Anda di halaman 1dari 4

ESCASSEZ E POBREZA

O conceito de escassez

O que é um recurso escasso?


A quantidade desejada do recurso é superior à existente
Numa situação de escassez os bens são limitados relativamente aos desejos.
Deste modo é importante que uma economia faça o melhor uso dos seus recursos limitados, ou
seja que os utilize de forma eficiente.

 A escassez é definida como limitação de meios de produção em relação as


necessidades humanas. Significa insuficiência de recursos econômicos para
atender as necessidades da sociedade.
 Pobreza é um conceito subjetivo e prático que é classificado como falta do
mínimo de recursos para satisfazer as necessidades humanas.

Deslocamentos da Demanda e Oferta

Supondo que o mercado está em equilíbrio ao preço R$ 20 e quantidade 50. Um aumento


da renda dos consumidores deslocará a demanda de D para D1 e os consumidores
passarão a desejar a quantidade 90, formando um excesso de demanda de 40 unidades
( 90 -50).
Como conseqüência o preço do produto subirá até R$ 30 e a nova quantidade de equilíbrio
será 70 unidades.

Agora supondo que o mercado está em equilíbrio ao preço R$ 30 e quantidade 70. Uma
redução do número de consumidores deslocará a demanda de D1 para D e os
consumidores passarão a comprar a quantidade 38, formando uma escassez de demanda de
32 unidades (70 - 38).
Como conseqüência o preço do produto cairá até R$ 20 e a nova quantidade de equilíbrio
será 50 unidades.

Outros fatores que podem causar deslocamento da demanda para direita ou esquerda:
• Renda dos consumidores
• Gostos e preferências
• Número de consumidores
• Preço de bens substitutos
• Expectativa de preço futuro
Supondo que o mercado está em equilíbrio ao preço R$ 50 e quantidade 20. Uma redução
no custo de produção (por nova técnica) deslocará a oferta de O para O1 e os produtores
colocarão no mercado a quantidade 60, formando um excesso de oferta de 40 unidades
(60 -20). Para livrarem-se do excedente os produtores serão induzidos a baixar o preço.
O preço do produto cairá até R$ 35 e a nova quantidade de equilíbrio será 45 unidades.

Agora supondo que o mercado está em equilíbrio ao preço R$ 35 e quantidade 45. Um


aumento do custo de produção (por aumento de preço da matéria prima) deslocará a
oferta de O1 para O e os produtores passarão a ofertar a quantidade 10, formando uma
escassez de oferta de 35 unidades (45 - 10).
Como conseqüência o preço do produto subirá até R$ 50 e a nova quantidade de equilíbrio
será 20 unidades.

Outros fatores que podem causar deslocamento da oferta:


• Preço dos recursos econômicos (mão de obra e capital) Ex: se o preço da matéria
prima subir, aumentará o custo de produção, deslocando a curva de oferta para
esquerda
• Tecnologia Ex: caso a técnica nova reduza custo de produção mudará a curva de
oferta para direita
• Preços de bens substitutos Ex um aumento no preço da soja deslocará a curva de
oferta de milho para direita.
• Expectativa de preço futuro Ex: se o produtor acredita que o preço da carne vai
aumentar, reterá o fornecimento de gado no presente, deslocando a curva de
oferta para esquerda.

Equilíbrio do consumidor – abordagem teoria da utilidade

O consumidor atinge a utilidade máxima ou satisfação máxima quando :


• Gastar toda sua renda R= Px * X + Py * Y
• Cada real R$ gasto em”X” deve proporcionar a mesma satisfação que cada real R$
gasto em “Y”
Umgx = Umgy
Px Py

Uma garrafa de vinho importado custa a Jonas R$ 40 e um assistir um show musical custa R$
100. Quando Jonas maximiza sua utilidade, a utilidade marginal de da garrafa de vinho é de 8
úteis. A utilidade marginal do show é:
a) 30
b) 40
c) 10
Umg vinho = Umg show
d) 20 Pvinho P show
e) 25 8 = Umg show
40 100
Umg show = 800/40 Umg show = 20
Curvas de Indiferença

Maximizand
Exemplo:

A Linha de orçamento de um consumidor com renda R$ 180 é dada por


Y= 20 - 2/3 x e este consumidor adquire quantias iguais de X e Y isto é, X= Y pede-se:
a) Os preços de X e Y
b) A combinação de equilíbrio

Vestuário
Solução se Y= 0 → 0 = 20 – 2/3x → x= 60 → Qx = R/Px → 60 = 180/Px → Px = 6
Se X = 0 → Y = 20 – 2/3(0) → Y = 20→ Qy = R/Py → 20 = 180/Py → Py = 9

No equilíbrio o consumidor gasta toda renda e X=Y

(unidades
180 = 6X + 9Y → 180 = 6X +9X →180 = 15X → X = 12 e Y = 12

por semana)
4
Onde: PT =produção total, Pme= produção média, Pmg =produção marginal , L =mão de obra e K = capital

Estágio I :
 PT, Pme e Pmg são crescentes
 Pmg > Pme indica que funcionários adicionais aumentam a PT em quantias maiores

30
que a média
 Pmg = Pme máxima fim do estágio
 Pmg k é negativa pois existe capital ocioso

Estágio II :
 PT é crescente, Pme e Pmg são decrescentes
 Pmg < Pme indica que funcionários adicionais aumentam a PT em quantias menores
que a média
 PT máxima e Pmg zero fim do estágio
 Pmg k e Pmg L são positivas, o capital é plenamente utilizado

Estágio III :
 PT, Pme e Pmg são decrescentes
 Pmg além de decrescente é negativa
 A empresa não deve operar neste estágio, o bom senso não permite admitir
funcionários que decresçam a produção total.

CUSTOS DE PRODUÇÃO

Custo econômico = custo explícito + custo implícito


Custo explícito é aquele que aparece de forma clara e expressa no controle das despesas da
empresa, é o custo contábil. Ex: pagamento de aluguel, de matéria-prima, de salários, etc.
Custo implícito (custo de oportunidade) refere-se ao valor dos recursos de propriedade da
empresa em seu melhor uso alternativo.
Ex: o aluguel que a empresa receberia caso não utilizasse seu prédio para a produção.
O dinheiro aplicado na empresa, quanto renderia no mercado financeiro.
Quanto receberia de salário o dono ,caso não trabalhasse em sua própria empresa
Mais um exemplo
 Custo implícito + custo explícito = custo total.
João constrói um armário. Gasta 2 horas para fazê-lo. Poderia ter trabalhado e receber
R$25,00 por hora. Ao construir o armário não será pago por este tempo. Os materiais para
fazer o armário custam-lhe R$20,00.
 O custo explícito é: R$20,00 nos materiais
 O custo implícito é: R$50,00 (2 * R$25) pagamento renunciado
 O custo total é: R$20,00 nos materiais + R$50,00 do pagamento renunciado = R$70,00

CUSTOS NO CURTO PRAZO

O curto prazo é o período em que a empresa está operando, portanto no curto prazo tem-se
custos fixos e custos variáveis.

Custos fixos são aqueles que independem da produção. Ex: pagamento de aluguel, de IPTU,
seguros, salários da alta administração, etc. O custo fixo total (CFT) é a soma das
remunerações dos recursos fixos.
Custos variáveis são aqueles que variam com a produção. Ex: pagamentos de salários (mão de
obra direta), de matéria-prima, de energia elétrica. O custo variável total (CVT) é a soma das
remunerações dos recursos variáveis.
O custo total (CT) é a soma do CFT e CVT.

Custos médios ou unitários


 Custo Fixo Médio(CFM): é o CFT dividido pelas quantidades produzidas. CFM diminui
a medida que aumentamos a produção.
 Custo Variável Médio(CVM): é o CVT dividido pela produção. No ponto mínimo da
curva CVM temos o nível de produção de máxima eficiência do recurso variável.
 Custo Total Médio(CTM): é o custo total dividido pela produção ou a soma CVM e
CFM. No ponto mínimo da curva CTM temos o melhor nível de produção.
 Custo Marginal (Cmg): é o acréscimo ao custo total quando aumentamos a produção
em uma unidade. O custo marginal não depende do custo fixo.