Anda di halaman 1dari 4

Entendendo a porta USB

Vitor Amadeu – vitor@cerne-tec.com.br

O padrão USB foi desenvolvido por um consórcio de empresas, entre as


quais destacam-se: Microsoft, Apple, Hewlett-Packard, NEC, Intel e
Agere. No início deste consórcio, havia duas divergências sobre a
criação do padrão USB como pode ser verificado na tabela 1.

• UHCI, Universal Host Controller Interface, apoiado principalmente


pela desenvolvedora de processadores Intel, que tinha como
principal tarefa transferir o processamento deste protocolo para o
software (driver);

• OHCI, Open Host Controller Interface, apoiado pelos fabricantes


de Software como a Compaq e Microsoft que transferia o
processamento do protocolo para a parte de hardware.

Tabela 1 – Duas formas iniciais de desenvolver o USB

Versões
Com o notável sucesso do USB, logo se verificou a necessidade de se
criar versões para este procotolo. Desta forma, ele está dividido na
seguinte forma:

• USB 1.0
• Primeira versão, lançada em Novembro de 1995.
• USB 1.1
• Lançada em Janeiro de 1996, primeira versão de sucesso do
USB. Transmite dados a 1,5MB/s ou 12Mb/s.
• USB 2.0
• Lançada em 2002, cuja maior novidade é o aumento da
capacidade de velocidade de transferência de dados, e
correção de alguns dados técnicos. Transmite dados até
480Mb/s.
Conectores

A porta USB é um meio pelo qual o microcontrolador ou PC podem


utilizar para se comunicar com o mundo externo. Existem basicamente
dois tipos de conectores USB, que são chamados de receptáculos onde o
do tipo A pode ser visualizado na figura 1 e o do tipo B na figura 2.

Figura 1 – Receptáculo tipo A

Figura 2 – Receptáculo tipo B

Neste conector, encontramos quatro pinos onde a função de dois


deles é alimentar algum dispositivo externo e os outros dois para fazer a
comunicação USB. Observe este detalhe na figura 3.

Figura 3 – Configuração do conector USB

A USB é uma interface serial de alta velocidade, atingindo taxas de


transferência de até 480 MB/seg. Se for instalado um cabo de múltiplos
conectores em seu conector então é possível pendurar nela até 127
periféricos (compatíveis com o padrão USB). Este cabo pode ter no
máximo 5 m.
A própria USB fornece a tensão +5 V (pinos 1 e 4 do conector) para os
periféricos de baixo consumo elétrico, dispensando alimentação externa
para eles. Uma de suas características é suporte para hot plugging
(conexão a quente), no qual o periférico pode ser instalado e
configurado sem necessidade de desligar o computador.

Microcontroladores com USB

A Microchip Corporation (www.microchip.com), empresa


desenvolvedora dos microcontroladores PIC lançou recentemente um
PIC com a máquina de comunicação interna USB. Este microcontrolador
pode ser verificado na figura 4.

Figura 4 – Microcontrolador com USB

Estes microcontroladores são o PIC18F2445, PIC18F2550,


PIC18F4455 e PIC18F4550. Eles são encontrados facilmente na Cerne
Tecnologia (www.cerne-tec.com.br) e com eles você pode facilmente
projetar sistemas que permitam a conexão via USB a um PC.
Recentemente a Cerne Tecnologia lançou uma fantástica placa
didática que já agrega este microcontrolador e facilita o
desenvolvimento de projetos neste protocolo. Observe esta placa na
figura 5.
Figura 5 – Placa PIC MASTER da Cerne Tecnologia

Com esta placa, além do protocolo USB, verifique o que você


poderá aprender:

• Display LCD 16x2;


• Display Gráfico 128 x 64 pixels;
• Comunicação RS232;
• Comunicação RS485;
• Comunicação com teclado PS2;
• Varredura de leds;
• Varredura de displays;
• e muito mais!

Envie um e-mail para cerne@cerne-tec.com.br para obter mais


informações ou ligue para (21)3064-4526 e fale diretamente com a
nossa central de atendimento para obter mais informações.
Bom, isto foi apenas uma introdução ao protocolo USB. Para os
mais interessados, recomendo a leitura detalhada deste protocolo que
pode ser visualizada no site www.usb.org. Qualquer dúvida, sugestão ou
crítica, meu e-mail de contato é vitor@cerne-tec.com.br. Até breve!