os fatos". ( H.J. Brown)
"Um grande artista pode pintar um quadro maravilhoso em uma pequena tela". (Warner)
Nunca decidas antes de ouvir ambas as partes.(Aristóteles)
Prefiro uma gota de sabedoria a toneladas de Riquezas – Anaxágoras
O desejo mede os obstáculos; a vontade os vence – Alexandre Herculano, escritor português 1810-1877

-6-
Começai por admirar o que Deus nos mostra, e não terás tempo de procurar o que Ele nos oculta
(Alexandre Dumas, romancista Frances, 1803-1870)

Uma noitada em que todos os presentes estão absolutamente de acordo é uma noitada perdida. Albert Einstein
Grande parte da vitalidade de uma amizade reside no respeito pelas diferenças, e não apenas em
desfrutar das semelhanças.(James Fredericks)
A derrota é uma força destruidora apenas quando é aceita como um fracasso. Porém, quando a vemos
e a aceitamos como uma lição necessária, sempre é uma benção! (Napoleon Hill)
Nenhum problema pode ser resolvido pelo mesmo estado de consciência que o criou. É preciso ir mais
longe. Eu penso 99 vezes e nada descubro. Deixo de pensar, mergulho no silêncio e a verdade me é
revelada.(Albert Einstein)

"Sejamos como o sol que não usa nenhuma recompensa, não espera lucros, nem elogios, nenhuma fama,
simplesmente brilha". (Jens Bringwatt)

"Jamais se desespere em meio as sombrias aflições de sua vida, pois das nuvens mais negras cai água
límpida e fecunda."

"A verdadeira liberdade é um ato puramente interior, como a verdadeira solidão: devemos aprender a sentir-
nos livres até num cárcere, a estar sozinhos até no meio da multidão." Maximo Bontempelli

"O destino não é uma questão de sorte; é uma questão de escolha. Não é algo pelo qual se espera, mas algo
a alcançar." Willian Jennings Bryan

"Sorria! Sorrir abre caminhos, desarma os mal-humorados, contamina. Mas sorria com a alma, não apenas
com os lábios" Léa Waider

"Nunca permita que o medo de perder alguma experiência o impeça de viver a alegria do inesperado." (Emo
Philips)

“Existem muitos motivos para não se amar uma pessoa, mas apenas um para amá-la." (Carlos Drummond
Andrade)
"Obstáculos são aquelas coisas medonhas que você vê quando tira os olhos do seu objetivo". (Henry Ford)
"Qualquer um pode zangar-se – isso é fácil. Mas zangar-se com a pessoa certa, na medida certa, na medida
certa, pelo motivo certo, na hora certa, pelo motivo certo e da maneira certa-não é fácil." (Aristóteles)
"O segredo do vencedor não é trabalhar duro, e sim amar o que faz a ponto de preferir fazer aquilo a qualquer
outra coisa." (Jerome K.)
"Se seus sonhos estiverem nas nuvens, não se preocupe, pois eles esão no lugar certo; agora construa os
alicerces."
Muito freqüentemente, nós subestimamos o poder do carinho, de um sorriso, uma palavra amável, um ombro
amigo, dar ouvidos, um elogio honesto, ou o menor ato de dedicação, pois todos têm o poder de transformar
uma vida."
(Leo Buscaglia)
"Todas as pessoas alimentam ideais. Mas esses se concretizam só se forem acompanhados de força de
vontade e coragem. A força de vontade é como semente jogada em terra fértil. Ela germina, cresce e dá
muitos frutos. Ela ajuda a lutar e a vencer as adversidades da vida. A coragem, por sua vez, tem em si a força.
Pode operar maravilhas. É impossível falhar se viver sempre com atitude valente e disposta de mente e
coração."

“Somente peixes mortos nadam com a corrente” (Malcolm Muggeridge).


A única diferença entre nós e os animais do ZOO é que nós não vemos as barras que nos
aprisionam
Atinja o ego dos seus funcionários e terá bons trabalhadores
As perguntas são combustíveis da mente "

-7-
"Uma máxima admirável: nunca mais falar das coisas depois de elas já estarem feitas."
Barão de Montesquieu
"Todos nós sofremos, mas o falar nos dá alívio" Voltaire
"Tem idéia de quanto mal nos fazemos por essa maldita necessidade de falar?"
( Luigi Pirandello )
"Se os homens quisessem falar só daquilo que entendem, quase não falariam."
( Arturo Graf )
"Se eu for falar por dez minutos, eu preciso de uma semana de preparação; se quinze
minutos, três dias; se meia hora, dois dias; se uma hora, estou pronto agora."
( Woodrow Wilson )
"Quando estiver zangado, conte até dez antes de falar; se estiver muito zangado, conte até
cem. " ( Thomas Jefferson )

"Pensar antes de falar é o lema do crítico. Falar antes de pensar é o lema do criador."
( E. M. Forster )
"Para falar ao vento bastam palavras, para falar ao coração são necessárias obras."
( António Vieira )
"Os mais arrojados em falar são ordinariamente os menos profundos em saber.
( Marquês de Maricá )
"O sábio, para falar, antes medita o que dizer, ou a quem dizer, em que lugar e tempo."
( Santo Ambrósio )
"Nunca falar de si mesmo aos outros, e falar-lhes sempre deles mesmos, é a essência da
arte de agradar. Cada um o sabe e todos o esquecem." ( Jules Goncourt )
"No falar, a discrição importa mais do que a eloqüência." ( Baltasar Gracian )
"Não falar para o seu século é falar com surdos. " ( Jean de La Fontaine )
"Hoje, não se sabe falar porque já não se sabe ouvir. " ( Jules Renard )
"Há quem prefira falar mal de si mesmo a não falar." ( François de La Rochefoucauld )
"Fala-se pouco quando a vaidade não faz falar." ( François de La Rochefoucauld )
"Falar sem se empenhar é nada." ( Mary W. Stewart )
"Falar sem pensar é atirar sem alvejar." ( Thomas Fuller )
"Falar obscuramente, qualquer um sabe; com clareza, raríssimos." ( Galileu Galilei )
"Falar muito sobre si próprio pode também ser um meio de se ocultar."
( Friedrich Nietzsche )
"Falar é uma necessidade, escutar é uma arte. " ( Johan Wolfgang Von Goethe )
"Falar é bom, calar é melhor, mas ambos são desagradáveis quando levados ao exagero. "
Jean de La Fontaine )
"Falar bem e proceder mal não é outra coisa senão condenar-se cada um pela própria voz."
( Iacopo Passavanti )
"Esteja certo de ter terminado de falar antes que seu público tenha terminado de ouvir."
( Dorothy Sarnoff )
"É preciso ter espírito para falar bem; para ouvir bem basta a inteligência." ( André Gide )
"É extremamente difícil falar muito sem dizer algo a mais."

-8-
( Luís XIV de França )
"Cada um só porque fala, julga também saber falar da linguagem. "
( Johan Wolfgang Von Goethe )
"Arrependemo-nos raramente de falar pouco, e muito frequentemente de falar demais:
máxima usada e trivial, que todo o mundo sabe e que ninguém pratica. " ( Jean de La
Bruyère )
"Abençoado quem se abstém de falar, nos poupando da evidência de que não tem nada a
dizer." ( George Eliot )
"A necessidade obrigatória de falar e o embaraço de nada ter para falar são duas coisas
capazes de tornar ridículo ainda mesmo o maior homem." ( Voltaire )
Http://www.rivalcir.com.br/frases/falar.html

O ACUSADO
Conta uma antiga lenda que, na Idade Média, um homem muito religioso foi
injustamente acusado de ter assassinado uma mulher.
Na verdade, o autor do crime era uma pessoa influente do reino.
Por isso, desde o primeiro momento, se procurou um bode expiatório para
acobertar o verdadeiro assassino.
O homem foi levado a julgamento, já temendo o resultado: a forca. Ele sabia que
tudo iria ser feito para condená-lo e que teria poucas chances de sair vivo desta história.
O juiz, que também estava combinado de levar o pobre homem à morte, simulou
um julgamento justo, propondo ao acusado que provasse sua inocência. Disse o juiz: -
Sou de uma profunda religiosidade e por isso vou deixar sua sorte nas mãos do Senhor.
Vou escrever em um pedaço de papel a palavra "inocente" e no outro pedaço a palavra
"culpado". Você vai sortear um dos papéis e aquele que sair será o veredicto. O senhor
decidirá seu destino - determinou o juiz. Sem que o acusado percebesse, o juiz
preparou os dois papéis. Mas em ambos escreveu "culpado", de maneira que, naquele
instante, não existia nenhuma chance do acusado se livrar da forca. Não havia saída.
Não havia alternativas para o pobre homem.
O juiz colocou os dois papéis em uma mesa e mandou o acusado escolher um. O
homem pensou alguns segundos e aproximou-se confiante da mesa. Pegou um dos
papéis, rapidamente colocou-o na boca e o engoliu.
Os presentes ao julgamento reagiram surpresos e indignados com a atitude do homem.
- Mas o que você fez? E agora? Como vamos saber qual será o seu veredicto? - É
muito fácil - respondeu o homem. - Basta olhar o outro pedaço que sobrou e saberemos
que acabei engolindo o seu contrário.
Imediatamente o homem foi libertado.

Por mais difícil que seja uma situação, não deixe de acreditar até o último momento.
Saiba que para qualquer problema há sempre uma saída.
Não desista, não entregue os pontos, não se deixe derrotar.
Persista, vá em frente apesar de tudo e de todos.
Creia que você pode conseguir.

Romanos 8:28 "E sabemos que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que
amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito."
Esta confiança que Deus nos deu de que no fim tudo vai dar certo, se ainda não deu
certo é porque ainda não chegou ao fim.

-9-
A HISTÓRIA DO BURRO
Um dia, o burro de um camponês caiu num poço. Não chegou a se ferir,
mas não podia sair dali por conta própria. Por isso o animal chorou fortemente
durante horas, enquanto o camponês pensava no que fazer. Finalmente, o
camponês tomou uma decisão cruel: concluiu que o burro já estava muito velho e
que o poço já estava mesmo seco, precisaria ser tapado de alguma forma.
Portanto, não valia a pena se esforçar para tirar o burro de dentro do poço. Ao
contrário, chamou seus vizinhos para ajudá-lo a enterrar vivo o burro. Cada um
deles pegou uma pá e começou a jogar terra dentro do poço. O burro não tardou
a se dar conta do que estavam fazendo com ele, e chorou desesperadamente.
Porém, para surpresa de todos, o burro quietou-se depois de umas quantas pás
de terra que levou. O camponês finalmente olhou para o fundo do poço e se
surpreendeu com o que viu. A cada pá de terra que caía sobre suas costas o burro
a sacudia, dando um passo sobre esta mesma terra que caía ao chão. Assim, em
pouco tempo, todos viram como o burro conseguiu chegar até a boca do poço,
passar por cima da borda e sair dali trotando. A vida vai lhe jogar muita terra,
todo o tipo de terra. Principalmente se você já estiver dentro de um poço. O
segredo para sair do poço é sacudir a terra que se leva nas costas e dar um passo
sobre ela. Cada um de nossos problemas é um degrau que nos conduz para cima.
Podemos sair dos mais profundos buracos se não nos dermos por vencidos.

USE A TERRA QUE TE JOGAM PARA SEGUIR ADIANTE!


RECORDE AS 5 REGRAS PARA SER FELIZ:

1. Liberte o seu coração do ódio.


2. Liberte a sua mente das preocupações.
3. Simplifique a sua vida.
4. Dê mais e espere menos.
5. Ame mais e... aceite a terra que lhe jogam, pois ela pode
ser a solução, não o problema.

- 10 -
O PEIXE
Somos o que fazemos mas somos principalmente o que fazemos para mudar o que
somos. Os japoneses sempre adoraram peixe fresco. Porém as águas perto do Japão não
produzem muitos peixes há décadas. Assim, para alimentar a sua população, os japoneses
aumentaram o tamanho dos navios pesqueiros e começaram a pescar mais longe do que
nunca. Quanto mais longe os pescadores iam, mais tempo levava para o peixe chegar. Se a
viagem de volta levasse mais do que alguns dias, o peixe já não era mais fresco. E os
japoneses não gostaram do gosto destes peixes. Para resolver este problema as empresas
de pesca instalaram congeladores em seus barcos. Eles pescavam e congelavam os peixes
em alto-mar. Os congeladores permitiram que os pesqueiros fossem mais longe e ficassem
em alto mar por muito mais tempo. Entretanto, os japoneses conseguiram notar a diferença
entre peixe fresco e peixe congelado, e é claro, eles não gostaram do peixe congelado.
Entretanto, o peixe congelado tornou os preços mais baixos. Então as empresas de pesca
instalaram tanques de peixe nos navios pesqueiros. Eles podiam pescar e enfiar esses
peixes nos tanques, "como sardinhas". Depois de certo tempo, pela falta de espaço, eles
paravam de se debater e não se moviam mais. Eles chegavam cansados e abatidos, porém,
vivos. Infelizmente,os japoneses ainda podiam notar a diferença do gosto. Por não se
mexerem por dias, os peixes perdiam o gosto de frescor. Os japoneses preferiam o gosto de
peixe fresco e não o gosto de peixe apático. Então, como os japoneses resolveram este
problema? Como eles conseguiram trazer ao Japão peixes com gosto de puro frescor ? Se
você estivesse dando consultoria para a empresa de pesca, o que você recomendaria ?
Quando as pessoas atingem seus objetivos tais como, quando começam com sucesso
numa empresa nova, pagam todas suas dívidas ou o que quer que seja, elas podem perder
as suas paixões. Elas podem começar a pensar que não precisam mais trabalhar tanto,
então relaxam. Elas passam pelo mesmo problema que os ganhadores de loteria que
gastam todo seu dinheiro, o mesmo problema de herdeiros que nunca crescem de donas de
casa, entediadas, que fcam dependentes de remédios de tarja preta. Para esses problemas,
inclusive no caso dos peixes dos japoneses, a solução é bem simples. L. Ron Hubbard
observou no começo dos anos 50. O homem progride, estranhamente, somente perante a
um ambiente desafiador. Quanto mais inteligente, persistente e competitivo você é, mais
você gosta de um bom problema. Se seus desafios estão de um tamanho correto e você
consegue, passo a passo, conquistar esses desafios, você fica muito feliz. Você pensa em
seus desafios e se sente com mais energia. Você fica excitado em tentar novas soluções.
Você se diverte. Você fica vivo! Para conservar o gosto de peixe fresco, as empresas de
pesca japonesas ainda colocam os peixes dentro de tanques. Mas, eles também adicionam
um pequeno tubarão em cada tanque. O tubarão come alguns peixes, mas a maioria dos
peixes chega "muito vivo". Os peixes são desafiados. Portanto, ao invés de evitar desafios,
pule dentro deles. Massacre-os. Curta o jogo. Se seus desafios são muito grandes e
numerosos, não desista. Se reorganize! Busque mais determinação, mais conhecimento e
mais ajuda. Se você alcançou seus objetivos, coloque objetivos maiores. Uma vez que suas
necessidades pessoais ou familiares forem atingidas, vá de encontro aos objetivos do seu
grupo, da sociedade e até mesmo da humanidade.Crie seu sucesso pessoal e não se
acomode nele. Você tem recursos, habilidades e destrezas para fazer diferença !!!! Então,
ponha um tubarão no seu tanque e veja quão longe você realmente pode chegar.
Ponha você mesmo o tubarão,
Antes que alguém o faça e você não esteja preparado

- 11 -
L E I A
Sua mente é capaz de decodificar a mensagem!

M473M471C0 (53N54C1ON4L)
4S V3235 3U 4C0RD0
M310 M473M471C0.
D31X0 70D4 4 4857R4Ç40 N47UR4L D3 L4D0
3 M3 P0NH0 4 P3N54R 3M NUM3R05,
C0M0 53 F0553 UM4 P35504 R4C10N4L.
540 5373 D1550, N0V3 D4QU1L0...
QU1N23 PR45 0NZ3...
7R323N705 6R4M45 D3 PR35UNT0...
M45 L060 C410 N4 R34L
3 C0M3Ç0 4 F423R V3R505
H1NDU-4R481C05

///4RC05 V1N1C1U5 R1831R0 15/02/2008

"De aorcdo com uma pqsieusa de uma uinrvesriddae ignlsea, nao


ipomtra em qaul odrem as lrteas de uma plravaa etaso, a uncia csioa
iprotmatne e que a piremria e utmlia lrteas etejasm no lgaur crteo. O
rseto pdoe ser uma ttaol bçguana que vcoe pdoe anida ler sem
pobrlmea. Itso e poqrue nos nao lmeos cdaa lrtea isladoa, mas a
plravaa cmoo um tdoo. Vdaerde!"

Colaboração: FABIO EDUARDO CARVALHO DE OLIVEIRA nº 70528


Aluno do 2ºI Computação – 2007.

3M D14 D3 V3R40, 3574V4 N4 PR414,


0853RV4ND0 DU45 CR14NC45
8R1NC4ND0 N4 4R314.
3L45 7R484LH4V4M MU170 C0N57RU1ND0
UM C4573L0 D3 4R314, C0M 70RR35,
P4554R3L45 3 P4554G3NS 1N73RN45.
QU4ND0 3574V4M QU453 4C484ND0,
V310 UM4 0ND4 3 D357RU1U 7UD0,
R3DU21ND0 0 C4573L0
4 UM M0N73 D3 4R314 3 35PUM4.
4CH31 QU3, D3P015 D3 74N70 35F0RC0 3 CU1D4D0,
45 CR14NC45 C41R14M N0 CH0R0,
C0RR3R4M P3L4 PR414, FUG1ND0 D4 4GU4,
R1ND0 D3 M405 D4D45 3 C0M3C4R4M

- 12 -
4 C0N57RU1R 0U7R0 C4573L0.
C0MPR33ND1 QU3 H4V14 4PR3ND1D0
UM4 GR4ND3 L1C40;
G4574M05 MU170 73MP0 D4 N0554 V1D4
C0N57RU1ND0 4LGUM4 C0154
3 M415 C3D0 0U M415 74RD3,
UM4 0ND4 P0D3R4 V1R 3 D357RU1R 7UD0
0 QU3 L3V4M05 74N70 73MP0 P4R4 C0N57RU1R.
M45 QU4ND0 1550 4C0N73C3R
50M3N73 4QU3L3 QU3 73M 45 M405 D3 4LGU3M
P4R4 53GUR4R, 53R4 C4P42 D3 50RR1R!
S0 0 QU3 P3RM4N3C3, 3 4 4M124D3, 0 4M0R 3 C4R1NH0.
0 R3570 3 F3170 D3 4R314.
Piadas Matemáticas infames:
Sabe o que o Zero(0) disse para o Oito(8)? Uau! Que cinto bonito!!!
O que o MMC estava fazendo embaixo da escada?. .. Esperando o MDC

Conte, quantas letras "F" tem no texto abaixo


FINISHED FILES ARE THE RESULT OF YEARS OF SCIENTIFIC STUDY
COMBINED WITH THE EXPERIENCE OF YEARS
Contou? Somente leia abaixo após ter contado os "F". OK?
Quantos??? 3??? Talvez 4???

Errado, são 6 (seis) - não e piada! Volte para cima e leia mais uma vez! A explicação está mais abaixo ... O cerebro não consegue processar a palavra
"OF". Loucura, não? Quem conta todos os 6 "F" na primeira vez é um "gênio". 3 é normal, 4 é mais raro, 5 mais ainda, 6 quase ninguém.

A INSPIRAÇÃO QUE FALTAVA - POESIA MATEMÁTICA


Um Quociente apaixonou-se
Um dia Doidamente Constituir um lar. Mais que um lar.
Por uma Incógnita. Uma Perpendicular. Convidaram para padrinhos
Olhou-a com seu olhar inumerável .E viu-a, do Ápice à Base.. O Poliedro e a Bissetriz. E fizeram planos,
Uma Figura Ímpar; Olhos rombóides, boca trapezóide,] equações diagramas para o futuro Sonhando com
Corpo ortogonal, seios esferóides. uma felicidade Integral E diferencial.
Fez da sua vida Paralela a dela. (olha o CÁLCULO aí !!)
Até que se encontraram No Infinito. E se casaram e tiveram uma secante e três cones
"Quem és tu?" indagou ele Com ânsia radical. Muito engraçadinhos. E foram felizes Até aquele
"Sou a soma do quadrado dos catetos. dia Em que tudo, afinal, Vira monotonia. Foi
Mas pode me chamar de Hipotenusa." então que surgiu O Máximo Divisor
E de falarem descobriram que eram Comum...Freqüentador de Círculos
- O que, em aritmética, corresponde Concêntricos. Viciosos. Ofereceu-lhe, a ela,
A alma irmãs Primos entre si. Uma Grandeza Absoluta, E reduziu-a a um
E assim se amaram Ao quadrado da velocidade da luz. Denominador Comum.
Numa sexta potenciação Ele, Quociente, percebeu Que com ela não
Traçando Ao sabor do momento E da paixão formava mais Um Todo. Uma Unidade. Era o
Retas, curvas, círculos e linhas senoidais. Triângulo, Tanto chamado amoroso.
Escandalizaram os ortodoxos esse problema ela era a fração Mais ordinária.
das fórmulas euclideanas Mas foi então que Einstein descobriu a
E os exegetas do Universo Finito. Relatividade. E tudo que era expúrio passou a ser
Romperam convenções newtonianas e pitagóricas. Moralidade Como aliás, em qualquer
E, enfim, resolveram se casar Sociedade.

- 13 -
O QUE AS ESCOLAS NÃO ENSINAM:

Aqui estão alguns conselhos que B G


ILL ATES recentemente ditou em uma
conferência em uma escola secundária sobre 11 coisas que estudantes não aprenderiam na
escola. Ele fala sobre como a "política educacional de vida fácil para as crianças" tem criado
uma geração sem conceito da realidade, e como esta política tem levado as pessoas a
falharem em suas vidas posteriores à escola.Muito conciso, todos esperavam que ele fosse
fazer um discurso de uma hora ou mais, ele falou por menos de 5 minutos, foi aplaudido por
mais de 10 minutos sem parar, agradeceu e foi embora em seu helicóptero a jato...
Regra 1: A vida não é fácil - acostume-se com isso.
Regra 2: O mundo não está preocupado com a sua auto-estima. O mundo espera que você
faça alguma coisa útil por ele ANTES de sentir-se bem com você mesmo.
Regra 3: Você não ganhará R$ 20.000 por mês assim que sair da escola.Você não será
vice-presidente de uma empresa com carro e telefone à disposição antes que você tenha
conseguido comprar seu próprio carro e telefone.
Regra 4: Se você acha seu professor rude, espere até ter um Chefe. Ele não terá pena de
você.
Regra 5: Vender jornal velho ou trabalhar durante as férias não está abaixo da sua posição
social. Seus avós têm uma palavra diferente para isso: eles chamam de oportunidade.
Regra 6: Se você fracassar, não é culpa de seus pais. Então não lamente seus erros,
aprenda com eles.
Regra 7: Antes de você nascer, seus pais não eram tão críticos como agora. Eles só
ficaram assim por pagar as suas contas, lavar suas roupas e ouvir você dizer que eles são
"ridículos". Então antes de salvar o planeta para próxima geração querendo consertar os
erros da geração dos seus pais, tente limpar seu próprio quarto.
Regra 8: Sua escola pode ter eliminado a distinção entre vencedores e perdedores, mas a
vida não é assim. Em algumas escolas você não repete mais de ano e tem quantas chances
precisar até acertar. Isto não se parece com absolutamente NADA na vida real. Se pisar na
bola, está despedido, RUA!!!!! Faça certo da primeira vez.
Regra 9: A vida não é dividida em semestres. Você não terá sempre os verões livres e é
pouco provável que outros empregados o ajudem a cumprir suas tarefas no fim de cada
período.
Regra 10: Televisão NÃO é vida real. Na vida real, as pessoas têm que deixar o barzinho
ou a boite e ir trabalhar.
Regra 11: Seja legal com os CDFs (aqueles estudantes que os demais julgam que são uns
babacas, nerds). Existe uma grande probabilidade de você vir a trabalhar PARA um deles
Bill Gates, dono da maior fortuna pessoal do mundo, e da Microsoft, a única empresa que
enfrentou e venceu a Big Blues (IBM) desde de sua fundação em meados de 1900....A
empresa que construiu o primeiro Cérebro Eletrônico (computador) do mundo. Copie,
repasse, releia, e mostre a todos que você considera...

- 14 -
ESTATÍSTICA
Definição de alguns termos:
• Estatística é uma parte da Matemática Aplicada que fornece métodos para a coleta,
organização, descrição, análise e interpretação de dados e para a utilização dos
mesmos na tomada de decisões.
• Uma população é uma coleção completa de todos os elementos (valores, pessoas,
medidas etc. ) a serem estudados.
• Um censo é uma coleção de dados relativos a todos os elementos de uma
população.
• ·Uma amostra é uma subcoleção de elementos extraídos de uma população.Um
parâmetro é uma medida numérica que descreve uma característica de uma
população.
• Uma estatística é uma medida numérica que descreve uma característica de uma
amostraExemplo
Em uma pesquisa com 1.015 pessoas escolhidas aleatoriamente, 269 (ou 26,5%)
possuíam computador.
Como a cifra de 26,5 % se baseia em uma amostra, e não em toda população, trata-
se de uma estatística (e não um parâmetro).
Natureza dos dados
Alguns conjuntos de dados (como altura, peso, número de filhos, salário, etc.)
constituem em números, enquanto outros são não-numéricos (estado civil, sexo, religião,
nível de educação, etc. ). Aplica-se as expressões dados qualitativos e dados quantitativos
para distinguir esses dois tipos.

Definições
Os dados quantitativos constituem em números que representam contagens ou medidas.Os
dados qualitativos (ou dados categóricos, ou atributos) podem ser separados em diferentes
categorias que se distinguem por alguma característica não-numérica.
Podemos ainda descrever os dados quantitativos entre os tipos discreto e contínuo.
Variáveis quantitativas discretas, cujos possíveis valores formam um conjunto finito ou
enumerável de números que resultam, freqüentemente, de uma contagem, como por exemplo
números de filhos.
Variáveis quantitativas contínuas, cujos possíveis valores formam um intervalo de números
reais e que resultam, normalmente, de uma mensuração, como por exemplo estatura ou peso de um
indivíduo.
Dentre as variáveis qualitativas, ainda podemos fazer uma distinção entre dois tipos:
variável qualitativa nominal, para a qual não existe nenhuma ordenação nas possíveis
realizações, e variável qualitativa ordinal, para a qual existe uma certa ordem nos possíveis
resultados.
Exemplo
Variável qualitativa nominal : sexo, religião, times de futebol etc.
Variável qualitativa ordinal : grau de instrução (Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II, ensino
Médio, Ensino Superior, Pór-graduação, Mestrado, Doutorado, Pós-Doutorado; classe social (baixa, média ou
alta).

- 15 -
Resumindo
Discreta
Quantitativa
Contínua
Variável
Nominal
Qualitativa
Ordinal
Tabela 1 – Informações sobre estado civil, grau de instrução, número de filhos, salário (expresso com fração do
salário mínimo), idade e procedência de 36 funcionários da seção de orçamentos da Companhia Milsa.

Nº Estado civil Grau de instrução Nº de filhos Salário ( x Sal. Min.) Idade Região de procedência
1 solteiro 1º grau - 4 26 Interior
2 casado 1º grau 1 4,56 32 Capital
3 casado 1º grau 2 5,25 36 Capital
4 solteiro 2º grau - 5,73 20 Outro
5 solteiro 1º grau - 6,26 40 Outro
6 casado 1º grau 0 6,66 28 Interior
7 solteiro 1º grau - 6,86 41 Interior
8 solteiro 1º grau - 7,39 43 Capital
9 casado 2º grau 1 7,59 34 Capital
10 solteiro 2º grau - 7,44 23 Outro
11 casado 2º grau 2 8,12 33 Interior
12 solteiro 1º grau - 8,46 27 Capital
13 solteiro 2º grau - 8,74 37 Outro
14 casado 1º grau 3 8,95 44 Outro
15 casado 2º grau 0 9,13 30 Interior
16 solteiro 2º grau - 9,35 38 Outro
17 casado 2º grau 1 9,77 31 Capital
18 casado 1º grau 2 9,8 39 Outro
19 solteiro superior - 10,53 25 Interior
20 solteiro 2º grau - 10,76 37 Interior
21 casado 2º grau 1 11,06 30 Outro
22 solteiro 2º grau - 11,59 34 Capital
23 solteiro 1º grau - 12 41 Outro
24 casado superior 0 12,79 26 Outro
25 casado 2º grau 2 13,23 32 Interior
26 casado 2º grau 2 13,6 35 Outro
27 solteiro 1º grau - 13,85 46 Outro
28 casado 2º grau 0 14,69 29 Interior
29 casado 2º grau 5 14,71 40 Interior
30 casado 2º grau 2 15,99 35 Capital
31 solteiro superior - 16,22 31 Outro
32 casado 2º grau 1 16,61 36 Interior
33 casado superior 3 17,27 43 Capital
34 solteiro superior - 18,75 33 Capital
35 casado 2º grau 2 19,4 48 Capital
36 casado superior 3 23,3 42 Interior

- 16 -
Distribuição de Frequências
Quando se estuda uma variável, o maior interesse do pesquisador é conhecer a
distribuição dessa variável através das possíveis realizações (valores) da mesma. O objetivo
da distribuição de frequência é dispor um conjunto de valores, de modo a se ter uma idéia
global sobre estes valores, ou seja, de sua distribuição.
Grau de instrução Frequência Proporção Porcentagem
1º grau 12 0,3333 33,33
2º grau 18 0,50000 50,00
Superior 6 0,1667 16,67
Total 36 1,0000 100,00

Tabela 2 – Distribuição de frequências da variável grau de instrução, usando-se os dados da tabela 1.


A construção de tabelas de frequências para variáveis contínuas necessita de certo
cuidado. Por exemplo, a construção da tabela de frequências da variável salário não
resumirá as 36 observações num grupo menor, pois não existem observações semelhantes.
A solução empregada é agrupar os dados por faixas de salário.

Classe de salários Frequência ( fi ) Porcentagem

4,00 | 8,00 10 27,78

8,00 | 12,00 12 33,33

12,00 | 16,00 8 22,22

16,00 | 20,00 5 13,89

20,00 | 24,00 1 2,78

Total 36 100,00

Tabela 3 – Frequências e porcentagens dos 36 empregados da seção de


orçamentos da Companhia Milsa, por faixa de salário

Representação Gráfica da Variáveis

A representação gráfica da distribuição de frequências de uma variável tem a


vantagem de, rápida e concisamente, informar sobre a variabilidade da mesma.

Exemplo
Estamos interessados em estudar a distribuição do número de filhos dos empregados
casados da seção de orçamentos da Cia. Milsa.

- 17 -
Porcentagem
Nº de filhos Frequência (fi)
(100.fi)
0 4 20%

1 5 25%

2 7 35%

3 3 15%

5 1 5%
Total 20 100%
Tabela 4 – Frequências e porcentagens dos empregados
da seção de orçamento da Companhia Milsa, segundo o
número de filhos.

8
Freqüência

6
4
2
0
0 1 2 3 5
nº de filhos
Para variáveis quantitativas contínuas necessita-se de alguma adaptação, como no
exemplo a seguir.
Queremos representar graficamente a distribuição da variável S (salário dos
empregados) da seção de orçamentos da Cia. Milsa.
PONTO MÉDIO FREQUÊNCIA Porcentagem
Classe de salários Pm (xi) fi 100. fi
4,00 | 8,00 6,00 10 27,78

8,00 | 12,00 10,00 12 33,33

12,00 | 16,00 14,00 8 22,22

16,00 | 20,00 18,00 5 13,89

20,00 | 24,00 22,00 1 2,78

Total __ 36 100,00

- 18 -
Tabela 5 –Distribuição de frequência da variável S = salário dos empregados
da seção de orçamento da Cia. Milsa.

40%
Porcentagem
30%
20%
10%
0%
6 10 14 18 22
Salários

O artifício usado para representar a variável contínua faz com que se perca muito das
informações nela contidas. Uma alternativa a ser usada nestes casos é o gráfico
conhecido como histograma.
Um histograma consiste em uma escala horizontal para os valores dos dados a serem
representados, uma escala vertical para as frequências e barras para representar os
valores das frequências das diversas classes. Em geral, a construção de um histograma
para representar um conjunto de valores é precedida de uma tabela completa de
frequências daqueles valores. Cada barra é delimitada pela fronteira inferior de classe à
esquerda e pela fronteira superior de classe à direita.

12

11

10

8
Freqüência

0
0 4 8 12 16 20 24

- 19 -
Tipos de Frequências

Frequências simples ou absolutas ( fi ) são os valores que realmente representam


o número de dados de cada classe.
obs: a soma das frequências simples é igual ao número total dos dados ( n ):

∑f i =n
Frequências relativas ( fri ) são os valores das razões entre as frequências simples
e a frequência total:
fi fi
fri = =
∑f i n
Frequência acumulada (Fi) é o total das frequências de todos os valores inferiores
ao limite superior do intervalo de uma dada classe:
k
Fi = f i + f 2 + ... + f i ou Fk = ∑ f i
i =1
Frequência acumulada relativa (Fri) de uma classe é a frequência acumulada da
classe, dividida pela frequência total da distribuição.
Fi Fi
Fri = =
∑f i n
Considere a distribuição de frequência com intervalos de classe abaixo:

Estaturas de 40 alunos do colégio A.


Estaturas (cm) Frequência ( fi )

150 | 154 4


154 | 158 9
158 | 162 11
162 | 166 8
166 | 170 5
170 | 174 3
Total 40

- 20 -
Considerando a tabela anterior, podemos montar a seguinte tabela com as
frequências estudadas:

i Estaturas Frequência Ponto médio Frequência Frequência Frequência


(cm) ( fi ) ( Pm ) Xi Relativa (fri) Acumulada Acumulada
(Fi ) relativa (Fri )
1 150 | 154 4 152 0,100 4 0,100
2 154 | 158 9 156 0,225 13 0,325
3 158 | 1 62 11 160 0,275 24 0,600
4 162 | 166 8 164 0,200 32 0,800
5 166 | 170 5 168 0,125 37 0,925
6 170 | 174 3 172 0,075 40 1,000
Σfi=40
n=Σ Σfri= 1,000

O conhecimento dos vários tipos de frequências ajuda-nos a responder a muitas


questões com relativa facilidade, como as seguintes:
a) Quantos alunos têm estatura entre 154 cm, inclusive, e 158 cm ?
Esses são os valores da variável que formam a segunda classe. Como f2 = 9, a resposta é : nove
alunos.

b) Qual a percentagem de alunos cujas estaturas são inferiores a 154 cm ?


Esses valores são os que formam a primeira classe. Como fr1=0,100, obtemos a resposta
multiplicando a frequência relativa por 100:
0,100 x 100 = 10
Logo, a percentagem de alunos é 10%.

c) Quantos alunos têm estatura abaixo de 162 cm ?


É evidente que as estaturas consideradas são aquelas que formam as classes de ordem
1,2 e 3. Assim, o número de alunos é dado por:
3
f1 + f 2 + f 3 = ∑ f i = F3 = 24
i =1
Portanto, 24 alunos têm estatura abaixo de 162 cm.

d) Quantos alunos têm estatura não inferior a 158 cm ?


O número de alunos é dado por:
6

∑f
i =3
i = f 3 + f 4 + f 5 + f 6 = 11 + 8 + 5 + 3 = 27
Ou então:
6

∑f
i =1
i − F2 = n − F2 = 40 − 13 = 27

- 21 -
Polígono de Frequências
Um polígono de frequência é um gráfico de linha em que as frequências são
colocadas sobre perpendiculares levantadas nos pontos médios. Pode-se também obtê-los,
ligando-se os pontos médios dos topos dos retângulos de um histograma.

14

12

10
Freqüência

0
148 152 156 160 164 168 172 176
Estatura ( cm )

Polígono de Frequência Acumulada


O polígono de frequência acumulada é traçado marcando-se as frequências
acumuladas sobre perpendiculares ao eixo horizontal, levantadas nos pontos
correspondentes aos limites superiores dos intervalos de classe.

45

40

35

30
Freqüência

25

20

15

10

0
152 156 160 164 168 172
Estatura ( cm )

As formas das curvas de frequência


As curvas de frequências aparecem, na prática, sob diversas formas características:
a) Curvas de frequência simétrica ou em forma de sino. Caracterizam-se pelo fato de
as observações eqüidistantes do ponto central máximo terem a mesma frequência.
b) Nas curvas de frequência moderadamente assimétrica ou desviadas, a cauda da
curva de um lado da ordenada máxima é mais longa do que do outro. Se o ramo mais
alongado fica à direita, a curva é dita desviada para a direita, ou de assimetria positiva,
enquanto, se ocorre o inverso, diz-se que a curva é desviada para a esquerda ou de
assimetria negativa.
c) Na curva em forma de J, ou J invertido, o ponto de ordenada máxima ocorre em
uma das extremidades.

- 22 -
d) Uma curva de frequência em forma de U tem ordenadas máximas em ambas as
extremidades.
e) Uma curva de frequência bimodal tem dois máximos.
f) Uma curva de frequência multimodal tem mais de dois máximos.

ARREDONDAMENTO
Regra I: para saber quantos algarismos significativos existem em um número, temos as seguintes
regras: O algarismo que fica mais à esquerda (diferente de zero) é o mais significativo. Se não há
vírgula, o algarismo que fica mais à direita (diferente de zero) é o menos significativo. Se há vírgula o
último algarismo da direita é o menos significativo, mesmo que ele seja zero.
Regra II: os critérios para arredondamento de um número devem ser os seguintes, se o algarismo a
ser cortado for:

>5 soma-se 1 ao algarismo anterior.


Ex.: 47,37 ➔ 47,4

<5 o algarismo anterior não se altera


Ex.: 47,34 ➔ 47,3

se o algarismo anterior for par, não se altera.


Ex.: 47,25 ➔ 47,2
=5
se o algarismo anterior for ímpar, soma-se 1.

Ex.: 47,35 ➔ 47,4

- 23 -
1ª Lista de Exercícios – Distribuição de Frequência
1) A tabela abaixo apresenta uma distribuição de frequência das áreas de 400 lotes.
Áreas (m2) Nº de Lotes
300 | 400 14
400 | 500 46
500 | 600 58
600 | 700 76
700 | 800 68
800 | 900 62
900 | 1000 48
1000 | 1100 22
1100 | 1200 6
Com referência a essa tabela, determine:
a) a amplitude total;
b) o limite superior da quinta classe;
c) o limite inferior da oitava classe;
d) o ponto médio da sétima classe;
e) a amplitude do intervalo da segunda classe;
f) a frequência da quarta classe;
g) a frequência relativa da sexta classe;
h) a frequência acumulada da quinta classe;
i) o número de lotes cuja área não atinge 700 m2; nº de lotes abaixo de 700 m2
j) o número de lotes cuja área atinge e ultrapassa 800 m2; nº de lotes acima de 800 m2
k) a percentagem dos lotes cuja área é inferior a 600 m2;
l) a percentagem dos lotes cuja área seja maior ou igual a 900 m2;
m) a percentagem dos lotes cuja área é de 500 m2, no mínimo, mas inferior a 1000 m2;
n) a classe do 72º lote;
o) até que classe estão incluídos 60% dos lotes.

2) Conhecidas as notas de 50 alunos:


Dados Brutos Rol (ordem crescente)
68 85 33 52 65 77 84 65 74 57 X
71 35 81 50 35 64 74 47 54 68 X
80 61 41 91 55 73 59 53 77 45 X
41 55 78 48 69 85 67 39 60 76 X
94 98 66 73 42 65 94 66 88 89 X
determine:

a) a distribuição de frequência começando por 30 e


adotando o intervalo de classe de amplitude igual a 10.
b) as frequências acumuladas;
c) as frequências relativas;
d) o histograma e o polígono de frequência simples; e depois de frequência acumulada
e) Gráfico Ramo-e-folhas(adotar idades a partir de 30, com amplitude de 10)
Como variável quantitativa discreta temos: Média(65,34), mediana(66) e a moda(65)
Como variável quantitativa contínua temos: Média da distribuição de frequência(65,6)
Mediana(65,83) Moda Czuber(65,71)

- 24 -
Medidas de Tendência Central
(Variáveis Quantitativas Discretas)
As medidas de tendência central são usadas para indicar um valor que tende a
tipificar, ou a representar melhor, um conjunto de números. As três mais usadas são a
média, a mediana e a moda.

Média Aritmética x ()
É o quociente da divisão da soma dos valores da variável pelo número deles:
n

x + x 2 + x 3 + ... + x n
∑x i
∑x
x= 1 , como x= i =1
ou simplesmente como x=
n n n
Sendo:

x - a média aritmética simples xi – os valores da variável n – o número de valores

Desvio em relação à média


Denominamos desvio em relação à média a diferença entre cada elemento de um
conjunto de valores e a média aritmética. Assim
di = xi - x ou ainda tomando em módulo temos d i
= x −xi

Média Aritmética Ponderada x ()


A fórmula anterior para calcular a média aritmética supõe que cada observação tenha
a mesma importância. Conquanto este caso seja o mais geral, há exceções. O cálculo da
média pode levar em conta “pesos” desiguais para cada variável.
n

x p + x 2 p 2 + x 3 p 3 + ... + x n p n
∑(x p ) i i

ou x =
i =1
x= 1 1 como os “pesos” serão dados pela
p1 + p 2 + p 3 + ... + p n ∑p i
n

∑ (x f ) i i

frequência , trocaremos pi por fi, logo temos x =


i =1

∑f i

Emprego da média
A média é utilizada quando desejamos obter a medida de posição que possui a maior
estabilidade e quando houver necessidade de um tratamento algébrico ulterior (situado
além, que sucede ou que chega depois).

A Mediana (Md)
Uma segunda medida do meio de um conjunto de números é a mediana. Sua
característica principal é dividir um conjunto ordenado de dados em dois grupos iguais; a
metade terá valores inferiores à mediana, a outra terá valores superiores à mediana.
O processo para determinar a mediana é o seguinte:
1)Ordenar os valores
2)Verificar se há um número ímpar ou par de valores
3)Para um número ímpar de valores, a mediana é o valor do meio. Para um número
par de valores, a mediana é a média dos dois valores do meio, ou seja,

- 25 -
quando IMPAR – o termo de ordem n + 1
2
quando PAR a média aritmética dos termos de ordem n e n + 1
2 2

Emprego da mediana
Quando desejamos obter o ponto que divide a distribuição em partes iguais, e quando
há valores extremos que afetam de uma maneira acentuada a média, ou ainda quando a
variável em estudo é salário.
A Moda (Mo)
Denominamos moda o valor que ocorre com maior frequência em uma série de
valores. Um exemplo, o salário modal dos empregados de uma indústria é o salário mais
comum, isto é, o salário recebido pelo maior número de empregados dessa indústria.
Quando tratarmos com intervalos de classe, a classe que apresenta a maior
frequência é denominada classe modal. Pela definição, podemos afirmar que a moda, neste
caso, é o valor dominante que está compreendido entre os limites da classe modal.
O método mais simples para o cálculo da moda consiste em tomar o ponto médio da
l * +L *
classe modal. Damos a esse valor a denominação de moda bruta. Ou Mo = , onde
2
l* e L* são respectivamente os limites inferior e superior da classe modal

Emprego da moda
A moda é utilizada quando desejamos obter uma medida rápida e aproximada de
posição e quando a medida de posição deve ser o valor mais típico da distribuição.

Média Geométrica
Consiste em multiplicar os elementos e extrair a raiz do produto encontrado,
utilizando como índice da raiz o número de elementos multiplicados. Para n termos ou
valores temos:
n

xg = n x ⋅ x ⋅ x ⋅ ...⋅ x
1 2 3 n ou ainda xg = n ∏x
i =1
i onde ∏ é o produtório

Média Harmônica
A média harmônica é representada por x H ou H e corresponde ao quociente do
número de elementos da seqüência (n) pela soma do inverso desses elementos, ou o
inverso da média aritmética dos inversos de n elementos
n n
x = x =
H 1 1 1 1 ou H n
1
+ + + ... + ∑
x 1 x 2 x 3 x n i =1 x i

A relação entre as médias é: x ≥ xg ≥ xH


Somente a título de curiosidade existem ainda a média geométrica ponderada e a
média harmônica ponderada..

- 26 -
Medidas de Tendência Central
Valores Tabulados – Agrupados em Classes – Variáveis Quantitativas Contínuas
Para a construção de uma distribuição de frequência é necessário:
1) Encontrar a amplitude total do conjunto de valores observados.
Onde AT = Maior valor – menor valor
2) Decidir quanto ao número de classes(k). É aconselhável tomar entre 5 a 15 classes.
Menos de 5 classes pode ocultar detalhes importantes dos dados. Mais de 15 torna a
apresentação demasiado detalhada. Para determinar o número de classes há diversos
métodos.
2.1) Tomar a raiz quadrada de n ou ∑ f i , ou seja do número de dados.

Chamando de k o número de classes, k= n.


2.2) A regra de Sturges. k = 1 + 3,3.log n
AT
3) Determinar a amplitude do intervalo de classe(h). h =
k
4) Determinar os limites das classes, escolhendo-se, preferencialmente, números inteiros
5) Construir a tabela de frequências, conforme sugerido,
MÉDIA
Para dados tabulados a média, nada mais é que a média ponderada, para isto
temos a fórmula
n

∑ (x f i i )
x = i =1

∑ f i

MEDIANA

Passos: 1º) Determinamos o Elemento mediano , onde EMd =


∑ fi
, que determinará
2
a classe em que se encontra a mediana, ou a classe mediana.
2º) A seguir empregamos a fórmula:
E − F 
Md = l Md +  Md ant  ⋅ hMd
 fMd 
Onde:
l Md – limite inferior da classe mediana
fMd- frequência da classe mediana
Fant- frequência acumulada anterior à classe mediana
hMd- amplitude do intervalo da classe mediana
MODA

Quando tratamos com intervalos de classe, a classe que apresenta a maior


frequência é denominada classe modal. Pela definição, podemos afirmar que a moda,
neste caso, é o valor dominante que está compreendido entre os limites da classe modal.

- 27 -
O método mais simples para o cálculo da moda consiste em tomar o ponto médio da
l Mo + L Mo
classe modal. Damos a esse valor a denominação de moda bruta. Assim Mo = ,
2
onde l Mo e LMo são respectivamente os limites inferior e superior da classe modal
“ Q U E M E S T Á N A M O D A A P A R E C E M A I S !!! ”
1º) Método de King
King levou em consideração, em sua fórmula, a frequência simples da classe anterior
e a frequência simples da classe posterior à classe moda.
f
Mo = l + post
⋅ h Mo Onde:
Mo
f + f
ant post

l Mo - limite inferior da classe modal


fpost – frequência simples da classe posterior à classe modal
fant - frequência simples da classe anterior à classe modal
hMo - amplitude do intervalo de classe
2º) Método de Czuber
Czuber levou em consideração, em sua fórmula a frequência simples da classe
anterior, a frequência simples da classe posterior, além da frequência simples da classe
modal. É, portanto, uma fórmula mais completa que a fórmula de King.
Moda - Czuber Moda - Czuber Moda - Czuber
Onde:

f − f ∆1 ∆1 = f −f e
Mo = lMo + ⋅ hMo Mo = lMo + ⋅
∆1 + ∆2 hMo
Mo ant
Mo ant
2f −( f + f ) ∆2 = f − f
Mo ant post
Mo post
Onde fMo – frequência simples da classe modal , e os demais seguem a nomenclatura acima

3º) Método de Pearson


Karl Pearson desenvolveu uma fórmula empírica de relação entre a média, a moda e
a mediana. Mo = 3Md − 2 x , onde x é a média aritmética ponderada
Resumindo:
Média Mediana Moda Bruta
n

∑ (xi fi )  E − Fant  l Mo + L Mo
x = i=1 Md = l Md +  Md  ⋅ h Md Mo =
∑ fi  f Md  2
Moda - King Moda - Czuber Moda -Pearson

f f − f
Mo= lMo + ⋅ hMo Mo= lMo + ⋅ hMo
post Mo ant
Mo = 3Md − 2 x
f ant
+ f post
2f −( f + f )
Mo ant post

Moda - Czuber Moda - Czuber Moda - Czuber


f Mo − f ant ∆1 Onde:

Mo = lMo + ⋅ ∆1 = f −f
∆1 + ∆2 hMo
Mo = lMo + ⋅ hMo Mo ant
e
2 f −( f + f )
Mo ant post ∆2 = f − f
Mo post

- 28 -
Exercícios
Diversão Lista de Medidas de Tendência Central
Respostas
Dado as idades(Xi) em anos de um 1a) 715,5 m2
grupo de pessoas com : 1b)708,82 m2
1) 7, 4, 8, 6, 6, 5, 2 1c) 650 m2
2) 2, 5, 5, 5, 9, 7, 10, 11 1d) 653,97 m2
1e) 669,23 m2
Para cada exercício acima determine a: 1f) Moda Pearson = 695,46 m2
a) média aritmética
b) mediana 2a) 65,34 pontos
c) moda 2b) 66 pontos
d) média geométrica 2e) 65,6 pontos
e) média harmônica 2f) 65,83 pontos
2g) MoK = 65,29 pontos
Respostas: MoC = 65,71 pontos
1a) 5,43 anos 1b) 6 anos 1c) 6 anos MoP = 66,29 pontos
1d) 5,02 anos 1e) 4,51 anos

2a) 6,75 anos 2b) 6 anos 2c) 5 anos


2d) 6,02 anos 2e) 5,18 anos

Favor conferir com seus próprios apontamentos, verificando sua assimilação do conteúdo.

Lista de Exercícios – Medidas de Tendência Central


1) A tabela abaixo apresenta uma distribuição de frequência das áreas de 400 lotes.

Áreas (m2) Nº de Lotes


300 | 400 14
400 | 500 46
500 | 600 58
600 | 700 76
700 | 800 68
800 | 900 62
900 | 1000 48
1000 | 1100 22
1100 | 1200 6

Com referência a tabela anterior, determine:

a) a média aritmética; b) a mediana; c) a moda bruta; d) a moda King;


e) a moda Czuber f) a moda Pearson ...(depois)... g) Variância h)Desvio-Padrão
i) o coeficiente de variação j) P12 k) Q1 l) D4 m) P54
n) D9 o) Q3 e interpretação p) K3

- 29 -
2) Conhecidas as notas de 50 alunos:
33 35 35 39 41 41 42 45 47 48 50 52 53 54 55 55 57
59 60 61 64 65 65 65 66 66 67 68 68 69 71 73 73 74
74 76 77 77 78 80 81 84 85 85 88 89 91 94 94 98
determine:
a) a média aritmética; b) a mediana; c) moda(variável quantitativa discreta)
d) a distribuição de frequência começando por 30 e adotando o intervalo de classe de amplitude igual a 10.
e) a média aritmética(contínua) desta distribuição de frequências;
f) a mediana da distribuição de frequências; g) Moda Bruta, a moda de King, a Moda de
Czuber e a Moda Pearson (depois) h) Variância i) Desvio-Padrão j) o coeficiente de
variação k) D4 l) P82 m) Q3 n) K3

MEDIDAS DE DISPERSÃO

Alexandre(160 cm) Marcos(180 cm) DUTRA(198 cm)


ALUNOS DE ESTATÍSTICA EM 2008.

BRUNO, LUCAS E FÁBIO DANILO, RENAN, MURILO e FÁBIO


1,42 m– 1,75 m– 1,98m 1,86m – 1,88m – 1,90 m– 1,98m
Veremos as medidas de Dispersão que tem a média como ponto de referência
Vejamos a seguinte situação. Uma pessoa é encarregada de organizar atividades
de lazer para um grupo de 6 pessoas e recebe a informação de que a média de idade do
grupo é de 20 anos. Nesse caso, apenas a informação da média não é suficiente para

- 30 -
planejar as atividades, pois podemos ter grupo com média de idade de 20 anos e
características totalmente diferentes. Observemos alguns grupos possíveis.
Grupo A- idade das pessoas (em anos): 20 20 20 20 20 20. Observe que
temos a média igual a 20. Pois (20+20+20+20+20+20): 6 = 20.
Grupo B – idade das pessoas (em anos): 22 23 18 19 20 18.
Observe que temos a média igual a 20.Pois (22+23+18+19+20+18): 6 = 20.
Grupo C – idade das pessoas (em anos): 6 62 39 4 8 1.
Observe que temos a média igual a 20. (6+62+39+4+8+1): 6 = 20.
No grupo A não houve dispersão. A dispersão no grupo B é menor que no grupo C.
Dizemos que o grupo B é mais homogêneo que o C ou que o grupo C é mais heterogêneo
que o B.
Como a medida de tendência central não é suficiente para caracterizar o grupo C, é
conveniente utilizar medidas que expressem o grau de dispersão de um conjunto de dados.
As mais usadas são a variância e o desvio padrão.

Variância (S2)
A idéia básica de variância é tomar os desvios dos valores Xi em relação à média.
(xi - x ). Mas a soma desses desvios é igual a 0. Uma opção possível, então é considerar o
n
total dos quadrados dos desvios ∑ (x
i =1
i − x) 2 e expressar a variância como a média dos
n

∑ (x
i =1
i − x) 2
=
2
quadrados dos desvios, ou seja s n
. Faremos o cálculo para os três grupos:
A;B;C.
Grupo A Grupo B Grupo C
= =
(xi −x)
2

(xi −x) (xi −x) (xi −x) (xi −x) (xi −x)
2 2

Xi =

20 22 6
20 23 62
20 18 39
20 19 4
20 20 8
20 18 1
∑( xA
i − x) 2 = ∑(x − x)
B
i
2
= ∑(x − x)
C
i
2
=

S A = _________ S B = _________ = ___________


2 2 2
logo S C
A variância é suficiente para diferenciar a dispersão dos grupos: O grupo A não tem
dispersão(S2 = 0) e o grupo C tem uma dispersão maior que a do grupo B(513,6>3,6).
Porém, não é possível expressar a variância na mesma unidade dos valores da variável,
uma vez que os desvios são elevados ao quadrado. Então, definiu-se a medida de
dispersão chamada desvio padrão.

- 31 -
Desvio Padrão (S)
O desvio padrão (S) é a raiz quadrada da variância. Ele facilita a interpretação dos
dados, pois é expressa na mesma unidade dos valores observados(do conjunto de dados).
Assim temos:
Grupo A: S = 0 = 0 anos Grupo B: S = 3,6 = 1,9anos Grupo C: S = 513 , 6 = 22 , 6 anos .

Resumindo, se x1, x2, x3, . . . , xn são os n valores de uma variável quantitativa x, temos:
A média aritmética dos A variância de x: O desvio padrão de x:
valores de x: n
n
2
∑ (x − x)
S = S2
i
∑x
i =1
i
s
2
= i =1

x= n
n
Observações:
1ª) Quando todos os valores da variável são iguais, o desvio padrão é 0 (zero)
2ª) Quanto mais próximo de 0(zero) é o desvio padrão, mais homogêneo é a distribuição dos
valores da variável.
3ª) O desvio padrão é expresso na mesma unidade da variável.

MEDIDAS DE DISPERSÃO: Variância (S2) e Desvio Padrão (S)

Variância(S2) Desvio-padrão(S)
Dados Brutos Dados Tabulados DesvioPadrão = Variância
(variáveis discretas) (variáveis contínuas)
n k

∑ (x i − x) 2
∑[ f i ⋅ ( xi − x) 2 ] S = S2
= =
2 i =1 2 i =1
s n s n
População Lembrando que n = ∑f i

Quando o desvio-padrão representar uma descrição da amostra e não da população, caso


mais freqüente em estatística, o denominador será igual a (n – 1), em vez de n. A razão desses
procedimentos reside no fato de que, utilizando o divisor (n – 1), obtém-se uma estimativa melhor do
parâmetro de população. Além do mais, apenas (n – 1) das discrepâncias(xi – x) são independentes,
uma vez que essas (n – 1) discrepâncias determinam automaticamente a n-ésima(última). Para
valores grandes de n (n > 30) não há grande diferença entre resultados proporcionados pela
utilização de qualquer dos dois divisores, n ou (n – 1). ENTRETANTO DAREMOS PREFERÊNCIA PARA A
FÓRMULA QUE PROPORCIONA UMA ESTIMATIVA MAIS JUSTA DO DESVIO-PADRÃO DA POPULAÇÃO, OU SEJA,

Variância(S2) Desvio-padrão(S)
Dados Brutos Dados Tabulados DesvioPadrão = Variância
n n

∑ (x i − x) 2
∑[ f i ⋅ ( xi − x) 2 ] S = S2
= =
2 i =1 2 i =1
s (n − 1) s n −1
Amostra

- 32 -
Coeficiente de Variação
O desvio padrão por si só não nos diz muita coisa. Assim, um desvio padrão de duas
unidades pode ser considerado pequeno para uma série de valores cujo valor médio é 200;
no entanto, se a média for igual a 20, o mesmo não pode ser dito. Além disso, o fato de o
desvio padrão ser expresso na mesma unidade dos dados limita o seu emprego quando
desejamos comparar duas ou mais séries de valores, relativamente à sua dispersão ou
variabilidade, quando expressas em unidades diferentes.
Para contornar essas dificuldades e limitações, podemos caracterizar a dispersão ou
variabilidade dos dados em termos relativos a seu valor médio, medida essa denominada
coeficiente de variação(CV):
s
Coeficiente de Variação =
Desvio Padrão
* 100 CV = *100
Média x
Lista de Exercícios – Medidas de Dispersão
1) Calcule a variância, o desvio padrão e o coeficiente de variação da população
De pessoas cuja idade em anos são representados por Xi: 2, 3, 7, 9, 11, 13.
2) Calcule a variância, o desvio padrão e o coeficiente de variação da amostra
De pessoas cuja idade em anos são representados por Yi: 14, 16, 19, 20, 22, 23.
3) Calcule a variância, o desvio padrão e o coeficiente de variação da população de um
grupo de pessoas onde existem 7 pessoas com 14 anos, 14 pessoas com 18 anos, 11
pessoas com 20 anos, 10 pessoas com 23 anos e 8 pessoas com 25 anos :

Idade (anos) Nº de Alunos

4) A tabela abaixo apresenta uma distribuição de frequência das áreas de 400 lotes. (amostra)

Áreas (m2) Nº de Lotes


300 | 400 14
400 | 500 46
500 | 600 58
600 | 700 76
700 | 800 68
800 | 900 62
900 | 1000 48
1000 | 1100 22
1100 | 1200 6
Com referência a essa tabela, determine:
a) a variância; b) o desvio padrão. c) o coeficiente de variação
Respostas: 36250,38 (m2)2 190,40 m2 26,61%

5) 2ª Tabela – Exercício das Notas (amostra) :


Respostas: 287,39(pontos)2 16,95 pontos 25,84%

- 33 -
Posição Relativa da Média, Mediana e Moda
Quando uma distribuição é simétrica, as três medidas coincidem. Porém a assimetria
torna-se diferentes e essa diferença é tanto maior quanto maior é a assimetria. Assim, em
uma distribuição em forma de sino, temos:

Medidas Separatrizes
São números reais que dividem a seqüência ordenada de dados em partes que
contêm a mesma quantidade de elementos da série.
Desta forma, a mediana que divide a seqüência ordenada em dois grupos, cada um
deles contendo 50% dos valores da seqüência, é também uma medida separatriz.
Além da mediana, as outras medidas separatrizes que destacaremos são : quartis,
quintis, decis e percentis.
Se dividirmos a série ordenada em quatro partes, cada uma ficará com 25% de seus
elementos. Os elementos que separam estes grupos são chamados quartis.
Assim, o primeiro quartil, que indicaremos por Q1, separa a seqüência ordenada,
deixando 25% de seus elementos, à esquerda e 75% de seus elementos à direita.
O segundo quartil, que indicaremos por Q2. separa a seqüência ordenada, deixando
50% de seus elementos à esquerda e 50% de seus elementos à direita. (note que Q2 é a
mediana).
O terceiro quartil, que indicaremos por Q3, separa a seqüência ordenada deixando à
esquerda 75% de seus elementos e 25% de seus elementos à direita.
Se dividirmos a seqüência ordenada em cinco partes, cada um ficará com 20% de
seus elementos. Os elementos que separam estes grupos são chamados quintis.

- 34 -
Assim, o primeiro quintil, que indicaremos por K1, separa a seqüência ordenada,
deixando 20% de seus elementos à esquerda(ou abaixo) e 80% de seus elementos à
direita(ou acima)
Se dividirmos a seqüência ordenada em dez partes, cada uma ficará com 10% de
seus valores. Os elementos que separam este grupos são chamados decis.
Assim, o primeiro decil, que indicaremos por D1 separa a seqüência ordenada,
deixando à sua esquerda 10% de seus elementos e 90% de seus elementos à direita.
De modo análogo são definidos os outros decis.
Se dividirmos a seqüência em 100 partes, cada uma ficará com 1% de seus
elementos. Os elementos que separam estes grupos são chamados centis ou percentis.
Assim, o primeiro percentil, que indicaremos por P1, separa a seqüência ordenada
deixando à sua esquerda 1% de seus valores e 99% de seus valores à direita. De modo
análogo são definidos os outros percentis.
Se observarmos que os quartis e decis são múltiplos dos percentis, então basta
estabelecer a fórmula de cálculo de percentis. Todas as outras medidas podem ser
identificadas como percentis. Desta forma:
Q1 = P25 D1 = P10 D6 = K3 = P60
Q2 = P50 D2 = K1 = P20 D7 = P70
Q3 = P75 D3 = P30 D8 = K4 = P80
D4 = K2 = P40 D9 = P90
D5 = P50
Observe que Q2 = D5 = P50 = Md (mediana)

Cálculo das Medidas Separatrizes


1º Caso – Dados Brutos ou Rol
Devemos ordenar os elementos, caso sejam dados brutos obtendo o rol.
Identificamos à medida que queremos obter com o percentil correspondente, Pi.
in
Calculamos E Pi
= de n, ou seja,para localizar a posição do percentil i no rol.
100
Lembrando que n = ∑ f i
Em seguida, identificamos o elemento que ocupa esta posição.
i×n
Note que se for um número inteiro, então Pi que estamos procurando identificar é
100
um dos elementos da seqüência ordenada.
Se não for um número inteiro, isto significa que o Pi é um elemento
intermediário entre os elementos que ocupam as posições aproximadas por falta e por
excesso do valor Neste caso, o Pi é definido como sendo a média dos valores que ocupam
esta posições aproximadas.

Exemplo 1
Calcule o Q1 da seqüência X = 2, 5, 8, 5, 5, 10, 1, 12, 12, 11, 13, 15
Solução: Ordenando a seqüência obtemos o rol:

X : 1, 2, 5, 5, 5, 8, 10, 11, 12, 12, 13, 15


Identificamos Q1 = P25
25 × 12
Calculamos 25% de 12 que é o número de elementos da série obtendo : =3
100

- 35 -
Este valor indica a posição de P25, no rol, isto é, o P25 é o terceiro elemento do rol.
Observando o terceiro elemento do rol obtém-se 5
Portanto, Q1 = P25 = 5
INTERPRETAÇÃO : 25% dos valores desta seqüência são valores menores ou iguais a 5 e
75% dos valores são maiores ou iguais a 5.

Exemplo 2
Calcule o D6 da seqüência X : 2; 8; 7,5; 6; 10; 12; 2; 9
Solução : Ordenando a seqüência, obtemos : X : 2; 2; 6; 7,5; 8; 9; 10; 12
Identificamos D6 = P60.
60 × 8
Calculamos 60% de 8, que é o número de elementos da série, obtendo : = 4,8
100

Este valor não inteiro indica que o P60 é um valor situado entre o quarto e quinto
elemento da seqüência .
Observando diretamente no rol, os elementos que ocupam a quarta e a quinta
posição obtemos 7,5 e 8. Portanto,
7,5 + 8
D6 = P60 = = 7,75
2
INTERPRETAÇÃO : 60% dos valores da seqüência são valores menores ou iguais a 7,75 e
40% dos valores da seqüência são valores maiores ou iguais a 7,75.
Note que se o número de elementos da seqüência for menor que 100, alguns
percentis podem coincidir em valores tornando estas interpretações não totalmente
verdadeiras.

2º Caso – Variável Discreta


Se os dados estão apresentados na forma de uma variável discreta, eles já estão
naturalmente ordenados.
Identifica-se a medida que queremos obter com o percentil correspondente : Pi .
i×n
Calcula-se EPi¨de n ou seja, para localizar a posição do percentil i na série.
100
Em seguida utilizamos a frequência acumulada da série para localizar o elemento que
ocupa esta posição.
O valor deste elemento é o Pi .

Exemplo
Calcule o D4 para a série :
X frequência
2 3
4 5
5 8
7 6
10 2
Solução:
40 × 24
O número de elementos da série é n = 24 = 9,6
100
Identificamos D4 = P40 e calculamos 40% de 24, ou seja,

Esta posição não inteira significa que o P40 é um valor compreendido entre o nono e o
décimo elemento da série.
Construindo a frequência acumulada, temos:

- 36 -
X frequência Fi
2 3 3
4 5 8
5 8 16
7 6 22
10 2 24
observamos que o nono elemento é 5, e o décimo elemento também é 5.
5+5
Assim, D4 = P40 = =5
2
INTERPRETAÇÃO : 40% dos valores desta série são valores menores ou iguais a 5 e 60% dos
valores desta série são maiores ou iguais a 5.
3º Caso – Variável Contínua
Se os dados estão apresentados na forma de uma variável contínua, eles já estão
naturalmente ordenados e o número de elementos da série é n = ∑fi .
Para se obter uma fórmula geral para o cálculo dos percentis, vamos generalizar a
fórmula da mediana:
n
− F ( ant )
Md = L i + 2 .h
fi
50xn
O termo n/2 pode ser representado na linguagem do P50 como
100
Assim, a formula da mediana, adaptada para a linguagem do P50 pode ser escrita:
50 × n
− F (ant )
P50 = li + 100 .h
fi
Substituindo-se 50 pelo índice i, generalizamos a fórmula para o cálculo de qualquer
i×n
− F (ant )
percentil: Pi = Li + 100 .h
fi
onde:
Pi – percentil i ( i = 1,2, 3, ...,99);
li – limite inferior da classe que contém o percentil i;
n – número de elementos da série;
Fant – frequência acumulada da classe anterior a classe que contém o Pi;
fi – frequência simples da classe que contém o percentil i;
h – amplitude do intervalo da classe.
Exemplo
Calcule o Q3 da série:
Classe Intervalo de Classe Frequência (fi )
1 0 | 10 16
2 10 | 20 18
3 20 | 30 24
4 30 | 40 35
5 40 | 50 12
∑fi = 105

- 37 -
O número de elementos da série é dado por ∑fi = 105. Identificamos Q3 = P75
i×n
− F (ant )
Pi = li + 100 .h
fi
Iniciamos o cálculo do valor P75 lembrando que neste caso i = 75 e que:
i × n 75 × 105
= = 78,75
100 100
isto nos dá a posição do P75 na série
Construindo a frequência acumulada da série obtemos:
Classe Intervalo de Classe Frequência (fi ) Fi
1 0 | 10 16 16
2 10 | 20 18 34
3 20 | 30 24 58
4 30 | 40 35 93
5 40 | 50 12 105
∑fi = 105

A classe que contém o elemento que ocupa a posição 78,75 na série é a quarta
classe. Esta é a classe que contém o P75.
Substituindo os valores indicados na fórmula, obtém-se:
78,75 − 58
P75 = 30 + .10 = 35,93 Portanto Q3 = P75 = 35,93
35
I N T E R P R E T A Ç Ã O : 75% dos valores da série são menores ou iguais a 35,93 e 25% dos
valores da série são maiores ou iguais a 35,93.

Trabalhando com dados agrupados(variáveis contínuas), na página 23 mostramos a


ordem ou posição da mediana calculando o Elemento mediano. Como a mediana é uma
separatriz, utilizamos o mesmo procedimento para os quartis, quintis, decis e percentis(ou
centis) que genericamente são expressos por:

Posição ou ordem
Da mediana Dos quartis Dos quintis Dos decis Dos percentis

in in in in
E = E = E = =
∑f n Qi
4 Ki
5 Di
10 E Pi
EMd = = 100
i
com com com
2 2 com
i = 1,2,3 i = 1,2,3,4 i = 1,2,3, ..., 9 i = 1,2,3, ..., 99

- 38 -
CENTRO DA BÍBLIA
É interessante e curioso como são as coisas.
Ainda que não seja religioso convém que você leia isso.

- Qual é o capítulo mais curto da Bíblia?


Salmo 117
- Qual o capítulo mais comprido da Bíblia?
Salmo 119
- Qual o capítulo que está no centro da Bíblia?
Salmo 118
- Há 594 capítulos antes do Salmo 118
- Há 594 capítulos depois do Salmo 118
- Se somar estes dois números totalizam 1188
- Qual é o versículo que está no centro da Bíblia?
Salmo 118:8
Esse versículo diz algo importante sobre a
perfeita vontade de Deus para nossas vidas

A próxima vez que alguém lhe diga que deseja


conhecer a vontade de Deus para sua vida
e que deseja estar no centro da Sua Vontade,
referi-se a ele o centro de Sua Palavra:
Salmos 118:8
"Melhor é colocar sua confiança no
Senhor teu Deus que confiar nos homens".

Agora, diga, seria isto uma casualidade?


Ou estaria Deus no centro da Bíblia?
Sim! Jesus Cristo é a figura central de toda a Bíblia!

- 39 -
Lista de Exercícios – Medidas Separatrizes
1) Em uma série ordenada, qual é o percentual de elementos que ficam à esquerda e à direita de cada uma
das medidas separatrizes:
a) ____D1____ e) ____D8____ i) ____D2____
b) ____Q1____ f) ____P70____ j) ____K3____
c) ____K2____ g) ____P88____
d) ____Q3____ h) ____Q2____
0 Pi 100%

2) Qual é o percentual de elementos de uma série ordenada que se situam entre:


100%
a) Q1 e Q3 c) D2 e D6
b) P10 e P90 d) D3 e Q3

3) Se uma série ordenada possui 180 elementos, dê o número aproximado de elementos


que se situam: Pi
a) acima de P20 d) entre o P10 e o P80
b) abaixo de P90 e) entre o Q1 e o Q3
c) acima de Q3 f) entre o P90 e o P22 0

4) Dada a série X : 3, 15, 6, 9, 10, 4, 12, 15, 17, 20, 29, calcule:

a) Q1 b) D4 c) Q3 d) P90

5) A distribuição de frequência abaixo, representa idade de 50 alunos de uma classe de primeiro ano de uma
faculdade.
Idade (anos) Nº de Alunos
17 3
18 18
19 17
20 8
21 4

Calcule: a) Q1 b) D4 c) Q3 d) P95 e) K3

INTERPOLAÇÃO LINEAR
6) Utilizando Interpolação Linear, determine o fator de influência de cálculo de tensões sob canto de área
retangular carregada, através da tabela a seguir quando:
Para o calculo de L/B e z/B utilize duas casas decimais. Para o calculo do fator utilize TODAS casas decimais.

a) O comprimento(L) é igual a 10m e Base(B) é igual a L/B= z/B= Fator=


2m e z=5,6
b) O comprimento(L) é igual a 8m e Base(B) é igual a 5m L/B= z/B= Fator=
e z=3,2
c) O comprimento(L) é igual a 11m e Base(B) é igual a L/B= z/B= Fator=
4m e z=5,6
d) O comprimento(L) é igual a 5m e Base(B) é igual a 4m L/B= z/B= Fator=
e z=14
e) O comprimento(L) é igual a 18m e Base(B) é igual a L/B= z/B= Fator=
5m e z= 7,35
f) O comprimento(L) é igual a 7m e Base(B) é igual a L/B= z/B= Fator=
4,2m e z=26

- 40 -
7) Determine o valor de K sabendo que k1= 1,7 e K2 = 9,2 K=
8) Determine o valor de K sabendo que k1= 1,23 e K2 = 6,4 K=
9) Determine o valor de K sabendo que k1= 2,7 e K2 = 11 K=

- 41 -
PARA QUÍMICA E MECÂNICA
10) Em Termodinâmica precisamos para um sistema de refrigeração do valor tabelado de NH3
– Amônia. Em anexo temos a tabela de Amônia superaquecida, onde se encontram os valores
tabelados de h – entalpia (KJoule/kg), s – entropia (KJoule/kgK) e v - volume específico
(m³/kg). Utilizando Interpolação Linear determine o valor da entalpia , entropia, quando:
a) a temperatura é 40ºC e cuja pressão é 372KPa.
b) a temperatura é 47ºC e cuja pressão é 125KPa.
c) a temperatura é 62ºC e cuja pressão é 173KPa.
d) a temperatura é 42ºC e cuja pressão é 322KPa.

- 42 -
Lista de Exercícios – Distribuição de Frequência (R E S P O S T A S)
1) A tabela abaixo apresenta uma distribuição de frequência das áreas de 400 lotes.

i Áreas (m2) Nº de Lotes


1 300 | 400 14
2 400 | 500 46
3 500 | 600 58
4 600 | 700 76
5 700 | 800 68
6 800 | 900 62
7 900 | 1000 48
8 1000 | 1100 22
9 1100 | 1200 6
Com referência a essa tabela, determine:
a) a amplitude total; AT = L9 – l 1 = 1200 – 300 = 900 m2
b) o limite superior da quinta classe; L5 = 800 m2
c) o limite inferior da oitava classe; l 8 = 1000 m2
d) o ponto médio da sétima classe; x7 = (L7 + l 7 )/2 = (1000 + 900)/2 = 950 m2
e) a amplitude do intervalo da segunda classe;h2 = L2 – l 2 = 500 – 400 = 100 m2
f) a frequência da quarta classe; f4 = 76 lotes
g) a frequência relativa da sexta classe; fr6 = 0,155 ou 15,5%
h) a frequência acumulada da quinta classe; F5(+) = 262 lotes
i) o número de lotes cuja área não atinge 700 m2; F4(+) = 194 lotes
j) o número de lotes cuja área atinge e ultrapassa 800 m2;
f6+f7+f8+f9=62+48+22+6=138 ou F9(+)–F5(+)=400-262=138 lotes ou F6(-)=138 lotes
k) a percentagem dos lotes cuja área não atinge 600 m2; Fr3(+) = 0,295 ou 29,5%
l) a percentagem dos lotes cuja área seja maior ou igual a 900 m2;
fr7+fr8+fr9=0,12+0,055+0,015=0,19 ou Fr9(+)–Fr6(+)=1–0,81=0,19 ou Fr7(-)=0,19 ou 19%ou 19%
m) a percentagem dos lotes cuja área é de 500 m2, no mínimo, mas inferior a 1000 m2;
fr3 + fr4+ fr5 +fr6 + fr7 = 0,145+0,19+0,17+0,155+0,12= 0,78 ou
Fr7(+) – Fr2(+) = 0,93 – 0,15 = 0,78 ou ainda Fr3(-) – Fr8(-) = 0,85 – 0,07 = 0,78 ou 78%
n) a classe do 72º lote; i=3
o) até que classe estão incluídos 60% dos lotes. i=5

2) Conhecidas as notas de 50 alunos:


Dados Brutos Rol (ordem crescente)
68 85 33 52 65 77 84 65 74 57 X 33 35 35 39 41 41 42 45 47 48
71 35 81 50 35 64 74 47 54 68 X 50 52 53 54 55 55 57 59 60 61
80 61 41 91 55 73 59 53 77 45 X 64 65 65 65 66 66 67 68 68 69
41 55 78 48 69 85 67 39 60 76 X 71 73 73 74 74 76 77 77 78 80
94 98 66 73 42 65 94 66 88 89 X 81 84 85 85 88 89 91 94 94 98

- 43 -
F ó r m u l a s – 1ª Avaliação
Média Ponderada Mediana Moda Bruta
n

∑ (x f ) E − F  lMo + LMo
x = i=1
i i
Md = l Md +  Md ant  ⋅ hMd Mo=
∑ f i  f Md  2
Moda - King Moda - Czuber Moda - Pearson
f ∆1
Mo = l Mo + ⋅
∆1 + ∆2 hMo
Mo= l MO + ⋅ hMo
post

+
onde Mo = 3Md − 2 x
f ant
f post

∆1 = f − f e ∆2 = f − f
Mo ant Mo post

Variância(S2) Desvio-padrão(S) CV(%)


Dados Brutos Dados Tabulados Coeficiente de
DesvioPadrão = Variância
(Variáveis Discretas) (quando apresenta freqüência fi) Variação
desvio − padrão
n n CV = * 100
∑ (x − x) 2
∑[ f ⋅ ( xi − x) ] 2 média

S = S2
i i
2
= i =1 2
= i =1 s
s (n − 1) * s (n − 1) * CV = *100
x
* VARIÂNCIA E DESVIO PADRÃO σ- População(n) S –Amostra(n-1) Lembrando que n= ∑ f i
MÉDIA GEOMÉTRICA MÉDIA HARMÔNICA
n
xg = n =
x1 ⋅ x2 ⋅ x3 ⋅...⋅ xn x H 1
+
1
+
1
+ ... +
1
x 1 x 2 x 3 x n

ELEMENTO MEDIANO MÉDIA


ARITMÉTICA MÉDIA ARITMÉTICA PONDERADA
(ordem ou posição) SIMPLES

∑ ∑ ∑
n
f n xi ∑ [x f ] [ xi fi ]
= =
i i i
x =
E Md
2 2 x = i=1 x = i=1

∑ f i
ou
n
n
ELEMENTO PERCENTIL
(Ordem ou Posição das Percentil
separatrizes)

in  E − F ant 
=
EPi 100 Pi = l i +  Pi
 ⋅ hi
 fi 
com
i = 1,2,3, ..., 99

- 44 -
COMBINATÓRIA
FATORIAL DE UM NÚMERO NATURAL
Definição: Seja n um número natural, tal que n ≥ 2. Chama-se fatorial de n, e
representa-se por n!, o produto de todos os números naturais de 1 a n ou de n
até 1.
• Para n є N e n ≥ 2, n! =n(n-1)(n-2)...3.2.1 ou ainda n! = 1.2.3...(n-2)(n-1)n.
• Para n = 1 ou n = 0, define-se n! = 1. Logo, 1! = 1 e 0! = 1.
Vamos provar que n! = n(n-1)!
Exercícios envolvendo simplificações:
a)10!/8! b)5!/7! c)n!/(n-2)! d)(n-1)!/(n+1)!
Número Binomial
n n!
  = com n,p є N, n ≥ p. O numero n é dito numerador e o
 x  x!( n − x)!
n
 
número p é chamado denominador (ou classe binomial) de
 x
n n n
Aplicando-se a definição é fácil verificar que   = 1   = 1   = n
0 n 1 
BINOMIAIS COMPLEMENTARES
Dizemos que dois números são complementares se: apresentam o mesmo numerador e a
soma de seus denominadores é igual ao seu numerador comum. Isto é, se n, p ,q ∈ N,
n   n  n
  =   =   pois que p + q = n
 p  n − p   q 
O PROBLEMA DE FIBONACCI
Fibonacci colocou o seguinte problema: Suponha
que coelhos vivam para sempre e que cada mês cada par
produza um novo par, que se torna reprodutivo com 2
meses de idade. Se começarmos com um par de recém
nascidos, quantos pares de coelhos teremos 12º mês? E
no n-ésimo mês?
Essa sequência surgiu quando o matemático italiano
conhecido como Fibonacci resolveu, no século XIII, um
Leonardo de Pisa problema envolvendo a reprodução de coelhos.
1ºm 2ºm 3ºm 4ºm 5ºm 6ºm 7ºm 8ºm 9ºm 10ºm 11ºm 12ºm

A sequência ao lado indicada com a letra L recebe o nome de sequência de Lucas.


L = {1, 3, 4, 7, 11, 18, 29, 47, 76, ...}

- 45 -
Triângulo de PASCAL ou Tartaglia
Triângulo dos Números Binomiais

0
1  
0
1 1 1 
 
1 
 
1 2 1 0 1 
2 2 2
1 3 3 1  0  1   2 
     
1 4 6 4 1 3
 
 3
 
3 
 
 3
 
0 1  2  3
1 5 10 10 5 1 4 4 4 4 4
         
1 6 15 20 15 6 1 0 1  2 3  4
5 5 5  5 5  5
1 7 21 35 35 21 7 1      2       
0 1    3 4 5
1 8 28 56 70 56 28 8 1 6 6 6 6 6 6 6
 0  1   2   3   4   5   6 
             
7 7 7 7 7 7 7 7
               
0 1  2 3  4 5  6 7
8  8 8  8 8  8  8  8  8
                 
0 1  2  3 4 5 6 7 8

Desenvolvimento do Binômio de Newton


(a + b)0 = 1
(a + b)1 = 1a + 1b
(a + b)2 = 1a2 + 2ab + 1b2
(a + b)3 = 1a3 + 3a2b + 3ab2 + 1b3
(a + b)4 =
(a + b)6 =
Principio Fundamental da Contagem (PFC): Se uma ação é composta de duas etapas sucessivas,
sendo que a primeira pode ser feita de m modos e, para cada um destes, a segunda pode ser feita
de n modos, então o numero de modos de realizar a operação é m.n.
EXERCÍCIO
Uma moça pobrezinha possui 2 saias e 3 blusas. Quantas e quais as maneiras diferentes de
ela se vestir trajando saia e blusa? (dica: diagrama de árvore)

PROBABILIDADES
Experimentos ou fenômenos aleatórios são aqueles que, mesmo repetidos várias vezes sob
condições semelhantes, apresentam resultados imprevisíveis.
Espaço amostral
A cada experimento correspondem, em geral, vários resultados possíveis. Assim, ao
lançarmos uma moeda, há dois resultados possíveis: ocorrer cara ou ocorrer coroa. Já ao lançarmos
um dado há seis resultados possíveis: 1, 2, 3, 4, 5, ou 6.
Ao conjunto desses resultados possíveis damos o nome de espaço amostral ou conjunto
universo, representado por S.
lançamento de uma moeda : S = {cara, coroa}
lançamento de um dado : S = {1, 2, 3, 4, 5, 6}
Eventos
Chamamos de evento (E) qualquer subconjunto do espaço amostral S de um experimento
aleatório.

- 46 -
Considere os seguintes eventos:
A : obter um número par na face superior no lançamento de um dado
A = {2, 4, 6 } ⊂ S
B = obter o número 4 na face superior no lançamento de um dado
B = {4} ⊂ S
Dado um experimento aleatório, sendo S o seu espaço amostral, vamos admitir que todos os
elementos de S tenham a mesma chance de acontecer, ou seja, que S é um conjunto eqüiprovável.

Chamamos de probabilidade de um evento A (A ⊂ S) o número real P(A), tal que:

P ( A) =
n( A) evento
=
n( S ) espaço amostral
onde: n(A) é o número de elementos de A. e n(S) é o número de elementos de S.
Exemplo
Considerando o lançamento de uma moeda e o evento A : obter cara, temos:
S = {Ca, Co} ⇒ n(S) = 2 A = {Ca} ⇒ n(A) = 1
Logo: P(A) = 1/2 =0,5
O resultado acima nos permite afirmar que, ao lançarmos uma moeda equilibrada, temos
50% de chance de que apareça cara na face superior.

A probabilidade do evento B : obter o número 4 ou 5 na face superior no lançamento de um


dado.
S = { 1, 2, 3, 4, 5, 6} ⇒ n(S) = 6 B = {4, 5} ⇒ n(B) = 2 Logo: P(B) = 2/6 = 1/3
Um experimento no qual há apenas um resultado possível é chamado experimento
determinístico.
Chama-se experimento aleatório todo experimento no qual o resultado é imprevisível, ou seja,
mesmo que realizado em situações semelhantes pode apresentar resultados diferentes.

Definição: considerando um experimento aleatório, chama-se espaço amostral desse experimento o


conjunto de todos os resultados possíveis.
Definição: chama-se evento de um experimento aleatório qualquer subconjunto do espaço amostral
desse experimento. Uma função de probabilidade é uma função p: P(A) →R tal que:
01) 0 ≤ p(x) ≤ 1, para qualquer que seja x є P(A);
02) p(A) = 1
03) Se E1 e E2 são eventos de A tais que E1∩E2 ≠ Ø então P(E1UE2) = P(E1) + P(E2)

A definição acima impõe que a probabilidade de ocorrência de cada evento elementar é um número
real positivo. A soma das probabilidades de todos os eventos elementares é igual a 1.
Se S é um espaço amostral no qual todos os eventos têm a mesma probabilidade (eventos
n( A)
elementares), então a probabilidade de um evento A é dado por P ( A) = .
n( S )
Probabilidade de um evento em um espaço equiprovável P(AUB) = P(A) + P(B) – P(A∩B).
Eventos mutuamente exclusivos – Dizemos que dois eventos A e B de um mesmo espaço
amostral são mutuamente exclusivos quando A∩B = Ø. Neste caso note que P(AUB) = P(A) + P(B).
Probabilidade de não ocorrer um evento: seja E um evento qualquer em um espaço amostral S e
E =S−E ou P( E ) = 1 − P( E )

Probabilidade condicional – A probabilidade de ocorrer B, dado que ocorreu A é dada por P(B/A)
onde P(B/A) = P(A∩B)/P(A).
Definição: Sejam A e B dois eventos de um experimento aleatório. A e B são eventos independentes
se, e somente se, P(B/A) = P(B).
Probabilidade da intersecção de eventos: queremos calcular a probabilidade de ocorrer o evento
A e o evento B, ou seja, P(A∩B); logo, podemos escrever P(A∩B) = P(A).P(B/A), e se A e B forem
eventos independentes, P(A∩B) = P(A).P(B). Esse mesmo raciocínio (multiplicação de probabilidade
de eventos independentes) pode ser usado para experimentos com mais de duas etapas.

- 47 -
Eventos Complementares
Sabemos que um evento pode ocorrer ou não. Sendo p a probabilidade de que ele ocorra
(sucesso) e q a probabilidade de que ele não ocorra (insucesso ou falha), para um mesmo evento
existe sempre a relação: p+q=1⇒q=1–p

Eventos Independentes
Dizemos que dois eventos são independentes quando a realização ou a não realização de
um dos eventos não afeta a probabilidade da realização do outro e vice-versa. Por exemplo, quando
lançamos dois dados, o resultado obtido em um deles independe do resultado obtido no outro.
Se dois eventos são independentes, a probabilidade de que eles se realizem
simultaneamente é igual ao produto das probabilidades de realização dos dois eventos.
Assim, sendo p1 a probabilidade de realização do primeiro evento e p2 a probabilidade de
realização do segundo evento, a probabilidade de que tais eventos se realizem simultaneamente é
dada por: p = p1 x p2
Exemplo
Lançamos dois dados. A probabilidade de obtermos 1 no primeiro dado é: p1 = 1/6.
A probabilidade de obtermos 5 no segundo dado é: p2 = 1/6
Logo, a probabilidade de obtermos, simultaneamente,
1 no primeiro e 5 no segundo é p = p1.p2 = 1/36
Eventos Mutuamente Exclusivos
Dizemos que dois ou mais eventos são mutuamente exclusivos quando a realização de um
exclui a realização dos outros.
Se dois eventos são mutuamente exclusivos, a probabilidade de que um ou outro se realize é
igual à soma das probabilidades de que cada um deles se realize:
p = p1 + p2
Exemplo: Lançamos um dado. A probabilidade de se tirar o 3 ou o 5 é:
p = 1/6 + 1/6 = 2/6 = 1/3

EXERCÍCIOS BÁSICOS PROBABILIDADE


01) De um baralho de 52 cartas, determine a probabilidade de retirar:
(Determine a fração irredutível (simplificada), forma decimal com quatro casas após a vírgula e a porcentagem com duas casas decimais.)

a) carta preta j) uma figura preta s) um nº primo vermelho


b) um número k) figura masculina vermelha t) uma figura masculina
c) um número par l) figura feminina u) uma figura preta
d) um nº vermelho m) figura feminina vermelha v) figura feminina preta
e) um nº impar preto n) o número 10 de ouro w) Ás preto
f) uma letra o) o número 7 de copas x) Ás vermelho
g) uma letra vermelha p) um número preto y) Valete
h) uma letra de paus q) um número impar z) nº 8 preto
i) uma figura r) um nº primo aa) nº 8 vermelho
Baralho Comum A,2,3,4,5,6,7,8,9,10,Q,J,K
♦) , espadas(♠
4 naipes: ouro(♦ ♠) , copas(♥♥) e paus(♣
♣)
♦) e copas(♥
ouro(♦ ♥) são vermelhos espadas(♠ ♠) e paus(♣ ♣) são pretos

01.1) No exercício anterior se tivermos um baralho de truco o que muda? Você é capaz de dar as
respostas?
Baralho de Truco A,2,3,4,5,6,7,Q,J,K 4 naipes: ouro(♦ ♦) , espadas(♠
♠) , copas(♥
♥) e paus(♣
♣)
01.2) Agora, imagine se para um determinado jogo, num Baralho Fictício, não possuirmos as
♠). O que irá
cartas Valete, a carta de nº 2, o nº 10 e ainda não possuir o naipe de espada(♠
mudar? Você é capaz de repetir o exercício 1 para essa situação? Quais serão os
resultados???
Baralho Fictício A,3,4,5,6,7,8,9,Q,K ♦) , copas(♥
3 naipes: ouro(♦ ♥) e paus(♣
♣)

- 48 -
03) Uma urna contém 50 bolas idênticas. Sendo as bolas numeradas de 1 a 50, determine a
probabilidade de, em uma extração ao acaso:
a)obtermos a bola de número 27 b)obtermos uma bola de número par
c) obtermos uma bola de número maior que 20 d) obtermos uma bola de número menor ou igual a 20
e) uma bola ser de número divisível por 5 f) uma bola ser de número divisível por 3
g) uma bola ser de número divisível por 6 ou por 8 h) uma bola ser de número divisível por 4 e por 6

04) Uma moeda é lançada três vezes. Calcule a probabilidade de obtermos:


a)três coroas b)duas coroas e uma cara c)uma coroa somente
d)nenhuma coroa e)pelo menos uma coroa f)no máximo uma coroa
a) b) c) d) e) f)

05) Uma urna contém 4 bolas pretas, 3 bolas azuis e 5 bolas brancas. Qual é a probabilidade de:
COM REPOSIÇÃO SEM REPOSIÇÃO
a) Retirarmos uma preta e, depois desta, uma azul? d) idem ao item a
b) Retiramos uma azul, uma branca, outra branca? . e) idem ao item b
c) Retirarmos uma preta, uma branca, uma azul, uma preta nessa ordem f) idem ao item c

R E S P O S T A S:
RES
POS a b c d e f g h i j k l m n o
TAS
Baralho 26/52 36/52 20/52 18/52 8/52 16/52 8/52 4/52 12/52 6/52 4/52 4/52 2/52 1/52 1/52
Truco 20/40 24/40 12/40 12/40 6/40 16/40 8/40 4/40 12/40 6/40 4/40 4/40 2/40 0/40 1/40
Fictício 10/30 21/30 9/30 14/30 4/30 9/30 6/30 3/30 6/30 2/30 2/30 3/30 2/30 0/30 1/30

3a) 1/50 3b) 25/50 3c) 30/50 3d) 20/50 3e) 10/50 3f) 16/50 3g) 12/50 3h) 4/50
4a) 1/8 4b) 3/8 3c)3/8 4d) 1/8 4e) 7/8 4f) 4/8
4 3 3 5 5 4 5 3 4 4 3 3 5 4 4 5 3 3
5a) ⋅ 5b) ⋅ ⋅ 5c) ⋅ ⋅ ⋅ 5d) ⋅ 5e) ⋅ ⋅ 5f) ⋅ ⋅ ⋅
12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 11 12 11 10 12 11 10 9

B006) Considere uma urna com bolas numeradas de 1 a 12. Calcule a probabilidade de
retirarmos:
a)um número par b)um múltiplo de 3 c)um número par e múltiplo de 3
d)um número par ou múltiplo de 3 e)números não divisíveis por 2 e nem por 3.
a) b) c) d) e)

B6a) 6/12 6b) 4/12 6c) 2/12 6d) 8/12 6e) 4/12
B007) Uma urna contém 50 bolas idênticas. Sendo as bolas numeradas de 1 a 50, determine a probabilidade
de, em uma extração ao acaso: a)obtermos a bola de número 27 b)obtermos uma bola de número par
c) obtermos uma bola de número maior que 20 d) obtermos uma bola de número menor ou igual a 20
e) uma bola ser de número divisível por 5 f) uma bola ser de número divisível por 3
g) uma bola ser de número divisível por 6 e por 8 h) uma bola ser de número divisível por 6 ou por 8

- 49 -
i) uma bola ser de número divisível por 4 e por 6 j) uma bola ser um número não divisível nem por 3 e nem por 4

DEFINIÇÕES
Uma variável aleatória discreta ou admite um número finito de valores ou tem uma
quantidade enumerável de valores.
Uma variável aleatória contínua pode tomar um número infinito de valores, e esses
valores podem ser associados a mensurações em uma escala contínua, de tal forma que
não haja lacunas ou interrupções.
Exemplo
O número de espectadores que vêem um filme é um número inteiro, sendo, portanto,
uma variável aleatória discreta.
Além de identificar valores de uma variável aleatória, freqüentemente podemos
atribuir uma probabilidade a cada um desses valores. Quando conhecemos todos os valores
de uma variável aleatória juntamente com suas respectivas probabilidades, temos uma
distribuição de probabilidades.
Definição: Uma distribuição de probabilidades dá a probabilidade de cada valor de uma
variável aleatória.
Qualquer distribuição de probabilidades deve satisfazer as duas condições seguintes:
Condições para uma distribuição de probabilidades
ΣP(x) = 1 , onde x toma todos os valores possíveis e 0 ≤ P(x) ≤ 1 para todo x.
Exemplo : P(x) = x/5 ( onde x toma os valores 0, 1, 2, 3 ) define uma distribuição de
probabilidades?
Solução: Para que fique definida uma distribuição de probabilidades, devem ser
0 1 2 3 6
satisfeitas as duas condições anteriores ∑ P ( x) = P (0) + P (1) + P (2) + P (3) = + + + =
5 5 5 5 5
(mostrando que ΣP(x) ≠ 1)
Como a primeira condição não é satisfeita, concluímos que P(x) dada neste exemplo
não é uma distribuição de probabilidade.
Média, Variância e Desvio Padrão
Vimos que há três características extremamente importantes dos dados:
1. valor representativo como uma média
2. medida de dispersão ou variação, como um desvio padrão
3. natureza ou forma da distribuição, como forma de sino
O histograma de probabilidade permite-nos visualizar a natureza ou forma da
distribuição. A média, a variância e o desvio padrão traduzem outras características.
Média de uma distribuição de probabilidades µ = Σ x.P(x)
Variância para uma distribuição de probabilidades σ2 = Σ(x - µ)2.P(x)
Variância para uma distribuição de probabilidades σ2 = [Σx2.P(x)] - µ2
desvio padrão para uma distribuição de probabilidades σ = [∑ x .P( x)]− µ
2 2

VALOR ESPERADO MÚSICA

A média de uma variável aleatória discreta é o resultado médio teórico de um número


infinito de provas. Podemos encarar uma média como o valor esperado no sentido de que é
o valor médio que esperaríamos obter se as provas prolongassem indefinidamente.
Definição: O valor esperado de uma variável aleatória discreta é denotado por E e
representa o valor médio dos resultados.
É dado por E = Σ[x.P(x)]

- 50 -
Vemos que E = µ = n.p , isto é, a média de uma variável aleatória discreta coincide
com seu valor esperado.
A esperança pode ser considerado como E = n.p
(onde n é o tamanho da amostra e p é a probabilidade do sucesso)

DISTRIBUIÇÃO BINOMIAL
Vimos que uma variável aleatória associa um valor numérico a cada resultado de um
experimento aleatório e uma distribuição de probabilidade associa uma probabilidade a cada
valor de uma variável aleatória. Neste momento veremos como determinar as probabilidades
para uma categoria importante de distribuição de probabilidades: os experimentos binomiais. Os
experimentos binomiais têm a característica de apresentarem exatamente dois resultados
complementares: em processos industriais, as peças falham ou não falham. Na medicina, um
paciente sobrevive um ano, ou morre. Em propaganda, um consumidor reconhece um produto,
ou não.
Definição: Um experimento binomial é um experimento que satisfaz as seguintes
condições:
1. O experimento deve ser repetido, nas mesmas condições,
um número finito de vezes (n).
2. As provas repetidas devem ser independentes, isto é, o resultado de uma não deve afetar
os resultados das outras provas.
3. Em cada prova deve aparecer um dos dois possíveis resultados:
Sucesso e Não Sucesso (insucesso).
4. No decorrer do experimento, a probabilidade p do sucesso e a probabilidade q ( q = 1-p)
devem permanecer constantes para cada prova.
Se fizermos um experimento binomial, a distribuição da variável aleatória x é
chamada uma distribuição de probabilidade binomial (ou distribuição binomial). Usa-se
comumente a seguinte notação:
Notação para a Distribuição Binomial
S e F (sucesso ou falha) denotam as duas categorias possíveis de todos os
resultados : p e q denotam as probabilidades de S e F, respectivamente: assim,
P(S) = p e P(F) = 1 - p = q
n – representa o número fixo de provas.
x – representa um número específico de sucessos em n provas,
podendo ser qualquer inteiro entre 0 e n.
p – representa a probabilidade de sucesso em uma das n provas.
q – representa a probabilidade de falha em uma das n provas.
P(x) representa a probabilidade de obter exatamente x sucessos em n provas.
FÓRMULA DA PROBABILIDADE BINOMIAL
Em um experimento BINOMIAL, as probabilidades podem ser calculadas utilizando-se a
fórmula da probabilidade binomial
n!
P( x) = . p x .q n − x para x = 0, 1, 2, 3,...
(n − x)!.x!
onde:
n = número de provas
x = número de sucessos em n provas
p = probabilidade de sucesso em qualquer prova
q = probabilidade de falha em qualquer prova (q = 1-p)
O símbolo !, denota o produto de fatores decrescentes. ( n! = n.(n-1).(n-2)...1 )
Ou ainda o produtos de fatores crescentes n! = 1.2.3.4.5. ... .(n-2).(n-1).n

- 51 -
1º Exemplo
01) Uma moeda é lançada 5 vezes seguidas e independentes. Calcule a
probabilidade de serem obtidas 3 caras nessas 5 provas.
n=5 x=3 p =1/2 q=1/2
n!
P( x) = . p x .q n − x
x!(n − x)!
5 ⋅ 4 ⋅ 3!  1 
3 2 5
5! 1 1 1 10 5
P ( x = 3) = ⋅    = .  = 10 ⋅ = = = 0,3125 = 31,25%
3!(5 − 3)! 2 2 3!⋅2 ⋅1  2  32 32 16

K – CARA C – COROA.
1 K K K K K
2 K K K K C
3 K K K C K 1 K K K K
4 K K K C C →1 2 K K K C
5 K K C K K 3 K K C K
6 K K C K C →2 4 K K C C
7 K K C C K →3 5 K C K K
8 K K C C C 6 K C K C
9 K C K K K 7 K C C K
10 K C K K C →4 8 K C C C
11 K C K C K →5 9 C K K K
10 C K K C
12 K C K C C
11 C K C K
13 K C C K K →6
12 C K C C
14 K C C K C 13 C C K K
15 K C C C K 14 C C K C
16 K C C C C 15 C C C K
17 C K K K K 16 C C C C
18 C K K K C →7
19 C K K C K →8
20 C K K C C
21 C K C K K →9
22 C K C K C
23 C K C C K
24 C K C C C
25 C C K K K →10
26 C C K K C
27 C C K C K
28 C C K C C
29 C C C K K
30 C C C K C
31 C C C C K
32 C C C C C

- 52 -
2º Exemplo
Determine a probabilidade de obter 3 estudantes canhotos em uma turma de 15
estudantes, dado que 10% da população são canhotos. (Algumas carteiras são adaptadas
para estudantes canhotos, e a probabilidade resultante poderia afetar o número de tais
carteiras a serem encomendadas para as salas de aula.)
Solução: O experimento verifica as condições de uma distribuição binomial, pois:
1. O número de provas 15 é fixo.
2. As provas são independentes, porque o fato de um estudante ser canhoto ou destro não
afeta a probabilidade de outro estudante ser canhoto.
3. Cada prova tem duas categorias de resultados : o estudante é canhoto ou destro.
4. A probabilidade (0,10) permanece constante para os diferentes estudantes.
Tendo concluído que o experimento é binomial, passemos a identificar os valores de
n, x, p e q:
1. Com 15 estudantes em uma turma, temos n=15.
2. Queremos 3 estudantes Canhotos (sucessos), e assim x = 3.
3. A probabilidade de um estudante ser canhoto (sucesso) é 0,1 e, assim p = 0,1.
4. A probabilidade de falha (não-canhoto) é 0,9 , logo q = 0,9.
Aplicando a fórmula temos :
15!
P( x = 3) = .0,13.0,915 − 3 = (455).(0,001).(0,28429536) = 0,129
3!(15 − 3)!

BINOMIAL
02) A probabilidade de um investidor aplicar na 04) A probabilidade de um atirador acertar um alvo
BOVESPA e obter lucro é ¼ . Determine a de precisão é de 1/6. Se ele atirar 9 vezes, qual a
probabilidade de em 11 aplicações ele conseguir probabilidade de:
lucro em 4? Resposta: 17,207% a) acertar exatamente 2 tiros. (R. 0,2791)
b) no máximo 2 tiros (R. 0,82174)
03) A probabilidade de um atirador acertar o alvo é c) Pelo menos 3 tiros (R. 0,17826)
2/3. Se ele atirar 5 vezes, qual a probabilidade de d) No mínimo 7 tiros
acertar exatamente 3 tiros. (R. 0,000093871 ou 9,3871.10-5)
Resposta: 32,92%
05) Seis parafusos são escolhidos ao acaso da 7) Um teste consiste em 10 questões do tipo
produção de certa máquina, que apresenta 10% múltipla escolha, cada uma com 5 respostas
de peças defeituosas. Qual a probabilidade de possíveis. Para alguém que responda
serem defeituosos dois deles. (R. 0,098415) aleatoriamente (por palpite) todas as questões,
determine a probabilidade de passar, se o
06) Sete parafusos são escolhidos ao acaso da percentual mínimo para aprovação é 70%. A
produção de certa máquina, que apresenta 10% probabilidade é suficientemente elevada para
de peças defeituosas. Qual a probabilidade de justificar o risco de tentar passar por palpite em
serem defeituosos três deles. (R. lugar de estudar?
0,02296 ou 2,3%) (R. 0,0008643584 ou 0,08643584%)

8) Um teste consiste em 10 questões do tipo múltipla escolha, cada uma com 5 respostas possíveis. Para
alguém que responda aleatoriamente (por palpite) todas as questões, determine a probabilidade de
passar, se o percentual mínimo para aprovação é 60%. A probabilidade é suficientemente elevada para
justificar o risco de tentar passar por palpite em lugar de estudar?
0,0063693824
9) Uma companhia aérea adota a política de vender 15 passagens para um avião que dispõem de apenas
14 assentos. (A experiência passada mostra que apenas 85% dos que reservam lugar comparecem
efetivamente ao embarque). Determine a probabilidade de não haver assentos suficientes no caso da
companhia vender 15 passagens.

- 53 -
10) Em um estudo de reconhecimento de marca, 95% dos consumidores reconhecem Coke (com base em
dados da Total Research Corporation). Um pesquisador relata que em 15 consumidores selecionados
aleatoriamente apenas 10 reconhecem o nome Coke. Determine a probabilidade de um número tão baixo;
isto é, determine a probabilidade de obter no máximo 10 consumidores que reconhecem o nome Coke
dentre 15 consumidores selecionados aleatoriamente. Com base neste resultado, você acha que o
resultado representado pelo pesquisador possa ser conseqüência de mero acaso?
11) Os registros de uma pequena companhia indicam que 40% das faturas por ela emitidas são pagas
após o vencimento. De 14 faturas expedidas, determine a probabilidade de: a) Nenhuma ser paga com
atraso.
b) No máximo 2 serem pagas com atraso. c) Ao menos três serem pagas com atraso.
12) Uma firma imobiliária verificou que em cada 10 proprietários em perspectiva fará oferta para uma casa
se o agente voltar para uma Segunda visita. Em 10 casos, determine a probabilidade de nenhum fazer
oferta.
13) Pesquisa governamental recente indica que 80% das famílias de uma comunidade, que ganharam
mais de R$ 40.000,00 (renda bruta) no ano anterior, possuem dois carros. Supondo verdadeira esta
hipótese, e tomada uma amostra de 10 famílias dessa categoria, qual é a probabilidade de exatamente
80% da amostra terem dois carros?

DISTRIBUIÇÃO DE POISSON
A VIDA É BOA POR DUAS COISAS, DESCOBRIR MATEMÁTICA E ENSINAR MATEMÁTICA.
POISSON
O ESTUDO PROFUNDO DA NATUREZA É A FONTE MAIS RICA DE DESCOBERTAS MATEMÁTICAS.
FOURIER
Quando n→∞ e p→0, de tal sorte que o valor esperado E(X)= n.p→λ, sendo λ > 0, é
possível mostrar que:

 n  x n− x n→∞ e − λ .λ x
 . p .q , x=0, 1, 2, 3, . . .
p→0 x!
 x n.p → λ
Definição: A distribuição de Poisson é uma distribuição discreta de probabilidade, aplicável a
ocorrências de um evento em um intervalo especificado. A variável aleatória x é o número de ocorrências
do evento em um intervalo. O intervalo pode ser o tempo, a distância, a área, o volume ou outra unidade
análoga. A probabilidade de o evento ocorrer x vezes em um intervalo é dada pela fórmula:
µ x .e − µ λk .e − λ
p ( x) = ou p( x = k ) ≅
x! k!
onde : µ é a média ; e
= 2.71828182845904523536028747135266...
Para uma distribuição discreta (Binomial ou Poisson) podemos utilizar as fórmulas reduzidas abaixo para
cálculo da média, variância e desvio padrão.
média : µ = n.p ou n.p =λ variância : σ2 = n.p.q desvio padrão : σ = n. p.q
A DISTRIBUIÇÃO DE POISSON EXIGE:
1º)Que a variável aleatória x seja o número de ocorrências de um evento em um intervalo.
2º) Que as ocorrências sejam aleatórias.
3º) Que as ocorrências sejam independentes umas das outras.
4º) Que as ocorrências sejam distribuídas uniformemente sobre o intervalo considerado.
OBS: Em geral, a aproximação é boa quando p≤ ≤1 e µ ≤5.

A distribuição de POISSON DIFERE DA BINOMIAL em dois aspectos importantes:


1º) . A distribuição binomial é afetada pelo tamanho amostral n e pela probabilidade p,
enquanto a distribuição de Poisson é afetada apenas pela média µ.

- 54 -
2º) . Em uma distribuição binomial, os valores possíveis da variável aleatória x são
0,1,2,...,n , enquanto em uma distribuição de Poisson os valores possíveis de x são 0,1,2,3,...
sem limite superior.

POISSON
1) Se a probabilidade de um indivíduo sofrer 2) Se a probabilidade de um indivíduo sofrer
alergia resultante da injeção de um determinado alergia resultante de um determinado produto F
soro, 0,0023, determine: de limpeza é 0,006, determine a probabilidade de,
a) a probabilidade de, entre 1600 pessoas, entre 1500 pessoas, exatamente 4 sofrerem
exatamente 3 sofrerem reação. Resposta: 0,2095 reação. Resposta: 3,37%
b) no mínimo 4 sofrerem reação Resposta 0,5017
3) Uma transportadora opera uma grande frota de 4) Uma transportadora opera uma grande frota de
caminhões . No ano passado, houve 84 casos de caminhões . No ano passado, houve 117 casos
avaria. de avaria.
A) Determine o número diário médio de avarias. A) Determine o número diário médio de avarias.
(Considere 1 ano = 365 dias) (Considere 1 ano = 365 dias)
B) determine a probabilidade de dois caminhões B) determine a probabilidade de três caminhões
apresentarem avaria em um dia selecionado apresentarem avaria em um dia selecionado
aleatoriamente; aleatoriamente.
Respostas: A) µ = 0,23 B) 2,10% Respostas: A) µ = 0,32 B) 0,39%

Exercícios - Poisson
05) Dez por cento das ferramentas produzidas por um certo processo de fabricação revelaram-se
defeituosas. Determinar a probabilidade de, em uma amostra de 10 ferramentas escolhidas ao acaso,
exatamente duas serem defeituosas, mediante o emprego: a) da distribuição binomial; b) da aproximação
de Poisson para essa distribuição.
06) Está sendo planejado um novo hospital para uma comunidade que ainda não tem hospital próprio. Se
nesta comunidade tem em média 2,25 nascimentos por dia, determine a probabilidade de que,
em um dia, o número de nascimentos seja 0, 1, 2.,3 ou 4. P(x=4) = 0,11255
07) Se a probabilidade de um indivíduo sofrer uma reação nociva, resultante da injeção de um
determinado soro, é 0.001, determinar a probabilidade de, entre 2000 indivíduos:
a) exatamente 3 sofrerem reação. (distribuição de Poisson) 0,1804
b) mais do que 2, sofrerem reação. (distribuição de Poisson) 0,3233.
08) Se 3% das lâmpadas elétricas fabricadas por uma companhia são defeituosas, determinar a
probabilidade de , em uma amostra de 100 lâmpadas, serem defeituosas : a) zero lâmpada b) uma
lâmpada c) duas lâmpadas d) três lâmpadas e) quatro lâmpadas f) cinco lâmpadas

09) Suponhamos que os navios cheguem a um porto à razão de µ = 2 navios/hora, e que essa razão seja
bem aproximada por um processo de Poisson. Observando o processo durante um período de meia hora
(t =0,5), determine a probabilidade de: a) não chegar nenhum navio b) chegarem 3 navios
10) Suponhamos que os defeitos em fios para tear possam ser aproximados por um processo de Poisson,
com média de 0,2 defeitos por metro (µ= 0,2). Inspecionando-se pedaços de fio de 6 metros de
comprimento, determine a probabilidade de menos de 2 (isto é, 0 ou 1) defeitos.
11) As chamadas de emergência chegam a uma delegacia de polícia à razão de 4 por hora no período de
1 às 6 da manhã em dias úteis, e podem ser aproximadas por uma distribuição de Poisson.
A) Quantas chamadas de emergência são esperadas num período de 30 minutos?
B) Qual a probabilidade de nenhuma chamada num período de 30 minutos?
C) Qual a probabilidade de ao menos 2 chamadas no mesmo período?
12) Os defeitos em rolos de filme colorido ocorrem à razão de 0,1 defeito/rolo, e a distribuição dos defeitos
é a de Poisson. Determine a probabilidade de um rolo em particular conter um ou mais defeitos.

- 55 -
MAIS EXERCÍCIOS DE BINOMIAL+POISSON
13) Uma cooperativa 14) Na fabricação de pentes de memória para
agrícola afirma que 89% das montagem de computadores aparecem fora do padrão
melancias vendidas por ela ao acaso, um a cada 150. Supondo-se a distribuição de
estão maduras e prontas POISSON para pentes fora do padrão, qual a
para consumo. Supondo-se probabilidade de que na produção de 645 pentes de
a distribuição BINOMIAL, memória:
determine a probabilidade de a) o valor da média R. µ =4,3
que, dentre 14 melancias b) Não haja pentes fora do padrão R. 0,01356856
despachadas: c) Aconteçam exatamente quatro pentes fora do padrão.
a) exatamente 11 estejam R. 0,19328418
maduras e prontas para o d) Aconteçam pelo menos quatro pentes fora do padrão.
consumo. R. 0,134452695 R. 0,62284607
b) no máximo 11 estejam e) Num período de 90 dias de trabalho a produção diária
maduras e prontas para é de 252 pentes. Em quantos dias haverá uma produção
consumo. sem nenhum defeito?
R. 0,193872721 µ =1,68 R. 0,18637398*90 = 16,77 dias
c) no mínimo 11 estejam f) Num período de 90 dias de trabalho a produção diária
maduras e prontas para é de 252 pentes. Em quantos dias haverá uma produção
consumo. com no máximo um defeito? R. µ =1,68
R. 0,940579974 0,49948226*90 = 44,95 dias

15) Uma cooperativa 16) Na fabricação de pentes de memória para


agrícola afirma que 92% das montagem de computadores aparecem fora do padrão
melancias vendidas por ela ao acaso, um a cada 250. Supondo-se a distribuição de
estão maduras e prontas POISSON para pentes fora do padrão, qual a
para consumo. Supondo-se probabilidade de que na produção de 795 pentes de
a distribuição BINOMIAL, memória:
determine a probabilidade de a) o valor da média Resp. µ =3,18
que, dentre 17 melancias b) Não haja pentes fora do padrão
despachadas: Resp. 0,041585655
a) exatamente 14 estejam c) Aconteçam exatamente quatro pentes fora do padrão.
maduras e prontas para o Resp. 0,177190644
consumo. Resp. d) Aconteçam pelo menos quatro pentes fora do padrão.
0,108344896 Resp. 0,393025259
b) no máximo 14 estejam e) Num período de 95 dias de trabalho a produção diária
maduras e prontas para é de 455 pentes. Em quantos dias haverá uma produção
consumo. sem nenhum defeito?
Resp. 0,150269304 µ =1,82 Resp. 0,162025751*95 = 15,39 dias
c) no mínimo 14 estejam f) Num período de 95 dias de trabalho a produção diária
maduras e prontas para é de 455 pentes. Em quantos dias haverá uma produção
consumo. com no máximo um defeito?
Resp. 0,958075592 Resp. µ =1,82 0,456912618*95 = 43,41 dias

- 56 -
O número de EULER
n
 1
e = lim 1 + 
n →∞  n

Leonhard Euler, nasceu em Basiléia, Suíça no dia 15 de abril de 1707, e morreu em 18 de setembro de
1783. Foi o matemático mais prolífico na história. Em 1735 perdeu a visão do olho direito mas suas
pesquisas continuaram intensas chegando a escrever até mesmo enquanto brincava com seus filhos.
Euler ocupou-se de quase todos os ramos da matemática Pura e Aplicada sendo o maior responsável
pela linguagem e notações que usamos hoje; foi o primeiro e empregar a letra e como base do sistema
de logaritmos naturais, a letra grega π para razão entre comprimento e diâmetro da circunferência e o
símbolo i para − 1 . Deve-se a ele também o uso de letras minúsculas designando lados do triângulo e
maiúsculas para seus ângulos opostos; simbolizou logaritmo de x por ln x, usou Σ para indicar adição e
f(x) para função de x, além de outras notações em Geometria, Álgebra, Trigonometria e análise.

Para n= 1 e=2
Para n= 2 e = 2,25
Para n= 3 e = 2,37037037 ...
Para n= 4 e = 2,44140625
Para n= 5 e = 2,48832
Para n= 6 e = 2,52162637 1742112482 8532235939 6433
Para n= 7 e = 2,54649969 7040713113 9479055738 4375
Para n= 8 e = 2,56578451 3950347900 390625
Para n= 9 e = 2,58117479 1713197181 9900315081 1675
Para n= 10 e = 2,59374246
Para n= 50 e = 2,69158802 9073605393 8940873551 5326
Para n= 100 e = 2,70481382 9421526093 2671947108 0753
Para n= 500 e = 2,71556852 0651725929 5998493080 5718
Para n= 1000 e = 2,71692393 2235892457 3830881219 4758
Para n= 10000 e = 2,71814592 6825224864 0376646749 1315
Para n= 100000 e = 2 ,718268237 1744896680 3506482442 605
Para n= 1000000 e = 2,718280469 3193768838 1979970845 436
Para n= 10000000 e = 2,71828169 2544966271 1985502257 7777 MVR

Para n → ∞ e = 2,71828182845904523536028747135266...

- 57 -
O Pi na Bíblia
Fez também o mar de fundição, de dês côvados duma borda até a outra, e de cinco
de alto; e um fio de trinta côvados era a media de sua circunferência.
II Crônicas 4.2 .
(1 côvado = distância da ponta do dedo ao cotovelo = 46 cm, e para o profeta Daniel 56 cm)

Em 1999, Yasumasa Kanada e Daisuke Takahashi da Universidade de Tóquio,


calcularam o π com 206.158.430.000 casas.
π =3,1415926535897932384626433832795...
MVR
Curiosidade: Record
Sábado, 2 de julho de 2005, 03h17 Atualizada às 11h43.
Japonês bate recorde de memorização do número "Pi"
O psiquiatra japonês Akira Haraguchi, 59 anos, bateu o recorde mundial de memorização do número
"Pi" (3,1415...), depois de decorar 83,431 mil decimais. Ele demorou 13h para dizer todos os decimais num
local público de Kisarazu, ao sul de Tóquio. O recorde anterior, segundo o livro Guinness dos recordes, era de
42,195 mil decimais.
O número Pi representa a relação entre a extensão de uma circunferência e seu diâmetro. Por ser
irracional, tem infinitos algarismos que não se repetem periodicamente.
Haraguchi já havia batido a marca em setembro passado com 54 mil decimais, mas a façanha não foi
homologada porque ele ultrapassou o tempo limite estabelecido pelos organizadores.

N O V O R E C O R D DO P I
Dezembro/2007 – Fonte www.terra.com.br

Colombiano bate recorde ao dizer 150 mil dígitos do número Pi O colombiano Jaime García bateu hoje
o recorde mundial ao conseguir dizer, de cor, mais de 150 mil decimais do número Pi diante de alunos da
Faculdade de Matemática da Universidade Complutense de Madri. Conhecido como "o computador humano",
Jaime García enfrentou desafios como descobrir a décima terceira raiz de um número de cem dígitos em 0,15
segundos e o cálculo de 1 milhão de anos do calendário Gregoriano. Façanhas como esta colocaram-no cinco
vezes no Guinness World Records, o livro dos recordes, e ele pretende ser incluído novamente. Para atingir o
novo recorde, García disse que chegou a treinar "até 14 horas por dia" nos últimos meses. "Comecei pouco a
pouco, todos os dias aprendia cem ou 150 números". Olhar um número de 200 dígitos e memorizá-lo em uma
só olhada, repetindo-o da esquerda para direita e da direita para a esquerda, foi um exercício útil para o
desafio de hoje. García mostrou-se relaxado e concentrado diante do público, que assistia atônito aos
sucessivos cálculos mentais, e sob o olhar atento de dois observadores que anotavam e revisavam os
números. Foram necessárias 652 folhas para anotar todos os dígitos que García ia dizendo e que o público
acompanhava em uma projeção. O "computador humano" precisou de três dias para chegar ao fim. A partir da
quarta página, García passou a ser examinado por membros da platéia, até que provou ser capaz de
memorizar 151.204 números do Pi. O desafio foi verificado por dois observadores que assinaram o documento
a ser enviado ao Guinness para que o novo recorde seja reconhecido como de García. Objetivo atingido, o
colombiano quer descansar. "Agora vou desligar de tudo e vou descansar, passear e não pensar em nada",
disse à EFE.
O próximo desafio já sabe qual será: calcular calendários com 14 dígitos.
"Atualmente, detenho o recorde de calcular até um milhão de anos, mas já posso calcular os calendários de
trilhões e agora será um número com 14 dígitos", disse. Para García, "a matemática é um jogo". Ele incentiva
todos a aprender a desfrutar dos números, acrescentando que qualquer pessoa pode conseguir. "Eu não sou
nenhum gênio, nem um ser superdotado, mas foi a frequência e a perseverança que me fizeram chegar
até aqui", concluiu. EFE. Agência EFE S/A.

- 58 -
O número pi – Cronologia
Bíblia: 1 Reis 7, 23: “Hiram fez ainda o mar, todo de metal fundido, com 5 cúbitos de diâmetro. Era
redondo, tinha dois cúbitos e meio de altura [semi-esfera], e dua circunferência tinha 15
cúbitos”.
Bíblia: 2 Crônicas 4, 1-2: “Salomão mandou fazer também um altar de bronze com 10 cúbitos de
comprimento por 10 de largura e cinco de altura. Fez também o mar de metal fundido,
redondo, com 5 cúbitos de diâmetro e dois cúbitos e meio de altura, com 15 de
circunferência”.
Baseado nestes textos fica evidente que no tempo de Salomão, cerca de 1000 anos a.C., os hebreus
usavam o número 3 para pi. Mesmo para a época este valor seria uma aproximação algo grosseira, pois
os egípcios e os mesopotâmicos já usavam o valor 256/81 = 3,16 para pi, valor que aparece no papiro
egípcio de cerca de 1600 anos a.C., conhecido como papiro de Rhind.
Os primeiros cálculos teóricos procurando o número pi através da razão entre o perímetro e o
diâmetro de um círculo são devidos a Archimedes de Saracura (287-212 a.C.). Ele obteve um
intervalo onde deveria estar o número pi: 223 / 71 < pi < 22 / 7
Se tomarmos a média, o valor de pi seria 3123/994 = 3,14185, que comparado com 3,14159 (exato
até a 5a casa) daria um erro de 0,0083%!
Os outros valores de pi, que foram “publicados” e que tiveram destaque ao longo da História foram:
Autor Época Valor
01) al-Khwarizmi ≈ 800 a.C. 3.1416
02) Tsu Ch'ung Chi 430-501 a.C. 355/113 = 3,14159
03) Ptolomeu ≈ 150 a.C. 3.1416
04) al-Kashi ≈ 1430 14 dígitos
05) Viète 1540-1603 9 dígitos
06) Roomen 1561-1615 17 dígitos
07) Van Ceulen ≈ 1600 35 dígitos
Como observação adicional, Al-Khwarizmi viveu em Bagdá e o termo algarismo é derivado do seu
nome. Note a semelhança do seu nome com a palavra algarismo.
Na Europa renascentista, na segunda metade do século XXVII um produto e uma soma de infinitos
termos foram estabelecidas para o valor de pi:
08) Produto de Wallis (1616-1703) π = 2 × 2 × 4 × 4 × 6 × 6 × 8 × 8 × 10 × L
2 1 3 3 5 5 7 7 9 9
π 1 1 1 1
09) E a seqüência mais conhecida: =1− + − + −L
4 3 5 7 9
Esta fórmula muitas vezes é atribuída a Leibniz (1646-1716), mas é certo que James Gregory (1638-
1675) já tinha descoberto esta seqüência.
Autor Época Valor Colaboração:
10) Sharp 1699 71 dígitos
11) Machin 1701 100 díditos Prof. Dr. José
12) de Lagny 1719 112 dígitos Luiz S. de Arruda
12) Veja 1789 126 dígitos SERRA
13) Veja 1794 136 dígitos 24/05/05.
14) Rutherford 1841 152 dígitos
15) Rutherford 1853 440 dígitos
16) Shanks 1873 707 dígitos (527 corretos)
17) Computador 1949 2000 dígitos

O dia do Pi March, 14 nos EUA ou 22 de julho (22/7) no Brasil

- 59 -
O número de Ouro
ϕ = 1,61803398 8749894848 2045868343 6564...
1 = 0,61803398 8749894848 2045868343 65638...
ϕ
Seqüência de Fibonacci(século XIII) 1,6180339887498900

1
1 1/1= 1,0000000000000000
2 2/1= 2,0000000000000000
3 3/2= 1,5000000000000000
5º) 5 5/3= 1,6666666666666700
8 8/5= 1,6000000000000000
13 13/8= 1,6250000000000000
21 21/13= 1,6153846153846200
34 34/21= 1,6190476190476200
10º) 55 55/34= 1,6176470588235300
89 89/55= 1,6181818181818200
144 144/89= 1,6179775280898900
233 233/144= 1,6180555555555600
377 377/233= 1,6180257510729600
15º) 610 610/377= 1,6180371352785100
987 987/610= 1,6180327868852500
1597 1597/987= 1,6180344478216800
2584 2584/1597= 1,6180338134001300
14181 4181/2584= 1,6180340557275500
20º) 6765 6765/4181= 1,6180339631667100
10946 10946/6765= 1,6180339985218000
17711 17711/10946= 1,6180339850173600
28657 28657/17711= 1,6180339901756000
46368 46368/28657= 1,6180339882053200
25º) 75025 75025/46368= 1,6180339889579000
121393 121393/75025 1,6180339886704400
196418 196418/121393= 1,6180339887802400
317811 317811/196418= 1,6180339887383000
514229 514229/317811= 1,6180339887543200
30º) 832040 832040/514229= 1,6180339887482000
1346269 1346269/832040= 1,6180339887505400
2178309 2178309/1346269= 1,6180339887496500
3524578 3524578/2178309= 1,6180339887499900
5702887 5702887/3524578= 1,6180339887498600
35º) 9227465 9227465/5702887= 1,6180339887499100

- 60 -
14930352 14930352/9227465= 1,6180339887498900
24157817 24157817/14930352= 1,6180339887499000
39088169 39088169/24157817= 1,6180339887498900
63245986 63245986/39088169= 1,6180339887499000
40º) 102334155 102334155/63245986= 1,6180339887498900
165580141 165580141/102334155= 1,6180339887498900
267914296 267914296/165580141= 1,6180339887498900
433494437 433494437/267914296= 1,6180339887498900
701408733 1,6180339887498900
45º) 1134903170 1,6180339887498900
1836311903 1,6180339887498900
2971215073 1,6180339887498900
4807526976 1,6180339887498900
7778742049 1,6180339887498900
50º) 12586269025 1,6180339887498900
20365011074 1,6180339887498900
32951280099 1,6180339887498900
53316291173 1,6180339887498900
86267571272 1,6180339887498900
55º) 139583862445
5 +1
A equação x2-x -1=0 tem solução ϕ=
2

ϕ = 1,61803398874989484820458683436564...
1
= 0,618033988749894848204586834365638...
ϕ
1 − 0,618033988749894848204586834365638... = 0,381966011250105151795413165634362...
f54 86267571272
= = 1,61803398874989484820442951030922
f53 53316291173

ϕ
1,61803398874989484820458683436564...
(55º) 139583862445 / (54º) 86267571272
1,61803398874989484820464692680794
somente depois da 21ª casa vai mudar

- 61 -
x

5 +1 1
Número de ouro: Φ = =
21 1-x
5 +1 f 1
= lim n = Φ
2 n→ ∞ f
n-1
QUESTÃO 01
x 1
Número de ouro é a raiz x da equação(considerando x > 1) = .que equivale
1 x −1
1 x
a equação x 2 − x − 1 = 0 ou se considerarmos 1 > x temos = que equivale a equação
x 1− x
x 2 + x − 1 = 0 temos o valor do inverso do número de ouro.
Exercícios:
Mostre que o valor d e x pode ser também dado por

x = 1+
1
ou x = 1 + 1 + 1 + ... .
1
1+
1
1+
1 + ...

5 +1
= 1,61803398874989484820458683436564... .
2
5 −1
= 0,618033988749894848204586834365638...
2
ANATOMIA
Leonardo da Vinci, em seus estudos de Anatomia, trabalhou com um modelo padrão (O
canon) para a forma de um ser humano, utilizando VITRÚVIO como modelo. Tais dimensões
aparecem na gravura abaixo. A notação a : b :: c : d é uma proporção.

- 62 -
DIMENSÕES ÁUREAS NO HOMEM

Faça uma análise com o uso da gravura abaixo para observar como um ser
humano se adapta às dimensões áureas.

Extraído:

http://pessoal.sercomtel.com.br/matematica/alegria/fibonacci/seqfib2.htm

- 63 -
ANÁLISE DE CORRELAÇÃO
O objetivo do estudo correlacional é a determinação da força do relacionamento entre
duas observações emparelhadas. O termo "correlação" significa literalmente "co-
relacionamento", pois indica até que ponto os valores de uma variável estão relacionadas
com os de outra. Há muitos casos em que pode existir um relacionamento entre duas
variáveis. Consideremos, por exemplo, questões como estas:
• A idade e a resistência física estão correlacionadas?
• Pessoas de maior renda tendem a apresentar melhor escolaridade?
• Temperatura parece influenciar a taxa de criminalidade?
• Estudantes com maior capacidade de leitura tendem a obter melhores resultados em
cursos de matemática?
Problemas como como esses se prestam à análise de correlação. O resultado de tal
análise é um coeficiente de correlação - um valor que quantifica o grau de correlação.

Cálculo do Coeficiente de Correlação Linear


O coeficiente de correlação linear é um número que mede o grau de correlação entre
as duas variáveis e, segundo veremos pelos cálculos, ele tem as seguintes
propriedades:
• varia entre -1 e +1;
• se for igual a +1, a correlação é positiva perfeita;
• se for igual a -1, a correlação é negativa perfeita;
• ser for igual a zero, a correlação é nula.

Exemplo 1
Considere os seguintes dados:

x y Diagrama de Dispersão
1 6
2 8 15
3 10
4 12 10
5 14
5

0
0 1 2 3 4 5 6

Inicialmente, calculemos a média e o desvio-padrão de cada variável:


x=3 σ x = 2 = 1,414
y = 10 σ y = 8 = 2,828
Cálculo do coeficiente de correlação:
20
∑ ( x − x)( y − y) COV ( x, y ) 4 4
r=
COV ( x, y )
= n r= = 5 = = =1
σ x .σ y σ x .σ y 2. 8 16 4
∑ ( x − x) 2

.
∑ ( y − y) 2

n n

- 64 -
este valor é o que deveríamos esperar para o resultado do coeficiente de correlação
positiva perfeita.

Exemplo 2
Considere os seguintes dados:

x y Diagrama de Dispersão
1 12
2 9 15
3 6 10
4 3
5 0 5

0
0 1 2 3 4 5 6
Inicialmente,
calculemos a média e o desvio-padrão de cada variável:
x = 3 σ x = 2 = 1,414 ...
y=6 σ y = 18 = 4,243 ...
Cálculo do coeficiente de correlação:
− 30
∑ ( x − x)( y − y) COV ( x, y ) −6 −6
COV ( x, y ) n r= = 5 = = = −1
r= =
σ x .σ y σ x .σ y 6
∑ ( x − x ) 2

.
∑ ( y − y) 2 2 . 18 36
n n
este valor é o que deveríamos esperar para o resultado do coeficiente de correlação
negativa perfeita.
Pode-se calcular o coeficiente de correlação linear por intermédio de uma expressão
derivada das anteriores, onde não há necessidade de conhecimento prévio da média nem
das diferenças. Trata-se da expressão apresentada a seguir, a qual é um pouco mais "feia",

∑ xy − ∑ n∑
x y
porém bem mais prática: r =

∑ x −
2 (∑ x) 
2

 ∑ y −
2 (∑ y) 
2


 n 

n 

Exemplo 3
Calculemos o coeficiente de correlação linear para o conjunto de valores plotados no
gráfico abaixo, utilizando a expressão acima.

Diagrama de Dispersão

7
6
5
4
3
2
1
0
0 20 40 60 80 100

- 65 -
x y xy x2 y2
10 1 10 100 1
70 4 280 4900 16
60 4 240 3600 16
50 2 100 2500 4
90 6 540 8100 36
20 3 60 400 9
30 1 30 900 1
30 2 60 900 4
40 4 160 1600 16
70 3 210 4900 9
40 2 80 1600 4
80 6 480 6400 36
60 5 300 3600 25
50 5 250 2500 25
80 5 400 6400 25
780 53 3200 48400 227

Portanto:

∑ xy − ∑ n∑
x y (780)(53)
3200 −
r= r= 15 = 0,79
 ( x) 
2
2
( y ) 
∑ x − ∑  ∑ y − ∑ 2
2
 (780)  
2
(53) 2 
48400 − 15  227 − 15 
 n  n    
  

Regressão
Em muitas pesquisas estatísticas, o objetivo principal é estabelecer relações que possibilitem predizer
uma ou mais variáveis em termos de outras. Assim é que se fazem estudos para predizer as vendas futuras de
um produto em função do seu preço, ou a perda de peso de uma pessoa em decorrência do número de
semanas que se submete a uma dieta, ou despesa de uma família com médico e remédio em função de sua
renda
Para conhecermos a finalidade e a utilização do modelo de regressão, iremos compor uma série de
conjuntos de variáveis. Utilizando simplesmente a intuição, será conveniente examinar o comportamento de
cada variável do conjunto, bem como tentar formar idéias da existência da relação funcional entre as seguintes
variáveis:
A = {peso e altura}
B = {preço de residências, idade da residência}
C = {gastos da família, número de pessoas, renda}
D = {propaganda, preço, vendas de um produto}
E = {produção do ano, quantidade de adubo}
F = {resistência de um concreto, relação água/cimento}
De maneira geral, gostaríamos de encontrar alguma forma de medir a relação entre as variáveis de
cada conjunto, de tal modo que essa medida pudesse mostrar:
1º) se há relação entre as variáveis e, caso afirmativo, se é fraca ou forte;
2º) que, se essa relação existir, estabeleceremos um modelo que interprete a relação funcional existente entre
as variáveis;
3º) que, construído o modelo, usá-lo-emos para fins de predição.
A análise de regressão, constitui num conjunto de métodos e técnicas para o estabelecimento
de fórmulas empíricas que interpretem a relação funcional entre variáveis com boa aproximação.

- 66 -
Modelos de Regressão
REGRESSÃO LINEAR REGRESSÃO POTÊNCIA REGRESSÃO POLINOMIAL
REGRESSÃO EXPONENCIAL REGRESSÃO LOGARÍTMICA

Regressão Linear
O fato de que duas variáveis apresentem um alto grau de correlação linear significa que, à
medida que vamos percorrendo os valores de uma delas, automaticamente os valores
correspondentes da outra variável vão surgindo. É como dizer que, se ordenarmos uma fila um
determinado número de pessoas de acordo com as suas alturas, provavelmente também estaremos
ordenando-as de acordo com os seus pesos.
O nosso objetivo, nesse momento, é, descobrir o peso de uma dessas pessoas na fila,
sabendo apenas a sua altura. Para tanto, precisamos encontrar a regra ou a equação que relaciona
os pesos às alturas dessas pessoas, traduzindo desta maneira o grau de dependência entre elas. A
esta equação daremos o nome de equação de regressão, que passará a denominar-se de equação
de regressão linear se a correlação entre as variáveis for do tipo reta.

O Método dos Mínimos Quadrados


O método mais usado para ajustar um linha reta a um conjunto de pontos é conhecido como
técnica dos mínimos quadrados. A reta resultante tem duas características importantes:
1) a soma dos desvios verticais dos pontos em relação à reta é zero;
2) a soma dos quadrados desses desvios é mínima (isto é, nenhuma outra reta daria menor soma de
quadrados de tais desvios).
Simbolicamente, o valor que é minimizado é
Σ(yi – yc)2 = Σ[y – (ax + b)] 2
onde
yi – um valor observado de y;
yc – o valor calculado de y utilizando-se a equação de mínimos quadrados com o valor
de x correspondente a yi.
Os coeficientes a e b da equação da reta yc = ax + b que minimiza a soma dos quadrados
dos desvios são as soluções das chamadas “equações normais”:
Σy = a(ΣΣx) + n.b
Σxy = a(Σ
Σx2) + b(ΣΣx)
onde n é o número de pares de observações.

Regressão Múltipla
Embora haja muitos problemas em que uma variável pode ser predita com bastante precisão
em termos de outra, é claro que as predições devem melhorar se levarmos em conta informações
adicionais importantes. Por exemplo, devemos poder fazer melhores predições sobre o desempenho
de professores recém-contratados, se levarmos em consideração não somente sua formação, mas
também seu tempo de experiência e sua personalidade. Poderemos também fazer melhor predição
do sucesso de um novo livro se considerarmos, não só a qualidade do trabalho, mas também o
potencial de procura e a concorrência.
Há muitas fórmulas matemáticas que podem servir para expressar relações entre mais de
duas variáveis, mas as mais comumente usadas em estatística são equações lineares da forma
y = b0+b1x1+b2x2+...+bkxk
O problema da determinação de uma equação linear em mais de duas variáveis, que melhor
descreva determinado conjunto de dados, consiste em achar valores numéricos de b0,b1,b2,..,bk, o
que se consegue, em geral, aplicando-se o método dos mínimos quadrados.
O problema da determinação dos coeficientes da equação b0,b1,b2,..,bk é o mesmo que o
caso de duas variáveis, mas as soluções manuais podem ser muito trabalhosas porque o método
dos mínimos quadrados exige a resolução de tantas equações normais quantas são as constantes
desconhecidas.

- 67 -
COEFICIENTE DE CORRELAÇÃO LINEAR
O coeficiente de correlação linear r mede o grau de relacionamento linear entre os valores
emparelhados x e y em uma amostra. Calcula-se seu valor com auxílio da Fórmula seguinte. [O
coeficiente de correlação linear é chamado às vezes coeficiente de correlação momento-produto
de Pearson, em homenagem a Karl Pearson(1857-1936), que o estabeleceu.]
n∑ xy − (∑ x)(∑ y )
r=
( n( ∑ x 2 ) − (∑ x ) 2 ) ∗ ( n( ∑ y 2 ) − ( ∑ y ) 2 )
r - representa o coeficiente de correlação linear para uma amostra
ρ - representa o coeficiente de correlação linear para uma população
Se o valor de r está próximo de 0, concluímos que não há correlação significativa entre x e y, mas se r
está próximo de –1 e +1, concluímos pela existência de correlação linear significativa entre x e y. Como a
interpretação da expressão “próximo de” 0, ou 1, ou –1 é vaga, adotaremos o critério de decisão seguinte,
bastante específico:
Se o módulo do valor calculado de r excede o valor na Tabela de PEARSON (A-6)
concluímos que há correlação linear significativa. Em caso contrário, não há evidência
suficiente para apoiar a existência de uma correlação linear significativa
2
Agora veremos o COEFICIENTE DE DETERMINAÇÃO r , que é o valor da variação de y que é
2
explicado pela reta de regressão. Podemos calcular r tanto pela definição, como simplesmente elevando ao
quadrado o coeficiente de correlação linear r, obtido pela fórmula já dada. Como exemplo, se r = 0,8, o
2
coeficiente de determinação é r = 0,64, o que significa que 64% da variação total de y podem ser explicados
pela reta de regressão. Decorre que 36% (ou seja, 100 – 64) da variação total de y permanecem não-
explicados.

Regressão Linear
Valores Críticos do
Método dos Mínimos TABELA
Quadrados MVR 04/02/07 Coeficiente de
20h15 Correlação r de
Seja y = Ax + B A-6 PEARSON
A – coeficiente ângular Página 236-237 n α = 0,05 α = 0,01
B – coeficiente linear 4 0,950 0,999
(intercepta y) 5 0,878 0,959
do Triola 6 0,811 0,917
7 0,754 0,875
n(∑ xy ) − (∑ x)(∑ y ) 8 0,707 0,834
A=
n(∑ x 2 ) − (∑ x ) 2
9 0,666 0,798
|rTeste| > rCrítico 10 0,632 0,765

∑ y − A∑ x
11 0,602 0,735
B= ⇒ Há
12
13
0,576
0,553
0,708
0,684
n
correlação 14 0,532 0,661
ou B = y − Ax 15 0,514 0,641

onde y=
∑y e x=
∑x 16
17
0,497
0,482
0,623
0,606
n n 18 0,468 0,590
19 0,456 0,575
20 0,444 0,561
Em geral 25 0,396 0,505
30 0,361 0,463
r=1 Correlação perfeita e positiva 35 0,335 0,430
r = -1 Correlação perfeita e negativa 40 0,312 0,402
r=0 Não há correlação 45 0,294 0,378
50 0,279 0,361
0 ,6 ≤ r ≤ 1 Há correlação significativa 60 0,254 0,330
0 ,3 ≤ r ≤ 0 ,6 Há correlação fraca 70 0,236 0,305
80 0,220 0,286
90 0,207 0,269
100 0,196 0,256
NOTA: Para testar H0: ρ = 0 contra H1: ρ ≠ 0,
- 68 - rejeite H0 se o valor absoluto de r é maior do
que o valor crítico na tabela.
Exercícios utilizando a Tabela Auxiliar para Cálculo do Coeficiente de
Correlação Linear(R) e Regressão Linear-
(Fonte: Triola, Introdução à Estatística , páginas243 e 249)
NOS EXERCÍCIOS 5 A 12:
a) Construa o diagrama de dispersão;
b) Determine o valor do coeficiente de correlação linear r, coeficiente de determinação r²,
Interprete-o!;
c) Determine se há correlação linear significativa entre as duas variáveis (Utilize
somente α = 0,05);
d) Em cada caso, determine a equação de regressão linear (considere x a variável
independente);
e) Determine os valores preditos(estimados)

05) Quando os ursos foram anestesiados, os 06) A tabela a seguir relaciona os pesos(em
pesquisadores mediram o perímetro(em centenas de libras) e as taxas de consumo de
polegadas) de seus tóraxes e obtiveram seus combustível em rodovia (em mi/gal) para uma
pesos(em libras). A seguir são apresentados os amostra de carros de passeio novos. Com base
resultados para oito ursos machos. Com base nos resultados espera um maior consumo de
nesses resultados, parece haver relação entre combustível se adquirir uma carro mais pesado?
o peso e o perímetro do tórax dos ursos? Os Os resultados se modificam se os pesos forem
resultados se modificarão se as medidas forem dados como 2900, 3500, ..., 2400? Determine o
convertidas para pés(cada valor sendo dividido melhor consumo de combustível predito para um
por 12)? Determine o melhor peso estimado carro que pesa 4200 lb.(Note que a tabela dá
para um urso com 52 in. de tórax. Determine o valores de x em centenas de libras). Determine
melhor perímetro estimado para um urso de o melhor peso estimado se uma carro consome
150 lb de peso? 25.9galões.

i
x y x⋅ y x 2 y2 x y
Tórax(in
) Peso(lb) i Peso Combustív x⋅ y x2 y2
(lb) el
1 26 90 (galões)
2 45 344 1 29 31
3 54 416 2 35 27
4 49 348 3 28 29
5 41 262 4 44 25
6 49 360 5 25 31
7 44 332 6 34 29
8 19 34 7 30 28
Σ 8
9
33
28
28
28
Com base em dados de Minitab e Gary Alt 10 24 33
327 2186 100972 14397 730220
Σ
Com base em dados da EPA

- 69 -
07) A tabela a seguir dá os pesos(em libras) do 08) Os dados emparelhados a seguir consistem
plástico descartado por uma amostra de em pesos(em libras) de papel descartado e
residências, juntamente com o tamanho destas. Há tamanhos de residências. Qual é a melhor
alguma correlação linear significativa? Este predição do tamanho de uma residência que
problema é importante para o Departamento do descarta 10 lb de papel? Qual é a melhor
Censo, que financia projetos, porque a presença de predição para o peso (em libras) de Papel quando
uma correlação implica que podemos predizer o
o tamanho da residência por hipótese for 3.336?
tamanho da população analisando o lixo
descartado. Qual é a melhor predição do tamanho
x y
de uma residência que descarta 0,50 lb de plástico?
Qual é a melhor predição para o peso (em libras) de
i Papel
Tamanho
Da
x⋅ y x 2 y2
Plástico quando o tamanho da residência por residência

hipótese for 2,474? 1 2.41 2


x y 2 7.57 3
i Plástico(l Tamanho
Da
x⋅ y x2 y2 3
4
9.55
8.82
3
6
b)
residência
5 8.72 4
1 0.27 2
6 6.96 2
2 1.41 3
7 6.83 1
3 2.19 3
8 11.42 5
4 2.83 6
5 2.19 4 Σ
6 1.81 2 Com base em dados do Projeto do Lixo da Universidade do Arizona.
7 0.85 1
8 3.05 5
Σ
Com base em dados fornecidos por Masakazu Tani e pelo Projeto do
Lixo na Universidade do Arizona

09) Os dados emparelhados a seguir consistem 10) Os dados emparelhados a seguir consistem
em pesos(em libras) de restos de comida e em pesos totais(em libras) de lixo descartado e
tamanhos de residências. Qual é a melhor tamanhos de residências. Qual é a melhor
predição do tamanho de uma residência que predição do tamanho de uma residência que
descarta 8,00 lb de alimentos? Qual é a melhor descarta 50,00 lb de lixo? Qual é a melhor
predição para o peso (em libras) de Comida predição para o peso total (em libras) de lixo
quando o tamanho da residência por hipótese quando o tamanho da residência por hipótese for
for 4,924?? 1,855??
y x y
i x Tamanho x⋅ y x 2
y 2 i Peso Tamanho
Da
x⋅ y x2 y2
Comida Da Total
residência
residência
1 1.04 2 1 10.76 2
2 3.68 3 2 19.96 3
3 4.43 3 3 27.6 3
4 2.98 6 4 38.11 6
5 6.3 4 5 27.9 4
6 1.46 2 6 21.9 2
7 8.82 1 7 21.83 1
8 9.62 5 8 49.27 5

Σ
9 33.27 6
10 35.54 4
Com base em dados do Projeto do Lixo da Universidade
do Arizona.
Σ
Com base em dados do Projeto do Lixo da Universidade do Arizona

- 70 -
11) Fez-se um estudo para investigar a 12) A tabela a seguir dá o número(em milhares) de
relação entre idade(em anos) e armas automáticas registradas, juntamente com a
CAS(Concentração de Álcool no Sangue) taxa de criminalidade(em crimes por 100.000),
medida quando os motoristas intoxicados para estados selecionados aleatoriamente.
condenados foram presos pela primeira vez. Consideram-se automáticas as armas que
Seguem dados amostrais para indivíduos continuam disparando enquanto o gatilho está
selecionados aleatoriamente. Com base no acionado. Os crimes com armas de fogo parecem
resultado, parece haver relação entre o nível estar relacionados com armas automáticas? Uma
de CAS e a idade da pessoa testada? Qual correlação linear significativa implica que o
é a melhor estimativa para o nível de álcool aumento do número de armas automáticas resulta
no sangue de uma pessoa de 21 anos de em maior número de crimes? Qual é a melhor
idade que foi condenada e presa por dirigir estimativa para a taxa de criminalidade em um
embriagada(DWI = Driving While estado com 10.000 armas automáticas
Intoxicated)?(Mede-se o nível CAS quando a registradas?(Os números de armas automáticas
pessoa é presa pela primeira vez.) Qual é a desta tabela são dados em milhares, divida por
melhor estimativa de idade para os motoristas 1000) Qual é a melhor estimativa do número(em
quando o CAS for por hipótese de 0,208?? milhares) de Armas Automáticas se a taxa de
criminalidade for de 9,17??
i x y x⋅ y x 2 y2
Idade x y x⋅ y
1 17,2
CAS
0,19
i Armas Taxa de x2 y2
Automáticas Criminalidade
2 43,5 0,20 1 11,6 13,1
3 30,7 0,26 2 8,3 10,6
4 53,1 0,16 3 3,6 10,1
5 37,2 0,24 4 0,6 4,4
6 21,0 0,20 5 6,9 11,5
7 27,6 0,18 6 2,5 6,6
8 46,3 0,23 7 2,4 3,6
Σ 8 2,6 5,3
Com base em dados do Programa STOP-DWI do Condado de
Dutchess.
Σ
Dados fornecidos pelo FBI e pelo Bureau of Alcohol, Tobacco and Firearms.

G A B A R I T O
05) y = 11,27125x - 06) 07) 08)
187,464323 y = -0,3333x + 39,233 y = 1,4799x + 0,5493 y = 0,3979x + 0,1522
R² = 0,9855 R² = 0,7249; R² = 0,7096 R² = 0,3963
R=0,9927 R= -0,8514 R=0,8424 R = 0,6295
Y = 398,63 lb e X = Y = 25,233 e X = 40 Y = 1,29 e X = 1,3 Y = 4,13 e X = 8
29,94’’ centenas de mi/gl
09) 10) 11) y = -0,0002x + 12)
y = 0,0664x + 2,9318 y = 0,1194x + 0,1828 0,2138 y = 0,8525x + 4,0473
R² = 0,0162 R² = 0,5795 R² = 0,0048 R² = 0,7832
R = 0,1273 R = 0,7612 R = -0,0693 R = 0,8850
Y = 3,46 e X = 30 Y = 6,15 e X =14 Y = 0,21 e X = 29 Y = 12,6 e X = 6
MVR18/11/2009

- 71 -
Johann Carl Friedrich GAUSS (ou Gauß)
(Braunschweig, 30 de Abril de 1777 — Göttingen, 23 de Fevereiro
de 1855) foi um famoso matemático, astrônomo e físico alemão.
Era conhecido como o príncipe dos matemáticos. Muitos
consideram Gauss o maior gênio da história da Matemática. Seu
QI foi estimado em cerca de 240.
Johann Carl Friedrich Gauss nasceu num casebre em
Braunschweig. Seu pai, Gerhard Diederich, era jardineiro e
pedreiro. Severo e brutal, tudo fez para impedir que seu filho
desenvolvesse seu grande potencial. Foi salvo por sua mãe
Dorothea e seu tio Friederich que se apercebeu da inteligência de
seu sobrinho.

Retomando e A P R O F U N D A N D O
Uma variável aleatória contínua pode tomar um número infinito de valores, e esses
valores podem ser associados a mensurações em uma escala contínua, de tal forma que
não haja lacunas ou interrupções.
Uma variável aleatória contínua é uma variável que tem uma função associada.
Essa função f: R →R tem as seguintes características:
• f é integrável
• f ( x) ≥ 0 para ∀x ∈ ℜ

f.d.p. ( função densidade de probabilidade )
• ∫ f ( x)dx = 1
−∞
Essa função é chamada de FUNÇÃO DENSIDADE DE PROBABILIDADE,
também conhecida por f.d.p.
Para o cálculo da probabilidade da variável x estar entre A e B, devemos calcular a
B
Probabilidade P ( A ≤ X ≤ B) = ∫ f ( x)dx = F ( B) − F ( A)
A

Dar uma Distribuição de probabilidade é dizer qual a f.d.p. que define a distribuição.
Exemplos de Distribuições:
1) Distribuição Uniforme: 2) Distribuição Exponencial:
É a Distribuição cuja f.d.p. É a distribuição cuja f.d.p.
é dada por é dada por
 1 λe − λx se x ≥ 0 (λ > 0)
 b − a se x ∈ [a, b] 
f ( x) = 
f ( x) = 
0 se x < a ou x > b 0 se x < 0
 
3) Distribuição Normal ou Gaussiana
É a distribuição cuja f.d.p. é dada por
1  x−µ 
2
−  
2 σ 
f ( x) = e para − ∞ < x < +∞
σ 2π
As três funções apresentadas são f.d.p. e iremos verificar nesse momento apenas a
1  x−µ 
2
−  
2 σ 
terceira. f ( x) = e (σ > 0 ) Não há pontos de descontinuidade, logo f é integrável
σ 2π

- 72 -
1  x−µ 
2
−  
em R. Como a função maior ou igual a 0; como σ>0 e e 2 σ  > 0 Temos que
1  x−µ 
2
− 
x−µ
∞ 
e 2 σ  dz 1
f ( x) ≥ 0 ∀x ∈ ℜ resta calcular ∫ dx que assumindo z = temos =
−∞ σ 2π σ dx σ
logo dx = σdz que substituindo temos
1 1 1 1
∞ − z2 ∞ − z2 ∞ − x2 ∞ − x2
e 2
σ dz = ∫ e
2
e 2
dx = 2 ∫ e
2

∫σ
−∞ 2π −∞ 2π
dz resolvendo na var iável x temos ∫
−∞ 2π 0 2π
dx

“GIRAR”

1
∞ − x2

Seja I = ∫ e 2
dx
0 2π
1 1 1 1 ( x2 + y2 )
− x2 − y2 − x2 − y2 −
∞ ∞ ∞∞
⋅e ∞∞
Assim I 2 = ∫ e dx • ∫ e dy = ∫ ∫ e dxdy = ∫ ∫ e
2 2 2 2 2
dxdy que transformando em
0 2π 0 2π 0 0 2π ⋅ 2π 0 0

x = r cos θ π

−r 2

coordenadas polares assumimos substituir y = rsenθ


2
e 2

rdrdθ =
assim ∫∫ 2π
dxdy = rdrdθ 0 0

∞ π
 − r2 
2
π π
e 2 2
 1   θ  2 1 1 1 1
= ∫  dθ = 0 +
∫   d θ =   = −0= logo I 2 = ∴ I =
 2π  0 
2π   2π  0 4 4 4 2
0
 0
1 1
∞ − x2 ∞ − x2
e 2
dx = 2 ∫ e
2 1
Voltando temos que
−∞
∫ 2π 0 2π
dx = 2 I = 2 ⋅
2
=1

Finalmente concluímos que f é uma f.d.p. Tranqüilo?!? Não é?!?


Exercícios de Função Densidade de Probabilidade
1) O diâmetro de um cabo elétrico supõe-se uma variável aleatória contínua X, com função
densidade de probabilidade f(x) = 6x(1-x) de 0 ≤ x ≤ 1 . pede-se:
a) Verifique se esta expressão é uma função densidade de probabilidade e esboce o seu gráfico.
b) Obtenha uma expressão para a função distribuição acumulada de X e esboce o seu gráfico.
c) determine um número b tal que que P(X < b) = 2.P(X > b).
 1 1 2
d) Calcule P X ≤ | ≤X ≤ 
 2 3 3
2) A duração de vida em horas de um componente eletrônico tem a seguinte função densidade de

100 / x se x ≥ 100
2

probabilidade: f ( x) =  Pede-se:
0 se x < 100

a) Verifique se esta expressão é uma função densidade de probabilidade e esboce o seu gráfico
b) Obtenha uma expressão para a função distribuição acumulada de X e esboce o seu gráfico
c) qual é a probabilidade que o componente sobreviva 250 horas de operação?
d) É possível determinar um número b tal que P(x < b) = 2P(x>b) ? Se sim, qual seu valor?
MAIS EXERCÍCIOS no livro do MORETTIN volume 1 – Estatística Básica Probabilidade (7ªEdição. 2005)
Exemplo de Aplicação item a da página 139, outro exemplo, o exercício 5.3.1 da página 150 apenas itens a e c.
Problemas Propostos , página 161 exercício 5.4.1, 5.4.4 e página 162 exercícios 5.4.9

- 73 -
DISTRIBUIÇÃO NORMAL.

25/10/04 08:00H 25/10/04 10:00H

25/10/04 12:00H 25/10/04 14:00H

25/10/04 16:00H 25/10/04 18:00H

25/10/04 21:00H 25/10/04 23:00H

GEOCHRON-WORLD CLOCK
Aparelho comprado pelo Sr. Luis Antonio Castanho na Dinamarca em
uma de suas viagens. O "aparelho" informa os horários, dias da semana e
os meses do ano, através da área ensolarada do globo terrestre.

- 74 -
A distribuição (a) da figura abaixo tem sua cauda muito maior do lado esquerdo. Se
essa fosse a distribuição dos resultados de um exame final, poderíamos dizer que a maioria
dos estudantes saiu-se muito bem, enquanto que apenas alguns “rodaram”.

x < Md < Mo Mo < Md < x x = Md = Mo

Assimétrica Assimétrica Simétrica


à esquerda à direita ou (ou e assimetria nula)
ou negativa positiva

x − Mo < 0 x − Mo > 0 x − Mo = 0
(negativo) (positivo|) (nulo)

Observe-se em seguida a distribuição (b) cuja cauda está à direita. Os resultados do


exame final dos alunos dessa nossa classe hipotética seriam bem baixos.
Finalmente, vamos examinar a distribuição (c) que contém duas caudas idênticas.
Em tal situação há, em ambas as caudas, a mesma quantidade de escores extremos. A
simetria dessa distribuição é absoluta. Se essa fosse a distribuição dos resultados de nosso
exame final, teríamos um número grande de estudantes cujas notas estariam próximas da
média, e poucos estudantes com notas muito altas ou muito baixas. Um tipo dessa
distribuição (c) é a curva normal, que tem especial importância na pesquisa.
As distribuições normais foram “descobertas” no século XVII. Astrônomos e outros
cientistas observaram, não sem certa surpresa, que mensurações repetidas de uma mesma
quantidade (como a distância da Lua ou a massa de um objeto) tendiam a variar, e quando
se coletava grande número dessas mensurações, dispondo-as numa distribuição de
frequências, elas se apresentavam repetidamente com uma forma análoga a figura (c)
ilustrada acima. E como essa forma gráfica vinha associada aos erros de mensuração, a
nossa distribuição cedo começou a ser conhecida como “distribuição normal dos erros”, ou
simplesmente “distribuição normal”. Constatou-se subseqüentemente que a distribuição
podia ser bem aproximada por uma distribuição matemática como o da figura (c). A
distribuição normal costuma designar-se pelo nome de distribuição Gaussiana, bem como a
sua curva é denominada Curva de Gauss em razão da contribuição de Karl F. Gauss
(1777-1855) à sua teoria matemática.

- 75 -
CARACTERÍSTICAS DA CURVA NORMAL.
1. A curva normal tem forma de sino.
2. É simétrica em relação à média (Se “dobrássemos” a curva em seu ponto central,
daríamos origem a duas metades, sendo que cada uma delas seria a imagem espelhada
da outra).
3. A curva normal possui um só (pico ou) ponto de frequência máxima; esse ponto por sua
vez, é aquele situado no meio da distribuição (curva), em que a média, a mediana e a
moda coincidem.
4. Prolonga-se de − ∞ a + ∞
5. Cada distribuição normal fica completamente especificada por sua média e seu desvio-
padrão; há uma distribuição normal distinta para cada combinação de média e desvio-
padrão.
6. A probabilidade de uma variável aleatória tomar um valor entre dois pontos quaisquer é
igual à área sob a curva normal entre aqueles pontos.
7. Como há um número ilimitado de valores no intervalo de − ∞ a + ∞ , a probabilidade de
uma variável aleatória distribuída normalmente tomar exatamente determinado valor é
aproximadamente zero. Assim, as probabilidades se referem sempre a intervalos de
valores.
8. A área sob a curva entre a média e um ponto arbitrário é função do número de desvios
padrões entre a média e aquele ponto.

A área sob a curva normal.

É aquela porção do plano, compreendida entre a curva e a linha base, que


corresponde em qualquer distribuição normal, a 100% dos dados considerados.

Poderíamos limitar uma porção dessa área total se traçássemos, a partir de dois
pontos quaisquer tomados na linha de base, segmentos perpendiculares até a própria curva.
Usando a média ( X ) como ponto de partida, poderíamos traçar um segmento em X e um
outro no ponto que coincide com 1 DP (1 desvio padrão) acima (isto é, à direita) de X . Esta
porção sombreada da curva normal abrange 34,13% da frequência total.

- 76 -
Da mesma forma, podemos dizer que 47,72% dos sujeitos sob a curva normal caem
entre X e 2DP acima (à direita) da média; igualmente, que 49,87% caem entre X e 3DP
acima da média.

A natureza simétrica da curva normal leva-nos a tirar outra conclusão importante:


qualquer distância medida em desvio padrão, acima ou abaixo da média, contém a mesma
porção da área sob a curva.

A Distribuição Normal como Modelo.


A curva normal é um modelo teórico ou ideal. Grande quantidade de fenômenos de
interesse dos estatísticos segue o modelo normal (Por exemplo, se atentássemos para a
estatura dos seres humanos, veríamos que a maioria dos adultos estaria na faixa que vai de
152 cm (aproximadamente) até 183 cm (aproximadamente), aproximando-se até que muito
bem da distribuição normal teórica), por isso pesquisadores de diferentes campos têm feito
uso extensivo da curva normal, aplicando-a aos dados que eles coletam e analisam. Assim,
quando se diz que uma variável aleatória (física) é distribuída normalmente, a afirmação
deve ser interpretada como uma implicação de que a distribuição de frequência de seus
resultados possíveis pode ser satisfatoriamente bem aproximada pela distribuição normal de
probabilidade. Logo, a curva normal é um modelo.

- 77 -
Distribuição Normal Padrão.
Quando a média ( X ) é igual a zero e o desvio padrão (DP) igual a 1, temos uma
Distribuição Normal Padrão , e escrevemos Z : N(0,1) ; onde Z é a variável.
Observação: A área total sob a curva é 1 (então a área de cada um dos lados é 0,5).

A Tabela Normal Padrão.

A tabela somente fornece a área de uma região compreendida entre 0 e um valor não
nulo da variável (isto é, a probabilidade de um valor cair naquele intervalo).

Zc – número de desvios padrões a contar da média.

Para convertermos de uma escala efetiva para a padronizada na curva normal, o


processo consiste em: converta-se a diferença efetiva entre a média e algum outro valor da
distribuição para uma diferença relativa exprimindo-a em termos do número de desvios
padrões a contar da média. Algebricamente, pode-se escrever.
x−µ
zc =
σ
Onde:

z = número de desvios padrões a contar da média


x = valor arbitrário
µ = a média da distribuição normal
σ = o desvio padrão
É também necessário sabermos trabalhar em sentido inverso, passando dos valores
z para os valores efetivos. Por exemplo, podemos querer saber que valor corresponde a z =
2. Supondo conhecidos a média e o desvio padrão e que estejamos lidando com uma
distribuição normal a conversão toma a forma.
valor..efetivo = µ + zσ

- 78 -
CURIOSIDADE: Determinar a probabilidade é determinar a área sobre a curva e
+∞
isto se faz com a utilização de ∫ f ( x)dx
−∞
onde

1  x−µ 
2
−  
2 σ 
f ( x) = e
a função da distribuição normal é
σ 2π .

Exemplos de como usar a tabela.


Calcule as probabilidades indicadas abaixo, e represente a região sob a curva.

Trabalharemos com Simetria

1) a) P (0 ≤ Z ≤ 2,55) Outras situações:


b) P(0 ≤ Z ≤ 1,85)
c)P(0 ≤ Z ≤ 0,72) 4) a) P(0,75 ≤ Z ≤ 2,24)
d)P(0 ≤ Z ≤ 4,55) b) P(0,47 ≤ Z ≤ 1,73)
c) P(-2,79≤ Z ≤-0,88)
Casos especiais
2) a) P(-1,5 ≤ Z ≤ 0) 5) a) P(Z ≥ 1,54)
b) P(-1,75 ≤ Z ≤ 0) b) P(Z ≤ -1,78)
(REEEESSSSTO DE CAAAUUUDAAA!!!)
3) a) P(-1,5 ≤ Z ≤ 2,75)
b) P(-1 ≤ Z ≤ 1) 6) a) P(Z ≤ 1)
b) P(Z ≥ -0,34)

APLICAÇÕES
7) A renda anual média de uma cidade brasileira é de R$ 500,00 e o desvio padrão, R$
150,00. Qual a probabilidade de escolher-se, numa só tentativa, uma pessoa dessa cidade
cuja renda anual caia entre R$ 500,00 e R$ 700,00?

8) Através de documentação e observação cuidadosa, constatou-se que o tempo médio


para se fazer um teste padrão de matemática é aproximadamente normal com média de 80
minutos e desvio padrão de 20 minutos.
a) Que porcentagem de candidatos levará menos de 80 minutos?
b) Que porcentagem não terminará o teste se o tempo máximo concedido é de 2 horas?
c) Se 100 pessoas fazem o teste, quantas podemos esperar que o terminem na primeira
hora?

9) As alturas de 10.000 alunos de um colégio têm distribuição aproximadamente normal,


com média 170 cm e desvio padrão 5 cm.
a)Qual o número esperado de alunos com altura superior a 165 cm?
b) Qual o intervalo simétrico em torno da média, que conterá 75% das alturas dos alunos?

10) A distribuição das médias anuais de uma disciplina X pode ser considerada como
aproximadamente normal, com média 6,5 e desvio padrão 0,5. Pergunta-se:
Qual a probabilidade de um aluno ter média superior a 5?

- 79 -
Exercícios – Distribuição Normal
1) Faça z uma variável com distribuição normal padronizada e encontre (use a tabela):
a) P(0≤ z ≤1,44) = e) P( z ≤ 1,08 ) =
b) P(-0,85≤ z ≤ 0 ) = f) P( z ≥ -0,66 ) =
c) P( -1,48 ≤ z ≤ 2,05 ) = g) P( -1,87 ≤ z ≤ -0,79 ) =
d) P( 0,72 ≤ z ≤ 1,89 ) = h) P( z ≤ -1,33 ) =
i) P( z ≥ 2,32 ) =
2) Os prazos de substituição de aparelhos de TV têm distribuição normal com média de 8,2
anos e desvio padrão de 1,1 ano. Determine a probabilidade de um aparelho de TV
selecionado aleatoriamente acusar um tempo de substituição inferior a 7 anos.
3) Uma aplicação clássica da distribuição normal é inspirada em uma carta, em que uma
esposa alegava ter dado à luz 308 dias após uma rápida visita de seu marido que estava
servindo na Marinha. Os prazos da gravidez têm distribuição normal com média de 268 dias
e desvio padrão de 15 dias. Com base nessa informação, determine a probabilidade de uma
gravidez durar 308 dias ou mais. Que é que o resultado sugere?
4) Os prazos de duração da gravidez têm distribuição normal com média de 268 dias e
desvio padrão de 15 dias. Definido como prematura uma criança nascida com ao menos
três semanas de antecipação, qual a percentagem das crianças nascidas prematuramente?
(Essa informação é importante para os administradores de hospitais, que devem
providenciar para ter à mão o equipamento necessário para atender às necessidades
especiais dos prematuros.)
5) De acordo com a Opinion Research Corporation, os homens gastam em média 11,4
minutos no chuveiro. Suponha que esses tempos tenham distribuição normal com desvio
padrão de 1,8 minutos. Escolhido um homem aleatoriamente, determine a probabilidade de
ele gastar menos que 10 minutos no chuveiro.
6) Os escores de QI têm distribuição normal com média 100 e desvio padrão 15. A Mensa é
uma organização para pessoas com QI elevado, e a admissão exige um QI superior a
131,5.
a) Escolhida aleatoriamente uma pessoa, determine a probabilidade de ela satisfazer aquela
exigência da Mensa.
b) Em uma região típica de 75.000 habitantes, quantos serão candidatos à Mensa?
7) Os níveis de colesterol sérico em homens entre 18 e 24 anos de idade têm distribuição
normal com média de 178,1 e desvio padrão de 40,7. Todas as unidades são em mg/100
ml. Escolhido aleatoriamente um homem entre 18 e 24 anos de idade, determine a
probabilidade de seu nível de colesterol sérico estar entre 200 e 250.
8) A duração de um certo componente eletrônico tem média 850 dias e desvio padrão 45
dias. Calcular a probabilidade desse componente durar:
a) entre 700 e 1.000 dias;
b) mais que 800 dias;
c) menos que 750 dias;
d) exatamente 1.000 dias;
9) Um teste de conhecimentos gerais foi aplicado a 50 funcionários de uma Fábrica. Os
resultados obtidos seguem uma distribuição aproximadamente normal, com média 67 e
desvio-padrão 9. Responda ás questões, esquematizando as soluções gráficas:
a) Qual a proporção de casos situados acima do grau 70? [R: 0,3707]

- 80 -
b) Qual a percentagem de casos situados abaixo do escore 55? [R: 9,176%]
c) Quantos casos estão entre 63 e 68 pontos? [ R: 21,38%]
d) Qual a nota que o indivíduo deve tirar para se qualificar entre os 5% superiores?[R: 81,85]
e) Qual a nota correspondente ao P20 ? [R: 59,44]
f) Qual a nota correspondente ao P11 ? [R: 55,93]
g) Qual a nota correspondente ao P37 ? [R: 64,03]
h) Qual a nota correspondente ao P72 ? [R: 72,22]
i) Qual a nota correspondente ao P88 ? [R: 77,62]
10) Supondo que a estatura de recém-nascidos do sexo masculino é uma variável com
distribuição aproximadamente normal cuja média é µ = 50cm e desvio-padrão
σ = 2,5cm, pergunta-se:
a) Qual a probabilidade de um recém-nascido do sexo masculino ter estatura superior a
53cm? [R: 0,1151]
b) Qual a proporção de recém-nascidos com estatura entre 48 e 52 cm? [R: 0,5763]
c) Qual a probabilidade de um recém-nascido do sexo masculino ter estatura inferior a 45
cm?[R: 0,02275]
11) Os pesos de 600 estudantes são normalmente distribuídos com média 65,3 kg e desvio-
padrão 5,5kg. Encontre o número (aproximado) de alunos que pesam:
a) entre 60 e 70 kg [R:380] b) mais que 63,2 kg. [R:389]
c)entre 50 e 62 kg[R: 163] d) entre 70 e 80 kg[R: 117]
e) mais que 75 kg[R: 24] f) menos que 50 kg[R: 2]
g) menos que72 Kg. [R: 534]
h) Para estar entre os 15% mais leves(magrelos) qual será o peso máximo?
Resposta: P15→ z= -1,04→ x=59,58 kg
i) Para estar entre os 9% mais “fortinhos”(gordinhos) qual será o peso mínimo?
Resposta: P91→ z= +1,34→ x=72,67kg
j) Para estar entre os 14% mais leves(magrelos) qual será o peso máximo?
Resposta: P14→ z= -1,08→ x=59,36 kg
k) Para estar entre os 11% mais “fortinhos”(gordinhos) qual será o peso mínimo?
Resposta: P89→ z= +1,23→ x=72,065kg
l) Para estar entre os 7% mais leves(magrelos) qual será o peso máximo?
Resposta: P7→ z= -1,48→ x=57,16 kg
m) Para estar entre os 3% mais “fortinhos”(gordinhos) qual será o peso mínimo?
Resposta: P97→ z= +1,88→ x=75,64kg
12) Em uma distribuição normal, 28% dos elementos são superiores a 39 e
12% inferiores a 19. Encontrar a média e o desvio-padrão da distribuição.
[R: µ= 32,41 e σ = 11,36]

- 81 -
13)NEW As estaturas 500 estudantes são normalmente distribuídos com
média 168 cm e desvio-padrão 7 cm. Encontre o número (aproximado) de
alunos que possuem estatura:
a) entre 165 e 172 cm b) mais que 163 cm c) entre 155 e 166 cm
d) menos do que 153 cm e) mais que 182 cm ] f) entre 175 e 180 cm
g) menos que 174 cm
Respostas:
a) 191 estud. b) 381 estud. c) 178 estud. d) 8 estud. e) 12 estud. f) 58 estud. g) 403 estud.
h) Para estar entre os 10% mais baixos qual será a estatura máxima?
Resposta: P10→ z= -1,28→ x=159,04 cm.
i) Para estar entre os 4% mais altos qual será a estatura mínima?
Resposta: P91→ z= +1,75→ x=180,25 cm.
j) Para estar entre os 23% mais baixos qual será a estatura máxima?
Resposta: P10→ z= -0,74→ x=162,82 cm.
k) Para estar entre os 7% mais altos qual será a estatura mínima?
Resposta: P91→ z= +1,48→ x=178,36 cm.

Respostas(aproximadas):
1a) 0,4251 1b) 0,3023 1c) 0,9104 1d) 0,2064 1e) 0,8599 1f) 0,7454

1g) 0,184022 1h) 0,0917592 1i) 0,0101704

2) 13,79% 3) 0,39% 4) 8,08% 5) 22,06% 6a) 1,78% 6b) 1340

7) 25,62% 8a) 98,55% 8b) 86,65% 8c) 1,32% 8d) 0%

- 82 -
FÓRMULAS
PROBABILIDADE BINOMIAL POISSON NORMAL
n! x−µ
P( x) = . p x .q n − x µ x ⋅ e −µ zc =
x!(n − x)! P( x) = σ
n( A) ou
P( A) = x!
n( S ) Sucesso + falha = 1 x = µ + zσ
µ = np onde
(p + q = 1)
e = 2,718281828459... Esperança = n. p

Você já observou a fachada do Hospital Evangélico de Sorocaba


na Avenida Gal. Carneiro? Te lembra algo?

- 83 -
P R O B A B I L I D A D E: TEOREMA DE BAYES

Thomas Bayes (1702? - 17 de Abril de 1761) foi um matemático


inglês e um pastor presbiteriano (pertencente à minoria calvinista
em Inglaterra), conhecido por ter formulado o caso especial do
teorema de Bayes. Bayes foi eleito membro da Royal Society em
1742.
Bayes nasceu em Londres e faleceu em Tunbridge Wells, Kent. Foi
enterrado no Bunhill Fields Cemetery em Londres, onde jazem
muitos não-conformistas (não anglicanos).
Obtido em "http://pt.wikipedia.org/wiki/Thomas_Bayes"

Thomas Bayes(1702-1761) afirmou que as probabilidades devem ser revistas quando


conhecemos algo mais sobre os eventos. Sabemos que o Teorema de Bayes relaciona uma das parcelas de
probabilidade com a probabilidade total. A versão mais simples desse teorema é dada pela fórmula
P ( A ∩ B ) P ( A) ⋅ P ( B / A)
P( A / B) = = Utilizar diagrama de árvore
P( B) P( B)
Fornecida a probabilidade inicial(a priori) P(A) e, dada a informação de que B ocorreu(ou dada a
suposição de que B venha a ocorrer), obtemos a probabilidade a posteriori P(A/B), dada pela fórmula
anterior. Ou seja, atualizamos a probabilidade inicial( a priori) multiplicando-a por P( B / A) .
P( B)
Observe que P(A/B) > P(A) se P(B/A) > P(B)

Analista Técnico – SUSEP/2002 – Área: Atuaria – página 59


01) Uma em cada 10 pessoas de uma população tem uma determinada doença. Das pessoas que tem a
doença, 80% reagem positivamente ao teste Y, enquanto 20% dos que não tem a doença também reagem
positivamente. Uma pessoa é selecionada ao acaso na população e o teste Y é aplicado. Assinale a opção
que corresponde à probabilidade de que a pessoa selecionada não esteja realmente doente, sabendo-se
que reagiu positivamente ao teste Y.
a) 16,0% b) 38,0% c) 95,0% d) 69,2% e) 40,0%
Gabarito oficial: D

Analista – Banco Central do Brasil/2002 – página 61


02) Uma empresa fabrica motores a jato em duas fábricas A e B. Um motor é escolhido ao acaso de um lote
de produção. Nota-se que o motor apresenta defeitos. De observações anteriores à empresa sabe que 2% e
3% são as taxas de motores fabricados tem algum defeito em A e B, respectivamente. Sabendo-se que a
fabrica A é responsável por 40% da produção, assinale a opção que dá a probabilidade de que o motor
escolhido tenha sido fabricado em A.
a) 0,308 b) 0,030 c) 0,012 d) 0,400 e) 0,500
Gabarito oficial: A

Analista do Banco Central/2001- página 68


03) Os registros de uma instituição financeira indicam que 90% das contas de empréstimo consideradas
inadimplentes apresentaram pagamentos com mais de duas semanas de atraso em pelo menos duas
prestações. Sabe-se também que 10% de todas as contas de empréstimo tornam-se inadimplentes e que
40% das contas de empréstimo integralmente liquidadas mostram pelo menos duas prestações com atraso
no pagamento em mais de duas semanas. Assinale a opção que corresponde à probabilidade de que uma
conta de empréstimo com duas ou mais prestações pagas com atraso de duas semanas torne-se
inadimplente.
a) 20% b) 10% c) 9% d) 15% e) 18%
Gabarito oficial: A

- 84 -
Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo/2001 – Área: Economia – página 82
04) Num teste de múltipla escolha, um estudante sabe uma questão ou “chuta” a resposta. Seja 2/3 a
probabilidade de que o estudante saiba uma questão do teste. Suponha que cada questão tenha 5
alternativas e que a probabilidade de acertar no “chute” seja 1/5. Assinale a opção que dá a probabilidade
condicional de que o estudante saiba realmente uma pergunta que respondeu corretamente.
a) 10/11 b) 2/15 c) 1/5 d) 2/3 e) 13/15
Gabarito oficial: A

Analista Técnico – SUSEP/2001 – Área: Atuaria- página 89


05) Ao responder uma pergunta num teste de múltipla escolha, um candidato ou sabe a resposta correta ou
tenta adivinhar a resposta correta. Seja 0,75 a probabilidade de que o candidato saiba a resposta correta da
questão. Caso não saiba a resposta correta o candidato escolhe uma entre quatro opções com probabilidade
0,25 de acerto. Assinale a opção que corresponde ao valor da probabilidade condicional de que o candidato
realmente saiba uma questão que tenha respondido corretamente.
a) 3/4 b) 3/16 c) 1/4 d) 11/16 e) 12/13
Gabarito oficial: E

BAYES - Morettin volume 1 da 7ª edição Páginas 27 a 40.

2.7.8. Num certo colégio, 4% dos homens e 1% das mulheres têm mais de 1,75 m de altura. 60% dos
estudantes são mulheres. Um estudante é escolhido ao acaso e tem mais de 1,75 m. Qual a probabilidade
de que seja homem? Resposta 811

2.7.9. Uma caixa tem 3 moedas: uma não viciada, outra com 2 caras e uma terceira viciada, de modo que
a probabilidade de ocorrer cara nesta moeda é de 1 5 . Uma moeda é selecionada ao acaso na caixa. Saiu
cara. Qual a probabilidade de que a 3ª moeda tenha sido a selecionada? Resposta: 2 17

2.7.11. A probabilidade de um indivíduo da classe A comprar um carro é de 0,75, da B é de 0,20 e da C é


de 0,05. As probabilidade de os indivíduos comprarem um carro da marca x são 10%, 60% e 30%
respectivamente a A,B,C. Certa Loja vendeu um carro da marca x. Qual a probabilidade de que o
indivíduo que comprou seja da classe B? Da classe A? Da classe C? Resposta classe B = 4 7

2.7.19. Um aluno responde a um teste de múltipla escolha com 4 alternativas com uma somente correta. A
probabilidade de que ele saiba a resposta certa de uma questão é de 30%. Se ele não sabe a resposta
existe a possibilidade de acertar “no chute”. Não existe a possibilidade de ele obter a resposta certa por
“cola”. Se ele acertou a questão, qual a probabilidade de ele realmente saber a resposta? Resposta:
0,6316

2.7.20. Um analista de uma empresa fotográfica estima que a probabilidade de que uma firma concorrente
planeje fabricar equipamentos para fotografias instantâneas dentro dos próximos 3 meses é 30%. Se a
firma concorrente tem tais planos, será certamente construída uma nova fábrica. Se não tem tais planos,
há ainda uma probabilidade de 60% de que, por outras razões, construa uma nova fábrica. Se iniciar os
trabalhos de construção de uma nova fábrica, qual a probabilidade que tenha decidido entrar para o
campo da fotografia instantânea? Resposta: 0,4167

2.7.21. Uma urna X tem 6 bolas brancas e 4 azuis. A urna Y tem 3 bolas brancas e 5 azuis. Passam-se
duas bolas de X para Y e a seguir retiram-se duas bolas de Y com reposição. Sabendo-se que ocorreram
duas bolas azuis, qual a probabilidade que duas azuis tenham sido transferidas de X para Y?
588
Resposta 9000 3066 ou 588 3066 ou 0,1918 ou 19,18%
9000

- 85 -
2.8.31. A fábrica A produziu 4000 lâmpadas e a fabrica B 6000 lâmpadas. 80% das lâmpadas de A são
boas e 60% das de B são boas também. Escolhe-se uma lâmpada ao acaso das 10000 lâmpadas. Qual a
probabilidade que: a) seja boa sabendo-se que é da marca A? Resposta 0,80 b) seja boa? Resposta
0,68
c) seja defeituosa e da marca B? Resposta 0,24
d) sendo defeituosa, tenha sido fabricada por B? Resposta 0,75

2.8.32. A porcentagem de carros com defeito entregue no mercado por certa montadora é historicamente
estimada em 6%. A produção da montadora vem de três fábricas distintas, da matriz A e das filiais B e C,
nas seguintes proporções: 60%; 30% e 10%, respectivamente. Sabe-se que a proporção de defeitos na
matriz A é o dobro da filial B e, da filial B é o quádruplo da filial C. determinar a porcentagem de defeito de
cada fábrica. Respostas: A 7,87% B 3,93% C 0,98%

2.8.42. Uma empresa produz o produto X em três fábricas distintas A, B e C, como segue: a produção de
A é o dobro de B, e a de C é o dobro de B. O produto X é armazenado em um depósito central. As
proporções de produção defeituosa são 5%;3%;4% respectivamente a A,B,C. Retira-se uma unidade de
X do depósito e verifica-se que é defeituoso. Qual a probabilidade de que tenha sido fabricado por B?
resposta 0,14286. Qual a probabilidade que tenha sido fabricado por A? e por C? e por A ou C?

2.8.43. Três máquinas A, B e C produzem respectivamente 40%, 50% e 10% da produção da empresa
KK. Historicamente as porcentagens de peças defeituosas produzidas em cada máquina são 5%, 3% e
3%, respectivamente. A empresa KK contratou um engenheiro para fazer uma revisão nas máquinas e no
processo de produção. Tal engenheiro conseguiu reduzir pela metade a probabilidade de peças
defeituosas da empresa e, ainda, igualou as porcentagens de defeitos das máquinas A e B, e a
porcentagem de defeitos em C ficou na metade da conseguida para B. quais são as novas porcentagens
de defeitos de cada máquina? Resposta: A 2% B 2% e C 1%.
MVR  em 5do9do8
MAIS Exercícios do Teorema de BAYES (PLUS)
P01) Os arquivos da polícia revelam que, das vítimas de acidente automobilístico que utilizam cinto de
segurança, apenas 10% sofrem ferimentos graves, enquanto que essa incidência é de 50% entre as
vítimas que não utilizam o cinto de segurança. Estima-se em 60% a porcentagem dos motoristas que
usam o cinto. A polícia acaba de ser chamada para investigar um acidente em que houve um indivíduo
gravemente ferido. Calcule a probabilidade de ele estar usando o cinto no momento do acidente. A
pessoa que dirigia o outro carro não sofreu ferimentos graves. Calcule a probabilidade de ela estar
usando o cinto no momento do acidente. Respostas: 1a) 0,23 1b) 0,73
P02) Sua firma recentemente apresentou proposta para um projeto de construção. Se seu principal
concorrente apresenta uma proposta, há apenas 0,25 de chance de a firma do leitor ganhar a
concorrência. Se seu concorrente não apresenta proposta, há 2/3 de chance de a firma do leitor ganhar.
A chance de seu principal concorrente apresentar proposta é de 50%. Pergunta-se: a) Qual a
probabilidade de sua firma ganhar a concorrência? B) Qual a probabilidade de seu concorrente ter
apresentado proposta, dado que a firma do leitor ganhou a concorrência?
Respostas: 2a) 0,458 2b) 0,273
P03) Três máquinas fabricam moldes não-ferrosos. A máquina A produz 1% de defeituosos, a máquina B
produz 2% e a máquina C produz 5%. Cada máquina é responsável por 1/3 da produção total. Um
inspetor examina um molde e constata que esta perfeito. Calcule a probabilidade de ele ter sido
produzido por cada uma das máquinas. Respostas: 3A) 0,339 3B) 0,336 3C) 0,325
P04) Um fazendeiro estima que, quando uma pessoa experimentada planta árvores, 90% sobrevivem,
mas quando um novato as planta, apenas 50% sobrevivem. Se uma árvore plantada não sobrevive,
determine a probabilidade de ela ter sido plantada por um novato, sabendo-se que 2/3 das árvores são
plantadas por novatos. Resposta: 0,909
Exercícios da Página 91 - Do livro Estatística Aplicada à Administração – William J. Stevenson – Editora
Harbra – Edição 2001

- 86 -
Curiosidades
x+Q
x≅
2 Q
Onde: x é um número qualquer(não quadrado perfeito).
Q é um quadrado perfeito mais próximo de x.
Exemplos
01) 45 ≅ 45 + 49 = 6,714285714 ... e pela calculadora 45 = 6,708203932
2 49
87 + 81
02) 87 ≅ = 9,3333... e pela calculador a 87 = 9,327379053...
2 81
600 + 576 1176
600 ≅ = = 24,5 e pela calculadora 600 = 24,49489743...
03) 2 576 2 * 24
600 + 625 1225
600 ≅ = = 24,5 e pela calculadora 600 = 24,49489743...
2 625 2 * 25

ENTENDA O DÍGITO DA CARTEIRA DE IDENTIDADE- “R.G.”


Teste seu nº completando da esquerda para direita, realize os produtos, some-os e TÁ-LÁ!
×1+__×
__× ×2+__×
×3+__×
×4+__×
×5+__×
×6+__×
×7+__×
×8+__×
×9+ ____×
×100 = _____ ÷11=_____(exato)
Até mais – Prof. Marcos Vinícius Ribeiro

ENTENDA O DÍGITO DA CARTEIRA DE IDENTIDADE- “R.G.”


Teste seu nº completando da esquerda para direita, realize os produtos, some-os e TÁ-LÁ!
×1+__×
__× ×2+__×
×3+__×
×4+__×
×5+__×
×6+__×
×7+__×
×8+__×
×9+ ____×
×100 = _____ ÷11=_____(exato)
Até mais – Prof. Marcos Vinícius Ribeiro

- 87 -
ASSIMETRIA

x < Md < Mo Mo < Md < x x = Md = Mo

Assimétrica Assimétrica Simétrica


à esquerda à direita (ou de assimetria nula)
ou negativa ou positiva (pois média,
mediana e).
(pois a média e a mediana (pois a média e a mediana moda, COINCIDEM)
estão à esquerda da moda) estão à direita da moda)
x − Mo < 0 x − Mo > 0 x − Mo = 0
(negativo) (positivo) (nulo)

Coeficiente de Assimetria de Pearson Coeficiente Momento de Assimetria

x − Mo 3( x − Md ) MA =
m3
AP1 = AP2 =
s s s3
O AP2 pode alcançar um valor teórico de ± 3. Todavia, não é comum o aparecimento de
curvas de frequências com deformação superior a ± 1
Coeficiente Quartílico de Assimetria Coeficiente Percentílico de Assimetria
Q3 + Q1 − 2 Md P90 + P10 − 2Md D9 + D1 − 2 D5
AS Q = AS P = =
Q3 − Q1 P90 − P10 D9 − D1
Os coeficientes Quartil e Percentil de Assimetria assumem valores entre os limites
–1 e +1
Lembrando que Md = P50 = D5 = Q2
Momento Koeficiente Percentílico
de Curtose(“alto/baixo”) LMP de Curtose (“gordo/magro”) LMP
m4 m4 Q3 − Q1
MC = = k=
m2
2
s4 2( P90 − P10 )
MC = 3 →Mesocúrtica K = 0,263 →Mesocúrtica
MC < 3 →Platicúrtica (“baixo”) achatado, maior o desvio-padrão. K < 0,263 →Leptocúrtica (“magro”)
MC > 3 →Leptocúrtica (“alto”) alongado, menor o desvio-padrão. K > 0,263 →Platicúrtica (“gordo”)

- 88 -
O Barbeiro
Um senhor estava no barbeiro cortando os cabelos e fazendo a barba e
enquanto isso conversava com o barbeiro e falava da vida e de Deus.
Dai a pouco, o barbeiro incrédulo não agüentou e falou:
- Deixa disso, meu caro, Deus não existe!
- Por quê?
- Ora, se Deus existisse não haveria tantos
miseráveis, passando fome! Olhe em volta e veja quanta tristeza. É só
andar pelas ruas e enxergar!
- Bem, esta é a sua maneira de pensar, não é?
- Sim, claro!
O freguês pagou o corte e foi saindo, quando avistou um maltrapilho imundo,
com longos e feios cabelos, barba desgrenhada, suja, abaixo do pescoço.
Não agüentou, deu meia volta e interpelou o barbeiro:
- Sabe de uma coisa, não acredito em barbeiros!
- Como?!?
- Sim, se existissem barbeiros, não haveria pessoas de cabelos e barbas
compridas!
- Ora, eles estão assim porque querem. Se desejassem mudar, viriam
até mim!
- Entendeu agora?

AMIGOS
Um dia, uma pequena abertura apareceu num casulo.
Um homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se
esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.
Então, pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso.
Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais
longe.
Então o homem decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o
restante do casulo. A borboleta, então, saiu facilmente.
Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas.
O homem continuou a observá-la porque ele esperava que, a qualquer
momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o
corpo que iria se firmar com o tempo.
Nada aconteceu! Na verdade, a borboleta passou resto de sua vida rastejando
com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar.
O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar, não compreendia era
que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar a através da
pequena abertura era o modo pelo qual DEUS fazia com que o fluido do corpo da
borboleta fosse para as suas asas, de forma que ela estaria pronta para voar uma
vez que estivesse livre do casulo.

- 89 -
Algumas vezes, o esforço é, justamente, o que precisamos em nossas
vidas. A ausência de obstáculos nos deixaria aleijados. Não iríamos ser tão
fortes como poderíamos ter sido.
Nós nunca poderíamos voar.

Eu pedi forças... E Deus me deu dificuldades para fazer-me forte.


Eu pedi sabedoria... E Deus me deu problemas para resolver.
Eu pedi prosperidade... E Deus me deu cérebro e músculos para trabalhar.
Eu pedi coragem... E Deus me deu pessoas com problemas para ajudar.
Eu pedi favores... E Deus me deu oportunidades.

Eu não recebi nada do que pedi...


“M A S E U R E C E B I T U D O D E Q U E P R E C I S A V A”.

> A IMPORTÂNCIA DO PERDÃO.


O pequeno Zeca entra em casa, após a aula, batendo forte os seus pés no assoalho
da casa. Seu pai, que estava indo para o quintal para fazer alguns serviços na horta, ao ver
aquilo chama o menino para uma conversa. Zeca, de oito anos de idade, o acompanha
desconfiado. Antes que seu pai dissesse alguma coisa, fala irritado: - Pai, estou com muita
raiva. O Juca não deveria ter feito aquilo comigo.Desejo tudo de ruim para ele. Seu pai, um
homem simples mas cheio de sabedoria, escuta calmamente o filho que continua a
reclamar: - O Juca me humilhou na frente dos meus amigos. Não aceito. Gostaria que ele
ficasse doente sem poder ir à escola. O pai escuta tudo calado enquanto caminha até um
abrigo onde guardava um saco cheio de carvão Levou o saco até o fundo do quintal e o
menino o acompanhou, calado. Zeca vê o saco de carvão ser aberto e antes mesmo que ele
pudesse fazer uma pergunta, o pai lhe propõe algo: - Filho, faz de conta que aquela camisa
branquinha que está secando no varal é o seu amiguinho Juca e cada pedaço de carvão é
um mau pensamento seu, endereçado a ele. Quero que você jogue todo o carvão do saco
na camisa, até o último pedaço. Depois eu volto para ver como ficou. O menino achou que
seria uma brincadeira divertida e passou mãos à obra. O varal com a camisa estava longe
do menino e poucos pedaços acertavam o alvo. Uma hora se passou e o menino terminou a
tarefa. O pai que espiava tudo de longe, se aproxima do menino e lhe pergunta: - Filho
como está se sentindo agora? - Estou cansado mas estou alegre porque acertei muitos
pedaços de carvão na camisa. O pai olha para o menino, que fica sem entender a razão
daquela brincadeira e carinhoso lhe fala: - Venha comigo até o meu quarto, quero lhe
mostrar uma coisa. O filho acompanha o pai até o quarto e é colocado na frente de um
grande espelho onde pode ver seu corpo todo. Que susto ! Zeca só conseguia enxergar
seus dentes e os olhinhos. O pai, então lhe diz ternamente: - Filho, você viu que a camisa
quase não se sujou, mas olhe só para você. O mau que desejamos aos outros é como o
que lhe aconteceu. Por mais que possamos atrapalhar a vida de alguém com nossos
pensamentos, a borra, os resíduos, a fuligem ficam sempre em nós mesmos.
> >Portanto...
> >Cuidado com seus pensamentos, eles se transformam em palavras
> >Cuidado com suas palavras, elas se transformam em ações
> >Cuidado com suas ações, elas se transformam em hábitos
> >Cuidado com seus hábitos, eles moldam o seu caráter
> >Cuidado com seu caráter, ele controla o seu destino.

- 90 -
FRASES
Mais do que máquinas, precisamos de humanidade. “Elimine o que é velho para trazer o novo à vida” –
Mais do que inteligência, precisamos de afeição de Mao Tse-tung
doçura. Sem essas virtudes a vida será de violência
e tudo estará perdido. Charles Chaplin “Esteja preparado para ventos favoráveis”
Provérbio Chinês
Ser homem é ser responsável. É sentir que
colocando sua pedra se colabora na construção do “Deixem dormir o futuro como merece. Se o
mundo. Exupèry acordarem antes do tempo, teremos um presente
sonolento” Frans Kafka
A perseverança é o grande agente do êxito. Dargan
“A coisa mais bela que o homem pode
Se não há diálogo, de quem é a culpa? Da boca ou experimentar é o misterioso” – Albert Einstein
do ouvido? Anônimo
“Quando há confiança, nenhuma prova é
Feliz aquele que consegue conhecer as causas das necessária. Quando não há, nenhuma é possível” –
coisas. Vergílio Provérbio Chinês

O homem não é anjo, e nem besta. Mas quem quer “O destino de muitos homens dependerá de haver
ser anjo, acaba sendo besta. Pascal ou não biblioteca na casa paterna” – D’Amicis

Deus dotou o homem de uma boca e dois ouvidos “Tenho fases, como a lua. Fases de andar escondida,
para que ouça o dobro do que fala. Sêneca fases de vir para a rua...” – Cecília Meireles

Acredito que somente uma pessoa que nada “A liberdade é sempre a liberdade para aquele que
aprendeu, não modifica suas opiniões. Emil pensa diferente” – Rosa Luxemburgo
Zatopek
“Há mais fome de amor e de admiração neste
A verdadeira coragem está em fazermos sem mundo do que de pão” – Madre Teresa
testemunhas o que seríamos capazes de fazer
diante de todo mundo. La Rochefoucauld “Quando os homens se calam submissos a um
tirano é porque está próximo o dia em que se
O sucesso reside em três coisas: decisão , justiça e tornarão escravos” – Provérbio Sérvio
tolerância. Goethe
“Se o vento soprar de uma única direção, a árvore
Ninguém tem dor de estômago por engolir palavras crescerá inclinada” – Provérbio Chinês
cruéis que deixou de dizer. Winston Churchill
“Em toda a ciência o difícil é o começo” – Karl Marx
Ninguém é , sem ter se feito assim. Kierkegaard
“Nenhum tecido é feito de um único fio” –
Eu, hoje, acordei mais cedo/ e , azul, tive uma idéia Provérbio Chinês
clara. / Só existe um segredo: / tudo está na cara.
Paulo Leminski “Em certa idade, quer por astúcia quer por amor
próprio, as coisas que mais desejamos são as que
Julgar os outros é perigoso. Não tanto pelos erros fingimos não desejar” – Proust
que podemos cometer a respeito deles, mas pelo
que podemos revelar a nosso respeito. Voltaire “ Não acreditamos em reumatismo e em amor
verdadeiro até que sofremos o primeiro ataque” –
Aquele que tudo adia, não deixará nada concluído, Marie von Ebner-Eschenback
nem perfeito. Demócrito
“Em amor, possuir é nada; desejar é que é tudo”
Elevai a tal ponto a vossa alma, que as ofensas não Stendhal
a possam alcançar. Descartes
“Quando esperamos, os segundos são anos; quando
Quem sabe dominar seus pensamentos, sabe recordamos, os anos são segundos” – Paulo Bourget
governar sua vida. R. W. Train

- 91 -
“A preocupação nunca venceu o destino” –
Existem pessoas que se declaram perfeitas, mas Provérbio Chinês
apenas porque exigem pouco de si mesmas.
Herman Hesse “Aconteça o que acontecer o tempo e a hora
percorrem também o mais árduo dos dias” –
O que sabemos é uma gota , o que ignoramos é um Shakespeare
oceano. Isaac Newton
“A sanidade é a loucura bem aproveitada” – George
O ignorante não é aquele sem instrução, é aquele Santayana
que não conhece a sí próprio. Krisnamurti
“A maré deve atingir seu nível mais baixo antes de
Não somos o que devíamos ser, não somos o que mudar” – Provérbio Chinês
desejamos ser, não somos o que iremos ser. Mas,
Graças a Deus, não somos o que éramos. Luther “As leis de nada servem quando os homens são
King puros, e tornam-se implacáveis quando eles são
corruptos” – Provérbio Chinês
Onde existe uma vontade, existe um caminho.
Bernard Shaw “Talvez eu deva às flores o fato de Ter me tornado
pintor” – Monet
A felicidade não é coisa fácil: É difícil encontrá-la em
nós mesmos e impossível achá-la em outra parte. “Tudo que foi prazer torna-se um fardo quando não
Rilke mais o desejamos” – Proust

O medo e a subserviência pervertem a natureza “Cuidado com o homem que maltrata animais” –
humana. Rabelais Bottach

O rio atinge os seus objetivos, porque aprendeu a “É necessário que o educador invente ao lado da
contornar obstáculos. Quo Vadis coragem de lutar, a coragem de amar” – Paulo
Freire
A sobrevivência de um organismos depende da
sobrevivência de um outro. Darwin “Não se pode ensinar coisa alguma a alguém: pode-
se apenas auxiliar a descobrir por si mesmo” –
As idéias nada podem realizar. Para realizar as Galileu
idéias são necessários homens que ponham a
funcionar uma força prática. Marx “Não sejas doce demais: os outros te comerão. Não
sejas amargo demais: os outros te vomitarão” –
“Os homens sempre desaprovam o que não são Provérbio Indiano
capazes de fazer” – Cristina, rainha da Suécia
“Eu ainda não sabia caminhar e já amava as
mulheres” – Renoir

E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da
vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de
Deus. Romanos 12.2

O que fazemos em vida, ecoa na eternidade!!! Do filme O Gladiador


De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. Romanos 10.17
Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas
velhas(antigas) já passaram; eis que tudo se fez novo. II Coríntios 5.17

Eu ouço e esqueço;
Eu escrevo e lembro;
Eu faço e aprendo.
Confúcio sábio chinês

- 92 -
You tell me and I forget
You teach me and I may remember
You involve me and I WILL NEVER FORGET
Benjamin Franklin
Em italiano, contribuição Patrizia Palmieri
Io ascolto e dimentico Io scrivo e ricordo Io faccio e imparo
Em alemão, Contribuição do aluno Sergio Eduardo Goroy Filho 80603 da
mecânica em 9/9/9
Ich höre und vergesse, Ich schreibe und erinnere mich, Ich tun um lerne

Em japonês, Contribuição do aluno Michel Prieto Oliveira 91188 da mecânica em 10/10/9


わたし わ きく と わすれます。 Watashi wa kiku to wasuremasu.
わたし わ かく と おぼえます。 Watashi wa kaku to oboemasu.
わたし わ やる と まなびます。 Watashi wa yaru to manabimasu.
Konfusio
コンフシオ

あなた が わたし に いう けど わすれます。


あなたが わたし に おしえる また たぶん わたし わ おぼえます。
あなた が わたし を いんぼるぶ そして わたし わ けっして わすれません。
ベンジャミン フランクリン
Anata ga watashi ni iu kedo wasuremasu.
Anata ga watashi ni oshieru mata tabun watashi wa oboemasu.
Anata ga watashi o inborubu soshite watashi wa kesshite wasuremasen.
Benjamin Furankurin
"yo oigo y olvido; Francês, a frase seria: E, em alemão
yo escribo y recuerdo corrigido, seria:
yo hago y aprendo" J'écoute et j'oublie.
J'écris et je me Ich höre und vergesse.
rappelle. Ich schreibe und
Je fais et j'apprendre. erinnere mich.
Ich tue und lerne.

Colaboração do aluno Gustavo Viana(maio de 2013)


Se não exercitar o que aprende, você

ESQUECE
15% em 6 horas
33% em 24 horas
90% em 6 meses
Contribuição da aluna Flávia Polaz Borin Em maio de 2013

- 93 -
A vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena
É uma frase muito famosa executada pelo já falecido, mas imortal Ramón
Valdez (1923-1988), vulgo Seu Madruga do seriado mexicano Chaves a frase foi
ouvida pela primeira vez na historia em um capítulo da série em que contracenava
Chiquinha, chaves e o Seu Madruga criador da frase, depois da primeira execução
dessa frase o mundo o universo e até mesmo o inferno e o Céu pararam, Ou não.
Resultados da execução da Frase
• Com essa frase seu madruga foi eleito no prêmio Nobel da paz no ano de
1970.
• Na hora da execução da frase o canal que exibia o seriado teve pontos
recordes de audiência.
A frase em outras línguas
Em português: A vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena
• Em Inglês: Revenge is never full. Kills the soul and poisons.
• Em romeno: De răzbunare nu este niciodată pe deplin ucide sufletul şi
otrăveşte.
• Em italiano: La vendetta non è mai pienamente uccide l'anima e avvelena.
• Em Alemão: Die Rache ist nie vollständig tötet die Seele und Gifte.
• Em espanhol: La venganza nunca es plenamente mata el alma y envenena.
• Em esperanto: La venĝo neniam estas plene, mortigas la animon kaj venenas.
• Em grego: Η εκδίκηση δεν είναι ποτέ πλήρης, σκοτώνει την ψυχή και
δηλητήρια
• Em francês: Revenge n'est jamais complète, il tue l'âme et les poisons
Retirado do site :
http://www.desciclopedia.org/wiki/A_vingan%C3%A7a_nunca_%C3
%A9_plena,_mata_a_alma_e_a_envenena no dia 18 de Fevereiro de
2011.
A diferença entre o sábio e o ignorante é que o 1º sabe aproveitar suas dificuldades
para evoluir, enquanto o ignorante se sente vítima de seus problemas.

Qualquer estúpido pode ser infeliz. Não é necessário alguém especial para ver
problemas em qualquer coisa, a qualquer hora. Aliás, há pessoas que não
desperdiçam uma oportunidade de sofrer. Mas saber transformar pequenos
acontecimentos em fonte de alegria é habilidade de poucos.

“O sucesso nasce do querer. Sempre que o homem aplicar a determinação e a


persistência para um objetivo, ele vencerá os obstáculos, e, se não atingir o alvo, pelo
menos fará coisas admiráveis.” José de Alencar
“Gosto de aprender porque me capacita a ensinar”. Sêneca
Mestre não é quem sempre ensina, mas quem de repente aprende .
Guimarães Rosa
“Fiz um acordo de coexistência pacífica com o tempo: nem ele me
persegue, nem eu fujo dele, um dia a gente se encontra” Mario Lago
Nunca ande pelo caminho traçado, pois ele conduz somente até onde os
outros foram Grahan Bell

- 94 -
Sempre há um pouco de loucura no amor, porém sempre há um pouco de
razão na loucura F. Nietzshe
O tempo é muito lento para os que esperam, muito rápido para os que tem
medo, muito longo para os que lamentam, muito curto para os que festejam. Mas,
para os que amam, o tempo é eternidade” William Shakespeare
Muitas pessoas perdem as pequenas alegrias enquanto aguardam a grande
felicidade Pearl S. Buck
A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás; mas só pode ser vivida
olhando-se para frente” Soren Kierkegaard
Para que repetir os erros antigos quando há muitos tantos erros novos a
cometer?
Bertrand Russel
Se eu pudesse voltar à juventude cometeria todos aqueles erros de novo. Só
que mais cedo. Tallulah Bankhead
Você não pode ensinar a um homem; você pode apenas ajuda-lo a encontrar a
resposta dentro dele mesmo. Galileu Galilei
Há pessoas que nos falam e nem as escutamos; há pessoas que nos ferem e
nem cicatrizes deixam, mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossa vida e
nos marcam para sempre. Cecília Meireles
A verdadeira filosofia é reaprender a ver o mundo. Merleau-Ponty
O amor é a melhor música na partitura da vida. Sem ele você será um eterno
desafinado no imenso coral da humanidade. Roque Schneider
Ame-me quando eu menos merecer, pois é quando eu mais preciso.
Provérbio Chines
Ter problemas na vida é inevitável.
Ser derrotado por eles é opcional!
"NÃO SE MEDE UM HOMEM PELO QUE VESTE, PELA BELEZA NEM PELOS BENS QUE
POSSUI. SE MEDE UM HOMEM PELO QUE PENSA, PELO SEU CARÁTER E PELA
NOBREZA DOS SEUS IDEAIS." CHARLES CHAPLIN

"Meta, a gente busca.


Caminho, a gente acha.
PARAR EU NÃO POSSO LUTAR SEMPRE
Desafio, a gente enfrenta.
LUTAR É O MEU DEVER VENCER TALVEZ
Desejo, a gente mata.
VENCER É O MEU ALVO DESISTIR JAMAIS!
Vida, a gente enfrenta.
E sonho, a gente realiza!"

Be the change you want to see in the world.


Mahatma Gandhi

- 95 -
16 a 20 de julho de 1969 – Chegada do homem a Lua

Em 20 de julho de 1969, presenciávamos uma das cenas mais emocionantes proporcionadas


pela ciência em todos os tempos. Em todo o mundo cerca de um bilhão de pessoas assistiram pela
televisão ao pouso do módulo lunar da Apollo 11, batizado de "eagle", no solo de nosso satélite.
Duas horas após o pouso, Neil Armstrong saiu da nave e entrou para a história como o primeiro
homem a pisar na Lua, sendo logo seguido por seu companheiro Edwin Aldrin. Os dois passaram
22 horas na Lua, sendo que dessas, 2 horas e 40 minutos fora da nave.

Salmo 8
1 Ó Senhor, Senhor nosso quão magnífico em toda a terra é o teu nome! Pois expuseste
nos céus a tua majestade.
2 Da boca de pequeninos e crianças de peito suscitaste força, por causa dos teus
adversários, para fazeres emudecer o inimigo e o vingador.
3 Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, e a lua e as estrelas que
estabelecestes,
4 que é o homem, que dele te lembres? E o filho do homem, que o visites?
5 Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do que Deus, e de glória e de honra o
coroaste.
6 Deste-lhe domínio sobre as obras da tua mão, e sob seus pés tudo puseste:
7 ovelhas, e bois, todos, e também os animais do campo;
8 as aves do céu e os peixes do mar e tudo o que percorre as sendas dos mares.
9 Ó Senhor, Senhor nosso, quão magnífico em toda a terra é o teu nome!

As cousas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus; porém as reveladas nos


pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras
desta lei.
Deuteronômio 29.29

- 96 -
PODEMOS FAZER A D I F E R E N Ç A...
Relata a Sra. Teresa, que no seu primeiro dia de aula parou em frente aos seus alunos da 5ª
série primária e, como todos os demais professores, lhes disse que gostava de todos por igual. No
entanto, ela sabia que isto era quase impossível, já que na primeira fila estava sentado um pequeno
garoto chamado Ricardo. A professora havia observado que ele não se dava bem com os colegas de
classe e muitas vezes suas roupas estavam sujas e cheiravam mal. Houve até momentos em que
ela sentia prazer em lhe dar notas vermelhas ao corrigir suas provas e trabalhos. Ao iniciar o ano
letivo, era solicitado a cada professor que lesse com atenção a ficha escolar dos alunos, para tomar
conhecimento das anotações. Ela deixou a ficha de Ricardo por último. Mas quando a leu foi grande
a sua surpresa.

Ficha do 1º ano: "Ricardo é um menino brilhante e simpático. Seus trabalhos sempre estão em
ordem e muito nítidos. Tem bons modos e é muito agradável estar perto dele."

Ficha do 2º ano: "Ricardo é um aluno excelente e muito querido por seus colegas, mas tem estado
preocupado com sua mãe que está com uma doença grave e desenganada pelos médicos. A vida
em seu lar deve estar sendo muito difícil."

Ficha do 3º ano: "A morte de sua mãe foi um golpe muito duro para Ricardo. Ele procura fazer o
melhor, mas seu pai não tem nenhum interesse e logo sua vida será prejudicada se ninguém tomar
providências para ajuda-lo."

Ficha do 4º ano: "Ricardo anda muito distraído e não mostra interesse algum pelos estudos. Tem
poucos amigos e muitas vezes dorme na sala de aula."

Deu-se conta do problema e ficou terrivelmente envergonhada. Piorou quando lembrou dos
lindos presentes de Natal que os alunos lhe haviam dado, com papéis coloridos, exceto o de
Ricardo, que estava enrolado num papel de supermercado.
Lembrou que abriu o pacote com tristeza, enquanto os outros garotos riam ao ver uma
pulseira faltando algumas pedras e um vidro de perfume pela metade. Apesar das piadas ela disse
que o presente era precioso e pôs a pulseira no braço e um pouco de perfume sobre a mão. Naquela
ocasião Ricardo ficou um pouco mais de tempo na escola do que o de costume. Relembra, ainda,
que ele lhe disse que ela estava cheirosa como sua mãe. Naquele dia, depois que todos se foram, a
professora chorou por longo tempo... Em seguida, decidiu mudar sua maneira de ensinar e passou a
dar mais atenção aos seus alunos, especialmente a Ricardo. Com o passar do tempo ela notou que
o garoto só melhorava. E quanto mais ela lhe dava carinho e atenção, mais ele se animava. Ao
finalizar o ano letivo, Ricardo saiu como o melhor da classe. Quatro anos depois, recebeu uma carta
de Ricardo contando que havia concluído o segundo grau e que ela continuava sendo a melhor
professora que tivera. As notícias se repetiram até que um dia ela recebeu uma carta assinada pelo
Dr. Ricardo Stoddard, seu antigo aluno, mais conhecido como Ricardo.
Mas a história não terminou aqui. Tempos depois recebeu o convite de
casamento e a notificação do falecimento do pai de Ricardo. Ela aceitou o convite e no dia do
casamento estava usando a pulseira que ganhou de Ricardo anos antes, e também o perfume.
Quando os dois se encontraram, abraçaram-se por longo tempo e Ricardo lhe disse ao ouvido:
"Obrigado por acreditar em mim e me fazer sentir importante, demonstrando-me que posso fazer a
diferença." E com os olhos banhados em lágrimas sussurrou: "Engano seu! Depois que o conheci
aprendi a lecionar e a ouvir os apelos silenciosos que ecoam na alma do educando”.

Mais do que avaliar seu comportamento, suas provas e suas notas, O importante é ensinar com
amor mostrando que sempre é possível FAZER A DIFERENÇA..." Autor Desconhecido
E VOCÊ... Tem feito algo pelo próximo e respeitado seus limites? Tem auxiliado em suas angústias e
dificuldades? Tem partilhado o peso de sua cruz? Ou será que tem se limitado a julgar e criticar?

- 97 -
Você faz a diferença!
Uma professora de determinado colégio decidiu homenagear cada um dos seus formandos dizendo-
lhes da diferença que tinham feito em sua vida de mestra. Chamou um de cada vez para frente da
classe. Começou dizendo a cada um a diferença que tinham feito para ela e para os outros da turma.
Então deu a cada um uma fita azul, gravada com letras douradas que diziam: "Quem Eu Sou Faz a
Diferença".. Mais adiante, resolveu propor um Projeto para a turma, para que pudessem ver o
impacto que o reconhecimento positivo pode ter sobre uma comunidade. Deu aos alunos mais três
fitas azuis para cada um, com os mesmos dizeres, e os orientou a entregarem as fitas para as
pessoas de seu conhecimento que achavam que desempenhavam um papel diferente. Mas que
deveriam poder acompanhar os resultados para ver quem homenagearia quem, e informar esses
resultados à classe ao fim de uma semana. Um dos rapazes procurou um executivo iniciante em
uma empresa próxima, e o homenageou por tê-lo ajudado a planejar sua carreira. Deu-lhe uma fita
azul, pregando-a em sua camisa. Feito isso, deu-lhe as outras duas fitas dizendo: "Estamos
desenvolvendo um projeto de classe sobre reconhecimento, e gostaríamos que você escolhesse
alguém para homenagear, entregando-lhe uma fita azul, e mais outra, para que ela, por sua vez,
também possa homenagear a uma outra pessoa, e manter este processo vivo. Mas depois, por
favor, me conte o que perceber ter acontecido." Mais tarde, naquele dia, o executivo iniciante
procurou seu chefe, que era conhecido, por sinal, como uma pessoa de difícil trato. Fez seu chefe
sentar, disse-lhe que o admirava muito por ser um gênio criativo. O chefe pareceu ficar muito
surpreso. O executivo subalterno perguntou a ele se aceitaria uma fita azul e se lhe permitiria colocá-
la nele. O chefe surpreso disse: "É claro ." Afixando a fita no bolso da lapela, bem acima do coração,
o executivo deu-lhe mais uma fita azul igual e pediu: "Leve esta outra fita e passe-a a alguém que
você também admira muito." E explicou sobre o projeto de classe do menino que havia dado a fita a
ele próprio.No final do dia, quando o chefe chegou a sua casa, chamou seu filho de 14 anos e o fez
sentar-se diante dele. E disse: "A coisa mais incrível me aconteceu hoje. Eu estava na minha sala e
um dos executivos subalternos veio e me deu uma fita azul pelo meu gênio criativo. Imagine só! Ele
acha que sou um gênio! Então me colocou esta fita que diz que "Quem Eu Sou Faz a Diferença".
Deu-me uma fita a mais pedindo que eu escolhesse alguma outra pessoa que eu achasse
merecedora de igual reconhecimento." Quando vinha para casa, enquanto dirigia, fiquei pensando
em quem eu escolheria e pensei em você.. Gostaria de homenageá-lo. "Meus dias são muito
caóticos e quando chego em casa, não dou muita atenção a você. Às vezes grito com você por não
conseguir notas melhores na escola, e por seu quarto estar sempre uma bagunça. Mas por alguma
razão, hoje, agora, me deu vontade de tê-lo à minha frente. Simplesmente, sabe, para dizer a você,
que você faz uma grande diferença para mim. Além de sua mãe, você é a pessoa mais importante
da minha vida. Você é um grande garoto filho, e eu te amo!" O menino, pego de surpresa, desandou
a chorar convulsivamente sem parar. Ele olhou seu pai e falou entre lágrimas: "Pai, poucas horas
atrás eu estava no meu quarto e escrevi uma carta de despedida endereçada a você e à mamãe,
explicando porque havia decidido suicidar e lhes pedindo perdão". Pretendia me matar enquanto
vocês dormiam... Achei que vocês não se importavam comigo. "A carta está lá em cima, mas acho
que afinal, não vou precisar dela mesmo ." Seu pai foi lá em cima e encontrou uma carta cheia de
angústia e de dor. O homem foi para o trabalho no dia seguinte completamente mudado. Ele não era
mais ranzinza e fez questão de que cada um dos seus subordinados soubesse a diferença que cada
um fazia. O executivo que deu origem a isso ajudou muitos outros a planejarem suas carreiras e
nunca esqueceu de lhes dizer que cada um havia feito uma diferença em sua vida... Sendo um deles
o filho do próprio chefe. A conseqüência desse projeto é que cada um dos alunos que participou dele
aprendeu uma grande lição: de que "Quem Você É Faz sim, uma Grande Diferença".
Você não precisa passar isso adiante para ninguém... Nem para duas nem para duzentas pessoas. Continue
a sua vida como você acha que está bom para você. Por outro lado, se quiser, pode enviar para aquelas
pessoas que significaram ou significam algo para você, sejam quantas forem. Ou por outro lado, simplesmente
sorria quando lhe escrevo que estou lhe mandando isso porque você é importante para mim, cada um de
vocês é importante para mim, senão não os teria incluído na minha lista de envio. Quem você é na minha vida,
faz muita diferença para mim, e eu queria que vocês soubessem disso. Eis aqui a sua fita azul! Tenha um
excelente dia. Com Deus, sempre!

- 98 -
SE NÃO NOS ESFORÇARMOS EM FAZER O MELHOR
Se não nos esforçarmos em fazer o melhor, mesmo em tarefas que possam parecer
simples, jamais nos serão confiadas tarefas de maior importância. Todas as vezes
que fazemos o uso correto e amplo da informação, criamos a oportunidade de
imprimir a nossa marca pessoal. Você pode e deve se destacar, até nas coisas mais
simples.

Paulo trabalhava em uma empresa há dois anos. Sempre foi um funcionário sério, dedicado
e cumpridor de suas obrigações. Nunca chegava atrasado. Por isso mesmo já estava com
02 anos na empresa, sem ter recebido uma única reclamação. Certo dia, ele foi até o diretor
para fazer uma reclamação:
- Sr. Gustavo, tenho trabalhado durante estes dois anos em sua empresa com toda a
dedicação, só que me sinto um tanto injustiçado. Fiquei sabendo que o Fernando, que tem o
mesmo cargo que eu e está na empresa há somente 06 meses já vai ser promovido ?!?...
Gustavo, fingindo não ouvi-lo disse:
- Foi bom você vir aqui. Tenho um problema para resolver e você poderá me ajudar. Estou
querendo dar frutas como sobremesa ao nosso pessoal após o almoço de hoje. Aqui na
esquina tem uma barraca de frutas. Por favor, vá até lá e verifique se eles tem abacaxi.
Paulo, sem entender direito, saiu da sala e foi cumprir a missão. Em cinco minutos estava
de volta.
- E aí Paulo? - Perguntou Gustavo: -
Verifiquei como o senhor pediu e eles tem abacaxi sim...
- E quanto custa ??? - Ah, Isso eu não perguntei não...
- Eles tem abacaxi suficiente para atender a todo nosso pessoal ???
- Quis saber Gustavo.
- Também não perguntei isso não...
- Há alguma fruta que possa substituir o abacaxi ???
- Não sei não...
- Muito bem Paulo. Sente-se ali naquela cadeira e aguarde um pouco.
O diretor pegou o telefone e mandou chamar o novato Fernando. Deu a ele a mesma
orientação que dera ao Paulo. Em dez minutos, Fernando voltou.
- E então ??? - Indagou Gustavo –
- Eles têm abacaxi, sim Seu Gustavo. E é o suficiente para todo nosso pessoal e, se o
senhor preferir, têm também laranja, banana, melão e mamão. O abacaxi estão vendendo a
R$1,50 cada; a banana e o mamão a R$1,00 o quilo; o melão R$1,20 a unidade e a laranja
a R$20,00 o cento, já descascada. Mas como eu disse que a compra seria em grande
quantidade, eles nos concederão um desconto de 15%. Deixei reservado. Conforme o
Senhor decidir, volto lá e confirmo o pedido. Explicou Fernando.
- Agradecendo pelas informações, o patrão dispensou-o. Voltou-se para Paulo, que
permanecia sentado e perguntou-lhe:
- Paulo, o que foi que você estava me dizendo???
- Nada não, patrão. Esqueça. Com licença...
E Paulo deixou a sala...

- 99 -
EU POSSO FAZER MAIS QUE ISSO!
A mãe parou ao lado do leito de seu filhinho de 6 anos, que estava doente de
leucemia. Embora o coração dela estivesse pesado de tristeza e angústia, ela era muito
determinada. Como qualquer outra mãe, ela gostaria que ele crescesse e realizasse seus
sonhos. Agora, isso não seria mais possível, por causa de uma leucemia terminal. Junto
dele tomou-lhe a mão e perguntou: - Filho, você alguma vez já pensou o que gostaria de ser
quando crescesse? - Mamãe, eu sempre quis ser um bombeiro! A mãe sorriu e disse: -
Vamos ver o que podemos fazer.
Mais tarde, naquele mesmo dia, ela foi ao Corpo de Bombeiros local e contou ao
Chefe dos bombeiros a situação de seu filho e perguntou se seria possível o garoto dar uma
volta no carro dos bombeiros, em torno do quarteirão. O Chefe dos bombeiros, comovido,
disse: - NÓS PODEMOS FAZER MAIS QUE ISSO! Se você estiver com o seu filho pronto
às sete horas da manhã, daqui a uma semana, nós o faremos um bombeiro honorário, por
todo o dia. Ele poderá ir para o quartel, comer conosco e sair para atender às chamadas
incêndio. E se você nos der as medidas dele, nós conseguiremos um uniforme completo:
chapéu com o emblema de nosso batalhão, casaco amarelo igual ao que vestimos e botas
também.
Uma semana depois, o bombeiro-chefe pegou o garoto, vestiu-o no uniforme de
bombeiro e o escoltou do leito do hospital até o caminhão de bombeiros. O menino ficou
sentado na parte de trás do caminhão, e foi até o quartel central. Parecia-lhe estar no céu...
Ocorreram três chamados naquele dia na cidade e o garoto acompanhou todos os três. Em
cada chamada, ele foi em veículos diferentes: no tanque, na van dos paramédicos e até no
carro especial do chefe do bombeiros. Todo o amor e atenção que foram dispensados ao
menino acabaram comovendo-o tão profundamente, que ele viveu três meses a mais que o
previsto.
Uma noite, todas as suas funções vitais começaram a cair dramaticamente e a mãe
decidiu chamar ao hospital, toda a família. Então, ela lembrou a emoção que o garoto tinha
passado como um bombeiro, e pediu à enfermeira que ligasse para chefe da corporação, e
perguntou se seria possível enviar um bombeiro para o hospital, naquele momento trágico,
para ficar com o menino. O chefe dos bombeiros respondeu: - NÓS PODEMOS FAZER
MAIS QUE ISSO! Nós estaremos aí em cinco minutos. Mas faça-me um favor. Quando você
ouvir as sirenes e vir as luzes de nossos carros, avise no sistema de som que não se trata
de um incêndio. É apenas o corpo de bombeiros vindo visitar mais uma vez, um de seus
mais distintos integrantes. E também poderia abrir a já nela do quarto dele? Obrigado! Cinco
minutos depois, uma van e um caminhão com escada chegaram no hospital. Estenderam a
escada até o andar onde garoto estava, e 16 bombeiros subiram. Com a permissão da mãe,
eles o abraçaram, seguraram, e disseram que o amavam. Com voz fraquinha, o menino
olhou para o chefe e perguntou: - Chefe, eu sou mesmo um bombeiro? - Sim, você é um
dos melhores - disse ele. Com estas palavras, o menino sorriu e fechou seus olhos para
sempre...
E você, diante do pedido de seus pais, irmãos, filhos, parentes e amigos, o que faria?
Diga: EU POSSO FAZER MAIS QUE ISSO!
Esta mensagem não deve ficar guardada! Absorva a e depois divulgue para os seus
amigos! Se é para ser guardada, que seja no coração de Cada um de NÓS!
"A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos"
Deus te abençoe!!!

- 100 -
VISLUMBRES DE UM CRIADOR
Abraão de Almeida
O elefante é o único animal cujas pernas dianteiras se dobram para a frente. Por que?
Porque, de outra forma, seria difícil para esse animal levantar-se, por causa do seu peso.
Por que os cavalos, para se erguerem, usam as patas dianteiras, e as vacas, as traseiras?
Quem orienta esses animais para que ajam dessa maneira?
Quem teria o poder de colocar um punhado de argila no coração da terra e, através da ação
do fogo transformá-la em formosa ametista de alto valor?
Quem colocaria certa quantidade de carvão nas entranhas do solo e, mediante a
combinação do fogo e a pressão dos montes e das rochas, transformar esse carvão em
resplandecente diamante, que vai fulgurar na coroa dos reis ou no diadema dos poderosos?
Por que o canário nasce aos 14 dias, a galinha aos 21, os patos e gansos aos 28, o ganso
silvestre aos 35 e os papagaios e avestruzes aos 42 dias? Por que a diferença entre um período e
outro é sempre de sete dias?
Quem regula a natureza, sem jamais cometer engano, determinando que as ondas do mar
se quebrem na praia à razão de 26 por minuto, tanto na calma como na tormenta?
Muitas coisas acontecem na natureza sem que tenhamos um mínimo de sensibilidade para
perceber. Exemplos:
A melancia tem número par de franjas.
A laranja possui número par de gomos.
A espiga de milho tem número par de fileiras de grãos.
O cacho de bananas tem, na última fila, número par de bananas, e cada fila de bananas tem
uma a menos que a anterior. Desse modo, se uma fileira tem número par, a seguinte terá número
ímpar.
A ciência moderna descobriu que todos os grãos das espigas são em número par, e é
admirável que Jesus, ao se referir aos grãos, tenha mencionado exatamente números pares: 30, 60
e 100. (Marcos 4:8).
Outro mistério que a ciência ainda não descobriu: enormes árvores, pesando milhares de
quilos, apoiadas em apenas poucos centímetros de raízes. Ninguém até agora conseguiu descobrir
esse princípio de sustentação a fim de aplicá-lo na construção de edifícios e pontes.
Mas há maravilha ainda maior! O oxigênio e o hidrogênio, ambos sem cheiro, sem sabor e
sem cor, combinados com o carvão, que é insolúvel, negro e sem gosto, resulta no alvo e doce
açúcar.
Esses são apenas alguns vislumbres de um Deus sábio e amoroso.
Esse mesmo Deus que realiza tais maravilhas no mundo que Ele criou, pode também efetuar
em nós um milagre ainda muito maior. Ele pode dar-nos um novo nascimento, fazendo novas todas
as coisas. (João 3:3 - Corintios 5:17).
Ele pode tomar nossa vida triste, inútil e insípida e torná-la alegre, útil e plena de significado
para a glória Dele.
Portanto, não se desespere. Não importa quão grave seja a sua condição física, moral ou
espiritual. O Senhor Jesus, que "ontem e hoje é o mesmo, e o será para sempre" (Hebreus 13:8), só
Ele tem a última palavra. Você pode experimentar um milagre! Tão somente creia Nele, receba-O
como seu único Senhor e Salvador, e coloque a sua vida nas mãos Dele.
"Se com tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que
Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo." (Romanos 10:9)
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu único filho, para que todo
aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna." (João 3:16).

- 101 -
Alegria é um sentimento que não depende de circunstâncias, só
depende de voce! (CHAPLIN)

- 102 -
SE O AMANHÃ NÃO V I E R...
Se eu soubesse que essa seria a última vez que eu veria você dormir
Eu aconchegaria você mais apertado, E rogaria ao senhor que protegesse você.
Se eu soubesse que essa seria a última vez que veria você sair pela porta, Eu abraçaria,
beijaria você, e chamaria de volta, Para abraçar e beijar uma vez mais.
Se eu soubesse que essa seria a última vez que ouviria sua voz em oração,
Eu filmaria cada gesto, cada palavra sua, Para que eu pudesse ver e ouvir de novo, dia
após dia.
Se eu soubesse que essa seria a última vez, Eu gastaria um minuto extra ou dois, para
parar e dizer: EU TE AMO
Ao invés de assumir que você já sabe disso.
Se eu soubesse que essa seria a última vez,
Eu estaria ao seu lado, partilhando do seu dia, ao invés de pensar:
"Bem, tenho certeza que outras oportunidades virão, então eu posso deixar passar esse
dia."
É claro que haverá um amanhã para se fazer uma revisão, e nós teríamos uma segunda
chance para fazer as coisas de maneira correta.
É claro que haverá outro dia para dizermos um para o outro:
"EU TE AMO",
E certamente haverá uma nova chance de dizermos um para o outro:
"Posso te ajudar em alguma coisa?"
Mas no caso de eu estar errado, e hoje ser o último dia que temos,
Eu gostaria de dizer O QUANTO EU AMO VOCÊ,
E espero que nunca esqueçamos disso.
O dia de amanhã não esta prometido para ninguém, jovem ou velho,
E hoje pode ser sua última chance de segurar bem apertado, a mão da Pessoa que você
ama.
Se você está esperando pelo amanhã, porque não fazer hoje?
Porque se o amanhã não vier, você com certeza se arrependerá pelo resto de sua vida, De
não ter gasto aquele tempo extra num sorriso, num abraço, num beijo, Porque você estava
"muito ocupado" para dar para aquela pessoa, aquilo que acabou sendo o último desejo
que ela queria.
Então, abrace seu amado, a sua amada HOJE. Bem apertado. Sussurre nos seus ouvidos,
dizendo o quanto o ama e o quanto o quer junto de você.
Gaste um tempo para dizer:
"Me desculpe" "Por favor" "Me perdoe" "Obrigado" ,ou ainda:
"Não foi nada" "Está tudo bem".
Porque, se o amanhã jamais chegar, você não terá que se arrepender pelo dia de hoje.
Pois o passado não volta, e o futuro talvez não chegue.

- 103 -
TORCIDA - Torcida da sua vida
(Carlos Drummond de Andrade)
Mesmo antes de nascer, já tinha alguém torcendo por você.
Tinha gente que torcia para você ser menino.
Outros torciam para você ser menina.
Torciam para você puxar a beleza da mãe, o bom humor do pai.
Estavam torcendo para você nascer perfeito.
Daí continuaram torcendo...
Torceram pelo seu primeiro sorriso, pela primeira palavra , pelo primeiro passo.
O seu primeiro dia de escola foi a maior torcida.
E o primeiro gol, então?
E, de tanto torcerem por você, você aprendeu a torcer.
Começou a torcer para ganhar muitos presentes e flagrar Papai Noel.
Torcia o nariz para o quiabo e a escarola.
Mas torcia por hambúrguer e refrigerante.
Começou a torcer até para um time.
Provavelmente, nesse dia, você descobriu que tem gente que torce diferente de você.
Seus pais torciam para você comer de boca fechada, tomar banho, escovar os dentes,
estudar inglês e piano.
Eles só estavam torcendo para você ser uma pessoa bacana.
Seus amigos torciam para você usar brinco, cabular aula, falar palavrão.
Eles também estavam torcendo para você ser bacana.
Nessas horas, você só torcia para não ter nascido.
E por não saber pelo que você torcia, torcia torcido.
Torceu para seus irmãos se ferrarem, torceu para o mundo explodir.
E quando os hormônios começaram a torcer, torceu pelo primeiro beijo, pelo primeiro amasso.
Depois começou a torcer pela sua liberdade.
Torcia para viajar com a turma, ficar até tarde na rua. Sua mãe só torcia para você chegar vivo
em casa.
Passou a torcer o nariz para as roupas da sua irmã, para as idéias dos professores e para
qualquer opinião dos seus pais.
Todo mundo queria era torcer o seu pescoço.
Foi quando até você começou a torcer pelo seu futuro.
Torceu para ser médico, músico, advogado...
Na dúvida, torceu para ser físico nuclear ou jogador de futebol. Seus pais torciam para passar
logo essa fase.
No dia do vestibular, uma grande torcida se formou.
Pais, avós, vizinhos, namoradas e todos os santos torceram por você.
Na faculdade, então, era torcida pra todo lado.
Para a direita, esquerda, contra a corrupção, a fome na Albânia e o preço da coxinha na cantina.
E, de torcida em torcida, um dia teve um torcicolo de tanto olhar para 'ela'...
Primeiro, torceu para ela não ter outro. Torceu para ela não te achar muito baixo, muito alto,
muito gordo, muito magro.
Descobriu que ela torcia igual a você. E de repente vocês estavam torcendo para não acordar
desse sonho.
Torceram para ganhar a geladeira, o microondas e a grana para a viagem de lua-de-mel.
E, daí pra frente, você entendeu que a vida é uma grande torcida.
Porque, mesmo antes do seu filho nascer, já tinha muita gente torcendo por ele.
Mesmo com toda essa torcida, pode ser que você ainda não tenha conquistado algumas coisas.

MAS MUITA GENTE AINDA TORCE POR VOCÊ!!!

- 104 -
Frases
"...Respeite mesmo o que é ruim em você -
"O que importa na vida não é o ponto de partida, mas a respeite sobretudo o que imagina que é ruim
caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o em você - não copie uma pessoa ideal, copie
que colher!" (Cora Coralina) você mesma - é esse seu único meio de
viver." Clarice Lispector
"De todos os caminhos que conduzem à riqueza, os
mais seguros são a perseverança e o trabalho." " Aqueles que passam por nós, não vão sós,
(Luís Reyband) não nos deixam sós. Deixam um pouco de si,
levam um pouco de nós."
"A melhor maneira de ser feliz é contribuir para a Antoine de Saint-Exupéry
felicidade dos outros." (Confúcio)
"Nossas dúvidas são traídoras e nos fazem
"O segredo é não correr atrás das borboletas... É perder o bem que poderiamos conquistar se
cuidar do jardim para que elas venham até você." não fosse o medo de tentar."
(Mário Quintana) (William Shakespeare)

Um professor sempre afeta a eternidade. Ele nunca "Se um dia de tristeza você tiver de escolher
saberá onde sua influência termina. Henry Adams entre o mundo e o amor, escolha o amor, e
com ele conquiste o mundo."
"É preciso valorizar a grandeza das pequenas coisas (Albert Einstein)
para não nos tornarmos pequenos diante delas."
(Carla Monic) Poucos são aqueles que vêem com seus
próprios olhos e sentem com seus próprios
“Construa os alicerces, e SUBA! corações." (Albert Einstein)
Nunca desista de ser feliz!
Não importa onde você parou... "O bravo não é quem não sente medo, mas
Em que momento da vida você cansou... quem vence esse medo." (Nelson Mandela)
O que importa é que sempre é possível
e necessário recomeçar. "Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo... segundos, mas com tamanha intensidade que
É renovar as esperanças na vida, e o mais importante... se petrifica e nenhuma força consegue
Acreditar em você de novo!” destruir." (Carlos Drummond de Andrade)
Carlos Drummond de Andrade
“Metas são necessárias não apenas para nos
"A amizade é uma predisposição recíproca que torna motivar. Elas são essenciais para nos manter
dois seres igualmente ciosos da felicidade um do vivos.” Robert H. Schüller
outro." (Platão)
"Não se preocupe com a perfeição.
"A alegria compartilhada é uma alegria dobrada." Substitua a palavra "perfeição" por
(John Ray) "totalidade". Não pense que você tem de ser
" perfeito, pense que tem de ser total. A
"A melhor maneira para se ter uma boa reputação é totalidade dá a você uma dimensão
empenhar-se em ser aquilo que se deseja aparentar." diferente." Osho
(Sócrates)
Há pessoas que nos falam e nem as
"Não basta conquistar a sabedoria, é preciso usá-la." escutamos; Há pessoas que nos ferem e nem
cicatrizes deixam. Mas há pessoas que,
Se as coisas são inatingíveis... ora! Não é motivo para simplesmente, aparecem em nossa vida... E
não querê-las...Que tristes os caminhos, se não for a que marcam para sempre
presença distante das estrelas! Mário Quintana (CECILIA MEIRELES)

Esta é mais do que uma história, é a real obediência do que devemos ter àquilo que Jesus
disse em Mt 25, 31 - 46:
CASA DO CAMINHO
Passava do meio dia, o cheiro de pão quente invadia aquela rua, um sol escaldante convidava a
todos para um refresco... Ricardinho não agüentou o cheiro bom do pão e falou: - Pai, tô com
fome!!! O pai, Agenor, sem ter um tostão no bolso, caminhando desde muito cedo em busca de um
trabalho, olha com os olhos marejados para o filho e pede mais um pouco de paciência... - Mas pai,
desde ontem não comemos nada, eu tô com muita fome, pai!!! Envergonhado, triste e humilhado em

- 105 -
seu coração de pai, Agenor pede para o filho aguardar na calçada enquanto entra na padaria a sua
frente... entrar dirige-se a um homem no balcão: - Meu senhor, estou com meu filho de apenas 6
anos na porta, com muita fome, não tenho nenhum tostão, pois sai cedo para buscar um emprego e
nada encontrei, eu lhe peço que em Nome de Jesus me forneça um pão para que eu possa matar a
fome desse menino, em troca posso varrer o chão de seu estabelecimento, lavar os pratos e copos,
ou outro serviço que o senhor precisar!!! Amaro, o dono da padaria estranha aquele homem de
semblante calmo e sofrido, pedir comida em troca de trabalho e pede para que ele chame o filho...
Agenor pega o filho pela mão e apresenta-o a Amaro, que imediatamente pede que os dois sentem-
se junto ao balcão, onde manda servir dois pratos de comida do famoso PF (Prato Feito) - arroz,
feijão, bife e ovo... Para Ricardinho era um sonho, comer após tantas horas na rua... Para Agenor,
uma dor a mais, já que comer aquela comida maravilhosa fazia-o lembrar-se da esposa e mais dois
filhos que ficaram em casa apenas com um punhado de fubá... Grossas lágrimas desciam dos seus
olhos já na primeira garfada... A satisfação de ver seu filho devorando aquele prato simples como se
fosse um manjar dos deuses, e a lembrança de sua pequena família em casa, foi demais para seu
coração tão cansado de mais de 2 anos de desemprego, humilhações e necessidades.... Amaro se
aproxima de Agenor e percebendo a sua emoção, brinca para relaxar: - Maria!!! Sua comida deve
estar muito ruim... Olha o meu amigo está até chorando de tristeza desse bife, será que é sola de
sapato?!?! Imediatamente, Agenor sorri e diz que nunca comeu comida tão apetitosa, e que
agradecia a Deus por ter esse prazer... Amaro pede então que ele sossegue seu coração, que
almoçasse em paz e depois conversariam sobre trabalho... Mais confiante, Agenor enxuga as
lágrimas e começa a almoçar, já que sua fome já estava nas costas... Após o almoço, Amaro
convida Agenor para uma conversa nos fundos da padaria, onde havia um pequeno escritório...
Agenor conta então que há mais de 2 anos havia perdido o emprego e desde então, sem uma
especialidade profissional, sem estudos, ele estava vivendo de pequenos "biscates aqui e acolá",
mas que há 2 meses não recebia nada... Amaro resolve então contratar Agenor para serviços gerais
na padaria, e penalizado, faz para o homem uma cesta básica com alimentos para pelo menos 15
dias... Agenor com lágrimas nos olhos agradece a confiança daquele homem e marca para o dia
seguinte seu início no trabalho... Ao chegar em casa com toda aquela "fartura", Agenor é um novo
homem - sentia esperanças, sentia que sua vida iria tomar novo impulso... Deus estava lhe abrindo
mais do que uma porta, era toda uma esperança de dias melhores... No dia seguinte, às 5 da
manhã, Agenor estava na porta da padaria ansioso para iniciar seu novo trabalho... Amaro chega
logo em seguida e sorri para aquele homem que nem ele sabia porque estava ajudando... Tinham a
mesma idade, 32 anos, e histórias diferentes, mas algo dentro dele chamava-o para ajudar aquela
pessoa... E, ele não se enganou - Agenor foi o mais dedicado trabalhador daquele estabelecimento,
sempre honesto e extremamente zeloso com seus deveres... Um dia, Amaro chama Agenor para
uma conversa e fala da escola que abriu vagas para a alfabetizado de adultos um quarteirão acima
da padaria, e que ele fazia questão que Agenor fosse estudar... Agenor nunca esqueceu seu
primeiro dia de aula: a mão trêmula nas primeiras letras e a emoção da primeira carta... Doze anos
se passam desde aquele primeiro dia de aula.Vamos encontrar o Dr. Agenor Baptista de Medeiros,
advogado, abrindo seu escritório para seu cliente, e depois outro, e depois mais outro... Ao meio dia
ele desce para um café na padaria do amigo Amaro, que fica impressionado em ver o "antigo
funcionário" tão elegante em seu primeiro terno... Mais dez anos se passam, e agora o Dr. Agenor
Baptista, já com uma clientela que mistura os mais necessitados que não podem pagar, e os mais
abastados que o pagam muito bem, resolve criar uma Instituição que oferece aos desvalidos da
sorte, que andam pelas ruas, pessoas desempregadas e carentes de todos os tipos, um prato de
comida diariamente na hora do almoço...Mais de 200 refeições são servidas diariamente naquele
lugar que é administrado pelo seu filho, o agora nutricionista Ricardo Baptista.... Tudo mudou, tudo
passou, mas a amizade daqueles dois homens, Amaro e Agenor impressionava a todos que
conheciam um pouco da história de cada um... Contam que aos 82 anos os dois faleceram no
mesmo dia, quase que a mesma hora, morrendo placidamente com um sorriso de dever cumprido...
Ricardinho, o filho mandou gravar na frente da "Casa do Caminho", que seu pai fundou com tanto
carinho:"Um dia eu tive fome, e você me alimentou.Um dia eu estava sem esperanças e você me
deu um caminho. Um dia acordei sozinho, e você me deu Deus, e isso não tem preço. Que Deus
habite em seu coração e alimente sua alma. E, que te sobre o pão da misericórdia para estender a
quem precisar!!!"
(História verídica)

- 106 -
VOCÊ TEM EXPERIÊNCIA?
Você tem experiência?Num processo de seleção da Volkswagen, os candidatos
deveriam responder a seguinte pergunta: "Você tem experiência?" A redação abaixo
foi desenvolvida por um dos candidatos. Ele foi aprovado e seu texto está fazendo
sucesso, e ele com certeza será sempre lembrado por sua criatividade, sua poesia, e
acima de tudo por sua alma.REDAÇÃO VENCEDORA:"Já fiz cosquinha na minha
irmã só pra ela parar de chorar. Já me queimei brincando com vela. Eu já fiz bola de
chiclete e melequei todo o rosto. Já conversei com o espelho, e até já brinquei de
ser bruxo.Já quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista. Já me
escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora. Já passei trote por telefone. Já
tomei banho de chuva e acabei me viciando. Já roubei beijo. Já confundi
sentimentos. Peguei atalho·errado e continuo andando pelo desconhecido. Já raspei
o·fundo da panela de arroz carreteiro. Já me cortei fazendo a·barba apressado. Já
chorei ouvindo música no ônibus. Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri
que essas são as mais difíceis de se esquecer. Já subi escondido no·telhado pra
tentar pegar estrela. Já subi em árvore pra roubar fruta. Já caí da escada de bunda.
Já fiz juras eternas. Já escrevi no muro da escola. Já chorei sentado no chão do
banheiro. Já fugi de casa pra sempre, e voltei no outro instante. Já corri pra não
deixar alguém chorando. Já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de
uma só. Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e alaranjado. Já me joguei na piscina sem
vontade de voltar. Já bebi uísque até sentir dormentes os meus lábios. Já olhei a
cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar. Já senti medo do escuro.Já
tremi de nervoso. Já quase morri de amor, mas renasci novamente pra ver o sorriso
de alguém especial. Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar. Já
apostei em correr descalço na rua. Já gritei de felicidade. Já roubei rosas num
enorme jardim. Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um
"para sempre" pela metade. Já deitei na grama de madrugada via Lua virar Sol. Já
chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é
mesmo um ir e vir sem razão. Foram tantas coisas feitas, momentos fotografados
pelas lentes da emoção,guardados num baú, chamado coração.E agora um
formulário me interroga? Me encosta à parede e grita: "Qual sua experiência?". Essa
pergunta ecoa no meu cérebro: experiência. Experiência... Será que ser "plantador
de sorrisos" é uma boa experiência? Não!Talvez eles não saibam ainda colher
sonhos! Agora gostaria de indagar uma pequena coisa para quem formulou esta
pergunta:Experiência? Quem a tem, se a todo o momento tudo se renova?"
A Ratoeira
Um rato olhando pelo buraco na parede vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou
logo em que tipo de comida poderia ter ali. Ficou aterrorizado quando descobriu que era uma
ratoeira. Foi para o pátio da fazenda advertindo a todos: "Tem uma ratoeira na casa, uma ratoeira
na casa." A galinha, que estava cacarejando e ciscando, levantou a cabeça e disse:
"Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que é um grande problema para o senhor, mas não me prejudica
em nada, não me incomoda." O rato foi até o porco e disse a ele: "Tem uma ratoeira na casa,
uma ratoeira."
"Desculpe-me Sr. Rato, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar. Fique tranqüilo que o
senhor será lembrado nas minhas preces." O rato dirigiu-se então à vaca. Ela disse: "O que Sr.
Rato? Uma ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!"
Então o rato voltou para a casa, cabisbaixo e abatido, para encarar a ratoeira do fazendeiro.

- 107 -
Naquela noite ouviu-se um barulho, como o de uma ratoeira pegando sua vítima. A mulher do
fazendeiro correu para ver o que havia pego. No escuro, ela não viu que a ratoeira pegou a cauda
de uma cobra venenosa. A cobra picou a mulher.
O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre. Todo mundo sabe que para
alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja.
O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.
Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la.
Para alimentá-los o fazendeiro matou o porco. A mulher não melhorou e muitas Pessoas vieram
visitá-la. Muita gente veio vê-la o fazendeiro então sacrificou a vaca para alimentar todo aquele
povo. Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que
o problema não lhe diz respeito lembre-se que, quando há uma ratoeira na casa, toda a fazenda
corre risco.
“O problema de um é problema de todos quando convivemos em equipe.”

BÍBLIA FAMÍLIA

Basic Father
Informations And
Be Mother
Live I
Earth Love
You
HISTÓRIA DE MAX DEUX E JONATHAN EDWARDS
Conta-se uma história ocorrida a aproximadamente 200 anos de duas famílias norte
americanas: uma delas teve como patriarca um ateu, que ao final teve 560 descendentes, sendo
que 310 morreram como mendigos, 150 se tornaram criminosos, 7 assassinos, 100 foram
considerados alcoólatras e mais da metade das mulheres foram prostitutas. Final da história:
esses descendentes custaram ao governo norte americano mais de um milhão de dólares
naquele século, o que equivaleria nos dias de hoje 125 milhões de dólares.
Outro homem, contemporâneo deste primeiro foi um famoso pastor nos Estados Unidos.
Ele teve 1394 descendentes e dentre eles, 295 se formaram em Universidades, 13 deles foram
diretores de faculdade, 65 professores e 3 foram eleitos senadores. E não fica por aí: 3 foram
governadores de estado e outros foram enviados a outros países como ministros de Evangelho,
além de 30 terem sido juízes, 100 advogados, 1 deão da melhor escola de direito de seu país,

- 108 -
56 foram físicos, 1 foi deão da escola de medicina, 75 se tornaram oficiais do exército, 100
foram missionários, pregadores e escritores famosos. Além desses, 80 tiveram cargos públicos,
dos quais 3 foram prefeitos de grandes cidades, 1 foi superintendente da Casa do Tesouro e
outro foi vice-presidente dos Estados Unidos. “Nenhum dos descendentes deveu dinheiro ao
Estado.”
Jonathan Edwards (5 de outubro de 1703 - 22 de março de 1758) foi um ministro
congregacional, teólogo calvinista e é considerado um dos maiores filósofos norte-americanos.
O que fazemos em vida ecoa na eternidade!!! Do filme Gladiador
Qual é o legado que você irá deixar para sua posteridade, sua
descendência?
Quão longe você irá até entregar o bastão?
Não é tolo aquele que renuncia àquilo que pode ganhar por aquilo
que não pode perder.
"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas"
frase de Saint Exupéry imortalizada no romance O Pequeno Príncipe
“Os vencedores não são os que nunca sofrem derrotas, mas sim os
que nunca desistem” Edwin Louis Cole
Na vida, o que é infinito? O que dura para sempre? Rendei graças
ao Senhor, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para
sempre. Salmo 136.1
Legado – aquilo que alguém, um grupo ou uma geração transmite à
posteridade. Posteridade série de indivíduos que descendem de
um ancestral comum. MVR 12 2 9

Você quer passar a sua vida inteira vendendo água com açúcar
ou quer ter uma chance de mudar o mundo?
No ato da contratação de John sculley, ex-CEO da Pepsi e da Apple
Eu contratei o cara errado
Disse sobre Sculley, no documentário Triunfo dos nerds. Na época
Jobs estava afastado da Apple e Sculley havia sido um dos
articuladores de seu afastamento.
Quando eu tinha 17 anos, li uma declaração que dizia algo mais
ou menos assim: Se você viver cada dia da sua vida como se
fosse o último. Um dia, com toda certeza, você estará certo. Isso
me impressionou e pelos últimos 35 anos eu me olhei do
espelho todas as manhãs e perguntei a mim mesmo, Se hoje
Por mais que a Microsoft tenha copiado a
fosse o ultimo dia da minha vida, estaria fazendo o que eu Apple ao lançar o seu sistema operacional
planejo fazer hoje? Se a resposta fosse não por repetidas vezes, Windows, nunca o Windows chegou ao
eu sabia que precisava mudar patamar do rival. E Bill Gates, o antigo CEO
Discurso para a turma de formandos de Stannford em 2005 da Microsoft, sabe bem disso. Tanto que
comentou nesta quarta que o mundo
Seu trabalho irá preencher grande parte do seu tempo, da sua raramente vê uma pessoa do calibre de Steve
vida. E a única maneira de ser realmente satisfeito quanto a isso Jobs, capaz de provocar impactos tão
é ter certeza de ser um trabalho ótimo. E a única maneira de profundos, com efeitos que serão sentidos nas
fazer um trabalho ótimo é gostar muito do que faz! próximas gerações. "Para aqueles que tiveram
Discurso para Standford sorte o suficiente para trabalhar com ele, foi
uma insana grande honra. Eu sentirei uma
Você não consegue juntar os pontos olhando para o futuro; falta imensa de Steve Jobs", disse Bill Gates
você só conseguirá conectá-lo se olhar para o passado. Então, para o jornal "The New York Times".
você tem de confiar que os pontos se conectarão no futuro. Quando até os arquirrivais são obrigados a
Você precisa acreditar em alguma coisa, em sua determinação, tirar o chapéu, aí está o homem.
destino, vida, Karma ou o que quer que seja. Essa atitude jamais
me decepcionou e tem feito a diferença na minha vida
Standford 2005

- 109 -
- 110 -
Distribuição de Frequências - Tabela Auxiliar
i fi xi xi.fi Fi(+) Fi(-) fri Fri(+) Fri(-) ( x i − x ) (xi − x) 2 f i .( x i − x ) 2
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
n = Σfi =____ Σ(xi.fi)=_______ ∑ [ f .( x
i i − x) 2 ] = ___________
onde:
fi – frequência simples Fi – frequência acumulada (+ crês. – descrês) xi – ponto médio x – média
fri – frequência relativa simples Fri – frequência relativa acumulada d i = ( x i − x ) – desvio médio
n n

l + Li ∑ (xi fi) ∑ ( xi fi)


xi = i onde l i - limite inferior da classe Li - limite superior da classe x = i=1
= i=1
2 ∑ fi n