Anda di halaman 1dari 14

BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA

BEATRIZ SANTOS DE JESUS


BRUNA MONTEIRO ROSA
BRUNO CARVALHO
CAMILA OLIVEIRA CHAVES
DANILSON CAFÉ DE SANTANA
FERNANDO MOREIRA QUEIROZ
GLEIDSON RODRIGUES
GUSTAVO BARRETO
RAMON OLIVEIRA VIEIRA
RODRIGO COSTA AZEVEDO MIRANDA
YURE SOUZA SANTIAGO NASCIMENTO

Iniciação desportiva escolar


Benefícios, Importância, Cuidados e como realizar

Feira de Santana
2019
BEATRIZ SANTOS DE JESUS
BRUNA MONTEIRO ROSA
BRUNO CARVALHO
CAMILA OLIVEIRA CHAVES
DANILSON CAFÉ DE SANTANA
FERNANDO MOREIRA QUEIROZ
GLEIDSON RODRIGUES
GUSTAVO BARRETO
RAMON OLIVEIRA VIEIRA
RODRIGO COSTA AZEVEDO MIRANDA
YURE SOUZA SANTIAGO NASCIMENTO

A importância do lazer e recreação no desenvolvimento motor de


crianças e adolescentes

Projeto interdisciplinar apresentado a


disciplina Projeto Integrador em Educação
Física II com a finalidade de exercer os
conhecimentos adquiridos ao longo do
semestre sobre desenvolvimento e
aprendizagem motora, recreação e lazer
juntamente com as modalidades
desportivas, resultando na interação
teórico-prática e em nota na disciplina

Orientador: Professor Jean Araújo

Feira de Santana
2019
SUMÁRIO

Introdução 4
Justificativa 5
Objetivo Geral 6
Objetivo Específico 7
Fundamentação Teórica 8
Problemática 10
Metodologia 12
Cronograma 14
Recursos Humanos e Materiais 15
Referências 17
4

INTRODUÇÃO

. A tecnologia teve e continua com um crescimento astronômico, onde


crianças modernas brincam através de aplicativos no celular ou jogos, ampliando
índices de doenças como a obesidade, diabetes tipo II, depressão e ansiedade além
de ampliar questões como sedentarismo e problemas cardiovasculares. O impacto
disso se dá na diminuição da prática de atividade física, sobretudo dos esportes.

O próprio governo brasileiro diminuiu consideravelmente o investimento nos


esportes, programas públicos como o mais educação, que apareceram com o intuito
de oferecer uma melhor formação social para os alunos de escola pública e
rapidamente foi engavetado. Além da própria falta de investimento público, os
cidadãos brasileiros estão brincando menos e praticando menos esportes, a prova
disso são os padrões motores, tanto no gestual motor, quanto no aprendizado.

Padrões motores e movimentos básicos como caminhar, pular, saltar e até


mesmo habilidades como equilíbrio e coordenação motora tem sido muito
prejudicados com os novos e monótonos costumes, por isso a expectativa de vida
diminuindo, idosos cada vez mais esquecidos e crianças a cada novo ano vão
diminuindo drasticamente a sua infância.

Os esportes têm papel fundamental na formação sociocultural do indivíduo,


valores como fair play, coletividade e trabalho em equipe tem um cunho capaz de
lapidar e moldar a visão de mundo de seus praticantes, passando a observar o
melhor para o todo (maioria) e não o melhor para si próprio. Isso sem falar que com
a prática esportiva ocorre diminuição drástica nos índices de depressão,
desequilíbrio motor e problemas sociais.

Com tudo isso que fora apresentado, nós discentes do curso de Bacharelado
em Educação Física do Centro Universitário UniFTC campus de Feira de Santana
em parceria com nosso orientador Jean Araújo e coordenadora Aline Adães,
gostaríamos de dar início a este projeto que busca não só o 1º contato com o
esporte, como também a qualidade de vida e saúde bem como mais uma opção de
lazer e até mesmo, num futuro não muito distante, fazer com que mais projetos
como esse façam parte do calendário escolar público.
5

JUSTIFICATIVA

Com o pouco e baixo investimento em esportes no Brasil, sobretudo na


cidade de Feira de Santana, projetos de iniciação desportiva tem o cunho de retomar
práticas necessárias para a formação e desenvolvimento do cidadão. Na Grécia
(antes de sofrer com a invasão romana) as práticas desportivas, ocorriam desde a
fase da infância dos seus cidadãos, juntamente com a música e as artes, os
esportes proporcionavam: saúde e bem-estar, melhoria da qualidade de vida,
opções de lazer, pessoas mais ativas e preparadas, tanto no físico quanto no
mental, visão de mundo apurada, ou seja, conceitos mais bem definidos e
estruturados de beleza, cidadania, justiça e saúde.

Projetos com o mesmo cunho que este, podem mudar a realidade do esporte
nacional, do esporte municipal, agregando maior valor econômico, político, social e
por consequência mercadológico, pois, abrirá vagas de emprego e novos nichos
para diversos profissionais (pedagogos, psicólogos, profissionais de educação física,
fisioterapeutas, enfermeiros e enfermeiras).

Portanto, além dos aspectos já citados, vale salientar que este projeto irá
promover e intensificar algo que muitas vezes é deixado de lado a promoção de
lazer e saúde e por consequência uma melhor qualidade de vida através da prática
de atividade física, nesse caso o esporte.
6

OBJETIVO GERAL

Desenvolver um trabalho interativo com cunho participativo e social,


proporcionando aprendizado e conhecimento além da inserção dos jovens no
esporte, ensinando valores éticos e morais.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
7

Apresentar quais são os fundamentos do handball.

Proporcionar o contato dos jovens com o esporte.

Introduzir metodologias de ensino interativas e dinâmicas.

Conscientizar os alunos quanto a importância da prática desportiva.

Trabalhar a formação social dos alunos através do esporte.

Promover saúde e bem estar.

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
8

Segundo Piaget: “"Quando vejo uma criança, ela me inspira dois sentimentos;
ternura pelo que ela é, respeito pelo que poderá ser", “Os jogos favoritos incluem
correr para pegar outras crianças, esconder e achar, procurar objetos que estão
faltando e jogos de adivinhação. Certas regras vão se tornando necessárias. Estão
ligadas ao tipo de jogo e não a quem vence ou perde”, "As crianças tem estruturas
mentais diferentes das dos adultos. Não são adultos em miniatura; elas tem seus
próprios caminhos distintos, para determinar a realidade e ver o mundo". É
fundamental conhecer e inter-relacionar os fatores que influenciam no
desenvolvimento da criança para realizarmos um trabalho interativo onde as
variáveis utilizadas se correlacionem para que o objetivo seja alcançado (trabalhar
habilidades motoras, desenvolver valências físicas). Temos de entender que o jogo é
uma atividade vivencial muito intensa emocionalmente, e uma influência marcante
na apreensão do conhecimento. Utilizando-o, podemos melhorar a relação entre os
diversos aspectos do desenvolvimento infantil”. Abaixo encontra-se uma imagem
que ilustra esses diversos aspetos que foram falados.

Aproximadamente aos 6 anos de idade já encontra-se 90% a 95% do


desenvolvimento físico do cérebro, a coordenação motora e as habilidades
desportivas múltiplas devem ser estimuladas neste período ao máximo, por meio de
jogos e brincadeiras, exatamente pelo fato do cérebro estar pronto a receber um
gama inimaginável de informações. As atividades de caráter psicológico e físico
variadas, são o estímulo para produzirem caminhos mentais, e serem armazenadas
as informações no cérebro. Estas informações serão exigidas no futuro em situações
complexas do jogo facilitando a aprendizagem e caracterizando a prontidão motora
esportiva. Devemos lembrar que as atividades para as crianças são completamente
diversificadas e diferentes os objetivos, quando relacionadas às atividades físicas
9

para os adultos, que comumente são atividades voltadas para a performance. A


condição física a ser atingida esta em momento ótimo, mas com óbvios limites de
rendimento máximo; limite o qual não deverá ser exigido em treino, as atividades
físicas devem possuir objetivo lúdico, educacional e não competitivo. As atividades
competitivas visam alto rendimento, possuem uma estrutura muito complexa para
ser compreendida pela criança. Na realidade social momentânea do jogo competitivo
esta a tarefa de vencer, e o fato de que sempre existe um perdedor, para a criança
esta realidade é pouco aceita e frequentemente desperta sentimento depressivo e
provoca choro. Caso a criança seja intuitivamente competitiva esta deverá ser
conduzida ao esporte competitivo, caso contrário não deve ser forçada a competir.
Respeitar a condição natural humana é o principio para o equilíbrio interior e
interpessoal.

Ratificando as ideias e diretrizes de Piaget, Galatti diz o seguinte: “à Pedagogia


do Esporte, quando no trato com modalidades coletivas, cabe organizar,
sistematizar, aplicar e avaliar procedimentos pedagógicos a fim de formar jogadores
inteligentes, ou seja, capazes de lidar com os problemas do jogo; e cooperativos,
assim como exige um jogo esportivo coletivo, estimulando ainda a transcendência
dos conteúdos e atitudes tomadas da quadra para além desta, através de um
processo educacional para e pelo esporte” Nesse contexto, as experiências práticas
em situações de jogo como uma das possibilidades de ensino baseada na
pedagogia do esporte, visto que podem proporcionar aos alunos o conhecimento e a
aprendizagem dos fundamentos básicos das modalidades coletivas, desenvolvendo
neles a motivação e o gosto pela prática esportiva e fazendo desta um benefício
para a saúde e qualidade de vida. Além disso a utilização dos jogos adaptados como
ferramenta pedagógica contribui com o processo de ensino aprendizagem dos jogos
esportivos coletivos durante a iniciação esportiva. Galatti finaliza o raciocínio da
seguinte forma: “também defende a utilização de jogos como estratégia de ensino,
pois estes são mais motivantes e são similares às características reais do jogo,
podendo ser iniciados com regras mais simples, com variação no número de
jogadores e alterações no espaço de jogo. Com isso, o aluno ou praticante terá de
interpretar a situação de jogo em que está inserido e agrupar informações para
encontrar a melhor solução”
10

Para finalizar, segundo Manoel Tubino: “[...] o Esporte passou, na sua ampliada
abrangência social, a compreender todas as pessoas, independentemente das suas
idades e de suas situações físicas”. Completando o raciocínio da primeira citação, a
partir da Carta Internacional de Educação Física e Esporte (Unesco) “surgiu a
defesa do direito de todas as pessoas as práticas esportivas. [...] o rendimento
esportivo era substituído gradualmente pelas práticas esportivas de todos,
independentemente de idade, raça, estado físico e outras situações humanas”
percebe como é de cunho pluralista o esporte? Impacto político, social, cultural,
pedagógico, físico, econômico, não dá para descartar algo assim, principalmente no
momento atual, é justamente o contrário, utilizar o máximo possível dele, para
melhorar tanto o munícipio quanto o país.

METODOLOGIA
11

Para obter êxito numa iniciação desportiva é necessário olhar minucioso e


aguçado para os padrões motores dos alunos, pois, nas aulas de introdução, de
contato, por possuírem movimentos únicos e específicos, os esportes requerem um
gestual motor pontual com a idade trabalhada. Se ele possuir padrões de
unilateralidade, pouca coordenação motora, baixa mobilidade, flexibilidade a quem
do esperado, o professor precisará trabalhar todas essas questões dentro da própria
iniciação desportiva.

Visão periférica e raciocínio rápido também se fazem presentes e nem todos os


jovens tem ambas as qualidades desenvolvidas, tendo essa perspectiva de que será
necessário realizar um trabalho onde fundamentos e habilidades motoras se
conectem, afinal, ensinar um esporte também é promoção de saúde e melhoria da
qualidade de vida.

Logo, por questões metodológicas, o trabalho ativo, dinâmico e interativo será o


critério utilizado ao longo do trabalho de iniciação desportiva. Combinar fundamentos
como passe e finalização a habilidades como lateralidade e visão periférica, domínio
e drible a coordenação motora e agilidade. Além disso, não esquecer de observar as
valências físicas como força, velocidade, explosão/potência dos alunos.

Ao final do projeto de iniciação desportiva, os alunos terão autonomia e


capacidade para conviver e praticar o esporte, além de suas capacidades funcionais
e motoras desenvolvidas.

CRONOGRAMA
12

Fundamento Dia Data


Quarta-Feira 18/9
Domínio
Sexta-Feira 20/9
Quarta-Feira 25/9
Drible
Sexta-Feira 27/9
Quarta-Feira 2/10
Passe
Sexta-Feira 4/10
Quarta-Feira 9/10
Finalização
Sexta-Feira 11/10
Quarta-Feira 16/10
Jogo
Sexta-Feira 18/10
Quarta-Feira 23/10
Sistema Defensivo 5-1
Sexta-Feira 25/10
Quarta-Feira 30/10
Sistemas de Ataque
Sexta-Feira 01/10
Campeonato Sábado 2/11

RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS


13

Recursos Humanos Materiais


Bolas
Cones
Participantes e Orientador
Bambolês
Steps

REFERÊNCIAS

 http://www.sesc.com.br/wps/wcm/connect/8b9a78b5-ace1-48c9-b33a-
70c66325f2d9/01B_Perspectiva+do+esporte+educacional+em+projetos+sociai
14

s.pdf?MOD=AJPERES&CACHEID=8b9a78b5-ace1-48c9-b33a-70c66325f2d9/
- Acesso dia 04/09 ás 17:10

 https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/conteudo/iniciacao/3131 -
Acesso dia 05/09 ás 16:30

 https://www.efdeportes.com/efd140/iniciacao-aos-jogos-esportivos-
coletivos.htm - Acesso dia 07/09 ás 17:30