Anda di halaman 1dari 37

Acidentes Ocupacionais com

Material Biológico no IML:


Prevenção e Conduta Pós
Acidente

IML/IGP/SSP/SC
 
 
ACIDENTE    COM    MATERIAL    BIOLÓGICO  
 
Acidentes  envolvendo  sangue  e  outros  fluidos  orgânicos  
ocorridos  com  profissionais  durante  o  desenvolvimento  do  seu  
trabalho  quando  estes  estão  expostos  a  materiais  
potencialmente  contaminados.  
 
Os  ferimentos  com  agulhas  e  materiais  perfurocortantes  em  
geral  são  considerados  extremamente  perigosos  por  serem  
potencialmente  capazes  de  transmi?r  mais  de  20  ?pos  de  
patógenos  diferentes,  sendo  o  vírus  da  Imunodeficiência  
humana  (HIV),  o  da  hepa?te  B  e  o  da  hepa?te  C  (HCV)    
os  agentes  infecciosos  mais  comumente  envolvidos.  
     

IML/IGP/SSP/SC  
RISCO BIOLÓGICO
Risco de Quê?

Tuberculose   Escabiose  
Hepa4te  A  
 (TB)  

Hepa4te  B   Vírus  herpes   Meningites  


(VHB)  

Hepa4te  C   AIDS  
Influenzae  
(VHC)   (HIV)  

IML/IGP/SSP/SC  
Vias  de  Contágio  
•  Mucocutânea

-  Pele com ferimentos, boca,


olhos, nariz
-  Potencial de transmissão:
-  HIV 0,04 a 0,63% dos acidentes
-  HCV, HBV: raríssimos
-  Tuberculose: não há registros

IML/IGP/SSP/SC  
Vias  de  Contágio  
•  Aérea

-  Através do ar
-  Muito importante no IML pela
manipulação das cavidades do
cadáver durante necropsia
-  Potencial de transmissão:
-  HIV, HCV, HBV: sem registros
-  Tuberculose: 90% dos casos de
transmissão de TB se dá por via
área

IML/IGP/SSP/SC  
Vias  de  Contágio  
•  Inoculação direta/percutânea

-  Ferimentos causados por acidentes


com materiais cortantes/perfurantes/
mistos
-  Principal via de contaminação no IML
-  Potencial de transmissão:
-  HIV: 0,3% dos acidentes (é maior
quando há co-infecção pelo HCV)
-  HCV: 4,0 %, podendo chegar a 10%
-  Tuberculose: 5 a 10%
-  HBV: 30%

IML/IGP/SSP/SC  
Tuberculose  
Mycobacterium  tuberculosis  

- DEVE-SE TER CUIDADO NAS NECROPSIAS


DEVIDO POSSIBILIDADE DE CONTAMINACÃO POR
VIA ÁREA QUANDO HÁ MANIPULAÇÃO DAS
CAVIDADES DO CADÁVER, NOTADAMENTE
PULMÕES E VIAS ÁREAS
- SURGIMENTO DE CEPAS RESISTENTES AO
TRATAMENTO

IML/IGP/SSP/SC  
Mycobacterium  tuberculosis  
-  A bactéria tem baixo potencial de produzir doença,
pois menos de 10% dos contaminados desenvolverão
a doença efetivamente, mas é resistente:
-  Registro do m. tuberculosis na sala necropsia 24
horas após o término do exame de cadáver
sabidamento contaminado
-  Relatos de contaminação após exposição de 10
minutos a um cadáver de uma vítima doente
-  Bactéria presente em cadáveres embalsamamados
60 horas após o procedimento

IML/IGP/SSP/SC  
AIDS  -­‐  HIV  

-  Principais vias de contaminação: sangue, sêmen,


secreção vaginal, leite materno

-  Saliva, lágrima, urina são menos importantes, exceto se


houver sangue presente

IML/IGP/SSP/SC  
AIDS  -­‐  HIV  
Os relatos mostram sobrevivência do vírus muito diversa:

-  HIV viável em sangue até 16 dias após a morte (Douceron


et al, 1993)
-  Em ossos, linfonodos, baço, líquor (5 dias quando
armazenados em temperatura de 6° C)
-  Outros trabalhos mostram HIV presente no baço até 14
dias em amostra armazenada à temperatura ambiente

IML/IGP/SSP/SC  
HIV-­‐  AIDS  

ASSIM:

“…   Corpos   infectados   com   HIV   devem   ser  


considerados   potencialmente   infecciosos   por  
no  mínimo  duas  semanas  após  o  óbito”.    

IML/IGP/SSP/SC  
HepaCte  C  (VHC)  

-­‐  Sangue  é  principal  via  de  contágio  


-­‐  VHB  foi  encontrado    14  dias  em  cadáveres  à  
temperatura  ambiente  
-­‐  IMPORTANTE:  NÃO  HÁ  VACINA  

IML/IGP/SSP/SC  
HepaCte  B  (VHB)  

-­‐  Até   30%   dos   profissionais   não   vacinados  


envolvidos   em   acidentes   com   sangue  
contaminado   pelo   VHB   desenvolvem   a  
doença  
-­‐  Sangue:  mais  importante  
-­‐  Saliva,  sêmen,  secreções  vaginas:  relatos  

IML/IGP/SSP/SC  
HepaCte  B  (VHB)  

-­‐  VHB    viável  até  7  dias  em  amostras  forenses  


conservadas  à  temperatura  ambiente  

-­‐  EXISTE  VACINA  

IML/IGP/SSP/SC  
RISCO OCUPACIONAL:
SANGUE E SECREÇÕES BIOSSEGURANÇA  
O QUE FAZER?

1.  PRECAUÇÕES PADRÃO ANTES DO ACIDENTE OCORRER

1.1. VACINAÇÃO
1.2. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI)
1.3. CUIDADOS PARA MANIPULAÇÃO E DESCARTE DE
MATERIAIS PÉRFURO-CORTANTES E NO CONTATO COM
CADÁVERES

2. PROCEDIMENTOS QUE DEVEM SER SEGUIDOS APÓS


EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO
POTENCIALMENTE CONTAMINADO

IML/IGP/SSP/SC  
RISCO OCUPACIONAL:
SANGUE E SECREÇÕES BIOSSEGURANÇA  
O QUE FAZER?

1.  PRECAUÇÕES PADRÃO ANTES DO ACIDENTE OCORRER

1.1. VACINAÇÃO
1.2. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI)
1.3. CUIDADOS PARA MANIPULAÇÃO E DESCARTE DE
MATERIAIS PÉRFURO-CORTANTES E NO CONTATO COM
CADÁVERES

2. PROCEDIMENTOS QUE DEVEM SER SEGUIDOS APÓS EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL


BIOLÓGICO POTENCIALMENTE CONTAMINADO

IML/IGP/SSP/SC  
Acidentes por Material
Biológico
 
A melhor forma de prevenção é evitar o
acidente obedecendo as normas de
biossegurança e estando vacinado.

IML/IGP/SSP/SC  
Vacinas  Disponíveis  no  SUS  -­‐  Adultos  

- Hepatite B
- Difteria e Tétano
- Sarampo, Caxumba e Rubéola
- Influenza
- Varicela
- Hepatite A
- Gripe
- Pneumococo

* A disponibilidade varia e deve ser verificada

IML/IGP/SSP/SC  
Vacinas  Não  Disponíveis  no  SUS  -­‐  Adultos  

- Varicela ou Catapora
- Dengue
- Hepatite A
- Hepes zoster

IML/IGP/SSP/SC  
Equipamentos  de  Proteção  Individual  

- Devem ser utilizados tanto no trabalho de campo quanto nas


necropsias

IML/IGP/SSP/SC  
Cuidados para Manipulação e Descarte de
Materiais Perfurocortantes:  
–  Não reencapar agulhas
–  Não desconectar as agulhas das seringas
–  Não quebrar ou entortar as agulhas
–  Desprezar perfurocortantes em recipiente adequado
–  Não jogar perfurocortantes no lixo comum
–  Não deixar agulhas nas mesas de necropsia ou móveis
–  Não usar agulhas para pregar cartazes nos murais
–  Nunca ultrapassar o limite da capacidade do coletor
–  Utilizar luvas para procedimentos e coleta de sangue,
urina e secreções
–  Manusear materiais cortantes com cuidado

IML/IGP/SSP/SC  
Cuidados no Contato com Cadáveres  

-  Usar gorro descartável, óculos de proteção, máscara, luvas de látex, avental,


mangote, calça, propé e calçados impermeáveis sempre que houver contato
com cadáveres

-  Nas necropsias de cadáveres em decomposição deverá ser usada proteção


impermeável

-  Ter cuidado ao manusear pulmões (transmissão de tuberculose);

-  Ter cuidado ao manusear estômago, vestimentas e secreções de corpos


vitimados por envenenamento ou por quaisquer substâncias que possam
causar lesões ou prejuízos à saúde

IML/IGP/SSP/SC  
Cuidados no Contato com Cadáveres  

-  Não manusear órgãos ou estruturas do cadáver com as mãos, nem utilizar os


dedos das mãos como anteparos nas necropsias durante utilização de
instrumentos perfurocortantes

-  Lavar as mãos após o término de cada exame ou procedimento

-  É vedado o uso de adornos (anéis, brincos, correntes) que possam acumular


sujeira ou albergar possíveis microorganismos patogênicos, além de
facilitarem a ocorrência de acidentes

-  Não guardar ou consumir alimentos ou bebidas nas áreas de trabalho

•  Proteger  ferimentos  e  mucosas  contra  o  perigo  de  contaminação.  


IML/IGP/SSP/SC  
•  •  
Cuidados no Contato com Cadáveres  
 
-  Manter unhas aparadas e limpas

-  Não fumar

-  Manter os calçados limpos

-  Trajar-se com vestimenta limpa e apropriada para a atividade que ofereça


conforto e segurança. Não deverão ser usadas camisas que apresentem
botões aparentes. Estes botõe podem eventualmente prender-se a outros
objetos podendo ser causa de acidentes

-  Não pendurar chaves, óculos ou outros objetos nas roupas

- Manter máxima atenção durante a realização dos procedimentos.

IML/IGP/SSP/SC  
RISCO OCUPACIONAL:
SANGUE E SECREÇÕES BIOSSEGURANÇA  
O QUE FAZER?

1.  PRECAUÇÕES PADRÃO ANTES DO ACIDENTE OCORRER

1.1. VACINAÇÃO
1.2. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI)
1.3. CUIDADOS PARA MANIPULAÇÃO E DESCARTE DE MATERIAIS
PÉRFURO-CORTANTES E NO CONTATO COM CADÁVERES

2. PROCEDIMENTOS QUE DEVEM SER SEGUIDOS APÓS


EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO
POTENCIALMENTE CONTAMINADO

IML/IGP/SSP/SC  
FATOR EMOCIONAL

O IMPACTO EMOCIONAL DE UM ACIDENTE COM


AGULHA PODE SER FORTE E DURADOURO, MESMO
QUANDO NÃO HÁ CONTAMINAÇÃO DO
PROFISSIONAL

O DESCONHECIMENTO DA SOROLOGIA DA VÍTIMA-


FONTE ACENTUA AINDA MAIS O ESTRESSE DO
PROFISSIONAL ACIDENTADO, DA SUA FAMÍLIA E
DOS SEUS COLEGAS DE TRABALHO

NIOSH  -­‐  NATIONAL  INSTITUTE  FOR  OCCUPATIONAL  SAFETY  AND  HEALTH  /CDC  -­‐Alert  Preven4ng  
Needles4ck  Injuries  in  Health  Care  SeYngs  -­‐  Publica4on  No.  2000  -­‐  108,  November  1999.  

IML/IGP/SSP/SC  
Conduta pós-acidente
- Cuidados com a área exposta
- Lavagem do local exposto com água e sabão nos casos de
exposição percutânea ou cutânea

- Nas exposições de mucosas, deve-se lavar exaustivamente com


água ou solução salina fisiológica

- Não há evidência de que o uso de anti-sépticos no local do


ferimento reduza o risco de transmissão

- Não devem ser realizados procedimentos que aumentem a área


exposta, tais como cortes e injeções locais
 
Ministério  da  Saúde.  Exposição  a  material  biológico.  
 

IML/IGP/SSP/SC  
Profilaxia Pós Exposição

- Fazer contato com a chefia imediata;

- Encaminhar sangue da vítima-fonte e encaminhar o


profissional para coleta de sangue no hospital referência
(RENAST);

- Fazer a notificação do acidente (a notificação compulsória é de


responsabilidade do hospital referência. O IML/IGP deverá
preencher a CAT específica do servidor e encaminhar ao RH para
agendamento da perícia médica).

IML/IGP/SSP/SC  
Rede Nacional de Atenção Integral à
Saúde do Trabalhador

RENAST
criada através da

Portaria n.º 1679/GM


em 19 de setembro de 2002
Dispõe sobre a estruturação da rede nacional de
atenção integral à saúde do trabalhador no SUS e dá outras providências.

IML/IGP/SSP/SC
Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do
Trabalhador

A RENAST é uma rede desenvolvida de forma articulada entre o Ministério


da Saúde e as Secretarias de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e
dos Municípios.
Tem como objetivo articular, no âmbito do SUS, ações de prevenção,
promoção e recuperação da saúde dos trabalhadores urbanos e rurais,
independentemente do vínculo empregatício e tipo de inserção no mercado
de trabalho.

IML/IGP/SSP/SC
Profilaxia Pós Exposição
•  Exames da vítima •  Exames do servidor
fonte: vítima:

–  Anti HIV –  Anti HIV


–  HBsAg –  HBsAg
–  Anti HCV –  Anti-HBs
–  VDRL –  Anti HVC
–  VDRL
 

IML/IGP/SSP/SC
Conduta pós-acidente
- Além dos exames laboratoriais, deverá ser
dispensada ao servidor, pelo hospital referência,
as medicações devidas e o seguimento
ambulatorial

 
Ministério  da  Saúde.  Exposição  a  material  biológico;  2006.  
 

IML/IGP/SSP/SC
Conduta pós-acidente

PREENCHER  A  COMUNICAÇÃO  DE  


ACIDENTE  DE  TRABALHO  
ESPECÍFICA  DO  SERVIDOR  
PÚBLICO  ESTADUAL  
 
 
IML/IGP/SSP/SC
IML/IGP/SSP/SC
IML/IGP/SSP/SC
IML/IGP/SSP/SC
Governo do Estado de SC
Secretaria de Estado da Segurança Pública
Instituto Geral de Perícias
Instituto Médico Legal
Direção do IML
igpiml@ssp.sc.gov.br

IML/IGP/SSP/SC